Casa dos Contos Eróticos

Click to this video!

meu genro, meu pecado - 2

Categoria: Heterossexual
Data: 27/11/2007 15:00:31
Nota 8.77
Assuntos: Heterossexual
Ler comentários (16) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

No relato anterior (meu genro, meu pecado), eu narrei minha experiência sexual com meu genro, que todavia momentaneamente prazerosa, me deixou com muito desconforto emocional.

Há dois meses, o pesadelo voltou.

Eu estava na cozinha, lavando a louça do dia. Já era tarde da noite. Meu marido Paulo e minha filha, namorada de André, já estavam dormindo. De repente, surge André na porta:

- Sem sono, André?

- Mais ou menos...

- Como assim “Mais ou menos”?

Sem pestanejar, ele falou:

- Tava lembrando daquele dia em que daqui fomos pra sala...

- André, o que eu tinha pedido?

- Marta, foi gostoso, não foi?

Expliquei:

- Foi, filho, mas não podemos continuar...Eu não quero continuar. Foi gostoso naquele momento e só. Hoje não tem nada de gostoso. Hoje me sinto triste com tudo isso. Triste com o que fiz com minha filha e com o Paulo.

Em vão...André entrou na cozinha e subitamente segurou o decote do meu vestido, forçando com as mãos em direções opostas, rasgando o tecido e expondo meus seios desprotegidos. Só tive tempo de fazer um “aaahhnnn” em razão da força dele.

“André, não faz isso comigo...” falei, já com os olhos com lágrimas e a voz embargada. Tentei cobrir os seios mas não adiantou. Ele me empurrou pela cintura e me pressionou contra a pia, indo com o rosto direto no meu tórax. Ele sugava meus mamilos avidamente, como se o mundo fosse acabar em instantes. Passava a língua na auréola e puxava o bico do meu peito com o vácuo da boa, deixando-os salientes.

Comecei a sentir minha vagina úmida. Ele não parava um instante. Agora com as mãos, apertava ora a base dos seios, ora minhas nádegas e pernas. Desisti de tentar tapar os seios e passei a segurar sua cabeça, pelos cabelos. Deve ter interpretado como um incentivo, tanto que passou a chupar com mais desejo.

-Eu vou te fuder aqui mesmo.

-Não, André. Isso, NÃO!

Infelizmente, não podia gritar. E se meu marido escutasse? Ia matar o André.

Apoiando minhas costas com um dos braços ele me pegou pelas nádegas e me levantou, colocando-me sentada na pia. Já não aplicava nenhuma resistência. Ao contrário, começava a gostar da situação, mas exteriorizava uma reprovação pelo que ele estava fazendo.

Afastou seu rosto para terminar de rasgar o vestido, abrindo-o até a minha cintura e puxando as alças para baixo dos meus braços, deixando o meu torso completamente nu. Levou os braços até minhas costas, como se fosse abraçar o meu corpo e com isso foi, novamente, de encontro aos meus seios. Para falar a verdade não são bonitos, com mamilos escuros, são meio caídos e com veias aparentes. O oposto, exatamente, aos da minha filha, namorada dele. Talvez o que movesse o André fosse apenas o desejo da instituição “sogra” e não eu, Marta.

Novamente, se afastou de mim, para tirar a camisa. Voltou a segurar os trapos do vestido, caídos no meu colo, na altura da cintura, e arrastou-os para baixo. Num gesto de consentimento levantei as nádegas, facilitando a retirada da peça toda, que desceu pelas minhas pernas e encontrou o chão da cozinha.

Fiquei só de calcinha. Uma calcinha de senhora, de barra larga, surrada e suada. E agora, molhada com meu líquido vaginal originário daquele prazer proibido.

Suas mãos percorreram minhas costas e se agarraram à base da calcinha. Com o mesmo movimento, facilitei sua lenta retirada. Depois de vários meses, meu genro redescobria minha vagina. Peluda, molhada e inchada de desejo pecaminoso.

Depois de muitos minutos de “agarração”. Ele parou, respirou, olhou nos meus olhos e disse:

- A cada dia eu sonhei ver essa xota novamente. Mas dessa vez, eu não quero te foder lá no quarto do Pedro. Eu vou te foder aqui mesmo. No chão da cozinha.

Emudeci. Ele tinha um jeito tosco de expressar seu tesão. Mas era o jeito que queria ouvir naquele momento. Não era um momento de amor. Era um momento de desejo, de sexo sem pudores.

Desci da pia e falei:

- Quer foder a sogrinha novamente, né, filho? Então, você vai ter que tirar esse short.

Agora era minha vez! Com 51 anos e muita coragem e tesão na cara, eu segurei meu genro de 21 pela cintura e arriei seu short. Me ajoelhei no chão e puxei seu pênis para fora da cueca, enfiando minha boca salivante nele de imediato. Estava duro como um vergalhão. Não era grande, não era largo, mas era o que eu desejava. E pior, desejava dentro de mim...

Após umas 3 ou 4 lambidas, tirei ele da boca e deitei no chão. O chão gelado e engordurado da cozinha me fez sentir frio, fazendo como que o bico dos meus seios enrijecessem rapidamente. Ainda mais que estavam com a saliva seca de meu genro.

André não perdeu tempo. Ajoelhou-se atrás de meus pés, como se estivesse me contemplando. Dobrou minhas pernas e deitou seu rosto em minha xoxota. Ahh...Como chupava bem. Ele não apenas chupava o clitóris. Ele enfiava a língua e sugava todo o líquido que saia dali. E olha que não era pouco.

Gozei. Gozei na boca dele. Gozei como na primeira vez que gozei com ele...Se bem que dessa vez acho que foi mais intenso.

- Aiii...Aiiii...AAAAAAAAAiiiiiiiiiiiiiiiiii...Filho, ta gostoso demais! Chupa minha xota...Chupa! Chupa! Chupa! CHUPA ESSA PORRA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Suava como uma porca pronta para o abate. E de fato, estava pronta para o abate. Molhada ao extremo.

Apesar de extenuada e satisfeita, ainda restava um exercício: Fazer o garoto gozar dentro de mim...E dar bastante prazer a ele. Afinal, nada mais seria justo.

Ele ergueu a cabeça e deitou-se sobre mim. Nossos corpos encharcados de suor combinavam em cheiro e temperatura. O dele, com aroma de macho que acabou de trabalhar muito e o meu, cheiro de xoxota...Aquele cheiro que lembra bastante a urina feminina, mas misturado com o suor de uma dona de casa devassa.

Seu pênis ereto entrou na minha vagina como uma faca quente parte uma barra de manteiga. Suave e destruidor. Entrou fácil até o talo. Unimos nossos corpos e ele iniciou um vai e vem muito forte.

A cada estocada eu fazia um “hmm!” “hmm” “ahhnn”. De prazer e pelo tranco de nossos corpos.

- Eu vou gozar nessa xota!

- Goza, filho...Goza logo que sua sogrinha ta ficando cansada...Goza logo que alguém pode chegar.

E realmente podia. E eu tinha até esquecido desse detalhe.

Aumentou as estocadas. Ahh...Como era bom levar essa “surra de pau” do meu genro.

-Vai, filho. Mete! Mete! Mete com força! Goza! Goza logo, André!

Sua respiração tornou-se mais ofegante:

- Ahh...Ahhh...Ahhhhhhh....UHHHHHHHHHHHH

Gozou. Gozou mesmo...Não gozou como um garoto de 21 anos...Gozou como um cavalo! Parecia um litro de esperma escorrendo pela minha vagina e caindo no chão da cozinha como se fosse leite condensado.

Rolamos no chão da cozinha e invertemos a posição. Ele, deitado como um guerreiro exausto e eu por cima, acariciando com carinho o seu peito com a perna cruzando sua cintura o abraçando. Era como se tudo aquilo fosse meu...Não era, é verdade. É da minha filha.

Minha filha! Ela não tem culpa de nada...Aposto que é uma amante excelente para ele...Mas não pude evitar...O garoto é danado...

Falei baixinho:

Filho, vamos levantar? São quase 2h da manhã O Paulo pode vir aqui pegar alguma coisa e acabar pegando a gente!

Rimos.

Levantei. Caminhei nua e com os trapos do vestido até o banheiro, onde tomei uma bela ducha. A calcinha? Deixei com ele. Como um troféu. Afinal, meu genro mereceu.

Depois conto mais...

Desculpa se eu fui muito longa ou redundante. É que enquanto eu digito eu lembro do momento e aí, não consigo não ser prolixa. As frases eu procurei deixar da forma que nós falamos, mesmo. Como no outro conto, não modifiquei nossos nomes. Acho que é uma forma até de criar uma preocupação em mim. Como uma punição, pela péssima mulher que eu fui...Péssima mulher...Mas uma tremenda de uma amante, né, filho?

Ah...perdi o meu login. Tive que criar outro. Comentem minha experiência! Alguém já fez coisa parecida?

Comentários

12/09/2013 03:13:25
Marta se vc ler meu comentário peço que adicione no face para eu lhe conhecer e poder ver suas fotos,saiba que eu amei seu conto notaporque 10 é pouco meu e-mail do face [email protected] desde já agradeço pela atenção
14/04/2012 08:06:15
Me adiciona no msn: [email protected]
26/05/2009 15:25:48
Nossa Marta ja passei uma experiencia muito boa tb mas nunca contei a ninguem...gostaria muito de compartilhar com vc! se pder me mande um e-mail [email protected] um bjo espero sua resposta
15/04/2008 14:08:43
Não, nino. Nenhuma relação. Mas esse conto me inspirou a fazer o meu desabafo, portanto, nada mais justo que homenagea-lo no título. Pena que não estou conseguindo enviar a terceira parte...
30/11/2007 12:26:47
Olá Magda,parabéns pelo conto,muito excitante.Já postou aqui antes?Tem alguma relação com o conto "Meu sobrinho,meu pecado"?O personagem lá também chama-se André.Gostaria de trocar algumas idéias com você,por favor me contate: [email protected] ou [email protected] seu contato,um beijo grande.
28/11/2007 01:43:24
Mto bom o conto...Mto bem escrito...Bem excitante...Gostei q nesse vc ñ fez sexo anal como acontece na maioria dos contos...Acho q dá mais um toque de realismo...Parabéns...
27/11/2007 21:47:13
PASTORA JULIA SEVERA: enfia ponto final e reticências em seu cú leproso, pois se quer ler texto perfeito, leia Machado de Assis, José de Alencar, etc... E a BAIANINHA SAFADINHA: coitadinha, depois da AIDS ficou tão revoltadinha. Afinal, quem mandou dar o cu pra todo mundo, né CHIBUNGO? Agora, assuma as consequencias, e pra não perder o costume, sobe o "PELÔ" com a sua sainha e vá espalhar alegrias aos demais conterrâneos. Um abraço ao casal de enrustidos MOLESTADOS do COCÔGHI!
27/11/2007 16:32:10
Mais uma que pensa que isso aqui é o divã do seu psiquiatra, essas vadias estão em todo lugar. Se você quer desabar vai contar para o corno do seu marido o que você anda fazendo, aproveita e fala para sua filha também a vaca que a mãe dela é. Com a sua idade você deveria é se envergonha desta situação vadia. Leva Seu ZERO com você.
27/11/2007 16:17:57
Eu tenho um caso com minha sogra de 69 anos, e publiquei aqui hoje, e agora com a irmã dela de 71 anos. E é gostoso demais comer coroas experientes;
27/11/2007 15:53:47
He he he, já passei por isso, comi uma ex sogra por muitos e muitos anos, sempre no meio da madrugada, no chão da cozinha, dentro da despensa, até dentro do banheiro. Putz, fiquei de pau duro ao ler seu relato, parece-se muito com o que vivemos, só nunca rasguei o vestido dela, mas comi-a de todas as formas. Parabens.
27/11/2007 15:46:16
Contarei em breve o desenrolar da história, nesses últimos dois meses...
27/11/2007 15:45:16
Zoidberg, não tive essa vontade. E mesmo que tivesse acho que poderia me machucar. Essas coisas que fiz foram do momento. Jamais faria isso em um estado normal. Tenho mais algumas, não muitas, histórias. Contarei em breve.
27/11/2007 15:40:33
Engraçado que nesse conto, a senhora não deu o cuzinho, pois a maioria dos contos dessa casa tem sexo anal na maior normalidade do mundo. E então lhe pergunto: Porque não deu o cu pra ele?
27/11/2007 15:35:11
Parabéns, 10!
27/11/2007 15:28:50
Pastor, talvez se tivesse lido o conto anterior não tivesse a mesma opinião. De qualquer forma, o conto foi apenas um desabafo. Não espero que você goste...
27/11/2007 15:20:26
Link para o conto anterior: http://sharoland-nn.ru/texto.pl?texto=

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.




Online porn video at mobile phone


novinha desmaia de tanto gosa conto eroticocontoserotecos minha mulher com bunda cheia de porramulher infiel adora dar a buceta para outro comervir minha sogra toda sex e acabei pequerando e fiz sexo com sograPai chupando e amassando os seios e vagina da filha e passando a mao na vagina dela ver video calcinha molhadacacetudo comendo a buceta cabeluda da comdre porno doidopesquisar, na ora do sexo porque tem qui assobra dentro ds bucetagranny de 69 chuoando cokc grandelais minha enteada da xoxota apertadinha contostava um tedio danado,resolvi dar a buceta pra ele,incesto contosconto de sexo com cunhadacontos das bordas da conaContos erotico incesto video gratis de sec tio tira cacinho da sobrinha novinhadois negao dt realizando fantasia de n mulher casada porno doidocoroa pelada toda melada de margarinaler conto erotio descabaçando irma peludacontos eroticos opostos que se atraemvideos porno meu vizinho é louco por minha bundaForcei minha mae e ficar nua conto incestoNem respondi e fui metendo naquela bucetinha encharcada, até sentir meu pau tocar o fundo, quando ela soltou um gemido alto e gostoso.tia gemendo peituda vizinhacontos,eroticos,de,gays novinhos sendo estuprado por jovens craquescontos casada chantageada pelo porteiroxvideos filha fas carrinho no pae que nao resisti e trasa com elafilme porno home nergro sorca vara na imtiadaUma coroa evagelica fudedo de saia cupridaporno.com negao levanta a saia da gostosa casada enfia até o saco surpresa pra o corninhomuleke come buceta na cachoeira sem camisinha na matacontos de sexo com meu pai metiii vaii issomulheres da bunda grande dando cu de bruço pro kid bengalaabaixar porno gratis amor no cu nao amor vai doer eu vou botar so a metadeeu qeuro vidio di sexowww.mae nao aquento filho pausudo bocetaomulher cagando enquanto dava a bucetabranquinho super big dotado enfiando o seu pinto até o talões no cuzao da novinha arrombadavideo. caseiro. de. sexo. mulher. covida. omarido. pra ir. na. casa. duma. amiga. muito. gostosa. ela. provoca. omarido. da. amiga. e. rola. sexo. com. os tres. gratiscomebuceta irma outra irma prexagarota nao guenta da r u cu i chora pornoVisinhas taradas ousadas rekatos eriticos recentesxvideos comedo uma mele buchudafodendo gestantescenas de filme porno que mulher goza como nunca se viu nna vd na bc de um travistiLukinhas contos eróticos gaysContos me encheram de porra na frente do meu maridomao boba na noiva pegando nos peito dela porno dentro do cinemacarne conto heteropornô doido corno Deixou o cara comer sua esposa e seu cuzinho na sequênciacontos eróticos família vavela minha mãe comigo no banheiromuito beijo na boca pegada forte caricias e tapas em video porno com muita tara exitantecontos de sexo depilando a sograrelatos eroticos dei minha bundinha e contei tudo a meu maridocontos eroticos cheguei casa escorrendo porra cornoscontos eróticos cagando na minha bocaGozei na buceta da crente velha contosvídeo pornô da retina p**** da retina e mandou um vídeo pornô dela não ela nuaAonde tu não me debruço no tapete XVídeoscontos de zoofilia com pai e filhinhaevangelicas na zoofilia com cachorrogozada de mule napica pornodi dicavaloporno contos casal de inquiliobuceta da linguonadona cely eo caseiro tom contos eróticoscontos menina chuponaponodoido pasado um tempo com minha primasvideos esposa gostando de ser bolinada corninhoamigas segurando a amiga pa ser estrupada na despedida de solteirameu sogro queria dupla penetracao com minha sogro veridicosua tia nao aguenta esse pirocao contoscachorro com o focinho dentro da bucetapornodoido minha sogra gostosa esta no quarto rapando a buceta com tesaovideo de porno gay fui estrupado pero mel primoraffa_ka maromba safadovídeo de uma mulher é o cara para tirar a virgindade dela pegando ela pulsaeu qero asistir videos porno os caras do pau grande regaçado as mulheris e elas gritado sen aquetarxvidio mulher com dedo na buceta chamando jairoEu tava em casa com meu amigo no sofá ai minha esposa saiu do quarto peladinha ai ela deu a buceta a nois dois casa dos contosgostosa chifrando corno com seguranças na festa contos eroticosTa tarada roludo vendo novinhas com cálcinhas melecada nem te conto anal em motelhomem chupando mulher que cor de roupa que insistir vídeo soca pelada