Casa dos Contos Eróticos

Click to this video!

Mamãe, 03

Autor: AribJr
Categoria: Heterossexual
Data: 04/02/2009 11:54:11
Nota 8.33
Ler comentários (3) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

<center><tt> Mamãe –</tt></center>

<center><strong><b>OUTRA NOITE LIVRES</b></strong></Center>

<blockquote><i>Não sei se o que senti foi o gosto do paraíso ou se outro qualquer sentimento, só sei que parecia que nunca tinha gozado em minhas vida.

Mamãe não falou nada quando terminou de engolir meu gozo, apenas limpou a boca e sorriu. Saímos de casa lá pelas nove da noite para outra rodada de brincadeiras.</i></blockquote>

<center>● ● ● ● ● ●</center>

Me sentia mais vivo que sempre e quando avistei minha turma mamãe segurou minha mão e apertou, Teresinha estava abraçada com Natanael.

— Tua namorada arranchou outro cacho... – sussurrou em meu ouvido.

— Minha namorada está comigo – respondi e ela sorriu.

Nos misturamos na folia como se fossemos realmente namorados, mamãe vestia uma bermuda cor preta curta, camisa vermelha amarrada na barriga e parecia uma garota alegre com a felicidade do carnaval. Vez por outra me abraçava por trás e acariciava meu pau que não ficou mole um instante sequer.

— Te controla filho... – sussurrava e mordia o lóbulo de minha orelha – Assim vão perceber...

Não dava para voltar a ter controle sobre mim mesmo, não com dona Denise me fazendo carinho daquele jeito.

— Ninguém está ligando pra nada... – respondi – É carnaval, lembra?

Uma banda tocava músicas antigas de carnaval, todo mundo pulava e contava aos gritos formando um coro de brincantes que se misturava aos desejos e anseios de esquecer a vida e viver apenas o momento.

Foi quando a música passou a ser marcha lenta que dei o primeiro abraço de verdade nela, ficamos calados dançando ao som de Máscara Negra e quando o povaréu gritou a todo pulmão “vou beijar-te agora” dei um beijo carregado de paixão. No princípio vi seus olhos arregalados de espanto e medo de sermos vistos, mas sua mão carinhosa continuou passando em minhas costas e o beijo roubado se transformou em beijo desejado. Um beijo que pareceu durar uma eternidade e que selou nossos desejos e jogou por terra as últimas barreiras que ainda existiam.

— Estou cansada... – mamãe me olhou dentro dos olhos – Vamos sair um pouco...

Não esperou que eu respondesse, segurou minha mão e me puxou para fora da horda enlouquecida que pulava e cantava aos berros. Me deixei puxar e a segui como nos tempos de criança sem me importar para onde estava sendo levado, apenas caminhei sem sentir o chão debaixo de mim, eu estava no céu, caminhava nas nuvens.

— Pega uma cerveja pra mim... – ela parou.

Não falei nada, andei lerdo para a barraca de pano branco e voltei com duas latas de cerveja. Mamãe abriu a sua e deu um gole grande, fiquei olhando para ela.

— Minha garganta estava seca... – sorriu e tornou a beber – Minhas pernas estão bambas, tu quase me mata sem fôlego...

Tornei a abraça-la e dessa vez ela não demonstrou o mesmo medo que dentro da multidão e ficamos abraçados escutando nossos próprios pensamentos no meio daquele turbilhão de alegria vivendo nossas próprias alegrias.

— Tu és maluco filho... – acariciou minha nuca – Mas fazia anos que não era beijada dessa maneira...

Não respondi, apenas suspirei ainda sem acreditar que era verdade.

— Ainda estou tremendo... – murmurou – Tu beija como gente grande...

Sorriu e segurou meu rosto e olhou dentro de meus olhos.

— É isso mesmo o que você quer? – a voz parecia uma melodia celestial destacando na algazarra.

— Tu sabes que sim... – respondi depois de quase dois minutos – Tu sabes que sim...

Ela suspirou e vi o rosto crescer e a boca carnuda abrir, vi os dentes alvos e a ponta da língua apontando. Fechei os olhos e recebi aquele beijo como um presente há muito desejado. Não foi um beijo demorado como o nosso primeiro, mas foi tão gostoso quanto aquele.

— Deve estar louca... – suspirou, no rosto um sorriso de satisfação – Mas nunca me senti tão bej como agora...

Voltamos para o meio da multidão não mais como filho e mãe, éramos namorados amantes desejando a liberdade da alegria e fomos, talvez, o casal mais alegre e que alto cantou e pulou dentro milhares que se acotovelavam. Vez por outra eu ou ela saiamos para comprar bebida e brincamos e bebemos até que nossas pernas pareceram não mais responderem nossos estímulos.

— Não agüento mais... – ela sorriu, a camisa ensopada de suor deixava ver os mamilos intumescidos – Meu tempo já passou...

Mas eu estava mais cansado que ela, só que arrancaria forças de onde não tinha só para ficar com ela, para vê-la brincar feliz, para tocar em seu corpo, para beijar sua boca e continuar vivendo aquele sonho que imaginava não continuar depois que voltássemos para nosso mundo.

— Me leva embora Fred... – me abraçou, nossos corpos banhados de suor.

— Ainda é cedo mãe... – ainda tentei prolongar aquele meu momento.

— Não agüento mais, me leva daqui...

Deu um suspiro longo e saímos em busca do carro, não falamos nada, apenas caminhamos de mãos dadas ouvindo o barulho se distanciar.

— Nunca me sento mais mulher em toda minha vida... – ela se recostou no banco do carro e ligou o toca cd.

Eu dirigia como um zumbi sem ver de verdade os outros carros, as pessoas perambulando pelas ruas ou os edifícios majestosos onde por certo outras vidas viviam seus momentos de felicidade. A minha felicidade tinha ficado perambulando solta no meio do povaréu, mas eu estava feliz, por um breve momento fui o mais feliz e amado dos homens.

— Que foi? – mamãe estranhou meu silêncio – Cadê meu folião alegre...

Senti a mão acariciar meu pescoço e um arrepio correu serelepe por meu corpo, olhei para ela e tentei sorrir.

— Estou cansado... – menti – Quero tomar um banho de uma hora e cair na cama.

Não sei se foi verdade, mas penso que vi uma luz a mais cintilando em faísca dentro dos olhos.

<center><b>PARA MELHOR ENTENDER ESSE RELATO LEIA OS EPISÓDIOS ANTERIORES</b></center>

<center><tt> Mamãe –MAMÃE)</tt></center>

<center><tt> Mamãe –MAMÃE, OUTRO DIA...)</tt></center>

Comentários

15/05/2010 23:59:55
Excelente, sensual, muito bom...
31/12/2009 14:08:19
sensacional
04/02/2009 13:36:35
INTERESSANTE, MAS NÃO COMEU AINDA, CONTA A TRANSA A QUAL VCS TREPAM, COME CO CUZINHO DELA.

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.




Online porn video at mobile phone


incesto com meu vô contosComi o rabo sujo de bosta do Lukinha contos eróticos gaysxvideos gay cu rasgadaicurrado na borracharia de beira de estrada conto erótico gaycontos eróticos vovó transando com cavalosexo entre.lutadores perdeu auta da ocuzinho pro vencedor ver pornoporno lubrificando o cu com manteiga e socando a mao infeira dentro delesangue suor lagrimas tortura pornomulher e obrigada a ser penetrada por gancho pornodoidomama no caralho quando conduzo video pornolesbica estuprada pelos cachorros do vizinho conto eroticoporno pai brincando de fazer cocegas na filhacontos erotico chantagem e submissão de casal novinhopornou homem nao aguenta e goza na burcerta da putacontos eroticos corno bebado esposa com fogo no rabo amigo roludoas navia perdebi cabacofilinha novinha chega. colegio corre senta colo pai pra senti pau pai vibra na sua bundinha contoscontos veridico de incesto marido pego no flagra a esposa ensinando o sobrinho mega dotado a fudesou evagelica e nao tive em casa e procurei fora contos eroticoxvideo dechei meu socro abusar demiporno brasileiro oilando o gay brasileiro da banda lizinha tomar banhowattpad enteado gay adora chupar a rola do padrasto musculosovizinha lactante contoscontos de zoofilia com pai e filhinhatransei com minha visinha casada no quintal delafotos decasadinhas boqueteiras do corninhobucetas beiçudas de sograAs novinha que adora chupar i tamar a porraxvideo.ana desfarsado no quarto da novinhaporno eu e minha cunhada ficamos sozinho em casa não resistir elaseduzida por um estranho contos pornoos erótico sou casada e transei com negão africano mega dotadogostosa infia bolinha explovisa na buceta e vai treparwww.guarda costa da granfina porno[email protected]Aguentei a rola enorme do papai contos eróticoscontos de sentadinha com o cuzinhoconto erotico dei para um estranho na casa de swingespiei a minha madrasta gostosa e fiz um vídeo caseiro delacontos eroticos amiguinhasMeu Padrasto parte-01 Autor Alex - Casa Dos Contosconto erotico crossdress na academiapoi no meu cu tiodei meu cu e tava bom pornovideo de porno gay fui estrupado pero mel primotraficante pausudo estourou o cuzinho da minha namorada na favela contosvideos porno de casadas que escreve na bunda corno felis e fodi muntocontos de novinhas iniciada na webmijador mijo 2017 tesãopono coxada mulher tera cacinha dela metro so saia 2017ver homem chamadobucetaContos eróticos entre marido e mulher que se reconciliaramgostosa infia bolinha explovisa na buceta e vai treparguris metendochantagiei e comi o viadinho magrinho contosdei minha virgindade promeuirmãogêmeodavs contos eróticosmundobicha lutador Danny gay dando cuExibicionismo em praia de nudismo lotafaMeu irmao tirou minha virgindade da minha buceta no motel conto erotico de incesto de irma virgem e irmao no motelporno sem casaminhascontos eróticos comendocontos corno beija pés humilhadobolonhesa fodendo porno doidoconto gay meu amor psicopatacontos.porno gay um.namoro americano cap 29buceta nua com pintei moicanocontos eroticos de mai traindo eafinha espiando escondidacu manteigaDEI PARA MEU FILHO NO SOFAfilha. acorda. sentindo apica do seu pai toda na. sua. bucetinha ..peguei a minha sogra com u shortinho enterrado na bunda i comi u seu cu video pornosexo novos banho conhadas nuascontos erotico flagrado pela a sogra no banho