Casa dos Contos Eróticos

Click to this video!

A vagabunda

Autor: L. M. A. Brito
Categoria: Heterossexual
Data: 28/10/2004 09:08:31
Nota 10.00
Assuntos: Heterossexual
Ler comentários (6) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Através de uma revista erótica, recebi uma carta do Paraná com a foto de uma loura de 30 anos, casada, bonita de rosto e, pelo que pude perceber, umas belas pernas. Vou chamá-la de Lu.

- Meu marido não sabe de nada - me dizia na carta. - Peço, portanto, que você me ligue e passe o seu telefone. Prometo que entrarei em contato e assim explicarei a coisa direito.

Enviei o numero do meu telefone e três dias depois me ligou. Conversamos sobre nós dois e quis saber como sou. Falei do meu tipo físico e contei que morara muitos anos em Paris, que tinha dupla nacionalidade e viajava com frequência para o exterior. Fui bem sincero e acho que agradei.

Lu contou por que respondeu minha carta e disse que o marido, como eu, também viajava muito a trabalho. No fundo, ela achava que ele a traía. Depois de cinco anos, o tesão entre eles não era o mesmo. Só que por diversos, motivos preferia ir levando o casamento. Tinha uma filha de cinco anos, não pretendia se separar por enquanto. Mas não aguentava mais. Afinal, sexo é uma das melhores coisas da vida. Ela estava com 30 anos e não podia se imaginar mantendo relações medíocres o resto da vida e, ainda por cima, com intervalos cada vez maiores.

Contou também que conversara com uma prima casada e de bem com a vida, que lhe sugeriu a idéia de arrumar um amante, como ela mesma fizera. E Lu achava que, depois disso, a prima rejuvenescera, vivia feliz e usava roupas mais sensuais. Amante experiente, esta prima deu uma série de dicas de como deveria proceder. Segundo ela, um amante em outra cidade era mais seguro e discreto.

Depois da nossa conversa por telefone, enviei uma foto. Ela ligou, dizendo que gostou do que viu e quis saber mais detalhes sobre a minha intimidade, principalmente como agia com uma mulher na cama. Respondi que podia representar qualquer papel: o romântico, o gentil ou o libertino mais ou menos cafajeste, talvez porque sou um pouco as três coisas. Tudo depende da mulher que esta comigo.

- Você pode escolher - disse.

- Sou tímida, tenho vontade mas tenho medo de ficar tensa na hora - respondeu.

Expliquei que conhecia algumas técnicas de massagens muito relaxantes, para quebrar aquele gelo inicial.

- Qual o seu tipo de calcinha favorito? - perguntei.

- Rendadas, negras e pequenas - foi a resposta.

- São perfeitas para uma loura, e as que não tem elástico embaixo são ainda mais gostosas - provoquei.

- Assim você me excita, está gostoso conversar com você - disse.

Aproveitei a deixa para pedir que falasse o que gostava de fazer com um homem.

Depois de alguns instantes de silencio do outro lado da linha, veio a voz macia:

- Gosto de sexo oral.

- De chupar ou ser chupada?

- Gosto mais de chupar.

- E você, faz gostoso?

- Acho que faço muito bem...

Estava gostando aquela historia e dei corda.

- Se fizer isso muito bem, vai acabar me fazendo gozar na sua boquinha.

- Eu sei e é para fazer gozar mesmo. Gosto que gozem na minha boca. E adoro também que me comam bastante e, na hora de gozar, tirem e esporrem na minha boca.

Já estava com o pau duro, pressionando o meu jeans. Tive que abrir o zíper e tirá-lo para fora. Estava com muita vontade de vê-la e acabamos marcando o encontro para o final de semana seguinte. Lu viria com o filho para São Paulo e ficaria hospedada na casa da mãe.

Perto do meio-dia de sábado, ligou e marcamos o encontro em frente a um cinema. A identificação correspondia à da foto, mas estava agora com os cabelos mais compridos. Na verdade, estava mais sensual, com uma minissaia justa, saltos altos e blusa decotada. Mais gata, menos perua. Um beijão na boca foi a saudação. Fomos para o meu carro e voamos para minha casa. No caminho, trocamos caricias, doidos para nos jogar um nos braços do outro. O papo pelo telefone dias antes nos acendera.

Vinte minutos depois, estivamos no meu quarto. A sensualidade de Lu me excitava. Pedi que deitasse na beira da cama, ergui a minissaia beijando as pernas até chegar à calcinha, puxando a parte de baixo para o canto... Não tinha elástico! Os pêlos pubianos eram bem aparados e macios como gosto. Chupei-a com prazer.

Depois de um tempo, pediu que a comesse:

- Me trata como uma puta, me chama de vagabunda. Eu gosto, é minha fantasia!

- Com todo prazer - respondi.

Na verdade, gosto desse tipo de mulher bem puta na cama. Só não pode ser vagabunda demais. Posso me apaixonar...

- Deita de costas, sua piranha. Vou me saciar em cima de você - ordenei.

Lu era barulhenta na cama e isso me excitou ainda mais. Devorei aquele corpão em todas as posições possíveis. Ela estava de quatro e eu agarrava os cabelos compridos e fodia forte, falando o que ela estava doida para escutar:

- Geme sua puta; dá a boceta para mim, vagabunda, vadia! Vou te foder até você pirar!

Quando ia gozar, tirei o pau, agarrei-a com firmeza pelos cabelos, mas sem machucá-la, e a puxei para mim.

Caiu de boca e, segundos depois, eu gozava. Uma parte da porra ela engoliu e o resto ficou na língua e nos lábios, pingando sobre os seios. Descansamos, tomamos uma vodca e demos uma relaxada na hidromassagem. Foi lá que recomeçamos.

Beijinhos, caricias, sacanagens sussurradas no ouvido:

- Tesão de putinha, vou te deixar mais puta ainda, do jeito que eu gosto!

Olhou maliciosa:

- Sou sua puta, esqueceu? Quero qualquer coisa que você quiser fazer comigo...

Saímos da hidro, nos enxugamos e fomos para o quarto. Coloquei-a de quatro, peguei um tubo de gel e besuntei o traseiro dela e o meu pau.

- Quero comer sua bunda - avisei, enfiando devagar.

Lu gemia gostoso, dando uns gritinhos excitantes enquanto murmurava:

- Não, não...

- Vou por tudo em você, sua vadia, encher o rabinho de porra.

Ela empinou o rabinho mais e fui enfiando no cu até minhas bolas encostarem na bundinha. Lu gritava, agarrava os lençóis, pedindo que eu a comesse forte, enquanto se masturbava e pedia para que gozasse com ela, enfiei tudinho e, com bastante força enfiava e tirava, esperei pelo gozo dela e gozei bastante dentro daquele cu gostoso.

Em nosso terceiro encontro, almoçávamos em minha casa, quando meu primo passou por lá. Nós dois já transamos uma vez com minha ex-mulher e, recentemente, três vezes com a mulher dele. Na ultima, tiramos umas fotos bem desinibidas. Como o papo ia esquentando, contamos isso a Lu, que quis ver as fotos e ficou muito excitada.

Depois que meu primo saiu, ela disse que nunca transara assim e ficou curiosa, sem forçar nada, propus uma experiência assim, quando vi que ela queria. Isso só rolaria na semana seguinte, mas a expectativa já éramos com tudo a que ela tinha direito.

Comentários

07/10/2009 14:10:20
adoraria ser uma vagabunda por uma longa tarde.....__rsrsrs
Figueredo
23/04/2005 22:12:41
Fala sério seu marginal
Figueredo
23/04/2005 22:12:31
Fala sério seu marginal
Virgilio Barreto
28/10/2004 15:23:07
conte outra cara......
JL
28/10/2004 14:54:33
kra, tu mente muito.essa está que nem uma peneira, cheia de furos!!!
Asdrubal
28/10/2004 14:19:14
Sem comentário

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.




Online porn video at mobile phone


contos gay uma viagem inesquecível para o novinhoxv novinha brinca com cachorro e fica agarrda na picatravestis bem dotado sendo errabados realcontos eróticos na famíliatio e sobrinhaxvideo.com esfregando o pau na buceta lizinha e com um gemidinho sexo massagem na buceta com carinhocontos real de incesto demaes fudendo com filho menor de dezesseis anosvideo porno com muito beijo na boca de tirar o folego muita chupada na buceta fazendo gozar na lingua de tanto prazer puchao de cabelo sexo com pegada forte e brutamulher casada trai seu marido e fode sem camisinha e leva gosada dentro da buceta e engravidaRasguei a buceta da mendiga com a mao contoscontos e videos casada cavala fudendo com dois negaoa minha mae obrigou meu padrasto tira a minha virgindadecontos de pau preto e grossomulher amarrada e sendo torturada pica do dotadonegaogozou muito na buceta da irmã nascendo peitinhos a buceta nem cabelo nasceu nadacomi a minha tia pela primeira vezporno grátis cm gringa dando ate se amolesercontos de incesto mãe pede a filho que depois a Cona e o greloesposas q 25cm de picatrês machos rasgando o c* da n***** pedindo mais v**** dupla 300 e relaxada aberta chupando sem parar na boca v****mano nao me tente incesto contoscontos erotico meu bebe com fimosesites porno contos eroticos de incesto mae ver o pau duro do filho fica com tesao com a buceta toda meladapubis depilado contosfoto de muie com bucetas largasconto erotico sou tratada como puta pelo meu sogro ele adora me chingarcomi a mae com a pereteca raspadinhaespiando sebastiana tomar banho contos eróticosconto erótico menina bebê pai e filha puta ninfeta gosta de mamar peituda casete tbmhomem se mesturbano no causinha da cuiada fio dentalcontos erotikos menina novinha troca os cabacos por docescorno chamou negao pra fuder mais nao gostou de ver a mulher adorandocuckold adeptoscarolzinha santos e suas amigas trepano no churrascobelo sexo dormindo de conchinha com a titiaapalpando o roludo no rodeio sexomeu sogro meu dono2 mulequis regaca a buceta da novinha branquinha tesudaporque tem mulheres que sentem prazer ao ser.penetrada com o.dedo no anusgostosa chifrando corno com seguranças na festa contos eroticosvideo porno irmã bricano com seu imão e apiroca escurrega etraxvideos gostosas esbugalhou os olhos quando o pau grande entrou tudo de uma vezbaixar grátis vídeos pornô lésbicas gemendo grostoso e esfregando buceta com buceta molhadinhas até gosarcontos de sexo depilada na praiaxvedeos dejado busetao rochomeu padastro ne colocava para xupar a sua rola ele fala engole sua putinha todo este leitinho q eu gardei para vc sua putinha em portuguescrossdresser saindo montadaintiaada chupando pau do ppadrasto desmaido de sonocontos eróticos garotinha 7aninhos boquetera e so no cunovinha aser estuprada com padrasto aser disvirginado encuanto dormeconto eroticosgemeassou casada o meu cunhada me estorou a bucetinha contosContos eroticos irmas gulosas mamando no pauzao grosso do irmao e de mais cinco amigos pauzudos dele na piscina de casacontos eróticos sobre cunhadabucetudalais minha enteada da xoxota apertadinha contosconto gay adoro ser esculachado por um machoTravesti inceto desde pequenachupando a buseta defentex vidio comtos eroticos flaguei minha avócontos eroticos traindo o corno cdp ele assistindoler contos eróticos primo com prima gordinha gostosa d********* para o primo bem dotado história realcontos eroticos tentei fugir mas fui estupradacontos erotico minha sobrinha veio em casacomendo minha cunhada que veio morar com agente aspanterashttp://gtavicity.ru/texto/2016101161punheta na infancia com amigocoroa peituda de buceta peluda fidendo depois da festaVideos de sexo sogras peitos muchoseu vir a minha meia irmã tranzando e eu nao aquenteivideo porno fundeno cuzinho a fosapersonal treiner encinando mulher fazer abdominal chupando pornosocando na enteada gravida de jundiaicontos eroticos gays nerd e o bad boycontos de afilhada cavalona com padrinho coroa de pauzaoComtos casadas fodidas na cadeiaContos eróticos Trasei com amigas da minha namoradavídeos porno braseiro putona brasileira lavado ropa no cintal e fude com seu cunhado bem dotado