Casa dos Contos Eróticos

Click to this video!

A mulata do 502

Autor: Anderson BH
Categoria: Heterossexual
Data: 11/01/2008 22:35:31
Nota 8.56
Assuntos: Heterossexual
Ler comentários (3) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Todos os dias, pontualmente às 6 da tarde, eu parava para conversar com o porteiro do prédio onde era zelador. Naquela hora chegava Anita, a moradora do 502. Não havia quem não curvasse o pescoço para ver aquela bunda maravilhosa passar.

Ela tinha, aproximadamente, 1m70, cerca de 30 anos, uma pele marrom que exalava sensualidade, um traseiro de dançarina de axé music, um par de seios voluptuosos e coxas bem torneadas. Em suma, um magnífico exemplar do sexo feminino.

Anita povoava meus pensamentos desde que fui trabalhar naquele prédio. Passava noites acordado pensando em tê-la na minha cama. Se conseguia dormir, ela tomava meus sonhos. Certa vez cheguei a chamar uma namorada de Anita. Recebi um tapa e perdi a mulher, que era até gostosinha. Sempre simpática, cumprimentava todos quando passava. Mas jamais parava para conversar com os empregados do prédio ou mesmo com os vizinhos. Seu marido, Dr. Jordão, já estava na casa dos 50 anos e a tratava bem, embora parecesse ser austero.

Certa vez, Anita mandou me chamar em seu apartamento para que eu trocasse uma torneira para ela. Achei estranho, pois já passavam das 20h, mas subi rapidamente, mesmo já tendo terminado meu horário de trabalho. Fazia qualquer coisa para ver aquela mulher.

Ao chegar, cumprimentei-a respeitosamente - o difícil foi desviar o olhar das pernas de Anita. Ela usava um shortinho provocante. Perguntei pela torneira e recebi um sorriso como resposta. Havia algo de estranho. Meu coração batia aceleradamente, como se fosse sair pela boca.

Oferecendo-me uma bebida, ela convidou-me para sentar e abriu o primeiro botão de minha camisa, correndo, em seguida, seu dedo indicador pelo meu peito. Fiquei arrepiado. Ela se virou e se acomodou no sofá, sinalizando para que eu fosse para lá também. Foi o que fiz, embora ainda estivesse assustado e preocupado com uma possível chegada do Dr. Jordão. Anita disse:

- Não tenha medo. Está preocupado com o Jordão?

Respondi que sim. E ela continuou:

- Ele sabe que estamos aqui.

Dei um pulo do sofá.

- Tá maluca? Não quero virar defunto.

- Fique tranquilo. Ele deixou a noite para nós. Chegará tarde.

- Não estou entendendo nada.

- O Jordão, meu amor, há muito tempo ficou broxa. Nenhum tratamento deu resultado positivo. Desde então, ele deixa que eu tenha casos. Só faz questão que seja aqui em casa e que aprove o escolhido. Sempre achei você um gatinho e sei que você me deseja.

Embora ainda perplexo com a situação e um tanto constrangido, sorri. Foi a senha para que Anita, definitivamente, investisse sobre mim, dando-me um beijo longo, molhado e gostoso. Lembrei-me de todos os sonhos e das noites em claro pensando naquela mulata, e entreguei-me por completo aos braços de Anita. Enquanto sentia sua língua na minha língua, apertei a bunda de Anita contra minha pica. Sentindo meu membro duro, ela suspirou e fez força também contra meu corpo.

Em seguida, ergueu a perna como se quisesse subir em mim. Aquela escalada deliciosa me deixou louco. Peguei a mulata pelas coxas e a pus deitada no sofá. Já deitada, tirei rapidamente minha camisa e arranquei a blusinha que Anita usava. Por um instante, fiquei desconcentrado com tamanha beleza de seu par de seios. Mas caí de boca e comecei a sugá-los, correndo minha língua por seus mamilos, enquanto ela gemia baixinho. Eu sentia sua satisfação.

Anita, enquanto sentia minhas lambidas em seus seios, vagarosamente tirou seu shortinho. Vestia uma minúscula tanga branca, o que aguçou ainda mais meu tesão. Não pude deixar de descer a língua até sua virilha e, após arrancar a calcinha, chupar deliciosamente seu grelinho. O caldo escorria de sua bocetinha e os gemidos ficaram cada vez mais altos até explodir num urro de prazer. Gozara abundantemente.

Poucos segundos depois, Anita já estava de joelhos no chão, abrindo minha calça e abocanhando meu pau. Sua boca quente e a língua macia me fizeram sentir as maravilhas de um delicioso boquete. Parecia uma leoa louca beijando e sugando minha pica, sem se importar com o gozo que se aproximava. Quando esporrei, ela manteve a posição, não desperdiçando uma única gotinha de porra. Engoliu tudo. Por um tempo, fiquei quase desfalecido no sofá. Ela se levantou, lambeu o canto da boca e foi até o bar pegar a bebida que não tive tempo de aceitar antes daquele amasso. O uísque servido sem gelo me deu novo ânimo. Até nisso tive sorte: raras foram as vezes na vida que saboreei a bebida preferida dos escoceses. Anita, que havia se retirado da sala, logo voltou, já de novo com a minúscula tanga e com cara de quero mais. Andava pela casa sobre sandálias altíssimas, rebolando a bunda imensa e empinada.

Com os olhos, eu a perseguia por todos os cantos. Ela parou na entrada do corredor e sorriu, caminhando para dentro. Fui atrás. Me deparei com ela na cozinha, sentada na mesa. Aproximei-me e ela segurou minha pica com força. Começamos novamente um louco amasso. Já nus. Anita pegou um pote de chantilly, colocou em minhas mãos e apoiou as suas na mesa, ficando de costas para mim. Fiquei louco. Aquele rabo maravilhoso seria meu. Mas fui com calma. Espalhei o creme com a ponta dos dedos e retirei a primeira camada com a língua, bem devagar. A mulata rebolava em minha cara, gemendo. Pus mais um pouco de chantilly em seu cuzinho e empurrei minha pica naquele rabo. Que maravilha! Fui vagarosamente enfiando e tirando a pica, mas Anita era uma especialista em sexo anal e tratou de aumentar o ritmo, rebolando com força.

Urrava como uma potranca no cio. Meu saco batia em sua bunda seguidamente. Com uma das mãos puxava seu cabelo como se fosse uma rédea, com a outra dava tapinhas em seu traseiro. Ela parecia que iria subir pelas paredes de tanto prazer. Segurei o quanto pude até explodir em um gozo incrível em seu cuzinho. Uma sensação maravilhosa tomou conta do corpo, sentia-me adormecido, levitando. Depois do banho, Anita me levou até a porta e me deu um longo beijo. Saí sem ouvir uma palavra de despedida ou de um novo encontro. Ainda anestesiado, fui para casa, não conseguindo dormir e lembrando de cada curva do corpo de Anita. No dia seguinte, ao chegar ao trabalho, notei um bilhete para mim na portaria. Era Dr. Jordão, agradecendo pela noite que eu tinha proporcionado a sua mulher e pedindo que ficasse atento, pois outras como aquela estariam por vir. Como já se passaram duas semanas, fico cada dia mais ansioso para reencontrar Anita.

Comentários

28/03/2009 10:22:51
Quem sentiu o cu de uma mulata sugando a cabeçinha só ao encostar e espremento até a última gota, nunca mais deixará este vício no néctar do mais doce fruto proibido...Até ver uma amiga mulata noiva ou casada e..., mantendo o sigilo, não saber se foi você mesmo que a engravidou, sentido o próprio prazer de vê-la embuchando pelos 9 mêses, continuando a comer a mulata sem medo e sem mais perigo na buceta e acabar nos culhões do cu até, acompanhando como amigo em hospital, ver estourar entre placentas, mijos..., e dar cria que, talvez até seja sua.Que frenesiiiii total...__Quem, casais e mulheres, outros que compartilhem desta opinião e praticam esta sexoterapia, contacte para surubas ou amizades ou CoupleNota10(eleela) CP 2936 São Paulo SP
01/03/2008 13:21:17
que bom este caso, parabens mas nao fudeu a bucetinha dela nao?
14/01/2008 16:23:58
Eu q sonhei com um casio deste viu! mui bom.. depois leia tb e comente meu conto : teclando com a patrôa, deu mole, eu kraw!

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.




Online porn video at mobile phone


puta no hoteldo bucetao loca de tesaopirocudo gozando dentropor tras da paredemostrar despedida de solteira dentro do clube da p****** todo mundo pelado mais tarde vídeo pornô completohistoria porno gay paguei um boquete pro anivesarianteContos erroticos de empragada chinezapadrasto cavalocontos eroticos ele esfolou meu rabinhobrincando escanchada contos pornojaponesa de Cubatão novinha porno com endereço telefoneporno vidio coroa tava emtertidaas gordinha r***** dando o vaqueiro na FazendaFutebol dos Heteros ? OU Nao ? cap 28video de sexo afrosa com netadacontos eróticos dei pra estranhos pelo buraco na paredeporno de coroucom novinhasbuceta gostosa no inatingível elas dandowww sou enteada putinha e dou minha bucetinha pro meu padrasto que e tarado pelo meu corpo. comfilme meu irmao me deseja fuderx videos curraincestoconto erotico viado novinho vira escravo do coroa dominadorvídeo pornô mulher que faz a outra gozar e da Paz e líquido saindocontos eroticos minha esposa ficou excitada quando viu o negao pauzudodoidinha pra meter com velhoO que comete fodendo uma mexidinhafilmes pornodoido dbsm com uma branquinha doida para ver o pau do negrao entraros melhores vídeos pornôs de cornos a mulher f****** com outro ele fala um monte de besteira para esposa escutartitia batendo punheta sobrinho rola cabeçudavídeo de Kid Bengala transando com mulher brigona XVídeosporno sobrinho vai dormi mais tia e fica de pau duro embaixo do lencouxviďeos loira safada escritoriover contos eroticos em que maes sao flagradas pelas avos fudeno com os filhos pauzudossenhora de idade pratica zoofiliaeu fui encoxada pelo meu sobrinho tarqdocontos eróticos de homens que gostam que suas esposas transem com outrospornozinho.irmao.da.pica.gigante.mente.na.irmapraticante de zoofiliaconto erotico gay branco dominador gosta de maltratar viado pretodar e coçar e so começar contos eroticosnovinha de sainha sem calsinha perverssavídeos pornô de mulheres fazendo sexo com máquinas postiçanora safadas descobri que sogro tem a pica enormebobiça no mato xxxcdzinhas contos reaispinto muito mais muito grosso mulher nao aguenta epede aregocontos eróticos gay da cidade de tupã ?contos deu o cu para o cachorramorenas,magras,cabelos pretos,peitinhos videos sexcomo faze a mulhere no gta xupare no gtacontos de afilhada cavalona com padrinho coroa de pauzaocontos eroticos gay virei chupeteiro dos senhoretva bucetagay sexo no meio do mato novinho transando com 5 homens no Mato levando pica no c* no mato na favela e Leo apartamento pela primeira vez na beira do marv meninas 14aos 17 anus perdeno avirgindadecontoswww.eroticos na festacuiadia de xortiu d dormi d regatacontos casadas chupadeirasqual bumbum mais bate com a bumbum mais pula com a bumbum mais bate com a bumbum e as loira morena branquinha e azul é a cor morena marquinha Azul quando bate a bunda pula pula pulacontoseroticos encochando minha norafiume porno minha cunhada e crenti eqe traza comigocomo esconder do meu marido que a minha buceta ta cheia de gala de outro?assistir assistir vídeo pornô da Lucineide a gordinha gostosa de shortinho curtinhoconto com putinha novaspatricinha do olho azul vai perder virgindade com irmao e fica cheia de frescura e chorando com dor video pornocontos erotico pegando a mulher no flagraContos eroticos cunhada cdzinhapés chulé contodopou a mãe c. eroticoContoPorno dotado estourando as prega do viadinho novinhogalson come a vagabunda no bar enquanto conversa com amiga pornovideo porno inedito de mulher gozando descontrolada no vibradordesejo o pai sair e comeu a madrastacinquentona brincando com pauzudo dentro do carroconto eroticosgemeasrevesando no cu da gravida pornocontos incesto mae gts meu corninho eu quero uma pica gozando dentro de minha e meu céuporno metendo de levinho atrasmulheres nojona de tanto tesaominha concunha morena gostosa que arrobeivideo porno cavalgada forte so loiras em cacete de 30cmmetendo na salgadeira bundudadeu remeduo p/ mae dormi efode com elavideo sexo mulherzinha nova traino seu marido com cunhado mulecaofilha assiste porno no quarto e mae e comida por outro e mae escuta barulho estranho e vai ver o que e e ve a filha se masturbando