Casa dos Contos Eróticos

Click to this video!

Um garoto virgem e quatro travestis! Primeira vez incrível!!!

Autor: Dexxx
Categoria: Grupal
Data: 24/07/2014 19:30:19
Última revisão: 20/12/2015 15:09:17
Nota 9.86
Ler comentários (8) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Olá a todos!

A história é longa mas vale a pena. Foi uma experiência incrível e que sinceramente mexeu muito com meus sentimentos e pensamentos.

Meu nome é Thiago tenho 16 anos e moro em São Paulo no bairro de Pinheiros. Resolvi compartilhar essa experiência que aconteceu comigo ano passado, quanto eu tinha 15 anos.

Aparento ser exatamente o que sou, um adolescente, e faço tudo o que um garoto normal faz. Jogo bola com meus amigos, vídeo game, vejo filme pornô, bato punheta. Em resumo, sou um adolescente normal. Quando estou com minha turma de amigos sou um satanás, tamanha é a bagunça que fazemos juntos, mas sozinho sou educado, tímido e reservado. Sempre me visto de forma normal, camiseta, bermuda ou calça e tênis. Sou branco, cabelos e olhos castanhos, tenho 1,78 de altura e peso uns 70 kg e uso óculos. Quase um perfeito nerd, a única diferença é que detesto estudar, tenho excelentes notas, mas não estudo. Não tenho espinhas e sou lisinho, tenho muito poucos pelos no corpo, inclusive no meu saco. E sou virgem. Fico com garotas, mas não pego muitas. Quando saio para algum lugar não fico na caça, se rolar algo rolou, se não vou curtir o rolê do mesmo jeito. Isso para mim nunca foi um problema, sou muito na minha.

Bom, vamos a história.

Um belo dia, era uma sexta-feira, tinha resolvido matar aula e andar pela cidade. Geralmente pego algum ónibus e saio por ai, para conhecer e curti. Sozinho mesmo. Gosto de ficar sozinho e esvaziar a cabeça, como tivesse muita coisa nela, rsss...

Era mais ou menos duas horas quando resolvi voltar pra casa e para ser sincero não sabia muito bem onde estava. Procurei um ponto de ônibus e fiquei esperando passar para conseguir uma informação melhor de como voltar pra casa. A rua não era muito movimentada, uma certa quantidade de carros passando, mas nenhuma pessoa.

Estava lá esperando quando na casa quase atrás do ponto sai uma deusa. Uma loira perfeita, de pele dourada, quase da minha altura. Não era turbinada igual essas funkeiras de hoje em dia ou uma Panicat, tinha tudo na medida certa. Linda de mais!! Nunca tinha visto uma mulher assim tão linda, só em revistas e nelas sempre tem Photoshop. Estava de saia branca e camisa vermelha (ou blusinha, sei lá, não sou muito bom em descrever detalhes de roupa de mulher, rsss..., mas acho que já conseguem imaginar como ela era).

Quando a vi fiquei com aquela cara de bobo, babando mesmo. Estava impressionado. Ela limpava a frente da casa e percebeu que eu estava feito bobo, olhando para ela. Eu tentava desfaçar mas não conseguia. Sempre que ela me olhava, lá estava eu com a cara de bobo babão. Ela ria e também não conseguia disfarçar a risada. Ela devia estar achando engraçado.

Ela entrou para casa e dois minutos depois voltou arrastando uma caixa. Ela encostou no portão, pediu desculpas e perguntou se eu poderia ajudá-la a levar algumas caixas para fora. Mesmo com a cara de bobo que ainda estava, consegui dizer um “posso sim” meio gaguejando. Ela sorriu e abriu o portão.

Me mostrou onde estavam as outras caixas e onde queria que eu levasse. Não faço ideia do que tinha dentro das caixas, não me atrevi a perguntar, pois como disse sou tímido, mas acho que eram alteres, pedras da Lua, um meteoro, sei lá, só sei que estava PESADO PRA CARALHO. Ela viu o meu esforço e ainda deu risada falando “Tá pesado né!”. Respondi um “Aham!” quase me cagando de força.

Quando terminei ela agradeceu e vendo meu cansaço perguntou se eu queria entrar e tomar uma água. Ofegante e suado, disse que não precisava, mas ela insistiu, me pegou pela mão e foi me levando para dentro. Me colocou no sofá e foi buscar a água. Eu estava tremendo de tesão e cansaço também, acho que nessa hora era mais cansaço que tesão.

Ela voltou e sentou do meu lado, bem próxima de mim, me serviu e começou a puxar assunto.

- Qual seu nome?

- Thiago.

- O meu é Renata.

- Muito prazer!

- Olha, muito obrigado pela ajuda, não ia conseguir levar aquelas caixas sozinha para fora.

- Imagina. Não foi nada.

E foi puxando assunto. Perguntou se eu estava voltando da escola, onde eu estudava, o que estava fazendo ali. Aos poucos fui me soltando, já estava mais à vontade, e me sentindo menos cansado. Perguntou quantos anos eu tinha e quando eu disse 15 ela ficou surpresa e falou “Ai que novinho”. Depois disse que tinha 23 e que morava lá com mais algumas amigas. O papo foi rolando e eu que estava mais tranquilo comecei a ficar mais tímido, pois ela começou a perguntar se eu namorava, se ficava com muitas garotas. Estava tão tímido agora que nem mentir conseguia. Contei a verdade, que ficava com poucas garotas porquê era tímido.

Foi quando ela disse que só me chamou porque viu que eu estava olhando pra ela. Nossa, nessa hora eu fiquei mais vermelho que uma pimenta. Queria me esconder de tanta vergonha. Ela perguntou por que eu estava olhando pra ela daquele jeito e eu disse que ela era muito bonita. Ela perguntou “Bonita ou gostosa?”, eu falei “Os dois!”. Ela gargalhou e perguntou:

- Nunca viu uma mulher como eu?

- Só em revista.

- Hum, entendi! Já ficou com uma garota bonita assim?

- Eu? Eu não, nunca! – e olhei para baixo.

- Que pena! Um menino tão bonito assim... - ela segurou no meu rosto, me olhou nos olhos, foi se aproximando devagar, eu já estava com o coração acelerado, e me beijou.

Nossa! Nunca beijei nenhuma mina daquele jeito. Estava no céu. Ela parou de me beijar e perguntou:

- Gostou?

- Aham! – balançando a cabeça.

- Quer mais?

- Quero! – já com aquela cara de bobo que estava no ponto de ônibus.

Ela voltou a me beijar. Nessa hora já estava com um pouco mais de consciência que antes e coloquei meu braço em volta dela. Ficamos nos beijando um tempo e eu me empolguei um pouco mais e apertei ela um pouco mais forte na cintura. Ela pegou minha mão, se afastou, eu já pensando “Fudeu!! Estraguei tudo!”, olhou pra mim e disse “Hum safadinho” e se atirou de vez em cima de mim. Elas subiu em cima de mim e ficou me beijando sentada no meu colo.

Eu estava mais bobo do que nunca. Fiquei tão excitado que nem conseguia pensar em nada, nada mesmo. Ela foi me conduzindo, pegou minha mão e colocou em seu peito, nossa que delícia. Foi beijando meu pescoço. A coisa foi esquentando e ela levantou minha camiseta, viu que eu não tinha pelos e disse “hum... lisinho! Adoro!”. Ficou me lambendo e me beijando. Tirou sua blusinha e vi os peitos mais lindos do mundo!! Nem em revista ou filme vi algo assim.

Ela guiou minha cabeça e comecei a chupá-los. Que delícia! Estava nas nuvens. Chupava aqueles peitos como se não houvesse amanhã, mas acho que com toda a minha empolgação chupei um pouco forte demais e ela soltou um “Ai” bem delicado e gostosinho.

- Ai! Calma gatinho! Vai arrancar meus peitos fora, eu paguei caro neles, rsss...! Vem cá, vou te ensinar a chupar devagarzinho, bem gostosinho.

Saiu de cima de mim, me empurrou um pouco pra trás, beijou minha barriga, puxou minha bermuda um pouco para baixo, colocou meu pau pra fora e começou a chupar. Que delícia!! Ela chupava do mesmo jeito que tinha falado, bem devagar, bem delicado. Ela chupava e me olhava com cara de safada. Eu estava tão excitado que em poucas chupadas comecei a gozar. Não consegui avisar, o máximo que saiu foi um “Nos..sa, eu vo...u...”, ela percebeu o que ia acontecer, mas continuou. Gozei na boca dela! Ela ficou gemendo e chupando, não deixou escapar nada, nem uma gotinha. Eu estava nas nuvens.

Ela engoliu minha porra, lambeu um pouco mais e me beijou de novo. Aceitei seu beijo sem resistência. Estava entregue a tudo o que ela quisesse fazer e ela sabia disso.

- Gostou? – disse ela.

- Aham! – e olha a cara de besta de novo.

- Já tinha gozado na boa de uma mulher antes?

- Nunca! Eu sou virgem! Nunca fiz nada disso!

- Virgem?! – disse ela surpresa, não sei porque, só tinha 15 anos e ela saiba disso – Ai que delícia! Então hoje você é todinho meu! Minha vez gatinho. Faz igual em mim, faz! Vem me chupar gostosinho que eu estou louca de tesão por você, vem!

Ela foi me guiando. Primeiro na boca, depois no pescoço, fui descendo pelos peitos, depois pela barriga e quando eu desci mais, levei o maior susto da minha vida.

Ela já estava com a saia levantada e a calcinha para o lado e estava segurando um pau. Isso mesmo um pau. Ela era um travesti! Levantei minha cabeça assustado, meio atordoado. Não estava entendendo nada. Como assim aquela deusa tinha um pau. Um pau!

Ela me olhou novamente nos olhos:

- Que foi gatinho?

- Mas... mas... Você não é mulher! – balbuciei assustado.

- Sou sim, só tenho uma coisinha a mais.

- Mas... mas... – agora além de bobo, estava assustado e atordoado. Afinal eu não sabia, e ela era perfeita! Como assim não era mulher?

- Não fica assustado! Vem aqui, vem. Deixa eu te mostrar tudo. Você vai adorar gatinho.

Com certa resistência minha ela me beijou de novo e disse:

- Confia em mim! Fecha os olhos. Você vai gostar!

Eu não sabia o que fazer, mas estava entregue e ela sabia disso. Ela passou a mão no meu rosto e eu fechei os olhos, ela me deu mais um beijo e devagar foi levando minha cabeça percorrendo novamente todo o seu corpo em direção ao seu pau, mas dessa vez me deixei levar e coloquei o pau dela na minha boca e comecei a chupar. Procurei fazer igual ela fez comigo. Ela me guiava com as mãos.

- Hummm... que gostoso! Isso gatinho. Chupa devagarzinho. Igual eu te ensinei. Hummmm... que delícia!

O pau dela não era muito grande, era maior que o meu, mas era normal. E uma delícia. Eu só conseguia chupar aquela deusa e ouvir seus gemidinhos. Estava incrível! Fiquei um tempo chupando, deixando o pau bem babado, foi quando ela levantou minha cabeça, me beijou novamente e perguntou:

- Gostou gatinho?

- Gostei! – bêbado de tesão agora.

- Não falei que você ia gostar! Quer mais?

- Quero sim!

- Então vamos lá para o meu quarto ficar mais confortável.

Ela levantou pegou minha mão e foi me guiando. Subimos as escadas e ela rebolava na minha frente e ria.

Entramos no quanto e ela terminou de nos despir. Ela fazia tudo, eu não tinha mais reação nenhuma e estava completamente entregue e bobo por ela. Me agarrou e nos jogou na cama abraçados e nos beijando. Um pouquinho de amasso e ela levantou e mexeu em uma gaveta, pegou uma camisinha e um lubrificante e apenas abriu a camisinha e o tubinho, deixando os dois mais perto da gente. Voltou para onde paramos, foi me beijando, lambendo o pescoço, também oferecia o pescoço dela e ia falando coisas gostosas no meu ouvido.

- Ai gatinho, você tá me deixando maluca de tesão. Quero você agora. Você quer?

- Quero!

- Então vou te fazer sentir uma coisa incrível. Você vai adorar!

Toda animadinha ela pegou a camisinha, colocou no próprio pau e lambuzou de lubrificante. Levantou minhas pernas, colocou um travesseiro embaixo, lambuzou minha bunda também e encostou o pau bem na portinha do meu cuzinho.

- Não! Espera! – disse eu assustado quando senti seu pau.

Ela levou um dedinho na minha boca e disse:

- Xiiiiiu! Confia em mim lindo, você vai adorar. - disse isso já colocando minhas pernas em volta da cintura dela.

Foi empurrando a cabeça e eu senti uma dor absurda. Ela percebeu se abaixou e disse com a voz sexy.

- Calma gatinho, relaxa! Confia em mim! Vamos gozar gostoso juntos! – e voltou a me beijar.

Quando ela me beijava eu ficava nas nuvens, perdia os sentidos. Percebi que ela estava empurrando o pau de novo, mas dessa vez eu estava mais relaxado e não doeu nada. Um pequeno incomodo, mas nada demais.

Ela ficou com o pau dentro de mim por um tempinho sem se mexer, depois começou a me comer devagar e me beijava muito, acho que ela sabia que assim eu me entregaria, sem ficar com medo de dor ou algum receio. Começou a ficar gostoso demais. Eu estava totalmente entregue. Ela aumentou um pouco o ritmo e já estávamos em uma coisa um pouco mais rápida, não tão carinhosa quanto antes, mas também nada forte. Só ouvíamos nossa transpiração. Sentia aquele pau entrando e saindo da minha bunda. Olhava para ela e ela olhava pra mim com desejo. Via com os cabelos loiros caídos em cima de mim e transpirando. Estava achando incrível.

Ela ficou me comendo um certo tempo assim e depois saiu de cima de mim, ficou de joelho na cama e me chamou para perto dela. Também fiquei de joelho e nos beijamos. Ela deu a volta, ficou atrás de mim roçando o mau na minha bunda e beijando meu pescoço. Se era um sonho tudo aquilo nunca mais queria acordar, estava muito bom. Ela me colocou de quatro na cama, debruçou em cima de mim e encaixou o pau no meu cuzinho e foi empurrando devagar. Estava tão em êxtase que quando ela meteu fui as nuvens.

Se levantou e continuou com aquele ritmo, mas o pau já entrava e saia mais fácil da minha bunda. Estava melhor ainda. Agora a gente já gemia feito loucos. Perdi totalmente a vergonha. Me entreguei à ela e ela à mim. Eu estava com a bunda empinada, de olhos fechados e com a cara enfiada no travesseiro gemendo muito. Ela com as mãos na minha cintura, me comendo gostoso e gemendo muito também. Sentia seu quadril batendo no meu. Não consigo descrever o que sentia. Toda vez que lembro dessa cena, sinto a mesma sensação que sentia naquele momento.

Já estávamos um bom tempo nessa posição gemendo como loucos e quando eu achei que a coisa não poderia mudar, nem para melhor e nem para pior, levei o outro susto, mas dessa vez fiquei apavorado de verdade, mais que antes.

Eu estava com a cabeça em direção à porta e resolvi abrir os olhos, Quando abri vi três mulheres paradas na porta olhando a Renata me comendo. Acho que tinham acabado de chegar, não sei, mas estavam cochichando e rindo baixo. Acho que por conta do tesão que estava sentindo não percebi que estavam lá.

Eu estava com aquela cara de bobo de novo, assustado, apavorado, mas não conseguia sair dali, não queria parar, estava muito bom. Renata continuava me comendo e eu gemendo e olhando para as mulheres.

No meio da minha confusão mental, pois não conseguia reagir aos meus sentidos somente continuava gemendo, escutei Renata falando:

- Oi meninas!

- Oi Rê! Tá se divertindo em! – Priscila era o nome dessa.

- Muuuuito!!! Já voltaram?

- Já sim. Mas acho que foi melhor assim né! Lá estava chato e aqui parece que está bem mais interessante, né!

Renata deu uma gargalhada mesmo ofegante, mas não parava de me comer. E eu continuava gemendo, transpirando e olhando as três olharem para a gente.

- Nossa Rê que delícia em! Será que você pode dividir ele com a gente? Parece que você tá gostando muito e ele é bem gostosinho. – esse era a Dani.

Rindo de novo, Renata falou:

- Eh! Realmente tá uma delícia essa bundinha virgem.

Quando elas ficaram sabendo que eu era virgem ficaram espantadas.

- Ele nunca deu? – por último Michely.

- Ele nunca transou! Ele era virgem de tudo até eu pegar. Bem bobinho, né gatinho!

Consegui apenas balançar a cabeça com um sim.

- Nossa Rê! Agora eu quero mais ainda! Deixa Rê? – disse Dani bem animadinha.

- Ah! Depende dele. Se ele quiser e aguentar eu divido ele com vocês. Se não esse menino vai ser só meu. – mas sua respiração já estava mais ofegante que antes e ela continuava metendo em mim deliciosamente.

Assim que escutei isso, nessa hora eu fechei meus olhos e gozei de novo, gemendo muito, de quatro com uma deusa me comendo gostoso e outras três travestis lindas querendo transar comigo também. Não tinha como aguentar. Foi incrível. Gozei muito, molhando a cama toda. Meus braços até tremeram e voltei a enfiar a cara no travesseiro.

Acho que Renata ficou morrendo de tesão me vendo gozando daquele jeito e como já estava um bom tempo me comendo também começou a gozar e gemer mais alto se debruçando sobre mim. Ficamos os dois deitados curtindo a gozada. Ela em cima de mim me beijando e eu não acreditando no que tinha acontecido. Apesar de satisfeitos, sabíamos que muito mais viria pela frente, pois as três gargalharam com a cena e Priscila disse:

- Bom Rê, acho que isso foi um sim seu e dele.

Renata também riu.

- É, parece que sim! Pode vir meninas, vamos nos divertir com essa delícinha. Vocês vão adorar – olhou pra mim e deu um sorrisinho sacana, devolvido da mesma maneira por mim. Acho que minha inocência foi para o espaço de vez.

Elas se aproximaram da cama e sentaram em volta da gente. Renata saiu de cima de mim e deitou ao meu lado. Ainda estávamos ofegantes. Eu me virei para elas. Uma mais linda e gostosa que a outra. Incrível! Mas Renata era a mais gata e gostosa de todas, uma deusa esculpida.

- Oi bebê, eu sou a Michely – uma mulata muito linda e ao contrário de Renata, essa era turbinada, com um peitão e um bunda muito grande, de deixar qualquer funkeira com inveja. Não era muito alta, um pouco maior que eu apenas.

- Eu sou a Priscila gatinho e vou te comer todinho – era loira como Renata, só que mais branca e tão turbinada quanto Michely. Essa era a mais alta de todas.

- Oi, meu nome é Dani – uma moreninha mion, baixinha e magrinha, com um peitinho delicioso, pois não tinha muito silicone. Depois fiquei sabendo que era a mais nova de todas, tinha acabado de fazer 17 aninhos mas já morava com elas uns dois anos e foi a última a entrar para a turma. Era a caçulinha delas. Uma perfeita menininha, toda delicada e feminina.

Todas eram lindas, se já não soubesse que eram travestis não iria acreditar nunca. Nenhuma delas tinha aquele jeito escandaloso de falar, gesticular ou se vestir. Eram todas educadas e comportadas. Renata me disse depois que elas eram Striper Virtuais e só faziam programas raramente, apenas se o cachê fosse irrecusável e também se sentissem vontade de transar com o cara, mas na grande maioria das vezes não transavam por dinheiro.

- A Dani vai te ensinar muita coisa Thi – disse Renata e todas gargalharam. Eu só fui entender depois.

Elas passaram a mão pelo o meu corpo, ficavam sorrindo e rindo.

- Ai que delicia de menino Rê! – disse Michely passando a mão em mim.

Renata foi a primeira a começar a festinha. Pegou a Dani e puxou para perto da gente, deu um beijo nela e disse.

- Vai Dani, começa a festinha com ele!

- Ai pode deixar meninas, vamos deixar vocês loucas e vamos acabar com ele!

Todas ficaram um pouco surpresas com as palavras de Dani e começaram a rir.

- Nossa Dani, é a primeira vez que te vejo com tanto tesão assim – disse Priscila.

- Ai Pri, sabe como é né. Não é todo dia que eu vou me divertir assim – e me tascou um beijo de linga bem molhado já com a mão no meu pau.

Michely e Priscila se levantaram e começara a tirar as roupas e Renata ficava me beijando e passando a mão em mim. Realmente Priscila e Michely eram turbinadas mesmo, até o pau delas era grande e grosso. Não sei dizer quanto mediam, afinal não tinha nenhuma régua lá e também não perguntei, estava mais interessando em aproveitar a situação do que ficar medindo tamanho de pau. Mas que eram grandes, eram.

Renata se levantou e as duas se ajoelharam uma de cada lado, colocando o pau bem próximo da minha cara e da cara da Dani, que me olhou da forma mais sacana do mundo e disse:

- Me ajuda? – pegou o pau da Michely e colocou na boca.

Agora eu tinha entendido tudo! Depois ainda conversei com ela e ela disse que ela era a putinha da casa, quando as meninas não se aguentavam de tesão ela sempre fazia o que elas pediam, um boquetinho, uma punhetinha, isso quando não a fodiam. Ela já viu as outras fazendo a mesma coisa, mas era muito raro, somente quando elas estavam a fim de alguma coisa diferente ou muito tempo sem transar. Ela era a putinha da casa e não abria mão disso.

Me prontifiquei e disse “Claro”, já pegando o pau da Priscila e colocando na boa. Renata começou a brincar com meu pau e com a bunda da Dani. Ficava chupando os dois. O que fazia a Dani rebolar que nem uma cadela quando ela passava a língua no cuzinho.

Eu e a Dani ficávamos chupando as outras duas, revezando e as vezes com os dois paus na boca. Nos beijávamos no meio dos paus lambuzando tudo.

Renata já estava recuperada e quando viu o que eu e a Dani estávamos fazendo com os paus da Priscila e da Michely não se aguentou e também colocou seu pau lá. Foi uma chupação só! Após um tempo nessa bagunça de boca e pinto, Michely disse:

- Dani, prepara a bundinha dele pra gente. Dá aquele banho de língua que só você sabe fazer. Quero ver se o que a Rê falou é verdade.

- Ai menina, quero ver quanto tempo você vai aguentar. É uma delícia – disse Renata.

A Dani se levantou terminou de tirar as roupas e me pediu para ficar de quatro. Obedeci sem pestanejar. Continuei chupando as três e a Dani ficou atrás de mim. Quando senti aquela língua na minha bunda, confirmei o que a Michely tinha falado sobre isso. Me arrepiei tudo. Dani lambuzava minha bunda com a língua e ainda revezava chupando meu pau.

Foi quando senti ela subindo pelas minhas costas e beijando minha nuca, mas além disso ela estava direcionando seu pau pra minha bunda. Encaixou e ficou um tempo assim, parada. Eu já estava todo relaxado e melado, o pau dela não era grande também, era menor que o meu, então foi fácil. Ainda encaixada em mim, saiu das minhas costas, colocou a mão na minha cintura e começou a me comer. Todas as outras ticaram de boca aberta quando viram que ela estava me comendo.

- Olha a Dani meninas – disse Renata.

- Dani, o que é isso menina? – perguntou Priscila já rindo igual as outras.

- Ai gente não aguentei e tive que experimentar como é. Ai que delícia! Agora eu sei porque vocês gostam de me comer. É apertadinho! Ai!

Eu continuava chupando as três e delirava com a situação. Elas só riam.

- Dani, você colocou a camisinha? – perguntou Michely.

- Ai esqueci! – mas continuava me comendo e gemendo.

Nessa hora eu gelei! Afinal sempre fui orientado a transar de camisinha e a própria Renata havia colocado quanto transamos.

- Dani, o que a gente cansou de te falar? Sempre com camisinha, menina! A gente mal conhece ele. – Disse Michely brava.

- Ai Mi, a gente sempre se cuida e além disse ele é virgem. Não vai pegar nada. – já percebia a respiração ofegante dela.

- É verdade Mi – disse Renata – e olha só como nossa garotinha tá adorando comer ele. Deixa ela aproveitar um pouco. Ela nunca comeu ninguém.

- Mesmo assim! Ai ela aprende errado e pode se fuder – retrucou Michely.

- Vocês vão aproveitar a foda ou vão dar aula de biologia aqui, em? – disse Priscila em tom de brincadeira – tá uma delícia essa boquinha e essa cena da Dani comendo ele tá me deixando maluca de tesão.

Meu tesão era maior que minha preocupação e também não queria que a Dani parasse de me comer. Mas não demorou muito ela começou a gozar e caiu para trás gemendo, já bem suada e ofegante. Todas caíram na gargalhada.

- Gostou, né safada! – disse Priscila rindo.

- Ai gente, que delícia! Vou querer comer vocês também de veze em quando.

- Nada disso Dani – respondeu Renata – a putinha da casa é você – disse brincando.

Eu larguei o pau das três e praticamente ataquei a Dani. Comecei a beijá-la como louco e ela retribuiu da mesma forma. Nossos beijos eram bem molhados.

- Meninas, acho que rolou uma paixão de adolescentes – disse Renata gargalhando.

Michely saiu do quarto e rapidinho voltou com uma caixa de camisinha.

- Pronto! Agora podemos começar a festa direito.

- Ai que bom! Eu não estou mais aguentando Mi. Dá uma aqui que é a minha vez – disse Priscila. Colocou a camisinha no pau e partiu pra cima de mim.

Eu estava no meio das pernas da Dani, com o pau roçando a bundinha e o pau mole dela e babando bastante naquela boquinha de menina. Priscila só precisou se encaixar atrás de mim para começar a me comer. Mesmo o pau dela sendo maior, eu já estava lambuzado com a porra da Dani, já tinha sido comigo pela Renata e também estava muito excitado. Senti apenas outro pequeno incomodo, mas rapidinho ficou gostoso de novo. Renata e Michely deram a volta e colocaram os paus no meio do nosso beijo.

Como a Priscila estava em cima de mim me comendo e meu pau duro estava roçando a bundinha da Dani, não demorou muito para ele ir se acomodando no cuzinho dela. Ela me olhou com uma cara de safada e me beijou mais forte ainda quando percebeu que meu pau tinha entrado. Eu não precisava fazer nenhum movimento, pois a Priscila se encarregava de me comer e fazer eu comer a Dani só com os movimentos dela. Eu dava e comia ao mesmo tempo. Era demais!

- Ai Rê, você tinha razão é muito gostoso esse cuzinho! Não vou aguentar comer ele muito tempo. Esse cuzinho virgem é uma delícia.

- Não falei Pri!

E não demorou muito ela gozou na minha bunda.

- Ai meu deus, que delícia! - me beijou na nuca e saiu se deitando atrás de mim e da Dani. Foi nessa hora que ela percebeu o que estava acontecendo.

- Mi, olha isso! Você vai ficar uma fera – disse com cara de espanto e já rindo logo em seguida.

- O que foi? – e foi ver – Mas será possível vocês dois! É por isso que você estava gemendo né! Seus safados!

Dani olhou com a cara mais safada do mundo mordendo os lábios e balançando a cabeça dizendo que sim.

Renata só ria da situação.

- Ai Mi, deixas eles se divertirem um pouco! A Dani nunca come ninguém e ele também era virgem de tudo. Deixa os dois brincarem – disse ela.

- Então é assim que vocês querem, é! Vai lá Dani aproveita e dá gostoso pra ele. E você gatinho, manda ver nessa bundinha. Quero ver você dois fodendo com gosto! – mandou Michely.

Nessa hora eu e a Dani perdemos a vergonha e começamos a gemer alto e a foder com força. Renata e Michely se afastaram e ficaram olhando e batendo punheta. Priscila só assistia a transa, pois já tinha gozado e descansava.

Eu estava tão maluco com tudo isso que não demorou muito e gozei pela terceira vez, só que agora comendo uma bonequinha linda. Cai em cima dela sem forças pra mais nada. Só consegui rolar para o lado ficando com a cabeça no colo da Renata. Priscila se levantou e saiu do quarto.

- Bom, as crianças já se divertiram, né! – disse Michely – Todo mundo já gozou então agora é a minha vez de experimentar essa bundinha virgem, mas antes vem aqui me dar uma chupada, os dois.

Ficou de quatro na cama mostrando aquele rabão e o pinto por baixo. Não perdemos tempo e começamos a meter a língua nela. Eu e a Dani ficamos revezando entre uma chupada no cuzinho, no pau e ainda nos beijávamos. Deixamos tudo bem lambuzado, babamos bastante. Renata continuava na dela se masturbando e passando a mão na gente.

Michely só gemia e pedia para continuar, até que se levantou rápido, colocou uma camisinha, lambuzou todo o pau com gel e veio pra cima de mim. Levantou minhas pernas e meteu. Entrou fácil. Ficou em cima de mim me comendo e eu de olhos fechados gemendo. Ela tinha o maior pau de todas, sentia uma pequena dor, mas passou rapidinho e o tesão tomou conta de tudo novamente.

- Vem aqui Dani senta no meu pau que eu sei que você ainda tá louquinha de tesão – disse Renata se deitando do meu lado.

Dani não perdeu tempo e mal Renata tinha deitado já estava colocando o pau na bunda e pulava e gemia feito louca.

Priscila que havia saído do quarto, voltou e se deparou com aquela cena.

- Ah! Eu sabia que alguém ia acabar comendo a Dani. Essa menina tem um fogo, nunca vi.

- Fazer o que né Pri. Ela já é uma putinha por natureza. Só estou mantendo ela quieta enquanto espero minha vez de comer o Thi de novo – disse Renata.

- Bom... eu vou aproveitar um pouco mais também – disse Priscila se aproximando do meu lado e me dando o pau para chupar. Ficamos um bom tempo nessa putaria, a Dani pulando e sentando gostoso no pau da Renata, eu chupando a Priscila de pernas abertas enquanto a Michely me comia gostoso, enfiava o pau bem fundo na minha bunda, sentia ele deslizando rápido, ela metia com gosto, quando:

- Ai... vou gozar, vou gozar! – avisou Michely e já tirou o pau da minha bunda arrancando a camisinha – mas vou gozar nessa boquinha.

Me surpreendi um pouco mas não criei nenhuma resistência e abri a boca. Dani não perdeu tempo e praticamente voou em direção ao pau de Michele para dividir a porra comigo.

Michely começou a gozar na nossa cara gemendo alto. Nunca vi tanta porra na vida. Lambuzou nossa cara todinha com o leitinho dela. Achei que iria ficar com nojo, pois nunca havia sequer cogitado uma coisa dessas, até nos filmes pornôs que via essa parte não me agradava muito, mas estava uma delícia. Limpamos tudo direitinho, lambendo o pau todinho. Ela ainda gemia e estava ofegante.

- Nossa gente que foda foi essa. Meu deus que delícia! – me agradeceu com um beijinho na testa – obrigado gatinho lindo, pode voltar quando quiser. Adorei – e saiu do quarto se apoiando nas paredes, pois realmente ela estava satisfeita. Apenas olhou para trás e disse – nossa vocês acabaram comigo!

Dani e eu ainda nos beijávamos com a cara melada de porra e Priscila ainda batinha uma punheta próxima da gente, bem rápida. Acho que a cena da Michely gozando em nossas bocas deixou ela com o maior tesão e eu e a Dani ainda olhávamos para ela com cara de safados, pois sabíamos o que estava por vir. Não demorou muito ela começou a gemer e gozar novamente em nossas caras. Não foi muito, pois ela já tinha gozado. Eu e Dani mais uma vez engolimos tudo e limpamos direitinho.

- Nossa, que demais Rê! Obrigada por dividir ele com a gente. Também adorei. Pode voltar quando quiser bebê – mandou um beijinho e uma piscadinha bem safadinha e saiu do quarto rebolando.

Renata se levantou e disse:

- Os dois estão muito sujos de porra e eu ainda quero mais. Dani leva ele para o banheiro, se limpem e voltem. Quero gozar mais uma vez com vocês. Estou morrendo de tesão!

Dani me levou para o banheiro e entramos no chuveiro. Começamos a nos lavar e a nos esfregar com cara de safados. Ela me limpava e eu limpava ela. Nos secamos rápidos e voltamos para o quarto da Renata que estava deitada na cama de pau duro se punhetando.

- Agora podem começar!

Pulamos na cama e começamos a brincadeira com a Renata. Primeiro beijando, depois chupando os peitos e depois o pau e o cuzinho. Ela gemia de tesão com duas línguas lambuzando tudo. Demos um verdadeiro banho de língua nela. Ela delirava principalmente um chupava seu pau e o outro metia a língua no cuzinho dela.

- AI QUE DELÍCIA! – o tesão tinha tomado conta dela – vem aqui Thi.

Me pegou e me colocou de quatro na cama e começou a me comer. Dessa vez sem camisinha, acho que entrou no embalo da Dani. O tesão falava mais alto que qualquer coisa. Isso era perigos e a gente sabia, mas não dava mais para controlar. Eu gemia feito um cão e ela também. Dani já se colocou na minha frente e ofereceu o pau para ser chupado. Eu atendi prontamente. Chupava o pau dela deixando bem babado.

De todas as que me comeram a Renata é a que fodia melhor. Era muito gostoso ser comido por ela. Não tinha comparação com as outras. Era outro nível. A Dani também concordava. Me entrosei melhor com ela, acho que pela proximidade com a idade, mas a melhor de todas sem dúvidas era a Renata.

Ficamos os três gemendo por um tempo desse jeito até que Renata aumentou o ritmo, os gemidos e a respiração e gozou novamente na minha bunda. Do mesmo jeito que a primeira vez e mais uma vez se debruçou exausta em cima de mim.

Mas dessa vez fiz algo que elas não esperavam. Saí de baixo, abri as pernas da Renata e entrei com meu pau na bundinha dela. Ela sorriu, se arreganhou e pediu:

- Ai que delícia! Mete gatinho!! Me fode!! Eu estava louca para dar pra você! Me como toda!

Comecei a meter forte e rápido. Também puxei a Dani para mais perto de mim e a beijava com força.

- AI... ai... que delícia... me fode... me fode! – gemia Renata.

- Acho que nosso menino virou um homem Rê, olha só como ele tá te fodendo gostoso.

- É verdade! Tá muito bom isso!! ME FODE TODA THI!!!! Ai QUE DELÍCIA!!!

Realmente a coisa estava um pouco diferente de quando comi a Dani. Eu metia mais forte e mais rápido, um pouco mais bravo até, rsss. Acho que a testosterona despertou em mim e assumi o papel de macho agora. Não só de homem, mas tipo o macho alfa, sabe. Dessa vez eu tinha assumido o controle da situação e elas sabiam disso.

Fiquei um bom tempo comendo ela desse jeito, já tinha gozado três vezes e sabia que iria demorar para gozar outra vez. Ela estava cheia de tesão e até a Dani resolveu se aproveitar um pouco da situação e já tinha colocado o pau na boca da Renata que se deliciava.

Depois agarrei a Dani e a joguei em cima da Rê empinando aquela bundinha e enfiei meu pau nela que gritou de tesão. Subi em cima e fiquei metendo mais forte e mais fundo nela. Que adorava. Renata desceu um pouco mais e começou a chupar o pau da Dani, que não aguentou muito tempo nessa situação e gozou na boca dela gritando feito uma cadela.

- AI TO GOZANDO... TO GOZANDO, PORRA!!! AAAAAHHHHHH...

Assim que ela terminou de gozar saí dali e fui dividir a porra dela com a Renata que me beijava com força e rapidinho ela ficou de quatro e pediu pra come-la assim. Montei em cima e meti fundo. Dani retribuía a chupada na Renata. Ficamos um bom tempo metendo desse jeito. Renata de quatro, eu metendo com força nela e a Dani em baixo dela chupado seu pau. Renata começou a gritar e a gemer muito alto:

- AI CARALHO! METE FUNDO THI!!! ME COME SAFADO QUE EU VOU GOZAR!!! AI QUE DELÍCIA!

Renata começou a gozar na boca de Dani. Acho que ela não aguentou ser comida e ainda ter a boca da Dani em seu pau. Meu tesão aumentou ainda mais e não consegui segurar e gozei no cuzinho dela. Caímos os dois na cama ao lado da Dani.

Ficamos lá. Recuperando o folego por um bom tempo. Sem dizer nenhuma palavra. Apenas alguns pequenos carinhos, mas nada demais. Estávamos lá os três deitados na cama, eu no meio, a Dani na minha direita e a Renata na esquerda, cansados da tarde de foda que tivemos. E dessa forma adormecemos.

Acordei com alguns carinhos da Renata:

- Oi bebê! Vamos tomar um banho?

Lá fomos os três. E no chuveiro mais uma fodinha entre nós. O box era apertado, dessa forma ficamos os três bem juntos. Cada um comeu o outro, de pé, com a bunda bem empinada e rebolando muito em baixo do chuveiro. Foi uma delícia! A Dani empinava a bunda de um jeito que deixava a gente louco de tesão. Quando terminamos nos trocamos e descemos.

Fui pegar a minha mochila na sala e encontrei Michely e Priscila.

- Caramba! Achei que nunca iam descer! – disse Priscila.

- Tava boa a coisa em... dava para ouvir vocês gemendo lá da rua! – disse rindo Michely.

- Ah! Sabe como é né, não é todo dia que a gente acha um gatinho delicioso e bem safadinho a ainda por cima a Dani cheia de tesão como hoje. Foi demais! – explicou Renata.

- E ai menino, vai voltar mais vezes pra gente brincar mais? – Perguntou Priscila

- Se vocês quiserem, volto sim.

- Ai que tudo! – disse Dani saltitando feliz da vida.

- Acho que alguém se apaixonou! – disse Michely gargalhando e todo mundo riu junto.

Me despedi com um beijão em todas elas, o mais gostoso foi em Renata, já que foi ela que tirou minha virgindade, eu tinha um carinho especial por ela. Já na Dani o beijo foi mais demorado, lambuzado e safado, Renata teve que nos separar, se não iríamos transar novamente.

Fui embora, mas voltava todo o fim de semana para brincar com elas, mais com a Renata e a Dani, as outras duas era mais difícil, pois elas gostavam de homens mais parrudos, mas mesmo assim dava de vez em quando para elas, também consegui comer as duas e foi demais. Até me distanciei um pouco dos meus amigos para poder ficar fodendo com elas.

Sei que a história é grande, mas acho que valeu a pena. Espero que tenham gostado, se quiserem conversar, meu skype é dex6xter.

Abraço a todos.

Comentários

29/09/2016 18:08:14
amigo, tenho a fantasia de ir num salão de cabeleireiros assim, por favor me ajude a realizar essa fantasia uma unica vez, me manda o endereço do salão por favor: [email protected]
20/12/2015 13:47:14
Nossa, que delícia. Comer e ser comido por um travesti bem gostoso é demais.
20/10/2014 14:54:30
Muita tesão.. e inveja... uma suruba assim é magnífica. Comer bunda e levar pau na bunda... coisas bem boas...
26/07/2014 18:19:17
que trapada hein leke! fiquei com muito tesão no relato e confesso que bateu uma invejinha ai viu, rs - muito bom continue os relatos!
BGG
25/07/2014 12:22:18
Minha nossa, que tesão de história!!!
25/07/2014 01:00:26
Excelente cara! Foi iniciado e adquiriu experiencias com as mestres na arte de fuder. Parabéns. Se quiser trocar uma ideia, tamos ai!
25/07/2014 00:42:44
Boa em? vamos la fazer uma festinha? he he :)
24/07/2014 21:06:38
PORRA, MUITO TESÃO MLK. ME ADD NO SKYPE AE PRA GENTE TROCAR IDEIA marcio.rodrigues7133

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.




Online porn video at mobile phone


home filma mulhe no oinibofilha fica brava ao levar gosada dentroconto novinha marrenta estrupada pelo irmaoscastiel de supernatural fazendo sexo porno doidocontos eroticos minha esposa ficou excitada quando viu o negao pauzudovídeo de Juliana Paes toda nua umbiguinhofaz sua namorada ir ao ceu so com q sua linqua pornodoidogosando na cara da alemao no xisvidioconto porno gay. bullyingcorno sendo humilhado lambendo direitinho buceta cheia de gozowww.mae nao aquento filho pausudo bocetaoPai chupando e amassando os seios e vagina da filha e passando a mao na vagina dela ver video calcinha molhadaarretada e gostosa minha mae conto incestoquero ver vídeo de menina virgem dando para homem dotado que arranca vida dela com força como se fosse um estrupo mas esse tipo como se fosse de vídeo vídeo de pornô vídeo de sexo e suas coisas Eu quero ver vídeo da simfotos padrasto come cu da emteada pau giganteconto lesbico com luanawww.relato erotico mulher cazada gemeu na pica glande.com.brfudendo a matasrtaeu conto dancei com meu cunhado e senti um p*******chupando buseta labefo pasda mso bocsvideo gay vésatil porno socorro meu genro fode malcontos eroticos fudeno a novinha de 17aninhoscontos eróticos primeiras experiências com siririca com mulheres mais velhaexistem homem com penis mais de 40cmvideo de porou dirano vigidade da namoradafe vedtidocontos anais + caminhoneiro enrabador da jeba grandecontossou safado como minha maeo qui faco pra demorar enjacularvidii lesbica cozando turmidodescobri que meu namorado da o cu yahhocontos eroticos peguei uma garotinha do interior pra criar e ensinei tudo sobre sexo pra elabucitnhacontos de sexo depilada na praiasobrinha contopeladacamisinhacaldo de buceta sujacontos mae filho lambe cona esporradapunheta na infancia com amigoFamília Sacana Tufos -comendo as irmãs safadinhascontos eróticos com pezinhos da tiacontos eroticos sou mulher e transei com minha sograminha mãe tomando banho e eu não resisti e entrei dentro do banheiro e forcei ela fazer sexo.tentando comer irma crentinhavideos de cornos que aguarda ansioso sua esposa voltar pra casa escorrendo porra de outro toda melada na bucetacontos eroticos chorando com o pau enterrado no cu e o macho arrancando bostaporno paudentri da bucetajoponezinha dormindo e entra um cara e comi elaComo se escreve “ manda video porno ” em inglesconto erotico gay negao pirocudo maltrata viado brancowww.porno zoofilia.com/dando buceta virgem engatada dois cachorros?chupando buseta labefo pasda mso bocsrola gradi nocu danoviacoroa taradasexo históriavídeo da Sarinha do homem lambendo pequena mulher a mulher lambendo o pau do homemfode em terreiro de umbanda xvideo melhoor jeito para chupar um cuzinho pornocontos eróticos meu genro me pegou traindo meu maridoContos com fotos velhos fudedores chupadoresContinuasao do video porno do pia esfregando na mae video chinesmulher convulsiona de tesao no pinto monstrodescobrindo o amor 74 dr romântico casei com um velho brocha mas levo machos pra casa contos eroticoscasa dos contos eroticos/julianatitias abusada de vestido e calcinha fio dentalbucetas gostozas gozando gostozo na cabesona rombudaela "abriu a porta" pelado meu pau banheiro "minha tia"pornô doido corno Deixou o cara comer sua esposa e seu cuzinho na sequênciaNoca vi pau grosso filio vei mifuder na sala estoriaconto cu entaladoidosa masturbano de saia eschistória real irmão bem dotado seduza irmãzinhapadrasto e intendenda gostosopornocontoincestosnovinha xeia de pintas na bct na siriricamulher que encolheu todinho com ponta do rabo XVídeos brasileiro