Casa dos Contos Eróticos

Click to this video!

Bruna danadinha

Autor: Dom
Categoria: Heterossexual
Data: 18/03/2009 16:38:29
Nota 8.00

Em janeiro de 2009, fui visitar meu velho amigo Walter que não a via há muito tempo, como ele havia se mudado pro campo, eu precisava descansar depois de muito trabalho suado. Pois bem, chegando na sua fazenda, deparei-me com uma gatinha, ou melhor, uma ninfeta de tirar o chapéu, ela estava de baixo de uma árvore numa cadeira de balanço. Perguntei de longe se o Walter estava, ela sorriu levemente e balançou a cabeça com afirmação. Walter abriu a porta e me cumprimentou, convidou pra entrar em sua casa.

Conheci seus familiares, conversamos bastante, mas o momento mais esperado foi quando a Bruna entrou: morena, 18 anos, cabelos negros, longos ondulados, magra, olhos expressivos, seios médios, com jeitinho de menina, bumbum empinado e linda. Eu poderia dizer que ela teria características de uma modelo, seu rosto bem limpo e com um ar de santinha.

À noite, estávamos na mesa jantando, Bruna sentada ao meu lado, coloca a mão discretamente na minha coxa, percebo que é um bilhete, e recebo sem problema. Depois que todo mundo jantou, Walter me levou até o quarto de hospedes, coloquei as minhas coisas na mesa e sentei na cama, comecei a ler o bilhete de Bruna, assim dizia: “me encontre no celeiro a meia noite, te espero”. Como já era 23 horas, e todo mundo já estava se preparando pra dormir, só teria que esperar uma hora pra estar com aquela delícia.

Tomei um banho, me preparei todo, tive total liberdade pra sair da casa, encaminhei-me até o celeiro e lá estava ela, com vestido negro pra não chamar a atenção, cabelos soltos e o sorriso estampado. Aproximei-me dela, ela abaixou a cabeça num gesto tímido e me abraçou, em seguida pegou na minha mão me levando para dentro do celeiro perto da porta. Se pensar duas vezes, segurei o seu rosto e beijei de uma forma intensa, ela passava a mão na minha barriga arranhando bem de leve. Senti que ela estava preocupada, meio tensa, ela não parava de olhar para a casa, mesmo assim eu estava envolvido completamente sem perceber o perigo de ser pego pela família de Walter, principalmente pela mãe dela.

Bruna diz no meu ouvido: “eu sou virgem, mas quero que faça uma coisa”. Nesse momento fico super excitado, ela se ajoelha e abre o zíper da minha calça, tira os meus 18 cm de pau, ela primeiro passa a língua na cabeça freneticamente, e sem perder o costume, olha para a casa de novo. Ela começa a chupar o meu pau latejante, fazendo pequenos gemidos de prazer, segurei a cabeça dela e empurrei um pouco mais na sua boquinha gulosa, ela se engasga na hora, mas ela não pára de chupar, vi que ela gostava daquilo, forcei um pouco mais até ela começar a lagrimar. Bruna deixa o meu pau bem melado, notei que ela gostava de dominar a situação, mas eu estava gostando de tudo aquilo. Ela vira pra mim, se dirige até a porta, coloca a cabeça pro lado de fora do celeiro, levanta o vestido, tira a calcinha e pede choramingando: “Vem, enfia no meu cuzinho”. Rapidamente abaixei, comecei a lamber aquela bundinha bem redonda, enfiei a língua naquele cu que ela começou a rebolar, meti o dedo pra fazer a abertura, Bruna gemia baixinho, segurei pela cintura e fui enfiando o meu pau devagar no rabo bem apertadinho dela, ela pedia pra eu enfiar tudo, realizei o seu desejo na hora, comecei a fuder aquela bundinha arrebitada sem ter dó, ela olhando para a casa pra ver se vinha alguém e eu atolando a minha pica naquele buraco gostoso, já estava metendo com violência, até que ela pediu para eu parar, ela dizia: “Ta bom, pára, meu cu ta ardendo, ta doendo”. Só que desta vez eu não obedeci, continuei enfiando, peguei pelo cabelo dela e puxei para beijá-la, abafando a sua reclamação. Eu dizia: “Vou fuder todo o seu rabo, sua putinha, agora agüenta, vou gozar no teu cu”. Ela gemia tanto que ela pedia mais: “Fode meu cuzinho...ta doendo...aiiiiii...mete gostoso”. Não agüentei, gozei feito um louco no cu dela, eu disse: “Toma sua puta”, a abracei bem forte, depois retirei a ferramenta do buraquinho. Ela olha pra mim, se ajeita, não diz uma palavra e sai correndo pra casa.

No dia seguinte, no café da manha, Bruna sentou bem a minha frente e sorriu disfarçadamente para eu somente perceber, olhei pra ela, e disse a mim mesmo: “Como é bom comer a filha do meu velho amigo Walter”.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.




Online porn video at mobile phone


quero ver madrasta chupa sua em teada dormindosou puta e cadela do meu cachorro e corno adoraliberalina vadia casadavidio disexe porno yotubenabuceta vcaguentar amorminha esposa dormindo toda gostosa todaolhadinhacontos eróticos eu vi minha tia amamentandovideos esposa convida a comadre pra fazer suruba com maridopunheta na infancia com amigocontos erotivos apostando baralho com sogra e cunhadahistorias porno gay meu tio me comeu serginhoporno homem pega sua mulher com seu amigo e ao inves de briga fica só olhando e se masturbando escondidovideo porno papai italiano comendo a filhinha italianinhaamigos fodem o casal bi que arranham na rua pornoporno.padrasto.esculacha.panteras.xxmulher se decepciona por pegar o marido d********* pro negãocomedor de mulher alheia nu apanhaporno com egua muito igienizadacontos eróticos incestos fudendo a meia irmã filha do meu paiquero zap d travest d itaquecetubaxxvideos loirinha da para o cachorro de raça alemã viagei a trabalho e meu noivo virou corno o homem me dominou vidio di hme k toroco disexo2 parte de eu minha amiga e o pai dela conto herotico helena e renatacontos erotico papai minha amiguinha q vc arregaça ela tambémdei meu leite materno para ele contos eroticos.contos eroticos de negra crente do piraímobile zoofilia com cachora femiafeminização forçada contosporno sem casaminhasmulher levanta profunda fazendo corda no pirocaocomo fazersrxo pinto vibradorfazendeiro me comeu montado no cavalo contos eroticosThaiana xvideos sabiabaxinha dando baixinhopornodoidocontos eróticos dei pra estranhos pelo buraco na paredeex cunhado cacetudofudi ela e o namorado delavideos caseiro de mulher transando com homem magro no colchãoxexo porno menino dado umaio namenina infiando odedo nabucetinha delaContos porno bucetinha da bisnetinhamulher esculhanbando is outros no comentario do nariz thifanyvideocurto brasileiro de corno humilhadocontos eróticos de sequestrotitia nice mamando rola pretaContos erotico iseto tia e subrinhomulheres prendeno o bico do seio com prendedor xvideovodioporno de meninas que nao guento pau no cu.e berocontos gay ajudando meu pai fechar a venda 2gazando juntoxvtaradona nivinha loca pra dar oacuzin mas o pausudo nao esta dando conta de te comer num enta o cacetecontos exitantes nora tarada passeando com sogro tesudominha mãe tomando banho e eu não resisti e entrei dentro do banheiro e forcei ela fazer sexo.conto erotico gay na saida do bar de madrugada um travesti me estuprouporno safada batendo punheta pro ricardão na cama com o corno dormindo pornoalargada e assada e arrombada contoEsfreegando a pica na maninha inocenti contos eroticcoscontos de marido bem dotado querendo ver a mulher com duas picas no cu e bucetacomendo a mileninha gostosinhaxvideos paacas.com.peconto casada novinha e comida pelo traficante pausudo a forcasobrinha contoacarisiei a boceta da minha filhaksalswing2011menino de atrasou e pediu carona pra homem sarado na moto pornogozando.na.loirinha francyporno pradrastro bebo fosando a em teada fode a fosacontoserotecos minha mulher com bunda cheia de porraVideos de zoocadela no cio piroca nelacontos erotico papai vai cabercontos bi vi meu pri meter na prinha prima fiz ele comer meu cu e eu fudi eláporno secretaria aser estupprada no escritorio e gozada dentro da vagina sem ela quererconto erótico menino bonequinhachupei lambi os pés da minha prima mais nova dormindovideo porno inedito de mulher gozando descontrolada no vibradorpornos de cornudos a serem enrrabados