Casa dos Contos Eróticos

Click to this video!

Comi a mais gata do trabalho

Autor: Sleven Nerd
Categoria: Heterossexual
Data: 15/12/2010 01:47:26
Última revisão: 20/12/2010 11:03:55
Nota 10.00
Ler comentários (3) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Havia me mudado recentemente para a “cidade grande”, é assim que as pessoas do interior chamam à capital, procurei por vários empregos, mas, mesmo sendo graduado em Letras não consegui nenhum trabalho na minha área. Estava morando na casa de um amigo que tinha uma mãe um tanto chata e que vivia dizendo, em voz baixa é claro, “esse teu amigo não arruma trabalho mesmo, não posso sustentar ele aqui”, era difícil ouvir aquilo e não poder retrucar, afinal, estava mesmo de favor.

Decidi então que tentaria qualquer emprego, depois então tentaria um na minha área. Comprei um jornal naquela manhã e nos classificados encontrei o que buscava; 05 vagas em um dos maiores Hipermercados de Belém. O anúncio não especificava ao certo quais cargos, mas pra quem não tem nada, um pouco já serve. Fui direto até a sala de entrevistas no RH, descobri que havia apenas vagas para empacotador, aquele sujeito que fica do lado do caixa pegando as compras que você faz e pondo-as em sacolas ou caixas, tudo muito bem arrumado para economizar embalagens.

Estava completamente insatisfeito com o serviço, dei as costas para o entrevistador, olhei através do vidro e me deparei com aquela que seria a imagem mais bela, até então, que havia visto. Uma loira, aproximadamente 1,60 m de altura, seios fartos, lábios rosados e volumosos, um decote bem provocante e uma mini-saia que, quando se abaixava, dava de ver sua calcinha vermelha, pernas, que belo par de pernas, grossas, roliças, lisinhas sem estrias, celulites ou pêlos.

Voltei-me para o entrevistador e não titubiei; aceitei o serviço, pus a farda idiota e fui para o caixa. Era exatamente o dela. Sim, ela não era uma freguesa, era uma caixa, daquelas mulheres gostosas que os donos de supermercado contratam para prender a atenção dos homens e fazê-los comprar mais do que precisam. Apresentei-me como o seu novo auxiliar, não disse meu nome e nem perguntei o dela. Por dentro estava ardendo de tesão, mas não queria dar bandeira e parecer um imbecil.

Perguntei a um colega ao fim do expediente, o nome dela e ele me disse que era Carol. Estranhei muito quando ela não estava esperando a condução, e passou por nós dirigindo um Cros-Fox, perguntei ao meu colega e ele me disse que ela era filha de um irmão do dono do supermercado, e só estava trabalhando ali como castigo por namorar um ex-presidiário sem o consentimento do pai.

Falei para ele que estava louco pra dar uns amassos naquela loirinha gostosa, mas ele me disse que era melhor nem tentar, ela era muito chata, e distratava a quem desse em cima dela sem ostentar poder e dinheiro. Nem liguei para o que ele disse, e no outro dia sem pensar duas vezes convidei a Carol para sairmos; ela olhou pra mim dos pés à cabeça, sorriu em gargalhadas e me disse “vê se te encherga, era só o que me faltava um zé-ninguém querendo sair comigo”. Foram palavras duras e que não esqueço. Mas, para não sair por baixo, olhei nos olhos dela e disse, “antes de seis meses tu ainda vai transar comigo, vadia”. Aí é que ela riu mais alto ainda.

Dizem que as mulheres respeitam as amigas, mas se tu queres pegar uma mina que não te dá bola, aí vai uma dica, pega uma amiga dela, dá um belo trato que a notícia não demora nada em chegar aos ouvidos das outras, e todas vão estar malucas pra transar contigo. Então eu pus o meu plano em ação. Convidei, para sair, uma amiga, do trabalho dela, de nome Marcela e que não era tão bonita quanto ela, mas era muito menos arrogante. Jantamos em um pequeno restaurante, depois fomos ao cinema; vimos um filme romântico, ela não resistiu ao clima e pulou pra cima de mim me deu um baita beijo, fiquei impressionado, achava que eu era quem devia tomar a iniciativa, mas logo descobri que ela não transava havia quase dois anos.

Levei-a para um motel, que era até bem ajeitadinho, tomamos um banho na banheira juntos, nos beijamos muito, nos acariciamos, ela teve um baita orgasmo clitoriano. A carreguei até a cama, nuazinha, limpinha ali na minha frente, deitei ao lado dela, a dei uns três beijos, pedi que deitasse de bruço, fiz uma massagem nas suas costas apenas com meus beijos, introduzi um dedo em seu ânus, ela gemeu, meti um dedo em sua boca, ela mordeu, virei ela de frente, suguei para dentro de minha boca aqueles lindos seios, pequenos, macios e cheirosos, chupei-os todinhos, hora com força, hora com carinho, ela se contorcia nos meus braços.

Fui beijando de cima a baixo o seu ventre em um caminho longo e sem fim, cheguei aos seus pêlos, mordi com os dentes e puxei-os com força, beijei sua vagina, primeiro os grandes lábios, de baixo até em cima, cheguei ao seu clitóris, chupei-o com todo carinho que uma mulher merece, passei a língua várias vezes em um movimento de baixo pra cima interminável, quer dizer, só parava quando via que ela estava a ponto de explodir em um orgasmo, fiz isso por três vezes, até que dei a ela a chance de gozar profundamente em um gemido que mais parecia um grito de desespero.

Pus ela de quatro, e tive uma visão privilegiada, aquela bunda maravilhosa, aquele cuzinho piscando pra mim, aquela costa lisa e suada pedindo que me deliciasse daque corpo, “ah meu deus”, dava até medo de não satisfazê-la. Comecei então uma penetração vaginal por trás, quando ela me sentiu dentro de si deu aquela gemida gostosa que faz qualquer homem pirar, comecei com estocadas curtas e lentas, que iam ficando longas e rápidas gradativamente, depois tornava novamente a diminuir o ritmo, e naquele vai-e-vem ela teve novamente um orgasmo, gritava “não pára, não pára, não pára”; “isso, isso, vai, vai, assim..., isso, ai..., ai..., isso, mete, mete, ai”. Pedi que ela se deitasse de costas, e, pra finalizar nada como um bom e velho papai-e-mamãe. Ela gozou mais umas duas vezes, aí eu senti que era a minha vez de gozar, tirei a camisinha e me masturbei sobre ela até jorrrar aquele líquido branco e quente sobre os seus seios suados. Ela disse em meus ouvidos, “eu nunca tinha gozado tanto na minha vida”, levei ela pra casa dela e passei umas três semanas esperando o retorno.

Até que um dia durante a folga pro almoço a Carol se sentou na minha mesa e me perguntou em meus ouvidos, “quando é que a gente vai sair mesmo?”.

(Segunda parte em "Comi a mais gata do trabalho part. 2")

Comentários

18/12/2010 18:14:05
Muito curto, poderia ter sido melhor !
15/12/2010 07:47:44
Tambem gostei, favor concluir, quebrar o topete da arrogante.
15/12/2010 02:55:30
muito bom...adorei

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.




Online porn video at mobile phone


contos eroticos bucetinha apertadatira ochorte pica nela pornoliteralmente engatada com dogcontos eroticos cheia de pentelhos horriveiscontos meu genro tesudoxporno novinha tomando banho de porta aberta ai o seu irmão entra e ver ela e fica de queixo caído com o que ta vendo contos as calcinhas da minha sobrinha branquinhaconto erotico a irmandade da anacondaMinha mulher adora reparar na piroca dos machosconto erotico tirei o cabaco da pateicinha no matocontos eroticos tentei fugir mas fui estupradabrincando escanchada contos pornoconto erotico gay branco dominador gosta de maltratar viado pretocontos prima novinha dando cuzinho de surpresagozando dentro da buceta das lindonas nas baladaso riquinho que eu amo cap 12 casa dos contosdois dotado fetendo com forca e tirando sangue da bucetinha da moleca assanhadacontos sex fui enrrabado na adolescencia e gameisexo anal sem compaixãosaiu sangue da buceta da minha namorada quando nos estavamos trazandoXvideos batendo punhenta vendo gostosa de bucos na picinapornô em famíliaxxvdivididu u casete nu boketetitia batendo punheta sobrinho rola cabeçudabigodinho do ritler videos pornoesfregando no busao quando ela descuidou entrou na xanacachorro estorou a bundinha da gostosa de minisaiafilha minha femea contobaixar grátis vídeos pornô lésbicas gemendo grostoso e esfregando buceta com buceta molhadinhas até gosaro bucetaoda minha noracontos eróticos dei pra estranhos pelo buraco na paredeContos de primeira transa virgem detalhadamenteTranzando com as velilhas tetudas debicos grandeO que comete fodendo uma mexidinhacasa do conto meu irmao me encoxouSou tarado por beijar pezinhos com rasteirinhasbaixinha gostosa perdendo as pregas do c* e gritandoRelatoa erodico de geyse arruda contando como.perdeu a vingidade do.buceta e do.cuzinhovideo de sexo negao da rola de cinquenta citimetro com uma jeguaminha cunha espero meu irmão sai e mim mandou ajudar a ela a apertar o sutiã e eu a cumei sexopatrao do pao gigante fode estagiario mundobichaprimos se pegando e com mãoboba pornodoido.commulher da bundona fica de quatro e negao li enfia a pirocaSou tarado por beijar pezinhos com rasteirinhasnovinha mostrando a buceta gozada com 10 picadinhos rabada bucetacontos eroticos vania minha meia irma 2GTA comendo na rua mostrando a bundinha calcinha vestidos aindaSocorro me apaixonei pelo meu filho sexo incesto videosflagrei a cunhada f****** Conto Chinêsvídeo porno brasileiro de gostosa morena dando o cu pra estranho que come o maridotambématrevida gozando com o cunhadoMulher fasendo croche e dano cu pornoxisvideo.pragas.do.cu.de.casadascontos eroticos A Dama e o Bruto http://gtavicity.ru/texto/2016101161coroa pelada toda melada de margarinawww.negao metie na velha porno.comtirei a camisinha e enchi a buceta da mulher.do meu amigovelho tarsdaopegou fogo no travesseiro da atrisfizemos sexo bi com um estranho contoO filme corno manso de verdade existir pornoconto erótico menina timida mas cai de boca no pau tão novinha e peitudarabaonegrofilme de sexo com a minha sogra de remédio por meu sogro dormirirma fabiana de carinha de anjo coçando a xoxotamenage masculino contoscontos eroticos mulher casada bi sonia e suas amigasdei o cu video para o time inteiro de futebolcontos eroticos feminizaçao do garotinho maenega o tarado fuden mendiga na ru pm muita forçaeuconfessosograo loiro da cicatriz q eu amo parte 11contos pequenina e punheteirairmalouca pra perdero cabaco pro irmar