Casa dos Contos Eróticos


Click to this video!

Marido de amiga minha... é homem - Parte final

Um conto erótico de Maximus0357
Categoria: Heterossexual
Data: 25/05/2009 23:10:40
Última revisão: 07/11/2012 13:18:15
Nota 9.08

Nos últimos meses Elisa estava um porre!

Depois de muitas e muitas trepadas ela deixava transparecer o seu lado feio. O lado da mulher executiva, que tudo quer ao seu modo, sempre impondo sua vontade. Nossas transas já estavam pra lá de complicadas, isso sem contar o fato de que nas últimas vezes ela me propunha a idéia mais absurda da vida: Fruto de uma mente possessíva, Elisa almejava separar-se do corninho do Luiz para, segundo ela, casar-se comigo!!!

Jamais passou pela minha cabeça viver com aquela mulher! Sem dúvida ela era um tesão na cama. Mal amada e mal comida pelo marido, fodia quando podia feito uma cadela no cio! Não havia limites para a sua libido.

Nossas conversas estavam cada dia mais azedas e agora eu tentava evitá-la a todo custo.

Sexta feira de chuva em São Paulo, fim de tarde e eu de saco muito cheio no escritório. Que semana de merda, clientes mimados ligando a todo minuto, exigindo coisas absurdas... nestes momentos eu divagava e sonhava em mandar tudo a merda! Ainda bem que amanhã vou andar de kart e depositar toda minha frustração e ansiedade no pedal do acelerador. Lá dentro do meu capacete é o lugar onde me sinto melhor no mundo. Sozinho com meus pensamentos e sensações. Quem já correu sabe do estou falando.

Minha secretária interfona e me diz que a Sra. Alice do Banespa estava na ante sala esperando para me ver.

- Célia, ela tem horário marcado? Você agendou algo?

- Não Dr.Máximus! Ela disse que foi o diretor geral do banco que lhe deu seu telefone e pediu a gentiileza de atendê-la.

- Ok, por favor leve-a até a sala de reuniões que estarei lá em segundos.

Resolvi mais alguns assuntos de papéis da minha mesa, coloquei meu paletó dei uma ajeitada na gravata e pensei comigo mesmo: - Que saco!!! Em plena sexta feira!!! No fim do expediente!!!

Torci a maçaneta e entrei na sala. A mulher estava de costas para mim. Fechei a porta e dei um sonoro boa tarde!!

A mulher se levantou.

- Elisa!?!?! O que você está fazendo aqui?

- Você não retorna meus telefonemas seu filho da puta!

- Fale baixo, aqui é ambiente de trabalho, não é lugar para escandalos!

- Escândalo o caralho!!! Se você não conversar comigo agora, vou fazer uma puta baixaria aqui!!

- Elisa, por favor, sente-se!, vamos conversar com calma, está bem?

Elisa sentou-se visivelmente contrariada e com os olhos marejados de lágrimas.

Fuzilou-me com o olhar e disse:

- Você sabe que na tua boca eu me senti realmente mulher?? Que no teu toque eu me realizei e que na tua rola, cheia de tesão eu quis morrer?

- Elisa eu também adoro transar com você, mas já conversamos sobre isso. É físico! Quando você pressiona dessa maneira, só faz diminuir o tesão!

- Eu sei, mas não consigo me controlar. É como se fosse uma droga! Eu não vivo sem ela. Se ao menos aquele merda do Luiz me comesse como você, seria mais fácil.

Naquele momento tive realmente pena da Elisa. Aquela mulher soberba estava acabada, se humilhando, implorando por uma rola. Me aproximei e a abracei ternamente. Elisa apoiou sua cabeça em meu peito e chorou. Chorou muito, um choro sentido, doído. Choro de mulher negligenciada.

- Meu amor, por favor seja racional. Você realmente teria coragem de enfrentar a Martha depois disso tudo? Vocês são amigas!

- Eu sei. Mas também sou egoista. Que se foda a Martha, eu quero você pra mim!

Elisa me olhou nos olhos profundamente. Sua boca estava a menos de cinco centímetros da minha. Seu perfume Channel me inebriava. Lentamente me aproximei...mais e mais, olhando no fundo dos seus olhos, até que nossos lábios se tocaram suavemente. Elisa beijou minha boca com vontade e paixão.

O beijo apaixonado, aos poucos ganhou intensidade e tesão. Elisa mordiscava meus lábios e me abraçava com muita ternura.

Naquele momento pensei como era frágil e delicada. A máscara de executiva durona era a mais pura defesa da sua fragilidade.

Estiquei minha mão e interfonei, com Elisa beijando meu pescoço.

- Célia, se você não tiver mais nenhum serviço, pode ir.

- Obrigado Dr. Máximus, bom fim de semana.

- Obrigado Célia para você também! Por favor tranque a porta que na hora de ir embora eu a abro por dentro.

Mal desliguei o fone, Elisa caiu de joelhos no chão acarpetado da sala de reuniões e feito uma vadia esfomeada, foi soltando meu cinto, abrindo o ziper e caindo de boca no meu caralho que aquela altura estava a meia bomba.

Puxou a pele pra tras expondo todo o prepúcio, deliciando-se com o cheiro e o gosto do caralho, Elisa passava-o gentilmente no rosto, nos lábios e nos olhos. Ora colocando-o na boca, ora o esfregando lambuzado com sua saliva pelo próprio rosto. Aquela cena foi me excitando. Eu segurava Elisa pelos cabelos e com as costas apoiadas no alto espaldar da cadeira, controlava o ritmo da chupada. Da glande até o talo Elisa sorvia cada aroma, cada sabor, levemente ela roçava seus dentes na cabeça sabendo que aquilo me levava a loucura. Alternava movimentos suaves exageradamente úmidos, em que a baba escorria me molhando todos os pentelhos, a outros, fortes e selvagens.

Aos poucos o tesão foi crescendo, brotando no meu âmago, aquela sensação indescritível de quem quer mas não quer. O frisson do pré gozo crescente em ondas...

- Elisa eu vou gozaaarr....

Elisa levantou os olhos chupando de levinho a cabeça vermelha e inchada, como quem chupa um delicioso sorvete. Me olhava fundo nos olhos como quem lança um desafio. Desafiando-me a violar sua boca. Puxou a pele pra baixo e desceu lentamente roçando os dentes por toda extensão do corpo do meu caralho. As veias intumescidas contornavam todo o membro, como um cipó entrelaçado no tronco. Meus sentidos me fugiam...minha mente divagava. O tesão era meu senhor.

Segurei o que pude, mas parece que foi pior, pois quando o jato brotou do meu interior foi forte. Espesso e volumoso. Senti a porra rompendo as paredes da uretra, tal qual uma mangueira pressurizada por uma bomba. Bombeei minha porra na garganta de Elisa.

Sem diminuir a pressão, Elisa mamou com apetite, saciando sua fome de porra. Extasiei-me naquele momento que parecia não ter mais fim. Com maestria Elisa degustou seu premio e deixou-me completamente limpo. Sem nenhuma palavra sentou-se de frente para mim de beijou-me demoradamente.

Depois disso afastou-se. Languidamente olhando-me sempre nos olhos, soltou os botões do seu pesado casaco e deixou-o cair aos seus pés. Trajava apenas uma sensual langerie. Um soutien finíssimo de seda e renda branca e uma minúscula calcinha fio dental super cavada. A cor da sua pele contrastava com a langerie deixando-a poderosa e sensual.

Livrei-me das calças, camisa, gravata e paletó num passe de mágica e a abracei de frente chupando por entre o decote do soutien aqueles mamilos sensacionais. Duros ao extremo forçavam o fino tecido como que a rompê-los. Ora mordiscava-os por sobre o tecido, ora insinuava minha língua por entre o decote. Elisa curvava seu corpo para tras até apoiar sua bunda deliciosa na beirada da enorme mesa de reuniões. Com a mão esquerda, comecei a massagear-lhe a vulva insinuando meu dedo médio por entre o fino elástico da calcinha. Tateando descobri que Elisa estava ensopada.

Delicadamente, tirei-lhe a calcinha e a recostei na mesa abrindo suas pernas.

A visão daquela boceta era um espetáculo a parte! Perfeitamente depilada, o clítoris pronunciava-se por entre os grandes lábios, duro e protuberante. De pernas abertas eu podia ver com exatidão todas as suas formas e contornos.

A visão era hipnotizante, fui me aproximando e sentindo aquele cheiro de fêmea que exalava da sua buceta. A pele lisa e alva era um convite a uma chupada.

Aproximei-me devagarzinho e toquei seu clitoris com a ponta da língua. Elisa arqueou o tronco oferecendo-me a buceta. Entrelacei meus braços por sobre as suas coxas e afundei minha cabeça naquela fruta da perdição. Cheirei, bebi, mordi, me saciei naquela buceta suculenta. Elisa pulsava e gozava uma vez após a outra.

Virei-a de bruços arrebitando-lhe o rabo feito uma cadela. De pernas abertas via sua buceta dividida em duas metades deliciosas. Como dois gomos de uma mexerica ponkan. Grossos e úmidos pelo tesão e pela minha saliva.

Enterrei minha cara naquela bunda deliciosa, lambendo cada dobrinha, cada centímetro daquela xana deliciosa. Elisa era a minha cadela, minha potra...minha bezerrinha. A língua ousada percorria suas entranhas, passeando pela sua buceta para repousar naquele cuzinho rozado que eu havia deflorado. Sabendo o tesão que Elisa tinha em levar no rabo, torturava-a lambendo cada dobrinha e pincelando minha lingua na portinha do seu cuzinho. Elisa piscava o rabo feito uma vadia. Agora já experiente na prática anal, Elisa descontraia, mais e mais a musculatura abrindo seu esfincter com maestria. De rabo empinado e fazendo o cuzinho piscar, me olhava com a maior cara de vadia.

- não vai me foder??

Desferi-lhe um tremendo tapa na bunda que marcou-lhe os cinco dedos...

Elisa pingava de tesão. Seus sucos escorriam pelas pernas e sua buceta brilhava na luz da sala.

- Cadela..., desce da mesa! disse segurando-a pelos cabelos. (Elisa adora ser dominada)

Desceu da mesa gozando...quando levou sua mão a buceta, dei-lhe uma tremenda bronca e um chacoalhão.

- O que você pensa que está fazendo?? Você acha que vai se masturbar na minha frente? Você não queria ser comida??

- Quero...me fode!!!

Elisa prontamente caiu no carpete arrebitando o rabo de cadela para mim. Pincelei meu pau na porta da sua buceta e soquei de uma só vez...

Elisa trincou os dentes e empurrou a bunda de encontro a minha virilha...

- issoo...me fode que nem macho, caralho!!!

Segurei-a pelos cabelos e com força arqueei suas costas puxando-a em minha direção. Feito uma égua que leva a rola do seu garanhão, soquei-lhe na buceta com força e profundamente.

Em minutos Elisa gozava despudoradamente, balbuciava coisas desconexas, ria, chorava, rebolava no meu caralho e pedia mais!!! Mais!!!

Apoiou-se no cotovelo com a cara enfiada no carpete e com a outra mão procurou a verga que lhe estava enfiada. Sabia da suas intenções. Queria o caralho atolado no cú!

Segurei-a pelo pulso dizendo:

- Agora não!! Quem decide sou eu! Você não reclama que o Luiz é frouxo.

- Reclamo...mas por favor, coloca agora...

Outro tapa explodiu em suas nádegas! Senti a sua vagina contrair-se tanto que quase esmagava meu caralho...

- Isssooo...me fodeeee...me bateeee...bateee maiiiisss

- Vadiaaa... Puutaa...Eliiisa... você é uma vadiaaaa!!!

- Soouu...o Luiz nunca vai ver essas marcas na minha bunda, porque ele não está nem ai. Eu sou sua puta simmm, eu queroooo... bate maissss...

Virava a cabeça pra trás me desafiando, querendo mexer com meus brios. Elisa sempre queria estar no controle, seja onde fosse. Confesso que perdi a dó e desferi-lhe um sem número de palmadas naquela bunda alva. Agora um vermelhão se formava e quanto mais eu batia, mais Elisa gostava...

- Me fode seu viadoooo!!!

- Como é que é sua cadela???

Tirei o pau da sua buceta e sem dó, de uma só vez cravei-lhe no cú...

Elisa levantou o corpo de encontro ao meu peito e com a mão encima do clitoris começou a se masturbar feito louca. Eu estava ensandecido, peguei-a pelos cabelos e forcei seu rosto contra o chão. Com a mão esquerda abri seu rabo e a apoiei em sua bunda. Comecei a socar-lhe violentamente. Se não fosse consensual com certeza seria um estupro. Meu instinto animal aflorou, já não dominava meus sentidos. Levava meu caralho quase que ao limite do seu ânus para depois desferir-lhe uma estocada profunda, bombando sem trégua...

O suor escorria-me pelo rosto e pelo peito, mas eu, naquele momento estava possuído! Só pensava em fodê-la. Era tesão e raiva misturado. Eu me sentia usado, dominado por aquela mulher e em meus devaneios enfiar-lhe o caralho era o jeito de me vingar.

Meu gozo veio profundo...amargo e espremido, no momento final, levei meu caralho até a porta do seu cú e quando senti o gozo vir-me, atolei no seu cú sem pudor! Ejaculei o que pude, espremido e com força. A fodi de maneira, como nem a uma puta se fode!!

Elisa levantou-se, fitou-me nos olhos e sem dizer nenhuma palavra recolheu suas roupas do chão.

Vestiu-se calada, deu-me um beijo na boca com gosto de despedida e finalmente saiu de minha vida!

(fim)

Comentários para: [email protected]

Primeira parte: http://sharoland-nn.ru/texto/Segunda parte: http://sharoland-nn.ru/texto/Terceira parte: http://sharoland-nn.ru/texto/

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
29/09/2015 20:43:35
*Elisa
29/09/2015 20:43:21
Essa Elise fechou com chave de ouro! Sequência nota mil! ;)
26/04/2015 20:21:59
Tem uma Elisa casadinha e um corno Te esperando ;)
26/04/2015 20:20:18
Que delícia de macho estamos a procura ;)
26/04/2015 20:19:29
18/10/2014 11:33:11
Excelente!!!
11/11/2013 23:35:45
Ótimo desfecho. Estava torcendo para que a Martha desse para o Luiz, fazendo ele aprender a virar homem.
31/10/2013 11:42:40
O autor fez um comentário no meu conto, aí votei aqui pra ver o que eu tinha comentado e vi um sensacional escrito errado... Desculpem!
12/10/2013 10:17:05
Ah! E um beijo pra Elenice e troféu cata-piolho pra ela!
12/10/2013 10:16:04
Grande conto, as analogias que o cara faz são foda, a da mexerica é sensasional e ainda gosta de kart (Não sei se o autor mesmo ou se o personagem)! 10 sem dúvidas.
02/09/2011 17:19:05
Ótimo adorei. Quem pode dar uma nota 4. Por favor é inveja pura. Esse é o primeiro de muitos, q vou ler. Virei tua fã . T Caxias do Sul
13/07/2011 18:34:27
Comecei por este e fui para o primeiro..mas são deliciosos. Parabéns parceiro.
24/04/2011 15:42:43
Sempre adorei seus contos e me senti lisonjeada ao ver um comentário seu em um dos meus contos! Obrigada! Beijos. :)
27/02/2011 11:45:14
Lindo, emocionante, excitante! - não tem nada a ver mas em alguns momentos me fez lembrar do clássico universal "A Dama das Camélias", talvez devido a uma certa pureza, ou meiguice envolvendo a trama em todos os momentos, inclusive nos mais, digamos, "prostitutos". Nota dez.
24/02/2011 15:21:36
10
29/01/2011 23:54:19
Maximus vc é o máximo!!!Nota Essa despedida foi ultra!!!Adorooooooooo!!!!Beijos
22/01/2011 12:23:51
Humm obrigada pelas dicas em meu conto...mas creio que foi um desabafo...rs...adorei os seus...parabens!
08/01/2011 22:15:53
Bom desfecho. Surpreendente, para quem começou tão carinhoso, rsrsrs. Não estava à espera desta agressividade, mas se agrada aos dois é o que importa. Fica excitante demais de qualquer modo. Você é um escritor excelente. Mais uma nota 10 para você!
23/12/2010 19:42:42
ah querido acabei de postar a continuação. beijoss, dá uma lida e comenta, adiciona aii beijãooo até mais
08/12/2010 09:26:44
PUXAA, PQ TEVE GENTE QUE DETONOU NA NOTA??? SEU CONTO ESTAVA DELICIOSO E RICO EM DETALHES. ALÉM DE UM VOCABULÁRIO GOSTOSO. Obrigada pelos comentários no meu conto. Realmente tem muita gente amarga que entra aqui para ficar recriminando quem decidiu viver. Vamos deixar rolar ne rs, parabens pelo seu conto de novo. Gostei muito. bjocas




Online porn video at mobile phone


pornodoido entre irmao enteronpido por tia gostosaflagrei minha irma traindo seu namorado e chantagiei elaCerto ou errado?meu irmao amado contos gays cap.07www.guarda costa da granfina pornoAmigas safadas e putas relatos eroticoscontos eroticos dando o cuzinhi e a boceta pro molekis da vizinhancamalandro gay passivo dando o cu contocontos gay Meupadrasto cavalo me fudeu part4casadoscontos eroticos meu professor me comeu.a gostosinha abrir a bundinha para o negão para o rapevangelicas na zoofilia com cachorrozoofilia cachorro engatado com mulher g************* de dias corridosnovos Contos erodicos de tulawattpad enteado gay adora chupar a rola do padrasto musculosomenina 18 cabasom. padato tula dela camaxxvideo mobile de mulher chupando seios de outra em lactacaoela me contou que tinha sentado na rola grossaesposa gostosa e novinha e tio roludo parte seteporno gabsinhacontos erotico papai vai cabernegras da fo pra pirocudo e chorao xvidio.comcutucou a menininha sem penetrardogs adestrado para zoofiliaporque tem mulheres que sentem prazer ao ser.penetrada com o.dedo no anusPorno contos mamaes iniciam suas bonequinhas no incesto todos juntinhos com papais dando leitinhos na camaxvideo empurrando e gozando topado ate o taloConto herotico incerto completo mae i filhocontos de seco com meu tio aiii gostoso metiiimassageando o picao gigantescodoce nanda parte IV contos eroticosvideos de sexo gay imperador sendo puta dos guardas do palacioComtos eroticos de mulheres q bateram punheta pra cachorroporno sacana mao na bucetta no cu nojento ao vivoseduzida por um estranho contos pornonovinha bududinha querendo um pintaoGta brut mulher nuachupando buseta labefo pasda mso bocscontos erticos novinhos roludos comendo coroasjapones enchendo cu da japinha dr liquido xvideowww vovo adora minha rola preta e chora guodo boto no cu dela porno .comconto xota formigando paicontos eroticos provocando meu cunhadocontos eroticos meu empregado de piça ggContos eróticos da minha noraconto incesto minha irmãzinha adolecente andando encasa com essa roupinha nao da para resisticontos eroticos de jovem transando menstruadas com o professorContos de cochoro que estorou o cabaco da donacontos eroticos safados de professoras madurascontos gays pique esconde no orfanatoboquinha lizinha vidiomulher levanta o vedtido e leva rola na bundaqueria ver vídeo de sexo com lindas coroas chorando e gritando no pau do negão dos peitão e bundão ela g****** junto com negão e o negão g****** junto com ela no pau ela g****** nos corre na gala chorando e gritando de dorarrumei um macho bem r***** pra f**** o c****** do meu marido contos gayescritor lipe casadoscontoscontos de sexo raspei minha bucetavizinha lactante contosSUPERDOTADO ARROMBANDO FALSA MAGRA NEGRA DO BUNDAO DORMIDO DE SHORTINHOconto erótico buceta azedinhadebbrasil pornoconto gay tio e promo safaosxvideo casadinha fica louquinha com eletrecista dotadoconto fui estuprada por pauzudosou amante d minha cunhda contoxxx vídeos novinhas aproveitando que a sua mãe saiu no pornô iradocontos de sexo depilada na praiahttp//mulheres de camisola sem calcinha da.bucetinha peludinhaContoeroticosobrinhonovinhoesposinha depravada seduz velhoContos ertcos me mastubei na sala de aula flagada pelo garoto novinhodois pauzudo fodendo duas vadias das beradas grosa de cabeça para baixofilme porno "ligados pelo desejo"contos eroticos urei de tanto gozar minha buceta inchadameu professor de natacao me comeu gay contoFoto picudo estotando a bucetinha da casadanariz de policial dando o priquito a outros policialQuero assistir filme pornô brasileiro das Panteras pai vendo a filha tomando banho no banheiro e fica olhando ela nua de espinhasCaralhudos na bucetinha virgemcontos eróticos de marido chega em casa e escuta sua mulher gemendo e brexa o cara comendo o cú delaComendo a garotinha contos eriticoela tamava banho quando foi surpreendia pelo roludo que tirou sua virgindadevideos de gosdosa tirado fio dendal de 22anosContos eróticos da minha noracontos eróticos mamãe deixa novinha com padrastoconto erótico de mendingoConto erotico arombei minha enteada novinha magrinhcuckold adeptos