Casa dos Contos Eróticos

Click to this video!

Rabo incendiário.

Autor: Romeu
Categoria: Heterossexual
Data: 18/04/2007 17:49:34
Nota 9.40
Assuntos: Heterossexual, Swing
Ler comentários (1) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Esta não é uma simples história de ménage, é quase uma declaração de amor.

Relato somente agora, depois de tanto tempo, porque alguma coisa parecia travar-me. Algo como se estivesse contando um segredo muito íntimo e violando um momento explosivo e inesquecível em minha vida. Ou, melhor dizendo, em nossa vida, já que o caso envolve a minha boa e amada mulher.

Depois de conversar com ela, decidi escrever este relato recheado de tesão e emoção.

Tenho 35 anos, a mesma idade dela. Estamos casados há bastante tempo, o suficiente para termos filhos adolescentes.

Somos muito unidos, mas isso nunca impediu que déssemos nossas escapadelas. Tudo muito natural, sem envolvimento emocional. Porém, nesses casos, há sempre um porém. Minha mulher tinha uma amiga que sempre me atraiu. Seu nome era Vera e, por coincidência, gerente de um fast-food próximo do meu local de trabalho.

Cheguei a dar uns toques em Jurema, minha mulher, mas de nada adiantou. Talvez eu estivesse sendo muito sutil. Mas o fato é que tudo o que eu dizia sobre Vera parecia entrar por um ouvido e sair pelo outro. Percebi que a pretendida aproximação dependeria apenas e tão somente de meus méritos. Fui à luta.

Passei a comer quase todos os dias aqueles amaldiçoados hambúrgueres mesmo correndo o risco de contrair uma úlcera. Vera era simpática, atenciosa e parecia estranhar o meu repentino gosto e apetite por dois lanches. Era a minha deixa e parti para uma abordagem mais direta. Na primeira oportunidade, tasquei-lhe uma pergunta no mínimo embaraçosa: “Como vai a sua vida sexual?” Um sorriso tímido foi sua resposta, logo emendada pelo atendimento de um providencial telefonema. Ela é jovem, tem cabelos loiros longos e um corpo superjeitoso, que, com certeza, provoca tesão em muitos homens.

Aproveitei a hora do fechamento da lanchonete para dar minha cantada fatal. Levei uma garrafa de vinho e, enquanto ela fazia o acerto do caixa, fui servindo-lhe a bebida. O papo com ela e a idéia do que estava para rolar deixaram meu membro duro como pedra. Não resisti e arrisquei um “olha como você está me deixando. É sempre assim. Tenha dó e dê um pouco de atenção a este seu amigo”. Nem precisei continuar meu discurso. Enquanto dispensava os dois últimos empregados, dizendo que ela mesma fecharia a casa (a porta de aço já estava baixada), encostou sua bunda maravilhosa em meu cacete. Minha sorte foi que Vera já estava há algum tempo sem namorado fixo, o que significava, com toda a certeza, que estava um bocado carente. Eu estava muito a fim de transar com ela ali mesmo, mas a prudência recomendava outra saída. Motel, nem pensar, tenho trauma desses lugares desde que fui vítima de um assalto em um deles. Restava a casa dela, porém ela ainda estava indecisa, pensando em como isso poderia acabar sua amizade com minha mulher. Tentei explicar-lhe que não era por aí, mas de nada adiantou. Para resumir a história, acabei por não comê-la naquela noite, porém esporrando na cueca e ficando com uma ridícula e comprometedora mancha na calca, como um adolescente depois do malho na namorada.

Deixei a transa para o dia seguinte, ou para quando desse. E, no dia seguinte, lá fui eu, no fim da tarde, desta vez com uma garrafinha de uísque, algo mais substancial e proporcionalmente mais explosivo quando o assunto é sexo. O problema agora passara a ser meu e eu já tinha um plano. O recurso do sentar no colo voltou a se repetir, só que desta vez por baixo do vestido, em contato direto com a maravilhosa bundinha que não vestia nenhuma calcinha. Foi um choque e uma lembrança óbvia e adolescente. No carro, ou melhor, no estacionamento. Naquela hora, a garagem já deveria estar às moscas. Rumamos como loucos, como dois namoradinhos, para o carro e lá Vera voltou a sentar no meu colo.

Assim que ela se acomodou sobre o meu colo naquele estacionamento vazio, abri o zíper e fiz com que meu caralho pulasse para fora. Vera estava super excitada e por isso mesmo lubrificada o suficiente para que meu cacete deslizasse para dentro dela com uma incrível facilidade. Segurando o volante do carro, ela rebolava para que meu cacete entrasse e saísse com uma incrível velocidade. Sua boceta era um vulcão, quente e envolvente.

Uma coisa decididamente arrebatadora.

O zíper estava incomodado e, por isso, decidi abaixar totalmente a calça. Ela voltou a sentar e a rebolar. E, quanto mais ela rebolava, mais aquela bunda me atraía. Lambi sua orelha e pedi a ela que deixasse colocar só um pouco em seu cuzinho. Vera topou na hora. Ajeitou-se como pôde e foi descendo a bunda para que eu pudesse encostar minha glande em seu buraquinho. Como meu pau estava muito duro e já bastante lubrificado com sua seiva abundante, não foi muito difícil penetrar aquele botãozinho. Ela gemeu um pouco, mas, quando passei a masturbar sua bocetinha, ela relaxou e abriu o caminho para que eu entrasse com tudo. Eram dois corpos unidos num só prazer. Nós dois corcoveamos e fizemos o carro balançar mais do que numa estrada esburacada. Gozamos juntos, em uma só explosão. Nem sei quantos orgasmos Vera teve, assim como a quantidade de porra que jorrei em seu canal.

Lambuzada e satisfeita, Vera despencou para o banco do lado. Deu-me um beijo e disse que queria ser minha amante. Foi aí que as coisas poderiam ter se complicado. Entusiasmado com a proposta de Vera, na mesma noite contei à minha mulher tudo o que havia acontecido. Estava convencido de que era um momento delicado mas definitivo para provar a mim mesmo e à minha mulher que um casamento não é apenas sexo e que ele pode ser compartilhado de muitas outras formas. A inclusão formal de uma terceira pessoa em nosso relacionamento poderia decretar o fim das escapadelas e das traições consentidas.

Acho que meus argumentos a convenceram e logo no primeiro final de semana, após a transa com Vera, tivemos nosso primeiro ménage. Tudo correu maravilhosamente bem, coroado pelo sexo anal com nossa amiga. Uma doce loucura que durou bastante tempo. Até que, para nossa frustração, Vera se casou, uma nova condição que poderia complicar nosso relacionamento, já que seu mando é um tanto ciumento. Mas, como tudo na vida muda, quem sabe não possamos ainda, um dia, tentar um swing? A lembrança de todas aquelas noites, principalmente da minha primeira transa com Vera, faz meu corpo renascer. Sei que essa história está levando até vocês um pouco da experiência de um homem adulto e saudável, para quem o sexo pode ser a melhor coisa do mundo, quando consentido e equilibrado.

Comentários

18/04/2007 18:01:31
Muito bacana sua estória Romeu, gostaria de ter em casa uma mulher liberal como a sua um abraço!!!!!!

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.




Online porn video at mobile phone


cambaxirra vaca brabaencoxada casa dos contosnovnha ganhando varada no niversario de 18 anos jorrando porraComo era as bucetas no tempo da minha avóvídeo pono tento fugi do negao mais se treme toda de tanto gozáporno virge mentiu ter ido pra escola pra mae acabou comendo sua irmaBlog atualizado da casa dos contos eroticos paguei ´pra deflorar a filha do caseirotia gemendo peituda vizinhavídeos amador de homem tirando a calcinha da mulher no ônibus e ela fingindo que tá dormindorealizei minha fantasia com meu tio e seu amigo negâoCaralhudos na bucetinha virgemcuzinho apertadinho rosto lindinhodotado dando leite pra esposa gostosa do corno que tomatudovelha descabaça a buceta na pica do cavalocontos eroticos inicio na infancia xantageada e abusada Pelo negaodotado enfia baita pirocona inteirinha dentro, magrinha gemendo sem parar com o pauzão lhe rasgando todaprensada no colchão porncontos eronticos buraco na paredeconto erotico meu primo me enganou e comeu meu cucontos de sexo depilando a sogracamadre simone que fuder caseirocontos por causa do meu picao fude todas amigas da minha mãexvideo ensinando boiarvidio eline falando seu nome eem qunto fode vidio pornopornodoido tecnico esfola novinhaporno sacana mao na bucetta no cu nojento ao vivovideos curtos de cunhado fudendo gostoso o cu de cunhada negra brasileirafazendeiro me comeu montado no cavalo contos eroticoscontos eróticos mulher endividadacontos eroticos de negra crente do piraítexto de mulher quatro mulheres e quatro mulheres se for do mundo assim podendo em uma chupando o pau da ou julgamos o xiri da outracriola bumbum gg virgem primeiro anal com dotado gritaf***** pelos peões da obra contos eróticos gaysmeu tio comeu minha bucetinha virgem parte 2 contos eroticoscontos erotico meu bebe com fimosegossno nu cu fa mulecahomem tem namorada ela ta dormindo. e a cama da irma é do lado irmao ataca a irma porno evito. melhor saitevontade dechuar bucetagostsona dando o cu pro negao roludo egritandohomem se enxuga nu e a mulher abre a porta senquerer pornoFoda agressiva ponodoidocasa dos contos dei meu cu e meu xoxotao inchado por rola sou putona taradaezibi vizinhas goistozapornozinho.irmao.da.pica.gigante.mente.na.irmase voce fizer sexo nova e depois so mais velha fazer o cabacinho fexavideos latifa comendo merdaamoxoxota gtaporno mae Chaegando em casanegao pega a loira gostosa de conchinha e corno adoraporno serena ali ta doendoContos eroticos comendo cu da mamae com o papaisou amante d minha cunhda contopatricia de faculdade gostosa gemendo muitogueixa mijonagostosas chupando barman na festamorena linda tampa a boca do irmao e senta em sua rola enlouquecidatarado alisando e pasando a mao e metendo o dedo na xoxota da filhota novinha timida depois empurra o pau devagar ate gozar dentrovídeo pornô caseiro sabor chupança buchodoce nanda parte cinco contos eroticosconto erotico molestada usando legginga Ponta Grossa entrou todinha na tabaquinha delafavelenta xvideomulherer pediu mais piroca mais nao rinha mais e endiou a mao ate o corovelo pornoconto erotico mendiga novinhaconto gay virei namorado do tio viuvodelegada indo pega sua prisioneira pornodoidocontos eroticos br. meu primo me fudefudendo a matasrtaele a enrabala e ela a cagar.se pornosubrinha olhando seu tiu nubaixinha chupadora de espermaContos eroticos a gozada incetuosa e mais gostoza que quaque outra gozando dentro da irma cem camisinhaimem roludodocontoeroticos de novinhas falado o quanto doi dar o cuzinhos .com/caseirosirmalouca pra perdero cabaco pro irmarvideo de mulher gozando esborrifadosexo ela nao quis da so acariciargarota q foi fudida no fundo d casa por um cachorro pastor alemaoxvídéo homem agarrar a mulher com outro homem e pegar o cu delegenro e sogra contoeu qeuro vidio di sexovideo porno mulher dando primeira vez na frente do marido casa de cuingue curitibavídeo da pelada gostosona morena aquelas bem gostosa e morena e bem gostoso se tu não fazer carvãoMeu marido é um corno e viado do primo deleGeisy Arruda mostrando a buceta alteradavídeo de homem sendo estuprado no quartel brechando a b*****pprno padrasto saradao escuta entiada gemendo