Casa dos Contos Eróticos

Click to this video!

TREPANDO NOS STATES COM A TITIA

Autor: Gomes
Categoria: Heterossexual
Data: 19/09/2006 02:36:54
Nota 9.67
Assuntos: Heterossexual, Tia
Ler comentários (2) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Olá, sou eu novamente, Andre, e desta vez vou contar como foi que finalmente tracei minha tia.

O nome dela é Sônia, uma morena, baixa, magra, com os cabelos negros, longos e encaracolados, com os peitinhos pequenos e durinhos, coxas bem desenhadas, uma bundinha empinada, uma delícia. As fotos dela, comigo na praia, quando eu era criança, são demais; ela com um biquíni enfiado no rego, devia enlouquecer os caras na praia.

Fiquei tarado nela desde o dia em que, mexendo em suas coisas enquanto ela estava no banho, encontrei umas fotos dela pelada. Eu devia ter uns 11 anos, mas fiquei excitado. Bem sacana, fui até o banheiro, abri a porta e me deparei com ela em pé de frente para o espelho, nuazinha, só com uma toalha enrolada nos cabelos. Perguntei o que eram aquelas fotos e fiquei vendo ao vivo aquele espetáculo de mulher em minha frente. Ela não pareceu se incomodar muito, talvez por achar que eu ainda era muito pequeno para entender qualquer coisa, apenas tirou a toalha dos cabelos e se enrolou com ela. Pegou as fotos da minha mão, olhou, disse que fora o seu antigo namorado quem tirara e me mandou sair dali.

Desde então, passei a olhar minha tia de um jeito diferente, mas pelo visto, só eu é quem percebia.

Bem, uns 5 meses depois, ela viajou para Boston, EUA. Ficamos sem nos ver por 4 anos, até que resolveram me mandar para os States, para aperfeiçoar o meu inglês. Tinha 15 anos e havia terminado o curso de inglês aqui. Ficou decidido, que iria para Boston, é claro, pois pouparia despesas ficando com minha tia.

Ela morava num apartamento pequeno, de um quarto, banheiro e cozinha. Sua cama era de solteira, desde que ela chegara, não tinha tido nenhum homem. Dormíamos juntos na cama, bem pertinho. Apesar do frio naquela época do ano, o aquecedor funcionava perfeitamente e ela dormia apenas com uma camisola até o joelho, sem sutiã e com um shortinho folgado. Eu dormia apenas de short. Nessas circunstâncias, meu tesão surgiu novamente e pior, com 15 anos, meus hormônios estavam explodindo.

Os dias foram se passando, tive relances dela tomando banho, ela também, mas nada demais. Até que uma noite, estávamos vendo TV na cama e começamos a conversar sobre sexo. Foi aí que ela me contou que desde que saíra do Brasil, não tinha tido relações sexuais e perguntou como andava a minha, se eu era virgem, etc. Disse que acabara de perder a virgindade uns meses atrás, só não disse que foi com a empregada (já relatei essa história num outro conto). Meu pau começou a endurecer e, envergonhado, pedi para irmos dormir. Fomos dormir; deitei de barriga para cima e ela deitou de lado, de costas para mim. Não consegui dormir, levantava discretamente o lençol e ficava olhando a curva da sua cintura, sua bunda coberta pela camisola e pelo short, suas coxas firmes, apesar de estar agora com 43 anos. Respirava fundo, tentando sentir o seu cheiro. Horas depois, fui me mexendo na cama, como que se estivesse dormindo e me aproximei de seu corpo, tocando de leve o meu pau duro em sua bunda. Por um instante fiquei apreensivo, mas não aconteceu nada. Resolvi então tirar meu pau para fora, por baixo do short. Ele já estava melado. Bem de leve e devagar, toquei suas coxas. Ergui um pouco sua camisola e deixei meu pau tocar sua bunda, bem em cima da racha. Deixei lá, ela de repente se mexeu um pouco, chegou um pouco para trás; meu coração disparou, achei que ela fosse acordar e me dar uma bronca, mas nada aconteceu, ela continuava dormindo.

Adormeci um tempo depois, do jeito que estava.

No dia seguinte, tudo normal. Tudo indicava que ela estivera realmente dormindo. Também não dei na pinta.

De noite, o ritual continuou. Fomos deitar, ela disse que iria tomar um banho rapidinho, mas que eu poderia dormir se quisesse. Acordei de madrugada, com ela se mexendo muito na cama. Estava tendo um sono agitado. Me mexi, bocejando e encostando minha perna na sua. Ela de repente ficou quieta. Esperei uns minutos, como ela continuava quieta, resolvi fazer o mesmo do dia anterior. Dessa vez abaixei meu short até a metade da coxa, levantei sua camisola, bem pouquinho e fui dirigindo meu carrão para a garagem. Um rio de lava parece que começou a circular em meus vasos, quando percebi que meu pau tocava em uma superfície macia e quente; levantei mais um pouquinho a camisola e pude ver que ela estava apenas com a camisola, sem o short. Fiquei doido, coloquei meu pau, que nessa altura estava pulsando, bem no meio de sua bunda e percebi quando ele tocou seus pentelhos. Estava muito excitado, meu pau latejava, tentei fazer um movimento bem devagar de vai e vem, mas foi o suficiente para eu lançar um jato de porra entre suas pernas, sua bunda e sua boceta. Fechei os olhos, tirei meu cacete de lá o mais rápido que eu pude e virei para o outro lado.

Não dormi o resto da noite e ainda bati uma punheta virado para o outro lado.

No dia seguinte, acordei e estava sozinho na cama. Minha tia tinha escrito um bilhete, dizendo que tinha ido trabalhar e que chegaria mais tarde. Levantei, fui tomar o café da manhã, devia ser quase 11 horas da manhã. Reparei no lençol que estava de molho dentro da máquina de lavar e só então olhei para a cama e percebi que o lençol que estava lá era diferente. Minha cabeça começou a entrar em parafuso. Será que ela tinha percebido e estava gostando do jogo?

Saí e só voltei de noite. Sônia já estava em casa e me recebeu com um sorriso de orelha a orelha e um beijo no rosto, no canto da boca.

Jantamos e horas depois fomos dormir. Acordei às 2:30 da manhã. Olhei para minha tia que estava na posição de sempre. Dessa vez não quis nem saber, arriei meu short até os calcanhares, levantei a camisola da titia e mais uma vez me deparei com aquela bunda maravilhosa. Dessa vez fui atrevido. Segurei meu cacete e fiquei roçando a cabeça no seu rego, até encontrar o seu cuzinho, melei toda sua bunda. Fiquei no vai e vem, sem meter. Roçava entre suas pernas até acomodá-lo no meio das coxas. Colei meu corpo no dela e adormeci. Agora ela ia perceber minhas intenções, se é que já não tinha percebido.

No meio da noite, acordei e tive uma surpresa. Minha tia tinha pego o meu braço e agora eu estava envolvendo-a, com as mãos em seus seios, por baixo da camisola, com suas mãos sobre as minhas. Meu pau que estava dormindo também, acordou de um pulo e deu uma estocada em sua bunda. Ela percebeu que eu havia acordado e disse: “Vem, meu sobrinho querido. Eu tinha essa fantasia há muito tempo, agora mata a vontade da sua titia, que está insaciável.”

Deslizou com minha mão pelos seios, pela barriga, até chegar em sua xota cabeluda. Estremeci e dei um suspiro aliviado. Ela se virou de frente para mim, me tascou a língua quase na garganta, enquanto agarrava meu pau e começava uma punheta. Jogamos o lençol para fora da cama. Ela deitou de barriga para cima e pude ver pela primeira vez o corpo nu, perfeito daquela coroa gostosa, sem estar escondido. Aquilo tudo iria ser meu. Comecei agarrando seus peitos e lambendo, ora um, ora o outro, dando pequenas mordidas nos bicos durinhos. Ela se mexia, rebolava, esfregava suas mãos em minhas costas, gemendo. Fui beijando e lambendo sua barriga. Enfiei a língua no umbigo e já sentia o cheiro daquele sexo reprimido a tantos anos. Sua boceta era cheia de pêlos negros. Coloquei a mão em concha em sua xota e ela se esfregava em mim. Abri sua xota com os dedos, revelando seu interior avermelhado e molhado. Meti o dedo médio até o fundo, depois o indicador. Aproximei meu rosto e pude sentir o seu perfume, abri novamente sua xota e dessa vez, comecei a lamber. Fazia movimentos rápidos com a língua, enfiava até o fundo até o meu nariz tocar seu grelo. Ela urrava de felicidade. Me concentrei no seu clitóris, lambendo, beijando, mordiscando, chupando. Ela gozou em minha boca várias vezes, gritando e gemendo.

Me deitei e aí foi a vez dela. Levantou-se, foi até o final da cama e veio em minha direção de quatro, como uma pantera. Lambeu meu pé, meus dedos e foi subindo. Passou pela minha perna, minha coxa, minha virilha, colocou meu saco em sua boca e com a língua, ficava brincando com as bolas. Segurou firme meu pau e começou uma punheta (uma das melhores da minha vida). Enquanto olhava para mim, passava só a linguinha ao redor da cabeça, passava a ponta da língua desde o saco até em cima. Abocanhava meu pau, subia e descia, chupava só a cabeça, depois colocou ele quase todo na boca e começou a fazer movimentos com a língua ao redor da cabeça. Mordia a glande, me fazendo delirar até que não agüentando mais, dise que iria gozar. Ela mais uma vez engoliu meu cacete e gozei dentro de sua boca. Ele amoleceu dentro de sua boca. Aí ela tirou e começou uma punheta, lubrificando meu pau com meu próprio gozo; ele nem vacilou e já estava de pé. Cada vez que ela esfregava a cabeça do meu pau, minhas pernas tremiam.

Continuei deitado e ela montou em cima de mim. Foi descendo devagar, depois subia devagar, com os olhos fechados, lambendo e mordendo os beiços, jogava sua cabeça para trás. Agarrei sua cintura e comecei a guiá-la. Os movimentos iam acelerando, enquanto ela rebolava como uma gata no cio. Segurava seus seios e beliscava a pontinha. Ela acelerou o ritmo, dizendo que ia gozar, subiu e desceu rápido uma última vez antes que tivéssemos outro orgasmo. Deitou por cima de mim, ficamos assim por um tempo e aproveitei para alisar suas costas e passar a mão em sua bunda. Nos levantamos e fomos tomar um banho. Debaixo do chuveiro, ensaboei seu corpo inteiro e ela fez o mesmo comigo. Agarrei e levantei sua coxa e trepamos mais uma vez. Meu pau, ensaboado, deslizava para dentro de sua boceta som uma facilidade incrível. Gozamos mais uma vez. Nos limpamos, enxugamos e saímos do banheiro.

Sentei na cama enquanto minha tia pegava alguma coisa para a gente beber. Quando ela se virou, deu um suspiro quando viu meu mastro levantado de novo. Ela veio caminhando, com um dedo enfiado na buceta e eu disse: “Agora, do outro lado.” Ela me olhou espantada. “Nossa meu sobrinhozinho querido tá mais taradão do que eu!”. Levantei, agarrei minha tia pela cintura, dei um beijo nela e joguei-a na cama.

Ela ficou de quatro, apoiada nos cotovelos, colocando aquele cuzão para cima. “Pode vir, mas com calma.”

Não meti de cara no seu cú. Vi aquela bucetona carnuda e não resisti, enfiei lá mesmo. Enfiava até o fundo e depois tirava e esfregava no cuzinho, lubrificando-o e preparando para o próximo passo. Dei uns tapinhas em sua bunda, ela olhou para trás e pediu para que enfiasse logo. Apontei a cabeça para a entrada do seu buraco e fui metendo devagar. Demorou um pouco para entrar, ela gritava, gemia, até que cravei minha pica de uma vez e comecei a bombar. Minhas bolas batiam em sua xota. Eu segurava sua cintura, comandando os movimentos e ela com a mão, se masturbava, esfregando seu clitóris. Gozamos mais uma vez e caímos exaustos na cama e só acordamos de manhã.

Repetimos a dose quase que diariamente até o dia de voltar ao Brasil. Agora, faz 6 anos que não a vejo, só falamos pelo telefone e espero ansioso voltar para aos EUA.

Comentários

01/04/2011 22:18:33
30/01/2010 11:34:23
ual, sensacional

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.




Online porn video at mobile phone


video de mulher 34anos nuA lavano a bucetaxvedeo conto erotico a forca no onibustransei com minha irmavideo porno coloquei a minha esposa pra chupa o meu pau em quarto eu dirigiabranquinho super big dotado enfiando o seu pinto até o talões no cuzao da novinha arrombadaporno olhei peguei chupeivelho tarsdaoarromba meu c* que é para quando o c**** chegar em casa meu c* tá toda arrumadinha XVídeosso fotos da namorada do traficanti nem de chortinho disporno aaii taduedo seu pau e groso ei fia tudo gosa ladentro eu quero caga sua porracorno sendo humilhado lambendo direitinho buceta cheia de gozomulheres estupradas por varios homens roludos ao extremobuceta de evangelica arrombada na igrejaencoxada mau cobertanovinha tentando da o cuzinho virgem pro amigo tadinha da novinhaseduzindo você a bater punhetagay sexo no meio do mato novinho transando com 5 homens no Mato levando pica no c* no mato na favela e Leo apartamento pela primeira vez na beira do marincesto pai filha eroticos peludo bigode contosputohomem damdo o cu e rebolandona hora da tranza sinto um liquido querendo sair da minha vagina,entao gozeiconto erotico descobri que o marido de minha irma e honosexual acabei comendo ele e minha gostosa irmamulher não transa com pauzãoooomas o porquê que não me permitam baixar videos da zoofilia?gostosa gordinhas tirando cabeçacontos eroticos sentei no colo do pirralhoquero ve os telefoni das mulhe de curitiba casada que gosta di da a buceta para oto omhe deixa teu telefonerapazinho mimado dando o raboposicao frango assado putaria brasileira pra salvar no celularzoofilia veterinaria tendo orgasmo com cavalodepilando a minha tia gravida contos eroticostitio comendo osobrio nosofa vidio gaycontos eroticos de santinhasContos animados papai tio e padrinho me foderam muito quando novinhacomentários350 anal de meninaspornor média vai examinar uma grávida e estrupadaver conto erotico sob faxineiros velhos tarado e pirocudoa gordinha morena kuduro dando para o negãomenininhas nem tem pentelhinho na buçetinha ja sendo penetradasfilhaabre as pernas qie vou te fider gostososó os conjuntos regassado metendo gozando na bunda mais bonitamulher esculhanbando is outros no comentario do nariz thifany"virei mulherzinha" cadeiacontos erotico de zoofilia mulher estrupada por boismae do meu amigo gostosavidecontos eroticos tesao no filhoporno mae e filha oubrigada pagar agiotacontoseroticos de prima e seus primoscontos roludo arregaçando recem casadinhacontos me enrabou com strapon@nubianinfa.comconto cumendo irmao de pau cabecudo irma. virgempeguei na cinturinha e soquei tudo sem ela perceber no cuzinho ai amor nao quero mais vc me maxhucou xvideossaudades faze sexo com a minhia esposacuzinho+delicioso contoscontos de sexo raspei minha bucetamacho cheira pica homem ensebadatira ochorte pica nela pornouma diziam que iriam cavalgar pra dar pro seu namorado nomeio do mato sua bucetonavideos de negao com tres negras bundudas rebolando de xotinhos curtinhos bem gotosasvideos de bucetas intaladas na rola grossacontos eróticos bolinando e fudendo com minha cunhadinha novinha novinha e virgem encinando ela fuder gostosoPorhb vovo porfavor nao fasa iso eu ainda sou mocinha eu nao quero contos eroticosmenage masculino contosfilme de pornô mulher se masturbando e metendo a mão quero ver o filme agora filme quero ver agora filme de pornô metendo a mão aguardando né tá na mão transando ela se masturbandosou virgem porque meu tio so chupava minha bucetinhacontos eroticos/comeu novinha peludinhavídeo de putaria as baixinha índia gostosa pronto para tocar de ouvidocontos anal casal que gosta fazer anal cagandobaixar video porno louca paixaosexo oral 2016 nos mamilos bicudos das mulatasVanessa queria brincar mais não imaginava que ia encontrar pela a frente um monte de safadinhos taradoscontos eroticos amiga apostando o cuperdi a virgindade pq quiz conto incetovídeo pornô com boneca de silicone de 80 kilos pela XVídeo pornôpassando protetor solar na teenzinha meti no cuzinho gratisnegona do zoinhao gritano na picatravestis dominadora fez homem casado virar mulherzinhadesde novinha ja fudiaconto herotico minha namorada e meu paipornô panteras tio começa o vinho depois que eu chego em casadescabacei a buceta da crentizinha magrela a fora - contos eroticosFantasia sexual: lamber um cu cacagolindo homemcoxa grossa dando pornoRihanna novinha tentando dar o c* virgem para o padrasto mas não aguenta de dois choracontoseróticos invasão anal 3casetudo comendo cadela no ciopornos filmes dos xpartacusconto erodico fodir com o namorado da minha amiga e ela chega na oravidioporno/fodanaconstrucaoputas peladas meladas de margarina no cuxvd irma bati punheta para o irmao e nao rezisti e da pra eleporno paudentri da bucetaContos eróticos gay comi meu tiocorno e engulidor de rola contobaixa lourinha cafungada com o negao