Casa dos Contos Eróticos

Click to this video!

Enquanto meu cunhado dormia

Autor: Novato
Categoria: Homossexual
Data: 27/12/2010 20:57:05
Nota 9.00
Ler comentários (1) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Neste natal, eu com 33 anos, casado e na praia, em férias, com a família. Sempre fui pequeno, bem branco, olhos claros e não freqüento academia; nunca fui uma beldade, porém não passava despercebido.

Nestas férias ficamos todos em um flat e conosco estava meu cunhado, três anos mais velho que eu, moreno,também casado, um volume na sunga que deixava muito marmanjo com inveja. Era bonito, sim. Mas muito simples e já tinha uma barriguinha saliente. Era todo metido a sério, mas adorava uma molecagem.

Ao dormir, na segunda noite, ele estava apenas com um short verde, bem curto; deitou de barriga para cima, com uma perna dobrada e a outra esticada. Eu também estava no chão, numa posição que eu conseguia ver sua cueca azul cobrindo um saco grande e apetitoso. Estávamos como um “L”, com minha cabeça na direção dos seus pés.

Quando todos dormiram, deixei meu travesseiro um pouco mais alto, de forma que conseguia ver, por cima, seu volume sob o short, um volume redondo. Ao adormecer, ele esticou as duas pernas e aí, então, vi o playground do cara: um enorme pênis mole, deitado para o lado esquerdo e que fazia um convite irrecusável para que lhe passasse a mão. Parecia fofo, macio, um cilindro de carne prazerosa.

Arrastei-me pelo chão até ele. Tremendo, como se meu coração batesse em minhas mãos, encostei-me àquele presente. De leve, apertei-o, contornando com os dedos indicador e polegar aquele mastro de homem crescido. Com a mão em concha, cobri todo o volume, pau e saco, sentindo-o pulsar na palma da minha mão. Acariciei com a ponta dos dedos a cabeça do pau. Senti a volta da glande, que começava inchar com o calor da minha mão.

Então aquilo tudo foi crescendo. Crescia e empurrava minha mão com a força pulsante e quente de um bom falo. A cada batida de seu coração, seu membro aumentava e empurrava minha mão. Foi deixando,então, sua posição esquerda para ir aumentando em direção à barriga. Á medida que endurecia, desenhava uma curva grossa, a cabeça presa no elástico da cueca, que aliás, era bastante frouxa.

De repente, quando minha mão pousava sobre seu pau, ele deu um impulso para cima, com a cintura, e a cabeça do pau, que não era circuncidado, apareceu. Era bem moreno e exalava cheiro de homem. Com o susto, retirei minha mão e fiquei imóvel, pois o quarto não estava escuro, apenas na penumbra. Esperei ainda um momento para ver se ele não acordara e, devagar, voltei minha mão sobre seu membro e fui puxando-o para bater uma gostosa punheta. Bem devagar, descobri a glande, toda vermelha e ainda um pouco seca; ela foi saindo lenta, até que uma gota grossa apareceu e escorreu lentamente pelo freio. Soltei a pele para que cobrisse novamente a cabeça e voltei a puxar, com a cabeça começando a ficar brilhante, lubrificada, a cada arregaçada que eu dava, até toda a pela estar estirada.

Continuei naquele movimento, arregaçando e soltando seu pau, fazendo uma coroa com os meus dedos em volta daquela cabeçorra. A cada arregaçada, uma gota lubrificava a cabeça e sentia seu pau endurecer, latejar, pulsar, fazendo a cabeça inchar ainda mais.

Foi aí que aconteceu o inesperado. Meu cunhado, com os olhos fechados e fingindo que dormia, segurou a minha mão, apertand-a contra seu pau e foi conduzindo a punheta. Fazia movimentos vigorosos, mas lentos, ao ponto de envergar a cabeça do pênis, tamanha a força que fazia para arregaçá-lo totalmente. Os poucos pelos abaixo do umbigo já começavam a ficar molhados com a gala que saía e sua respiração já estava acelerada. Senti sua mão apertando a minha, que envolvia seu pau desde a cabeça até a base do saco. Coloquei o dedo indicador de leve, lubrificado com aquela gala toda, no freio do seu pau e, endurecendo as pernas, ele gozou. Abundantemente. A cada pulsação, seu pau soltava uma gota enorme de porra branca, cremosa e perfumada. Eu continuava a esticar seu pênis vagarosamente, fazendo-o fechar as pernas e contorcer-se, como se estivesse segurando um grande urro e um gemido gostoso. Minha mão sentia a violência com que seu pau expelia o líquido viscoso.

Assim que terminou, seu pau foi amolecendo e percebi que meu cunhado parou de se mexer, retirando sua mão de sobre a minha. A porra já começava a escorrer para o lado de seu corpo, mas ele estava imóvel. Entendi que precisava voltar ao meu lugar. Sem barulho, deitei novamente no meu colchão e, cheio de tesão, mas impossibilitado de qualquer outra coisa, adormeci.

Acordei não sei quanto tempo depois, com algo envolvendo meu rosto. Assustei-me e tentei desvencilhar-me, percebendo estar entre as pernas de alguém. Era meu cunhado, todo limpo agora, mas com o pau duro e saindo pela lateral do short. Estava recostado à parede, com uma das pernas sobre o meu pescoço e a outra dobrada sob si. Pegou minha cabeça pela nuca e conduziu-me ao seu pau. Não disse uma só palavra e eu entendi o que precisava fazer. Abri a boca, que pela primeira vez recebia um pênis, e com a língua, deslizei a pele que cobria a cabeça para o céu da minha boca. Sugava devagar, com medo de fazer barulho. Ele levantou a cabeça e abriu a boca para cima. Com a cintura, fazia movimentos para que seu pau escorregasse pra dentro.

Eu salivava muito, creio que pela falta de prática, mas com a mão direita segurei suas bolas e controlava quanto daquele pau poderia entrar na minha boca, com medo de me dar ânsia. Mas tudo acontecia muito gostoso e penso que a gala que saía de seu pau juntava-se a minha saliva e, bem no centro da minha língua, escorregava quente, até encostar no céu da minha boca.

Ele foi acelerando e segurando com mais força minha cabeça e eu engolia todo aquele caldo e pressionava seu pau em minha língua, como se fosse engoli-lo. Ele parou de se mexer, seu pau ficou muito mias duro e começou a gozar violentamente. A cada jorrada, ele se encurvava sobre mim e me vi preso a sua virilha, com todo o pau dentro da minha boca, sentindo os pelos em meus lábios, enquanto meu nariz cheirava sua barriga.

Ele ficou de quatro, foi tirando devagar seu pau da minha boca, levantou-se e deitou-se em seu lugar. Eu adormeci feliz.

No dia seguinte, ele apenas dava um sorrisinho e se mostrava de sunga para mim, mas até hoje não comentou nada e eu ainda procuro entender o que houve.

Comentários

15/07/2015 00:57:22
Perfeito!

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.




Online porn video at mobile phone


contos eroticos comi a filha da minha inquilinavideo na praia de jericoacoara ceara sexo porno na praialoira linda com mastro monstruosotarado convenceu so passar o pau no grelinho virgen da filhinha e enpurrou tudomarido e mulher tomando banho na praia mulher veio um negão bem dotado e sai Escondidinho para dar uma com negãoCalcinha cheirosa da filhinhaeu gozei no reginho da sua bunda xvideohomemfudendooltroporno sem casaminhastentando comer irma crentinhaeu conto dancei com meu cunhado e senti um p*******biba boqueteras pornoconto erótico meu pai abuso de mim quando eu tinha cincoanostrazei com minha vizinha d camizola na cozinha dela ponosexo com maria mulambo fodaconto erotico amamentando velho negroContos eróticos flaguei o pastor arrombando minha linda noiva santinhacontos eróticos chantagiei o papai pra ele mim enrraba todinhavideos de sexo, lambeçao de barrigamulheres chupando e nholindo toda poreareymer ,eroticotexto de mulher quatro mulheres e quatro mulheres se for do mundo assim podendo em uma chupando o pau da ou julgamos o xiri da outraNoca vi pau grosso filio vei mifuder na sala estoriafilmes de diabo comendo ninfetas da belosexoFredzoo pornocomo esconder do meu marido que a minha buceta ta cheia de gala de outro?Pegou o pai de pinto duro quiz no cuconto gay machof***** pelos peões da obra contos eróticos gaysvídeo de mulher pelada nua vídeo mulher pelada mostrando o pinto também amor quer vir aqui também é muito periquita Minha louca vida de mulher pelada nuanovinhohs gostososTurbo negro contos gays.incesto com meu vô contosconto erotico nora carenti fudendo cm sogro pirocudochantageou a coroa para se dar bemSomente contos reais de marido chorando e ecitado que chega em casa e pega esposa trepandomamador de buceta contos eróticosxisvideo d buceta s cadela piscando n cioatrevida gozando com o cunhadoassistindo filme com a tia e perder pra dica abraçadinho xvideosvídeo pornô Sport segurando marido comendo o cuzinho da comadre a forçacoloquei um fil dental e dei meu filho video pornomamaezinha como vc é taradamae tarada chupa boceta de filha gravida incesto contos eroticoscontos chantagiei a filha pra comer a netacontos eroticos tentei fugir mas fui estupradacoroa pelada toda melada de margarinaviagei a trabalho e meu noivo virou corno o homem me dominou empresários do pau grande transando com homens mais lindo do mundo e musculosos e gostosos na pisina mete o pau grande que sai sangue misturado com gala gostosasxvidio porno comendo a cunhada de fio dental rocho no banhogey fazendo fime porno com homem infindo garrafas no geymulher derramando enfiando um copo de cachaça na bucetasucos ontem pego comendo o cu a buceta bem gostosomulher tapa os olhos do marido e entrega para o empregado fuder video pornofotos enfermeira gostosa pega rola pascienteContos trai meu marido com encanador roludomelhores meninas de porno prima com avô de 50 citimetrocontos eroticos usando camisola pro meu filhoporno de professora na forretabixa porno pretinha no boquete devagarinhochupando a b***** dela e ela chupando meu pau até nós gozarmos juntoscontos eróticos a aposta da esposa Bom dia viadinhpsconto erotico peguei no flagra meu pai comendo meu maridocacetudo comendo a buceta cabeluda da comdre porno doidoQuadrinhos cabeludos de uma gangue de monstros tarada por mulheres gostosas! HQs lotadas de criaturas horripilantes que vão te dar medo e prazer!conto erotico vendo.a.minha filha gemendo toquei siriricacontos lactofilia com fotos ou videoTaradinha louca pra pega no pau do tiu contoscontos menina chuponaso eu minha enteada metendomulher com mulher pode uza bolinha vaginasconto incesto minha irmãzinha adolecente andando encasa com essa roupinha nao da para resistiporno clAsSico primeira vez de um molequeporno inventei um assalto para o comer minha mulhero primeiro amasso a gente nunca esqueceo negão bem dotado comendo minha mãe contoshistorias eroticas vi meu sobrinho bem dotado descabaçando o cu da minha mulherela me contou que tinha sentado na rola grossaEsposa putinha mostrando abcta pela boca d shortimostrando abuçeta pedindo para alguém comerCrentinhas cabacinhos