Casa dos Contos Eróticos

Click to this video!

Aventuras de ninfeta

Autor: Carol
Categoria: Heterossexual
Data: 02/10/2007 03:00:36
Nota 6.00
Assuntos: Heterossexual
Ler comentários (5) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Olá, pessoal. Meu nome é Carol, sou prima da Vívian, a menina que foi deflorada no ônibus. Eu e minha prima somos muito amigas hoje, mas um dia isso não foi acontecia. Temos histórias muito quentes juntas, um dia a gente conta aqui (risos).

Bem, minh mãe é irmã do pai de Vívian, mas eles quase não se falam. Isso acontece porque meu pai é rico, e meu tio é pobre. A própria irmã dele, mamãe, não gosta de se misturar.

Por sermos ricos, mamãe é cheia de frescuras. té motorista nós temos. E é aí que meu relato começa. Sou safadinha hoje, aos 22 anos, mas nessa época ainda não era - tinha 14 aninhos.

Eu era uma menina bem moleca mesmo. Gostava de brincar e ainda nem pensava em sexo. Ficava chateada com mamae por ela ser tão metida e não me deixar brincar com pessoas que não fossem da minha classe social.

Uma noite em que meu pai não estava, tinha viajado a serviço, acordei assustada de madrugada e acabei ouvindo uns barulhos estranhos. Saí do quarto e fui até a porta do quarto de minha mãe. Ouvi gemidos e umas confissões que me chocaram:

Ai, Ernesto, mete na minha boceta melada. Mete teu caralhão. Seu safado.

Aquilo me assustou muito. Mamãe pedindo ao Eernesto que a fodesse! Ernesto é um senhor de 55 anos, muito distinto e sério: motorista da família! Mamãe se misturando com o que ela chamava de ralé?!

Ernesto respondeu que ia comer bem comida aquela boceta da madame, que era pra ela lebrar e sorrir quando o visse no outro dia, toda de nariz empinado.

Voltei para o quarto chorando. Semprei imaginei que meu pai e minha mãe fossem muito apaixonados um pelo outro. Coisas de menina bobinha mesmo.

No outro dia, ao ir para a escola, olhei bem feio para "seu"Ernesto, como o chamava, e fechei a cara. Ele me perguntou se algo tinha acontecido, mas nada falei. Eu sempre conversava muito com aquele homem que eu via como um vovozinho muito legal. Passaram-se alguns meses e todas as noites em que papai viajava eu ouvia Ernesto e mamãe fodendo. Eles chegavam a se arriscar a foder em outros cômodos. Aquilo me incomodou tanto que um dia, depois de uma dessas noitadas, pedi par ele parar o carro no caminho da escola e conversar comigo. Falei para seu Ernesto: Por que o senhor não deixa minha mãe em paz?Eu vejo vocês juntos à noite. Ele me olhou desconfiado e começou a conversar comigo, dizendo que era natural aquele tipo de situação e que minha mãe era muito solitária e precisava de companhia. Papo furado, é claro! Eu respondi dizendo que eu sabia que eles estavam trepando. Comecei a chorar. Ele me abraçou e ficou fazendo carinho em minha costa. Estávamos no carro, parados perto da minha escola. Não sei que loucura me deu, mas segurei o pau dele por cima da calça e disse: É isso aqui que ela quer, né? Ele me olhou assustado, mas confirmou. Eu abri o botão e o zíper da calça de seu Ernesto e puxei o pau dele para fora. Fiquei olhando e segurando aquilo por um tempo. Um pau arroxeado, já meio endurecido por eu estar mexendo nele. Seu Ernesto levantou meu rosto e me deu um beijo na boca. Sa língua me invadiu a boca, penetrando-me com força. Gemi. Eu, garotinha de 14 anos, os seios ainda em crescimento (eles são grandes hoje), bunda pequena, magrinha, sendo beijada por um homem de 55 anos, segurando o pau dele na mão. Seu Ernesto era magro, bigodinho no rosto, cabelo grisalho, pardo e d altura mediana.

Suas mãos apertaram meus peitos, depois me carregaram e me colocaram no colo daquele senhor safado. Senti o pau dele por baixo de minha saia de colégio caro.

- Você quer experimentar umas coisinhas parecidas com as que faço com sua mãe? Claro que assenti. Ele era o motorista, mas se minha mãe gostava, eu também iria gostar. Ele continuou: Vamos sair daqui, então. Seu Ernesto, então, se recompôs e saímos daquele perímetro. Ele dirigiu até um supermercado com um estacionamento subterrâneo deserto. No caminho, meu coração palpitava e minha boceta de menininha se molhava. Sentia minha cabeça rodar de tanta expectativa. Quando chegamos ao estacionamento, ele foi logo me puxando a blusa da escola pela cabeça, me deixando só de sutiãzinho rendado. "Que gracinha gostosinha", ele disse. Puxou meu sutiã para cima e apertou um de meus peitos com muito carinho, depois os lambeu bem devagar no começo, aumentando a força os poucos. Eu gemia descontrolada. Nem imaginava que podia ser tão gostoso alguém chupar meus peitinhos. Ele parou de chupar para me deitar no banco de trás do carro. Tirou minha calcinha com estampa de ursinho e ficou acariciando minhas coxas. Abriu bem as minhas pernas e começou a lamber minha virilha, minhas pernas e, por fim, minha bocetinha pequenina e molhadinha. Às vezes ele parava par dizer que eu era tão putinha quanto a minha mãe. Eu ficava chateada com isso, mas não pedi para ele parar de me chupar porque era muito gostoso. Acabei gozando na boca daquele homem safado depois que ele passou a enfiar o dedo e a língua na minha xota virgem. Tentou enfiar o dedo no meu cuzinho, mas eu não deixei. Resolvi então que queria pegar mais naquele pauzão que deixava mamãe tão louca assim. Me levantei e pedi para ele tirar o pau da cueca. Segurei aquele pau perto do rosto, deliciada em ver algo tão duro assim. Cheirei aquela pica, beijei, passei a língua de leve, os dedos pela cabecinha, enfiei na boca, mas ainda não sabia chupar direito. Seu Ernesto estava quase gozando, segundo ele, porque achava delicioso que uma ninfetinha tao lindinha estivesse encantda pelo pau dele. Sorri e chupei aquele caralho com força durante uns cinco minutos. Seu Ernesto gozou na minha boca e acabei cuspindo aquela coisa quente e de gosto ruim. Ele riu. Vestiu-se e me disse que era hora de pararmos. Eu perguntei se ele não ia enfiar o pau na minha boceta melada. Ele respondeu que não, que eu era virgem e muito novinha. Daí mostrei que a mulher safada e determinada que havia em mim já estava ali. Disse que ele a partir de agora era meu também e que iríamos fazer aquilo sempre. Ele riu e disse que tudo bem, contanto que ninguém nunca soubesse, mas disse também que não ia me comer, pois eu era muito novinha e virgem. Eu respondi que poderia esperar mais um tempo, mas que ele ainda teria que me comer.

Fomos embora dali daquele estacionamento, e fiquei pensando e quanto tempo ainda demoraria para eu sentir tudo aquilo de novo. Não demorou muito, pois seu Ernesto também tinh gostado da brincadeira. Mas o safado ainda estava comendo a minha mãe sempre que meu pai saía para viagens. Eu passei a me masturbar sempre que ouvia os dois. Até que um dia seu Ernesto enfim me deu o que eu tanto queria: seu caralho bem no meio das minhas pernas e muito gozo. Mas essa história eu conto depois.

Carol Safadinha desde cedo

Comentários

23/10/2007 18:53:23
Borg1, se vc gosta de foda com cultura, deveria saber que a forma "buceta" é considerada coloquial, pois a forma dicionarizada é a forma "boceta" que significava bolsinha. bjos
23/10/2007 13:12:58
Gosto de foda com cultura....Adoro buceta e não boceta....Mas da Carol até boceta eu quero kkkkkkkkkkkk
02/10/2007 09:31:14
rapaz isso é um site de contos eroticos, da uma passeada sobre algum de cultura e deixa a mina quieta.. carol estamos esperando mais contos... se quiser adicionar [email protected]
02/10/2007 09:01:45
Olá, Borg1. Qual o problema de português que você achou? Não entendi o comentário. Beijos, gato.
02/10/2007 05:01:37
Carol não é mais safadinha é safadona de primeira rsrsrs...Já aprendeu a fuder e tudo...Agora vê se arranja um tempinho entre as fodas e melhora o português, tá "safadona"? rsrsrssr

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.




Online porn video at mobile phone


comtos papai me fez a pita do analcontos pequenina e punheteiraassistente de palco do programa vai para o teste do sofa pornohomenzão da porra xvideo gaysó bucetinha novinha na ommmmmbucetaque tenham o monte pubiano volumosogostosa.foi.faser.xixi e.tarado.atacolcontos de calcinhas da tiax video mobili com mulher gostoza colocando chifre no marido com o amanteXVídeos a comadre de vestido bem curtinho com a boca fica do lado de fora no ônibuscontos contos meu marido me arrumou um novinhoContos jovem faz anal varios homens e cuzinho fica dilatado e dilaceradoContos eróticos de tulaconto erótico não mexa nas calcinhas da mamãe part5conto eroticosdei no primeiro encontroFotos d cazada sendo fodida p roludonovınha transando com ırmaoporno secretaria aser estupprada no escritorio e gozada dentro da vagina sem ela quererme abandona grandona da n***** moreninha virgem recebendo na bunda e sangrandocontos meu amigo flagrou eu comendo minha tia e quiz tambemcontos incesto mae gtsdoce nanda parte IV contos eroticosquero ver novınha que sao empregada fudendocontos eroticos casada estuprada pelo empregadoalargada e assada e arrombada contoContos reais de sodomiacontos eróticos chantagiei o papai pra ele mim enrraba todinhalavano a becetalesbica estuprada pelos cachorros do vizinho conto eroticogozada no cu com recuada gaytio seu pau nãovai caber na minha buceaFoto picudo estotando a bucetinha da casadaNovinhas fazendo safsdesas na sala de aulavideo da minha jeba arrombando o padrecoconto erotico com nora puta e gostosaAs Panteras o padrasto irmaos maevideos porno cuzao levando pauzao da cabeca enorme chapéu cogumeloconto erotico amiga da esposa da muito molevvgg sexopadrasto sodomitabem novinhas e rolaças xxvideosperdi a virgindade pq quiz conto incetovirgens+perdendo+o+cabacao+da+buceta+e+do+cu++virgensconto erotico viado afeminado chora na piroca do negao dominadorfudeno bucetas e gozando nas entradinhasdei por meu vizinhotiara do cu ta doendo pornocontos erotico mestre de obra.pausudfilha dengosa e gostosa sendo acariciada pelo pai sexo pornocontos erotico meu sogro mi arobou cm seu pau d elefantecorno eu confessotexto de mulher quatro mulheres e quatro mulheres se for do mundo assim podendo em uma chupando o pau da ou julgamos o xiri da outrapicas monstruosas gozando nas tripascontos eroticos gays virei putinha de variosContos minha esposa negra bundudona no forro eu corno contoNovinhas fazendo safsdesas na sala de aulaxvideos gostosas esbugalhou os olhos quando o pau grande entrou tudo de uma vezXvideo com a mulhe grita esperneia pra nao emtra na picaksalswing2011contos coroa implorando por uma picadei o cuzinho meladinho contosxxvidio em quadrinho mulher de primo caderante muito safadaPadre não é homem conto eróticosxsvideo de porno itiada fudeno com padrastopornor média vai examinar uma grávida e estrupadaxvideo montadord moveiscontos eroticos mamae subjugadalinda loirinha chorando no pau do cara e gemendo muito querendo mudar fundo maluquinhamolekes.pelados.com.a.rola.melada.de.espermaxxx bunda grandeconto em familia