Casa dos Contos Eróticos

Click to this video!

FANTASIAS SEXUAIS - UMA HISTÓRIA REAL

<p>Os meus amigos nunca entenderam o porquê de eu ser tão tímido com as mulheres, porquanto me consideravam um cara simpático, bem-afeiçoado e com uma boa situação financeira. Na opinião deles, eu tinha todos os atributos que a mulherada tanto valorizava em um homem e, desta forma, não havia motivo para tanta insegurança. A verdade, no entanto, era que eu supervalorizava a minha inditosa condição de maldotado e guardava este segredo a sete chaves. Quando deixei Brasília e fui morar com meu pai em Recife, conheci uma garota chamada Cida, que era exatamente o tipo de mulher que me deixava inseguro: Fogosa, desinibida e liberal, a Cida era muito diferente das namoradinhas bem comportadas com as quais eu tinha me relacionado até aquele momento. A extrema sensualidade daquela garota me seduzia ao mesmo tempo em que me assustava e, desta forma, eu tinha receio de uma maior aproximação. Mas o que a princípio parecia improvável terminou acontecendo e nós começamos um relacionamento amoroso. Para a minha felicidade, além de gostosa, divertida e boa de cama, a Cida não dava importância para aquilo que tanto me atemorizava, ou seja: o tamanho do meu pinto. Porém, o relacionamento não era perfeito, porque ela tinha hábitos e costumes muito liberais que algumas vezes transformavam-se em motivos de atritos entre nós. A garota era muito desbocada, comportava-se de modo extremamente sensual e gostava de usar roupas curtas e biquínis escandalosos. Apesar de contestar o comportamento inadequado da minha namorada, mantive o relacionamento até o dia em que descobri que ela tinha o costume de trocar de roupa e tomar banho completamente nua na frente dos seus amigos, com os quais divida um apartamento em Olinda. Aquilo foi demais para mim! O namoro findou, mas a amizade permaneceu e foi a própria Cida quem me apresentou à sua irmã mais nova, pouco tempo após o nosso rompimento. A irmã da Cida chamava-se Cris e este encontro aconteceu na festa de bordas de prata de uma tia das garotas. Para abreviar esta parte da história, eu e a Cris nos apaixonamos à primeira vista e viemos a nos casar alguns meses depois. A Cris era diametralmente oposta à Cida. Moça educada, meiga e de estilo conservador, nenhum desavisado suspeitaria que elas fossem irmãs - até na aparência física elas eram diferentes. O início do nosso casamento transcorreu dentro da normalidade, com exceção, talvez, do costume adquirido desde a lua de mel, de andarmos nus dentro do apartamento. Nada de mais, a não ser pelo fato deste nudismo caseiro ser presenciado diariamente pela nossa empregada doméstica, que terminou se acostumando com este hábito exótico. Passado algum tempo, a Cida também se casou e teve um filho, mas depois foi abandonada pelo marido. Com sérias dificuldades financeiras e sem ter para onde ir, ela recorreu à irmã e veio morar conosco até que a sua situação se estabilizasse. Durante o período em que nós três moramos juntos, aconteceu uma situação difícil de acreditar: A Cida ficou sabendo do costume nudista da casa e, aos poucos, foi adentrando na nossa intimidade com a sua peculiar desinibição. No convívio do dia-a-dia, alguns flagras casuais de nudez foram se sucedendo e tornaram-se cada vez mais comuns. Isto acontecia, em grande parte, porque a Cida tinha o péssimo hábito de entrar no nosso quarto de casal sem avisar e, principalmente, porque ela retomara o velho costume de trocar de roupa e usar o banheiro sem fechar a porta, tal qual fazia quando morava com seus amigos “moderninhos” de Olinda e, antes disto, na casa dos pais. A ingenuidade da Cris aliada ao fato de a sua irmã já ter tido um relacionamento íntimo comigo no passado contribuíram decisivamente para que atingíssemos tamanho grau de intimidade, a ponto de ficarmos os três nus em um mesmo ambiente como se fosse algo absolutamente natural. Apesar desta conjuntura surreal, até então imperava o respeito e a confiança entre nós. Eu e a Cris levávamos uma rotina normal, sem maiores ousadias na área sexual, enquanto que a Cida - novamente solteira - voltou a ter uma vida promíscua com muitas noitadas de sexo e farras, patrocinadas por seus parceiros e amigos da pesada. Em casa, no entanto, nada acontecia fora do padrão, a não ser a já mencionada nudez incomum entre cunhados. Observando a sensualidade da Cida na sua forma de se postar e de se vestir diariamente, despertei dentro de mim o desejo de ver a minha esposa com um comportamento um pouco mais sexy, começando por uma repaginada no visual e nas roupas antiquadas que ela costumava usar. Vendo as duas irmãs nuas dentro de casa, convenci-me de que a minha esposa era até mais bonita e mais gostosa do que a minha cunhada. Contudo, na rua, quando saíam juntas, era a Cida quem atraía todos os olhares. Isto se explicava porque ela usava roupas mais ousadas e joviais, caprichava na maquiagem ao sair de casa e nunca se descuidava dos cabelos e da pele (coisas estas que fazem toda a diferença na aparência de uma mulher). Existia, ainda, outra diferença que só eu tinha o privilégio de conferir de perto: A marquinha minúscula e sensual do bronzeado da Cida comparada com a enorme marca deixada pelo biquíni da Cris. E foi exatamente por aí que comecei toda a mudança! Comprei um pequeno biquíni, semelhante aos que a Cida usava, e o dei de presente para a minha esposa. A princípio, a Cris se recusou a experimentá-lo, por causa da timidez, mas depois, terminou cedendo ao meu desejo e passou a usar o tal biquíni em praias semidesertas. Aos poucos, ela foi se acostumando e ficando mais à vontade com aquela peça minúscula. Ao contemplar a minha mulher deitada na praia, com a bunda praticamente toda de fora, senti um enorme e inusitado prazer em exibir a minha esposa em público. Algo um tanto quanto inexplicável. Sendo assim, tentei de todos os modos induzi-la a adotar um comportamento cada vez mais desinibido e sensual, contrariando a sua própria índole. A minha atitude também ia de encontro a tudo aquilo que eu tanto havia combatido na época em que namorava a Cida. Gradativamente, além perder a vergonha, a Cris começou a gostar de usar biquínis bem pequenos e roupas provocantes. Este exibicionismo transformou-se em vício e obsessão e, enfrentando nossos medos e traumas, decidimos frequentar a praia de nudismo de Tambaba, onde eu podia exibir a minha esposa totalmente nua sem quaisquer restrições. Algumas vezes, a Cida nos acompanhava nas idas àquela praia, já que a nudez não era problema entre nós. Ela era uma incentivadora das nossas aventuras e estava constantemente encorajando a irmã a liberar-se dos seus pudores. Em Tambaba, aconteceu a primeira experiência que extrapolou o simples exibicionismo. Sob o pretexto de conhecermos os efeitos medicinais de uma lama feita com a argila das falésias, eu permiti que um rapaz bem dotado aplicasse este esfoliante natural no corpo despido da Cris. Mais do que isto, consenti e até sugeri que a Cris retribuísse a “gentileza” e passasse a argila no rapaz, que também estava nu. Naquela ocasião, a minha esposa chegou a pegar no pênis do moço e esta atitude, longe de gerar qualquer conflito entre nós, foi motivo de excitação e despertou fantasias nunca antes imaginadas. Em outra oportunidade, por muito pouco a Cris não foi possuída por um desconhecido que tinha um pinto enorme. Isto aconteceu com a minha aquiescência e em plena praia de Tambaba (por trás das pedras). A esta altura, o comportamento da Cris já estava completamente modificado em relação ao daquela garota ingênua e comportada com quem eu me casara. Ela desenvolveu um verdadeiro fetiche por membros avantajados e falava disto abertamente comigo, que, apesar dos meus complexos, gostava de ouvi-la confessar tais sandices. A partir dali, aventuramo-nos em fantasias sexuais cada vez mais ousadas e, na busca desmedida pelo prazer, ultrapassamos perigosamente os limites inimagináveis da razão, chegando ao extremo de a Cris ter relações sexuais com um massagista negro na minha frente. Em meio ao turbilhão que se formou na nossa vida de cassados, passamos a experimentar uma grande mistura de sentimentos conflituosos: Tesão ao extremo, medos, desejos exacerbados, ciúmes, fantasias loucas e insegurança. A Cida, por sua vez, passou a ter uma participação inesperada e efetiva no desenrolar surpreendentes desta história. Este é um brevíssimo resumo da nossa história, contada em detalhes e sem frescura no livro PRAZERES INSANOS, que pode ser adquirido por apenas dez reais no site Clube de Autores.<p>Abordando temas como: insegurança, complexo de inferioridade relacionado ao tamanho do pênis, nudismo, exibicionismo, busca desenfreada do prazer, relacionamento aberto, fetiches, comportamento cuckold, traição, sexo compulsivo e muitos outros, o livro, escrito na primeira pessoa, discorre sobre as emoções, os prazeres e os temores sentidos por quem viveu, na pele, esta história.</p><p>Título: Prazeres Insanos</p><p>Autor: Alberto Cunha Dantas (eu)</p><p>Preço: Dez reais (versão e-book, em PDF) e trinta e oito reais (versão impressa)</p><p>Quantidade de páginas: 420</p><p>Ilustrações: Sim</p><p>Onde encontrar: Site Clube de Autores</p><p>Link:<a href="http://clubedeautores.com.br/book/Prazeres_Insanos">http://clubedeautores.com.br/book/Prazeres_Insanos</a></p><p>Obs: Duas opções de capa (mesmo conteúdo) Indicação: Maiores de 21 anos</p><img></p>

Comentários

20/03/2016 17:39:53
Excitante demais, visitem nosso blog http://contosparaleradois.wordpress.com/, um novo conceito em contos para casais.
05/02/2015 13:24:11
gostei muito do seu conto, voce escreve super bem. nota dez. leia meus contos, beijos da Geralda
22/12/2014 16:01:29
Delícia de conto. Um tesão.

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.




Online porn video at mobile phone


mulher passa margarina ela pelada e no cu bem gostosomeu filho adora analporno mulheres com alta preção no cu jogs bosta longenivinha com o pacote em chadinhogarotinhas bem novinhas descubrino otezaosexo soumenti com corno chupando porra de macho na buceta da esposasou safadinha adoro analcom p maninho casa dos contossou puto e quero comedor em esteio rsmeu tio me  fotos porno ebano e marfimContos vendo os cavalos treparem sexo chegou em casa filha foi pro pagode e genro ve mae coroa dormindo e vai elamesmo mete a peca filme pornoporno em desenho popai comendo a olivia sem pedir idademenage masculino contosgozou muito na buceta da irmã nascendo peitinhos a buceta nem cabelo nasceu nadavideos porno varias duas amigas cagando juntas fala meu fioXvidio mulher asusta o maridoirmão com insônia come irma pornofui pago pra dar o cu pela primeira vez hetero , sexo gay amadorcontos eróticos de marido chega em casa e escuta sua mulher gemendo e brexa o cara comendo o cú delamenino de treze anos gostoso bundinha e cuzinho jeitoso contos eroticosvideo porno lanbidas na boceta noivas e incestoxvideo Comendo a Mulher do Meu Tio Cielypaguei mas gozei gostoso na filha evangelica da empregada minha contoscontos eróticos/afeminado no ônibuscontos eroticos gay dei a bunda dentro do cemitériobaixar vídeos de irmao comendo a buceta linda e gostosa da irma depois que os paissaemnovinha tentando da o cuzinho virgem pro amigo tadinha da novinhamartinha safadinhacontos eroticos tesao no filhoContos eróticos gay comi meu tiocasada loira gaucha fode c pausudo que enche ela de porra e corno olhaquero ver 100 foto de morena cavala e coroa deitada na cama pelada com as perna aberta e segurando ho calcanhardespedida de solteiras com/mulheres casadas q se entregarao a putariaDedando.a.casada.dormindo xvideopornoquero ver o ganhador do homem chupando a b***** peladomulheres que fuma charuto e souta fumassa na rola do cara ate goza asseste videoFutibol dos Heteros ? OU Nao ? cap 28vídeo pornô com homem enfiando o braço todo no ânus da mulher despejando muito líquidoaninha e meu tio cacetudo com foto e todos os contosso qui faco pra demorar enjacularporno coroa sendo desrespeita por novinho e leva ferro na buceta e porra hq pornode a gangue dos monstroscom bumbum mais bate com bumbum mais burro tem as loira morena branquinha e a ruiva a loira morena branquinha e a ruiva bate com a bunda pula pulaamiguinhos gay loirinhos fazendo troca trvedeo de dois homem mostro fazendo sexo com mulher que judia bate fodedoSo fotos de picas de 20 centímetros enfiado na bucetacontos eróticos sobre cunhadabucetudacontos eróticos chantagiei o papai pra ele mim enrraba todinhafilme de sexo pura selvageria de chupar e chupar agressivo mesmo dabuceta das gostosa da novela das 9:00câmeras escondidas que estragaram Anitta dando a bucetagaroti gay pauzudp ttansar c homem cacetudo e grisso vidio pirnomomento de carinho dando mordidinhas na nuca e desce lambendo as costas até chegar no cuzinhocontos eróticos paifinge dormundo fudendo filho e filha. virgemmulheres de perna nua com a buceta esgassadaconto minha hisoria dupla penetacao com janete e betofilha fica brava ao levar gosada dentroquero ver pênis de homem buceta de mulher vídeo de safadeza unha sendo mortotemto core mais eu pegeibrasilera xvideocontos erotico dei o meu cu a forca pro pedreiro caralhudopornodoidomadrasta me oçhandoincesto recente mae consentindo o pai com filha contosnotando pica no cu arrombado gay de japonesgarota misterio cdzinhavideos de sexo fodi ela de ladinho ela fechava as pernas e gemia muitoeu sento no seu pau voce mim abraca e mim beija gostoso pornopunheta na infancia com amigocasa dos contos meu marido me fez da o cu a dois picudos chorei de dorhomens de braços grandes e pau durotravesti branquinha e e s branquinha e rosada tranzando na xçcamaincesto tio tirando virgindade da sobrinha de dez anos no semáforoe já te mandei tu também vai vídeo pornô adoro sexo de lavadoraQuero ler contos escravos roludos macho alfa familia realnega tarada por sexo oral e anal de b***** bem lisinha ela tem a garganta profunda engole toda a rola do bem dotado Oixxx vídeo Pai percebe qui sua filha ta virando mulher e sente vontade de comer -youtube -site:youtube.combrincando escanchada contos pornomulher encapetada sexoxxvideo porno brasileiro novinha chora ao ter q fd cm varios depois q perd apostax vídeos porno eu e minha mãe fomos tomar banho e fiquei esitadoconto erotico gay o policial e o garoto marrento #14conto erotico dei pro meu genroConto herotico incerto completo mae i filhocasada com raiva do marido so querer ir para o bar sai e da a buceta para estranho no motelmulher que encolheu todinho com ponta do rabo XVídeos brasileiroo riquinho que eu amo cap 12 casa dos contoshomem se mesturbano no causinha da cuiada fio dentalvideo mulher peito duro lavano carro pornosexo tio seu pau e muito grande nao vai caber na minha bucetinha naoporno em familiairmalouca pra perdero cabaco pro irmarcasada carente muito seria mais foi ceduzida pelo cadeirante contos