Casa dos Contos Eróticos

Click to this video!

Chantagem

Autor:
Categoria: Grupal
Data: 02/11/2007 07:50:46
Última revisão: 25/03/2010 18:01:44
Nota 9.33
Assuntos: Grupal
Ler comentários (12) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Isto realmente aconteceu comigo e acabou mudando a minha forma de ser e de sentir.

Voltemos ao ano 2.000 para poder entender toda esta narrativa.

Antes de qualquer coisa, meu nome é Fernanda, sou loirinha e tenho um corpo bonito, fruto de muita malhação em academia, do balé, do tênis e da natação. Desde os 13 anos atuo como modelo tirando fotos que saíram em diversas revistas e catálogos o que além de me render um pouco de dinheiro, me rendeu também notoriedade na escola. Com isso, me tornei um pouco fresquinha, limitando minhas amizades.

Namorei Maurício por um ano e meio, e nas férias de julho de 2.000, com 17 anos, perdi a virgindade. Em agosto, o crápula me dispensou. É desnecessário dizer que fiquei louca da vida.

No início de setembro, Sílvio que me paquerava desde o ginásio se aproximou. Ele é um gato, porém a fama que ele tinha de galinha me assustava um pouco. Decidi dar um pouco de corda a ele pra ver se provocava ciúmes no Maurício. Aos poucos a impressão que tinha de Silvio foi mudando. Ele era gentil, maduro, não tinha vícios, me dava toda a atenção... Tudo que uma garota podia querer. Começamos a namorar em meados de setembro e juntos começamos a estudar para as provas bimestrais.

Na véspera do feriado do dia 12 de outubro (uma quinta-feira), combinamos de na sexta-feira pela manhã, já que não haveria aula, ir nadar e almoçar no clube e na parte da tarde estudar química em sua casa (a prova era segunda-feira).

Na sexta-feira, coloquei um shortinho branco e uma miniblusa, o calor já era grande às 9 da manhã e fui para o clube. Nos encontramos lá, nadamos e almoçamos. Por volta da 1 da tarde nos dirigimos à casa de Sílvio. Em sua casa, me levou ao salão de jogos para estudarmos. Era uma sala incrível, tinha mesa de bilhar, barzinho, dois sofás grandes, televisão, geladeira, banheiros e uma mesa de carteado que usamos para colocar nossas coisas. Abrimos os livros e em menos de um minuto começaram os beijinhos e a mão dele começou a alisar meu joelho e minha coxa esquerda. Pedi pra ele parar... Mas ele beijava meu pescoço e continuava a passar a mão nas minhas pernas. "Pára Sílvio... Alguém pode chegar..." disse. "Fique tranqüila gatinha, meus pais foram viajar e eu dispensei a empregada. Estamos sozinhos...".

Um misto de apreensão, medo, tesão e insegurança passou pela minha cabeça. Meio assustada pedi a ele um copo com água. Ele se levantou foi até a geladeira ao lado do barzinho, pegou uma garrafa de água e dois copos.

Eu me levantei e o ajudei a servir. Tomei a água e me virei para voltar ao meu lugar quando de repente ele me agarra por trás. Sinto o pau dele durinho na minha bunda e suas mãos procuram meus pequenos seios. "Pára Sílvio...", eu disse nervosamente. "Calma docinho... Deixa eu te encoxar um pouquinho... Você não gosta???", retrucou. Diante da pergunta e da resposta óbvia, o que me ocorreu no momento foi dizer que eu não estava preparada para perder a virgindade. "Tudo bem", disse. "Prometo não tocar na tua bucetinha, mas então chupa meu pau...". Neguei, dizendo-lhe que bateria uma punheta... Mas ele me disse que punheta ele mesmo batia. "Me dá sua bundinha... Eu prometo ser bem delicado...", sugeriu. "Não... Isso dói demais..." respondi. "Como você sabe se dói ou não... Você já deu?", perguntou. "Ouvi dizer que dói..." Respondi.

E esse diálogo se estendeu por alguns minutos até que, sem saída... Com tesão de experimentar (porém com um medão), após ter olhado o tamanho e a largura do pinto dele concordei; mas se doesse muito ele teria que parar. Confiando nele, comecei a tirar a roupa enquanto ele corria até um móvel para pegar uma camisinha e lubrificante.

Rapidamente ele armou o sofá, transformando-o em uma cama, tirou a roupa e colocou a camisinha. Me vendo totalmente despida, raspadinha, ele disse: "Nossa você é mesmo linda... Que corpo... Que tesão.... Vou gozar só de olhar".

Nos deitamos na cama e ele começou a me lamber a barriguinha, a mordiscar meus seios e chupar a minha bucetinha... Até que não aguentei e explodi em gozo. Ele pegou duas grandes almofadas e jogou sobre o sofá pedindo que eu deitasse sobre elas deixando a bundinha bem empinadinha. Obedeci e senti um gel geladinho penetrar na minha bunda juntamente com um dedo dele. Gemi de dor e ele jogou mais gel e com carinho ia massageando o anelzinho e com a outra mão começou a mexer no meu clitóris. Fui acostumando com o dedo dele e me excitando com o toque no clitóris. Logo ele estava com dois dedos dentro da minha bunda, fazendo um movimento ritmado de vai-e-vem, pedindo sempre pra eu relaxar. As almofadas eram bem altas que quase eu não o via. Senti os dedos saírem da minha bunda e ele se posicionando bem atrás de mim. "Relaxa agora benzinho...", disse ele enquanto passava o pinto nas minhas nádegas. Com a mão ele encaixou bem no buraquinho e deu uma forçadinha. Dei um gemido, mais de frescura do que de dor. Ele deu uma paradinha e outra forçadinha. A cabecinha alargava o meu anelzinho e dei outro gemidinho. Ele me perguntou se estava tudo bem porque ainda não tinha entrado a cabecinha e eu disse que sim. Uma nova forçadinha e senti o pinto dele escorregar para dentro e uma dor incrível. Gritei de dor e ele parou por alguns instantes. "Relaxa que falta pouco, putinha..." disse. Putinha??? Como ele se atrevia a me chamar de putinha... Antes de eu poder retrucar ele enfiou tudo de uma vez. Dei mais um grito e pedi para ele tirar. "Fica quieta sua puta... Eu tiro a hora que eu quiser... Rebola esta bunda pra mim... Desde o ginásio você me ignorou e hoje é minha vingança. Podem sair meninos, venham tirar foto e filmar esta cadela dando pra mim", disse soltando um forte tapa nas minhas nádegas e começou a me comer sem dó.

Neste instante, de um dos banheiros, apareceram o Bruno com uma Polaroid tirando fotos, o Léo filmando e o Marcos controlando a iluminação. Morta de vergonha e assustada, xinguei-os. Sílvio me disse: "A menina mais bonita da escola é uma putinha... Hoje vai dar pra todo mundo aqui e o que é melhor, vai dar pra nós sempre, senão o filme e as fotos vão correr a escola. Lembre-se que não foi estupro, pois você concordou e o áudio tá gravado".

Comecei a chorar desesperadamente que não mais me importava com ele comendo minha bunda. Bruno tirava fotos e me mostrava falando que ia montar uma revista pornô e que eu seria uma grande atriz. Senti Sílvio aumentar a velocidade da metida e gozou retirando seu cacete de dentro da minha bunda, arrancando a camisinha despejou porra no meu rosto e ainda enfiou o pau na minha boca me mandando limpá-lo.

Os outros três já estavam pelados e tirando a sorte com quatro ases e uma dama de um baralho. (O ás de paus dava o direito de comer a bucetinha, o às de copas de comer a bundinha, o ás de espadas uma chupetinha e o às de ouros uma punheta e a dama esperava a próxima rodada). Léo ganhou tirou o ás de paus e me colocou de quatro, mandando vara na minha bucetinha, enquanto Sílvio filmava e Bruno que tirou a dama, cuidava da iluminação. Quando Léo acabou constatou que eu não era virgem como dizia e a algazarra foi geral. "Puta... Vadia... Cadela...".

Marcos tinha tirado o ás de espadas, e por isso tive que mamar em seu pau sem camisinha. O puto me fez ajoelhar e segurando minha cabeça me fazia chupar... Chupar... Até que gozou na minha boca e eu engasguei, para risos gerais, e ainda tive que engolir a porra mesmo sentindo nojo e ânsia. Bruno não se agüentava mais...

Tiraram novamente a sorte e Sílvio ganhou o direito da minha bucetinha, Bruno a bundinha, Léo a chupada e Marcos a punheta. A dama sobrou. Sílvio me quis de frango assado e socava a pica com força em minha bucetinha. Eu pedia para eles pararem, mas simplesmente era ignorada. Na vez de Bruno, que tinha o pau maior, ele se sentou no sofá e me fez sentar no colo dele. O pau dele foi entrando na minha bunda já alargada pela foda anterior. Gemia de dor a cada vez que ele me abaixava e sentia os seus pentelhos roçarem a minha bunda. Ouvia a ordem de Bruno para rebolar na hora que entrava tudo. Léo ficou em pé no sofá e me fazia chupar seu pinto. Os outros continuavam a filmar e a fotografar.

Após Bruno e Léo gozarem, bati a punheta para Marcos.

Exaustos, resolveram ver o filme enquanto me deixavam descansar. Acompanhei o filme por uns dez minutos, me sentia imunda, nojenta, humilhada. Pedi para tomar um banho. Bruno se ofereceu para me acompanhar e não adiantou eu falar não.

No chuveiro, seus dedos procuravam todos os meus buracos, e ele me chamando de puta, vadia. Consegui me desvencilhar dele e me enrolar em uma toalha. Ao sair, os outros já me esperavam com os paus duros novamente e Sílvio puxou a toalha para baixo e disse: "A câmara já está fixa e apontada para o sofá. Agora é suruba". Como selvagens se atiraram sobre mim me arrastando para a cama e lá fizeram o que quiseram.

Às 6 da tarde, me deixaram ir embora, com a promessa de que quando quisessem de novo eu teria que dar ou as fotos e o filme iria correr a escola inteira.

Toda a semana era obrigada a ir "estudar" individualmente ou em grupo na casa de algum daqueles putos.

Até hoje, de vez em quando, alguém liga marcando horário e local, senão a fita e as fotos vão chegar ao meu atual namoradinho.

Comentários

25/03/2010 18:53:07
MUITO BOM, ESSA SUA EXPERIÊNCIA EM GAROTA... DESSE JEITO, COM CERTEZA ATÉ EU IRIA QUERER TAMBÉMABRAÇO!
20/04/2009 15:44:54
Muito bom!
10/01/2009 17:12:03
concertesa vc acabou gostando, quem dera eu faser parte dequele grupo,e te comer como eu bem entendesse [[email protected]]
26/09/2008 19:53:11
Você tem uma grande vontade de dar o cú, se você quiser dar o cú pra mim eu pago!
22/12/2007 17:31:50
Você é uma putinha e só precisava de um motivo ou desculpa para poder dar para uma porção de machos sem se sentir condenada por si própria e pelos outros. Igual a minha esposa, a qual se aproveitou no início do nosso casamento para poder ser uma safada gostosa e me responsabilizar por ser um marido relapso. Depois, nós nos entedemos e passei a ser o grande Cornão dela. Vocês bem que gostam suas putinhas !!!!!!!!!!!!!
obm
23/11/2007 15:23:44
fala serio neh cadela.. vc tava era louca pra dar msm.. onde que uma pessoa esta sendo molestada e não fala nada pra policia né.. mais aqui estou por aqui c queizer e só add no msn que te mostro o que e rola grande.. [email protected]
20/11/2007 13:46:48
Legal, bem escrito, sensual, dinâmico e possível. Gostei.
16/11/2007 14:16:08
essa garota ta é querendo pica mesmo ja enjuou dos caras agora quer mais vara! c quiser é so falar comigo blz?
06/11/2007 15:43:23
Pois gatinha, se vc não tivesse gosatado, já tinha ido apolícia. Mas como vc não foi e continua dando para os caras, bem que poderia dar para mim tb, prometo não tirar fotos e nem filmar... mas te fuder todinha isso eu vou...
06/11/2007 08:45:17
otimo conto NOTA 10 agora, me diz uma coisa, vc ñ sentiu nem um prazer nisso tudo?
05/11/2007 19:45:43
eu adorei seus contos, agora fála sério porque vc não dá pra mim tambem,minha rola é gostosíssima!meu e-mail é [email protected],beijos!
02/11/2007 08:24:08
E obviamente Fe continua dando prá todo mundo certo? rsrsrsr....Ora, ora, ora rsrsrsr....Mas que chantagenzinha bem filha da puta não? kkkkkkkkkkk

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.




Online porn video at mobile phone


negao enchendo cu do velhote de porracontos incesto xota enrabadarairodigocorno dopado meio sonolento vendo mulher fudendo com quatro machos e sorrindoporno com egua muito igienizadabaixar vídeo pornô pai pega filha comendo o c* dela ela grita de dor pede que não iria estoque o c***** delagrelao entrando contosvídeo de sexo negão lascando a b***** de magrinha Sonhadawww.contoseroticos fui viola por um mega caralhudocontoerotico chantageado por pcomadre milhadinha dando pra ocumpadre pornoseio exitadotathy ellen contosminhas condiçoes de corno contos eroticoXVídeos pornô brasileiro sogra ameaçando genro para transar com ele filha escuta todos os diasVIDIOPOMO DI PAULISTA Contos: Mulher casada adora da o cu para o marido, mais antes faz lavagem no intestino.Conto gay viagem Onibus leitomeu sogro isasiavel comtocontos eroticos sou viciado num cuzinho de machoesposa gostosa e novinha e tio roludo parte seteeu tava tomando banho e meu pinto tava duro minha mae rabuda chegou e eu fudi elaContos eroticos gay funk traficantefui na urologista e acabei comendo seu cu xvideocontos eróticos cantada na rua não resisti e traícontos eroticos estuprada pelo gariamigos fodem o casal bi que arranham na rua pornoporno chupando a bucheta da minha padroa em baixo da mesa na sala de reuniõescomo e a sensaçao de fazersexso pela primeira vezContos eróticos esposa e Sograloira linda enfia sextoy grande e gfoso at gosardoce nanda parte IV contos eroticoscontoseroticoss xvideos5intiaada chupando pau do ppadrasto desmaido de sonoconto erotico nora carenti fudendo cm sogro pirocudovideos de cornos que aguarda ansioso sua esposa voltar pra casa escorrendo porra de outro toda melada na bucetacontos de marido bem dotado querendo ver a mulher com duas picas no cu e bucetanovinha com pouco pentelho contosistorias mulheres estrupadas no cu virgem pau grande elas quase morreuiniciou programa travesti cuzinhohotwife e marido contosmulher fazendo vídeo pornô na gritalhadaChico não posta foto dela desce em pornô com As Panteras filme pornô com As Panteras 10pelego pauzudo nucontos eróticos muleconaquero ver vídeo de novinha mostrando a b***** patinho que rola patinho de rola b*****contos eróticos meu namorado me amarroue vendou e chamo os amigosnovinha dado cu viguimulher tira prega do cu do macho com straponlek que gosta de chupar paurelato lambuzei o corno e a putaencocho a irmanzinhaadestrador de escravasquero assistir vídeo pornô estupro anal com vibradores e zoofilia misturadoas buceta sussurranteContos eroticos novinha o velho mr pegocontos eu e meu marido fomos no jogo de futebol no onibus dei pro negao eninguem viusexo ela nao quis da so acariciarqual bumbum mais bate com a bumbum mais pula com a bumbum mais bate com a bumbum e as loira morena branquinha e azul é a cor morena marquinha Azul quando bate a bunda pula pula pulalevando pissada ate caga porno doidoContos eroticos tia tirou afinidade do sobrinho xvideo casadinha fica louquinha com eletrecista dotadoporno. cazano muita no vinhacontos eróticos de homens peões de obras fazendo sexo com outros homensmulher com marido nabalada sarano outro pornocoroa chora pos uma foda cm garotao xxvideos menorgaroto sapeca .pornoenfioo seu pirocao no cu do viado no chuveiromagrinha na dupla penetração vaginal com dois ficam pretosporno contos casal de inquiliocontos inocentes tapas no orfanatoContos eroticosPerdendo as pregas bem novinhavídeo vídeo da Mônica e balançando a bundinha com toalhaConto erotico filha apanha pq estourou o cartãocontos eroticos sentei no colo do pirralhocontos recentes de mulheres que descobriram que o marido queria ser corno e ainda gosta de um fio terraamigas segurando a amiga pa ser estrupada na despedida de solteirahobby tocar punheta saradominha esposa dis q ta gosano filme pornoeu sempre brincava com as coleguinhas de mimha irmã, e prdia para eles baterem punheta para mim