Casa dos Contos Eróticos


Click to this video!

PRA DAR PRA UM FOI DIFICIL... MAS DEPOIS... PARTE 3

Um conto erótico de vanessinha-pst
Categoria: Grupal
Data: 24/01/2015 09:03:26
Última revisão: 26/02/2016 23:26:12
Nota 10.00

Resolvi aproveitar a época de férias e pedi pra minha mãe me deixar visitar meu tio Marcos que morava na fronteira. Ela deixou desde que meu irmão fosse junto. Logico que aceitei porque além de meu tio ser um cara muito legal poderia comprar um monte de produtos importados pra mim.

Meu tio morava sozinho em um prédio de 4 andares em um belo apartamento. Ele havia se separado de sua ultima esposa já fazia 2 anos e estava só curtindo a vida! Ele tinha 45 anos e era um coroa muito charmoso de cabelos grisalhos. O que tio Marcos tinha também era muita safadeza, pois me lembrava perfeitamente da ultima vez que tinha ido visitá-lo teve alguns acontecimentos que marcaram bastante.

Depois que fiquei bem espertinha em matéria de sacanagens é que algumas coisas que não me chamaram a atenção quando aconteceram agora eu sabia que tinham sido bem diferentes.

Tanto eu quanto meu irmão sempre fomos adolescentes bem “dados” e gostávamos de ficar no colo do meu tio Marcos e agora me lembrava que sempre tinha alguma coisa quente e dura cutucando meu bumbum e logicamente do meu querido irmão também.

Mas teve um lance que aconteceu que relembrando tive certeza que tinha rolado sacanagem.

Em uma das vezes que tínhamos ido visitar o tio Marcos junto com minha mãe quando fomos dormir eu e meu irmão fomos colocados em um dos quarto do AP, minha mãe ficou no outro e meu tio na suíte dele. De madrugada acordei com sede e fui à cozinha tomar água e quando passei em frente do quarto onde minha mãe dormia dei uma olhada e notei que estava vazio e toda intrigada fui até até a suíte do meu tio e encontrei a porta fechada, mas dava pra escutar gemidos e barulhos la dentro.

Logicamente toda curiosa fiquei escutando. Quando os barulhos cessaram voltei pra meu quarto.

No outro dia quando fiquei sozinha com minha mãe perguntei o que ela tava fazendo no quarto do tio. Ela deu um sorriso meio sem graça e disse que sentira muitas cólicas e pediu pro tio Marcos fazer umas massagens nela, mas que não era pra comentar isso com ninguém.

No fundo aquela justificativa não havia me convencido muito, mas deixei pra la.

O que realmente aconteceu de importante com meu tio e que deixara marcas em minha mente foi da ultima vez que fomos visitá-lo. Ao acordar de manhã notei que minha mãe já tinha saído com meu irmão e achei que tava sozinha no AP. Depois de tomar um suco olhei no fundo do corredor e notei a porta da suíte do meu tio entreaberta e fui até la. Ele estava deitado na cama com um lençol cobrindo de sua cintura pra baixo. Eu estava com uma camisolinha curtinha e uma calcinha bem larguinha que usava pra dormir e então me sentei na beira da cama e ele então acordou e a me ver ali sorriu e disse:

-opa...o que aconteceu minha sobrinha linda...o que ta fazendo aqui sentadinha na cama do tio?

Dei um sorriso e bem alegre disse:

-bem...acordei...não tem ninguém em casa...acho que a mãe e o Cássio saíram...vim aqui no teu quarto ver se o Sr. também tinha saído...ainda bem...não gosto de ficar sozinha!

Ele sorrindo disse:

-humm...então tá bom...pode deixar que farei companhia pra minha sobrinha linda! Tua mãe deve voltar na hora do almoço...falou que ia visitar uma amiga...deve ter levado teu irmão junto!

Foi então que me deu uma vontade de ficar ali na cama com meu tio e disse:

-tio...deixa eu deitar junto com você na cama...um pouquinho...ja que não tem nada pra fazer!

Ele então deu um sorriso bem safado e disse:

-epa...acho melhor não...eu durmo pelado...vai querer entrar debaixo do lençol com o tio?

O instinto de safadeza com certeza me fez dizer o que falei:

-ahhh tio deixa...o que tem demais...ninguém ta vendo...eu prometo que num conto pra ninguém! Hehe!

Lembro-me perfeitamente que ele levantou o lençol e disse pra deitar de conchinha com ele e rapidinho me aninhei em seu corpo quente.

Tio Marcos me abraçou e seu corpo colou por trás do meu e em segundos senti um negocio duro e quente se enfiando entre minhas coxas e instintivamente até entreabri as pernas pra facilitar. Senti seu hálito quente em minha nuca e lembro que me arrepiei por inteira. Quando senti o calor daquilo duro colado na minha xaninha virgem até dei uma gemidinha e tio Marcos deu um beijo na minha nuca dizendo:

-humm...que delicia ficar assim de conchinha com minha sobrinha linda...teu corpo é tão quentinho!

Mesmo sem saber direito o que estava acontecendo ali naquela cama meu corpo dizia que tudo era uma delicia e toda dengosa disse:

-nossa...tio...é uma delicia ficar assim...que...gostoso...to toda arrepiadinha...hummm!

Ele todo safado deslizava as mãos pelo meu corpo dizendo que estava fazendo uma massagem pra ficar mais gostoso a campainha tocou e tio Marcos deu um sorriso e beijando meu pescoço disse:

-levanta minha sobrinha linda...algum chato resolveu atrapalhar nossa brincadeirinha gostosa...vai pro seu quarto...chega...por hoje!

O Tio era o sindico do prédio e como acontecera um problema na garagem teve que resolver.

Todos esses acontecimentos vinham em minha mente durante a viagem de ônibus até a cidade do meu tio. Tive certeza absoluta que agora já bem putinha eu iria aproveitar pra terminar a brincadeirinha safada que tinha sido interrompida da ultima vez.

Eu ia chegar chegando...quem sabe meu tio tirava o cabacinho da minha bucetinha tesuda.

Assim que descemos do ônibus na rodoviária pegamos um táxi e logo estávamos no AP do meu tio.

Ele abriu a porta e nos abraçou todo contente e então deu uma boa olhada em nos e sorrindo disse:

-nossa...será que vcs andaram comendo fermento é? Vcs cresceram demais em apenas 5 meses!

Ficamos ali abraçados com nosso tio e então meu irmão disse que estava todo suado e queria tomar banho primeiro. Ele foi guardar as mochilas nos quartos e em seguida entrou no banheiro.

Em seguida toda cheia de frescura puxei meu tio pro sofá e me sentei em seu colo dizendo que estava com muitas saudades e ia enche-lo de beijos. Eu estava de short jeans curto e blusinha e fiz o que havia falado e então ele já foi me agarrando e todo safado me beijou o pescoço e a nuca e deslizou as mãos pelas minhas coxas dizendo:

-Cris...agora que seu irmão foi pro banheiro posso dizer o que tenho vontade! Garota...vc ta linda e muito mais mulher do que da ultima vez que te vi! Será que minha sobrinha favorita...ja começou a transar? Se isso aconteceu quero saber tudo...em detalhes!

Dei um sorriso safado e então chegando minha boca perto do seu ouvido toda putinha sussurrei:

-tio...só sou virgem ainda na bucetinha...to adorando fazer de tudo...depois que ficarmos sozinhos...vou te contar tudo...sei que posso confiar!

Foi incrível sentir em minha bunda o pintão duro do meu tio cutucando meu bumbum e o safado deslizou a mão entre minhas coxas e apertou minha bucetinha por cima do short dizendo:

-então minha sobrinha linda já ta virando putinha é? Bem...sendo filha de quem é...eu tinha certeza que isso não ia demorar muito...linda e cheia de tesão nessa bucetinha...to adorando saber disso!

Toda safada dei uma levantada do colo dele e colocando a mão bem em cima do seu pintão duro dei umas apalpadas gostosas nele e sussurrei:

-tio...você também é um taradão...ja ta de pau duro só de eu sentar no teu colo é? Acho que meu tiozão tá querendo brincar comigo né? Na viagem pra ca...lembrei-me da ultima vez que vim aqui...quando me deitei em sua cama e vc falou que tava peladão...adorei sentir seu pintão no meio das minhas coxas...encostadinho na minha bucetinha virgem...quero continuar...aquilo...ahh...se quero!

Todo tarado ele continuou apertando minha bucetinha por cima do short dizendo:

-eu adoro putinhas bem safadas...e pelo jeito você ta se tornando uma bem vadia...vamos brincar de verdade depois...vou dar um jeito de mandar seu irmão dar um passeio...quero testar esse seu tesão!

-tio...é o que mais quero...pode ter certeza...que vou adorar! Acho que isso já deveria ter acontecido antes...eu era ingênua demais...só minha mãe é que aproveitava quando vinha aqui!

Tio Marcos deu uma gargalhada e disse:

-to vendo que minha sobrinha já ta sabendo de muita coisa...como você soube...tua mãe te contou?

-tio...claro que não...ela tenta dar uma de santa pra cima de mim...mas eu sei que minha mãe é muito puta...ja vi a safada dando pra um negão pauzudo na sala de casa...e também acho que toda vez que ela veio te visitar você também comia a safada! Hehe! Nem adianta querer me enrolar!

Meu irmão saiu do banho enrolado numa toalha e foi pro quarto se vestir e tio Marcos sorrindo disse:

-Tá bom...depois a gente fala sobre isso! Mas...Cris...fala uma coisa...teu irmãozinho tá cada dia mais delicado né...até a voz deu uma mudada...e do jeito que ele anda rebolando...pelo jeito ele vai virar sua “irmãzinha”! Será que ele já não ta pegando suas calcinhas emprestadas?

-tio...como você é maldoso!! La em casa ele tenta disfarçar por causa do pai...mas...no ônibus que viemos tinha um rapaz bonitão...cheio de músculos...ele não parava de olhar pra ele! Com certeza chegou com o cuzinho piscando! Tio...eu não to nem ai se ele é viadinho...mas que eu gostaria de pegar ele sendo comido por outro garoto...eu queria...só pra ele ficar na minha mão! O viadinho é cheio de me dedurar tanto pra minha mãe quanto pro meu pai adotivo, quando fico de frescura com os rapazes!

-Cris...sem querer você me deu a idéia de como ficarmos livres do seu irmãozinho o resto da tarde...tem um amigo meu Juvenal que mora a 3 quarteirões daqui...o cara é taradão por bunda de garotos jovens...ele sempre come um viadinho loiro de 18 anos que mora aqui no prédio! Ele me ligou agora a pouco pra pedir um CD pra formatar o computador dele. Acho que vou mandar meu sobrinho levar pra ele...deixa comigo!

-tio...faz isso então! Vou tomar um banho e ficar prontinha pra ser testada pelo meu tio taradão!

Sai para o banho e meu tio já pegou e telefone com certeza ligando pro amigo!

Era incrível perceber que em apenas 20 minutos que durou o banho do meu irmão eu e tio Marcos tínhamos planejado tanta safadeza.

Fui tomar banho e encontrei meu irmãozinho saindo do quarto com um short de malha justo que realçava sua bunda grande e uma camiseta bem folgada. Fiquei prestando atenção enquanto ele caminhava pelo corredor indo pra sala que realmente o safadinho rebolava como mulher!

Entrei no banheiro, tomei um banho rápido e sai enrolada na toalha e encontrei meu tio na poltrona em frente ao computador completamente nu e todo safado ele sorriu dizendo:

-tira essa toalha sua safada...toda putinha tem que ficar nua no meu AP...quero te admirar nuazinha...vem sua safada!

Deixei a toalha pelo caminho e toda tesuda cheguei ao seu lado e disse:

-Me deixa sentar no teu colo...assim peladinha...só pra sentir seu pintão cutucar meu bumbum...deixa!

Tio Marcos me puxou pelo braço e sentei em seu colo como tinha feito muitas e muitas vezes antes com roupa, mas dessa vez estávamos nus. Quando meu corpo se encaixou perfeitamente ao seu sussurrei toda safada dizendo:

-ahh...que delicia tio...nossa...na viagem fiquei imaginando como seria fazer isso...peladinha no colo do meu tio taradão...ahhh...tio...me pega...bem gostoso...me faz sua putinha...me come...me fode!

Meu tio alisava meu corpo, beijava meu pescoço, minha nuca e sentia seu pintão grosso me provocando arrepios deslizando no meu reguinho e na minha bucetinha virgem. Eu me contorcia por inteiro em cima dele. Ele então todo tarado disse:

-desce do meu colo vadia...te quero de joelhos no meio das minhas pernas...chupando a rola do teu macho...vou te tratar como trato todas as putas...você ta precisando ser testada de verdade...chupa puta!

O tom de sua voz mostrava que era pra fazer do jeito que ele mandava e toda tesuda me ajoelhei e enfiei aquele pintão grosso na boca engolindo o máximo que conseguia. Ele me segurou pelos cabelos e taradão começou a foder minha boca como se tivesse fodendo meu cuzinho. Aquela pica ia fundo na garganta me fazendo engasgar e ele dizia:

-engole sua vagabunda...quer ser puta tem que engolir até o talo a rola do teu macho...chupa sua vadia!

Meu tio de vez em quando tirava o pau da minha boca e batia com ele na minha cara dizendo:

-sua puta chupadora de pau...gosta né vagabunda...ja deve ter chupado muitos paus por ai né vagabunda...vai apanhar de pau na cara...vadia...vai aprender a ser puta de verdade! Safada!

Toda tesuda me entreguei sussurrando:

-ahh...tio que delicia...to adorando...ser tratada assim...bate com esse pintão na minha cara...pode bater!

O safado sabia como lidar com putinhas ninfomaníacas e logo levei 2 tapas na cara.

Gozei na hora gemendo alto, meu lado masoquista se manifestava forte.

Tio Marcos então me colocou de 4 na poltrona e sem frescura encaixou o pintão na portinha do meu cuzinho e fincou forte. Entrou tudo até o talo e dei um gritinho todo tesudo. Ele me segurou pelos cabelos e em segundos fodia com força meu cuzinho. Com uma mão ele me segurava firme pelos cabelos e com a outra estapeava forte meu bumbum e todo macho dizia:

-rebola sua puta...dá esse cu...bem gostoso pro teu macho...gosto de cuzinho que rebola bastante...vou arregaçar esse cuzinho guloso... assim...rebola vadia...ahhh...dá gostoso sua puta...vagabunda...cadela!

-ahhh...tio...soca tudo...com força...fode o cu da putinha...ahhh...que delicia...assim...bate...enche meu bumbum de tapas...adoro apanhar de macho...sua sobrinha é muito putinha...pode bater...ahhh! Vou... vou...gozar...ahh...to...gozando...ahhh...fode meu cu...seu tarado...gostoso...ahhh!

Tio Marcos então se sentou na poltrona e todo tarado disse:

-vem vadia...senta na minha rola...de frente...quero comer esse cu...com você cavalgando...vou te fazer gozar bem gostoso...eu sei o que a putinha gosta...vem vagabunda...espeta esse cu na minha rola!

Em segundos meu cuzinho engolia o pintão do tio Marcos e passei a rebolar e cavalgar de frente no seu colo. Meu grelo esfregava forte no seu púbis e ele todo tarado apertava os bicos dos meus seios com força me provocando prazer com dor...o safado enfiava dois dedos na minha boca e sussurrava:

-isso vagabunda...rebola esse cu...sua puta...imagina que meus dedos na sua boca é outra pica...chupa meus dedos vagabunda...ahhh... isso...assim...que cuzinho guloso...goza vadia...goza na minha rola!

Tomada pelo tesão passei a gemer alto quase gritando e então meu corpo tremeu por inteiro e comecei a ter um gozo copioso. Logo tudo ficou mais intenso quando senti a mão do tio estalando forte na minha cara. Gozei mijando de tanto prazer que senti. Meu corpo se convulsionava sem controle.

Meu tio sabia como controlar seu gozo e então o safado me colocou na poltrona sentada e levantando minhas pernas enfiou seu rosto na minha bucetinha virgem e começou a me lamber todinha.

Sua língua e seus lábios eram mágicos e me chupavam com uma volúpia incrível e tive um gozo atrás do outro. Quando achei que ele ia socar seu pintão na minha xaninha virgem o taradão ficou de pé diante do meu rosto e se masturbando gozou como um cavalo na minha cara. Ele esfregou toda aquela porra caudalosa e quente no meu rosto e enfiava os dedos melados na minha boca e toda tarada eu lambia e engolia tudo que passava pelos meus lábios sedentos.

Tio Marcos ali de pé diante de mim disse todo macho:

-vem vagabunda chupadora de rola...lambe o resto de porra que escorreu...quero minha pica limpinha...limpa teu macho...sua cadela viciada!

Toda submissa lambi seu saco, sua pica e as pernas escorridas. Que delicia era o gosto de sêmen de macho. Cada vez mais me sentia mais puta e estava adorando. Dava-me uma sensação louca me sentir usada, abusada, dominada e mais ainda apanhar na bunda e na cara.

Tio Marcos sabia como “punir” uma putinha tão tesuda como eu.

Um banho gelado e demorado depois daquela foda deliciosa se fazia necessário e juntos nos divertimos no banheiro conversando sobre nossas taras e sobre loucuras sexuais.

Foi então que me lembrei do meu irmãozinho e disse:

-nossa tio...e o meu irmão...o que será que aconteceu com ele na casa do teu amigo?

-pode ter certeza que tá tudo bem...senão Juvenal teria me ligado! Também to curioso pra saber...se ele aguentou a rola grossa do meu amigo! Ele tem uma pica muito grossa...aquilo vai acabar com todas as preguinhas que o Cássio tinha no cuzinho!

-é mesmo...tão grande assim? Nossa...queria poder assistir! Hehe!

-pode deixar sua taradinha...que com certeza se tudo correu bem como tenho quase certeza que sim...vamos poder assistir! O pervertido do meu amigo Juvenal...tem câmeras na casa inteira...o tarado adora filmar suas transas!

Fiquei toda curiosa mas, em seguida toda putinha dei uma dura no meu tio indagando porque ele não tirou o cabaço da minha buceta e ele então deu uma gargalhada e falou que não ia fazer isso comigo por uma razão bem simples.

Tio Marcos disse que um trauma desde a infância não podia ver sangue que chegava até a desmaiar.

Não acreditei muito naquela conversa mole mas, resolvi deixar quieto.

Achei engraçado já ter tido quatro machos fodendo minha boca, meu cu e nenhum FDP queria comer minha bucetinha tão gostosa e virgem.

Depois do banho nem colocamos roupas e fomos pra sala.

Tio Marcos se sentou no computador e toda curiosa fui dar uma olhada na estante da sala e vi vários filmes pornos em DVD.

O que me chamou a atenção que os filmes eram quase todos do gênero Gang-Bang e quando olhei as capas dos estojos gostei de ver neles as fotos de mulheres sozinhas com vários homens de pau duro ao redor delas e vê-las completamente melecadas de porra.

Resolvi perguntar ao tio Marcos porque tinha tantos filmes daquele gênero e sorrindo disse que havia conhecido uma “puta tarada” que adorava fazer sexo com vários homens juntos e resolveu comprar alguns pra assistir. Claro que fiquei super interessada também. Hehe!

Foi então que o telefone tocou e era o amigo taradão do tio dizendo que meu irmãozinho estava bem, tomando banho e que ia deixar o garoto descansar um pouco antes de mandá-lo de volta pro AP.

Toda safada pedi pro tio dar uma jeito de pegar uma copia das filmagens do que tinha acontecido e então ele disse pro amigo que ia até sua casa para “conversar”.

Fiquei ali no AP e aproveitei pra assistir um daqueles filmes de Gang-Bang e depois de apenas uns 15 minutos de filme minha bucetinha ficou toda molhada só de me imaginar no lugar da garota do filme com mais de 20 homens de pau duro na fila esperando a vez de foder a safada.

O tio não demorou pra voltar e tinha nas mãos um pendrive e com um sorriso bem safado disse:

-pelo jeito a coisa foi quente...o Juvenal me disse que seu irmãozinho é uma putinha...e que pelo jeito acho que vai dormir na casa dele essa noite! Vamos assistir que também to curioso!

Eu continuava nua e tio Marcos também tirou a bermuda ficando peladão, se sentou na poltrona do computador, espetou o pendrive e em poucos segundos às imagens do filme surgiram no monitor.

Toda safada sentei no colo do meu tio taradão pra assistir!

O amigo do tio era um morenão fortão de uns 30 anos e recebeu meu irmão só com um short de malha branco bem justo e dava pra ver que o safado tinha um volume enorme entre as pernas e com certeza já estava quase duro. O moreno chamou meu irmão pra entrar dizendo que ia pegar alguma coisa pra ele beber...que tava muito calor...aquela conversa mole pra fazer o garoto ficar a vontade. De cara dava pra notar que meu irmãozinho não tirava os olhos do pauzão duro do morenão dentro do short justo.

Na TV da sala rodava um filme pornô gay e o morenão fez meu irmão se sentar no sofá enquanto bebia um refrigerante. Logo ele pegou a mão do meu irmão o fez pegar na sua pica enorme. Não demorou quase nada pra ele tirar aquele monstro pra fora e menos ainda pra meu irmãozinho começar a mamar nele. O pau do amigo do tio era bem grosso e cabeçudo e logo os dois estavam nus. O morenão segurava a nuca do meu irmãozinho e metia fundo na sua boca o fazendo engasgar e todo safado já dedava o cuzinho dele. Em pouco tempo meu irmãozinho foi colocado de bruços em cima de uma almofada e o morenão se deitou em suas costas e quando meu irmão sentiu a grossura da picona entrando no seu cuzinho gritou e tentou sair debaixo dele mas era impossível. Além do amigo do tio ser fortão ele mostrou que gostava de fazer viadinho sofrer no pauzão dele. Meu irmãozinho gritou um monte e logo levou uns tapas pra ficar calmo. Eu até estava ficando com dó dele, mas foi incrível notar que em pouco tempo o safado rebolava como uma puta naquela pica grossa e cabeçuda.

O morenão socava fundo e com força e aplicava vários tapas na bundona grande do meu irmãozinho.

Meu irmão gemia tão alto levando pau no cu que até me dava inveja.

Mas meu tio já sabia que eu já tava louca de tesão assistindo meu irmãozinho sendo enrabado e em segundos seu pintão tava enterrado no meu cuzinho e ele todo safado sussurrou:

-sua putinha safada...ta doida pra dar esse cu de novo...rebola na minha pica...sua cadela viciada.

Eu rebolava deliciosamente naquela pica quente dura como aço do meu tio e então vi na tela o morenão tirar o pauzão do cu do meu irmão e socar na boca dele gozando como louco. Meu irmãozinho engoliu toda a porra do tarado. Gozei assistindo aquela cena e meu tio todo tarado dizia em meus ouvidos:

-isso...cadela de rua...vadia...goza...na minha rola...morde meu pau com esse cu tesudo...sua vadia!

Meu gozo foi copioso...nem parecia que tinha gozado que nem louca há uma hora e meia atrás.

Meu tio apesar de ter uma pica menor que o negão que tirou o cabaço do meu cu e do padrasto de Lucilene era muito quente e parecia me incendiar por dentro me fazendo gozar com uma intensidade incrível.

Meu tio então me fez levantar do seu pauzão gostoso dizendo que precisava sair pra resolver um assunto importante, mas que voltaria rápido.

Fui tomar mais um banho e depois disso preparei um lanche e voltei pra sala pra continuar assistir os filmes de Gang-Bang!

Quando o tio voltou me encontrou batendo uma siririca deliciosa assistindo completamente tesuda aqueles filmes de orgias deliciosas e todo safado já tirou a roupa enfiou a rola na minha boca dizendo:

-com certeza minha sobrinha puta quando perder o cabaço da buceta vai querer fazer igualzinho nesses filmes que ta assistindo né vadia!

Logo fiquei de 4 no sofá e o tio Marcos voltou a comer meu cuzinho tesudo do jeito que eu gostava, com força muitos tapas na bunda.

Gozei deliciosamente e fui dormir com a bundinha ardendo de tanto que apanhei.

O dia tinha sido maravilhoso e quase perfeito...só faltou mesmo uma pica grande e dura enterrada na minha bucetinha!

Com certeza o dia também tinha sido delicioso pro meu irmão viadinho porque o safado nem voltou pro AP do tio, quis ficar na casa do morenão dormindo espetado na pica grossa e cabeçuda.

No outro dia fui fazer compras do outro lado da fronteira e fiquei o dia inteiro fora e assim que cheguei minha mãe tinha ligado dizendo que era pra ir embora porque meu pai adotivo havia sofrido um acidente de carro. Apesar do acidente não ter sido muito grave teria que ficar 2 dias no hospital e queria a família toda ao seu lado. Apesar de contrariados tivemos que ir embora e durante a viagem bem safada resolvi enquadrar meu irmão e falei que tinha assistido a filmagem dele sendo enrabado pelo amigo pauzudo do tio. Ele ficou todo sem graça, quase chegou a chorar, até fiquei com um pouco de dó mas, frisei que daquele dia pra frente se ele me dedurasse de novo em casa eu daria um jeito de mostrar o filminho pornô no qual ele era o participante passivo.

Depois disso com certeza dali pra frente eu não precisaria me preocupar em esconder mais nada do meu irmãozinho viado.

Outra que estava precisando ser enquadrada era minha mãe pra parar de ficar querendo me controlar e isso aconteceu quando fui acompanhá-la ao hospital. Ela começou a criticar minhas roupas dizendo ser muito curtas que estava parecendo puta e foi então fiquei com raiva e disse que ela sim devia se preocupar com suas atitudes de puta e joguei na cara dela que tinha assistido sua transa selvagem com o Sr. Milton na sala de nossa casa e que se eu resolvesse abrir o bico meu pai adotivo não ia gostar de saber disso.

Na hora ela branqueou e ficou toda sem jeito e logo mudou o tom da conversa. Abri o jogo e falei pra ela que de jeito nenhum iria dedurá-la, mas queria que deixasse ficar pegando no meu pé de vez. Logicamente a safada concordou imediatamente.

Meu pai adotivo saiu do hospital e ficou mais 3 dias em casa convalescendo e tivemos que ficar bem calmos com as nossas safadezas.

Ficar durante 5 dias sem fazer nenhuma safadeza estava quase me deixando louca de tesão e quando meu pai adotivo foi trabalhar junto com minha mãe em questão de minutos eu implorei pra Rita a empregada sádica chupar e encher minha bucetinha virgem de tapinhas como ela sabia fazer deliciosamente. Meu grelinho teso saltitava de tesão dentro da boca da negrinha tarada.

O primeiro gozo depois de vários dias na seca me fez gritar tão alto que até assustei Rita.

Quando toda tarada pedi pra Rita chamar seu namoradinho pra comer meu cuzinho fiquei toda frustrada fiquei sabendo que ele tinha ido viajar e só voltaria no fim de semana.

No começo da noite fui visitar Lucilene e logicamente, seu padrasto. Eu estava louquinha pra levar pau grosso no cu e cheguei na hora que a safadeza tinha começado. Sua mãe já tinha saído pra trabalhar no hospital. Toquei o interfone e quando disse que era eu o portão foi aberto rapidinho e assim que entrei no quarto da minha amiga encontrei-a de 4 na beira da cama com o padrasto socando fundo na sua buceta tesuda. O safado logo veio pro meu lado e como sabia que gostava de ser fodida no cu sem frescura já me enrabou sem dó enchendo minha bunda de tapas. O safado sabia como comer meu cuzinho tesudo me fazendo rebolar como uma puta.

Ele encheu meu cuzinho de porra quente e saiu do quarto me deixando com Lucilene e logo estávamos nos pegando gostoso. Lucilene adorava beijar, lamber e se esfregar no meu corpo e a putinha gozava bastante me proporcionando muito prazer. Tudo cada vez me dava mais tesão.

Depois do banho vesti minha mini-saia de babados e uma blusinha curta com a barriga toda de fora e logicamente sem calcinha. Com certeza essa pequena peça tinha sido abolida do meu guarda roupa.

Me despedi de Lucilene dizendo que ia pra casa e sai dali andando calmamente quando na esquina encontrei Nuno um rapaz de 18 anos que morava ali no bairro. Ele disse que estava indo embora pra casa que ficava uns 4 quarteirões pra frente da minha e foi me acompanhando.

Senti-o um pouco alterado e rapidamente notei que estava fumando um baseado.

Nem me importei com o fato e fomos caminhando devagar trocando ideais sobre musicas.

Foi então que quando chegamos à outra esquina apareceu uma viatura policial e Nuno saiu correndo pulando o muro de um terreno cheio de mato e desapareceu. O cigarro de maconha pela metade ficou caído ali perto de mim. A viatura parou do meu lado e desceram dois policiais altos e bem fortes com suas fardas imponentes e fiquei um pouco intimidada.

Eles me enquadraram pedindo documentos e um deles já foi até onde o meu amigo tinha jogado o cigarro de maconha e veio pro meu lado já dando dura dizendo que eu era viciada.

Quando abri minha bolsinha pra pegar os documentos vi que dentro só tinha desodorante, pente, batom e chicletes e então me lembrei que tinha deixado a carteira com meus documentos em outra bolsa e com medo comecei a soluçar e tremer.

Um dos policiais era negro e o outro branco e já me deram uma dura dizendo que se chorasse era pior e queria saber o que estava fazendo ali com aquela roupa de prostituta e perguntando se eu fazia ponto nos postos de gasolina da beira da rodovia que ficavam a uns quarteirões dali.

Eu disse ser estudante e que tinha ido à casa da minha amiga Lucilene e o rapaz que estava andando comigo tinha aparecido do nada e que aquele cigarro não era meu.

O policial negro então abriu a porta traseira da viatura, pegou minha bolsa e revistou todos os compartimentos e em seguida disse que ia dar uma geral no meu corpo, me virou de costas e mandou-me colocar as mãos no teto da viatura. O outro policial ficou dando cobertura e disse que era pra revistar a putinha direito porque elas arrumavam lugares estranhos pra esconder a droga.

Em segundos ele deu uma geral na meia do tênis e foi subindo as mãos pelas minhas pernas e logo descobriu que eu estava sem calcinha e todo safado deslizou os dedos entre os lábios da minha bucetinha virgem e disse:

-a vadia é garota de programa mesmo...ta até sem calcinha a vagabunda...tava dando a buceta por ai...mais uma puta que ganha a vida dando o rabo!

Eu tentei negar toda chorosa e o policial me deu um tapa forte na bunda e disse:

-cala a boca puta...não acabei de revistar vc ainda...fica quieta e abre bem essas pernas sua vagabunda safada!

O tapa na bunda fez minha bucetinha ensopar na hora. O negro safado havia descoberto sem querer o botão de ligar meu tesão e logo em seguida ele deslizou a mão por todo meu corpo “revistando” tudo direitinho e logo tinha um dedão grosso socado no meu cuzinho e os dedos no meu grelo inchado.

Não resisti e dei uma gemida e já que o safado tava querendo algo mais toda putinha falei:

-humm...assim desse jeito vou querer ser revistada bem devagar...seus tarados safados!

O que me revistava me puxou de encontro ao seu corpo e encoxando por trás disse pro outro:

-e ai soldado...acho que essa vagabunda ta precisando ser revistada em algum lugar mais calmo...o que vc acha? Essa putinha além do bonita tem jeito de ser bem gostosa...vamos foder a vadia?

O policial branco sorrindo disse que estava totalmente de acordo e então me colocaram na viatura e o policial já entrou comigo no banco traseiro e já foi tirando sua pica enorme pra fora. O tarado já me puxou pelos cabelos colocando meu rosto entre suas coxas dizendo:

-chupa sua vagabunda...mama na rola do negão...chupa direitinho sua vadia...se deixar os dentes vai apanhar de verdade...ahhh...chupa minha pica negra sua branquela vadia!

Quando senti o cheiro daquela pica negra enorme meu corpo ficou todo eriçado e engoli aquele monstro com uma volúpia incrível. O safado segurava minha nuca e fodia minha boca sem dó. Eu estava adorando ser tratada daquela maneira e senti que meu cabaço ia embora naquela noite e nem pensei em dizer que ainda era virgem. Eu ia me transformar em uma puta de verdade como desejava.

O policial branco colocava a mão pra trás e alisava minha bunda e minha bucetinha.

Não demorou muito e entramos em uma estradinha de terra e paramos em baixo de uma arvore grande. As luzes da viatura foram todas apagadas e só a luz interna ficou acessa por que uma das portas traseiras foi aberta. Os dois abaixaram suas calças e saíram pra fora e ficaram um ao lado do outro encostados na viatura e eu ajoelhadinha e completamente nua entre eles chupando aquelas picas duras como aço. Os dois eram bem tarados e a todo instante batiam na minha cara com suas picas enormes.

O policial branco sentou no banco da viatura e me fez continuar mamando na sua rola grossa e cabeçuda. Tanto o pau do policial negão quanto do branco eram bem grandes e grossas e logo senti que o negão já deslizava sua rola toda babada entre os lábios da minha bucetinha virgem ensopada e tomada pelo desejo virei meu rosto pra trás e sussurrei:

-me come...seu negro safado...soca essa rola preta na minha bucetinha branca...me fode...gosto de macho que me fode gostoso...soca...tudo seu FDP! Gosta de abusar das putinhas da rua né...tarado!

Em segundos senti a cabeçona daquela pica ser encaixada na entradinha da minha bucetinha virgem e em seguida o policial negão fincou com firmeza pra dentro de mim. Dei um grito quando senti meu cabaço se romper mas quase nem doeu de tanto tesão que sentia. Que delicia sentir um mastro quente na minha bucetinha que deixava de ser virgem e toda tarada comecei a rebolar e sussurrar:

-ahhhh...que pauzão gostoso na minha bucetinha...soca...seu FDP...me fode...ahhh...que deliciaaaa!

O negão metia aquela rola preta com vontade e já me dava uns tapas fortes na bunda dizendo:

-rebola vagabunda...rebola na pica grossa do negão...empina esse rabo que gosto de socar fundo na buceta de puta...ahhh...isso vadia...ta ensopada sua cadela viciada...gosta de pica né puta...vou te dar...vou deixar essa buceta arrombada!

Com certeza saiu sangue do meu cabaço estourado mas como estava escuro do lado de fora do carro não dava pra notar e toda tarada sussurrei:

-mete...arregaça minha buceta...seu negro FDP...gosta de bater na bunda das putinhas brancas...quero gozar nessa rola preta...soca...soca...bem gostoso...me fode...fode minha buceta...ahhh! Vou gozar... vou gozar...ahhh...que delicia...enche minha buceta de porra seu tarado! Ahhh!

O policial negão deu um urro e ejaculou como um cavalo dentro da minha bucetinha toda arrombada. O calor daquela porra fervente nas paredes da minha buceta me deixavam completamente tesuda me fazendo ter um orgasmo intenso e copioso.

O policial branco socava na minha boca e então ele pegou um pano de dentro do carro e me mandou enxugar que agora era a vez dele me comer.

Na hora resolvi que ia fazer ficar mais gostoso ainda e depois de me enxugar me debrucei no banco do carro com a bunda pra fora e sussurrei tesuda:

-fode...meu cuzinho...por favor...eu adoro gozar pelo cu...fode meu rabo...agora...mete no meu cu!

O policial branco também era decidido e em segundos encaixou o pau no meu cuzinho e cravou tudo de uma vez. Dei um gemido bem alto e toda putinha disse:

-ahhh...isso...assim...fode o cuzinho da putinha...mete com força...arregaça meu cuzinho...bate na minha bunda...adoro apanhar de macho quando dou o cu...ahhh...mete tudo...soca esse pauzão...seu tarado safado...fode...com força...ahhh!

Ele socava como um garanhão e batia sem dó na minha bunda...eu mijava de tesão e gozava sem controle...gemendo e rebolando como uma louca e nem demorou pro safado encher meu cu de porra. Senti-me lavada por dentro...era a segunda comida de cu em menos de uma hora e gozei mais gostoso.

O policial negão já tava de pau duro novamente e já socava na minha boca e com certeza ia querer comer meu cuzinho também e eu estava louca pra dar pra ele também quando o radio da viatura chamou dizendo que estavam precisando de apoio em uma ocorrência.

Rapidamente eles vestiram as calças e me colocaram no banco de trás e saíram em disparada e quando chegaram a uma avenida não muito longe de casa, me deixaram ali em uma esquina e sumiram.

Meu corpo parecia que estava mais leve sem a presença de um cabacinho que já estava me irritando.

Tive que entrar escondidinha em casa porque estava toda suja, as pernas escorridas de sangue e com a bunda cheia de hematomas.

Tomei um banho gelado e logo em seguida fui dormir completamente feliz com o que havia acontecido.

Quando acordei de manhã fiquei deitada na cama e me olhando pelo espelho enorme do guarda roupas nuazinha me achei muito gostosa principalmente quando virei de bunda pra cima e ela se mostrou toda cheia de manchas roxas. Senti-me uma puta deliciosa que tinha nascido pra dar prazer aos machos e também às fêmeas safadas. Ter perdido o cabaço da buceta me fez ter uma sensação de poder que ainda não havia sentido. Toda cheia de tesão por mim mesmo enfiei os dedos na minha rachinha que tinha deixado de ser virgem e bati uma siririca deliciosa e gozei copiosamente me contorcendo como uma cobra em cima daquela cama.

Quando ainda me contorcia de bruços a porta do meu quarto se abriu e Rita entrou e quando notou meu bumbum todo marcado rapidamente contei o que tinha sido estuprada por 2 PMs e quando ela toda preocupada quis saber se estava machucada, precisando de alguma coisa, dei um sorrisinho bem safado e disse:

-Rita...claro que to precisando...to precisando de sua boca e de seus carinhos sádicos na minha bucetinha descabaçada...adorei perder o cabaço do jeito que aconteceu...muito louco...ja acordei toda tesuda...agora cala essa boca...para de falar e me chupa todinha! Quero apanhar na bucetinha!

A negrinha pegou fogo junto comigo e durante uma hora o sexo selvagem correu solto ali no meu quarto. Nem sei quantas vezes gozei. Acho que saber que nada mais me impedia de ter um monte de machos entre minhas coxas me deixava completamente taradíssima.

Naquele dia mesmo toda cheia de manchas roxas pelo corpo após o almoço fui para o shopping.

Minha roupa era extremamente sensual e provocante. Vestidinho curto colado ao corpo sem nada por baixo. Nos pés uma sandália de salto pra empinar ainda mais o rabo.

Eu me sentia completamente diferente...na verdade muito mais vadia.

Desejava me mostrar pra que todos soubessem que me tornara uma putinha completa.

Liguei pra meu tio Marcos pra contar que já não era mais cabaço e ele todo safado disse que assim que eu fosse de novo a seu AP era pra avisar com antecedência que ele ia preparar umas festinhas bem quentes. Ia botar minha bucetinha na roda de um monte de machos. Toda safada brinquei dizendo que queria experimentar loucuras tipo as dos filmes de Gang-Bang.

Fiquei a tarde inteira no shopping e depois de ter assistido um filme e fazer um lanche antes de voltar pra minha casa fui visitar minha amiga Lucilene pra contar a novidade e com certeza deixar o padrasto dela foder minha bucetinha arrombada. Quando cheguei logo fiquei sabendo que era folga de sua mãe no hospital e como não ia rolar nenhuma safadeza naquele dia nem comentei nada sobre meu cabaço.

Fui embora pra casa e no caminho não tinha como não lembrar da noite anterior quando a viatura me abordou e até senti um calafrio delicioso de tesão na bucetinha desejando que aquilo acontecesse novamente, mas “infelizmente” nada de diferente aconteceu até chegar a minha casa.

No outro dia tive dentista de manhã e como fiquei com a boca muito sensível não sai de casa o resto do dia só assistindo filmes.

Porem logo apos o jantar o tesão se manifestou e toda taradinha sai pra visitar minha amiga Lucilene.

Assim que cheguei lá encontrei a safada em seu quarto nuazinha já esperando o padrasto e quando contei que não era mais virgem Lucilene já me agarrou tirou meu vestidinho dizendo que queria sentir o gosto da minha bucetinha desvirginada e começou a me lamber todinha.

A safada me fez gozar rapidinho em um 69 delicioso comigo por cima quando senti outra boca me lambendo. Que delicia sentir a boca da Lucilene no meu grelinho teso e a língua áspera do padrasto safado no meu cuzinho. Quanto percebi que ele se levantou atrás de mim pra meter seu pauzão grosso no meu rabo toda safada olhei pra trás e disse:

-come minha bucetinha...eu não sou mais virgem...pode socar gostoso...esse pintão...seu tarado! Fode minha buceta...to louca pra dar!

Rapidinho aquela pica entrava e saia com força da minha bucetinha...era o segundo pau a entrar nela...ele todo tarado já espancava meu bumbum como eu adorava e gozei loucamente.

Senti que o safado gostava mesmo era de comer meu cuzinho porque logo estava socando fundo dentro dele. Levei uma surra deliciosa de pau na bucetinha e no cuzinho e gozei muito.

Meu cuzinho foi inundado de porra quente e fiquei deitadinha de bruços absorvendo aquele liquido enquanto o padrasto socava na bucetinha da enteada vadia ao meu lado.

Só passei uma água rápida no corpo e sai pra ir embora.

No corpo só o vestidinho curtíssimo com uma sandália de salto pra deixar minha bunda bem empinada.

O ventinho fresco da noite entrava entre minhas coxas fazendo arrepiar minha bucetinha tesuda.

Caminhando comecei a pensar no que estava acontecendo e percebi que apesar de ter adorado um pau grosso na bucetinha no fundo achei que senti mais prazer sendo enrabada de 4 pelos machos. Talvez isso fosse da minha parte sadomasoquista que se manifestava forte. De 4 com um pau atolado no cu e sendo espancada na bunda me fazia sentir um prazer muito louco em ser dominada e abusada.

Meu vestidinho conforme andava subia pelas minhas coxas grossas e senti que as popinhas da minha bunda já se mostravam e me senti tão putinha que nem me preocupei em abaixá-lo e continuei seguindo pela rua rebolando. Um carro passou ao meu lado com 3 rapazes dentro e gritaram alto me chamando de putinha gostosa. Se tivessem parado o carro “talvez” entrasse nele e daria pra todos.

Foi ai que me deu um estalo e lembrei do policial negro que tirou meu cabaço dizendo sobre estar me prostituindo nos postos de gasolina que havia ali perto e resolvi ir até la só pra dar uma conferida.

Assim que entrei no pátio do posto vi que estava repleto de caminhões e fui caminhando entre eles e foi então que ao passar entre duas carretas escutei uma voz forte dizendo:

-e ai putinha loira...vem aqui conversar...deixa a gente ver de perto esse teu corpão gostoso!

Eram 4 homens todos de bermuda e camiseta e estavam em volta de um TV que ia transmitir um jogo de futebol. Senti-me realmente uma putinha e fui rebolando até eles e o que havia me chamado um caminhoneiro branco alto com cara de tarado disse:

-opa...gostei da putinha de perto...é bonita de rosto...e pelo jeito tem corpão também...quanto tu cobra pra foder com a gente?

Ser tratada como uma puta vadia me deixou completamente cheia de tesão e senti minha bucetinha ensopar de vez e sem nenhum pudor disse:

-hoje to tão cheia de tesão...que dou de graça...mas tem que me comer bem gostoso...quero gozar...muito!

O caminhoneiro que conversou comigo já me puxou pela mão me fazendo subir na boleia do caminhão disse sorrindo pros outros:

-bom...como fui eu que chamei a putinha...vou ser o primeiro da fila...resolvam ai quem vem depois!

A boleia daquele caminhão era bem confortável e rapidinho fiquei pelada e logo o motorista também e me fez chupar seu pau que era de bom tamanho. Ficou duro em segundos e então me fez sentar de frente no seu colo e todo tarado disse:

-da essa buceta gostosa pra mim...sua puta safada...cavalga na rola do macho...rebola...que gosto de vadia que mexe muito...ahhh...que buceta gostosa tem a puta...ahhh...isso...assim...ahhh!

Toda tarada com aquela situação meu corpo pegava fogo e cavalguei como uma puta mais que profissional e não demorou pra que aquele motorista começa a fungar forte e então me tirou do colo e sussurrou tesudo:

-chupa minha rola...gosto de gozar na boca...quero encher a boca da putinha de porra...ahh...ahhhh!

O safado ejaculava forte e eu engolia tudo com muito prazer. Não deixei uma gotinha escorrer e logo em seguida ele desceu da boleia dizendo:

-pronto...ja me alivei com a puta...pode subir o próximo...nem vai precisar limpar a buceta da vadia ...gozei na boca da vagabunda!

O segundo era um moreno baixinho e um pouco barrigudo e não conseguiu nem meter em mim. Nem bem comecei a chupar seu pau gozou gemendo alto. Mais porra quentinha que engoli deliciosamente.

O terceiro também só quis que fizesse sexo oral e rapidinho fiz o safado encher a minha boca sedenta!

Quando comecei a achar que ninguém ia me comer de verdade o ultimo subiu na boleia e quando ficou pelado e me fez pegar na sua pica, minha bucetinha e meu cuzinho até tremeram. Ele era um mulato quase negro e tinha uma pica enorme e mais grossa que a do Sr. Milton que tinha tirado o cabaço do meu cuzinho e todo tarado já foi me puxando pelos cabelos e todo macho disse:

-a putinha falou que queria que te comessem bem gostoso...que tava cheia de tesão...quero ver se a vagabunda também sabe dar gostoso...vou-te foder até você cansar sua puta...chupa minha jeba...vadia!

Esse sabia como tratar uma puta como eu e cai de boca naquela pica grossa como um salame dizendo:

-fode minha boca...com essa rola enorme seu tarado...fode minha garganta...adoro sexo selvagem!

O safado me segurava pela nuca e fodia minha boca sem dó me fazendo engasgar e todo tarado já dava uns tapas leves na minha bunda empinada sussurrando:

-vou te deixar arrombada sua puta...adoro foder puta branca tarada...vou te comer todinha...vou foder todos seus buracos...sua vadia...safada!

Levantei meu rosto e olhando pra ele ajoelhada entre suas coxas sussurrei tomada pelo tesão:

-então faça...me fode...quero esse pauzão na minha buceta...no meu cu...e quero gozar apanhando na bunda...me come logo seu negro FDP... quero essa rola preta dentro de mim...fode a putinha branca!

Ele me colocou de 4 e sem frescura fincou aquele pauzão enorme na minha bucetinha até o talo. Gemi deliciosamente e logo passei a rebolar toda tesuda e o safado atendeu aos meus desejos masoquistas e logo senti sua mão pesada espancando de verdade meu bumbum empinado. Gozei tanto que chegava a escorrer. O negão fodia minha buceta como um garanhão. Sua pica grossa laceava as paredes da minha bucetinha que se abria toda pra receber aquele macho tarado. Era um gozo atrás do outro e então o safado sem avisar tirou o pau da minha bucetinha e encaixou no meu cuzinho e cravou tudo de uma vez. Gritei...mais de safadeza do que de dor. Meu cuzinho ainda tinha porra do padrasto de Lucilene e logo aquela rola enorme entrava e saia do meu cuzinho com força me fazendo rebolar como uma louca espetada nele e completamente tarada sussurrei:

-ahhh...que pau grosso...adoro dar o cu...pra pauzão...soca tudo seu negro FDP...mete na putinha branca...ahh...goza no meu cu...enche meu cu de porra...ahh...fode...fode...com força...goza comigo seu cavalo...ahh...to...to...gozando...ahhh!

O negão fincou fundo me segurando firme pelos quadris e começou a ejacular porra quente e caudalosa no fundo do meu cuzinho. Gozei...gozei...gozei...meu corpo tremulava sem controle.

Devagar fui me acalmando e o tarado continuava completamente atolado no meu cuzinho.

Depois de alguns minutos aquele pauzão foi encolhendo e escapou deliciosamente de dentro de mim e então o negão me deu um tapa forte na bunda e disse:

-garota...tu é mesmo uma puta de verdade...nunca comi um cu tão gostoso...quando passar por aqui vou querer te fuder de novo...gozei gostoso demais!

Adorei ouvir aqueles elogios daquele macho que também havia me dado tanto prazer e disse que de vez em quando passaria de novo por ali e se o destino quisesse ele ira foder me foder mais uma vez.

Tinha uma toalha pequena por ali e dei uma enxugada na minha buceta e no meu cuzinho e desci do caminhão toda satisfeita e sorrindo me despedi dos 4 safados indo embora pra minha casa.

No caminho senti que do meu cuzinho começou escorrer um filete de porra do negão e aquilo começou a me dar um tesão tão louco que enfiei os dedos na minha bucetinha e fiquei brincando com meu grelo inchado e gozei andando. Nem dava pra acreditar no que eu estava fazendo...mas fiz!

Ainda bem que as ruas naquele bairro eram calmas e quase desertas. Rss.

Foi o meu primeiro “Gang-Bang”, claro que não chegava nem perto dos filmes que havia assistido...mas eu havia começado...e com certeza não iria parar naquele.

Quando cheguei em casa tomei um banho demorado e nem comi nada antes de dormir, meu estomago estava cheio de porra e por esse motivo nem senti fome!

Aquela primeira experiência no posto de gasolina serviu pra que eu tivesse descoberto um novo playground sexual para minhas safadezas.

Praticamente quase todo dia eu colocava um vestidinho curto sem calcinha com uma sandália e ia para aquele pátio onde ficavam estacionados os caminhões e transava com no mínimo 3 machos por noite, mas já tinha feito com até 6 homens. Bastava me pedir pra que fizesse pelo menos uma gulosa. Ter minha boquinha sedenta inundada de porra quente que engolia como se fosse o néctar dos deuses me dava um prazer quase indescritível. De vez em quando algum macho pauzudo e bem sádico me pegava do jeito que eu gostava e esse tipo de macho me fazia ter orgasmos quase infinitos.

Pra começar o dia de uma forma perfeita tinha Rita a empregadinha negra que sempre me acordava lambendo minha bucetinha que toda noite ia dormir inchada de tanto pica que levava.

Foi incrível depois de um mês encontrar novamente no posto aquele macho negro do meu primeiro “Gang-Bang” e poder repetir com o tarado uma nova sessão de sexo selvagem. O safado quando me viu já ficou todo cheio de tesão e em vez de me colocar na boleia do caminhão me levou pra um quarto de motel barato que havia ali perto. Disse que me queria foder na cama e o tarado me comeu todinha durante mais de 2 horas com aquele pauzão negro enorme que fazia ter orgasmos intensos.

O mais gostoso mesmo era ter um pauzão como aquele enterrado até o talo na minha bundinha.

O negão ficava louco de tesão em ter em suas mãos e principalmente na sua pica enorme uma putinha loira que adorava apanhar de macho. Quando tomada de tesão sentada de frente naquela rola enorme e cavalgando com uma louca pedi pra levar uns tapas na cara coisa que ele ainda não tinha feito gozei deliciosamente. Ele me estapeou forte e urrou com um leão dentro daquele quarto e lavou minha bucetinha de porra fervente por dentro.

Tomei um banho de água fria pra tirar um pouco do vermelho dos tapas no rosto e também da bunda. Quando sai toda satisfeita daquele lugar pra ir pra minha casa ao atravessar a rodovia logo na entrada do posto tinha uma perua kombi com 2 homens mal encarados dentro dela e um deles disse:

-e ai putinha gostosa...que tal pagar uma gulosa pra gente...tem muita porra acumulada no meu saco!

Apesar de ter gozado um monte naquele quarto com o negão pauzudo ser chamada de putinha gostosa e pedirem pra chupar uma pica eu não recusaria de jeito nenhum e toda safada fui em direção a eles e em segundos estava ajoelhada entre as pernas deles mamando na rola daqueles safados. Os dois gozaram um monte na minha boquinha sedenta e só depois disso fui pra minha cama naquela noite.

Depois que perdi o cabaço da buceta no primeiro mês já tinha feito sexo com uns 30 homens e tinha engolido porra de quase todos eles.

Ter o pau de um macho gozando na minha boca sentindo ele se contorcendo sem controle me fazia ter uma sensação de poder incrível.

Ficar ajoelhada entre as pernas deles como uma puta bem submissa que tinha nascido pra dar prazer a eles me deixava completamente tesuda.

acessem meus outros contos clicando no meu nome Vanessinha-pst no inicio dos contos e gozem comigo!

ou acessem meu perfil: http://sharoland-nn.ru/perfil/186087

skype: vanessinha-pst

_____________________UYa

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
05/03/2015 12:02:45
Você é fantástica. Seus contos são muito excitantes. No popular, um tesão !!!
30/01/2015 23:43:53
ADOREI TODOS, MUITO BEM ESCRITOS E BEM SAFADOS.
29/01/2015 19:56:39
Meu seus contos sao fantasticos vc é a melhor escritora de contos que ja vi como faço para vc me aceitar em seu skaype
25/01/2015 08:22:35
caramba,tá cada dia melhor seus contos,vc é uma vadia tarada muito gostosa,do jeito que eu gosto.ah!se tivesse como eu te encontrar!nota dez sempre pros seus contos




Online porn video at mobile phone


Contos eroticos de mulheres com grelo grandes gratisxvideosó no cu pracaga grossoMulher enfregrando a rola do jumento na bucetacontos eróticos chantagiei o papai pra ele mim enrraba todinhanovinha panhando o cachorrinho pra lammber sua bucetinhatiraramos a roupa contos lesbicosgostosas da bundonadormindo mae efilha eo pai pornodoidominha titia se gozando com meu cassetenovinha fazendo exame toxicológico xvideos.como garotinho do semáforo contos eróticos reaiscoroas descuidando da calcinha e da bufeta gostosaconto erotico aprendendo amar em parte Iconto erotico sou tratada como puta pelo meu sogro ele adora me chingarvai novinhas so grelao shortinho enterrado na bucetasexo em familìa safadao ver novinha de roupas curta e fica b punheta pensando nela e ela nao gostouencoxei minha tia peituda (contos).me mande vídeo pornô da mulher transando com cachorro bem dotado engatado comendo a bundinha dela e ela suspeitos foramcdzinha quer ser empregadinharevista private relatoscontos de crossdresser forçadofrutaporno adoro bater punheta na calcinha da mamaebuctao tod c gazandcontos casada da o cu pro cão e o marido participa comendo tambemO Certinho e o Desleixado (Capítulo 3) casa dos contosgemeas identicas dando a bucetinha pra um taradinhocontos eroticos dei para um vizinho de iptingaconto erótico eu minha esposa na cachoeiraconto erotico pingando um gel no rabo da maeboafodasangueleitinho do padrinho contos gayconto erotico casada crente no tremprovoquei meu pai calcinhaconto eróticopai colocar velho pra chupá buceta da filhavanessa traindo com irmao do corno douglas spCerto ou errado?meu irmao amado contos gays cap.08porno mirou na buceta e acentou o cuvelinhos tentando meter com netinhas novinhas e n aguenta xvidiosvideos porno velhor comedor da cabeça do pau rombudacontoerotico chantageado por prelato erotico cheirei a calcinha gozadamaes rabuda deu pro filhos e amigos de fio contoscontos eroticos namorado de mamãe tem piça ggcontos eróticos chorei gritei esperneei mas aguentei tudo no c*novįnha do sexo anal tulavano a becetaxvedeo as 20 mehores gozadacontoseroticos/nicoleavelin/autoraquero ver filme pornô com mulher morena de 20 anos dando o cu de bruço fechaContos tetas bicudas e sem sutiãMeu vampiro romance gay capitulo 21cão mete ate o talo na bucetinha de uma virgem q fica grudado na buceta dela e ela tenta tirarirma durmindo e irmao enfia pinto na boca delacontos eroticos minha primeira siriricanovinhas.abrir.buzentacaderante. rabudas de. porto alegrequero ver filme pornô com mulher morena de 20 anos dando o cu de bruço fechacontos casadas chupadeirasmulher secura na pica do negao quando encosta no cuContos eroti cpx video garotas flazinhascontos de sexo no carro metiii mais vailer contos reais acontecido esse ano de 2017 de maridos que de tanto insistir viraram cornos mansinhoContos eróticos de incesto com fotos de mulheres peluda e comadresrabaonegroconto erodico fodir com o namorado da minha amiga e ela chega na oranovinhas.abrir.buzentacontos eróticos mulher endividadainistiu e comeu a gata ba moto ela gemia muito e posto na netfilme pornô rasgando a vacina novinhasexotesaogostosoler varios contos de lesbicas e eteros