Casa dos Contos Eróticos

Click to this video!

Fui estuprada

Autor: Dira
Categoria: Heterossexual
Data: 31/07/2008 18:03:07
Nota 6.33
Ler comentários (11) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

FUI ESTUPRADA!

Sou Doralice, tenho dezenove anos de idade, sou estudante universitária em Cuiabá, estado do Mato Grosso e, antes disso, morava com meus pais e dois irmãos em Ponta Porã. Hoje moro num apartamento que meus pais alugaram para mim, vivendo com uma colega e amiga, a Joana.

Aos onze anos tive a primeira menstruação e aos catorze anos comecei a namorar, mas eu não perdi o cabaço até o dia em que aconteceu esta história comigo. Para mim, desde as minhas primeiras menstruações, sempre acreditei que a mulher verdadeira, a legitima fêmea, é aquela que é descabaçada, arrombada com legitima competência, embora não eu ter conseguido isto com meus namorados, apesar de eu ser uma mulher muito gostosa, com um corpo bonito e muito sensual (eu acho que não perdi meu cabaço por causa do mau pai, um homem muito bem relacionado, mas muito violento).

Era sexta feira, estava muito cansada, tendo feito uma prova na universidade pela manhã e apresentado um trabalho para um seminário à tarde, e fui para casa. Estava sem carro e sem namorado, pois ainda não me entrosara na turma, e neste fim de semana Joana viajara o que significava que eu tinha de fazer tudo sozinha no apartamento. O prédio em que eu morava ficava numa região nova da cidade e, do ponto de ônibus até o prédio, eram quatro ou cinco quarteirões com muitos lotes vazios (não construídos), muitas árvores e pouca iluminação. Eu gostava da região, mas neste dia eu nem queria saber do que estava acontecendo.

Anoitecia quando desci do ônibus, indo me arrastando para o prédio, quando percebi dois rapazes muito elegantes, um deles realmente muito bonito, que vinham na minha direção. Na hora esqueci que não estava em Ponta Porã, uma terra muito violenta, mas com muito respeito ao próximo (graças, em boa parte, aos trezoitões).

Quando eles se aproximaram, desviei um pouco, indo para a beira da calçada, mas um deles foi para o meu lado, abraçando-me e tapando minha boca, enquanto o outro, apontando um estilete na minha barriga, disse, com uma voz muito calma, que eu estava sozinha e não adiantava gritar, e se eu começasse a gritar, eu conseguiria apenas ser furada, e me empurrando, levou-me um dos terrenos no local. Certamente estavam preparados, pois um deles estava com um rolo de fita adesiva larga e amarrou meus pulsos acima da minha cabeça, deitando-me no chão duro - tudo isto doeu muito, gritei e levei dois tapas violentos no meu rosto enquanto um deles disse que eu só viveria se não fizesse barulho, já que eu seria comida de qualquer jeito.

Lembrei-me então do que sempre imaginei. Uma mulher só é mulher quando perde o cabaço, seja por bem, seja por mal. Então procurei reduzir o prejuízo, aceitando ser fodida e enrabada e quaisquer coisas a mais, procurando evitar o pior.

Ainda fazia estas considerações filosóficas, quando o maior deles (o que era mais bonito) levantou a minha saia, rasgando minha calcinha enquanto seu amigo arrancando minha blusa e destruiu meu sutiã.

E daquele momento em diante foi, para mim, muita violência acompanhada de muita dor e, consequentemente, de um prazer indescritível.

O maior chupava com muita aptidão minha bucetinha, mordia meu clitóris, apertando meus seios com seus dedos (eles pareciam serem um verdadeiro torquês), enquanto o outro me lambia todinha, me beijava e passava seus dedos no meu reto, o que desenvolveu em mim um crescente tesão, combinando a dor com o prazer.

O grandalhão apontou seu pau imenso na direção da minha bucetinha e o meteu, entrando inteiro, de uma forma muito bruta, arrombando meu hímen (senti um pouco da dor graças ao prazer que senti naquele momento), enquanto, para o outro, eu fui apresentada, pela primeira vez, ao serviço de boquete com uma jeba também enorme.

O que me fodia me fazia sentir dor, me empurrando com violência até o colo do meu útero, não agüentando mais a sua penetração, enquanto que comecei a receber a porra do outro, enchendo a minha boca e não conseguindo impedir que eu engolisse tudo.

Do meu corpo e da minha mente, experimentava uma dor associada ao imenso tesão, sentindo o gozo de receber em minha boca simultaneamente ao vai-e-vem de um pau numa bucetinha muito apertada, uma bucetinha zero quilômetros.

Nem realizei que, aquele macho que estava brincando no meu anus, tinha enfiado dois ou três dedos no meu cuzinho. Eu não estava pronta para isto, mas eles não tiveram nem dó nem piedade comigo. Não mostrei prazer em ser enrabada pelos dedos de um e outro comia pela frente, desta vez sentindo uma dor nunca conhecida por mim, mas adorei ser mal tratada por eles, um se saciando de um lado e outro por outro lado, eu não conseguindo entender a origem da energia contida nos dois. Algumas vezes gemi alto e gritei de dor e prazer e um deles me deu vários bofetões, dizendo que eu não podia fazer barulho, enquanto o outro dizia em voz baixa, “sua puta gostosa, sei que você quer tudo isto, não é?,... sei que apenas um macho para você é pouco?,... aproveite seu prazer em silencia, sua vagabunda”, enquanto o outro me estapeava com prazer. E eu procurava não demonstrar o prazer e a excitação que eu tinha em meu coração e na minha cabeça!

Apenas eu não sabia quantos orgasmos e quantos gozos senti nesta noite, pois eles cansaram de se esgotar no meu corpo, enchendo muitas vezes na minha vagina, no meu reto e na minha boca com o mel maravilhoso deles.

Quando finalmente cansaram, saíram de mim, respiraram um pouco, limpando-se com a saia e com a blusa, soltaram meus braços, reiterando que não deveria gritar por socorro, e desapareceram, enquanto eu fiquei em silencio no matinho por uns quinze minutos.

Na realidade, eu não queria ser vista por ninguém porque adorei esta tortura, tinha certeza que, se eu tivesse um namorado, não teria obtido o mesmo prazer que tive ao ser currada por estes dois. Certamente senti a grande dor e o supremo sofrimento, mas estas duas emoções me levaram a um verdadeiro nirvana, alcançando o prazer superior.

E, finalmente, nem pensei em procurar uma radio-patrulha, pois certamente perderia o encanto e a paixão obtidos pelo estupro que sofri.

Então me arrumei da melhor forma possível e fui para casa, não sonhando em reencontrá-los, mas deixou em mim uma profunda saudade.

Comentários

02/11/2015 01:41:28
isso é o q vcs merecem
03/05/2011 16:41:18
vc é doida...
02/12/2010 01:57:35
queria essa sorte
07/07/2010 07:51:03
oi sou de cuiabá se estiver afim de sexo me add [email protected]
07/12/2009 18:37:21
Conto mentiroso, e doentio. Incentivo ao estupro é doença. Se você acha que só é possivel ser comida de verdade e realizar suas fantasias com estupro, é porque nunca teve um homeme de verdade.
21/04/2009 23:17:32
nossa credo voce deve ser doente
03/03/2009 00:38:23
pensa garota que falta de imaginação
21/02/2009 13:58:16
kakakakakakakakakakakakakakakakakakakakakakakakfdfdfdfdfdfdfdfdfd
02/08/2008 11:44:23
Que fantasia louca garota.
01/08/2008 17:05:33
oi linda! tbém sou de cuiabá. se quiser curtir uma nova aventura eu adoraria te satisfazer. meu email é [email protected] adoraria te conhecer. seu conto foi incrivel. pena que não fui um dos estrupadores. rssss. beijinho
31/07/2008 19:01:30
Oi, tb sou de MS, adiciona aí, [email protected]

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.




Online porn video at mobile phone


contos gay ajudando meu pai fechar a venda 2contos eroticos de damon salvatoreabusando sarrando a coroa velha contoberoticoconto erotico transei com o irmao do meu esposomenino menoridade inocente porno gayvideo de mulher tirando a o sutian ea calsinha ficando subinuaContos eroticos incestos bato todos dias punhetas para minha filha paulapornodoidocalçinhaseu qeuro vidio di sexomulher passa margarina no cu da amigazuando meti a pica na b***** da égua meladinhaconto erotico sobrinho novinho com tio e tiasexo com mae vadia potuguesa fuder com filhosexo com monstroscotos eróticos patrao pau de asusta berei chorei griteicontos de sexo no carro com um cara aiii metiii maisperdeno as prega saino bosta caseiroTopes fotos de menianas dormindo de shortinho atololado e com um penis fincado no meiotava um tedio danado,resolvi dar a buceta pra ele,incesto contosvideo porno casada nao estava mas sim.segurado pra chupa o mau do amigogrelao entrando contosmeu bundao esta seduzindo meu filho filmefato real de noiada chupando roladeixei meu tio chupar meu peito e ele ficou batendo uma no pau dwcontos eroticos vovôxvidio decotes da braquinhaxvídeos 10 mamae fas cudoce mae efilhonovinhas.abrir.buzentavideo porno denovinha enfrento pau grandenovimhas sem pentelho.ma.bucetimha damdo pra un mendimgo o rabimhorapaz pula fora quando senti que o negao ia empurrar tudovideo porno jotalhaoContos com fotos velhos fudedores chupadoresxvideos gay fui estuprado por que nao paguei as drogasxxvido apontei sevagevinha perdendo a virgindadevídeos pornô certinho não quero nenhum errando dando errado por favor obrigadabrincando escanchada contos pornomarisa chupando meu pauvelhos pintudos andando na praia nudistas videosnovinhobonitinho de quatro pede rola grossano cu14 centímetros conto heterobaixar pro celular videos novinha gordinha de chortinho dando pro irmao pauzudoporno sarando na coroa na frente do corno no onibosmulher não transa com pauzãooooencocho a irmanzinhaContos eroticos dormindo,filme porno filho da mae corno froxo ta cansado do trabalhocontos eróticos putas da ruavídeo porno amadores encostano a pica na buseta cabeluda da intiada durmidonão sei Teixeirinha gostosa arrombadaxvideos/estavamos asistindo tv e minha sogra me chupoumeu tio comeu minha bucetinha virgem parte 2 contos eroticosfilme casal insurportavel pornodoidoContos eroticos eu e minha amiga viramos putinhas desde pequeninhaporno violento da ruiva doiz homemirmalouca pra perdero cabaco pro irmarqero vido de transafamiliarporno safada batendo punheta pro ricardão na cama com o corno dormindo pornomenage masculino contosadoro ser enrabada conto eroticoconto erotico gay meu pai vendeu meu cu por 100 reais pro seu/amigoContos eróticos gay meninos maldososmulher da bundona fica de quatro e negao li enfia a pirocamulheres chorando muito pedindocpra parar de botar no cutransandp no presidio com a maiconto xota formigando paisexo com tapas na cara.puxau de cabelosfiadinho dano o cu gritano de dor pra um ttraveste palzudo pormo brasileiro gratesconto erotico corno na lua de melfavelenta xvideofiume porno garoto senti tezao pela crentinhaporno mirou na buceta e acentou o cucontos enrabei um cuzinho gostosofilha fodendo com pai na excursaoporno provisional com casal apaixonadoscontos de incesto cumadrebritadeira sem limite xvideimcesto com meu papai que pica enormepapaicontos desvirginando a mulher do cornover videos de marido tanpano os olhos da esposa e levando outro homem para fodelacasetudo comendo cadela no cioXVídeos pornô padrasto comendo enteada ela me procurou e eu não resisti vídeo brasileiroContos eróticos esposa e SograTranzando com as velilhas tetudas debicos grandehomens com rolas veiúdas transandoconto gay cagando reformasexo com minha esposa e mais outro homem quais as dicas para convencê-la?sinhazinha estrupada por escravos pornocontos eróticos as amiguinhasSo fotos de picas de 20 centímetros enfiado na bucetahistórias eroticas os flintstones sr pedreiradei por meu vizinhoContos casal achou um comedor topa tudoMinha tia evangélica no sofá tarada chantageei e comi minha avo contoSexo menage aclimação casadaXsvideos artista pintando macho nuconto porno saiu sanguecontos pai atolou tudo no cuzinho d filha.com fotos