Casa dos Contos Eróticos

Click to this video!

Fui Fodido e Arrombado por um Magrinho do Pau Grosso

Autor: Safadinho
Categoria: Homossexual
Data: 12/01/2015 01:49:51
Nota 10.00
Ler comentários (5) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Olá pessoal, amanha vou posta um conto que se chama "O Loirinho do Shopping", ele vai ser dividido em 6 capítulos . Mas enquanto isso liberei um conto para vcs gozarem a vontade .

Olá safadinhos da casa dos contos aqui vai outro conto meu, isso aconteceu comigo a pouco tempo atrás, e como sempre eu adoro compartilhar minhas aventuras sexuais, e sem duvida esse foi o garoto mais magrinho e mais pauzudo que já me fodeu, e sinceramente foi maravilhoso sai com o cu bem arrombado mas completamente realizado. Eu conheci Bruno no Skype, Nos identificamos logo de cara. Ele louco por uma bunda gulosa, carnuda e empinada, e eu, alucinado por uma língua no meu rabo e uma rola sedenta de prazer. Trocamos telefone e passamos a conversar durante praticamente todos os dias da semana.

Nos encontramos na entrada de seu apartamento. Mal entramos, e ele meteu a mão na minha bunda carnuda, por cima da calça justa que eu usava. Segundos depois, ele já estava de cueca e comecei a alisar seu cacete, enquanto sentia sua boca deslizando em meus ombros.

Nossa, gente, que surpresa! Embora Bruno fosse franzino, magrinho mesmo, o cara tinha uma rola muito grossa. Assim que ela ficou totalmente dura, mal dava para segurar ela numa pegada de mão. Minha admiração se transformou simultaneamente em receio também. Como aguentar uma caceta daquela? Meu cuzinho estava muito longe de ter se acostumado com uma espessura daquela envergadura. Mas já que havíamos começado…

Com o pau super duro e apontando pro teto, Bruno me virou de costas e começou a despir-me, aproveitando para passar a vara no meu rabo, me encoxando. Após me deixar totalmente nu, me empurrou de bruços na cama e enfiou a língua molhada e macia em meu cuzinho piscante.

Realmente, o cara adorava chupar um rabinho. Lambia, mordiscava e me penetrava com sua língua quente. Não aguentei e comecei a gemer. Suas linguadas iam ficando mais nervosas. Suas mãos abriram completamente minhas bandas da bunda, expondo meu anel por inteiro e até seus lábios esmagarem meu lordo. Comecei a rebolar em sua cara e podia ouvir, de forma meio abafada, ele dizendo que minha bunda era uma delícia, que eu era um tesão. Às vezes, eu rapidamente ia de encontro ao seu pinto e tentava enfiar ele todo na boca. De tão grande, a baba escorria por todo seu membro. Adorei engasgar daquele jeito. Tirava o gigante da boca e o segurava sendo o meu troféu.

Calmamente, Bruno se afastou até a borda da cama e me colocou de quatro – posição que eu adoro – e voltou a chupar meu cuzinho, agora totalmente desabrochado. Eu, sem me conter, me peguei sorrindo sozinho e com o pau super duríssimo, fato que pareceu deixar meu macho mais safado ainda. Mal ele tirou a língua da minha bunda, pude sentir sua rola já encapada se esfregando no meu rego, subindo e descendo. Vez em quando, a cabeça da pica se encaixava naturalmente no meu culeiro e dava pequenas estocadas, tudo feito de forma desapressada. Em alguns momentos eu novamente saía daquela posição pra abocanhar sua benga novamente e, simultaneamente, sentir o gosto do meu próprio rabo e lubrificar bastante aquela verga de respeito.

Naquela sacanagem carinhosa, meu cuzinho foi dilatando sem dor e Bruno foi me convencendo que, daquele jeito, era muito natural qualquer bunda aguentar uma pica daquela, ainda mais a minha que estava faminta por rola.

Os minutos se passavam e sua rola ia ficando cada vez mais ousada nas pinceladas em meu anel. Pude sentir, mais feliz ainda, que a cabeça de sua pica já era praticamente engolida pelo meu cu. As tais encaixadas no meu rabo passaram agora a serem mais demoradas e, com tanta saliva e paciência, sua pica ia deslizando em minha bunda feito um parafuso, abrindo calmamente cada milímetro do meu reto.

“Que delícia de cu, cara. Que bunda gostosa!” – Ele repetia essa frase feito um mantra.

“Ai, como você mete gostoso. Devagarzinho, amor. Ai, que fodinha boa!” Eu murmurava feito uma putinha.

E assim fomos até que eu me peguei empurrando a bunda em direção à sua cintura até sentir aquela rola imensa de grossa todinha, todinha dentro do meu cuzinho. Que felicidade. Para ter certeza daquele fenômeno, coloquei meus dedos no rego e pude perceber que seu saco já encostara em minhas coxas. Não sentia nada de dor, somente tesão. Me sentia totalmente preenchido, mas não sufocado. Era perfeitamente gostoso.

“Nossa, amor, entrou tudo! Tá todo esse cacetão na minha bunda?!” – perguntei afirmando.

“Tá, meu amor. Guardei ele inteirinho nesse rabo delicioso. Agora vou te foder, viu? – Bruno confirmou o que eu já sabia.

Meu macho me pegou então pela cintura e começou a estocar com força, fazendo até barulho. Começamos os dois a nos conter, pois nossa vontade era de gritar. Eu, com o rabo já todo arrombado, fiquei de cinco, ou seja com a cabeça esmagada na fronha e a bunda inteira pro teto. Ao lembrar-me de um filme pornô, matei um desejo antigo: abri bem as bandas da bunda, junto ao rego e, ao mesmo tempo que expus totalmente meu cu arreganhado para aquela deliciosa invasão, pude sentir Bruno praticamente me sustentando ao segurar firme minha cintura. O safado percebendo minha putaria, tirou a piroca inteira do meu rabo e mandou eu abrir ainda mais as bandas. Meu cu estava um verdadeiro poço, liso e sem pregas. Dava até pra sentir um vácuo dentro do reto. Só de lembrar me dá vontade de bater uma punheta onde estiver.

“Puta cuzão do caralho!” – nem ele parecia acreditar.

“Tá gostoso, amor. Faz mais assim. Me arromba, seu puto!” Eu já estava pra lá de descontrolado. “Olha só o que você faz com meu cuzinho.”

Depois de várias vezes repetirmos essa sacanagem, falei pra ele que não estava aguento mais tesão, mas queria gozar com ele socando a benga na minha bunda. Entretanto, o safado tinha adorado aquela exposição anal e, ao expor mais uma vez meu cu arregaçado, não aguentei e gozei feito uma cadela no cio. Gemi feito uma mocinha. Minhas pregas estava tão dilatadas que mal sentia as piscadelas do orgasmo. Bruno então tirou rapidamente a camisinha e começou a se punhetar vendo eu daquele jeito, de cinco com o rabo todo arrombado e piscante.

“Tô gozando… pra caralho, que delícia!” – foi mais ou menos isso que eu ouvi ao sentir aquela chuvinha quentinha e maravilhosa em minhas nádegas.

“Goza gostoso, amor. Joga toda essa porra na sua putinha arregaçada!” – ordenei.

Como eu estava todinho inclinado, aquele creme escorreu por toda minha costa. Exausto, derrubei meu corpo lentamente, ficando de bruços na cama. Mesmo tendo juntado as pernas, dava ainda pra perceber o “estrago” que aquele pintão tinha feito no meu cu. Dava pra enterrar quatro dedos nele sem dificuldade.

Quando eu já estava terminando de me trocar, Bruno voltou do banheiro dizendo que na próxima vez ele me queria sentado e rebolando naquela super vara. Se eu não conhecesse sua paciência e carinho, iria dizer que aquilo seria praticamente impossível, mas depois de sentir o quanto ele era competente, o mínimo que poderia era dizer é que eu já estava ansioso. Sai do apartamento rebolando feito uma vadia, com ele dando tapinhas no meu popozão todo fodido e confessando: “to fissurado nessa bunda!”

Minha saudade da sua piroca aumentou ainda mais nas horas seguintes quando, naturalmente, meu cu começou a voltar ao normal e, na medida em que ele se contraía, me dava mais vontade de sentir novamente aquela sensação de ser arrombado com meiguice.

Comentários

13/01/2015 19:55:53
Pessoal, esse conto não vai ter continuação, mais vou postar mais contos erotico .
12/01/2015 11:12:32
Mal posso esperar pela continuação!
12/01/2015 11:12:27
Mal posso esperar pela continuação!
12/01/2015 09:21:39
Muito bom cara, continua!!!
12/01/2015 02:14:19
Owt Muito Bom !!!

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.




Online porn video at mobile phone


doce nanda parte IV contos eroticosseio exitadoconto sexo cu por gustaContos perdendo o cabaço com negao tripébobeou o comedor meteu na negraContos.fonados porno de cornoNoca vi pau grosso filio vei mifuder na sala estoriaContos eróticos comi a rosquinha da mulher e da filha gostosa do padeiro na padariacontos eroticos o carroceiro e as enteadasjumento racudo comendo xota da mulher zoofiliavideo de sexo ardente enxamas boa fodavelho insiste até rapaz com mussarela no pornôsexo em familìa safadao ver novinha de roupas curta e fica b punheta pensando nela e ela nao gostourelatosacanabundas maciinhasconto erotico gay negao pirocudo maltrata viado brancocontos eróticos minha mãe greludafasse%20x%20pornochupeicontoscomeram minha buceta no carnavalo loiro da cicatriz q eu amo parte 11contos velho cacetudo corno fotospornô doido chupando os mamilos da Dalvinhapornor doido homem batendo poleta no banheiroconto erotico de urso motoqueiro aregaçando o novinho saradinhogosando na cara da alemao no xisvidionamoro lesbico e pessoa não assumida tem tanta brigas ciúmesContos eroticos gay chule do meu cunhadoas siriricas mais escandalozasxvideos vermebrancoContos eroticos.de filha ajudando paicuckold adeptospinto na bucetado novinho enfiando so a pontinha depois com força depois uma bela chupada na cabeca do pintogay jogando video game pelado sozinhodormi de calcinha com meu filho e dei pra elecontos eroticos urei de tanto gozar minha buceta inchadaContos eroticos.de filha ajudando pai dabuceta das gostosa da novela das 9:00porno filha da pro pai e a mae naofala nadaencoxando na frente de pessoas descobri que meu namorado da o cu yahhonovinha safada humilhando o padrasto é estrupada a forca no conto eroctico do quadradinhoeu e meu marido adoramos fazer sexo grupal contoso corno saia pela porta da e o amante entrava pela janela pornochupando a buseta defentecontos feminizacao gay chantagemmanauense novinho gozando no xvideonovinha gretano de tanto goza com u paicasado tem tesão em mamar cine porno spContos a empregada com fotosEnteada fica sem calcinha e vai deitar mais o padrastocomedo novınha a forcaFutibol dos Heteros ? OU Nao ? cap 28molhe de bucetona do beici viradoconto erotico gay vaquejada capmorena linda tampa a boca do irmao e senta em sua rola enlouquecidaFlagrei minha filha de dez anos se masturbando fiquei espantada mas espliquei a ela o que estava acontecendo e encinei a se masturbar so qiue ela quere que eu faça direto agora vídeo de pornô em desenho Delta lavando a louça e pegar nos peito delaas buceta sussurrantefiume porno antigo do tasaõvídeo pornô intrigada e padrastose voce fizer sexo nova e depois so mais velha fazer o cabacinho fexavenho a fuder cu a venhaconto gay adoro ser esculachado por um machofilhinha da a buceta para irmao e padrastogosada no trem lotadoPorca reprodutoras buceta crandevídeos pornô de loirinha bem gostosinho socando o dedo no c****** cabeludoporno tia se destraiu e sobrinha ninfeta chupou o seu maridocontos eroticos de caminhoneiros fudendo homens em posto de combustiveisvideo de sexo de mulher fazendo sexo afussa com outra mulhermano nao me tente incesto contoscontos tathy ellense eu tava afim de cozinha da minha cunhada mais nova aos berros XVídeosfacebok de rio das pedras jpa rjcasa do contos eróticos publicadosesposa do meu amigo me deu bola e eu comi ate seu cuzinhojudea. abuceta em estrupoquero ver as mulher tarada caseira com muco cervicalpassei o pau na bunda da minha mae e ela pediu pra eu comer eladeixei meu tio chupar meu peito e ele ficou batendo uma no pau dwforcada a foder com roluda pelo marido contochantagiei a freira contocontos meu primo safado me vizitousexybemmaisMeu amigo viado bundudo liso vestido de mulher conto gayConto erotico arrombei minhA tia 25cm grosso no acampamentovideo de sexo negao da rola de cinquenta citimetro com uma jeguaeu quero ver homens e mulheres se beijando pelado e como colocou o piru na no bumbum da minha ficou salgado se beijando peladosdeitei de conchinha com minha mae peitudatem lebica olaine 2017 pra comigo outra mulher por celular