Casa dos Contos Eróticos

Click to this video!

MEU PADRASTO CAVALO 4 (PERDENDO A VIRGINDADE)

Autor: Camilla Duda
Categoria: Heterossexual
Data: 10/06/2013 01:22:10
Última revisão: 10/06/2013 01:23:24
Nota 10.00
Ler comentários (13) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

MEU PADRASTO CAVALO 4

Por Camilla Duda

([email protected])

INTRODUÇÃO DOS CONTOS: "MEU PADASTRO CAVALO"

Oi, me chamo Camilla, vou contar todos os meus relatos verídicos que começaram aos meus 14 anos.

Hoje tenho 25 aninhos, 1,65m e 105 cm de quadril, o que sempre chamou atenção dos homens, também possuo um gordo par de coxas, cintura violão e meus peitos são bem grandes, bem fartos e com as auréolas lindas e rosadas, sou branca com a pele bronzeada por natural, olhos castanhos, cabelos cor de mel encaracolados até a metade das costas, ainda jovem tinha corpo de gente grande, achava o máximo parecer quase uma mulher, tinha um porte físico avantajado para uma garota dessa idade e ouvia ocscenidades na rua sempre quando eu saia com um short mais curto ou um decote mais ousado.

Aos 15 anos via minha mãe com 38, ainda muito bonita e jovem, sempre bem produzida e independente, de fato uma mulher super atraente.

Estava namorando com um senhor negro um pouco mais velho, tinha uns 40 anos e se chamava Rui, era um crioulo com grande porte físico, tinha 1,88m de altura, pesava uns 110kg, mas era atlético e muito forte; o proprio contava que quando morava nos Estados Unidos, fazia musculação com frequência e praticava luta greco-romana..

Ele era um quarentão boa pinta e bem sucedido, me tratava muito bem e mostrava ser muito legal com a mamãe, ela, parecia sempre feliz a seu lado;

Sr. Rui demostrava se preocupar bastante com agente, protetor, era carinhoso e gentil em todas as oportunidades, mas havia um problema... durante todo o relacionamento deles, o safado do negão abusava de meu corpo: Me bolinava, passava seu pênis gigante pelo meu orgãos sexuais, ejaculava em minhas entranhas e até penetrar no meu rabinho ele já havia tentado! Mamãe amava tanto aquele homem, que mal desconfiava que o tarado molestava a sua própria filha.

-

Foi em um fim de semana em Búzios/RJ, que aconteceu minha primeira experiência com o Sr. Rui, (leiam os contos anteriores), tinha apenas 14 anos e aquele tarado já se aproveitava de mim e abusava da minha inocência, descobria meu corpo ingênuo por completo, explorando meus orgãos com suas mãos enormes! Curiosamente, Ele sempre preservava o meu sexo casto, zelando pela minha virgindade e mantendo minha bucetinha inviolada, mas nesse dia tudo mudou....

nesse quarto episódio, vou descrever o que aconteceu no aniversário de 2 anos de namoro da minha mãe...desta vez, ele foi mais longe.

Parte 1

Adorava quando mamãe viajava, podia estar soziinha em casa fazendo tudo que queria!, Ficava acordada até mais tarde vendo filmes, comia pipoca e bebia refrigerante a vontade, não tinha hora pra levantar...era uma festa só! Aproveitava o meu momento de privacidade, dormia na sala, deixava tudo bagunçado e só arrumava tudo horas antes dela voltar, eu adorava; ja aguardava a viagem da minha mãe a bastante tempo, naquela época eu namorava um menino a quase 6 meses, o nome dele era Oscar, lembro que me sentia apaixonada, foi uma paixão juvenil e infantil mas para os meus 15 anos era algo bem forte e gostoso, sonhava em casar com ele e crescer a seu lado, um verdadeiro amor de adolescente! O garoto era mais velho do que eu, tinha 17 anos, era: loirinho, cabelos encaracolados, branquinho...ele era lindo! Todas as minhas amigas queriam beijar o Oscar! Eu amava aquele galeguinho! Inclusive já tinha dado uns amassos bem gostosos nele (risos),

Oscar parecia adorar o meu corpo de "quase mulher", as meninas da minha classe não tinham desenvolvido seios e nem bumbum que nem os meus, ele me apertava a carne e sugava meus lábios com amor e prazer; quando nos beijavamos, o taradinho segurava a minha bunda com carinho e encostava sua piroquinha dura nas minhas coxas, sempre retribuia pressionando meu sexo virgem contra ele e me roçando em seu membro juvenil; gostava tanto dele que já havia posto a mão no seu piruzinho em três oportunidades! Masturbava sua varetinha por cima da bermuda com força e sentia os seus suspiros de prazer, quase o fiz gozar por várias vezes!

Adorava aquela paixão incontrolável e sentia um prazer ingênuo, de fato amava aquele garoto e não via a hora de ficarmos a sós, sabia que a viagem da mamãe seria a melhor oportunidade! O convidei uma semana antes, expliquei que minha mãe estaria fora e o chamei para vermos um filme; ele adorou a idéia, como qualquer adolescente adoraria! No momento do convite, já havia pensado em me entregar para ele, imaginava a possibilidade de fazer amor pela primeira vez! Sempre me preservei e nunca imaginei que fosse perder a virgindade aos 15 anos, mas na época, sentia uma necessidade extrema em entregar meu sexo virgem para aquele menino, ele era o meu principe.... Escrevia lindas cartas para mim quase todos os dias, dizia que me amava e me tratava de uma forma especial, me sentia encantada, no colégio já andavamos de mãos dadas a mais de um ano, era o meu primeiro namorado, estava perfeito.

No tão aguardado dia, veio a ducha de água fria, minha mãe me ligou na sexta-feira avisando que o namorado dela dormiria lá em casa, ele mesmo......

Aquele safado chegaria sábado pela manhã e ficaria o dia todo comigo, enquanto mamãe viria pra casa apenas no domingo, chegando bem cedinho, quase chorei de raiva!! Avisou que sairia de Angra dos Reis/RJ na manhãzinha de domingo e viria correndo pra nossa casa! Não entendi, então ela me lembrou o que havia esquecido...O aniversário de namoro dela com o Se. Rui, 2 anos!! Minha vontade era gritar! Pensei em ligar pro Oscar na mesma hora e desmarcar mas não tive coragem, preferi ligar sábado pela manhã e tentar me explicar com ele...Fiquei revoltada, fiz um sanduiche antes de deitar e fui dormir com o pior humor do mundo.. Meu encontro com meu amor havia furado!!!

O fato do Sr. Rui passar o dia comigo já não me preocupava tanto, aquele tarado havia parado de me abusar, inclusive, após a última molestia, dormiu lá em casa por diversas vezes e nada fez, ficando sem me assediar por bastante tempo, parou com suas tentativas bem no inicio do meu namoro com o Oscar...Mas os acontecimentos daquele dia ainda estavam frescos na minha cabeça; recordei uma das cenas em que o tarado do criolo forçava sua chapeleta inchada contra o meu rabinho, mais uma vez contrai meu cuzinho! Tranquei ele sem sentir...instintivamente, na mesma hora ri sozinha da situação e me dei conta, tinha piscado meu anel só por lembrar daquele tora preta! Nunca deixava essas lembranças permanecerem na minha cabeça.. sentia vergonha..senti um desagradável desconforto,

só em pensar que o namorado da minha mãe havia deflorado meu cuzinho virgem com sua cabeçona de cavalo, fechava os olhos e tentava apagar aquele dia, mas não conseguia esquecer do Sr. Rui, vinha na minha mente a sensação das minha preguinhas se arregaçando enquanto aquele sem vergonha continuava dilatando o meu buraco virgem.

Ao acordar, levantei decidida a não voltar a atrás, iria me encontrar com o meu namorado o Sr. Rui estando lá ou não!

Liguei para o Oscar e avisei o que tinha acontecido, confirmei nosso encontro lá em casa e avisei a ele que meu padrasto estaria lá mas não iria atraplhar, ele pareceu não se importar, estava realmente muito exitado para me encontrar a sós, sempre fazia o meu namoradinho gemer de prazer e deixava ele de piroquinha dura em segundos, o taradinho estava doido pra se aproveitar da situação, desliguei o telefone e fui pra cozinha comer alguma coisa, lá estav ao Sr.Rui, ele havia posto uma mesa de café da manhã e me recebeu com um sorriso bem humorado e um belo bom dia, sorri pra ele e aproveitando o momento alegre contei que o Oscar viria pra casa hoje, estranhei toda a situação e curiosamente ele concordou imediatamente! Não mostrando criar nenhum espanto, me sentei pra tomar café com ele, alegre de felicidade e sorrindo á toa! Mal podia segurar minha ansiedade!

O dia acabou passando rápido e logo chegou a hora mais esperada, botei uma mini saia que minha mãe não me deixava usar, sai da sala desligando o telefone, acaba de falar com meu namoradinho e me deparei com o Sr. Rui, ele me olhou de cima abaixo, visualizando minhas coxas grossas e subindo, vendo a minha blusinha folgada delinear meus seios grandes, sorriu pra mim com naturalidade e me elogiou, falando que o meu namorado era um rapaz de sorte, eu agradeci sem graça, fiwquei aliviada dele ter me tratado com respeito e realmente pareica que ele nunca mais irias tentar abusar de mim.

Parte 2

Havia chegado a hora, abri a porta e fiquei esperando o elevador chegar, enquanto isso o Sr. Rui passou me olhou sorrindo e falou:

-Olha lá hein Camilla, to confiando em você! Não vai fazer nenhuma besteira hein menina!

Ei fiquei vermelha e sem graça, gaguejei e respondi pra ele não se preocupar, disse que só iriamos conversar um pouco ou de repente ver um filme.

Ele retribuiu minha resposta com um aceno de cabeça e foi para o quarto da mamãe, fiquei aliviada, iria receber o Oscar sem o meu padrasto por perto, estava super calma mas as lembranças passadas nunca deixavam a minha cabeça, em segundos, recordei que sempre ao pegar no piru do meu namorado, ficava sem entender: Como ele poderia ter um pênis tão pequeno e o Sr. Rui uma jeba de cavalo tão enorme?

A varetinha dele era fina que nem uma caneta marca-texto! E seu tamanho não passava de 7cm, já o Sr. Rui possuia um tronco de árvore tão grosso, que parecia até uma beringela! Seus 25 centimetros ficavam duros por completo, firmes que nem uma rocha, sua chapeleta latejava e se inflava como um coração, era anormal. Me lembro até hoje, aquilo era uma anomalia negra e por esse e outros motivos, sempre quando tinha o pênis do Oscar em minhas mãos, me vinha a mente essa diferença, na maioria das vezes, me pegava lembrando da jibóia negra e comparando ela com o palito de sorvete do meu principe.

Ele chegou, abriu a porta do elevador, sorriu e me abraçou, o meu amor era lindo que nem um anjo, beijei seus lábio com amor e o puxei pra dentro, espiei a sala até o corredor e vi que a porta do quarto de mamãe estava fechada, tranquei a porta da sala e levei Oscar ao meu quarto, fechando a porta e imediatamente fazendo a loucura que planejava: Tirei minha blusinha com sutiã e tudo! Deixando os meus seios fartos a amostra e assustando ele, peguei uma de suas mãos e coloquei sbore um de meus melõezinhos, beijei seus lábios e falei:

-Vem amor, poe a boca nele!

Ele parecia enlouquecido, segurou com força e abocanhou a aoréola do meu peitão de uma vez só, permaneceu com sua boca no meu bicão, mamando desjajeito e passando a lingua bem rapido, sugava com força meu seio grande se alimentando que nem um bezerro, não me segurei e gemi alto sem querer, passei a mão em sua nuca segurando seu cabelo, puxei meu peitão fazendo o bico saltar de seus lábios fazendo barulho, troquei o peito e dei o outro pra ele mamar, nunca havia feito isso na minha vida, deixava ele maluco quando nós nos amassavamos, botava sua mão por cima do meu sutiã, mas mostrar eles, deixando-o segurar e mamar era uma novidade para nós, ele sugava ofegante e não parava de se alimentar da minha fartura, eu já me sentia molhada e deixava ele abusar do meu peitão juvenil, instintivamente botei a mão em seu pênis e senti aquela varetinha fina de 7cm, totalmente dura e latejante, o menino gemeu solando a peitola de sua boca, olhou pra mim e beijou meus lábios com amor, senti seu rosto todo babado de saliva me beijando com carinho, apertei com força seu pintinho sentindo toda a extensao dlee em minha mão, Oscar gemeu alto, se afastou e falou:

-Eu te amo amor! Eu te amo!

Segurou meus seios com as duas mãos e permaneceu mamando eles que nem um louco, de forma desajeitada se paroveita de meus melões e sugava meu mamilo com força, eu observava meu namorado morrendo de prazer e sentia o mesmo, não exitei e abri suas calças, botando sua piroquinha pra fora, ele se afastou, tirou sua bermuda e beijou meus lábios, tirei minha saia com calcinha e tudo e sem deixar ele pensar o puxei pra cima de mim, deixei nosso corpo cair em cima da cama e ele se postar sobre meu rosto, olhei em seus olhos reparando sua ingenuidade e sem pestanejar, leantei mnihas pernas puxando seu corpo contra o meu, beijei seus lábioe e falei:

-Amor, tira minha virgindade....

Parte 3

Apesar de ter sentido um prazer oculto com o Sr. Rui, foi muito dificil assimilar tudo que aconteceu, ainda mais sendo uma criança de 15 anos, sofria muito pra entender, muitas vezes me sentindo culpada e vulgar, meu padrasto tinha muito tesão em mim, eu sentia o desejo em seu corpo e observava sua expressão de prazer supremo, nessas horas, me sentia muito mais mulher ao invés de uma menina, mas continuava sem compreender!

Nossa, eu havia deixado ele me molestar...permiti que o namorado da minha mãe tocasse as minhas partes intimas, deixei seu penis preto ser esfregado sobre meu orgão sexual e ainda não ofereci resistência quando ele quis tirar a virgindade do meu cuzinho! Me sentia imunda e chorava por diversar noites, as vezes lembrava do meu amor incontrolavel pelo Oscar e ficava com raiva do meu corpo ter sido usado pelo Sr. Rui, havia sido bolinada por aquele criolo depravado, antes da pessoa que eu amo poder me tocar com amor, me sentia um lixo mas lembrava que ainda possuía a minha virgindade e poderia presentear o meu amor com ela.

Oscar não acreditou, olhou pra mim e perguntou se eu tinha certeza, olhei em seus olhos e o puxei contra mim com mais força, beijei seus lábios com furor e movi seu quadril contra mim, finalmente senti a penetração...não era mais virgem! Meu príncipe caiu sobre meu ombro e gemeu forte em meus ouvidos, penetrou todo seu sexo minimo em minha xoxota e foi acolhido com calor, não senti nenhuma ruptura na hora, até achei estranho, mais estava amando de receber o pênis do meu amor dentro de meu corpo, sentia-me realizada de perder a virgindade com o menino que eu amava, ele retirou seu cacetinho e novamente o botou dentro de mim, gritou alto sem se controlar, tapei sua boca o beijando e mais uma vez ele repetiu o ato, agora caindo sobre mim e uivando de prazer que nem um gatinho, fechei meu quadril sobre seu corpo magro, fazendo seu saquinho juvenil bater na minha bunda, a vareta fina de 7 centimetros me invadia, o cotoco latejava com força enquanto ele me fodia desengonçado, me comia com amor e gemia desesperadamente, observava ele pingar de suor em cima de meu corpo, o vendo meter sem controle e de olhos fechados, me abraçou com força e sussurou em meu ouvido que ia gozar; Eu imediatamente me desesperei e pedi pra ele tirar gozando fora,

ele permaneceu a foder e continuou me penetrando rápido, Oscar não havia dado nem 10 bimbadas e já não estava se segurando, aquele garotinho virgem não aguentou nem 1 minuto e já estava prestes a gozar, estranhava porque seu piruzinho fino penetrava mas parecia não ter rompido o meu cabaço por completo, nessa hora ele gemeu e tornou a anunciar sua gozada, tentei afastar meu corpo e fugir da ejaculação mas já era tarde, ele afundou seu piruzinho até o final e falou inocentemente: - Tá saindo amor...Ahhh...tá siando tudo!

Eu sentia seu liquido quente jorrar dentro de mim, sua cabeçinha pulsava dentro do meu canal soltando jatos de semen sem parar, lembro que o Oscar tremia por completo, seu corpo parecia em colapso, fluindo o prazer sentido e liberando seu esperma infantil no meu corpo virgem, contrai a bucetinha e novamente estranhei a falta de dor, não sentia nenhuma ruptura e achei estranho, por que as minhas amigas falavam que doia e saia sangue, senti apenas o esperma do meu menino dentro da minha buceta, enquanto ele tirava seu pau e levantava seu corpo sobre o meu, me olhou nos olhos, beijou meu rosto e falou que me amava, eu sorri e o abraçei, repetindo a mesma frase...fomos interrompidos por um barulho abrupto, a porta se abriu com força, fazendo Oscar pular nu de cima de mim, nesse momento avistei Sr. Rui e tapei minha nudez com o lençol: Que pouca vergonha é essa?!! Veste essa roupa e sai daqui agora menino!! Se não eu vou te matar!! - Eu começei a querer chorar sem entender nada, gritava pro Sr. Rui parar e me vestia ao mesmo tempo, meu namoradinho ficou aterrorizado, vestiu a roupa brevemente, e saiu correndo, o Sr. Rui pareia enfurecido e só se deu por satisfeito quando o viu saindo pela porta, voltou para o meu quarto bufando, entrou e nos trancou.

Parte 4

Meu Padrasto gritava comigo, eu ainda coberta pelo lençol e encolhida, chorava de cabeça baixa e completamente envergonhada, ele dizia que eu era responsablidade dele e que tudo isso era um absurdo, bradava que miha mãe nunca iria lhe perdoar e apontava o dedo pra mim, falando alto comigo.

Me senti perdida, chorava muito e não sabia o que fazer, me encolhia e olhava pro Sr. Rui com cara de choro e esperando o seu perdão, ele saiu do quarto bufando, foi na cozinha e voltou com um copo d´agua eu ma pilula, venho em minha direção já mais calmo e falou:

-Toma isso, vai te proteger de qualquer gravidez! Eu vi a sua safadeza todo menina!! Voce perdeu a virgindade pra esse garoto e ainda deixou ele...ele..ele gozar dentro de você! O que te deu na cabeça!

Eu ainda em choque mas bem mais calma, respondi que não havia perdido a virgindade, disse pra ele não se preocupar com isso, na hora o Sr. Rui sentou ao meu lado na cama e me questionou novamente, expliquei ainda choramingando que meu namorado não havia conseguido romper o meu cabaço, nessa hora me engasgei com a palavra, não sabia como me expressar e me senti envergonhada, ele assentiu positivamente, dizendo que pelo menos a minha virgindade havia sido preservada, falava agora de forma dócil comigo e tentava me confortar, com o rosto molhada de lágrimas, eu conversava com o padrasto da minha mãe e ao mesmo tempo não me sentia muito bem, estava estranha e com uma sensação de quase bêbada, achei engraçado, o Sr. Ruiele pareceu perceber o meu mau estar, mas ignorou e me perguntou se o Oscar havia ejaculado em grande quantidade dentro de mim, fiquei sem graça e respondi a verdade, que sim, novamente questionou quanto? Disee timidamente que muito, mas que não foi muito fundo porque eu ainda achava que estava virgem, nesse momento ele botou a mão suavemente sobre o lençol que cobria meu corpo e disse: Camilla, deixa eu te examinar menina! Você pode ainda correr o risco de engravidar....

Na hora eu gelei, mas a sensação de embriagez que me dominava confundia os meus sentidos, eu imaginei sem maldade que o Sr. Rui iria olhar minha vagina e tentar me ajudar com uma possivel gravidez indesejada, meio sem reação e confusa vi o mesmo puxar o lençol e abrir minhas pernas suavemente, instintivamente me abri e deixei exposta a minha xaninha pra ele, seus olhos fixarem no meu sexo, moveu suas mãos com um carinho paterno e abriu ainda mais a minha perna me tornando quase arreganhada; olhei em seus olhos e não vi nenhum traço de excitação, meu padrasto olhava minha vagina com seriedade como se fosse um ginecologista:

-Camilla você é maluca menina! Esse rapaz ejaculou muito dentro de você! Está tudo no inicío da sua vagina, isso é arriscado! você sabe!!

Eu me senti completamente envergonhada, ao mesmo tempo sentia aquela sensação de embriagez voltar e me deixar com os pensamentos confusos, suavemente tentei fechar as minhas pernas mas o Sr. Rui com carinho falou:

-Espera minha filha, continu assim, deixar eu ver o quanto tem de esperma dentro de você.

Eu esboçei dizer um não, mas no mesmo momento sentia a mão do Sr. Rui suavemente sobre minha virilha a uns 4 centimetros da minha xerequinha, ele carinhosamente puxou minha pele pro lado e de forma sutil senti a minha xana abrir mais ainda, morri de vergonha e fechei os olhos:

-Camilla, eu vou te ajudar...temos que dar um jeito de tirar isso de você amor! você não pode ficar assim.

Ao mesmo tempo fiquei preocupada e confusa, acho que aquele remédio nao havia me feito bem, respondi que sim,. estava envergonhada e sumbissa ao Sr. Rui, por não saber o que fazer, minha mente e meu corpo me obrigaram a se render a ajuda dele. Desnorteada, resolvi obedecer.

Meio grog fechei os olhos e senti uma mão em cada perna me empurrando carinhosamente pra trás, meu padrasto me abriu ainda mais enquanto olhava novamente a minha vagina analisando o sémen que ali estava, nesse momento senti a minha bucetinha se abrir e o gozo do Oscar entrar mais pro meu interior, fiquei morta de vergonha só de imaginar aquele homem velho olhando aquela gosma dentro do meu sexo, ele permaneceu me observando por alguns segundos e falou carinhosamente:

-Camilla, você vai ter que forçar isso pra fora de você..meu amor, isso não pode ficar ai, você vai ter que empurrar pra fora meu amor! Eu vou te ajudar vai...empurra!

Parte 5

Eu, sem saber o que fazer, obedeci, empurrava e tentava tirar o esperma quente de dentro do meu corpo, ao mesmo tempo não queria que saisse porque seria constrangedor aquela cena! Nossa, eu era uma menina! Me sentia imunda de tentar fazer xixi de porra pra aquele coroa negão, a pílula que o Sr. Rui me deu parecia ter me deixado meia zonza, eu tentei empurrar o leite pra fora uma duas vezes, mas não conseguia, sentia ele na porta do meu sexo mas sem querer sair, juro que era super inocente a minha reação a aquilo tudo, obedecia ao exame médico e me preocupava em expelir o creme, sentia a minha xaninha dilatar e tentar empurrar o líquido pra fora mas não saia nada, o máximo que acontecia era chegar na portinha e voltar, meu padrasto não desistia da operação, continuou segurando as minha pernas e me arreganhando ainda mais, constrangida falei:

-Não quer sair Sr. Rui..Tá preso!....Tem muito dentro de mim....

-Continua tentando Camilla..Shhh..Vai....Tá quase saindo...Vai amor, joga pra fora, joga.

Eu olhei pro rosto dele e senti ele meio estranho, reparei que aquele tarado parecia gostar do que estava vendo, lembrei da cara de pervertido que o mesmo fazia quando estuprava o meu cuzinho e na mesma hora fiquei apreensiva, ao mesmo tempo resolvi confiar nele, mesmo porque eu continuava com aquela sensação de embriagez e me sentia confusa, Sr. Rui arreganhou mais as minhas pernas e me mandou botar o esperma pra fora, fechei meus olhos e empurrei com força, gemi baixinho pelo esforço e fiquei sem saber aonde botar a cara de vergonha, senti um pouco do esperma do meu amor sair de dentro da minha xaninha, mas reparei que ele escorreu e não caiu no chão, levantei meu rosto manchado de choro e olhei pra minha bucetinha...não acreditei no que vi, naquele momento descobri aonde foi parar o semen do Oscar...a 1 centimetro abaixo do meu sexo virgem visualizei uma tora preta de 25 centimetros, dura que nem um tronco de arvore...o Depravado do Sr. Rui havia tirado o seu poste pra fora...e a porra do meu namoradinho havia caindo sobre sua chapeleta inchada...fiquei sem reação, imediatamente tentei perguntar pro tarado o que estava acontecendo! Me sentia entorpecida e desconfiava que aquele sem vergonha havia me dopado com aquela pilula! Fiquei sem reação, não tinha forças pra reagir, continuei na mesma posição mas questionei o meu padrasto sobre aquilo tudo, ele questionou:

-Confia em mim Camilla...Shh.....Eu não vou fazer nada...Shhh...Poe pra fora o restante, poe...Me obedece.

Não relutando, empurrei a porra do Oscar pra fora de mim, senti mais uma vez um gomo de esperma escorrer sobre meu sexo e cair, levantei o rosto e vi que novamente o leite havia caido sobre a cabeça daquele tronco de ávore, precisaria de umas 30 piroquinhas do meu principe, todas juntas, só pra fazer uma bengala do Sr. Rui, seu mastro pulsava e sua chapeleta brilhava toda inchada e melada da porra do meu namorado, aquilo era constrangedor e confuso, mais uma vez ele mandou eu empurrar o esperma pra fora, dessa vez senti algo encostando na porta da minha xaninha e novamente olhei para saber o que estava acontecendo, aquele filho de uma puta estava com aquele limão rosado repousado embaixo do meu buraco, eu empurrava o esperma pra fora enquanto ele esperava a porra sair de mim e cair na cabeçona de seu poste preto, aquilo era surreal, não podia estar acontecendo!

Senti o terceiro fio de esperma se ausentar e mais uma vez cair, dessa vez não precisei olhar para saber, sabia que estava sobre a cabeçona do cavalo:

-Ai amor....Shhh...Satisfaz o seu padrasto vai...Shhh....Eu não vou contar nada pra sua mãe se você deixar eu colocar esse esperma pra dentro....

você não ama seu namorado? ...Sh...Então...Deixa o seu padrasto colocar só a cabeça em você amor..../shhh...deixa eu levar o gozo dele pra dentro de você Camilla.

Ele muito suavemente encostava aquele cabeçote na porta da minha xaninha e tirava, eu não conseguia fechar as pernas porque ele segurava ambas, enquanto o seu tronco preto permanecia ereto e plugado na entrada da minha vagina, era impressionante a dimensão daquele cogumelo, ele tomava toda a extensão da minha buceta deixando claro que aquele volume nunca conseguiria entrar dentro de mim, eu sem querer fechei os olhos e gemi suavemente, enquanto apreciei a sensação daquela bola de sinuca suja de porra repousar na entrada do meu sexo; o Sr. Rui continuava falando comigo, suas falas se confundiam na minha cabeça mas de certa forma eu entendia o que o safado dizia:

-Aqui amor...Shhh...Eu to botando o esperma de volta em você, tá? Shhh...é o sémen do teu namorado Camilla...Shhh...To botando de volta meu amor.

Senti a chapeleta daquele criolo se inclinar, ele encostou na minha buceta e deixou todo o esperma cair de volta pra portinha dela, eu entrei em choque, mas ao mesmo tempo sentia uma ponta de tesão ao ver aquele homem experiente completamente excitado por mim, todos esses sentimentos se misturavam com a minha embriagez momentânea, tudo estava muito confuso, novamente estava com todo o sémen do Oscar na entrada da minha bucetinha, sentia aquela cabeça de 9cm encostar suavemente em meu sexo sem forçar ou me penetrar, sua chapeleta era a ferramenta que tapava toda a entrada da minha vagina, o puto fazia o esperma voltar pra dentro de mim e usava seu cogumelo gigante como tampa:

-Pronto amor.....Shhh...Deixa esse gozo dentro de você, só um pouco tá? Deixa esse esperma na entrada da sua vagina, eu vou fiar tapando um pouco aqui paradinho...Shhh....Não vou fazer nada meu amor!

-Mas Sr. Rui....Tinha que tirar ele de dentro...Tinha que....

-Shhh...Confia em mim eu amor, Deixa ele dentro de você, não se preocupa, não vai acontecer nada, tá? Te prometo...Shhh....Eu só vou tapar aqui!

Parte 6

Nesse momento senti a cabeçona do Sr. rui penetrar até a metade, a entrada da minha xaninha dilatou por completo enquanto o semen do menino que eu amava, lubrificava aquela chapeleta gigante, aquele limão rosado não penetrou em mim, apenas dilatou a entrada do meu sexo, tampando a vácuo o buraco da minha bucetinha e mantendo o esperma ali, parado.

-Isso amor...Shhh....Deixa o gozo do teu namorado guardado ai, tá? Não se meche..Shhh...Olha o que eu to fazendo, Eu to tampando com o meu pênis, é pra não sair amor....Shhh....Vou empurrar ele pra dentro só um pouquinho.

-Não Sr. Rui! Deixa eu botar o gozo dele pra fora...por favor!

O molestador preto nõ me deu ouvidos e adentrou um pouco mais da sua cabeça gigante, senti minha xana dilatar ainda mais abrindo a minha entrada e arreganhando meu grelo, a pontinha de seu cabeçote tentava penetrar a entrada do meu canal, via que era impossivel aquele pônei passar por ali, se a do Oscar havia batido e voltando, aquela bola de tenis nao ia nem chegar perto, ele gemeu alto e empurrou suavemente, vi aquela chapeleta entrar até a metade do meu buraco virgem e senti sua ponta cutucar a parede do meu cabaço, nesse momento todo o esperma em meu interior estava sendo pressionado pela cabeçona do Sr. Rui:

-Aqui amor...Shhh...o semen dele tá batendo la no fundo do seu cabaço...Shhhh....Tã ficando lá amor, deixa eu levar o semen dele pro seu útero amor?

É o menino que você ama, ele não consegui colocar a semente dele dentro de você amor....Shhh...Olha seu cabaço aqui, tá sentindo? ....Shhh...Deixa eu empurrar esse esperma? Deixa Camilla.

-Não Sr. Rui, por favor...Shhh...O Senhor vai me matar...Shhh...Seu pênis não cabe ai Sr. Rui!...Shhh...Não...por favor!

-Deixa amor....Shhh...Não vou enfiar em você não, você é minha afilhada querida....shhh..Deixa eu só romper seu himen, só um pouqinho, só com a pontinha....Shh....Vou romper seu cabaçinho e botar o gozo do seu namorado lá amor...Shhh...só vou abrir o caminho...Deixa meu amor...vai!

-Nâo Sr. Rui...Shhh...Por favor....Eu quero continuat virgem....Shhh...Assim o senhor vai tirar a minha virgindade....Shh....Tá me alargando Sr. Rui...Tà doendo!

Eu continuei negando, estava em transe mas dizia não ao meu padrasto, ele parou de mexer e repousou sua cabeçona na entrada, senti toda a circunferência da minha buceta diltarar mais uma vez e abraçar mais da metade da chapeleta, gemi alto e contrai minha xainha, sentia a ponta daquele cogumelo de criolo pressionar o meu cabaço e ali ficar, bloqueado, aquela cabeça de 9 centimetros estava encostando toda sua esfera na minha parede virgem e ficando ali repousante, pressionando o esperma juvenil do meu namorado o tarado sentia ela sendo aquecida pela porra do Oscar, eu respirei e de novo contrai meu sexo, mais uma vez aquele limão gigante pulsou com força, ouvia as depravações daquele depravado ao meio a confusão mental que passava.:

-Olha amor...Shhh...eu to pressionando o gozo dele contra seu cabaço amor....shhh....seu cabaço tá trancado vc tá sentindo?....Shhhh....To empurrando o semen dele com a minha cabeça...Shhh...Sem forçar amor.....Shhhh..Só to empurrando.

Delicadamente, ele abriu mais as minhas pernas, levantando as duas pra tras, nesse moento meu corpo sem querer foi pra fente e ploc...senti a porta do meu cabaço romper, urrei de dor e tranquei o meu sexo me contraindo por completo, senti todo o cabeçote gigante dentro do meu corpo, enquanto as paredes da minha vagina estrangulavam o cogumelo repousado, agora eu não era mais virgem, aquela chapeleta entrou no meu canal váginal e arrebentou o meu cabaço, minha xerequinha queimava que nem febre, tranquei de novo com força e tentei expulsar ele de dentro de mim, não tive sucesso, nessa hora senti cada centimetro daquela bola de sinuca me abrir que nem um alargador, o criolo tirou um pouco do seu tronco e tornou a colocá-lo, senti a cabeçona me adentrar mais uma vez, por mais que ele tentasse, sua chapeleta não conseguia abrir mais a minha vagina, batia toda até o limite do cabaço rompido e ali ficava, sentia o meu himen estraçalhado por aquela membro de animal, enquanto o tarado brincava de tirar o cabeçote e colocar ele todo dentro de mim, empurrando até o limite que a minha vagina cabia, ele estava me aplicando a sua cabeçada de cavalo, tirando minha virgindade com aquela chapeleta de monstro preto, tornou a retirá-la quase toda e depositou novamente em meu interior, senti a parede rompida do meu selo arder e todo o gozo do meu namoradinho adentrar meu interior, o Sr. Rui pressionava contra minha vagina pequena o esperma pra dentro do meu corpo, tentei cuspir aquele mastro de dentor de mim, ele saiu lubrificado e tornou a voltar, levatei meu rosto suavemente e pude ver aquele ferro preto completamente duro e pulsante, sua cabeça ensanguentada saia e entrava, em repetições continuas .

-Ai Sr. Rui, senti romper meu cabaço....Shhh...Vai Devagar! .....Shhhh....O Senhor tirou minha virgindade....Shhh..Para, por favor...Tà sangrando....Shh... O pinto do senhor tá todo sangrando Sr. Rui....Shhh..Para., por favor!!.

_Calma meu amor....Shhh..é normal.....Deixa eu continuar amor.....Shhh... Deixa eu tirar a sua virgindade por completo....Falta tão pouco.....Shhh...

Vc vai ser a minha menina...deixa?...Shhh...Olha seu cabaçinho já foi rompido meu anjo...Shhh....Vira mulher comigo!

-Não Sr. Rui...Shhh...Por favor....Nâo coloca mais...o senhor via me matar!

-Deixa Camilla....O Sémen do seu amor já tá dentro de você, tá sentindo? Olha...Shhh... Olha eu empurrando esse liquido em você, Já tá indo pro seu útero....Shhh...Deixa eu romper seu sexo, deixa?

Parte Final

O puto tirou sua chapeleta e de novo a depositou por completo, sem querer e instintivmente eu abri um pouco mais as minhas pernas e fui punida com ela entrando toda no meu canal, junto com o cogumelo de cavalo ganhei de brinde mais 3 centimetros de tora preta e um arrombamento de desmaiar! Gritei desesperadamente e empurrei Sr. Rui de cima de mim, senti minha bucetinha arder por demais e imediatamente começei a chorar! Aquilo havia doído muito, senti a sua cabeça de cavalo entrar por completo e o restante daquele tronco de arvore me arregaçar o cabaço, estraçalhando ele completamente, além de arrancar ele, aquele preto imundo havia me arormbado, continuou em cima de mim e Eu o mandei parar, ignorou e me abriu suavente penetrando a cabeçona toda ensanguentada dentro de mim, eu chorava e tentava receber a rola de cavalo, mas era impossivel que conseguisse deixar aquilo dentro do meu corpo, novamente o filho da puta pressionava sua chapeleta e adentrava mais 4 centimetros de piroca negra sem pena!! Novamente empurrei ele de cima de mim, mas dessa vez ele colocou seu corpo sobre o meu e segurou minhs pernas, contrai minha bucetinha tentando bloquear seu cacetete mas não consegui tirar nada, nessa hora senti toda a circunferencia daquele cabeção me abrindo o útero, toda a extenção daqueles 4 centimetros restantes me alargando a carne e fazendo o meu cabaço virgem pegar fogo completamente rompido e dilacerado.

Relaxei meu sexo e senti o tarado pulsar o mastro dentro do meu buraquinho, novamente tentei tirá-lo de meu interior, o Sr. Rui se manteve firme e adentrou mais 2 centimetros de rola negra no meu sexo violado, agora mantia 10 centimetros de mastro negro dentro do meu canal virgem, bati em seu peito e tentei tirá-lo de mim, ele se manteu forte sobre o meu corpo, tirou um pouco seu pirocão e tornou a pressionar, misteriosamente conseguiu adentrar mais um pouco no meu buraquinho, eu contrai com força me debati sobre ele, gritei aos pantros pedindo o fim daquilo! Senti tudo escurecer e as coisas rodando levemente, aquilo era um pênis gigante, era uma anomalia aquilo existir e ainda estava dentro de mim! Os objetos se mexiam e eu me sentia a segundos de desmaiar, gritava sem forças e pedia por favor o fim daquilo, respirei fundo e avisei ao Sr. Rui que iria apagar:

-Calma minha menina....Shhh...já entrou o início viu? Você conseguiu......Shhh.....O Tio não vai mais colocar nada não, tá?...Shh....Sò até aqui...Shhh..Aguenta vai...Entrando e saindo....Shh...Você já tá acostumando.

Me sentia anestesiada e tonta, tinha consciência que em meu interior habitavam 10 centimetros de jeba negra mas não coseguia reagir e nem sair debaixo daquele animal, minha xaninha latejava enquanto eu sentia toda sua extensão arreganhada e dolorida, a cabeça do cavalo batia cheia de sangue em um novo limite da minha buceta e ali ficava, estraçalhando o interior do meu sexo, toda contração que cometia era respondida com a sensação de alargamento e dor, aquele negro depravado não removia o membro de meu interior, pressionavae contra o meu fundo agora sem tirar o tronco, pilando em mim o sémen com a chapeleta:

_Ai Sr. Rui, tira um pouco...Shh... tá entrando muito...tá doendo, por favor.!

-Calma meu amor...Shhh...Já vamos acabar.....Shhh....Tem que continuar...Shhh....Sente como você não é mais virgem, sente?!

Os 10 cm de tora entravam e saiam, o safado penetrava em meu interior sem tirar o seu tronco todo, escorria lágrima pelo canto dos meus olhos e

a mistura de sangue com sémen me fazia sentir o buraquinho em chamas, aquele mastro gigante me penetrava queimando as paredes do meu sexo, estava com vontade de vomitar, o desgraçado ignorava o meu sofrimento e não parava, retirou seu pau preto até a chapeleta e passou cuspe em sua base, tornou a meter seu cacete, mas agora em um ritmo rápido, gritei e pedi mais uma vez pra ele parasse com aquiulo:

-Aguenta meu anjo...Shh....Pronto, viu? Agora você não é mais virgem....Shhhh... Aguenta que o Tio já tá acabando, ok?...Só mais um pouco.

Tentei empurrá-lo e não tive sucesso, continuou naquele ritmo frenético e sem tirar seu pau de meu interior, seu suor pingava em meu corpo e isso estava me dando nojo, o poste de carvão me machucava e me fazia sentir queimar por dentro não me deixando outra solução a não ser aguentar o estupro, eu gemia e choramingava baixinho mas isso parecia não sensibilzar o Sr. Rui que continuava a me arrombar no mesmo ritmo:

-Ai amor...Shhh...Aiii!..O Tio vai gozar meu anjo...Shhhhh......O Tio vai gozar pra você meu amor....Shhhh.....Você já é mulher agora....Shhhh....Tá me fazendo gozar dentro!

-Ai Sr. Rui, para! Não goza dentro, por favor!....Aiii!...Não goza dentro Sr. Rui!!...Por favor!

-Vou gozar meu amor!...Shhhh...Tem que gozar dentro meu amor...Shh....Vou te dar meu gozo dentro! ....Shhhh......O meu sémen e o do seu namordinho juntos...Shhh...Dentro de você!

-Para Sr. Rui!! Por Favor!...Shh....Vai me engravidar, para! Não goza dentro! Shhhh....Sai de cima de miiiim!!

Bati com força em seu peitoral, ele jogou o peso do corpo contra o meu e manteve atolado seu membro preto dentro de mim, Sr. Rui dava cabeçada com força em meu interior e gritava de tesão me olhando, contraiu sem corpo por completo e urrou que nem um animal, senti seu pênis gigante latejar por completo e depositar dois jatos fartos de porra dentro da minha vagina, agora não tinha com escapar, o depravado continuou na mesma posição retirou um pouco a cabeçona e tornou a penetrar, senti o liquido cremoso daquele puto ser empurrado ao fundo enquanto bombava mais dois jatos de esperma no canal do meu sexo virgem:

-Ahhh! Toma meu semen amor! Shhh....Toma ele dentro de você! Shhhh....Recebe meu esperma amor!

Eu chorava ouvindo aquile depravação, o maniaco colou seu cabeçote e soltou todos os jatos de porra restantes de uma vez só, com a chapeleta atolada ele despejava os 5 últimos jorros no meu interior, depositando assim todo seu líquido dentro de mim, tirou 2 centimetros bem devagar e tornou a penetrar, agora vencendo o limite de 10 centimetros e botando sua jega de 25 pela metade dentro de mim, gritei de dor mas não consegui fugir, ele permaneceu parado deixando a cabeçona rosada ali, anunciando o estrago, tentava me afastar mas ele se mantia estático com a jeba parada toda dentro, presisonava sangue e porra no fundo do meu sexo e bancava metade da árvore dentro de minha xaninha de criança, usava seu mastro grosso como alargador de buceta...mandei ele sair de cima de mim e ele respondeu:

-Calma amor...Shhh...Deixa ele dentro, deixa? Tem que ficar assim...Shhh....Deixa essa porra guardada lá no fundo...Shhhh... Eu to guardando ela amor, o meu s´wmen e o do Oscar juntos, agora você não é mais virgem meu anjo...Shhh... Tá marcada com o nosso líquido, deixa ele dentro.

O tarado permaneceu ali por mais de 1 minuto, sentia todo os liquidos quentes queimarem a minha buceta, o sangue do estupro, meu cabaço ensanguentado e os dois espermas que se misturavam, todos os escrementos estavam sendo pressionados pro meu fundo, a chapeleta rosada era usada de pilão pra manter todo aquele creme fervente no interior do meu corpo, não conseguia reagir e ali descansava, não aguentava mais chorar e me debater, estava violada e estuprada mas me sentia de certa forma amparada.....me sentia fraca e fiquei ali até aquele filho da puta sair de cima de mim....e assim o fiz.

fim...

Comentários

11/08/2017 00:38:33
A pílula que ele te deu foi a do dia seguinte?Efeito colateral pode dar tontura/enjoo,tanto sêmen assim podia ter engravidado =P em algum momento,talvez mais velha você recebeu os 25cm inteiros na bucetinha?Otimo conto,escrita muito boa,sobre os anteriores,tente não ser repetitiva sobre os 25cm ou que parece uma laranja pequena rs
05/03/2017 14:09:03
Nota 10 parabéns....
25/10/2016 13:28:27
Adorei seu conto camilla parabens [email protected] email meu acaso um dia queira compartilhar amizade
23/08/2016 15:10:35
hum! quero ser seu cavalo tambem gostosa e meter meus 22cm todo na sua xoxota e seu cuzinho me add vou fazer vc gozar bem gostoso [email protected]
30/03/2016 02:24:48
A MELHOR AUTORA DA CASA dos CONTOS! CONTINUE!!
20/11/2015 00:33:11
01/11/2013 09:26:36
excelente... Sempre acompanho seus contos. Agora diz se ele conseguiu comer seu cuzinho..
04/08/2013 23:51:30
gostei muito continua mandando a continuaçao quero saber se vc aguentou a tora toda no cuzinho
15/06/2013 18:14:24
Hummm ..delícia !!!! Adorei
11/06/2013 16:33:47
Nossa.. adorei! huum me deixou mto molhadinha
10/06/2013 21:09:57
vc ñ dize o q aconteceu com seu padastro gata safada,tenho certeza q todos aq q leram seu conto querem saber o q aconteceu depois deste ato,entao nos conte isso,todos aq esperamos por ese desvecho.
10/06/2013 12:33:19
Adorei amiga mim add [email protected]
10/06/2013 01:45:00
Leiam também INSEMINAÇÃO NATURAL 4 (GOZANDO DENTRO)!!

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.




Online porn video at mobile phone


Mulher auto e gosano gostososexoalvessexos de negues arregaçando xoxotasdoce nanda contos eroticosxvideo.com esfregando o pau na buceta lizinha e com um gemidinho sexo massagem na buceta com carinhoPorno contos mamaes iniciam suas bonequinhas no incesto todos juntinhos com papais dando leitinhos na camaofereceu a filha pro caralhudo gigante xvideosmeu aluno cacetudo contosDhcs xvideosfotoporno dotados verdadeiros jegue e nudivididu u casete nu boketeContos de comedores de Mendiga novinhas de 10 a 12 aninhosporno casa xeio de passarinhosconto + de conchinha com meu filhoconto gay minha tia me transformou em sua empregadinhaporno gay com vendedor de porte e portaConto erotico gay mão bobaacarisiei a boceta da minha filhatravestd nusesposa fica brava amate gosa dentro xvidiomae icestuosa desabafo de maegosto de tomar leite de homemcontos eeroticos transando com a esposa e cunhada no interior do parananegona dizendo no cu naoPorno contos de traicoes dentro da propria casanovos contos eroticos de maes dandos suas calcinhas usadas como premio pros filhostitia safada gozando esquirt contos incestosdoce nanda parte cinco contos eroticospegou a mulher do corno apertada e quando entrego tava so u buraco video porno cornoconto mulher sede a chantagem de garoto tranzarmagrinha chego trme na picaggmulher sendo mastrubada no honibos pro um estranhobaiano chupando clitori e falando besteirasfilme porno minha sogra me enxeu o saco ate eu come elatira ochorte pica nela pornoContos eróticos meu marido solbece quantas rola já levei no cucontos eroticos corno bebado esposa com fogo no rabo amigo roludoesposa novinha timida gostosa e o sogro roludo contos eroticostarado estorando boi no mato xvidio.comminha esposasuruba relatocontos eróticos meu namorado me amarroue vendou e chamo os amigosde sirgir blog comda sikis indircontos fiquei com tesao flagano meu filho dano o cuconto de incesto mae mulata de babydollnao adianta chorar vou rasgar sua bucetinhamunhe engulido a gala sem tira u pau da pocaimagens e videos de coroas tesudas metidas no sexo kente ate esporrar fora e mostrando a cona inchada com labios longosafrouxou fundo um culesbica transando com a amiga ate ela vira o zoinhoporno doido faxineira obedientevídeo de homem sendo estuprado no quartel brechando a b*****trai o meu maridobocete nu travetiacontos eróticos chorei gritei esperneei mas aguentei tudo no c*contos eróticos cantada na rua não resisti e traí. shortinho fino sem calcinha da sogra contosContos de putaria de novinha dando para o cara da rola cabeçuda sem o noivo percebersou viciada em boquete nao posso vet um pau qur ru chupomulher casada d vicosa mg d calca apertada na bucetanovinha sentada ensima do cassete abrindo a bucetinha com os dedosxvideo negao esfregando uma pica ezajeradaotodiz pornoler contos eroticos de incesto mae carente ver o filho transando com a namorada fica com tesao fica adimirada com o pau do filhoum velhinho do pau enorme e muito grosso cumeu meu cusinho na marracu manteigaporno meu marido adora me ver chupando porra de mendingischupou a buceta da india ate ela gozarConto encoxaram minha mulherzelador comeu minha mulher nA minha frentevidio de boquete profunda engolindo ate os badaloscontos eroticos gay me apaxonei pelo traficante 7Conto erotico arrombei minhA tia 25cm grosso no acampamentovideo de sexo magrinha tentou fugir mas fico imobilizado com o pau gigAnte no cuContos eroticos me vinguei da minha esposa e comi dois cuzinho finalpadrasto promete que vai colocar devagar quando a enteada abre as pernas ele enterra a picaliberalina vadia traído foi filmadaTeste de felisidade aparesendo opinto e a pererecaVideos de zoocadela no cio piroca nelaPornor sobrinho passando ferias na fazenda da tia viuvapatricia vizinha casada safada gemendocorno tomou leite corno contosnovinha olha u padrasto pelado .e bati um sirirecahomem fudendo oltro homem enprensando na parede fudendo pornowww.casadoscontos/gayputo.comvideosxxx minha esposa comportada servindo es amigoscontos corno manso ineditoContos gangbang com tios e primoso vídeo de um homem e uma mulher dançando pelada com botãozinho para minha boca sem travar para não escolher se eu quero ou não aquele é minha nota porfavor aquele pretosou casada e dei o cu para outro homemvideo porno jotalhaoum uisque depois de um cigarro pornonovinhohs gostososvideo de sexo narido xifrado com a comlhada escolasou tarado rasgo cu zaphttp://migre.me/w4IgEContos eróticos teens pai vendo q a rola do filho estava bem grandinha conto gaycontos da minha sogra deixando a calcinha pra mim cheiranovinha virgem tora a roupasmostrando s calcinha