Casa dos Contos Eróticos

Click to this video!

Melissa e seu sogro (parte 1)

Autor: Helga
Categoria: Heterossexual
Data: 11/11/2010 23:37:14
Nota 10.00
Ler comentários (3) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Bento abre a porta de seu apartamento deixando que seu filho Téo entrasse. Com quase dezoito anos, o filho está preocupado com o pai, no final de seus quarenta anos. Desde do divórcio e agora passado quase um ano, Téo nunca viu seu pai com nenhuma mulher.

- Pai, voce precisa esquecer a mamãe e partir pra outra! Olha, eu estou tendo um caso com uma mulherona... ela está na casa dos trinta e é gostosíssima!Caramba, filho! Voce andando com uma mulher com quase o dobro de sua idade! E ainda por cima, muito bonita como voce está dizendo! Quem diria, hein?

- Pois é. Não me pergunte como a conquistei. Acho que consigo com que ela “dê” uma com o senhor!Deixa pra lá filho! Eu estou bem assim– - - Tá nada!

Letícia era o nome da trintona com quem Téo estava se relacionando. O começo do caso dele já foi contado em algum lugar deste espaço. Mas, o que Téo não sabia é que seu pai, apesar da idade, estava trepando com uma belíssima adolescente de pouco mais de quinze aninhos. Melissa era o nome dela e vinha ser a namoradinha de Téo!

O caso deles começou quando certo dia, Téo trouxe Melissa para um churrasco na casa da irmã e do marido. Bento estava lá e aconteceu dessas coisas inexplicáveis de Melissa se sentir irresistivelmente atraída pelo pai de seu namorado. Para Bento era pura tentação e ele nada podia fazer, apesar de vez em quando se culpar por estar traindo o próprio filho.

Mas como podia resistir a Melissa, com um corpo escultural de mulher madura?

Ela ainda tinha os seios pequenos, a cintura fina contrastando com os amplos quadris e a exuberante bunda. Tinha a volúpia natural de se entregar sem barreiras a todas variações sexuais que o ser humano possa imaginar.

Assim, quando o filho lhe falou de conseguir uma mulher, Bento não ficou muito satisfeito. Ele esperava que Téo desistisse da idéia.

Mas Téo não desistiu. Letícia não conseguia entender como ele tinha tanto poder de persuasão sobre a vontade dela. Ela estava num casamento desgastado e recentemente se entregara ao charme de um amigo do marido. O que ela pensava que teria um orgasmo maravilhoso com o amante, não aconteceu.

Então o destino pôs Téo em seu caminho. Ele percebeu o infortúnio da bela mulher e com certa persuasão venceu a barreira de idade e de status social entre eles. Foi então que Letícia teve seu primeiro intenso orgasmo que a deixou inteiramente nas mãos de Téo. As coisas que ele fazia com Letícia eram novas para ela.

Ela nunca imaginou que além da vagina poderia também ter tanto prazer ao ser sodomizada. Isso sem falar nos esplendidos êxtases que ela tinha quando Téo a obrigava, em situações embaraçantes, lhe chupar o penis até ele gozar em sua boca. Letícia amava o amante, mas não conseguia viver sem os perversos orgasmos que Téo a viciara.

- O quê? Voce enloqueceu? Pare! Pare... por favor pare de fazer... isso...comigo. Voce... me deixa... doidinha! Fico doidinha... com tua língua... moleque descarado! Mas... pára, pára! Eu... eu não... não posso fazer issso... aah, acho...acho que vou gozar... gozaaar! Não posso... não posso... fuder com seu pai! Não posso... ai ai vou... vou gozar! É...é muito... estranho... fuder com o pai... com o...pai e o filho!!! Ai ai aii meu deus... não quero nem... pensar como deve... como... deve ser... ser gostoso trepar... foder com... pai e filho! Tô... to goz...go...gozaaaando! Aaaaaaaaaaaaah!

Dois dias se passaram e Bento estava ansioso para encontrar-se com Melissa, a namoradinha de seu filho. As quartas feiras era dia de estudo em grupo em casas de amigas e era nessa ocasião que Melissa falava para a mãe que ia estudar em casa de fulana. Alguns quarteirões, Bento a esperava no carro.

Bento ainda se sentia inibido devido àquela exuberância de adolescente que ela tinha quando já entrando no carro o beijava apaixonadamente lhe apalpando o cacete. Algumas vezes, Melissa estava tão eufórica que antes de fechar a porta do carro, ela lhe expunha os peitinhos para que fossem sugados gulosamente pelos lábios de seu amante de quase cinqüenta anos.

Outras vezes era Bento que perdendo toda a inibição inicial, estacionava o carro numa rua quase deserta e pedia que Melissa lhe chupasse. Era fantástica a capacidade dela em fazer as coisas com perfeição logo após alguns minutos de prática.

Era questão de poucos minutos para que Bento, olhando o rosto angelical da namorada do filho, com a boquinha lhe sugando fervorosamente a cabeçorra, despejasse uma impressionante quantidade de esperma para um homem de sua idade.

Nesse dia, Bento e Melissa acabam de entrar no apartamento dele. Ela ajoelha-se a frente dele e começa a tirar-lhe as calças. Ao sacar o caralho, ela dá um gritinho de satisfação e logo, fechando os olhos de encantamento, ela faz a forma oval com os lábios e abocanha o vermelhona e melada cabeçona.

O cheiro, a rigidez e o pulsar do caralho em sua língua, fazem as narinas de Melissa se dilatarem buscando mais ar para que ela engula mais do cacetão do pai de seu namorado. Ao mesmo tempo uma das mãozinhas escorrega até a xaninha e a cabeça de Melissa vai de um lado pra outro sem deixar que o cacete lhe escape da boquinha.

Bento começa a soltar grunidos baixinhos, acariciando os cabelos cor de mel da bela adolescente que nesse momento consegue lhe engolir toda a mamona.

Então a campainha toca! Bento e Melissa se encaram interrogativamente. Mas a tesão é grande entre eles e assim continuam. Mas no segundo seguinte a campaninha toca novamente, dessa vez junto com o bater de dedos na porta.

- Pai! Pai, sou eu, Téo! Tenho uma surpresa pra voce!

Melissa não pode deixar de perceber o perigo de seu namorado encontrá-la ali com a piroca do pai dele quase toda dentro da boquinha. Bento olhando pra baixo vê o olhar apreensivo da bela ninfeta sem saber se para de chupar ou não.

- Querida, esconda-se... vá pro quarto e... esconda-se no armário... que eu vou me livrar dele!

O quarentão espera até Melissa desaparecer porta a dentro do quarto sem deixar de notar o fabuloso ondular das nádegas dela, tendo efeito duradouro em seu penis que ele não sabe como esconder.

- Oh! Meu filho, voce não avisou que vinha trazendo visita! Por favor entrem e muito prazer... sou Bento, pai deste aborrecente.

Letícia ia estender a mão para o pai de Téo. Mas de repente um fervor lhe tomou conta do corpo, deixando os mamilos ficarem tão rígidos que apareceram por baixo da blusa e sua xotinha se molhou de tal maneira que sentiu a umidade por entre as coxas. Ela sabia que Bento sabia porque ela estava ali. Ela se imaginou uma puta de luxo paga a domicilio.

Além disso, o pai de Téo era um homem com um belo físico e o clima de proibido de ter pai e filho usando seu corpo a desinibiram completamente.

Tanto pai quanto o filho se surpreenderam quando Letícia se aproximou de Bento e passando os braços em volta de seu pescoço o beijou com intensa luxuria.

- Bom... não preciso lhe apresentar mais meu pai que vai fodê-la, não é mesmo?

Os dois ainda se beijam enquanto Téo fecha a porta atrás de si e se aproxima das costas de Letícia e a abraça. Ele a beija na nuca e Letícia solta um longo suspiro dentro da boca do pai dele. Ao mesmo tempo ela leva um dos braços por cima da cabeça e com a mão acaricia os cabelos do filho do homem que a está beijando.

De dentro do armário, Melissa ouve apenas alguns sussurros vindos da sala. Passa alguns minutos e ela percebe que há uma mulher com eles, devido aos longos gritinhos que ela dá. Levando uma coisa a outra, Melissa não precisa adivinhar que eles estão fazendo sexo com a mulher.

A curiosidade começa a crescer dentro de Melissa. Por mais alguns minutos ela evita sair do armário, com medo que de repente eles fossem para o quarto. Mas devido aos sons vindos da sala, ela sabia que eles estariam entretidos agora para pensarem em virem pro quarto. Assim, ainda nua, pé ante pé ela chega até a fresta da porta e vê uma mulher acocorada seminua e de costas masturbando os caralhos de Téo e Bento.

Quando Letícia desfez o beijo e pegando Bento pela mão, se dirigia ao quarto, ele a puxou para si e a beijou novamente, desabotoando a calça, deixando o caralhão pular pra fora. Bento tentava evitar que eles fossem pro quarto.

Letícia, a principio achou aquilo uma indelicadeza. Mas, se lembrou então o que Téo tinha lhe dito sobre a abstinência do pai. Assim, como já estivesse acostumada, ela foi se abaixando e logo colocando toda a glande na boca.

“Huuuuummm! Tal pai, tal filho até mesmo no colosso dos caralhos!” – Pensa Letícia ao sentir a aveludada rigidez da cabeçona que lhe enche a boca.

- Bom, pai! Faça as honras da casa. Vou deixá-lo com Letícia que já lhe está demonstrando seus dotes sexuais.

- Não! Não... Téo querido! O combinado é que eu seria comida pelo pai e pelo filho! E se possível ao mesmo tempo! Venha aqui pra perto que eu quero comparar o pintinho de vocês!

Assim que Letícia diz a última silaba é que Melissa chega até a fresta da porta. Ela vê quando a mulher avança a cabeça em direção a virilha de seu namorado e depois volta a chupar o cacete do pai dele. Parece que Bento adivinha que Melissa os está observando e lança um olhar apreensivo pra dentro do quarto. Neste instante a mulher se levanta e sem largar os caralhos diz que eles tem que levá-la para o quarto.

Melissa acha alguma coisa familiar naquela mulher. A voz não lhe é estranha, embora esteja rouca de tesão. Quando ela se vira, Melissa tem que tapar a boca e ao mesmo tempo correr para o armário.

- Téo querido, quero que este amor de homem me faça homenagens na minha xaninha e depois... no cusinho!

“Cacete! Minha mãe aqui! E que putana que ela é! Fudendo com o Téo que poderia ser filho dela! Ainda mais sendo meu namorado!”

Em seu infantil egoísmo, Melissa não percebe que os pecados dos outros são os mesmos seus. Ela se magoa, não porque sua mãe está agora acariciando o saco de Téo, mas por ver seu amante se inebriando com a boca colada na xaninha dela.

O que também a impressionou foi a transformação física e comportamental de sua mãe. Acostumada em vê-la sempre com o cabelo preso num coque, de óculos e vestida com saia abaixo dos joelhos, Melissa se admira agora com as formas perfeitas e voluptuosas dela, usando um vestido justíssimo. Seus perfeitos e fartos seios estão à mostra e ela caminha cheia de si em saltos altíssimos, puxando os dois machos pelos respectivos caralhos.

Letícia, deitada de costas, chupa a glande de Téo e acaricia os cabelos de Bento que lhe chupa e enfia a língua o máximo que pode na xaninha dela.

Lágrimas aparecem nos olhos de Melissa, não por ver sua mãe com as pernas escancaradas e chupando o seu namorado, mas por notar que Bento está se deliciando com o doce sabor da xaninha da mãe, do mesmo modo que ele se delicia quando lhe chupa a sua. Em seguida, ela ouve de sua mãe pedir pra Téo.

- Téo... Téo... amor... bate, bate com... com teu caralho... na minha cara! Bate! Bate!

Téo obedece e gentilmente lhe dá pancadinhas no rosto. Não é assim que a mãe de Melissa quer. Com a mão livre, pega o caralho do namorado da filha e bate firmemente nas bochechas e volta e meia abocanha a cabeçorra. Lágrimas afluem mais ainda dos olhos de Melissa ao escutar os estalos do caralho de seu namorado batendo na face da sua mãe.

“ Meu deus... meu deus! Que coisa degradante! Como minha mãe pode ser tão puta... tão... tão... rampeira!”

Mas aquilo tudo está mexendo com a libido dela. Melissa não pode conter seus dedinhos que esfregam o grelo, enquanto lágrimas lhe escorrem dos olhos.

- Téo, eu quero que seja teu pai que me coma o cusinho! Quero prestar homenagem pra ele! Hoje, só ele que vai comer meu cusinho, tá bem!

- É isso aí, meu velho! Aposto que voce nunca fez isso na vida, não é?

“Babacão! Escroto! Voce pode estar fudendo minha mãe, mas foi com teu pai pra quem dei a bundinha pela primeira vez!”

Melissa não está chorando mais. Ela está até gostando de ver a performance de sua mãe com seus dois homens. Ela só lamenta que o pai de seu namorado esteja exausto quando tudo terminar e ela ficará na mão.

Mas, ela se surpreende ainda com o desprendimento que sua mãezinha se entrega aos devaneios sexuais. Melissa sabia que sua mãe sofria devido aos casos extra-conjugais de seu pai e a indiferença de como ele a tratava. Agora ela percebia que sua mãe não estava mais triste desde quando ela passou a levar Téo para casa para “estudarem”.

“Pô! Mas quando será que eles trepam? Será que quando estou fudendo com o pai... ele está fudendo minha mãe?! – Que coisa estranha... só de pensar de quando estou dando meu cusinho pro pai dele, ele está comendo o cusinho de minha mãe?

E assim, Melissa observa sua mãe ser duplamente penetrada e volta a chorar quando Bento animalescamente solta seus urros, enchendo o tubo anal de sua mãezinha com esperma que deveria ser dela. Cheia de ciúme, ele vê Bento bater violenta a virilha nos belos e cheios glúteos de sua mãe, agarrando com força os seios.

Seu namoradinho, por baixo dela, apenas observa os braços do pai agarrarem os seios com força sem deixá-la escapar de suas estocadas na bojuda bunda, enquanto urra de prazer.

Quando eles se extasiam completamente, se deixam cair numa soneca. Melissa aproveita, pega suas roupas e sai de fininho do quarto. Na sala se veste e sem deixar vestígios, deixa o apartamento.

Horas depois, Téo deixa Letícia num ponto de taxi. Quando ela chega em casa, encontra a filha que tem um olhar estranho no rosto.

- Olá, como foi o estudo em grupo de hoje? Aproveitou bem?

- Não deu pra aproveitar. Só observei!

Letícia não entendeu o que a filha quis dizer. Também estava pouco se importando. Ela queria era chegar logo ao banheiro da suíte, pois sentia que o esperma de Téo e de Bento lhe escorriam pelas coxas.

Comentários

02/12/2012 01:08:05
ADOREI, MUITO BEM CONTADO AO PERMENOR
13/11/2010 22:17:23
QUE CONTO MARAVILHOSO. ISSO É CONTO ERÓTICO. PENA QUE A PORCARIA DESSE PARÁGRAFO ESTRAGOU> "Letícia ia estender a mão para o pai de Téo. Mas de repente um fervor lhe tomou conta do corpo, deixando os mamilos ficarem tão rígidos que apareceram por baixo da blusa e sua xotinha se molhou de tal maneira que sentiu a umidade por entre as coxas. Ela sabia que Bento sabia porque ela estava ali. Ela se imaginou uma puta de luxo paga a domicilio."~NÃO PRECISAVA DELE. MAS, DEVIDO AO CONJUNTO DA OBRA,. LEVA
11/11/2010 23:42:43
Ailton Maneru voce é um safadinho!! Me deixa toda molhadinha!! Voce já me tem, gostosinho da mamãe!! Bitokinhas

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.




Online porn video at mobile phone


contos eroticos A Dama e o Bruto contos corno grupalguri ñ aguentou pau grande, contosvideos de ninfetas transando com irmai anbos osdois novinhoscontos contos meu marido me arrumou um novinhoela rebolando no meu pau ate goza falando q ta doendo no cuconto gratis branquelo chupou a buceta da mulatacomtos exitantesporno mãe possuir segredo fudendo escondido do maridobucetao entupido de cebolamulher nega corpo de violao bunda grande pingelo muito grande trazando com travetis negro pica de jumentoContoeroticosobrinhonovinhoconto no cinepornocontos eróticos transformação marquinha biquíniwww.xvideos meninas com fartura de carne da buceta e rabo gostosonora safadas descobri que sogro tem a pica enormevideos de mulheres ficando toda impinadinha ao perceber a encoxadapriminha inocente pegando no pinto do primo na frente de toda família sem eles veremxvidios os dias era asimporno chupando a bucheta da minha padroa em baixo da mesa na sala de reuniõesrairodigopediu para fazer anal ,e cacou no paunao aguentou"meio abertinho" gay contominha filhinha na punheta contosbotando na buceta pela beradinha do shortemulher pelada com a b***** cheia de goza cobrindo a telanovinha virgem tora a roupasmostrando s calcinhachantagiei a colega de trabalho e comi ela contosvideo de sexo de mulher fazendo sexo afussa com outra mulhervideo porno menina no colégio internato madre superiora vendocontos eroticos uma doce de cunhadaAE cristal de futibol Amador de Cristalinanovinho.geminho..de.pau.duropornô grátis só contos eróticos sogra cozinhamulher passa muita margarina no proprio cusexo oline depiladora não aguentaou ver o cliente de pau duro e caiu de bocamulher transando com convidado do marido por baixo da mesaboquete da minha prima no meio da lavourra de cafe pornomeu primo me pegou cagando e comeu meu cuzinho me chamo vanessacontos erotico da irma batendo punheta no irmao machucadoporno xxvideos meninas sentodo o cu em cima do pau mostando a bucetameu corninho eu quero uma pica gozando dentro de minha e meu céuwww vovo adora minha rola preta e chora guodo boto no cu dela porno .comcontos das bordas da conasexo porno fui no meu ginecologista ao abri a perna ele me chupou todinha deliciacontos de incesto estava com medo da chuva e dormir com a mamãecontos eroticos meu pai fez eu dar pro meu tiocasa do contos eróticos publicadoscontos eróticos garotinha 7aninhos boquetera e so no cucontos eróticos papai.mimha bucetinha ta dodoiescondendo atrás do Paiol pornôprocuro. velho sadio amigo pauzidos gostoso so meupunheteiras vadias sujas socandorelato esposa cincoentona timida primeiro amantemulheres estupradas por varios homens roludos ao extremodoidoporno vrlho fudendo filha gozando dentrocontos dei p meu chefevideos porno pai e filha novinha viperinapassou guspe e comeu meu cunao saio de casa e um plugno cuzinhoconto gay machowww.mundobicha australiano sarado fode novinho.com.brnovinha que derao boceta e firmarãofui iniciada como cadela e gosteicontos eroticos dei minha buceta pro meu padrasto vingançanegão socando a rola no c* da neguinha fazendo ela arregala o olhovideo porno botei meu pau ate as bolas na boca da tiapadrasto e intendenda gostosoconto prazer de receber uma punhetinhaflagrei minha filhinha mamando o irmao com um mastro enorme contos eróticosgostosa chifrando corno com seguranças na festa contos eroticosnovinha panhando o cachorrinho pra lammber sua bucetinhaXvidiocomendo a novinha sem.ao menos tirar o chorte dela mulher levanta o vedtido e leva rola na bundagordinha bem feitinha abrindo a buceta pra o namorado chupar filme pornô de pais brasileiros transando com as suas filhinhas dopados com soníferover video de porno na facudade gosando forteforçando a enteada dar o priquito e o cu pro padrastoa mulher se arreba negao em fim todinho na buceta sua bola entra na bucetaentregei uma pizza e mepagou com boqueteporno loira olhos azuis coxa grossa rabo grande peituda cabelos longos metendo como uma cadela no cioMulher lendo jornal e dando cu pornovídeo pornô homem t***** possuído chupa b***** da mulher e filhos dele até virar uma chupetaporno doido teste en cascavelcontos eróticos gays cracudosexo conhadas cozinha nua pau bizarro tesao