Casa dos Contos Eróticos

Click to this video!

Tímido

Categoria: Heterossexual
Data: 05/03/2012 18:22:44
Nota 9.75
Ler comentários (6) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

O Gabriel eu conheci num ambiente em que eu não esperava conhecer ninguém razoavelmente interessante. Foi numa discoteca. Possivelmente levaram-no amarrado. Eu observava de longe, sentada no bar. Ele parecia ser diferente de todos os outros. Até parecia tentar agradar, mas não se encaixava no ambiente. Levaram-no para a pista, mas ele não sabia dançar, e voltou para a mesa quando notou que estaria sendo ridículo. Olhava muitas vezes para o relógio. Dois dos seus amigos voltaram para a mesa com mais duas miúdas. Beijavam-nas e apalpavam-lhes os rabos, na sua frente, e eu via que ele ficava constrangido. Três dos outros rapazes ainda estavam na pista de dança, à caça. Um deles aproximou-se de mim, e começou a lançar conversa. Qual o seu nome? Sua idade? Onde moras? Vens sempre aqui?... Ele bombardeou-me de perguntas, até dizer que eu era muito bonita e que gostaria de me dar uns beijos. “Na verdade…” – eu comecei. “Estou interessada num amigo seu.” Ele ficou parado, chocado, e quis logo perguntar qual deles. “Daqui a pouco vou até a sua mesa e te mostro.” – eu disse. Ele foi para a pista, e começou a falar com os amigos e a apontar para mim. Todos foram para a mesa. Acabei de beber o meu drink. Levantei-me e fui até lá. Sentei-me do lado do menino tímido e disse, abraçando minha mão no seu ombro: “É esse que eu quero.” Vi várias bocas abrirem na minha frente. Convidei-o para beber no balcão comigo. Ele ficou confuso, mas foi, talvez porque qualquer coisa seria melhor do que estar junto daquele montão de marmanjos, que só queriam intimidá-lo.

- Por que você me chamou aqui? – ele perguntou-me depois de um longo silêncio.

- Porque gostei de ti.

- Foi meus amigos que te pediram para me pregar uma peça, não foi? Pois se foi…

- Ei… - eu interrompi. – Seus amigos não têm nada a ver com isso. Nem os conheço, nem quero conhecer. Gostei de ti, e é você que eu quero.

- Mas por quê? – ele corou.

- Porque gosto de homens tímidos.

Ele deu um gole no whisky fazendo careta. Tinha 26 anos, mas não parecia nada experiente. Todo aquele ambiente parecia contrastar com a sua postura reservada, quase acanhada.

A música mudava, e só víamos pessoas a balançar a cabeça no meio da pista. Alguns já bêbados, pareciam tocar guitarras e baterias invisíveis.

- Vamos sair daqui. – eu disse-lhe.

- Para onde?

- Importa?

Levei-o para a minha casa. Sentei-me no sofá e indiquei que se sentasse, e estive a observar o seu silêncio.

Descalcei as botas, e estive a brincar com os meus pés nas suas pernas. Ele parecia tremer.

- Tens medo de mim?

- Não, não é isso.

- Então é o quê?

- Na verdade… nunca imaginei que estaria com uma mulher como você.

- Então não imagina nada… Deixa acontecer…

- Não sei o que fazer.

- Não precisa… Deixa que eu faço tudo.

Sentei-me no seu colo. Tirei minha roupa de cima e fiquei com meus dois seios nus, bem à frente dos seus olhos. Parecia que ele estaria vendo uns seios, ao vivo, pela primeira vez na vida. Peguei nas suas mãos e coloquei em cima deles, devagar.

- Vês? Pode tocar…

Ele tocava, apertava, como se experimentasse pela primeira vez, como se fosse comprovar que eles eram mesmo reais. Meus biquinhos rosados ficavam excitados, como se estivessem com frio.

- Também podes colocá-los na sua boca… - eu sugeri, já chegando os meus peitos bem perto dos seus lábios.

Ele chupou, como um bezerro desmamado. Eu tirava uma mama e colocava a outra, bem devagarinho. Ele foi ganhando o jeito, e chupando uma enquanto acariciava a outra com a mão.

Senti o seu cacete crescer, bem debaixo da minha xotinha. Minha xota parecia ferver, de tanto desejo.

Tirei sua camisa. e encostei meus seios, rijos, quentes e molhados pela sua saliva, no seu.

- Gostas? – perguntei.

- Muito. – ele respondeu, quase a gaguejar.

Desencostei-me e saí do seu colo. Abaixei e tirei seus sapatos. Continuei de joelhos e abri o zíper da sua calça. Senti suas pernas contraírem. Deixei que ele continuasse de calça, mas coloquei o seu pau para fora. Senti que ele tinha vergonha de expor o seu membro para uma quase desconhecida, e eu disse para que não tivesse medo, pois seria muito bom. Acariciei seu pau com as minhas mãos, ágeis e delicadas.

Abandonei seu mastro, e sentei bem ao seu lado no sofá, lançando-lhe um olhar sedutor, ameaçador, traiçoeiro e misterioso. Tirei a meia calça, e depois, bem devagar, fui arrancando minha cueca. Continuei com a saia. Sentei em cima do seu instrumento, sem meter, apenas para que ele sentisse o calor da minha xota. Depois virei de posição, sentando com o rabo no seu pênis, deixando-o bem no meio do meu rego, e deitando minhas costas no seu tronco nu. Peguei nas suas mãos e coloquei novamente nos meus seios. Estive a rebolar por cima dele, seguindo os movimentos circulares das suas mãos. Coloquei uma das suas mãos na minha xotinha, por baixo da saia, para que ele sentisse com os dedos o que sentiria com o pênis, metido dentro dela, alguns minutos depois. Enfiei um dedinho dele na minha bucetinha, e ele conseguiu notar o quanto já estava molhada.

Tirei seu dedinho e levantei-me novamente. Nesse instante ele já se sentia um bonequinho, que não sabia o que eu faria a seguir. Pus-me de joelhos, e coloquei o seu pau na minha boca. Coloquei-o todo lá dentro, e ia subindo e descendo. Ele começou a gemer. Parei de chupar, começando a dar beijinhos no seu cacete, e a lambê-lo com a ponta da língua. Passei a língua nas laterais e depois enfiei-o todo na minha boca, novamente, num golpe de misericórdia. Levantei-me e abri o zíper da minha saia, deixando-a cair. Arranquei-lhe a calça e a cueca. Peguei um preservativo na minha bolsa, e ensinei-o a colocar. Sentei no seu colo, mirando o seu pau no meu buraquinho. Fui descendo bem devagar, de modo a sentir cada centímetro a entrar. “Vamos brincar de elevador…” – eu disse, marota. Quando eu cheguei no fundo, ele gemeu. Continuei rebolando, subindo e descendo.

- Está bom? – perguntei.

- Muito. Muito.

- O que sentes?

- É quente. úmida. Apertada.

- Gostas de me foder?

- Gosto, gosto muito. É muito bom…

Suspiramos, gememos, e depois que eu gritei, ele se sentiu à vontade para gritar também. Aumentei o ritmo. Ele começou a abrir as pernas e a pular com o rabo no sofá. Joguei minhas costas para trás, apoiando minhas mãos na mesinha de centro. Ele meteu mais.

- Goza comigo… - eu disse.

- Estou quase…

- Continua… continua… continua…

Ele gozou. Senti o preservativo encher-se dentro de mim, e seu pau a latejar. Suas pernas tremiam. Ele parecia até soluçar.

- Eu… eu era virgem. – ele disse.

- Eu sei. – respondi.

Abraçamo-nos, suados, e ficamos a dar longos e demorados beijos na boca. Autorizei que se vestisse e disse que já poderia ir embora, mas, quem saía por aquela porta, agora, não era o mesmo homem que entrou.

Comentários

15/06/2012 14:15:24
Uauh! adorei!
07/03/2012 00:22:26
Muito bom. Estou reavaliando meu conceito sobre a qualidade dos contos achados na internet.. Otimo1 continue a nos deliciar.
05/03/2012 20:46:56
Bons tempos que não voltam mais !!! Muito bom o conto... (http://contosdahora.sites.uol.com.br)
05/03/2012 20:33:07
nota 10.. mto real e original
05/03/2012 20:24:55
Certamente a primeira vez desse sujeito foi inesquecível. Adorei o conto.
05/03/2012 19:23:38
Mim fez lembrar d minha 1° vez com 18 anos.

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.




Online porn video at mobile phone


deseeo amanentando o filho contos sexminha prima contocontofudi minha cunhadachantagiei a colega de trabalho e comi ela casa dos contospaguei mas gozei gostoso na filha evangelica da empregada minha contosgaroti gay pauzudp ttansar c homem cacetudo e grisso vidio pirnocornolandia contosContos erotico minha filhinha mim shopou no banhoQuero assistir filme pornô mulher sendo arrombada pela uma muda de limãovidio de puta lavano abuceta e tirano bora pra fora video pornodoido casal transa dentro de uma poça de lamaperdi a virgindade com pau enormeCorno humilhado na lua de melquero baixar pornô novinha sentada no sofá completando campainhaquero ver lindas travestis entrando em enormes rolas ate gozarem nelas videos boas fidasporno sem casaminhascontos eróticos paifinge dormundo fudendo filho e filha. virgemdotado roludo malvado comm novinha com bucetinha muito apertadaXVídeos caseiro eu te empurro com fosse eu não aguenteiconto erótico assim nasce uma travesticdzinha quer ser empregadinhaesgichada de gala da bucetanao aguento essa pica grande e grossa no meu cu sexo gayxv novinha brinca com cachorro e fica agarrda na picaconto erotico minha filha se acidendo eu tive da banha nelacasadas sirrricasxvidio veio chupando peito da novilnhacorto eroticosminha esposa gosta de trasa com vaqueroTenho fetiche de beijar os pés da minha namorada quando ela está usando rasteirinhasnegona rindo com uma boconavídeos pornô eróticos com pau grande e grosso lindos com a pontinha bem geladinha e bem fofinhofudendo a matasrtaPai chupando e amassando os seios e vagina da filha e passando a mao na vagina dela ver video calcinha molhadadeu o cuzinho pela primeira vez e pede poe devagar porque ta doendoconto erotico minha mae é uma piranhaempresários do pau grande transando com homens mais lindo do mundo e musculosos e gostosos na pisina mete o pau grande que sai sangue misturado com gala gostosasporno em familiaincesto com meu vô contosMenina querendii dar a buceta xvideosfode violento o cu da vo gorda humilhandoporno doido faxineira obedientemarido tranza com espoza no acampamento chega mais e tranza com ela contosa bundinha avanço preta gorda dos peitão gorda rabonovinha dando pra velho rabuchentocontos de homens casados e suas escapulidassexo real conhadas nuas banho pau bizarro tesaoliberei minha filha pro meu amante tirou o cabacinho contosquero ver foto bucetao beicudas e hrandecachorro do nozão trelado no cu da gostosamelhores meninas de porno prima com avô de 50 citimetroContos eróticos meu marido solbece quantas rola já levei no cugosando dentro da buceta d egua d raçacontos de sexo depilando a sograContos eroticos sou uma puta engulodormindo de bruço acordando pro anal pornoporno eu e minha cunhada ficamos sozinho em casa não resistir elaxvideos viu mae dormindo de boca aberta e fico doidinhocontos incesto mae gtssexo tio seu pau e muito grande nao vai caber na minha bucetinha naonegao pausudo enfoorca a novinha enquanto fode elavideo estrupo brasileiro caseiro fala palavrao gorda peitao patroacontos eroticos anal ensinando a pilotar motocontos eriticos minha sogra levo ninha rola grandenegao fudendo engenheiro na obrasogra fagar gero de pau durohttp://migre.me/w4IgEcambaxirra vaca brabaporno secretaria aser estupprada no escritorio e gozada dentro da vagina sem ela querervideo de padrasto tentando resistir a enteada rebolando no colo deleconto erotico dei para um estranho na casa de swingcontos de cornos revista private 2017Contos de putaria de novinha dando para o cara da rola cabeçuda sem o noivo percebernovinha de sai deincha ver a bucetaMeu marido era louco pra me ver com uma picona toda socada dentro de minha buceta e na minha bunda e eu fiz sua vontade!contos.eroticos avo.peludo idoso bigodeelementarians eroticovi meu genro transando conto