Casa dos Contos Eróticos

Click to this video!

PREDADOR DE CASAIS

Autor: PINTUDO CAMPINAS
Categoria: Grupal
Data: 11/01/2004 23:45:59
Nota 10.00
Assuntos: Grupal, Swing, Travesti

! — Sempre tive uma enorme tendência em querer realizar uma fantasia da qual eu coloco uma mulher casada, noiva ou namorada em total estado de submissão. Onde a mesma seria liberada pelo marido, noivo ou namorado que assistindo a tudo, se deliciando em ver a sua amada mulher, sendo degustada e tratada como uma verdadeira puta submissa e depravada. Colocando-a em situações extremamente eróticas e diferentes das habituais, em total estado de submissão, onde, caso fosse necessário, convidaria mais um outro homem bem dotado a participar desta depravação. Este foi o meu anuncio na swingclubbh e minha iniciação ao mundo liberal. Passei a ler os relatos, a ver os anúncios dos classificados, onde várias pessoas anunciam nas buscas de prazeres e de diferentes relacionamentos sexuais, propondo novas experiências com a realização das mais secretas e íntimas fantasias que povoam sempre as nossas mentes e o nosso subconsciente, mas que poucos, possuem a coragem de confessarem para os seus pares estes desejos, principalmente de realizarem. Talvez por temerem qualquer tipo de reações contrárias, que eventualmente, possam advir e é por isso que muitos casais, homens e mulheres, acabam se traindo, sendo infiéis e promíscuos fazendo surgir possíveis conflitos. O mais triste de tudo isso, é saber que isto só ocorre pelo medo de aceitar as verdadeiras fantasias sexuais do parceiro (a) compreendido por ambos acharem que realizando tais fantasias, contrariam os princípios morais, sociais e religiosos. No entanto, sabemos que nada disso é verdade, tanto a sociedade quanto à religião, são meros coadjuvantes no quesito felicidade sexual. Isso é pessoal e inviolável e acima de tudo constitucional. Mas felizes são os que querem viver suas aventuras sexuais, realizando seus desejos e suas fantasias mais intimas secreta e pecaminosa. Assim não foi diferente comigo, onde passo agora, a narrar na integra este deliciosamente e minucioso fato, onde somente após autorização dos envolvidos, foi possível confecciona-lo na integra. Anunciei no site e para minha surpresa, recebi uma quantidade considerável de e-mails, casais que desejam realizar esta fantasia, mas tinham receios. Conheci então, o casal que chamaremos de Bruno e Gabriela. Bruno possuía 39 anos, moreno, alto, corpo bem definido, excelente nível social e cultural. Já sua esposa, Gabriela, tinha 25 anos, e se usasse este espaço para descreve-la, seria pouco para enaltecê-la suas qualidades, sua beleza, as formas deliciosas do seu corpo, mas que durante o decorrer deste relato, vocês saberão como é sua forma. Este casal possuía também uma linda filhinha de 5 aninhos. O casal tinha algumas fantasias, mas tinham certos tabus e receios, sendo assim, ficamos inicialmente trocando e-mails e com a confiança estabelecida passamos a conversar pelo telefone constantemente com o Bruno me falando abertamente do seu relacionamento sexual. Confessava-me que procurava um cúmplice que o ajudasse a tornar a sua esposa uma putinha. Já tinha mencionado para ela de sua fantasia em ter uma relação fora do casamento, mas ela tinha medo de gostar e não querer parar. Mal sabia ela, que essa era a verdadeira intenção do marido que sempre fantasiou a esposa, algum dia, transando com outro homem e que fosse tratada como uma meretriz. Ela que já gostava de se vestir com roupas bem provocantes e sexys, tipo minissaias, blusas apertadas para realçar seu lindo corpo, andava sempre de salto alto. Ele mesmo já se habituou aos olhares dos outros homens e aos comentários sexuais sobre ela, quando não sabiam que ele era o marido. Ele a incentivava a ficar mais liberal e mais safada com outros homens, mas ela relutava, apesar de também morrer de tesão em imagina-los excitados ao vê-la. Ele sempre tentava de todas as formas dar uma "aquecida" em seu casamento, levando-a em motéis, cines pornôs, dando-lhe presentes eróticos, mas estava difícil. Ela ainda relutava, pois seria a primeira vez que ela se entregaria para outro homem na frente dele, e que ambos queriam se submeter a total submissão e humilhação. Bruno gostava de ouvir a esposa chegar do trabalho e relatar as constantes investidas dos homens. Evidentemente que quando ele me relatava essas deliciosas aventuras da mulher, eu além de ficar com um louco tesão, me tornava um cúmplice, uma espécie de confidente e conselheiro do Bruno que me ligava sempre à noite. A cada dia ele me contava uma história, um acontecimento vivido por Gabriela, sua sensual e adorável esposa. Até que lentamente ela começava a ceder aos apelos do marido, que apesar das fantasias de ambos nunca terem ultrapassado as fronteiras da imaginação sexual, a idéia os excitava muito na cama. Gabriela que já gostava de se exibir, passou a ir para o trabalho com micro saia, tops que tampavam somente os bicos dos teus seios, sandálias de salto, um tesão ambulante, como me disse. A esposa se oferecia para os colegas, cruzava as pernas, mostrava seus coxões para todos e ele me relatava tudo bem detalhadamente. Dizia que quando sua esposa chegava do serviço, lhe contava tudo. Ela sempre chegava com muito tesão e ele não conseguia satisfazê-la como ela merecia, sua pobre esposa, se masturbava feito uma louca, lhe causava um enorme tesão quando ouvia suas confidencias e situações eróticas. Eu me masturbava com suas deliciosas histórias presenciadas por ele e vividas por sua esposa. Em uma delas, Bruno, relatou que sua esposa saiu para trabalhar com uma roupa tão escandalosa, mostrando todo delicioso e estonteante corpo, que os homens a perguntavam quanto que ela cobrava por programa, imaginando que fosse uma prostituta, e que quando chegava em casa, transavam imaginando as cantadas e os constantes assédios. Foi aí que ela disse para o marido que queria qualidade com pelo menos um pouco mais de quantidade. Ele ficou surpreso e excitado. A situação estava séria e começava a fugir de seu controle. Ela lhe disse então que assim não podiam mais continuar, lhe propondo: - "OLHA AMOR, EU TE AMO DEMAIS, NÃO QUERO TE TRAIR SEM VOCE SABER...MAS CASO FAÇA ISSO, ESTAREI TRAINDO A MIM MESMA SE ME CONDENAR A UMA VIDA INSATISFEITA. QUERO PARAR DE IMAGINAR E DE FANTASIAR... QUERO REALIZAR A SUA FANTASIA E NÃO VOU EMBORA E NEM DEIXAR VOCE. NÃO VOU PARTIR E NEM PERDER TUDO QUE TEMOS DE BOM, SÓ POR CAUSA DO SEXO. EU SEMPRE VOU TE AMAR E NUNCA, JAMAIS TE ABANDONARIA POR ISSO." Ele pensou em tudo que sua esposa lhe havia dito e disse: - "Mas Gabi...O que você sugere afinal?" E ela num tom sensual e muito sacana respondeu cruamente: -“ SEMPRE ALIMENTEI A FANTASIA DE TRANSAR COM DOIS HOMENS DESCONHECIDOS, BEM DOTADOS, SELETOS, HIGIÊNICOS, QUE NÃO USASSEM CAMISINHA...QUE EU PUDESSE SENTI-LOS NAS MINHAS ENTRANHAS E TOMASSE TODO O NECTAR DE SEUS PÊNIS...ONDE ME TRATASSEM COMO UMA PUTA...LEMBRA QUE NÓS HAVÍAMOS FANTASIADO ISSO? POIS ENTÃO, CONFESSO AMOR, QUE EMBORA TENHA MEDO DESTE TIPO DE RELAÇÃO, TENHO NA VERDADE UM ENORME TESÃO EM IMAGINAR-ME SENDO COMIDA POR OUTROS...LEMBRA DAQUELE LANCE À TRES, ENTÃO, A GENTE PODIA TENTAR NÉ?!” Bruno assustou com a naturalidade e liberalismo da esposa fingindo de inocente a perguntou: "- Sei Não...Mas com quem seria meu amor?" Neste instante, ambos se olharam em silencio, pois na verdade, ambos possuíam o desejo de realizar tal fantasia mas possuíam ainda, vários receios e entre o ciúme, o do sentimento que poderia surgir ao vê-la transando com outros, chupando outros cacetes, sendo esporrada e tratada como uma vadia. Pensavam também, que não podia ser alguém conhecido, pois se sua esposa desse pra trás na hora H? Mas ele sabia que se não achasse os parceiros pretendidos por sua esposa, ela, acabaria desistindo da fantasia e podia ser bem pior. Ela ainda dizia: - "OLHA, AMOR, VOCE FICA NO COMANDO, VOCE É QUE VAI ESCOLHER OS FELIZARDOS. SÓ EXIJO QUE SEJA DUAS PESSOS BONITAS, EXTREMAMENTE DISCRETAS, SELETAS E HIGIÊNICAS...NÃO VAI ACONTECER NADA QUE VOCE NÃO QUEIRA, AMOR! ISSO NÃO É TRAIÇAO, POIS É ALGO AS CLARAS E VOCE VAI ESTAR PARTICIPANDO..." Bruno ficou numa felicidade muito grande e acabou confessando que já possuía os pretendentes e os candidatos. Ela sorriu e jubilou de alegria, como o marido estava entusiasmado queria saber mais detalhes, queria saber sobre a nossa personalidade, o que fazíamos, onde residíamos e trabalhávamos, como éramos, se o marido possuía as nossas fotos e disse ela toda satisfeita: - "AMOR, ENTÃO PODE MARCAR COM ELES, OK?” E ele: -“ E você quem manda minha princesa...Se quiser, amorzinho, nem tem penetração... Só brincadeira!" Sua esposa ficou ainda mais feliz e sossegada por coloca-lo no controle da fantasia de ambos. Logo após acertarem isso ficaram fantasiando e imaginando como seria vê-la beijando outro homem, sendo penetrada enquanto ele chupa seus seios, sua boceta. Isso os excitava. Eu ouvia todas estas declarações, aguardando o momento certo de poder degustar sua esposa, afinal, estava prestes a come-la, era só questão de tempo e tempero da carne. Mas, o casal ainda relutava, permaneciam receosos. Bruno ainda com medo de ver sua amada esposa cavalgando e sentindo nas entranhas jatos de porra. O seu medo ainda era maior, caso ela gostasse e ficasse viciada...Ele dizia assim, pois conhecia a carência sexual da mulher. Contudo, aconteceu o que ele temia. Enquanto Bruno tentava criar coragem e vivia fantasiando sua esposa com outro, a mulher dele, a linda Gabriela tentava apagar o fogo que eles haviam começado. Ficou alguns dias sem me ligar depois de duas semanas, atendi ao telefone e num tom de desabafo. Bruno me relatava que agora ele estava decidido a realizar a fantasia, pois na noite da semana passada, havia recebido um telefonema de sua esposa perguntando se poderia chegar mais tarde com uma voz muito insinuante, na semana passada. Ele esperou a esposa chegar, sonhando que ela voltasse pra casa sem calcinha. Pois eles tinham combinado isso, se um dia ela desse pra outro homem, ela voltaria pra casa sem calcinha. Algum tempo depois, novamente recebeu um telefonema meio sussurrado avisando que chegaria mais tarde... Outra vez com uma voz insinuante... Esperou horas em total ansiedade e finalmente sua esposa ligou do celular no carro dizendo apenas: Oi! Eu perguntei: E então? Ela respondeu: Você não queria que eu fosse uma puta? Agora vai me esperar na cama corno, hummm...Eu fui amor!.. Que sensação deliciosa. Esperou pelo som do carro, ela entrando pela porta, e ele movido por uma fúria e pelo tesão, não deixou que a esposa passasse por ele sem lhe dar aquele beijo rotineiro e levou um grande susto pelo odor que exalava dos poros e dos lábios de sua esposa, constatou que cheirava a sexo...Muito sexo...Ela tentou despista-lo e ir para o banho, mas ele deslizou as suas mãos por sob o vestidinho curto que ela usava e virando-a de bruços constatou após ver várias marcas de tapas na bundinha da esposa que ela havia feito algo de anormal. E o que era pior: Ela estava sem sua calcinha! Um tesão incontrolável tomou conta dele, que imediatamente fora reprimido pela sua esposa dizendo: – “AMOR, ESTE DIA ME FEZ TÃO FELIZ. EU ADORO OS OLHARES QUE RECEBO DOS HOMENS! ACHO QUE DAQUI PRA FRENTE VOU ME VESTIR ASSIM...BEM SENSUAL!...DESFILANDO MEU CORPINHO REDOR DOS CARAS, O DIA TODO. FIZ QUE TODOS FICASSEM DE PAU DURO NA EMPRESA...E FIQUEI COM TANTO TESÃO...MEU AMOR, QUE AGORA EU TÔ AGUADA E QUERIA TANTO ALGUÉM PRA ME CHUPAR, AMOR!?... EU QUERIA ALGUÉM PARA ME HUMILHAR E ME FAZER DE PUTA... NÃO É VOCE QUEM ME INCENTIVA, MEU AMORZINHO?” Balançando a cabeça e quase não acreditando na mulher que se transformava, usando aquele linguajar baixo e apesar de gostar de ser corno manso ele ainda não assumia tal condição, porque era uma situação meio que constrangedora e extremamente excitante, só alguns poucos homens que já tiveram esse desejo e fantasia no relacionamento, sabe o prazer que tem de ouvir a própria esposa falando daquele jeito e Gabriela preferia assumir a fama de puta que estava se transformando e ele passando pelo marido enganado...O grande corno manso. Foi ouvindo aquelas palavras suculentas e a deitando na cama. Pode observar mais uma vez a sua bundinha bem avermelhada. Passou a chupar seus seios pontiagudos de sua esposa e ela, manhosamente dizendo num tom de voz bem excitante, quase sussurrando: “- PARÁ AMOR, EU NEM TOMEI BANHO”. Ela que exalava a excreção escrotal e provavelmente estava toda arregaçada, com certeza tinha sido arrombada por algum pau grande e grosso...Ele mamava naqueles seios durinhos e ela insistia: “-AMOR QUE DELICIA!!! POSSO SER PUTA SEMPRE AMOR? DIZ QUE POSSO, DIZ? EU TE CONTO TUDO, ME CHUPA AGORA, VAI CORNINHO, CHUPA SUA ESPOSINHA!” Ignorando a pergunta e a resposta descia seu rosto pelo corpo da mulher sentindo um gosto totalmente adocicado e azedo, bem diferente, disse-me, vindo de seu corpo. Ele ia descendo pela barriga e ela sempre avisando: “- É MELHOR PARAR, ESTOU AVISANDO!”. Ele bem lentamente foi abrindo as pernas de sua amada esposa e deixando sua buceta escancarada e completamente exposta. Ela com as pernas bem abertas dirigia a cabeça do Bruno para o meio das pernas dizendo: - “Sente o cheiro de esperma... Eu quero que você tenha certeza que dei... Que me comeram a vontade... A camisinha estourou mesmo, nós só descobrimos depois, eu estou cheia de porra.” E avisava: - “ OLHA AMOR, OLHA BEM DE PERTINHO...MEU CORNINHO....OLHA COMO A MINHA BOCETINHA TÁ SURRADA...SENTE O CHEIRO DE PORRA NELA...A CAMISINHA ARREBENTOU QUANDO EU ESTAVA TREPANDO!!!” Quando chegou próximo de sua bocetinha sentiu o forte odor de esperma e a boceta de sua esposa completamente esbranquiçada. Acariciou levemente aquela xoxotinha e ela assumia safadamente que havia conhecido realmente um outro cacete. Ele, ainda incrédulo com a façanha da esposa, tentava não acreditar...Mas as evidencias estavam claras demais. Foi abaixando sua cabeça pra chupa-la e foi vendo a boceta da mulher, inchada, babada, cheia de porra grossa e branca. Ele guiada pelo instinto, não resistindo aquela visão sempre sonhada e desejada, caiu de boca e cada vez que ele enfiava a língua vinha um monte de porra. Ela desvairadamente revirava seus olhos, como se estivesse embriagada por prazer, rebolava na cara do marido, dava uns gritinhos, xingava ele de corninho, e ele metia a língua cada vez mais e mais fundo, e vinha mais porra, ela gemia de olhinhos fechados. Escorria pro sofá muita porra grossa, bem branca. Dizia ele a mim pelo telefone. Ela gemia e confidenciava que havia ultrapassado certos limites perigosos. Logo em seguida disse: Quer me comer também?... Vem, eu vou gostar de ter tido dois paus na minha boceta em tão pouco tempo, faz menos de uma hora que ele me comeu, vem... Ele foi entrando naquela bucetinha molhada por outro, já um pouquinho sofrida por ter passado umas duas horas dando. Disse ele para a esposa: - “Agora você vai ter dentro de você a porra de dois machos em menos de uma hora!” Como uma cadela. Sentiu sua buceta se molhar inteira ao redor do pau do marido. Ela ainda lhe insultava: - “ AMOR, QUERO FAZER UMA SURUBA, PODE ARRUMAR DOIS HOMENS PRA ME HUMILHAR E ME COMER, ARRUMA VAI...POR FAVOR...ESTOU COM FOME DE HOMEM...E COM SEDE DE PORRA?!” Ouvindo o linguajar sujo de sua esposa, imediatamente passou a beija-la e a meditar que jamais, Gabriela havia falado daquele modo antes, mas estava adorando...Decidiu a partir dali...que a carne já estava temperada e pronta para o abate e seria degustada por muitos e tinha a real constatação que alguém já estava comendo sua amada esposa sem ele saber... Então ele ainda lhe disse: - "Olha, tem certeza que você não vai se magoar? Não quero te ver sofrer. Podemos cancelar... Ela ficou feliz de seu marido pensar nela, mas agora, ela, também pensava nele e respondeu: " –Não!!! Eu quero fazer isso!Do jeito que está eu nunca vou me satisfazer, quero te ver feliz na cama como no resto, eu não sei o que eu faria se eu não pudesse te satisfazer mais e outros pudessem, você sabe que eu sou extremamente ciumenta, mas talvez aceitasse que você buscasse continuar sendo feliz e saciando seus desejos. Mas eu jamais aceitaria que você depois dessa nossa experiência chegasse e quisesse experimentar outra mulher, porque eu lhe satisfaço, e você que não sacia nem a minha sede vai dar de beber para outra!? Nem sei o que eu faria! Eu não vou te dividir com outra! Nunca!" Ele pensou que isso era injusto, mas logo percebeu que o bem da verdade que dizia era certo. Quanto ao desejo de fazer com sua esposa e outros homens juntos, confessou que 2 homens lhe comendo, seria realmente sexo com três participantes entre si, todos tocando e fazendo sexo com todos, uma verdadeira suruba...era isso que lhe excitava, isso e a curiosidade de vê-la sendo tratada como uma puta fêmea. Ele acabou reafirmando a sua esposa que era a hora de agir! E foi o que ele fez. Jamais acreditou que ela teria coragem de ir mais fundo nas suas fantasias, por medo de prejudicar o casamento, mas agora o caminho estava livre e eles queriam me conhecer. Pediu-me para levar o meu amigo, como havia colocado no anuncio e se nós topássemos humilha-los juntos. Aceitei para conhece-los e de também meu amigo “Negão Paulão”, do qual é um negro de 1,89m, malhado e bem dotado. Éramos amigos há anos e conhecia o seu caráter e personalidade. Iríamos até a residência do casal e caso, ambos não tivessem afinidades conosco, por qualquer motivo, eles poderiam desistir de tudo e ficaríamos amigos. Desliguei o telefone e chegando a noite, fui apanhar o Negão Paulão, evidentemente que eu já havia lhe comentado sobre Gabriela e Bruno e partirmos para a casa daquele casal. Quando chegamos no local, fomos recebidos por Bruno, um sujeito simpático que não aparentava a idade que dizia possuir, com seus 39 anos, educado, simples e extremamente amigo. Bruno nos fez entrar e nos acomodar em sua bonita casa. Nos ofereceu um suco e aperitivos. Começamos a conversar e eu já estava muito a vontade por já ter uma certa afinidade com ele, passamos a falar banalidades, sobre futebol, atlético e cruzeiro, essas coisas. Mas, cadê a Gabriela??? E Bruno nos disse que ela estava se preparando no banheiro. Depois de um tempinho o Bruno nos convidou para conhecer sua casa. Nos levou para seu interior e começou a nos mostrar suas dependências. Chegamos em seu quarto e perguntei a ele: “VOCE NÃO TEM FOTOS DA SUA ESPOSA? MOSTRA PRA GENTE VER?!”. Bruno começou a revirar o guarda-roupa trazendo várias fotos de Gabriela. Quando Bruno nos disse: “OLHA COMO MINHA ESPOSA É GOSTOSA? Ela esta bem a vontade nestas fotos? Nos mostrou uma morena linda, rosto perfeito, lábios grossos, cabelos pretos e bem longos indo até a cinturinha fininha, seios durinhos, volumosos, com os bicos ouriçados, coxas grossas, lábios grossos e tentadores. Simplesmente nota 10. Um tesão de mulher. Mostrou outras fotos desta vez, dela totalmente nua. “ SUA ESPOSA É MUITO GOSTOSA, CARA!” Foi a única palavra que disse o Paulão até aquele momento. - “Que peitinho gostosos que ela tem!”. Completei. Foi aí, que ele nos disse: “IMAGINA VOCES DOIS MAMANDO NELES BEM GOSTOSO!? VOCES FICAM EXCITADOS VENDO MINHA MULHER NUA?...ENTÃO ME MOSTREM COMO VOCES FICARAM? Então, olha como estou, dizendo isso, o negro Paulão, tirou a sua rola negra enorme para fora e mostrou pro Bruno, iniciando uma leve masturbação, mais uma exibição do que realmente uma masturbação. Eu também aproveitei e tirei meu cacete para fora. Mexíamos com nossas rolas, arregaçando-as todas duas e mostrando pra ele o tamanho. Bruno não tirava os olhos de nossos cacetes e dizia: “COMO SÃO GRANDES E GROSSOS... TENHO CERTEZA QUE MINHA ESPOSA GABRIELA, VAI ADORAR!” Passamos a ver mais fotos e poses sensuais, daquela gata. Quando elogiávamos a beleza e as formas do corpo daquela deliciosa mulher, ele, inesperadamente gritou: - “ VENHA AMOR, VENHA VER O SEU PRESENTE!!! ” Chamava sua esposa com a voz bem alta enquanto que nós estávamos sentados na cama. De repente entra no quarto aquele espetáculo de mulher, a esposa do Bruno...A Gabriela...Nossa!!! Uma mulher maravilhosa e deliciosamente gostosa! Gabriela era extremamente sensual e muito linda pessoalmente, usava um vestido curto transparente que deixava suas coxas a mostra, sem sutiã seus seios espetavam o fino tecido, parecendo querer rasga-los, uma bela visão daqueles belos pares de pernas. Gabriela deixava uma bela visão do volume de sua buceta sob uma calcinha branca bem pequena, que deixava ver é as polpas da sua bunda, uma calcinha que era só um fiozinho atrás e na frente transparente, um sapato de salto agulha, mostrava sua barriguinha malhada. Jamais poderia imaginar que a esposa de Bruno fosse tão gata. Abracei por traz e dei-lhe umas lambidas e uns beijinhos no pescoço fazendo os bicos dos seus seios empurrar o tecido do baby dool e seus peitinhos quase furavam o fino tecido que os tampava, sem nada, deixando os mamilos extremamente ouriçados e pontiagudos demonstrando toda a excitação. Ela foi levantando o baby-dool e apareceu uma cinta-liga branca bem fina e uma calcinha minúscula e transparente, ela parecia artista de televisão. Rebolando para nós, exibia o corpo com tesão. A essa altura, já tocávamos punheta alucinantes. Quando eu vi o marido se masturbando, fiquei feliz pela reação imediata. Ela fazia tudo bem lentamente, ficando em pé de frente para nós dois, passava a abaixar a minúscula calcinha, mostrando a linda boceta larga raspada nas laterais. Ela tinha depilado tudo e deixado somente um pouquinho de cabelos, apenas uma finíssima linha de pentelhos escuros no meio de sua boceta. Finalmente entre seus lábios vermelhos nos disse: “ – OI RAPAZES...NÃO QUEREM COMER NADA?”(falou isso cheia de ironia, puxando o negão pela mão, fazendo sentarmos no sofá, no canto do quarto e ela ainda em pé) Ela nos disse: - “Sabe, o meu maridinho é corno, e dos bem mansos, ele adora tomar chifre, e eu faço de tudo pros chifres dele ficarem bem bonitos!!!” Falou e riu, a risadinha de piranha que ela dava. Ela nos excitava dizendo: - “Eu quero trepar com todos os homens que me dão tesão...Aiiiiii... MEU DEUS QUE PIROCA QUE ESSE NEGÃO TEM...! Eu quero dar na nossa cama e ele vai gostar, vocês sabem que meu marido gosta e eu o amo por isso...AMOR POSSO FALAR UMA COISA?...SEM VOCE FICAR BRAVO?” E ele: “- claro que sim meu amorzinho?!” E ela: “- NUNCA SENTI TANTO TESÃO NA MINHA VIDA... QUE LOUCURA DELICIOSA... ELES NÃO TIRAM OS OLHOS DA MINHA BOCETINHA, ESTOU COM MUITO TESÃO...DEIXA-ME BATER UMA PUNHETA PRA ELES DOIS, AMOR? QUE PAU SÃO ESSES? HUUMMM...QUE DELICIA!” E Bruno respondeu: “- “ENTÃO APROVEITA E BATE PRA ELES!” O negão foi tirando a roupa ficando nu mostrando seu pau, carinhosamente apelidado de Tubo PVC, a esposa de Bruno teve uma reação imediata dizendo: “- NOSSA QUE TAMANHO DE ROLA!!!” E ele respondeu: “- É TODA SUA DONA!” Nisso começamos a passar nossas mãos por todo corpo daquela mulher estonteante, virávamos seu lindo rosto e lhe beijamos a boca, o pescoço, a nuca, os seios em revezamento três por quatro, o qual ela tentava corresponder ofegante. O Negão lhe excitava ainda mais: “- QUE DELICIA, GOSTARIA DE PODER BEIJAR TODO SEU CORPO DELICIOSO... SERÁ QUE SEU MARIDO DEIXA?” E ela quase gemendo respondia: “- É LÓGICO QUE DEIXA...EU SOU TODINHA DE VOCES...USEM E ABUSEM...EU QUERIA SENTIR ESSA BOCA FAMINTA E GULOSA EM MIM!” Tiramos suas últimas peças de roupa, levantamos os teus braços para acabar de tirar o baby dool e deixando-a só de calcinha” E ela gemia: “- HUUMM...ESTOU MORRENDO DE VERGONHA DE VOCES!” Bruno chegou perto da esposa e abraçou num ato romântico e lhe mostrando segurança nas ações: - “Não precisa ficar com vergonha não, meu amor, com um corpinho desses, que delicia ver você assim, quero ver você fudendo bem gostoso!” Deitamos a mulher na cama de casal e lhe tiramos finalmente a calcinha. Eu não agüentei e comentei: “- Olhe só Negão que tesão é essa bucetinha, venha aqui para ver cara!” O Negão chegou bem perto e olhando para ela disse: “ - Nossa que maravilha me dá água na boca de vontade de chupa-la!” Mais que depressa, puxou-a pela cintura, trazendo seu suculento corpo para ser degustada por sua boca faminta, caiu de boca e chupando-a ruidosamente. Ela abria suas coxas para receber em sua intimidade a língua voraz e faminta daquele negro que lambia e mordia o grelinho da mulher. Coitadinha, ela gemia alto, olhava para o marido que assistia a tudo excitado. Gabriela com as pernas escancaradas e abertas sendo sugada pelo negão começou a gemer e a dizer: “OLHE AMOR, A LINGUA DESTE CRIOULO TÁ ENTRANDO DENTRO DE MIM...ELE ESTÁ SUGANDO TUDO DE DENTRO DE MIM...QUE DELICIA...Aiiii....huummm...QUE DELÍCIA!” Enquanto o negão lhe chupava, posicionei sobre seu rosto e o marido entendendo o que queria, ordenou a esposa: “- CHUPA AGORA AMOR!!! CHUPA ESSE PAU! LAMBE E CHUPE COM FORÇA, CHUPA VAI... VAI, LAMBE O SACO TAMÉM!” O negão parou de chupa-la quando eu lhe disse: “ – Pare um pouco e se ajoelha, aqui, chupa a gente!” Gabriela, se posicionou e ajoelhou no meio de nós dois, jogou seu cabelos compridos pra trás e caiu de boca no pinto grande e grosso PVC do Negão, enquanto ele chupava eu esfregava o meu pinto no seu rostinho maquiado, fudíamos aquela boquinha gulosa e viramos a cabeça dela de um pinto para outro e a provocávamos: “- Assim, como você chupa gostoso, sua biscate.” Fazíamos ela chupar as duas varas de uma vez, ela se deliciava mamando com vontade e quanto mais a gente gemia, com mais vontade ela engolia nossas rolas. Dizíamos para o Bruno: “- Cara, tua mulher chupa bem pra caralho...” Como uma boa submissa, conduzíamos sua cabeça e colocávamos seus lábios em nossos cacetes molhados de saliva que escorria por entre seus lábios. Ela controlava as mamadas alternadas. Enfiávamos nossos cacetes inteiros naquela boquinha gulosa de mulher casada. Gabriela levava nossos cacetes até a garganta e quase sufocava, pois sua excitação estava a mil. Passou a dar mamadas continuas e a salivar muito, deixando tudo bem molhado e babado. Ela tinha essa técnica que com certeza havia adquirido com bastante pratica. Quando o negão pediu exclusividade para colocar seu PVC na boquinha dela, só cabendo uma parte do seu cacete na sua linda boquinha, ela começava a fazer movimento de vai e vem com a cabeça, tentava colocar mais daquilo tudo, em sua boca adentro, chegava ate a garganta e dava ânsia de vomito, ficava assim por alguns minutos acariciando o saco e chupando. Sugava com força, depois acelerava de novo e novamente o tesão latejava. De repente ela tirou boca do PVC e começou a beijar na boca do Bruno!! Ele na hora começou a se masturbar!! E falou: -“ Hummmm!! que gostoso!”A esposa do Bruno teve dificuldade de colocá-lo na boca, mas mesmo assim, ela pagava um boquete fenomenal para nós dois, dignos das melhores atrizes pornô e era evidente que estava adorando chupar dois cacetes, pois olhava de relance para o Bruno o tempo todo, piscando os olhos e sorrindo. Quando ela parou para tomar mais ar, cheguei mais perto do Bruno e disse: “- AGORA CARA, VENHA AQUI E ASSISTA SUA ESPOSA LEVAR FERRO DE PERTINHO! EU ADORO COMER A ESPOSA NA FRENTE DO MARIDO CORNO!” Bruno se levantou, pegou uma toalha e nem enxugou os seios melados de saliva que escorriam dos lábios de sua esposa e começou a chupa-los. Negão Paulão disse para chegarem mais próximo, queria começar logo a degustação daquela potranca deliciosa e queria que Bruno, o marido, assistisse o mais próximo possível as rolas entrarem em todos os buracos de sua amada esposa: “ - OLHA CORNO, OLHA OS LÁBIOS CARNUDOS DE SUA ESPOSINHA ENGOLINDO A ROLA DE UMA MACHO TESUDO” Gabi antes de posicionar para ser engolfada, ainda abocanhava aquele cacete com maestria, lambendo a cabeça e descendo com a lingüinha pela rola inteira. Bruno resolveu participar e aproveitando-se que sua esposa estava de quatro, passou a lamber a boceta da esposa, mas eu acho que o Negão Paulão não gostou, pois chamou o marido e lhe disse para se aproximar mais e ajoelhar próximo do rosto de sua mulher, pois queira que ela engolisse toda a pica e fizesse a rola sumir na boca. Ele abaixou e ficou olhando a esposa chupar aquele tubo PVC preto e bem grosso, que crescia a cada mamada da mulher, uma senhora rola, mais ou menos uns 24 cm, Negão Paulão segurava a cabeça da mulher que tinha dificuldades até para respirar e metia a pica em sua garganta: “ADORO UMA PUTA QUE CHUPA GOSTOSO. VAMOS COMER ESSA BOCETA PRA VOCE VER COMO É QUE SE FODE UMA PUTA!” Nestas palavras íamos dando uma surra de pica naquela linda morena. Bruno começou a tocar uma punheta: “- ISSO CORNO, ALISA O PAU ASSITINDO A CADELINHA LEVANDO ROLA DE DOIS MACHOS!” Nisso, ela largou o trabuco do negão e disse quase que chorando: - Por favor, comem a minha bocetinha!!! Eu quero sentir você dentro de mim!!! To com muito tesão!!! Aiiiii...que delícia! - Calma putinha!!! Que foi? Teu maridinho não come você direito? É por isso que você o chifra? - Sim! Sim… Adoro pau grande e grosso...quero ser puta sempre! - “Gosta de pau grande, né? Sua PUTA? Então toma!” Na mesma hora, Bruno parou de masturbava, e foi solicitado mais uma vez a dar apoio no defloramento da boceta da esposa. Segurando-a com as mãos e posteriormente com os dedos para que nós dois pudéssemos come-la e meter bem gostoso. Quando coloquei a cabeçola da minha rola na entradinha da boceta, ela, enlouqueceu e começou a gritar e a gemer. Ela pedia para ir com cuidado. Mandei ela calar a boca! Segurei ela pelos cabelos compridos e lhe disse: - “ Uai...no e-mail vocês queriam dois homens dominadores, e não parceiros para transarem, então agora fica quietinha e faça como seu marido corno. Agüenta minha vara sem reclamar, e ainda quero que dê um sorriso, como toda boa vagabunda dá, quando esta levando pistolada na boceta!” A mulher ficou muda e não respondeu nada, olhou humilhada para o marido como querendo que ele interferisse e que a defendesse, mas Bruno, como um bom corno, não disse e nem fez absolutamente nada pela esposa. Ela mesmo, se sentindo inferior naquela situação, se entregou como devia, urrava alto e dizia: - “ENTÃO FODEM-ME BEM GOSTOSO!!! FODE-ME COMO NUNCA EU FUI FODIDA. METEM EM MIM...METE ESSE CACETE TESUDOS DENTRO DE MIM...APROVEITEM QUE MUITOS QUEREM ME COMER, ALÉM DO MEU MARIDINHO EU TÔ DANDO PRA VOCES...FODE...FODE...AAAHHHHHHH!!!” O tesão da Gabi não tinha fim e o nosso também não. Meti minha picona em sua bocetinha, ela gritava tão alto que fiquei com medo de acordar sua filha. Ela sentia meu pau entrando e saindo de dentro dela, eu ia para frente e para trás, enfiava meu pau naquela boceta quente e apertada. Ela estava muito carente, e era muito boa de cama e não gozava, pois queria levar-nos a loucura. Ela enlouquecia e continuava gritando: - “Aaaahhhhh..... Aaaaahhhhh... QUE PAU GOSTOSO É ESSE? ME COME, TESUDO. ME COME COMO EU NUNCA FUI COMIDA. ATOLA ESSE CARALHO GROSSO EM MIM... AI AMORZINHO, OLHA SÓ...VEJA QUE CACETE ENORME ESTÁ NA MINHA BOCETINHA, PARECE QUE VAI ME RASGAR... ME DÁ TUA MÃO, AMOR!... Então pegou sua mão e colocou no meio das suas pernas para sentir na mão, o tamanho do meu pau que estava dentro dela. Eu lhe dizia :“ -TOMA NA BOCETA SUA PIRANHA, GEME PRO TEU MARIDO CORNINHO TE OUVIR...” Ela gemia gostoso, o Bruno de pé ao lado assistindo tudo ao lado do negão. Olhei pra ele e perguntei: - “Você não vai participar? “ Bruno piscou pra mim dizendo: “ - Vai em frente rapaz, daqui a pouco eu entro!” Ficou segurando o lindo rostinho da esposa, agora já bem diferente do normal, nestes momentos ela muda completamente, seu olhar é de loucura, adquiria um brilho diferente no olhar, dizia coisa com coisa, isto me deixava louco de tesão. –“Ta gostando meu amor?! Ele vai entrar mais fundo agora, quero ver seu rostinho cheio de felicidade!!!” Eu louco de tesão tentava colocar mais de meu cacete na buceta dela. O marido via no rostinho lindo da esposa, o momento que ela me engoliu por inteiro, seus olhos ficaram maiores, e ela gemia gostoso. Ele olhava para seus olhos, e ela gostava, entrara a metade, o marido olhava bem de perto e fazia observações:- “ Que visão, a bucetinha da minha esposa está cheia, o pau continua a deslizar para dentro sem obstáculos, ela engole com prazer!” – Dizia ele para o negão. Seus gemidos diziam isto: “ AI AMOR, ELE METE MUIIIITOO GOSTOSO!, QUE PAU É ESSE? ESTÁ VENDO, AMOR? Ela gritou –“ Aiiiiiiiii.... assim me fode, forte, fundo, me acaba, me dá tudo...” E ela rebolava e delirava. Peguei suas pernas deixando seus joelhos encostados nos seios, a buceta agora parecia e estava maior, dava estocadas violentas, nossos corpos faziam barulho ao se chocarem, quando ele quis me avisar para não gozar dentro da esposa, era tarde demais, ouviu os gritos abafados da mulher, e eu louco comecei a encher a taça da sua amada de leite, gozamos juntos, ela cruzou as pernas nas minhas costas, Gabi começou a chorar e a dizer: - Aaiii... Aaiiii...QUE DELICIA!!! QUE TESÃO!! Aaiii MEU AMOR,NUNCA TINHA SENTIDO TANTO PRAZER...” Nisso, saí de dentro dela e perguntei: - “Está gostando de ser nossa puta?” E ela respondeu gemendo: - “SIM...SIM!!!, OS SEUS MEMBROS SÃO DELICIOSOS, GRANDES, GROSSOS...DO JEITO QUE PEDI PARA MEU MARIDO!” “- Quer continuar sendo nossa puta de vez em quando e dar par nós dois? Quer experimentar meu pau dentro da boceta?” Perguntava o negão: - “CLARO QUE QUERO!” Respondeu gemendo e ofegante. Ela rogava que a penetrasse: - “METE ESSE CARALHO PRETO E GOSTOSO NA MINHA BOCETA, QUERO ELE INTEIRO DENTRO DE MIM.” Nesse instante, temi pela sorte da esposa de meu amigo e principalmente pela sua xoxotinha, pois conheço bem o meu amigo negão Paulão e dando algumas pinceladas, posicionou-se para a foda. De longe, eu via a expressão de dor e prazer no rosto da mulher de Bruno. Ele enterrava delicadamente o caralho na sua xana e cada pouco que penetrava, ela vibrava: - “Aaaiii.... está doendo, você está rasgando minha boceta ao meio.” E ele enfiava cada vez mais a tora, centímetro por centímetro...Como se fosse uma tortura agonizante, eu via que só a metade havia entrado. E ela pedia mais: - “Enfia mais, enfia mais, fode tudo.” O negão socava com mais força a cada incentivo de sua vítima o marido ainda dizia: “- Aaah, como é gostoso ser corno! Como é bom ver a própria mulher trepando com outros homens!...Que sensação sem igual ver um caralho estranho invadindo uma boceta que eu pensava ser somente minha!” Gabriela gemia sem parar, arranhava as costas do negão, puxando-o para dentro dela, totalmente entregue ao prazer. O negão começou a provoca-la bem sacanamente: - “Você não goza faz muito tempo, pelo visto.” E ela: - “Assim nunca gozei... huuum...Por favor, não pára, continue metendo! Eu quero mais...muito mais!” E o negão dizia: - “Sua boceta é minha e meu caralho é todo seu!” Socava firme para dentro dela. A penetração foi ficando cada vez mais frenética, a mulher arreganhava as pernas para atiçá-lo ainda mais: - “Vaaai... assim, mete com força. Enche-me de porra gostosa, arromba sua puta.” Eu e Bruno batíamos uma punheta vendo aquela cena, enquanto que o negão tremia, urrava e pronunciava palavras desconexas. Vai gozar, pensei. E não deu outra: Esporrou demoradamente, inundando a gruta da mulher. Quando tirou o pé-de-mesa PVC de dentro da boceta da mulher, surgiu uma visão maravilhosa: a xoxota estava dilacerada, os lábios inchados e um buraco que permanecia aberto depois da penetração. De dentro escorria um fio de porra que melava os poucos pêlos da xana juntamente com o rego da bunda. Caída ao lado, teve forças para comentar: - “Pela primeira vez sinto que fui estuprada de verdade!” Agradecia, acariciando-lhe o rosto do marido que aproximou-se dela dizendo: - “Agora você tem um homem de verdade, que vai saciar toda a sua vontade!” Ela ofegante falou: “ – VEM AMOR!!VEM FAZER AGORA A SUA PARTE...VEM ME CHUPAR!? VEM?!” Ele olhava para nós com uma certa vergonha e começou a chupar a porra que havíamos depositado dentro de sua esposa! Ele lambia, sugava e ela gemia: - “Aiii...QUE GOSTOSO AMOR!!!. Ainda de quatro, passou a enfiar o seu próprio dedinho na bocetinha e na bundinha: “- QUERO QUE VOCE DIGA QUE VAI ME DEIXAR SER PUTA E ASSUMA QUE É MEU CORNINHO...” Bruno assumiu mesmo, disse que sim, que ele era corno e queira que ela fudesse como puta de zona, que ele seria seu corno-manso, que ela poderia fuder com quem ela quisesse, ela viu que podia tudo, disse num tom autoritário: “- VOCE HOJE SÓ VAI ME CHUPAR. VAI GOZAR NA MÃO, CORNO SÓ MERECE ISSO, CHUPAR BUCETA GOZADA... VEJA E SINTA COMO FICA A BUCETA DE SUA ESPOSA BEM COMIDA, CORNO, CHUPA A PORRA, LIMPA A BUCETA DA TUA MULHERZINHA SANTINHA, SEU CORNO. ACOSTUMA COM ESTE SABOR, POIS VOCE VAI CHUPAR MUITO ESTA BUCETA ESPORRADA E COM GOSTO DE PORRA FRESCA. CHUPA FILHO DA PUTA CHIFRUDO!” O Negão Paulão, olhou pro marido saciado e após sugar e limpar a esposa lhe ordenou: “ - vai buscar água Bruno, enquanto fudemos sua princesinha, mas volta logo que quero começar arregaçar sua esposa pra você delirar!!” Bruno se vestiu Rapidinho e saiu correndo para buscar água da geladeira enquanto que continuamos a fuder a mulher. Passada alguns minutos, olhei para a porta vi o Bruno, espiando pelo cantinho da porta, o que fazíamos com a Gabriela, e isso me deu o maior tesão, ai que fiz questão de fuder e meter em sua esposa bem gostoso. Fiz a sua esposa bater uma punheta na boquinha e depois pro negão. Seu marido que ainda espiava tudo entrou despistadamente e fingiu estar chegando naquele momento que Gabriela ajoelhada para mamar mais e tomar seu leite nutritivo. Bruno nos deu um copo com água, enquanto que o Negão não parava o que estavam fazendo com sua esposa, ou seja, metendo e estocando de novo aquela boceta arrombada, olhando de ladinho ofereceu a mãozinha para o marido de novo segurar. O Negão Paulão disse: “ SEGURA A MÃOZINHA DA PUTA...SEGURA VAI?! PARA QUE ELA GOZE COM SEGURANÇA!” Até Gabriela se descontrolou e começou a rir. Gabriela montou no pau do negão e de repente o Bruno segurou no seu pau e colocou na buceta da esposa, aquele cano PVC, entrando tudo. Ela começou a cavalgar e a gemer!! E ele no meio das pernas negras de Paulão, olhando o pau entrando e saindo da esposa, quando de repente o Bruno falou: -“ AIII...AMOR...DEIXA EU CHUPAR SUA BOCETA?” Ela ergueu a bunda, o pau PVC negro, saiu de dentro daquela boceta linda e o Bruno começou a chupar a buceta dela com o pau PVC próximo de seu rosto!! Movido por um instinto, abocanhou o PVC.,, Dando uma chupada momentânea e o colocando novamente no interior da buceta de sua esposa que cavalgava no pau PVC. Ela gritava tanto que de repente saiu-se de cima do negão e ficou ao lado do marido, parecia que segurava o gozo, pois passou a chupar a rola PVC e beijava a boca do Bruno!! Ai eu falei: -“ Bruno... chupa o pau do negão cara! Nisso, a esposa falou: “- É MESMO AMOR...CHUPA ESTA TORA PRETA DE CARNE E NERVOSO!” Na hora o Bruno começou a chupar o pau PVC e em seguida ele parou e a esposa reiniciou. Bruno na punheta e a esposa Gabriela engolindo tudo. De repente parava e voltava a beijar a boca do marido. O Negão Paulão disse: “-Vem aqui Bruno, agora a sua esposa vai sentir uma rola dura na boceta, mas antes, vai lá e chupa a bocetinha e o cuzinho desta puta para que possamos arreganhar essa piranha!” O Bruno abaixou e começou a chupar a boceta de sua esposa ainda com o gosto da minha pica, o negão tomou água e a pequena e estonteante Gabriela esfregava a boceta na boca do marido, com gosto, como que adorando ver o marido corno chupando a boceta que acabava de levar rola de outro macho. Paulão passou a lamber a bunda de Gabriela e falava “...QUERO SUA BUNDA GOSTOSA, TESÃO!”, Gabi esfregava a bunda na cara dele e dizia: “ -NÃO, EU NÃO VOU AGUENTAR, VOCE É MUITO GRANDE NEGÃO...VOCE É GRANDE E MUITO GROSSO. METE NA MINHA XANINHA!” Bruno virou o rosto para mim dizendo: “ - Seu amigo ta querendo comer o rabo da minha esposa e se isso acontecer ele vai rasga-la ao meio. Eu nunca consegui comer seu cuzinho, cara!” Mesmo assim, ouvindo o comentário do marido, o negão disse para a esposa: - “Olha só...O seu maridinho está nos olhando, gostosa?!” E ela de rabo de olho diz:: – “Não importa, o corno vai ter de se contentar com a punheta...Hoje, eu sou somente de vocês dois!” O negão disse-lhe: – “A minha excitação aumenta, sabendo que seu marido fica vendo nós dois assim... Quero que você vá até ele e mostre como está sua bocetinha arrombada e cheia de porra...Mas não quero que ele lhe toque, viu?... Vai. Estou lhe mandando minha puta!” As palavras davam enorme satisfação a ambos que a transformavam em uma puta casada. Ela caminhou-se em direção ao marido e aproximou-se dele afastou lentamente as lindas pernas e mostrou a boceta toda avermelhada e inchada, resultado das trepadas até naquele momento. Ela mesma, apontava as marcas dos chupões que havia recebido na bunda, nas coxas e nos seios. Enquanto humilhava o marido que limitava a dizer: - “Deixa eu te beijar só um pouco?” E ela: - “Se quiser, vai ter de contentar-se em olhar e tocar uma bronha! Meu macho não quer mais saber de você me tocar” E o marido manso retrucou e implorou novamente: - “Você faz com eles coisas que nunca fez comigo!” E ela já assumindo a sua condição de puta respondia a altura: - “E vou fazer muito mais...Vai logo com essa punheta, porque quero voltar para o meu garanhão!!” Bruno não teve escolha, senão descascar uma banana desesperadamente, enquanto sua esposa lhe desprezava, o que só contribuía para o seu prazer. E ela já anunciava o próximo capítulo: - “Vou agora dar a minha bundinha para aquele negão e pro outro rapaz.” Ele tentou argumentar que ela não iria agüentar, pois o pau do negão era muito grande e grosso. Cinicamente e com um sorriso de deboche, ela completou: - “Vou dar a minha bundinha sim...Nem que me rasgue as pregas do meu cu...Eu vou dar bem gostoso e com certeza quero me acostumar a dar o rabo!!! Além disso, ele já avisou que não saio daqui sem levar no rabo!” Bruno depois de ter escutado aquilo, ficou mais excitado ainda. O Negão Paulão se posicionou atrás dela e foi tentando colocar o PVC. Foi imediato a reação da mulher de recusa, pois sentiu a grossura da rola preta, modelo PVC. O Negão, paciente e devorador como é, chamou o marido ao seu lado. Colocou a mão em cima do seu ombro e sussurrou em seu ouvido dizendo: “OLHA CORNO...ABRE A BUNDINHA DA SUA MULHER E ABRE BEM O CÚZINHO DELA!” O cara meio trêmulo, obedecia todos os pedidos dele e o negão estava prestes a introduzir aquele cacete enorme, grande e grosso no orifício de sua esposa. Ele segurava a poupinha da bundinha de Gabriela e abria espaço para a rola negra entrar. Quando o negão lhe disse: “ISSO CORNO, SEGURA GOSTOSO PARA MINHA PICA ENTRAR TODINHA NESSA PIRANHA DE ZONA, OLHA QUE PUTA VOCE ARRUMOU PRA CASAR, ELA ADORA LEVAR NA BOCETA, APOSTO QUE VAI DELIRAR DE TESÃO LEVANDO NESTE CUZINHO VIRGEM, NÃO É MESMO?” Gabi só balançava a cabeça positivamente. O negão completou:- “LAMBE O CUZINHO DELA AMIGO E AJUDE A ABRIR A BUNDINHA DESSA MULHER GOSTOSA...PARA QUE EU POSSA COME-LA BEM GOSTOSO. EU GOSTO É ASSIM...TODO MUNDO UNIDO E AJUDANDO!” Falando assim deu uma estocada violenta fazendo sua enorme bengala sumir na bocetinha linda da mulher. Ele saia e entrava com violência dizendo: “- Não é assim corno que ela gosta de tomar na boceta, com força, não era sexo selvagem que vocês queriam, então abre a bunda dessa puta para eu arregaçar essa boceta gostosa, toma cadela, puta safada, piranha, sem vergonha, mama rola e toca na boceta com força, o corno tá aqui do seu ladinho assistindo tudinho, sua piranha safada!!!” Ela estava começando a entrar em órbita, quando começamos a preparação do seu suculento traseiro para ser dilacerado e degustado. O marido de Gabriela, que ainda não conhecia a técnica, também ficou alucinado, vendo a gente penetrar com a língua o cuzinho virgem de sua esposa, transportando para ele o mel que escorria de sua boceta.Ela ficava completamente arrepiada e gemia deliciosamente. Bruno deitou-se e ficou de camarote em uma posição privilegiada, visualizando toda a defloração daquele cabaço cu. Ficando com a sua cabeça na mesma altura da sua esposa e começou a beija-la na boca, e a lamber as suas orelhas, beijou os olhos e ouvidos e passou a tranqüiliza-la dizendo que lhe amava muito e que nós dois éramos predadores e ele nunca tinha ficado tão tarado como naquele instante. Gabriela com a voz rouca e gemendo disse: " AMOR!, SABE O QUE ELES ESTÃO FAZENDO?...ELES ESTÃO LAMBENDO O MEU CUZINHO BEM GOSTOSO!...AGORA EU TÔ SENTINDO UM DEDINHO ENFIANDO NELE...TÁ LUBRIFICANDO COM SALIVA E COM O CALDINHO DA MINHA BOCETINHA...PRA DEIXAR BEM GOSTOSO...PRA TODOS VOCES PODEREM ME ENRRABAREM!...VOCE QUER TAMBÉM AMOR, ENCHER O MEU CUZINHO DE PORRA, AMOR?" Seu marido endoidou ao ouvir aquela voz da esposa embargada de desejo e de dor, respondeu-lhe: "-Que tesão, amor! Eu quase gozo só de ouvir você falar assim... eu posso, mesmo, atolar o meu cacete no seu cuzinho?... Cuzinho que eu sempre cobicei? E ela gemendo: "- PODE AMOR! EU TINHA MEDO DE DAR O MEU CUZINHO...MAS ELES ESTÃO ME ENSINANDO O JEITO. TEM QUE LUBRIFICAR BEM DIREITINHO, DO JEITO QUE ELES ESTÃO FAZENDO É DELICIOSO...E DEPOIS VOCE PÔE A CABECINHA...FICA SEM MEXER E ESPERA QUE EU ENGULO O SEU CARALHO COM MEU CUZINHO...”Com a bundinha arrebitada para o alto, Gabriela gemia, estava prestes a chegar o momento, como uma cadela no cio, seus olhinhos reviravam e brilhavam como duas lágrimas prestes a cair, procurando a todo instante o marido que se masturbava com aquela cena, a safada estava adorando ser preparada daquele jeito quando o Negão Paulão disse: “ -VEM AQUI CORNO, CHUPA O CUZINHO DE SUA ESPOSINHA, VOU ARROMBAR ESSA BUNDINHA DELICIOSA!” Bruno totalmente submisso e obediente, abaixou-se abrindo as pernas da esposa novamente. Deitou-se entre suas coxas e tinha uma visão ainda mais privilegiada da rola dura que entraria no rabo de sua mulher. Ele começou a chupa-la dando linguadas no cuzinho e na boceta arrombada. Começou a lamber rapidamente e a chupar seu clitóris e ia sentindo a rola PVC do negão bem de pertinho abrindo caminho e entrando em sua amada esposa que gemia desvairadamente. O negão queria mais. Queria aquele rabo suculento, arrebitado, cobiçado por muitos homens, pelos vizinhos, pelos colegas de Bruno...Aquele rabo daquela mulher era coisa de filme. Bruno passava a íngua molhada na boceta da sua mulher e deslizava até o cu prestes a receber aquele pedaço grande e grosso de carne negra em seu único orifício ainda virgem em seu delicioso corpo. O marido lambia como um sorvete, passava várias vezes com rapidez nos buracos, às vezes chupavam os grandes lábios da boceta, os deixando encharcados. O negão enfiava um dedo no cuzinho dela primeiro abrindo espaço, dava salivadas nos dedos e lubrificava, voltava a enfiar dois dedos e girava para abrir caminho, o cu daquela linda mulher estava preste a ser comido. Minha pica pulsava, ajudei aquela linda mulher, segurando-a pela cintura e o negão completamente engatado, tentava colocar seu cacete que é muito grande e grosso só cabendo a cabeçuda no diâmetro anal. Ele esforçava para penetra-la e a segurava pelos cabelos, mantendo-a de quatro. Mais que depressa, pus minha pica na boquinha dela para abafar seus gemidos histéricos. Dei um tapa no seu delicioso bumbum e ela gritou assustada. Dei mais um, depois outro, outro, cada vez mais forte até estar praticamente espancando a bundinha. Os gritos daquela mulher eram abafados pela minha pica que ela mamava feito uma criança faminta, qualquer um que passasse por perto da casa deles poderia imaginar que estávamos matando aquela escandalosa mulher. Seus gemidos juntos com os tapas que estalavam em seu bunda, davam um efeito mais delicioso naquela submissão. Enquanto lhe batia, eu lhe chamava de putinha gostosa, vaquinha, vagabunda e lhe disse: - “Tá gostando de apanhar, vaquinha? O corno do seu marido não faz assim com você? Ele sabe que você o chifra? Ele sabe que você gosta de pau grande?” Ela começou a gritar dizendo que não, que ele era um corno manso, que ela estava adorando meter com outro homem. Ela me xingava alucinadamente, levando tapas na bundinha e me chupando.Enquanto isso, meu amigo negão lá atrás, aguardando o momento certo de penetra-la. Mas isso não demorou, pois pressentindo que estava prestes a experimentar o sabor daquele colosso em seu cuzinho, deitou-se de bruços, pegou dois travesseiros, empinou seu rabo delicioso com uma marquinha de biquíni magnífica. Vendo o negão com seu cacete monstruoso apontado para o alto, reluzente e brilhante de saliva, tentando colocar em seu orifício anal. A jovem esposa de Bruno, sentindo o calor daquele cacete PVC, implorou para ser invadida com carinho e cuidado, que não fizesse com brutalidade e arrogância seu defloramento anal, pois não iria agüenta-lo por completo dentro de seu corpo. Mas negão, num tom autoritário respondeu: - “Cale a boca, sua puta!!! Teu cuzinho é virgem, né? O corno do seu marido nunca comeu sua bundinha deliciosa? Agora eu vou arromba-la!” Começou finalmente a entrada naquela bundinha deliciosa, no inicio, ela começou a desviar-se, e o marido ironicamente a provocando: - “Ué cadê a potranca da minha esposinha que sonha em levar ferro no cu, ta desviando cadela, abre a bunda dela negão, enquanto chupo aqui em baixo para a sua rola entrar, vai tomar no cu com força amorzinho!” Negão estacava sua rola no cuzinho da mulher que na hora que sentiu a cabeçuda romper suas pregas, deu um grito forte e tentou mais uma vez fugir enquanto que ele colocava mais e mais a chapeleta do PVC e ela de quatro gritando pedindo em soluços para parar. Ele tentava em vão acalma-la dizendo: “ – RESPIRA FUNDO... FIQUE TRANQUILA...VOU COLOCAR SÓ A CABECINHA E NÃO VOU TE MACHUCAR” E ela: -. Vaaii....loogo... Come ele logo então!!! Por favor" O negão ficou feliz pois agora com o consentimento daquela potranca, o relaxamento corporal seria natural e conseqüentemente, o corpo reagiria melhor ao recebimento de um corpo grande, grosso e comprido dentro do seu. Com certeza seria bem mais prazeroso para ela. Só pediu que arrebitasse um pouquinho mais a bundinha para o alto e ela, além de ficar numa posição MA-RA-VI-LHO-AS, abria suas nádegas e seu cuzinho ficou completamente exposto para ele. Posso fazer uma observação deliciosa, pois quando vi suas mãos abrindo as suas próprias nádegas para ser enrabada, tive a visão mais inesquecível. Vendo seus dedos de sua mãos as duas alianças, uma de brilhantes e a tradicional de ouro, na mão esquerda, abrindo a bunda em oferenda. O negão ainda disse: - “Tá gostando, putinha safada? Seu marido sabe o quanto você é puta? Vou encher seu rabinho com meu chouriço daqui a pouco... Abre esse cu dona?!!! Pois você nunca mais vai esquecer desse dia!” Agarrou pela cintura, posicionou seu pau na entrada do cuzinho e forçou. O pau era tão grosso que a cabeçuda não queria entrar. Ele fazia força, empurrava, mas não entrava. Negão bateu em sua bunda, mais forte que eu havia batido antes, xingando-a de vagabunda, mandava ela empinar mais a sua bundinha e a relaxar. Ela não conseguia ficar parada, quando o pau começou a entrar, ela sentia muita dor e gemia alto e agonizante. Ele segurava firme sua cintura e foi puxando-a ao mesmo tempo que empurrava sua pica para dentro. Ela começou a se debater e a gritar, fazendo um verdadeiro escândalo, mas não adiantava. Orientei para ficar bem calma e relaxada. E fui só começar a enfiar e ela sussurrou: ”...DEVAGAR, COM CALMA, NUNCA CONSEGUI DAR PARA O MEU MARIDO, VAI DEVAGARINHO NEGÃO GOSTOSO, ISSO...METE... “. De olhos naquela bundinha, vi seu anelzinho sugando aquele imenso pau pra dentro. Só ouvi o marido dizendo “...Olha lá!, não acredito!, ele tá enfiando aquele pauzão no cu da minha esposa. Ela ta dando a bunda pro negão!...”, Gabi urrava, o negão com calma, ia enterrando, Gabi urrava, “...AI! TÁ DOENDO, DEVAGAR, DEVAGAR...NÃO PARA...VAI, METE, METE TUDO!!” Depois foi pressionando bem devagar até sentir que as preguinhas do seu cuzinho cederam e deu passagem para todo o cacete deslizar. Sentia uma dorzinha que logo se dissipou em tesão. O negão apoiava com as duas mãos no chão, somente com a glande dentro do ânus da mulher. Que cena linda. Digna de filmes pornôs. O marido corno, que a tudo assistia e masturbava, perguntava: "-Tá doendo, amor?" E ela chorando dizia: “-Não, filho da puta! Pede a ele pra enterrar até no talo!..." E foi o que fez. Suave e firmemente, deslizou seu cacete inteirinho para dentro do seu cu. Ela gemia alto de puro prazer. Quando sentiu o saco enorme do negro encostando-se à sua racha, o próprio negão disse: - "PRONTO... ESTÁ DESCABAÇADA... E AGORA VAI ROLAR A FESTA!” Ficou enterrado dentro do seu rabo, mordendo sua nuca. Enterrava a pica sem dó nem piedade, devagar, cm por cm, rasgando aquele cuzinho, bem devagar, parecia que iria durar uma eternidade. Ela chorava enquanto sentia o mastro entrando, entrando, entrando, até que todos os 23cm x 8, 5cm de pica dura PVC estivessem enterrados no cuzinho. O negão abria suas lindas nádegas e enfiava uma cabeça enorme naquele cuzinho e ela gemia e rebolava para a dor diminuir até que ficou acostumada, sentiu aquele caralho entrando aos poucos e arregaçando seu cu mais e mais, o negão começou a bombear no seu cu e ela rebolava enquanto eu bombeava meu pau em sua boca gulosa Ela estava sendo fudida quando percebemos o brilho de um flash de máquina fotográfica, ficamos assustados, era o marido em outro canto do quarto fotografando a cena. O negão enfiava até o fim e ela literalmente comia aquele pau PVC inteiro com o cu e me chupava. Como ela engolia aquela espessura de pau dentro do seu rabo? Continuamos ali quando vimos mais um dois flashes. Era Bruno, guardando aquelas cenas de recordação. O negão Comecou a bombar dentro dela, forte, empurrando-a para cima até sua cabeça bater na cabeceira da cama. Agarrou seus cabelos enquanto socava no seu cuzinho, cada vez mais forte. A Cama balançava, seus gemidos e seus gritos ecoavam pelo quarto. O negão tirava quase tudo e deixava somente a cabeça do seu cacete encaixada no seu buraquinho. Ela mesma foi arrebitando a bunda e empurrando para trás, até conseguir tragar o pau de novo para dentro do seu rabo novamente. Dali pra frente, foi só prazer. O Negão fodia seu cu por quase uma hora. Enquanto fodia o seu rabo, seu marido lhe lambia os seios, ora beijava sua boca seca. A Violência das estocadas era tanta que ele jogava a esposa de Bruno para frente e para trás. Mandava ela voltava e fazia novamente, mais forte. Comecou a enfiar o resto até o saco. Deixou que ela acostumasse com seu cacete, ai comecou o vai e vem frenético e rápido, e ela foi gostando e pedindo para acelerar os movimentos. Ele saiu repentinamente de dentro dela e ficou segurando a ponta escura daquela tromba preta, segurava na verdade o gozo que insistia em a vir. Aí foi minha vez, mas quando fui entrar...Nossa, quase não acreditei. O negão deixou aquele cu completamente dilacerado e arrombado. Fiquei impressionado com o estrago e com o tamanho do buraco que não se fechava de seu orifício anal. Um buraco negro enorme. Sendo assim, segurei a cadela ainda de quatro e com a bunda empinada e as pernas separadas. Ela transpirando muito fui delicadamente ajeitando meu pau na porta arrombada de Gabi, que gemia e pedia ansiosa: - “Huuummm...agora é outro...é? Huummmm...que delícia...Enfia tudo então... aah, devagar, assim... aaaiii!!!” Seu rosto contraía-se, apertava os lábios entre os dentes, mas segurava firme as pontas, ou melhor, o tronco. – “Aaaiii... devagar. Não, não pára!!!” Seu marido permanecia ao lado de nós dois, assistindo a tudo passivamente. Depois que passou a cabeça, segui sem piedade, enterrando mais e mais, até atolar por completo a vara no rabo de Gabi que relaxava os músculos para desfrutar o prazer de um outro membro no seu interior. Entre gemidos e gritinhos abafados, ela rebolava em cima da minha pica e passava a senti-la inteira no cu. Quando se acostumou com o volume no rabo, pedia para enfiar mais: - “Mais, mais, quero mais!!!” Berrava. Mas não havia mais o que enfiar. Eu tirava e punha a rola em movimentos rápidos e seguidos; quando socava de volta só as bolas ficavam de fora, batendo contra as nádegas. A mulher agora me provocava a meter mais rápido: - Huuuum, que dor gostosa. Vai, enche minha bunda de porra. Reuni todas as minhas forças para golpear violentamente. Coloquei meu pau enquanto ela se manteve de quatro e meu pau já entrava e saia facilmente, ela não sentia mais o seu cuzinho, seu corpo estava adormecido, já não sabia mais se era dor ou prazer o que estava sentindo, gritava e chorava dizendo: -“ ISSO FODE MEU RABO!!!!” – VEJA AMOR, TEM OUTRO MACHO FUDENDO MEU RABO..” O marido foi para frente dela beijava sua boca perguntando-a se estava gostando, e ela dizia que amava ele por ter arranjado dois machos para fuderem ela bem gostoso. Imediatamente, o marido foi pra debaixo da esposa e chupou seu clitóris enquanto eu segurava as ancas daquela morena deliciosa afundando a rola em seu cu gostoso: “- Toma vagabunda, você vai saber o que é gozar pela bunda hoje!” Eu metia com força, a amada esposa de Bruno, gritava, mas o negão calava sua boquinha, segurando seu angelical rostinho com força, dizendo: -“Mama sua puta, mama minha rola, vai ser fudida no cu e na boca com força, lave a minha rola que sujou todinha no seu rabo...Agora lambe...Assim, assim... Você está sendo o recheio de dois machos!” Eu atrás indo fundo no cu, enquanto o marido se deliciava numa frenético 69. Bruno lambia a boceta e via meu cacete entrando no cu da esposa, que sugava até a garganta o pau PVC do negão. Eu ia fodendo até a porta da bunda daquela princesa, em seguida entrava até o talo no reto da mulher, a boceta dela estava encharcada, o Bruno lábia tudo que podia, olhava seus peitinhos balançando, aquilo me levava ao delírio, então sentia eu estocando no fundo do seu cuzinho de novo, um gemido abafado e a rola na garganta de novo, sai do cuzinho, entrava outro na sua boquinha, saia da boquinha e entrava no cuzinho, ela gozava em espasmo, lavando a boca do marido com seu suco vaginal, seu gritos eram abafados pela pica na boca e os palavrões que nós dois dizíamos: -“Sua puta e vadia!!!” Aquele jogo de entra e sai entrou num revezamento perfeito, uma rola entrava a outra saia o marido ali debaixo chupando a boceta gozada de sua esposa, a minha rola estava feito ferro de tão dura. Aumentei as estocadas no cu de Gabriela que não parava de gozar em espasmos e gemidos, ela estava toda arregaçada, o meu saco chegava próximo da boca do Bruno, que alisava o clitóris da esposa, é de fato um tesão assistir uma rola dura e bonita como aquela entrar triunfalmente numa bunda receptiva, eu estava currando aquela mulher, que tomava no cu com satisfação, o meu saco latejante batia nos lábios do marido e fazia ele perder ainda mais a compostura: “- Chupa a boceta de sua esposa piranha, corno...Vou gozar e enche-la de porra!” Gabriela suava frio, sua boceta minava prazer e sua pele suava demais, mas agüentava firme, aquilo tudo na sua bundinha gostosa. Ela começou a ficar histérica gritando que estava tendo o maior orgasmo da vida dela. Fiquei ainda bombando por uns 20 minutos, castigando aquele cuzinho com estocadas fortes e precisas e com o seu maridão lambendo a xoxota por todos os lados. Com o tira-e-põe, comecei a gozar aos berros: - Aaahh... Toma porra, sua puta!!!” Olhava para mim com uma cara assustadora e continuava berrando: - “Estou enchendo o rabo da sua mulher de porra!” Ele obediente e satisfeito, além de muito excitado, saiu debaixo dela e passou a dar beijos na boca da esposa. Depois, voltou a chupa-la a bocetinha e o cuzinho esfolados que escorriam literalmente muita porra. Ele chupava e aliviava a surra de pau que acabávamos de dar em sua amada esposa. Desfalecemos ali mesmo e passados alguns minutos recobramos nossas forças e fomos tomar banho, todos juntos. Paramos um pouco e em seguida combinamos em jantarmos!! Nesta hora eu nem tinha fome!!Fomos pra cozinha esquentamos o jantar e assim que começamos a comer, começamos a conversar do nosso encontro. O casal Bruno e Gabriela começou a dizer que o que tinha acontecido, tinha que ficar ali. Concordamos piamente, mas faltava ainda dar o batismo final de PUTA para a esposa de Bruno. A jovem Gabriela deveria nos mostrar se havia aprendido a ser uma profissional. Mandamos Bruno, ficar esperando enquanto nós dois sairíamos com Gabriela pra fazer o que bem entendêssemos. Ele poderia saber tudo que estava acontecendo pelo celular, porem ele estava proibido de falar qualquer coisa. Mandamos ela sair somente de roupão da sua residência e entrar no carro, e saímos. Bruno ficou apreensivo, até que uns 15 minutos resolvemos ligar para ele. Disse que dali pra frente o fone ficaria ligado e ele poderia escutar tudo. Estávamos no alto da Avenida Afonso Pena em BH, bem lá no alto, quando paramos próximo de um veículo com vários rapazes, pareciam que vinham de alguma festa. Encostamos o carro do lado do carro deles e pedimos a Gabriela para ficar se oferecendo como se fosse uma puta daquele lugar. Mandávamos abrir o roupão e os rapazes, que ao todo deveriam ser uns cincos, pensavam que era algum travesti por causa do corpo perfeito e de sua beleza natural. Eles entravam no banco de trás e mandavam ver nela. Ela gritava e gemia com o pau dos rapazes na boca e outro sendo masturbado. Às vezes ela pedia para diminuírem os movimentos um pouco, e dava uma gozada muito gostosa no pau dos meninos. Quando terminava de gozar, pedia pro cara meter com mais força. Às vezes ela deitava e ficava com as pernas para o alto dentro do carro, às vezes, ela se debruçava encima dos bancos deixando aquela bundinha arrebitada, bem empinadinha voltada para o alto, enquanto outro metia o pau na buceta, ás vezes outro no cu, e ela que já estava bem lubrificada, enquanto às vezes tinha até dois caras dando a rola para ela chupar. O celular o tempo todo ligado, pro corno do marido ficar lá em sua casa, só ouvindo...e se deliciando. Comiam sua esposa bem gostosa em todas as posições, de frango assada, de quatro, de ladinho, de frente, colocavam a safada pra chupar e bater punheta e ela se deliciando e gritando. O negão atento. Assistia a tudo, constantemente dizia pros caras não gozarem ainda, que era para esperar mais um pouco. Quando ela disse que não agüentava mais meter, o negão finalmente pediu para todos se afastarem um pouco ordenou: “ - PESSOAL, QUERO QUE VOCÊS GOZEM DENTRO DA BUCETA DELA!” Vendo aquela deliciosa mulher de 4 querendo levar porra na buceta de todos os meninos, foi impossível alguém discordar ou desistir. Colocaram estrategicamente uma toalha bem embaixo da buceta, com certeza para não sujar o banco traseiro do carro,e um dos rapazes que já havia colocado o pau pra ela ir chupando para depois prepara-lo para a gozada. O negão dizia: - “É PRA METER NA BUCETA SÓ QUANDO ESTIVER PRA GOZAR. GOZEM DENTRO DA BUCETA DELA!!! AI VAI O OUTRO E ASSIM POR DIANTE...QUEM QUISER, PODE GOZAR NO CU DELA TAMBÉM!” O primeiro cara se ajeitou atrás dela e meteu na buceta, deu umas mexidas e logo começou a gemer cada vez mais alto gozando dentro dela .Ela fazia umas caras de quem estava sentindo e adorando a rola ejacular dentro dela .Quando ele tirou o pau, um filete de porra escorreu e caiu na toalha . O Negão vibrou de alegria -È ISSO AI, ESTA PERFEITO. Logo em seguida, foi a vez daquele cara forte que estava comendo ela no banco de trás. Ele se ajeitou atrás dela, só que ele foi comer o cú dela .Ela gemia tão gostoso dando o cú. O grandão enfiou a rola no cú dela, assim que ele começou a se movimentar dentro dela, ela começou a gritar dizendo que estava uma delicia, Ela virou para ele e disse :ME BEIJA QUE EU VOU GOZAR NO SEU PAU. Assim que ele a beijou de língua, ela começou a gemer e a gozar no pau dele Com a gozada que ela deu, o restante da porra do primeiro cara escorreu toda pra fora da buceta dela melando as coxas e a toalha .Quando o grandão tirou o pau, com ele saiu todo o esperma que havia ejaculado no cú dela . Só falávamos: - “PERFEITO, PERFEITO”. E um após o outro cada um teve a sua vez de gozar dentro das entranhas de sua buceta faminta de mulher casada, que queria se tornar uma verdadeira PUTA e biscate. O marido ouvia tudo via telefone celular. O que é a tecnologia né? Ele podia acompanhar em tempo real pelo fone do celular aquela sessão. Talvez estivesse se punhetando de tanto tesão, escutando os gemidos de sua esposa e os urros dos meninos ao gozarem em sua esposa e nós incentivando dizendo... “ Isso fodem essa puta!!! Fodem ela toda!” O marido escutava a esposa dizer que iria gozar pelo menos uns 5 ou 6 vezes. Bruno devia estar esfolado de tanto punhetar. Cada vez mais a cascata de porra escorria pelas pernas dela, ou pingava direto na toalha.Quand

Comentários

21/01/2005 11:25:13
MUITO LONGO,
Rei Arthur
15/01/2004 15:06:03
Cara, vca acha que alguém vai ter saco de ler a sua história..só o começo ja da sono, nota 0
Nyna
12/01/2004 14:41:34
Muito grande...e muito mentiroso... vc ernrola muito... ao inves de deixar com tesao faz é cortar o tesaooo... muito fraquinho...
stargate50BH
12/01/2004 09:20:15
Mto bom, porém, se fosse o corno teria me aproveitado da oportunidade e já que estava na chuva e já havia botado a boca na pica, chupava as duas com vontade, me lambuzava de pica, e sentava em cima das duas, afinal, egoísmo é mto feio, tem que dar e receber....
CLAUDINHA
12/01/2004 03:42:56
GRANDE, POREM SENSACIONAL

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.




Online porn video at mobile phone


contos eróticos treinador dominador come viado na academiaesposinha depravada seduz velhoescandalosa fogosa e gulosa tomando tapa na bunda pornô doidocontos erotico eu e minha mae fodida por um roludomolequeputodominando um casalcontos eroticos sou casada e chupei o pau do negao pelo buraco da paredebati punheta num desconhecido no onibus contoscontos eroticos minha primeira siriricabaixar pro celular videos novinha gordinha de chortinho dando pro irmao pauzudocontos eroticos varios homens arrombaram meu cucontos eroticos comendo a sobrinhataradona nivinha loca pra dar oacuzin mas o pausudo nao esta dando conta de te comer num enta o caceteso eu minha enteada metendoporque o quando nomoramos os homens ficam pegando na bunda da mulherconto gratis branquelo chupou a buceta da mulataContos erotico gozando dentro tendo aidsxxvideo mobile de mulher chupando seios de outra em lactacaogay transando de songaminha tia lig pra minha e pede pra mim dormi na sua casa eu comi sua bocetapunheteiras vadias sujas socandocontos meu patrao invocou com minha mulher contos eroticoscontos eroticos menage bicontos de travesti depiladoraXvidiocomendo a novinha sem.ao menos tirar o chorte dela Noca vi pau grosso filio vei mifuder na sala estoriaxvıdeo novınha de bıquınımunhe engulido a gala sem tira u pau da pocapeguei na cinturinha e soquei tudo sem ela perceber no cuzinho ai amor nao quero mais vc me maxhucou xvideosporno aaii taduedo seu pau e groso ei fia tudo gosa ladentro eu quero caga sua porraporno abordado da égua rapazincesto encostando a rola no priquito da irmazinha de per no quardoeu era crente pequei dei minha bucetinhacontos eróticos os melhores eu e minha esposa recebemos uma visita de um casal de idadeBrincando com as primas novinhas, tirei o cabacinho delasnovinhos chinêses comendo cadela zoofiliaworttped.diegocampos.8519macubeiro comendo a foça novinhamas o porquê que não me permitam baixar videos da zoofilia?meus patroas adoram chupar a minha bucetaporno gabsinhafime porno marido infindo garrafa no cu da esposa filme pornô rasgando a vacina novinhameu patrao agiota ele fudeu minha buceta virgem conto eroticocontos erotico da irma batendo punheta no irmao machucadocumeno a safada do bundaopornor média vai examinar uma grávida e estrupadacontos gay luiz virando mulherzinha na cadeiaporno as novinhas cem peito de 8 a 10 perdedo a virgindade pro paixvideos. buçetá de eguacasa dos contos zoofilia com viralataspornô doido comadre entre pica grande negãocontos lukinhas22cmporno loira olhos azuis coxa grossa rabo grande peituda cabelos longos metendo como uma cadela no ciotalam e pene trAsandomenino menoridade inocente porno gayfavelenta xvideomae.minto.safada.e.bunduda.fodendoDeixou varios gozar dentro frutapornohomem se enxuga nu e a mulher abre a porta senquerer pornonegao fodefo cu forcapornodoido tecnico esfola novinhamulher faze do sabao segano boceta da outatravestis dominadora fez homem casado virar mulherzinhaseduzida por um estranho contos pornoto cagando nessa pica gozandogatinha. trepanfo. pau. 50. citimetrufilha dengosa e gostosa sendo acariciada pelo pai sexo pornobaxinha dando baixinhopornodoidomulheres que sentem desejo sexual por cavalo zoofiliaPutaria brasileira puta da a a fortãotravestis dominadora fez homem casado virar mulherzinhaAmém tempinho comendo veado vídeo pornô vídeomulher se afogando com o pao na garganta ponodoidohomens passando o dedo na buceta das mulheres e elas alteradasconto porno minha mulher e sua amiga enfio o dedo no meu cumentendo o pepino na buceta e no meu rabao contoscasado sendo penetrado no seu cuzinho pelo amigo,devagar e suave.gostaria que você mandasse primeira foto do Biel batendo punheta peladoquero ver travestis sexo travesti comendo mulher da rola bem grande e grossa norm e homem comendo mulher também pode ser ou não tá difícildei o meu curzinho com lubrificantes ao meu cunhado contos gayconto na enchente comi a mulher do chefecarolzinha baixinha gostoza trepanocontoerotico chantageado por penteada acanhada masturba o padrastocontos de sexo raspei minha buceta