Casa dos Contos Eróticos

Click to this video!

Olá, porra!

Autor: Nina
Categoria: Heterossexual
Data: 25/03/2008 02:12:47
Última revisão: 22/04/2008 00:25:24
Nota 9.50
Ler comentários (18) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Meu nome é Janaina. A maioria me chama de Nina, mas pode me chamar de VADIA. Acho que essas cinco letras definem bem o que eu sou. Ou estas quatro aqui: PUTA. Sou uma menina de sorte. Aos 13 anos de idade descobri minha verdadeira vocação, meu papel no mundo, os motivos pelo qual nasci com este corpinho lindo e este fogo no meio das pernas. A revelação aconteceu durante umas férias de verão, que fui passar chácara de meus tios, em no Mato Grosso. Foi lá que conheci profundamente o meu primo mais velho, o Marcelo. Com 16 anos na época, Marcelo tinha mudado bastante desde a última vez que nos vimos, dois anos antes. O então moleque tinha hoje uma barba nascente que lhe caia bem e o corpo, como crescera. A primeira coisa que reparei foi nos ombros. O trabalho na chácara sempre lhe dera músculos definidos e tal, mas a adolescência fizera milagres. Marcelo se tornou um homenzarrão e tanto. Eu era inocente ainda naquela época, mas já sabia apreciar a beleza. Mal sabia eu que Marcelo ia me ensinar a apreciar outras coisas e me ajudaria a assumir em relação ao mundo uma posição mais sensual e menos contemplativa. Isso aconteceu em meio a uma brincadeira inocente, quando ele me convidou para aliviar o calor num açude da chácara, que ficava relativamente distante da casa. Eram duas horas da tarde, meus tios tinham ido dormir logo depois do almoço, como de costume. A cesta, naquela casa, era algo obrigatório entre as duas e as cinco da tarde. Estava conversando bobagens e jogando pif-paf com Marcelo na rede da varanda para passar o tempo quando comentei: “Nossa, como tá quente aqui, não sei como é que vocês agüentam”. “A gente acostuma, já nem sinto mais o calor”, ele disse. “Se você quiser a gente pode ir lá pro açude”. “Não vai fazer mal, a gente acabou de almoçar”, questionei. “Que nada, já são quase duas horas. Até a gente chegar lá! Não tem perigo não”, ele me tranqüilizou. “Então vamos!”, concordei, empolgada. Fui pro meu quarto-de-verão e coloquei meu biquíni, o que já foi um alívio. Desci as escadas lépida que só vendo. Sem canga, sem nada, apenas com o minúsculo biquíni já datava do verão passado. Quando me viu, Marcelo desviou um pouco o olhar. Percebi, mas não percebi nada de errado. No caminho até o açude notei que ele foi meio calado. Perguntei se estava tudo bem e ele disse que estava. Parei de me preocupar com ele e comecei a entrar no clima, não via a hora de cair na água. Quando chegamos, coloquei meus pés e fiquei eufórica. A água estava uma delícia, refrescante sem estar gelada. Perfeita! Fui logo mergulhando. Marcelo veio um pouco depois de mim e continuou calado. Enquanto eu nadava de um lado pro outro, mergulhava, jogava água pra cima, molhava os cabelos, Marcelo ficou lá, encostado na pequena represa que segurava água da pequena nascente da chácara para formar o açude. “Ai, Marcelo, você ta muito esquisito”, falei, levemente irritada. “Vamos brincar! Quero pular da mureta! Vamos pular!”. “Vai você, eu fico te olhando. Só toma cuidado com as pedras do fundo, essa parte é meio escorregadia”, Marcelo advertiu. “Chato!”, falei. Ele riu, sem graça. Subi na mureta, me preparei e saltei. O mergulho foi maravilhoso, mas quando tentei ficar em pé, percebi que Marcelo tinha razão. Tinha limo nas pedras soltas do fundo e acabei me desequilibrando. Quase caí de costas e bati a cabeça na mureta. Foi nesse exato instante que Marcelo apareceu pra me segurar. Meu herói! Segurou-me pela cintura e puxou meu corpo com força, pra junto do dele. Foi nesse momento que eu descobri o motivo de tanta quietude. Meu herói tinha algo duro dentro do calção. E não era uma espada. O susto dessa descoberta foi meio que o da quase queda. Fiquei meio vermelha na hora, com vergonha, sem saber o que dizer. Marcelo falou primeiro. “Desculpa, prima, mas não dá pra agüentar”. Mil coisas passavam pela minha cabeça. Eu não conseguia falar nada, mas ao mesmo tempo não arredava o pé dali. Fiquei um tempo que pareceu a eternidade sentido aquela coisa dura contra a minha barriga, me pressionando. Como eu não fizesse nada, Marcelo foi deslizando a mão que estava na minha cintura até encontrar minha bunda. Com a mão praticamente entre minhas nádegas, ele me puxou mais forte ainda pra junto dele e começou a friccionar o pau contra a minha barriga. Senti seus dedos tocando minha bocetinha, afastando de leve o biquíni. Senti minha jovem bocetinha dar claros sinais de vida. Era a primeira vez que eu me excitava na vida. Antes daquilo, nunca havia me interessado pelo assunto. Conversas sacanas com as colegas, masturbação, nada disso me chamava atenção. Mas naquele momento, com Marcelo, com aquilo que eu sabia ser um pau duro tão perto de mim, com aqueles dedos acariciando minha xana, naquele instante eu gozei. Gozei assim, do nada, senti meu corpo todo explodir, amolecer, sumir. Não fosse o braço de Marcelo a me segurar, teria submergido feliz nas águas daquele açude. Demorei a me recuperar. Abracei forte o corpo de Marcelo e fiquei ali, sentindo aquelas coisas, com o pau dele – duro, duro – latejando junto ao meu corpo. Impressionante como o instinto deixa essas coisas gravadas na gente. Naquele instante, pra mim, houve uma transição abrupta e completa do universo cor-de-rosa da infância para uma realidade de cores muito mais intensas. Virei mulher ali, naquele açude, descobri que tinha entre as pernas algo capaz de me arrebatar de um jeito todo novo. Marcelo me fez descobrir que eu tinha um corpo e que este corpo me reservava muitas surpresas. E Marcelo me fez conhecer também o corpo dele. Ainda em silêncio – um silêncio que agora era de cumplicidade – ele me pegou minha mão e a conduziu até seu pau. Ah, o instinto! Segurei com força aquele pedaço de carne intumescida. Marcelo olhava pra mim agora. Eu não olhava pra ele. Olhava para baixo, para o que estava entre minhas mãos. Tirei aquele objeto novo para fora do calção e entreguei-me à tarefa de explorá-lo, extasiada. Senti o volume, a forma, a textura. Era bom sentir um pau em minhas mãos pequeninas. Teria ficado ali por horas, não fosse a didática silenciosa de Marcelo. Ele segurou minha mão e me fez envolver seu pau. “Faz assim, ó”, explicou lindamente, ensinando-me a milésima lição do dia: como punhetar um cacete. A descoberta agora não era mais o pau, mas o rosto de Marcelo. Seu pau já estava dominado pela minha mãozinha delicada. Ocupei-me então de admirar a infinidade de expressões que tomavam conta do rosto dele. Aquilo me excitava. Eu estava, naquele instante, descobrindo uma forma de poder. Era simples comandar as emoções de um homem. Era fácil dominar aqueles seres enormes, às vezes assustadores. Bastava ter nas mãos o pau e pronto: tornavam-se nossos títeres. Até o gozo. E o gozo de Marcelo veio abundante. Senti seu pau crescer e se contrair todo em minhas mãos, quente, vivo como um pássaro. E tomei conhecimento da porra, a porra que saltava daquele pau aos jorros e subia lentamente até a superfície para me cumprimentar: Olá, vadia, olá porra, tudo bem com você?

Não fomos além desse sarro no açude. Não precisávamos. Tínhamos construído um elo silencioso ali, um acordo tácito entre duas pessoas que – ao menos por enquanto – queriam apenas descobrir os próprios corpos. E teríamos um mês ainda de curso intensivo.

http://janainamenina.wordpress.com/

Comentários

05/10/2013 04:02:53
Mt bom vadia. Parabéns !
19/02/2012 17:45:29
nina, o seu conto é delicioso. tem todos os ingredientes de uma história muito bem contada. um exemplo de como se cria um conto erótico.
02/04/2011 18:07:44
legal, seu conto, qria tr uma prima assim, bj
30/08/2010 16:53:40
Muito bom! (só um ligeiro reparo: sesta é diferente de cesta ;-))) Bjs Nuno e Ana
15/05/2010 23:38:16
Muito bom, hein! Adoraria que vc lesse meus contos também. Parabéns e continue assim.
21/08/2009 10:51:26
me add ai nina meu msn e [email protected]
08/05/2009 19:16:01
Muito bom, hein! Adoraria que vc lesse meus contos também. Parabéns e continue assim. Beijos!
22/04/2009 21:39:50
legal o conto
21/02/2009 15:36:36
Muito bom.... raro esse tipo de conto por aqui, excitante, sedutor e simples. Gostei....
30/01/2009 05:16:28
SAFADENHA VC EIM ?? ADD AL VIU GATA [email protected]
19/01/2009 11:21:23
oi nina... eu gostei do seu conto e gostaria de saber mais. beijos...
12/01/2009 20:46:10
PRINCESA PARABENS PELO CONTO MUITO BOM MESMO... ME ADD [email protected]
28/12/2008 21:37:26
Muito excitante, gosto desses relatos inocentes e cheios de sensualidade.
06/11/2008 23:22:15
bom conto vadia, mas eu queria saber como voce é..... seios, bunda, bucetinha.... de mais detalhes...
25/04/2008 05:00:30
Janaina(vadia),É ASSIM QUE SE ESCREVE.
26/03/2008 01:31:13
Concordo com o Gian Belo e excitante texto. prossiga
25/03/2008 03:21:23
Olá VADIA! Belo texto, cara de sorte esse Marcelo... Além da história ser muito interessante, o texto tá muito bem escrito também, parabéns!
25/03/2008 03:21:21
Olá VADIA! Belo texto, cara de sorte esse Marcelo... Além da história ser muito interessante, o texto tá muito bem escrito também, parabéns!

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.




Online porn video at mobile phone


quero assistir vídeo de sexo de patricinha filha de empresário rico trepando com namoradoporno xoxota loucas surpresasexo real conhadas nuas banho pau bizarro tesaoanda vamos comer a tua mae paneleiro contos pornocontos mulher de amigo short coladosó branquinhas gostosas tesudas encitantes transando com seu cachorro até gozarfudendo uma putaconto eroticoporno e escondim uma camera e vim a putarinhacorno manso otario contoscontoprimeirafodaxevideo mulher dormido e rola entrandoXVídeos de sexo brasileiro pai vaisi cavi filhaContos animados papai tio e padrinho me foderam muito quando novinhaGay afeminado virou mulher na mao do coroa negro contos eroticos os melhoresfotos da bucetas da sadinamulher encapetada sexoescandalosa fogosa e gulosa tomando tapa na bunda pornô doidomeninas bem novas sendo fudidas pelo o padrastoporno ele para pra descansar da caminhada e pega morena agua e fode com elea infidelidade da irmã resolve dar a buceta ao irmão mais novovideos pornos de genros depilando sogra e n resiste fode elaencoxada mau cobertapisão ei curra novofotos d mulheres so d calcinha box cm a buceta inchadaxxvideo n paguei tive dar cu eterogayVale de mulher pelada transando com homem chupando o pinto e razão na carecacuzao areganhado p cavalojapones enchendo cu da japinha dr liquido xvideonovinga da favela fazendo menagem depois da aulacorno eu confessoputa lambe pe do macho contojoelma da buceta enchada da o cu pro amigo do seu filho porno doidx videos curraincestomulher transando com picasdeborrachapeguei meu sobrinho mas tenho uma chapuletada rola muito grandenovinha safada humilhando o padrasto é estrupada a forca no conto eroctico do quadradinhojantar em familia mulher senta no colo do marido e começa a transar sem a familia desconfiar pornocabeção cantando xeretandomulher dançando de vestido curto que pode aparecer a b***** dela pelada cuidar de abaixar vídeo pegadinha baixarmulheres prendeno o bico do seio com prendedor xvideomeu tio comeu minha bucetinha virgem parte 2 contos eroticos[email protected]Conto pau mendigo punhetapanteras porno estemdeu a roupa e deu o cu pro pesotransei com uma senhora crentetem lebica olaine 2017 pra comigo outra mulher por celularputaria. propria para coroa intesa safada gosmenta na mansaoMuitasex .com gaby pornolcontos eroticos o carroceiro e as enteadasmulheres na cama peladas uma ensima da outra peladas apertando a bumda da outracontos de sexo depilando a sogravídeo de sexo com mulheres acorrentada em senzalaas pornomete essa piroca noeu cu mim arba porno doidoContos novinha bolin d pel titia enquanto o tio dormeensinei meu filho de dez anos a bater punhetaas novas novia cenus estrupada pediu virgindadeboquete da minha prima no meio da lavourra de cafe pornocontos eroticos arretando novinha na hora da janta na meaafestas na casa de amigos e depois de tanta bebidas um porno com muita violênciaconto erótico de novinha q transou em acampamento evangélicosexo pregando no fagarcriola bumbum gg virgem primeiro anal com dotado gritafilho dopou sua mae e fudeu ela dormindo cantos eroticofraquei minha mae peituda dando no quarto para meu primo roludocriando uma putinha contosContos gays passeando de carro vestida de crossdressMulher adulta. Criando pentelho. Na bucetaimagm de sex filha qosano na cara do paiNa china rapta crinhaça para foder com elas pornbucetao contosgarota muinto novinha com cona muinto apertadinhacoletania de pinto torto pra baixo gozandoso sexo incesto mãe e filho contos ineditoscontos de sexo depilando a sogra