Casa dos Contos Eróticos

Click to this video!

Massagens...

Autor: Paula
Categoria: Grupal
Data: 01/01/2008 01:22:27
Última revisão: 03/04/2011 15:02:52
Nota 8.14
Assuntos: Infidelidade, Anal, Oral
Ler comentários (7) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Eu tinha apenas 18 anos quando tudo aconteceu. Era muito tímida, filha de pais pobres e um tanto inocente, apesar de ter conhecimento sobre sexo pelos livros e revistas.

Uma dor nas costas fez com que a patroa da minha mãe me levasse a uma massagista. Nas primeiras vezes ela me levou e esperou até o fim da sessão. Morria de vergonha de ficar nua na frente dela. Meu corpo todo recebia as carícias das mãos experientes e eu relaxava. Depois eu passei a ir sozinha, ia logo tirando a roupa e me deitava de bruços sobre a mesa de massagem.

Isaura, a massagista, uma coroa de 40 anos aproximadamente, muito simpática, e eu ficamos cada vez mais íntimas. Um dia, não sei se acidentalmente, tocou em meu sexo. Estremeci, mas nada falei. Fui para casa pensando naquilo e achei até gostoso. Mas aquilo que pareceu um toque involuntário passou a se tornar rotina. Como eu ficava de bruços, ela massageava minha bundinha de tal forma que abria minhas carnes e expunha meu botãozinho traseiro. Seus dedos atrevidos passeavam por ali antes de alojar-se na vagina incandescente. Mexia nos lábios e ia até aquele pontinho sensível que hoje sei ser o clitóris. Que delícia era aquilo! Foi assim que tive o primeiro orgasmo da minha vida. Daí para frente tudo evoluiu muito rápido. Ela tomou a iniciativa de me virar de costas para mexer nos meus seios e me masturbar.

Certo dia, descobri que ela também se tocava com a mão esquerda enquanto a direita mexia em mim. Ela pegou minha mão, me fez sentir o seu sexo muito cabeludo e quentíssimo. Pediu para que enfiasse o dedo e eu senti o quanto ela estava molhada. Depois pediu dois, três dedos. Foi quando gemeu alto e gozamos juntas. No dia seguinte ela entrou na sala e tirou toda a roupa. Vi seu sexo peludo, seios grandes e uma bunda carnuda, bastante diferente da minha, toda delicada.

Naquele dia, senti o quanto é bom ter uma língua vibrante entre as coxas. Como retribuição, pediu para que fizesse nela também. Hesitei, mas não tive escolha. Sentada no sofá, ela escancarou as coxas e me puxou pelos cabelos. À minha frente estava uma vagina enorme, de lábios grossos e morenos, sob uma floresta de pêlos. Senti o forte cheiro característico de mulher. Tentei evitar, mas um puxão mais forte grudou nossos lábios, os da minha boca com os da vagina dela. Botei a língua para fora e coloquei para dentro dela. Mexi até ela gemer que estava gozando.

O ritual se tornou rotina. Eu chegava e ela me fazia gozar. Depois ela me subjugava para seu prazer. Passeia a adorar ser obrigada a chupar aquele sexo molhado, sentir seu cheiro ocre e beber o suco que escorria dali. Às vezes ela dizia: “Isso. Me limpa toda que estou suada. Faz quase 24 horas que eu não tomo banho e fico a sua espera para que você me limpe...”.

Um dia ela me puxou para o meio de suas coxas e sussurrou: “Vem me limpar. Meu marido me comeu há pouco e estou toda melada!” Seu sexo estava inchado e avermelhado, o esperma escorria em abundância. Enquanto eu chupava, ela dizia: “Ele tem um pinto enorme, um dia você vai ver... Você quer?” Como nada respondi, ela me puxou os cabelos e perguntou rispidamente se eu queria conhecer o pinto dele. Murmurei que sim.

Na sessão seguinte, eu estava nua e de bruços, à espera dela. Só que pela porta entrou o marido, um coroa mal-encarado e de porte avantajado. Assustei-me, pois estava nua e sem nada para me cobrir. Ele disse que ficasse tranquila, que Isaura já viria me atender e iniciou uma massagem nas minhas costas.

Eu estava tensa por estar nua na frente de um homem, porém a massagem gostosa me acalmava e me excitava. De olhos fechados, senti mais duas mãos em meu corpo. Eram as de Isaura, que alisava ousadamente o interior de minhas coxas. Foi avançando até chegar a meu sexo molhado. Suas mãos deslizaram para o ânus ardente, onde enfiou delicadamente um dedo. Fui ficando maluca enquanto ela murmurava: “É hoje que você vai ver o pinto do meu macho... Um pintão grande, grosso e duro... Vamos, abra o zíper da calça dele.”

Abri os olhos e o homem estava bem a minha frente e sob a calça desenhava-se o pau teso do macho. Levei as mãos até a calça e iniciei a descoberta. Um pau enorme saltou quando abaixei a cueca e fui fazendo tudo o que ela mandava: “Pega no pintão duro... Isso, sinta o calor, a grossura e a dureza... Puxe a pele para trás para você ver a cabeça roxa... Cheire bastante antes de enfiar na boca... chupa...”

Ah! Eu delirava com aquele pinto grosso na mão e aquela cabeça enfiada na boca. O cheiro, o sabor e o dedo cutucando meu traseiro me fizeram gozar. Isaura foi para o sofá e me pôs de quatro para chupar a vagina molhada. Antônio veio por trás e cuspiu em meu rego traseiro. Percebi o que iria acontecer e fiquei apreensiva. Isaura dizia para eu relaxar. Senti a cabeça tentando abrir caminho entre minhas nádegas. Meu grito foi sufocado no interior da vagina dela. Depois da cabeça o resto foi tudo para dentro. Não se importaram com meus gritos de dor e eu achei que seria dividida ao meio.

Depois de alguns minutos, a dor deu lugar a um tesão incrível. Eu já rebolava e jogava o traseiro de encontro ao homem que me fazia arder o canal apertado. Suas bolas pesadas batiam em minha vagina e seus pêlos amassavam-se em minhas polpas. Isaura me obrigava a falar obscenidades para ele e eu atendia olhando para os olhos daquele homem: “Que pinto gostoso, você tem meu macho gostoso... enfia ele todinho no meu cuzinho... isso... pintudo... grosso, duro... me fode o cuzinho...”.

Isaura gozou, eu gozei, mas Antônio não. Ele continuava me castigando com sua ferramenta. Meu botãozinho queimava com as estocadas violentas. O pau saía totalmente e entrava com violência, me alargando toda. Eu mordia as coxas de Isaura e já não aguentando meu botão em fogo gemi: “Eu não estou aguentando mais. Dói muito... Está ardendo...” Isaura com autoridade ordenou: “Põe na boceta dela... arrebenta com esse cabaço...”

Arregalei os olhos e olhando para ela ia pedir clemência, pois era virgem, mas não deu para falar nada. Uma única estocada me dilacerou o hímen e senti minha virgindade indo-se para sempre. Gritei, gemi de dor e, minutos depois, gemi de tesão. Mais uma vez fui obrigada a olhar para trás e dizer: “Enfia esse pinto duro na minha boceta... enfia que eu gosto...” Gozei muito, mas, quando ele ia gozar, tirou o cacete de dentro do meu corpo e sentou no sofá. Fui obrigada a segurar o pau teso com as mãos e a enfiar a cabeça na boca.

Logo após, recebi o jato quente em minha garganta, rosto e cabelos. Gozei de novo. Quando saí dali, toda ardida e dolorida, não via a hora de tomar um banho e deitar-me para o merecido descanso. Dias depois lá estava eu novamente, nua na mesa de massagem, à espera do sexo ácido de Isaura para ser lambido por mim, e meus orifícios à espera do cacete avantajado de Antônio, que me faria sofrer de dor e delirar de prazer. Ah! Como era bom!

Comentários

02/02/2008 23:03:30
nossame excitei muito
08/01/2008 15:34:01
Que delícia você deve ser.
05/01/2008 15:39:02
Legal, lindo conto, altamente sensual.
05/01/2008 09:48:44
Muito bom.
02/01/2008 20:54:58
Atenção pessoas! Estive a observar e até lancei um conto como teste (que já retirei), só para comprovar o que eu já desconfiava: este site site está sendo manipulado pelos seus próprios administradores e por isso é que não se conseuge eliminar a mediocridade; é ela quem manda. Bastam que dêem uma olhada, por exemplo, no primeiro lugar entre os melhores autores. Vejam o perfil da primeira colocada e veja em quem ela votou... É hilário! Em outros contos, combinei com amigos de votar para testar, os votos simplesmen~te não aparecem.
02/01/2008 11:29:15
Excelente! Levas jeito, em todos os sentidos, he he he... http://ana20sp.sites.uol.com.br
01/01/2008 07:46:58
Que delícia de relato.Leia um dos meus relatos, intitula-se a menina do shortinho.... [email protected]

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.




Online porn video at mobile phone


contos de sexo selvagemcom velhosporno virge mentiu ter ido pra escola pra mae acabou comendo sua irmanovinha do priquito ruivo contoscontos de sexo depilando a sograconto erotico viado novinho vira escravo do coroa dominadormegao pega mulheres casda a forsa econe abusetanegao pega moha mulher e fode ela toda sextomando piricada no rioelementarians eroticomuleke come buceta na cachoeira sem camisinha na matacontos eroticos entre jovens irmaos gemeoscontos erotico sobrinho pausudo so de sungaContos eroticos entre padre e noviçacasa do contos eróticos publicadosconto erotico de corno paraensemulheres mortas com a bucta scheia de porracontos de seco com meu tio aiii gostoso metiiiconto eroticos mulher do corno na borrachariaminha cunhada me procurou para treparcorno e engolidor de rola contofilme porno minha sogra me enxeu o saco ate eu come elacontos minha esposa agazalhou um pal enorme no raboconto de comi o cuzinho da minha neta com a pica grandecontos eroticos de incesto no colovidioporno ae menias que xoro no poupadrasto ver a novinha nua e ficabatendo punhetaeu qeuro vidio di sexoMeu marido era louco pra me ver com uma picona toda socada dentro de minha buceta e na minha bunda e eu fiz sua vontade!https://www.pornodoido.com/video/esposa-traira-e-fodida/morador. de rua sendo bulinado ate gozarxviido cabelo novilnhasenas com carinho massagem beijos abraço pegadas palavras romanticas casal apaixonado e sexocontos de machos dominando cornos submissosum velhinho do pau enorme e muito grosso cumeu meu cusinho na marraContos de gang bang com dotados novinhaa chamada cadela incestocontos eroticos ganhei um boquete no pokerconto eroticos transformando a santinha em depravadaporno secretaria aser estupprada no escritorio e gozada dentro da vagina sem ela querervideos de ninfetas transando com irmai anbos osdois novinhosfui iniciada como cadela e gosteicomendo a mileninha gostosinhapornota doendo gosa logocontos erotico flagrado pela a sogra no banhootário ao extremo contos eróticosconto eroticos esposa era certinhacontos eroticos estuprada pelo meu cunhadovideo de mulhe rebolhadoa filhada vai passar o feriado na casa de seu padrinho e tem pensamento erotico com eleNovos contos de incesto gang bang forcadocontos eróticos escritos de lactofiliatia gostosas foder com subtilas coroa que fumo um maço de cigarro pornôconto erótico muitos orgasmos com lsdexistem homem com penis mais de 40cmtio comedo a sobirnha daconto eu hetero tinha 18 anos o pedreiro me comeufilhadorme.e.pai.enfrega.pica.na.buceta.delaquero baixar pornô novinha sentada no sofá completando campainhavideo porno novinhas sendo lanbusada pelos velinhos que o pau nao sobe maisnegona rindo com uma boconaas navia perdebi cabacocontos erotico chantagiei e depilei minha sogracuzao da tia vim nao aquentei mobile porncontoserotecos minha mulher com bunda cheia de porraas coxas da minha mâe contos eroticossexo com tapas na cara.puxau de cabeloscontoseroticoss xvideos5video de padrasto tentando resistir a enteada rebolando no colo delecontos de sinhazinha lesbica abusando de escravapornô sexo garota transando com apitando o quarto deitadametendo na salgadeira bundudavideo de sexo negao da rola de cinquenta citimetro com uma jeguacontos eróticos de incesto uma competição entre a minha filhinha e a sua amiguinhamontei um armario pra uma coroa ela me atacou e chupou meu pau tv bucetaenrabando cunhada e sobrinha contoxvideos caseiro emfermera mindando banho eaicontos tia dando o cu pro sobrinhoresolvi pornô da LudmilaContos eróticos confissôes de umà crente safadaporno ele para pra descansar da caminhada e pega morena agua e fode com eleNegao come rapaiz novo e gozou dentro porno abaixar