Casa dos Contos Eróticos

Click to this video!

Minha picante adolecência

Autor: Pimentinhah
Categoria: Heterossexual
Data: 05/03/2010 20:42:13
Nota 8.88
Ler comentários (5) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Olá??! Sou a Pimentinhah, na verdade era meu apelido na escola, quando ainda criança.

Passo por aqui para lhes contar as minhas aventuras sexuais. Desde o começinho.

Bom... Vamos aos fatos...

Eu sentia que os homens que eu convivia a anos, já me olhavam diferente. Eu estudava numa escola de periodo integral desde quando eu tinha dez anos, em casa meus pais não me deichavam sair para lugar nenhum, a não ser a escola e a igreja que ficava próxima a nossa residencia, eles eram pais severos e com costumes antigos. Em consequência disso eu me tornei uma adolecente meio tímida, sem muito contato com as pessoas das ruas ( pessoa normais que vai e vem de um lugar ou outro).

Mas na escola, na qual já fazia 4 anos que eu estudava, já tinha costume com os professores e alunos que estavam ali desde a época que eu comecei a estudar naquele local.

Havia um professor, o inspetor e outro funcionário que trabalhava ali,que começavam a me olhar diferente, mas eu nem percebia, até que uma amiga me alertou. Eu nunca tinha namorado, nem sequer beijado um rapaz. Então pra mim as coisas pareciam normais, mesmo as mais maliciosas, eu ainda não entendia. Mas com aquele alerta eu pude perceber.

Busquei saber, entender, o motivo desses olhares. Claro eu era a típica adolecente de pernas grossas, eu era alta, mais do que minhas amigas, 1,69 de altura, 58kg, seios fartos e firmes, bumbum grande, redondo e arrebidato, cintura mega fina, olhos verdes azulados, cabelos loiros escuros e com mechas naturais que davam um efeito mais loiro, liso e comprido alcançando o kós das calças, pele branca mas não muito, boca média com lábios carnudos. Não me declaro q eu era a mais bonita, mas era o suficiente para deixar os homens loucos. Meus pais não deichavam eu usar nenhum tipo de maquiagem a não ser batom de cores leves, e nem brincos grandes, porém me autorozaram a fazer mais dois furos nas orelhas. Meu estilo de vestir, era rock metal. Mas como nem tudo era a meu favor. Minha mãe não deichava eu escolher tudo sozinha, e sempre escolhia para mim roupas patty. Mas na escola era obrigatório estar com umas das camisetas de uniforme. Com tudo isso eu resolvi me observar melhor, a me olhar no espelho e sentir meu corpo. E comecei a me arrumar melhor.

Eu tinha um colega e amigo que já havia se declarado varias vezes para mim, eu envergonhada fugia do assunto. Mas um dia foi diferente. Estavamos eu, minha amiga Jéh, o namorado dela e ele. O namorado da Jéh tocava violão, e nós setavamos perto e cantavamos. Nesse dia, nó estavamos próximo ao laboratório do colégio, e havia uma escada de mais ou menos uns 5 degraus. sentamos ali e começamos aconversar, decidir q música cantariamos. Meu amigo se chamava Sérgio, e o namorado de minha amiga Paulo. Sérgio me chamou num canto dizendo q gostaria de conversar comigo. Eu fui, ele pegou em minha mão e me guiou até atraz do laboratório, como a escola era rural, a unica coisa q dava para ver era o alojamento onde ficavam os alunos internos. O restante ia para casa de ônibus...

Ele era moreno claro, alto mais do que eu, forte, não muito magro, mas bem forte. Chegando lá sentamos na calçada q era alta como uma cadeira. Ele me disse:

- Você sabe q eu gosto muito de você... E q eu quero namorar com você. E eu sei q vc sente alguma coisa por mim, vamos tentar namorar?

Eu abaichei a cabeça, respirei fundo, voltei a olhar para ele e respondi:

- Tudo bem, vamos tentar, mas meu pais não podem nem imaginar, é capaz deles me matarem...

Meu medo era grande mas minha paixão por Sérgio era maior. Sim, eu era apaixonada por ele, já havia algum tempo, mas eu escondia de todos. Mas naquele dia pra mim tudo foi diferente, eu quis passar por cima de minha timidez.

Sérgio nem acreditava, naquele momento ele me deichou ali e foi correndo contar para o Paulo. Comemorar na verdade.

Quando ele contou para o Paulo e para a Jéh, ela veio em minha direção e me perguntou se era verdade. Eu disse q sim. Ela retounou para a escada e falou para o Sérgio:

- Vai lá!! Vai conversar com sua namorada um pouco. Aproveitem a aula vaga, para namorar, agente cuida daqui se alguém vier o Paulo grita GALOPEIRAAA!!!

Sim, era assim q faziamos quando Paulo e Jéh iam namorar, Sérgio ficava com o violão e eu figia cantar, quando algum professor, inspetor ou qualquer responsável se aproximava do local, eu gritava Galopeira, devido a uma musica paraguaia. E Paulo ou Jéh arrodiava o colégio por táz enquanto o outro retornama repetindo o grito, e davamos rizadas.

Sérgio retornou para onde me deixou, sentou-se ao meu lado, segurou minha mão e me deu um beijo no rosto. Mas insatisfeito, tentou dar um beijo em minha boca. Sem sucesso, eu recusei o beijo. Então ele me disse:

- Ué!!? Agora somos namorados, você tem q me dar um beijo!?

-Não, agora não... Eu não sei beijar!!! (eu respondi)

- Calma, não tem segredo, eu te beijo... se você deixar é claro?!!

-Não, eu to meio nervosa, deixa par depois...

-Então eu vou pegar um tabuleiro de xadrez pra agente jogar, assim você se destrai um pouco...

Quando as aulas eram vagas, deixavam a sala de jogos aberta, para os alunos poderem se distrair, Sérgio foi até a sala de jogos e pegou um kit de xadres para nós jogarmos, enquanto eu esperava, resolvi deixar rolar. Sérgio retornou até onde estavamos, colocou o xadres entre nós, separou as peças e começamos a monta-las em seus devidos lugares. Começamos a jogar, ele estava ganhando, pois, além de estar nervosa, gelada, eu nem sabia jogar xadrez.

Derrepente Sérgio passou a mão em meu braço e falou q minha pele era macia, eu sorri olhando em seus olhos castanhos esverdiados. Por um momento me senti empinotizada, e não parava de olhar para ele, ele aproveitando a situação, começou a se aproximar de meu rosto. Eu estava com os cabelos amarrados, mas o corte fazia com que alguns fios ficassem soltos, devido ao ventinho alguns fios atravessavam meu rosto. Sérgio carinhosamente passou a mão no meu rosto afastando os fios para o lado, segurando os em minha cabeça, me deu um beijo na buchecha, e eu retribui, ele sorriu, começou a beijar meus labios, eu deixei, quando ele percebeu q eu não recusei o beijo, com a outra mão me segurou na cintura, me puxando contra o seu corpo, fazendo com q derrubassem as peças de cima do tabuleiro. Me puchado contra seu corpo cada vez mais, e me beijando loucamente.Eu me entrguei naquele momento... ele começou a decer a outra mão pelo meu pescoço, ombro, braço, acariciando cada centimetro, eu estremecia mas estava gostando. Ele começou a avançar ainda mais o sinal, naquele dia nós haviamos tido aula de educação física, e eu tinha ido de top ao invés de sutien, como nós jogamos futisal, eu suei muito, e tomei um banho, percebendo q meu top estava cheirando suor, eu resolvir não coloca-lo, deichando assim meus seios mais aparentes com aquela camiseta cinza claro, de malha fina (claro sem intenção de provocar ninguém). Ao término daquele nosso primeiro beijo, eu resolvi brincar dizendo:

-Nossa!!! Fiquei sem fôlego-(dei um selinho nele e continuei)-mas e aí? Aprendi?-(referindo ao beijo).

-Claro q aprendeu... -(respondia ele)-... Mas agora tem q praticar!! (rs)

Ele afastou o tabuleiro com as peças de entre nós, para haver uma aproximação melhor. Me abraçou, e começou a me beijar com muita vontade, novamente me apertava contra seu corpo, mas dessa vez ele começoa a me acariciar por conpleto, começou por as minhas costas, decendo até o cós de minha calça e subindo até a minha nuca. Ao repetir os movimentos, ele avançou o cós e apertou meu bum bum. Na hora me subiu um gelo e me deu vontade de parar. Mas eu já estava ficando exitada e me entreguei as carícias. Ele vendo q eu não neguei o movimento, repetiu, repetiu e repetiu novamente. Na hora eu já estava ficando louca. Ele começou a subir a mão entrando por debaixo de minha camiseta, sentindo a minha pele, como meu braço estava erguido, por eu estar passando a mão em seus cabelos, ele alcançou um de meus seios, e em seguida apertou. Eu em um momento de susto, medo e exitação o empurrei dizendo:

-Não!! Assim não...

Ele se deitou na calçada, pegando uma das peças de xadrez, falou:

- Xek-mate! Mas você gostou né? Confessa pra mim vai? Fala pra mim q vc ficou doidinha?!!

Eu olhei para ele com muita raiva e comente saindo dali:

- É claro q não... bem q me falam q vcs só querem saber de agarrar as meninas.

Naquele momento ele se levantou e me puxou devolta pele camiseta, eu cai por cima dele, ele me abraçou e pediu desculpas, e nos beijamos. Nisso eu ouvi suar o nosso alerta:

-GALOPEEEIRAA!!

Eu me levantei e fui cantando junto com Paulo e Jéh em direção a eles.

Era o inspetor do colégio q iniciava sua ronda por ali. Naquele momento, percebi q o vento bateu contra meu corpo, marcando meus seios, o inspetor Luis me secou ipinotizado, olhava para os meus seios sem disfarçar. Eu escutei o Paulo gritar:

-ÊÊitaa!! Minha nossa!! O q é isso??...

Neste momento eu me senti atraente. Mas fingi q nem percebi. Chamei Jéh para ir comigo ao vestiario. Chegando lá fui ao banheiro e percebi q minha calcinha estava toda molhada, e minha xaninha também. Me sentei no banco do vestiario, e contei tudo para Jéh. Ela sorriu e falou q no começo era sempre assim.

Jéh era mais nova do que eu, mas como seus pais eram mais liberais, ela já tinha namorado varias vezes. Ela era muito bonita, mais magra do que eu, da mesma altura, olhos castanhos, cabelos tingidos no tom de cobre, branca, seios enormes. Ela me emprestou um sutien mas tinha ficado um pouco grande, mas era melhor do que encarar os rapazes me olhando da quela forma.

Logo após o sinal bateu e nós fomos para a aula. E depois já era hora de irmos para casa. Jéh morava numa fazenda vizinha da escola, Paulo também mas no sentido contrário. Algus alunos moravam na escola, eram internos. Mas eu e Sérgio maravamos na cidade. Íamos de ônibos para casa com os professores e os outros colegas.

Com o passar do tempo eu já estava acostumada a namorar com Sérgio. Nós revesamos nos Recreios e nas aulas vagas quem namoraria. AS vezes Jéh e Paulo, as vezes eu e Sérgio.

Mas Sérgio sempre tirava uma casquinha aqui e outra ali.

Um dia, Era num sabado, a escola estava oferecendo aulas nos sábados, para q durante as férias do meio do ano, a escola fosse reformada. E as féria seriam prolongada. Mas geralmente nos sábados nossa turma não tinha as tres ultimas aulas. O diretor do colégio ordenou q nesse período, era para a nossa sala ficasse na área de esportes, assim não atrapalharia as outras turmas.Aárea de esorte era um pouco distantes de onde ficava as salas de aula, na minha sala só tinha 17 alunos, sendo 5 meninas. Formaram-se times para jogar volei de areia. Mas nó quatro não jogamos. Pegamos uma bola de basquete e começamos a treinar arremeços. Em um momento, eu senti q Paulo, o namorado de Jéh, me encochou, eu olhei para ele e ele pincou para mim. Confesso q fiquei muito constrangida com a situação. Dei a desculpa q o sol estava quente e eu esta cansada e fui me sentar na somra. Por baicho da camiseta de educação física, eu estava com uma bluzinha de alcinha, toda mulher já teve uma dessa, vermelhinha, bem colada e decotada, na verdade a minha estava bem justa, pelo motivo de firmar ainda mais os meus seios para a prática de esportes. Eu tirei a minha camiseta para forrar o chão para eu me sentar. Paulo, quando viu aquilo, já foi se animando. Não demorou muito, ele deu a mesma desculpa q eu, e foi se sentar onde eu estava. Jéh e Sérgio, continuaram o jogo sem ver nenhum defeito nisso. Distraidos eles nem lembravam mais de nós. Mas, na hora q Paulo chegou ali onte eu estava. Tirou a camiseta também, ele e Sérgio tinham a mesma idade, 19 anos, bem atrazados na escola mas eram gatos. Paulo era moreno queimado do sol, forte, não era alto, poucos sentímetro mais baixo do que eu, cabelos pretos e curtos. Quando ele tirou a camiseta, eu vi q o suor escorria em seu corpo. ele tirou a camiseta olhando para mim, eu nam sei porque, não consegui resistir de olhar. Ele se sentou ao meu lado e apertou minha coxa rapidamente. Eu estava de bermuda escolar, mas como era mais antiga,já estava encurtando. eu abaixei a cabeça e falei baixinho.

-Você pára, eu vou contar pra Jéh.

Nesse momento um silêncio tomou conta de nós.

Os dias se passaram, e Sérgio descobriu q Paulo tinha interesse em mim. Ele ficou muito bravo, e nós discutimos. Logo apos ele me pediu desculpas e eu falei q era a ultima vez q o desculpava. Mas isso não o amendrontou. No ultimo dia de aula, antes das férias de julho, nós tivemos uma festa, todos os alunos lá, e não era obrigatório vestir uniforme. Eu fui com um vestido tomara-que-caia preto até o joelho, e uma bota de cano longo, também preta. Soltei meu cabelos coloquei uma faicha e como sempre meu batom azaléia.

chegando no colégio, minhas colegas também se encontravam deslumbrantes. Jéh principalmente, apesar de morar ali na fazenda ao lado, não era nada caipira, pelo contrario, entendia muito bem de moda. Ela estava toda maquiada, linda. Ela me chamou até o vestiario e passou um lápis nos meus olhos. Eu me achei linda, destacou muito meus olhos.

Sérgio, se encantou, e nesse dia ele me deu uma corrente com as nossas iniciais gravadas num pingente simples, mas eu amei, coloquei em mim imediatamente. O diretor convocou todos os alunos para o saguão e começou com seus bla bla blas. mas no entanto ele liberou os alunos a fazer o q quisessem. Havia várias atividades para laser, mas nós preferimos ir tocar violão. Apesar de tudo, Paulo continuava com Jéh, e amigo de Sérgio.

Nós fomos para o mesmo lugar de sempre. Sérgio estava todo arrumado, com o cabelo preso para trás, calça jeans e camiseta preta. CHEIROSOO!!

Jéh e Paulo tomaram frente, e foram primeiro q nós. Ficamos ali cantando. Mas nesse dia niguém estava se preocupando com os alunos, pelo contrario, estavam todos intertidos com a festa.

Não demorou muito e nós fomos até onte estavam os dois e falamos q ninguém iria ver.

Namoramos e conversamos muito os quatro. Jéh sentou no colo de Paulo e começou a rebolar em cima do pau dele.Ela começoa a me falar:

-Olha o q nós fazemos quando vocês cuidam lá. Hummm, ai q delícia, já tá durinho, to sintindo ele encostar em minha xaninha.

Jéh estava de saia Jeans, e o pior, calcinha fiu dental, uma bluzinha frente única q amarrava atrás da nuca, e claro sem sutien. Paulo sentado com ela no colo dele e rebolando feito uma louca no cio, desamarrou a blusa dela, e saltou aqueles peitos enormes de dentro, olhei para o Sérgio, q me olhou com o mesmo olhar, sem entender nada, mas Jéh se levantou e virou de frente para Paulo, ele q se deitou na calçada e ela foi por cima dele mandando ele mamar nela. Mamou, e mamou gostoso, ele tirou a pica pra fora toda dura eu nunca tinha visto viri mei rosto e pedi para sairmos dali. Ainda cosegui ver ela mamando na pica de Paulo.

Nos sentamos novamente no lugar de sempre, mas o silencio tomou conta de nós. Poucos instantes depois Sérgio sorriu me olhando e me perguntou.

-O q vc achou da cena?

-Loucos...(respondi seriamente balancando a cabeça fazendo um sinal q não) .

-Eu siceramente, não teria coragem. ( confessou Sérgio).

Naquele momento me enxeu de dúvidas, alívio e tesão. Muitas fantasias passaram por minha cabeça.

Após um bom período, Jéh e Paulo apareceram sem graça. Jéh me chamou para acompanha-la até o banheiro. Passamos na nossa classe e pegamos nossa mochilas, q havia trazido com nossa coisas intimas. Chegando no vestiario perguntei a ele se ela sempre fazia aquilo realmente e ela me respondeu:

-Sim... Mas nó fazemos somente sexo oral e eu dô o cuzinho para ele, minha xana ainda é virgem.

eu imprecionada fiquei olhando ela tirar a roupa, reparei q a sua calcinha apesa de um fiapo q era estava toda enxarcada, então ela me olhou, se aproximou erguendo uma perna e escorando a mesma no banco, abriu bem as pernas e me disse:

-Olha só, ta toda melada, ele me chupou toda e e me fez gozar naquela boca gostosa, -(ela pegou minha mão e fez com q eu passasse naquela xana melada )- olha só sente isso, passa a mão aqui(começei a passar uns dedos em volta do clitóris dela coma ela tinha padido), isso, assim, vai... quero gozar só mais uma vez, mas antes eu quero fazer uma coisa.

ela se abaixou sentou-se no banco e abaixou o meu vestido, fazendo com q meus seios saltassem para fora, nessa hora eu já estava exitadissima, ela passou a mão nos meus seios e abocanhou um, nooossaaa, q tesão. Mas ovimos brulho de gente entrando no vestiario e paramos, eu ergui o meu vestido colocando os seios novamente para dentro e fiquei quieta. Chegaram uma meninas da 5ª série, aproveitei a oportunidade, enquanto Jéh tomava seu banho e fui na nossa classe, e pegar uma poesia q tinha de entregar na secretaría, para uma competição. Um concurço q a escola estava promovendo. No caminho vi q Sérgio e Paulo já não estavam mais nas escadinha. Quando entrei na sala de aula um susto, Paulo estava ali e eu ja perguntei onde estava o Sérgio, e ele me respondeu:

-Foi lá na quadra, o professor chamou ele pra se juiz num jogo.

- Você não foi por que? perguntei.

-Ah! fiquei aqui esperando vocêis!!

Eu fui em direção a minha bolça e vi q a porta se feichou. quando lhei para confirmar, Paulo ergueu a saia de meu vestido, me encoxando, beijando minha nuca e me segurando. Por um momento tentei resistir mas tudo em vão. Ele estava sem camisa e suado porque acabara de tranzar com Jéh, ele era forte. Mordiscou minha orelha e deceu sua mão pela minha barriga, se esfregando em meu bum bum e colocou os dedos dentro de minha calcinha. Desde q fiquei mocinha minha mão me ensinou q devemos nos depilar sempre, pq faz parte da igiêne feminina. Então ele sentiu minha xaninha lisa e molhada me falou baixinho no ouvido:

-humm!! Do geitinho q eu gosto, ao contrario de sua amiguinha, q só me dá aquele cuzinho, eu quero te comer, mas eu quero comer sua xana gostosa. Você ainda é virgem?( balacei a cabeça dizendo q sim) Vai dizer q aquele babaca ainda não te comeu? Mas é bobo mesmo, agora quem vai comer sou eu.

Naquele momento quem me contolava era o tezão. Eu disse a ele:

-Então come...

Ele me virou de frente, me sentou na mesa e abriu minhas pernas, abaichou e começou a modisca minha xaninha por cima de minha cacinha que era de tamanho normal, preta. Ele arredou a calcinha para o lado e passou a lingua de leve na minha xaninha, chegou no meu grelinho e chupou com vontade, quase me fazendo gozar na mesma hora, mas eu fiquei com muito medo e pedi para ele parar então ele me pediu um beijo e eu dei. quando eu me arrumei e ele começou a riscar o quadro negro, Sérgio entra na sala e se depara com nós dois ali sosinhos. Paulo olhou seriamente para Sérgio e falou q não estavamos fazendo nada. Mas Sérgio desconfiou e me perguntou se era verdade. Eu somente balançei a cabeça dizendo q sim. Peguei minha poesia e sai da sala. Ele veio atrás me pedindo novamente desculpas e dessa vez com um sentimento de culpa eu me virei para ele e disse:

-Sim eu te desculpo mas nosso namoro esta acabado.

Ficou assim o fim de meu namoro com Ségio. No outro dia já era férias e a qualquer momento eu iria passar as férias no sítio de monha avó.

MAS NÃO PENSEM VOCÊS Q MINHA HISTÓRIA ACABOU. Eu ainda vou contar como perdi meu cabaçinho. E com quem.

A PRÓXIMA HISTÓRIA Q ESCREVEREI SERÁ O Q ACONTECEU NAS FÉRIAS. COMENTEM O Q ACHARAM, MAS NÃO FIQUEM DECEPCIONADOS COM O TAMANHO DE MINHA HISTÓRIA, EU GOSTO DE CONTAR AS COISAS BEM NOS DETALHES. OK? BJS..

Comentários

15/09/2011 17:04:17
filhaa aqui se chama contos eroticos vc escreveu uma história imensa e não terminou o relato afff quebro minhas pernas em ve se da procima escreve menos e conta os fatos melhor nota 8
05/05/2010 01:19:57
vc não deixou seu namorado fazer quaser nada por que o outro vc deixo...
28/04/2010 16:48:54
quer galopar no meu alasão?????? kkkkkkkkkkkkk [email protected]
10/03/2010 19:51:50
Muito bom, me add no msn [email protected]
06/03/2010 00:07:50
GALOPEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEIRAGostei da expressão, deve ser usada para os lados do sul, vc deve ser bem lindinha também, continua escrevendo.

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.




Online porn video at mobile phone


mae estrupa filho goza pau brasileirobranqinha se esbarra na pica xvsacanadas vidios fodasconto erotico casada crente no tremContos de insesto. Irma gostosa e sua melhor amiga dando a buceta pro seu irmao roludo do pau grande e grosso e cabeçudo comer com vontade.uma mulher transando com cavalo a outra olhando e focou com votade de entra debaixo e ela ficou com medo da peroca do cavalopicas monstruosas gozando nas tripascontos eróticos sobre cunhadabucetudaofereceu a filha pro caralhudo gigante xvideosComi a garota tolinhacarolzinha santos trepano no churrascocontos eróticos paifinge dormundo fudendo filho e filha. virgemporno doido reais emviado por amadores com novinhas descuidadasporno com egua muito igienizadametendo na salgadeira bundudavideos porno gay de jander pauzaocontos de fada.dava a bucetinha quando tinha entre 6 e 7anis de idademeninas novinhas de mini saia e fio dentallindasfreira da a buceta pra pintudo no azilo contos.contos eroticos diaristapornô doido corno Deixou o cara comer sua esposa e seu cuzinho na sequênciadominando um casalrapasjovem pao grande groso gozandocontos eroticos gays macho dotado femea viadinhocontos gay caminhoneiroconto erotico amiga da esposa da muito moleconto erótico gêmeas lésbicasapertatinhas lidasezibi vizinhas goistozaporno meninas cortido asferias brasilabusando sarrando a coroa velha contoberoticovidros prno insetos fodendo mae emprensada coroas do sapsapconto eu hetero tinha 18 anos o pedreiro me comeuCaíque levando rola no cúDominamdo uma evamgelica casada parte 2 contos eroticosscontos veridico de incesto nora fode com seu sogro bem dotado pra pagar dividaxporno novinha tomando banho de porta aberta ai o seu irmão entra e ver ela e fica de queixo caído com o que ta vendo joponezinha dormindo e entra um cara e comi elacontos eróticos na famíliatio e sobrinhamulheres estupradas por varios homens roludos ao extremogostosa.foi.faser.xixi e.tarado.atacolcontos de sexo depilando a sograme empreste magrinha abrindo a b***** com pau enorme do negãofiz minha esposa chupar seu pai enquanto fodiamossexo anal hAaaaarelato esposa cincoentona timida primeiro amanteHomem comedo novinha e cobra efiando na a cobta na bocetanovinha do canil conto eroticovidios de contos errotics pai arregaça a boceta da filhaconto erotico lesbico dei o troco no meu marido com sua amanteela me contou que tinha sentado na rola grossafiume porno brasileroporque tem mulheres que sentem prazer ao ser.penetrada com o.dedo no anusconto novinha vigen perdeu o cabaco da buceta e do cu no mesmo dia pro pitudoporno fodie minha entiada no cusaomulheres que nao aguentaram dar o rabo pra homens bem dotadospornô anal com mulheres dando rabão gostoso tesouro com perna tá tendo mais daqueles bem quente mesmovídeo dos anjos guerreiros vídeos pornô sem jeito malmarido tranza com espoza no acampamento chega mais e tranza com ela contosMinha jovem esposa bunduda dando na marra pra outro homem contos corno umilhadoConto erotico comi a dentista no consultoriopedreiros caminhoneiros e peões de obras c********* comendo v******* contos eróticos gaysFeitichi d evangelica c homemcontos/vi minha tia no puteiroFilme potnou com muljetesMulher gostosa dw vestinho coladinhos fudendosou tarado rasgo cu zapcontos eróticos o dedinho da urologistaconto gay o Doce nas suas veias capítulo 2conto erotico briocodois negao dt realizando fantasia de n mulher casada porno doidoporno levou finha poamigoContos picantes ainda virgem fui abusada por um entregador velhocontos porno padre gayfudida por um tio pirocudo contoporno jaritaca pau grande traiasmeniasnovinhas.nuaquero ver as mulher tarada caseira com muco cervicalworttped.diegocampos.8519cavalo feia mulher gritando estocada do cafetão pornôaenchi for anel sex