Casa dos Contos Eróticos

Click to this video!

A professora de natação

Autor: Cont
Categoria: Heterossexual
Data: 08/09/2009 12:30:54
Última revisão: 18/01/2010 13:39:20
Nota 9.33

Caros, à cerca de 3 meses abri uma excepção. Para todos os que leram os meus relatos verídicos anteriores, sou o "Cont" de 30 anos, alucinado por mulheres mais velhas que eu.

Ando na natação à 2 anos. A minha professora actual é uma rapariga de cerca de 25 anos. A "Ana" é uma morena com cerca de1,60, cabelos pretos e lisos, peito pequeno e pernas bastante bem "desenhadas".

Apesar de ser bonita, não era o género de mulher que me chamava mais à atenção. Mas a perspectiva de a ver num plano superior, começou a espicaçar a minha curiosidade. As pernas dela deixavam-me incomodado.

Certo dia, quando estava na recepção a fazer o pagamento da mensalidade, ela passou e cumprimentou-me:

- Olá, tudo bem?

Vestia umas calças de lycra bastante justas e um top. Apesar do peito pequeno, tinha uma cintura invejável.

Retribuí o cumprimento:

- Tudo bem. E contigo.

Depois deste episódio fiquei com a ideia que ela me olhava de maneira diferente. As aulas de natação passaram a ser bastante mais interessantes. Sorrisos, trocas de olhares...

Num final de tarde de um dia de semana, passei pelo centro comercial perto de minha casa para comer qualquer coisa rápida. Para meu espanto quem é que vejo. A minha professorinha de natação.

- Por aqui? - perguntou-me

- Moro aqui perto.

- Eu também - disse-me com um ar surpreso.

- Queres beber um café?

- OK.

Deixei-a passar à minha frente. Vestia umas calças de ganga bastante justas e um top preto. As sandálias pretas deixaram-me doido. Com um salto tão alto e fino, que faziam lhe davam mais uns centimetros.

Pedi-lhe para se sentar numa mesa afastada e fui buscar os 2 cafés.

Enquanto estava na fila, vi que ela estava a retocar os olhos... Fiquei entusiasmado.

Falamos da natação, do local onde vivemos e de muitas outras coisas. Comecei a sentir empatia por ela. A maneira como falava fazia-a parecer mais velha. Trocamos os números de telemóvel e cada um de nós seguiu à sua vida.

À hora de almoço do dia seguinte recebi um sms: "Temos que repetir o café. Beijos, Ana". Tenho que admitir que fiquei surpreendido por ter tomado a iniciativa. Repondi-lhe: "Às 6h00 no mesmo sítio de ontem?". Respondeu-me: "Não. A essa hora mas no café "xxx" do nosso bairro. Já que somos quase vizinhos".

À hora marcada lá fui eu. Quando me aproximava, via-a sentada na esplanada ao telemóvel. Perguntei se me podia sentar. Ela fez um sinal afirmativo com a cabeça. Estava a falar de trabalho. Facturação, pagamentos, etc. Quando desligou pediu desculpa, levantou-se e cumprimentou-me com dois beijinhos na cara. Começou a falar do trabalho dela de uma maneira bastante solta. Achei-a diferente...

Depois de muita conversa, perguntou-me indirectamente se tinha alguém. Respondi-lhe também disfarçadamente que não. A conversa continuou bastante animada...

No dia seguinte tive aula. Tratou-me de uma maneira mais fria e distante. Mas percebi. Não podia misturar seviço com o resto. Entre as minhas braçadas, reparei que olhava insistentemente para mim. Uma das vezes sorriu timidamente.

Assim que terminou a aula, enviei-lhe logo um sms: "Queres jantar comigo?". Eram quase 7h00 quando ela me respondeu afirmativamente. Enviei-lhe outra mensagem a marcar o local e a hora.

Foi um jantar espectacular. É uma rapariga espectacular.

No final disse-lhe:

- Se não fosse dia de semana, convidava-te para irmos beber um copo. Mas deves ter que te levantar cedo amanhã?

- Se não nos demorarmos, pode ser.

Fomos a um bar ali perto. Notei que ficou ainda mais solta depois de beber 2 cervejas. Toquei-lhe na mão e ela consentiu. Levantei-me e beijei-a. Ela ficou surpreendida, mas correspondeu com fugor.

- Vamos sair daqui - segredei-lhe.

Fui em direcção ao meu carro e ela seguiu-me. Assim que entramos, agarrei-a e beijei-a. Estivemos alguns minutos assim. As nossas mãos começaram a percorrer os corpos...

- Vamos para minha casa.

Ela respondeu afirmativamente com a cabeça e sorriu.

Não trocamos uma palavra até meter a chave à porta. Acendi a luz da sala e convidei-a a sentar. Fui à cozinha buscar 2 copos de vinho. Ofereci-lhe.

- Não estou habituada a beber - disse-me envergonhada.

Sentei-me ao lado dela e beijamo-nos.

Peguei nela ao colo, e sem lhe deixar os lábios, levei-a para o meu quarto. Deitei-a na minha cama. Tirei-lhe aquelas sandálias elegantes, o top, as calças de ganga, até que a deixei só de lingerie. Tinhas umas cuecas minúsculas pretas e um sutien do mesmo padrão. O corpo dela era magro, mas atlético. Comecei a desapertar-lhe o sutien. Fiquei encantado com o peito dela. Pequeno mas muito bem feito. Lambi e mordisquei o mais que consegui. Ao mesmo tempo tocava-lha na cona mesmo por cima da lingerie.

- Despe-te - pediu-me

Fiz o que me pediu. Fiquei completamente nú. O meu membro estava durissimo. Ao mesmo tempo ela tirava as cuecas. Tinha uma cona linda. Pequena e toda rapada.

- Anda - disse-me, abrindo as pernas.

Coloquei o preservativo e aproximei-o da cona dela. Penetrei-a lentamente. Ela estava de olhos fechados...

A introdução foi lenta. Foi das conas mais apertadas que tive o prazer de comer. Passados poucos segundos começou a movimentar-se energicamente. Aquela miúda tinha uma genica...

Levantou-se e sentou-se em cima de mim. Cavalgou da mesma maneira até nos vir-mos. Os gemidos dela eram roucos.

Fizemo-lo mais 2 vezes. Acabamos a noite com um duche quente e prolongado. Troca-mos muitas carícias. Fiz que com que viesse com a minha boca. Ela respondeu da mesma maneira. Vim-me para o peito dela.

Vestimo-nos e fui leva-la onde tinha deixado o carro.

Desde esse dia já estivemos juntos algumas vezes. Basta 1 mensagem de telemóvel e encontramo-nos. É uma das pessoas que mais prazer me dá.

Entretanto arranjou namorado, mas mesmo assim, continua a vir a minha casa...

cont1979gmail.com

Comentários

18/01/2010 15:43:08
hahaha, tadinho do corninho
14/01/2010 18:05:27
excelente conto! :) trocamos msn?
09/09/2009 19:28:38
Assim mesmo que elas querem e piça conta mais !! gostas delas mais velhas e cona rapada assim nao ficamos com pelos no dentes dal-he mais

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.




Online porn video at mobile phone


flagrei minha irmasinha cagando na pica do visotodiz pornomae gozou loucamente no pau de 25cm dp filho dotadpfudendo so o cu delazinhaContos eroticos sou obrigada a fazer nojerasvideos de sexo filhas gemiase paicontos gay virei menina sissymulher cor de jambo anal classicohttp://contos eroticos rasgaram minha buceta e meu cu branquelomulher tenta fugi pica mostruosa brutal no cucontus estupro de novinhassexo gay contos valentãoputinha tres coraçõesmeu padrasto me encochava contos eróticos de gaysContos terror na tailandiavidioporno de meninas que noa guento pau no cu e nerroeu qeuro vidio di sexoContos eroticos seios mordedo fortegozando dentro elas brigammulher sadica conto eroticoezibir vidios o cacorro e criado desde pequeno com a menina derrepente ele resoçve comer a buceta delavidiopormo de mulier que noa aguenta pau no cu e bera naoralevantou o vestido da coroa evagelica e passou a rola.comAmo beijar os pezinhos dela principalmente usando rasteirinhas contosbaixar jogos de Ferrari deixando o rapaz tirar o sutiã dela para mamar nos peitosvideos nacional gritos e gemidps de homens passivos embaixo dos machos caralhudosduas irmas abdo buceta oara o irmaoPeço assistir video pornografico quente ao vivo, de meter o pau fundo e brincar dentro da vagina, eu chupando outro pau bem gostoso, gemendo de prazer incansável,contos eroticos vi meu irmão pelado pela brecha da porta e fiquei esxitada e passei a provoca elesogra conta em conto erótico como bateu uma punheta no genro de pau grande e grossoAbusada de calça leguecasada santinho e seu corninhofilme porno das pantera meu tio foi passar um fim de cemana na minha casaladrão comendo o delegado pornô se for do Adélia busca pornô3 julho 2015 8445 paguei para deflorar a filha do caseiro casa dos contos eroticoBusca por contos de marido traindocomo passar a pomada azulzinha na buçetaminhas condiçoes imposta para o corno contos eroticocontos eróticos com marido bêbado e desconcentração bem dotadomamador de buceta contos eróticoscrossdress betinha 4contos eroticos com policial civil experientesexres grates com filhas e mae trepando o paecontos eroticos minha mae com aminesiacontos eroticos coroa casada bancaria viajo a trabalho e traiu pela primeira vezcontos erótico transei com minha sograimagm de sex filha qosano na cara do paimulheres estupradas por varios homens roludos ao extremoasistir sexo completo brutal chupadas na bucetas uiiiiiiconto erotico gay meu dono dei meu cu de presente de aniversariosexo novos banho conhadas nuasContos erotico gozando dentro tendo aidsmulher esculhanbando is outros no comentario do nariz thifanycontos lesbicos e penitencia no conventoConto erótico chupa bucetavou te arregaçar vagabunda, grita vadia, tô te arrombando cadelaconto foto pirua cacetao gozada me empreste magrinha abrindo a b***** com pau enorme do negãohistorias eroticas perdi minha virgindade anal e vaginalboa foda nos adoramos nos amarvou contar como viciei minha cadelinha video comi sua buceta e seu cu acachorra avisiocumeno a safada do bundaorealizei minha fantasia com meu tio e seu amigo negâoconto erotico pau pequenoXVídeosporno Malícia pareicontos de sexo raspei minha bucetawattpad enteado gay adora chupar a rola do padrasto musculosoengolindo porta no ônibus na viagemTio arroba o cu da sobrinha conto eróticostio comedo a sobirnha daXVídeos pornô mãe f****** com filho dos filhos f****** com mulher ingratax pono de bundas arotando galafilha centa no colo do propio pai no sofa e mete com ele perto da propia familia video porno