Casa dos Contos Eróticos

Click to this video!

A vagabunda

Autor: L. M. A. Brito
Categoria: Heterossexual
Data: 28/10/2004 09:08:31
Nota 10.00
Assuntos: Heterossexual

Através de uma revista erótica, recebi uma carta do Paraná com a foto de uma loura de 30 anos, casada, bonita de rosto e, pelo que pude perceber, umas belas pernas. Vou chamá-la de Lu.

- Meu marido não sabe de nada - me dizia na carta. - Peço, portanto, que você me ligue e passe o seu telefone. Prometo que entrarei em contato e assim explicarei a coisa direito.

Enviei o numero do meu telefone e três dias depois me ligou. Conversamos sobre nós dois e quis saber como sou. Falei do meu tipo físico e contei que morara muitos anos em Paris, que tinha dupla nacionalidade e viajava com frequência para o exterior. Fui bem sincero e acho que agradei.

Lu contou por que respondeu minha carta e disse que o marido, como eu, também viajava muito a trabalho. No fundo, ela achava que ele a traía. Depois de cinco anos, o tesão entre eles não era o mesmo. Só que por diversos, motivos preferia ir levando o casamento. Tinha uma filha de cinco anos, não pretendia se separar por enquanto. Mas não aguentava mais. Afinal, sexo é uma das melhores coisas da vida. Ela estava com 30 anos e não podia se imaginar mantendo relações medíocres o resto da vida e, ainda por cima, com intervalos cada vez maiores.

Contou também que conversara com uma prima casada e de bem com a vida, que lhe sugeriu a idéia de arrumar um amante, como ela mesma fizera. E Lu achava que, depois disso, a prima rejuvenescera, vivia feliz e usava roupas mais sensuais. Amante experiente, esta prima deu uma série de dicas de como deveria proceder. Segundo ela, um amante em outra cidade era mais seguro e discreto.

Depois da nossa conversa por telefone, enviei uma foto. Ela ligou, dizendo que gostou do que viu e quis saber mais detalhes sobre a minha intimidade, principalmente como agia com uma mulher na cama. Respondi que podia representar qualquer papel: o romântico, o gentil ou o libertino mais ou menos cafajeste, talvez porque sou um pouco as três coisas. Tudo depende da mulher que esta comigo.

- Você pode escolher - disse.

- Sou tímida, tenho vontade mas tenho medo de ficar tensa na hora - respondeu.

Expliquei que conhecia algumas técnicas de massagens muito relaxantes, para quebrar aquele gelo inicial.

- Qual o seu tipo de calcinha favorito? - perguntei.

- Rendadas, negras e pequenas - foi a resposta.

- São perfeitas para uma loura, e as que não tem elástico embaixo são ainda mais gostosas - provoquei.

- Assim você me excita, está gostoso conversar com você - disse.

Aproveitei a deixa para pedir que falasse o que gostava de fazer com um homem.

Depois de alguns instantes de silencio do outro lado da linha, veio a voz macia:

- Gosto de sexo oral.

- De chupar ou ser chupada?

- Gosto mais de chupar.

- E você, faz gostoso?

- Acho que faço muito bem...

Estava gostando aquela historia e dei corda.

- Se fizer isso muito bem, vai acabar me fazendo gozar na sua boquinha.

- Eu sei e é para fazer gozar mesmo. Gosto que gozem na minha boca. E adoro também que me comam bastante e, na hora de gozar, tirem e esporrem na minha boca.

Já estava com o pau duro, pressionando o meu jeans. Tive que abrir o zíper e tirá-lo para fora. Estava com muita vontade de vê-la e acabamos marcando o encontro para o final de semana seguinte. Lu viria com o filho para São Paulo e ficaria hospedada na casa da mãe.

Perto do meio-dia de sábado, ligou e marcamos o encontro em frente a um cinema. A identificação correspondia à da foto, mas estava agora com os cabelos mais compridos. Na verdade, estava mais sensual, com uma minissaia justa, saltos altos e blusa decotada. Mais gata, menos perua. Um beijão na boca foi a saudação. Fomos para o meu carro e voamos para minha casa. No caminho, trocamos caricias, doidos para nos jogar um nos braços do outro. O papo pelo telefone dias antes nos acendera.

Vinte minutos depois, estivamos no meu quarto. A sensualidade de Lu me excitava. Pedi que deitasse na beira da cama, ergui a minissaia beijando as pernas até chegar à calcinha, puxando a parte de baixo para o canto... Não tinha elástico! Os pêlos pubianos eram bem aparados e macios como gosto. Chupei-a com prazer.

Depois de um tempo, pediu que a comesse:

- Me trata como uma puta, me chama de vagabunda. Eu gosto, é minha fantasia!

- Com todo prazer - respondi.

Na verdade, gosto desse tipo de mulher bem puta na cama. Só não pode ser vagabunda demais. Posso me apaixonar...

- Deita de costas, sua piranha. Vou me saciar em cima de você - ordenei.

Lu era barulhenta na cama e isso me excitou ainda mais. Devorei aquele corpão em todas as posições possíveis. Ela estava de quatro e eu agarrava os cabelos compridos e fodia forte, falando o que ela estava doida para escutar:

- Geme sua puta; dá a boceta para mim, vagabunda, vadia! Vou te foder até você pirar!

Quando ia gozar, tirei o pau, agarrei-a com firmeza pelos cabelos, mas sem machucá-la, e a puxei para mim.

Caiu de boca e, segundos depois, eu gozava. Uma parte da porra ela engoliu e o resto ficou na língua e nos lábios, pingando sobre os seios. Descansamos, tomamos uma vodca e demos uma relaxada na hidromassagem. Foi lá que recomeçamos.

Beijinhos, caricias, sacanagens sussurradas no ouvido:

- Tesão de putinha, vou te deixar mais puta ainda, do jeito que eu gosto!

Olhou maliciosa:

- Sou sua puta, esqueceu? Quero qualquer coisa que você quiser fazer comigo...

Saímos da hidro, nos enxugamos e fomos para o quarto. Coloquei-a de quatro, peguei um tubo de gel e besuntei o traseiro dela e o meu pau.

- Quero comer sua bunda - avisei, enfiando devagar.

Lu gemia gostoso, dando uns gritinhos excitantes enquanto murmurava:

- Não, não...

- Vou por tudo em você, sua vadia, encher o rabinho de porra.

Ela empinou o rabinho mais e fui enfiando no cu até minhas bolas encostarem na bundinha. Lu gritava, agarrava os lençóis, pedindo que eu a comesse forte, enquanto se masturbava e pedia para que gozasse com ela, enfiei tudinho e, com bastante força enfiava e tirava, esperei pelo gozo dela e gozei bastante dentro daquele cu gostoso.

Em nosso terceiro encontro, almoçávamos em minha casa, quando meu primo passou por lá. Nós dois já transamos uma vez com minha ex-mulher e, recentemente, três vezes com a mulher dele. Na ultima, tiramos umas fotos bem desinibidas. Como o papo ia esquentando, contamos isso a Lu, que quis ver as fotos e ficou muito excitada.

Depois que meu primo saiu, ela disse que nunca transara assim e ficou curiosa, sem forçar nada, propus uma experiência assim, quando vi que ela queria. Isso só rolaria na semana seguinte, mas a expectativa já éramos com tudo a que ela tinha direito.

Comentários

07/10/2009 14:10:20
adoraria ser uma vagabunda por uma longa tarde.....__rsrsrs
Figueredo
23/04/2005 22:12:41
Fala sério seu marginal
Figueredo
23/04/2005 22:12:31
Fala sério seu marginal
Virgilio Barreto
28/10/2004 15:23:07
conte outra cara......
JL
28/10/2004 14:54:33
kra, tu mente muito.essa está que nem uma peneira, cheia de furos!!!
Asdrubal
28/10/2004 14:19:14
Sem comentário

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.




Online porn video at mobile phone


Contos erotico incesto video gratis de sec tio tira cacinho da sobrinha novinhaXvideos pecavelbucetao de sotinho q capui de fucaficamos nuas e sastifeitasIniciando uma bixinhalouras peludas taradas fudedoras malucas chamando palavraoconto erotico gay branco dominador gosta de maltratar viado pretogranny de 69 chuoando cokc grandeesposa casadas bunda ggg pertinho gostosovideos porno mulher tentando escapa. do pau do outro na frente do marido mas nao comsegue e corno dechanovįnha do sexo anal tuvidioporno/fodanaconstrucaocontos anais + caminhoneiro enrabador da jeba grandebrincando escanchada contos pornocrenye de verdade é aquele crente sabioPorno contos de traicoes dentro da propria casamarido .que gosta de ser corno xpirnnovinhas sendo a********* por monstros de Picão contos eróticostexto de mulher quatro mulheres e quatro mulheres se for do mundo assim podendo em uma chupando o pau da ou julgamos o xiri da outramulher chamou o vizinho para tirar goteiras e deu a buceta para elenao acreditei mas o pirralho meteu a pica na minha bucetacontos eroticos quando eu tinha doze anos viagei pra fazenda com meu paicontos sexo pecado incestuosoconto erotico sou tratada como puta pelo meu sogro ele adora me chingarcontos eroticos picantes camioneiros estuprando putas na estradacontos de sexo depilando a sogracontos tathy ellenvídeo pornô que a gostosafala ai para,seu pau e muito grandealuno fodendo professor de educacao fisica gay animadosexo anal sem compaixãohomem empurra na vara na jumenta até gozarnora safadas descobri que sogro tem a pica enormeporno.com negao levanta a saia da gostosa casada enfia até o saco surpresa pra o corninhocontos de sexo depilada na praiaenfiou o nariz no cu da pưta com a buceta gozadaconto erótico gay fui comido no internatoconto eu so tinha dez aninhos e meu tio ja chupava minha xoxota que era carnudinha eu ia a loucuracalçinha ate amarotada na bucetaVirgem chora na cama com velho taradopiriquita britadeira evangelicaXxvideosVizinha gostosa de shortinhoquero ve os telefoni das mulhe de curitiba casada que gosta di da a buceta para oto omhe deixa teu telefoneconto mamae dormia de calcinha atolada no cucontos sogro e noracontos com fotos de donas de casa normais sendo fudidas por varios homens e muleques pintudoscontos eroticos de santinhasconto esposa do pastor tranzou com molekos filhos gemeos da minha mulher evangelica contos eroticoscontos e videos casada cavala fudendo com dois negaoo tio tarado estrupando a sobrinha clitado de dormulher pensa que a amiga é mulher mas é um travesti com um pau bem groso e vai dormi com ela em casa e acaba temo um supresa e transa pornoPasando com a cobra na cona Zooporncontos saunas velhos chubbys gaysPaguei para deflorar a filha do caseiro conto eroticonovinhas das bundás gandê xvdeosContos eróticos teens pai vendo q a rola do filho estava bem grandinha conto gaycontos de sexo depilando a sograNoca vi pau grosso filio vei mifuder na sala estoriacontos eroticos gays virei putinha de varioscontos gay Mandou eu esperar vestido de putinhaContos Gays Sobre Valentoes : Casa Dos Contosselinho no grelhoarreando a calcinha pro clacudo gozarquadradinho da crente inocente safada em conto eróticosPorno contos eróticos sexo entre irmaos romance final feliz o filho da minha madrastanovinha tem no muito o garmo na siririca xega a gritar porno vidios mulher vestida de mamae noeu engatada com cachorrocomi a mae com a pereteca raspadinhaconto com onze anos eu trepei com meu tio foi muito gostoso mais doeucontos eróticos menina dando o cuzinho vídeo safado mortalidadexvideos loira cabelereira tesuda de mini saia cortando meu cabelo pau duro