Casa dos Contos Eróticos

Click to this video!

A história de nós três - Parte 01 - O começo

Autor: My Way
Categoria: Homossexual
Data: 08/01/2012 04:20:02
Última revisão: 16/02/2018 01:58:04
Nota 9.63
Ler comentários (16) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Oi? Estou reeditando a "História de Nós Três", que comecei a escrever em 2012, de lá, pra cá, muita coisa mudou. E algumas pessoas ainda acessam essa história, por isso, decidi fazer uma edição. Aproveitem!

Então gente... este conto não serve para aqueles curtem algo sexual. É um romance, uma história de amor e aprendizado com pitadas de romance gay. É bom relaxarmos e curtimos uma leitura leve. Vamos lá:

*Se vocês curtiram, por favor, comentem e votem no meu conto. Ajudem a divulgar também para amigos e colegas. Agradeço vocês e boa leitura.

“A vida é uma estrada que leva a muitos caminhos, alguns deles podem ser tortuosos, outros levam ao lugar certo. O importante é fechar os olhos, deixar que ela nós guie e aproveitar a jornada. Apenas respire, não importa o que aconteça, para que juntos possamos encontrar a verdadeira felicidade.”

Capitulo 1 - O Começo

Meu nome é Pedro Augusto Soares, tenho 22 anos e estou no último período de publicidade. Gosto das coisas simples da vida, como ficar na companhia dos meus amigos e familiares. Sou o filho do meio de três irmãos, meu irmão mais velho se chama, Paulo Eduardo Soares, 25 anos, e a minha irmã caçula é Priscila Luana Soares, 18 anos. Como você pode perceber meus pais gostam de nomes compostos.

Contarei agora a nossa história, que é marcada por superação, amor e principalmente amizade. Então, vou começar pelo início, espero que você não ache chato. Meus pais se casaram cedo e tiveram meu irmão nos primeiros meses de casamento, depois vim eu e a Priscila. A nossa infância foi maravilhosa, na verdade se eu for analisar creio que foi a melhor época da minha vida. Não havia problema tudo era basicamente brincadeira e mais brincadeira. Lembro que quando éramos pequenos as pessoas nos chamavam de os ‘três mosqueteiros’.

Paulo, lógico, era o líder do bando, sempre autoritário e mandão, a Priscila já era o espírito livre e fazia o que queria, na hora que queria. Sempre rolava confusão de irmão entre eles, eu, claro, era obrigado a separar e apaziguar as coisas. Lembro de uma vez em que fomos à praia, na nossa infância, e nos desentendemos com uns moleques que nós não conhecíamos, agora não lembro o motivo.

- Ei, vocês são loucos? – disse um garoto grande e gordo tirando o pirulito das mãos da Priscila.

- Cara, não queremos confusão é melhor ficar na tua. – retrucou calmamente Paulo olhando para mim.

Aquele olhar significava duas coisas: segura ele que eu arrebento ou pega a Piscila e sai correndo. Eu realmente decidi pela segunda opção, peguei a minha irmã e sai arrastando ela pela praia, quando ela para e me segura.

- Não, eu quero o meu pirulito. – disse ela correndo para cima do gordo sem um pingo de medo.

- Priscila, espera! – gritei.

A confusão estava armada na praia. Imagine a cena, minha irmãzinha segurando no pescoço de um garoto que tinha o triplo do tamanho dela e o meu irmão sendo massacrado pelos amigos dele. Infelizmente, nessa situação eu não tive opção, corri feito um louco para ajudar o Paulo, realmente não sei como conseguimos, mas depois que chamarmos a atenção de um grupo de guardas os meninos fugiram.

Nossos pais estavam na casa de verão, não muito distante, quando a campainha tocou. Meu pai que atendeu a porta, ele tomou um susto ao nos ver com os guardas.

- Boa tarde. – disse, meu pai sem entender nada.

- Senhor esses são seus filhos? – perguntou o guarda.

- Sim, acho que são eles sim, tirando os hematomas e sangue são meus filhos, seu guarda. – confirmou.

Minha mãe entrou na sala e fez o que toda mãe faria naquela situação. Correu em nossa direção e praticamente nos tirou das mãos do guarda.

- Meu Deus... O que aconteceu com os meus filhos? – Gritou. – Meus bebês todos cheios de sangue. Vêm cá filhinha, olha só esse cabelo. - afagando o cabelo de Priscila.

- Seus filhos arrumaram confusão com uns trombadinhas. Eles deram sorte que eu cheguei na hora. – explicou um dos guardas ao meu pai.

- Pode deixar seu guarda, vou ter uma conversa com meu filho mais velho. Essa situação não vai mais se repetir. – pegando firme na mão do guarda e olhando decepcionado para o meu irmão.

Meu pai levou meu irmão para o quarto e minha mãe nos direcionou ao banheiro para lavar nossas feridas de guerra. Eu lembro que ela passou um remédio, mas eu fiquei preocupado mesmo foi com o Paulo, ele não foi o único que brigou. Eu merecia a culpa mais que ele, já que tentei fugir. Em seguida, fomos para o quarto, a mamãe nos deixou assistindo televisão, eu e Priscila ficamos em silêncio e esperamos por quase uma hora nosso irmão voltar.

Quando ele entrou no quarto era visível que estava chorando, os olhos vermelhos denunciavam. Priscila gentilmente pegou na mão do nosso irmão e o deitou na cama e o abraçou, ele não segurou as lágrimas e começou a chorar. Eu sentei perto dele e notei as costas marcadas, tentei ser forte e confortar meu irmão. Ele levantou enxugou as lágrimas e fez uma promessa que levaríamos para o resto de nossas vidas.

- Nunca eu deixaria ninguém fazer mal a vocês. Nem que pra isso eu tenha que levar uma surra todos os dias. – confessou nos abraçando.

- Eu sei. – concordei. – Vamos fazer um pacto hoje, não importa como, sempre defenderemos uns aos outros. Somos irmãos de sangue e nada pode mudar isso. – olhei para os dois.

O tempo foi passando e nós fomos crescendo, mas nunca esquecemos aquele dia. Sempre dávamos cobertura uns aos outros como verdadeiros cúmplices. Não vou dizer que não brigávamos, pois, estaria mentindo, coisas de irmãos mesmo.

O momento mais difícil para a vida de qualquer pessoa deve ser o ensino médio, eu lembro que eu sofria muito por ser diferente. Enquanto o meu irmão e nossos amiguinhos se reuniam para jogar futebol ou videogame, eu vivia afastado. Quando completei 16 anos fomos convidados para uma festa na casa de um amigo do Paulo, ele pegou o carro e fomos para o local do evento.

Quando chegamos lá estava à turminha do futebol e uns amigos da escola, não preciso nem dizer que o meu irmão era o cara mais popular do nosso colégio. Até mesmo depois de formado, já que ele havia começado a faculdade de engenharia eletrônica, eu e a Priscila falamos que a área dele não era essa, mas ele sempre teve a cabeça dura.

Todo mundo se divertia naquela maldita festa menos eu. Decidi ir para uma parte afastada e fiquei apreciando a noite. Se eu soubesse, nunca teria me afastado do meu irmão, nunca. Depois de alguns minutos, ouvi uma voz familiar.

- A festa fica para outro lado. - disse Márcio se aproximando.

- Oi Márcio, tudo bom? – perguntei.

- Sim, estou ótimo. Reparei que você estava se distanciando da turma.

- Reparou... pensei que eu havia sido mais sutil... droga, não foi dessa vez. – brinquei.

- Você tem alguma coisa de diferente Pedro? – perguntou Márcio se aproximando de mim.

- Mesmo? Eu não acho, sou normal. Apenas um garoto... normal. – falei tropeçando nas palavras.

- Posso te falar uma coisa? - se aproximando mais do que eu gostaria.

- Claro... pode...perguntar.

- Você é gay? - soltando um riso sarcástico.

- O quê? Claro que não, não, não, nada gay. – respondi saindo de lá.

Não conseguia respirar. Que pergunta foi aquela? Comecei a procurar meu irmão, queria sair o mais rápido possível daquela casa. Subi e não o encontrei, quando desci as escadas encontrei Márcio conversando com outro rapaz. Corri até a cozinha e encontrei meu irmão conversando sobre futebol.

- Paulo, eu quero ir embora. - tremendo.

- Pedro aconteceu alguma coisa? – perguntou se aproximando de mim.

- Não, apenas quero ir embora para casa. Vamos.

- Tá bom. – disse ele sem entender. - Gente, eu preciso ir. Conversamos outra hora. - ele falou para os amigos.

No caminho de volta pra casa fiquei em silêncio. Meu irmão tentou algumas táticas idiotas para me fazer falar, mas eu não estava conseguindo entender. Eu pedi para ele encostar o carro e abaixei minha cabeça, comecei a chorar, era inevitável, as lágrimas desciam sozinhas. Ele parou com as brincadeiras, me abraçou e perguntou o que havia de errado.

- Paulo... eu… - quase sem conseguir falar.

- Pedro você está me deixando assustado, mano o que aconteceu? – perguntou.

Eu sabia qual era a resposta, sabia disso há muito tempo, só precisava desabafar com alguém. Eu sempre nutri sentimentos por homens, essa vontade ficou maior quando fiz 15 anos. Imaginava a reação dos meus pais sobre a minha opção, pensava nos meus irmãos. Tinha que manter a pose de bom filho, de irmão hétero, mas essa angustia acabava comigo. Em dois momentos da minha vida pensei em suicídio, não segui essa opção por covardia, não seria a primeira vez. Paulo a cada minuto ficava angustiado, nervoso ele perguntou.

- Foi algo que eu fiz? Cara, pelo Amor de Deus fala alguma coisa…

- Eu, sou... eu sou gay.

- Mas… você… eu acredito que não. Você deve estar confuso, mas…

- Eu precisava contar isso para alguém, eu não conseguia carregar isso sozinho, eu não sei o que fazer preciso da tua ajuda.

- Pedro... eu não... desde quando você…

- Desde sempre. As pessoas estão percebendo, tenho medo que os nossos pais saibam e me expulsem de casa. O que eu faço?

“Meu Deus? E agora? Será que o meu irmão vai esquecer a promessa que fizemos e vai contar tudo para os nossos país? Eu serei expulso de casa? Estou realmente desesperado e não sei o que fazer.”

*Se vocês curtiram o meu conto, por favor comentem e votem no meu conto e ajudem a divulgar também para amigos e colegas. Agradeço vocês e boa leitura.

Se tiver dúvidas ou comentários podem enviar para o email: (ainda utilizo esse endereço eletrônico)

[email protected]

Comentários

30/08/2015 14:15:35
Adoreiii
17/02/2013 19:58:26
Adorei. Mto bom
12/04/2012 17:11:04
Estou muito curioso indo direto para o número dois e nota 10
08/02/2012 10:36:00
Muito bom
23/01/2012 16:51:03
mt bom!
16/01/2012 11:42:01
Ótimo!
12/01/2012 16:23:52
FANTÁSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSTICO
09/01/2012 09:39:14
Adorei o seu conto simplesmente maravilhoso estou indo ler o numero 2 nota 10
08/01/2012 18:46:22
Ai kra mto legal teu conto adorei XD
08/01/2012 17:13:54
Gente obrigado pelos comentários. Eu realmente fico feliz. Em breve a Parte 2
08/01/2012 10:49:39
Se você também curte uma boa sacanagem entre machos de verdade, não perca tempo. Clique no meu nome e leia meus contos. Não deixe de comentar. Para o pessoal de Campinas que se interessar, meu e-mail está no final. Curto uma boa pegação com outro macho de verdade. Até mais.
08/01/2012 09:25:13
cara muito bom. continua.
08/01/2012 08:16:27
Muito bom mesmo, mesmo sem cunho sexual, e pra falar a verdade o sexo é so parte sabe, eu prefiro e acho que muita gente prefere uma leitura assim, de experiencias reais... Voce escreve muito bem, quero ver logo a continuaçao. Parabens!!
08/01/2012 05:04:34
Um belo conto e original.
08/01/2012 04:49:05
mt bom, continua logo
08/01/2012 04:25:45
Começou bacana... apensar de não ter sexo achei muito interessante. Continua assim My Way. Estou esperando a segunda parte.

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.




Online porn video at mobile phone


xvideos gata novinha virgem perdendo a virgindade .sai pra ir na igreja e acabou indo foder no.motel levantou a saia cunprida e gozo gostosoaquilo foi rasgando meu cuzinho contos eroticosvideo olhei peludo no banho deu vontade de chuparamigas segurando a amiga pa ser estrupada na despedida de solteiracontos eróticos transformação marquinha biquínividios d senhora com corpo gostoso e seios parados e arebitadoscontos eroticos cheguei casa escorrendo porra cornosso puta dancando sexual e menor mostrando o peitinho e bucetinha enchada marcado a calcinhahome filma mulhe no oinibohomemsexo homen em esteio rscontos tatuape primeira bucetaporno doido so chupança de buceta. com muita fomeConto erotico tia dano cuzinho pro sobrinho titaapostei minha mãe com meus amigos conto erotico analliteralmente engatada com dogcomi a mae com a pereteca raspadinhacontos eroticos/comeu novinha peludinhavideo mulher peito duro lavano carro pornocasa dos contos eróticos patrão e empregadoxxvideo mobile de mulher chupando seios de outra em lactacaocaderante. rabudas de. porto alegremulher de corno trepando com peaozada no alojamentoconto patricinha escravavideo viuva custou a dar a bucetanegoia pauzudosconto erotico "padre não é homem"conto erotico proibido pra mim hector e sophiebucetinhasequinhaContos éroticos taradão caralhudo arrombando uma prostitutanovinhas esfregando buceta na sela do cavalo videos de porno doidoVanessa queria brincar mais não imaginava que ia encontrar pela a frente um monte de safadinhos taradosporno comendo cu de homêm de bùnda grandeZoofilia caes encangados em mulherespornô grátis só contos eróticos sogra cozinhacoletanea dechupada no pau ate goza aboca cheia de porramulheres que fuma charuto e souta fumassa na rola do cara ate goza asseste videocontos tia dando o cu pro sobrinhocontos eroticos cheia de pentelhos horriveisxvidios outros puraimulher da bundona fica de quatro e negao li enfia a pirocasexo com monstroscontos cuzinho da Robertaanais bruto elas tenta corre io pau entra mascontos cuzinho da Robertaminha colega foi estuprada por tres piçudos e gozaram dentro delacontos eroticos de caminhoneiros fudendo homens em posto de combustiveiscontos de crossdresser forçadoela cagou no meu pau conto eroticodotado roludo malvado comm novinha com bucetinha muito apertadahomnes esibindo seu pauzao no sanba cansao pornodoidoconto erotico gay gury chupador de dedofilhaabre as pernas qie vou te fider gostosoxsvideo relatos com fotos e filmes tio taradao de 30cm de rola arrombando subrinha safadafiume porno garoto senti tezao pela crentinhagostsona dando o cu pro negao roludo egritandominha colega foi estuprada por tres piçudos e gozaram dentro delacunhada e cunhado beberan e acabaran fasexo sexocolokando o pau na boca da irmanzinhq dormindopaola olivera de xote curto pornoConto erotico.no cuzinho da caderanteelicarlos2010saudades faze sexo com a minhia esposatemto core mais eu pegeibrasilera xvideoXVídeo pornô a mulher se masturbando na rua andando no meio da rua Rosada molhadinha nenhuma Bruno metrô de todo canto g***** molhadinhavideo. caseiro. de. sexo. mulher. covida. omarido. pra ir. na. casa. duma. amiga. muito. gostosa. ela. provoca. omarido. da. amiga. e. rola. sexo. com. os tres. gratiscuzao da tia vim nao aquentei mobile pornConto/patroa e empregada na cama amandopornô grátis sobrinha Fala tio sua pica não vai caber na minha b********conto fude com meu cachorro a xifro meu maridoContos sou casada e chupei dois caralhos ao mesmo tempocadelas bucerudas fudendo no cioair tira o pau do cu dela , ela vai caga pornominha esposa e seus negoes comedores contosBundinha lisinha da filhinhanó parquinho perdi o cabacinho contoslevantei o vestido da minha nora contoscontos de incetos e orgias entre irmaos nudismo piscina em casanovinha sendo agarrado com outra garrafa com cachorro na xícara XVídeosmulher casada trai seu marido e fode sem camisinha e leva gosada dentro da buceta e engravidacadelas graudas no cio em zoo.casadoscontosloirinha magrinha sentando no pau do negao de 70 centimetroscontoserotecos minha mulher com bunda cheia de porraincesto com meu vô contosporno com homem com baita tigãowww.mae nao aquento filho pausudo bocetaomae gozou loucamente no pau de 25cm dp filho dotadpcontos erotikos menina novinha troca os cabacos por doceslésbica com p********* chuchada na garotinha gostosagostosas chupando barman na festaamassos eroticos na aguaCarinha de Anjo de GTA e mamãe filha da está outro colégio bem longe daquiporno com muito estrupo com muito pau no cu a força com muito sexo bruto.