Casa dos Contos Eróticos

Click to this video!

Traindo o namorado e também o amante!

Autor: Michele
Categoria: Heterossexual
Data: 01/06/2015 00:57:07
Nota 10.00

Olá, vou contar para vocês como traí meu namorado e como traí também até meu amante que me pegou no flagra!

Meu nome é Michele, esse é meu 9º conto, tenho 19 anos, mas a historia que vou contar aconteceu faz algum tempo. Porem, eu tenho um hobby de escrever minhas “aventuras” no meu diário, por isso vou conseguir detalhar muita coisa.

Antes, deixa explicar como sou.

Sou branquinha, tenho cabelos bem pretos e liso, 1,65 de altura e sou muita linda de rosto, confesso que tenho carinha de menina safada. Já ouvi muito isso.

Sempre chamei muita atenção dos homens, desde muito novinha. Tenho seios médios para grandes, durinhos e empinados. Meu quadril e cintura fazem um contraste perfeito, e meu bumbum é grande e empinado, redondinho! Minhas coxas são grossas firmes, malhadas...sou um tesãozinho.

Vamos ao conto...

Conheci um rapaz chamado Pedro, mas todos lhe chamavam pelo seu apelido, Zuca. Estava em uma festa com meu namorado e uns amigos quando fui apresentada a ele. Logo de cara ele me chamou a atenção. Ele era um rapaz alto e musculoso, moreno de olho claro, um gato! Era cinco anos mais velho que eu. Era um colega do meu namorado, mas nada muito próximo. Zuca me chamou atenção logo de cara e eu fiquei secando ele a noite toda! É claro que ele também me comeu com os olhos, já que eu chamo muita atenção dos homens e ainda por cima estava vestida igual uma perigueti!

Depois desse dia, recebi uma solicitação em uma rede social do Zuca. Claro que aceitei e em pouco tempo, estávamos conversando com frequência. Eu escondia isso do meu namorado, pois com certeza ele não iria gostar de saber que eu estava batendo papo com aquele rapaz.

No começo ficávamos falando sobre coisas despretensiosas, rolava umas piadinhas, papo furado. Depois ele começou a me contar algumas historias que estava acontecendo com ele quando saía pra alguma balada em sua cidade. Zuca bebia e tinhas historias muito engraçadas. Cada foto que eu via dele, eu ficava com mais desejo de transar com aquele rapaz.

Com cerca de pouco mais de um mês conversando direto com ele, estávamos com papos mais íntimos, eu havia dado liberdade e já tínhamos dado várias indiretas um para o outro.

Duas amigas minha sabiam que eu estava de papo com o Zuca há dias, eu havia contado a elas e fiz questão de mostrar as fotos daquele rapaz para que elas ficassem babando no cara que estava dando mole pra mim. Elas piraram no Zuca, ele realmente era um tesão.

Acabei dando o número do meu celular para ele, e falávamos ainda mais. Sempre escondida do meu namorado.

Em uma quinta feira, duas e meia da manhã, eu estava dormindo em meu quarto sozinha quando acordei com o meu celular tocando. Olhei para ver quem estava me ligando em plena madrugada. Era o Zuca! Na verdade eu salvei seu número com nome de mulher para meu namorado não desconfiar. Ele me disse que estava voltando de um lugar e bem naquele momento estava relativamente próximo da minha casa, em um posto de combustível abastecendo seu carro para continuar a viagem até sua cidade. Me disse que gostaria de passar na minha casa me dar um “oi”. Zuca conhecia bem minha cidade, e eu já havia explicado a ele onde mais ou menos minha casa ficava.

Ele disse que adorou minha voz de sono e ficou com um papinho furado de que só queria me ver. Eu lhe chamei de maluco e não aceitei. Realmente era uma proposta tentadora, eu estava lutando contra meu juízo, pois queria muito aceitar seu convite. Com certeza ele percebeu isso pelo meu jeito de falar e investiu ainda mais, me xavecando e me convencendo até que cedi e aceitei, dizendo que era rapidinho.

Combinei para que ele me esperasse na esquina de casa, e fui explicando melhor como ele fazia para chegar até o local. Seu GPS ajudou muito. Fui até o banheiro, me arrumei e me preparei. Coloquei um vestidinho rosa bem soltinho e super curto. Sem sutiã e com uma calcinha fio dental minúscula. Fiquei um tesão!

Quando ele me avisou que estava na esquina, saí escondida de casa para ninguém perceber e fui até o carro. Entrei e sentei ao seu lado, no banco do passageiro. Ele me perguntou aonde poderíamos ir pra conversar. Eu disse que era só um “oi”, e que deveríamos ficar ali mesmo. Expliquei que eu não podia estar ali e que tinha saído escondida.

A conversa não durou 5 minutos e logo estávamos nos beijando loucamente ali na esquina mesmo. Beijos, amassos, gemidos e mão boba rolavam solto dentro do carro. Estava louca de tesão por aquele cara. Ele mais que depressa colocou meus seios para fora e caiu de boca me chupando enquanto eu tentava colocar seu pau para fora da calça. Quando consegui, me molhei toda ao ver o pau enorme, grosso e maravilhoso que ele tinha. Comecei a masturba-lo e logo estava chupando faminta aquela pica. Percebi que seu pau estava com um cheiro forte de sexo, como se ele estivesse transado há horas atrás. Não sei se aquele pau estava dentro de outra garota antes de eu por a boca, mas sentir aquele cheiro e imaginar que ele já havia transado e gozado, me dava ainda mais tesão! Lambi gostoso a cabeça de seu pau enquanto ele procurava algo no porta luvas. Era uma camisinha. Transamos gostoso ali na esquina mesmo. Cavalguei em cima dele e gemi como uma putinha! Seu pau era delicioso e preenchia toda minha bocetinha! Gozei rápido e ele também. Tudo durou um pouco mais de 20 minutos. Pude ver a camisinha cheia de porra quente em seu pau. Eu poderia detalhar mais essa safadeza que aconteceu, mas fiquem calmos que o melhor ainda está por vir, e eu vou caprichar nos detalhes, prometo!

Voltei para a minha casa toda suada e cheirando a sexo. Aquele rapaz realmente mexia comigo, com meu instinto de fêmea. Ele era gostoso demais, me deixava no cio!

Nos dias que se seguiram, eu transei como louca com meu namorado Edu! Meu tesão estava insaciável! O Zuca havia me deixando assim! Continuamos nos falando escondidos. Ele me disse que precisava repetir aquilo e eu concordei. Também precisava muito! Estava tarada por aquele homem gostoso e tesudo.

Uma semana depois, combinamos de se encontrar novamente. Meu namorado não sabia de nada, pra ele eu estava dormindo como um anjinho em meu quarto. Por volta das 1:30 da manhã, outra vez em uma quinta feira, eu saí escondida de casa e me encontrei com ele na mesma esquina. Já havia dito a ele que não poderia demorar, mas mesmo assim ele quis me levar para um motel. Sem chances, eu não podia demorar a voltar para minha casa. Transamos novamente ali mesmo, na esquina, dentro do carro. Enquanto Zuca metia gostoso seu pau enorme em mim, ele me chamava de putinha, e eu respondia: “Sou uma putinha mesmo! Não valho nada!” Zuca continuava: “É minha cadelinha! Minha putinha não é?” E eu gemendo em meio as estocadas fortes e gostosas respondia: “Sou sim! Sou sua cadela! Come essa cadelinha come!”.

Dessa vez nossa transa durou um pouco mais, cerca de 40 minutos. Gozei demais e ele também! Zuca gozou me comendo e encheu a camisinha de porra! Dessa vez ele retirou a camisinha de seu pau e deu um nó para não vazar o esperma. Brincando ele me perguntou: “Quer levar de presente?”. Respondi a ele: “Quero sim!”. Ele não imaginava que eu iria levar a camisinha embora, mas eu levei e guardei em meu guarda roupas o preservativo com seu leitinho. Ficou lá alguns dias até que eu jogasse fora.

Depois dessa segunda transa que tivemos, ele começou a me tratar como uma vadia. Toda vez que conversávamos na internet ou telefone ele sempre me chamava de putinha, dizia que eu era sua cadelinha (e eu adorava o jeito que ele me tratava), me perguntava se eu gostava de trair o meu corninho, e eu dizia que sim!

Sempre que conversávamos, ele me deixa molhadinha e com tesão! E eu descontava meu tesão em meu namorado! Fodia como uma atriz pornô com ele todos os dias.

Quinta feira novamente, uma semana depois...

Estava no carro do Zuca na mesma esquina mais uma vez na madrugada. Quando começamos a beijar e nos pegar, eu tirei o pau dele para fora da calça e comecei a masturbá-lo. Eu estava com a cabeça em seu peito e meu rosto estava bem próximo de seu pau duro e pulsante! Como da primeira vez, senti o cheiro forte que exalava de seu pau. Ao puxar a pele daquela pica e descobrir toda a cabeçorra enorme, percebi que a cabeça estava meladinha quando esfreguei com carinho meus dedinhos por toda a glande daquela piroca. Cheirava a sexo!

Ás vezes eu transava com meu namorado em certos lugares e não tínhamos aonde tomar um banho ou realmente não queríamos nos lavar. Ele ficava com o pau todo lambuzado de porra. Horas depois no fim do dia, me lembro bem que começávamos a transar novamente, e seu pau exalava aquele cheiro de sexo! Igualzinho o pau do Zuca!

No meio da transa com Zuca, eu achei uma embalagem de preservativo aberta. Na hora não falei nada. Depois que gozamos, ele me ofereceu a camisinha cheia de porra para levar para casa novamente. Então eu disse a ele: “A outra garota que você come antes de vir aqui transar comigo leva a camisinha embora também?” Na hora sua reação foi rir. Não falamos muito sobre isso, mas ele negou naquele momento que saía com alguém antes da gente transar, mesmo comigo mostrando a embalagem de camisinha rasgada em seu carro.

A partir do dia seguinte, eu comecei a falar sobre isso com ele com muita frequência. Sempre em tom de brincadeira. Combinávamos de nos encontrar na próxima quinta e eu dizia pra ele passar em casa primeiro antes de transar com a outra, pelo menos uma vez. De tanto eu falar no assunto, ele chegou a me dizer: “E se for verdade? E se eu realmente passo na casa de outra menina antes de sair com você? Você teria ciúmes?”. Disse a ele: “Ciúmes não! Nenhum pouco! Você é um galinha nato e acho que está admitindo pra mim que sai com alguém sim!”.

Enquanto falávamos sobre isso, comecei a demonstrar que ficava excitada com a hipótese dele transar com alguém antes de sair comigo. Não sei explicar mas, isso realmente me excitava. Tudo nele me excitava. Foi então que ele realmente admitiu!

Ele saía da cidade dele para transar com uma garota em outra cidade, eles podiam se encontrar só de quinta feira, pois a garota tinha namorado e outros compromissos com trabalho. Ficavam juntos até ás duas da tarde. Depois ele resolvia seus compromissos de trabalho na cidade dela até anoitecer, jantava com amigos e na volta passava em minha cidade para transarmos antes de voltar para a cidade dele.

Ele era um safado mesmo!

Não me lembro de ter contado isso em outro conto, mas eu tenho uma irmã dois anos mais nova que eu, uma irmã um ano e meio mais velha e um irmão 4 anos mais velho do que eu.

Minha irmã mais novinha (seu nome não vem ao caso nesse conto) disse que percebeu da ultima vez que eu saí de madrugada de casa. Contei a verdade pra ela, disse que saia com um rapaz escondido, ela quis saber de todos os detalhes e eu contei tudinho. É pessoal, não sou a única safadinha da família. Minha maninha adorou ouvir as coisas que contei a ela e achou o Zuca um tesão quando mostrei sua foto na internet. Minha maninha também disse que tinha pena do meu namorado, mesmo sabendo das nossas brigas, porque naquele tempo eu já havia brigado com o Edu, pois rolava uma história de que ele estava saindo com outra (hoje em dia eu sei que ele saía mesmo!).

Quando a próxima quinta feira estava chegando, Zuca me disse que não iria dar certo de nos encontrarmos naquela semana. Brinquei com ele dizendo que ele iria dar bolo nas duas safadinhas dele. Fiquei chateada de não poder transar com aquele tesão de homem. Mas isso serviu de reflexão para mim, eu estava me apegando demais, gostando demais e sabia que era de uma pessoa errada. Passei minha quarta e quinta feira pensando sobre isso. Estava correndo risco em trair o Edu com tanta frequência e em dia marcado. E por mais que o Zuca me faça perder a cabeça, eu não trocaria o meu Edu por nada!

Tomei uma decisão que não saberia se seria capaz de cumprir. Eu iria parar de sair com o Zuca!

Mas, na sexta feira, ele me falou que teria uma festinha em uma chácara na região da minha cidade. Zuca me explicou que um amigo seu tinha uma chácara e iria fazer uma festinha para amigos chegados, pouca gente, umas vinte pessoas. Ele garantiu que ninguém me conhecia, que as pessoas eram todas de sua cidade. Essa festinha iria rolar no mesmo dia em que ele me avisou, sexta feira.

Eu juro que não ia aceitar, costumava curtir minha sexta á noite com o meu namorado, mas bem naquela sexta, meu namorado estaria fora. Ele iria disputar um campeonato de jiu jitsu que começaria no sábado cedo em uma cidade longe de onde eu moro.

Aí então eu pensei, vou nessa festa, curto o Zuca pela última vez e digo pra ele que não vamos mais aprontar nada.

Com a ajuda de uma amiga, arrumei uma boa desculpa para os meus pais, disse que iria dormir na casa da minha amiga e que estaria de volta no sábado antes do almoço.

Vesti uma mini saia rosa super curtinha e bem justa, meu bumbum enorme ficava um tesão com aquela micro saia. Também coloque uma calcinha minúscula, branca, fio dental! Em cima usei um top bem decotado e que deixava minha barriguinha sarada de fora. Não coloquei sutiã. Meus seios ficaram irresistíveis e apetitosos. Eu estava vestida como uma safadinha, pronta para aprontar! Queria todos os homens daquela festa me secando e me comendo com os olhos!

O Zuca me buscou na casa de minha amiga por volta das seis da tarde, quando sentei ao seu lado no carro, tratei logo de cruzar as pernas e exibir minhas coxas grossas para ele. Meus seios empinados estavam querendo pular pra fora do decote. Eu estava um tesão! O Zuca ficou maluco comigo ali ao seu lado, toda deliciosa e delicada, com carinha de menina safada. Ele me disse que estava de boca aberta, que seu pau estava ficando duro só de me ver.

Ele regulou o retrovisor do carro para ficar olhando minhas coxas, e eu ficava cruzando as pernas e mostrando minha calcinha toda hora para deixá-lo louco.

Conversávamos sobre as pessoas da festa, ele me dizia para eu ficar tranquila, era uma galera gente boa e que com certeza não sabia que eu tinha namorado. No meio da conversa ele sempre dava um jeito de dizer algumas safadezas do tipo “Você vai deixar os caras de pau duro lá! Ta gata demais!”. Eu apenas ria, toda safada!

Não demorou muito e o Zuca começou a alisar o próprio pau, estava duro em baixo da calça e deveria estar de algum jeito desconfortável. Eu comentei com ele “Sua pica ta apertada aí dentro é?”, ele disse que não estava cabendo dentro da calça. E eu como sou uma menina gentil, disse que iria ajuda-lo. Abri o zíper da sua calça, abaixei a sua cueca e coloquei aquela pica deliciosa e dura pra fora. Fiquei alisando aquele pau quente com carinho, mas logo não aguentei e mamei gostoso enquanto ele dirigia. Fiquei lambendo e beijando bem de leve a cabeça do pau dele, aquela pica ficava soltando leitinho aos poucos e eu aproveitava pra saborear (uma delícia!). Fiquei mamando com cuidado, não queria que ele gozasse no começo da noite.

Mas o Zuca ficou com tanto tesão e começou me falar “Quer leitinho já é? Quer?”, eu respondia “Ainda não seu safado! Calma!”. Percebi que ele estava doidinho pra gozar! Ele me disse que se gozasse agora, daria conta de me dar mais leitinho mais tarde. Mas eu não quis! Fiquei mamando e lambendo a cabeça do pau dele bem devagar até chegarmos na chácara.

Desci do carro toda molhada de tesão, queria muito a pica dentro dele em mim naquele momento. Ficar com aquele pau na boca já foi o suficiente pra deixar minha calcinha bem meladinha. Até porque a viajem demorou uma meia hora ou até mais. Zuca me dizia que eu tinha judiado dele, pois ele queria muito gozar. Eu apenas ria e dizia pra ele guardar seu leitinho pra depois.

Entramos na festa, e começamos a curtir. Ele me apresentou as pessoas, começamos a beber e tudo foi rolando normalmente. Eu estava me divertindo muito. Havia cerca de 20 pessoas na festa.

Certo momento, meu namorado me ligou e eu tive que sair correndo para um lugar que tivesse silêncio para poder atender o celular. Disse a ele que estava tudo muito chato sem ele e que já estava com saudade (que mentirosinha que eu sou).

Zuca ficava sempre ao meu lado, e sempre falava sacanagens na minha orelha do tipo “Você está uma delícia Mi! Que gostosa!”, “Estava gostoso meu pau na sua boca ham?”. Claro que eu dizia que estava! Ele ficava me atiçando, e me deixando com fogo. Até que meia hora depois eu fui ao banheiro. Quando saí, Zuca me agarrou na porta, me encostou na parede e me deu o maior amasso! Ali no corredor a gente começou a se pegar! Ele me dizia “Ainda ta com vontade de mamar tá?” Eu respondia com voz de prazer “Muita, estou com muita vontade de mamar!”. Eu podia senti-lo apertando seu pau duro em mim, e ele continuou a me provocar “Quer mamar um pouquinho? Vamos ali no banheiro vamos?” Eu respondi “Quero! quero por sua pica na minha boquinha!” Ficamos nos beijando e nos pegando por alguns instantes ali na parede, do lado de fora do banheiro. Até que um dos amigos dele apareceu e viu a cena. Sorrindo o rapaz disse “Finge que não estou, não quero atrapalhar!”. Zuca e eu rimos, fiquei sem graça. Mas Zuca em forma de brincadeira, xingou o rapaz que rapidamente passou por nós e entrou no banheiro.

Continuamos nos amassos, e a coisa foi esquentando. Aquele cara me deixava louca facinho! Zuca me apertava os seios enquanto eu esfregava seu pau por cima da calça, até que disse a ele “Vou por seu pau pra fora e mamar aqui e agora! Duvida?” Zuca adorou ouvir aquilo, ele chupou minha língua antes de responder “Duvido! Quero ver se você é safada mesmo!”. Então, eu abri o zíper de sua calça e ele me ajudou a colocar aquela rola enorme e grossa pra fora sem desabotoar. Eu peguei com vontade naquela tora com uma de minhas mãos, enquanto nos beijávamos. Iniciei uma punheta pra ele, mas segundos depois, outro amigo do Zuca apareceu e nos flagrou naquela cena. Ele olhou direto para minha mão, e viu que eu estava segurando o pau cabeçudo do Zuca. O rapaz olhava com sorriso no rosto, e eu fiquei morrendo de vergonha! Zuca sorriu, e jogou a barra da camiseta por cima do pau, em seguida ele colocou a mão por cima do volume enquanto eu me posicionava na frente dele para ajudar a tampar toda aquela safadeza. Zuca disse rindo para o rapaz “O que você perdeu aqui? Já tem gente nesse banheiro! Sai fora!” O cara respondeu “Por isso vocês estão se pegando aqui no corredor?” Ao dizer isso, ele deu meia volta e saiu, gritando “Zuuuca! Zuuuca!”

Eu olhei assustada para o Zuca e disse “Ai! Desculpa Zuca! E agora? Nem quero voltar para o meio deles!” Ele me respondeu “Relaxa Michele, essa galera ta acostumada com isso! Juro!” Ele me disse mais sobre o tipo da galera que estava ali, falou que era uma turma que gostava de bagunça, bebida, safadeza. Que rolava esses tipos de festas ali na chácara. Zuca também me mostrou que um de meus seios estava para fora do top e dava para ver um pedacinho do mamilo. Com certeza o rapaz viu! Mesmo com o Zuca tentando me explicar as coisas, fiquei um pouco constrangida e não quis mais continuar com nossa pegação ali. Então, nos arrumamos e voltamos para a festa.

Duas horas depois eu já estava bem alegrinha de tanto beber. Comecei a dançar e ficar mais a vontade. Já notei os homens me secando e cochichando entre eles. O Zuca tratou de me dar o recado que muita gente estava babando por mim. Seus amigos foram comentar com ele que eu era top demais (ele usou essas palavras), mas que também ficaram brincando com ele por eu ser mais novinha.

O tempo foi passando e a festa estava muito legal. Fiz amizades, conversei com quase todo mundo, fiquei bem “alegrinha” de tanto beber tequila. Até que por volta das 23 horas, algumas pessoas começaram a ir embora, e quando foi meia noite e meia, só restaram dois rapazes e uma garota, sem contar Zuca e eu. Ficamos em 5 pessoas na sala, ouvindo som e conversando. Todos estávamos “animados” devido a bebidas como tequila, por exemplo.

Um dos rapazes era o dono da chácara, as pessoas chamavam-no de Beto. Ele aparentava ter mais de 25 anos, mas menos que trinta. Era branco, cabelo curto e preto, tinha um corpo bem cuidado e era muito charmoso.

O outro rapaz era mais jovem, aparentava ter 20 anos no máximo, atendia pelo nome de Rildo. Um gatinho! Loirinho, olhos claros esverdeados, magro, mas tinha músculos definidos, usava uma regata justa que o deixava muito gostinho. E mesmo estando á noite, usava óculos escuros.

A garota me disse ter 18 anos, mas aparentava ter menos que isso. Seu nome era Alice. Ela era uma garota muito linda! Vocês conhecem aquele tipo de garota falsa magra? Pois é, ela não tinha pernas muito grossas, bumbum enorme ou seios fartos, mas seu corpo era cheio de curvas, na medida. Ela tinha cabelos escuros e comprido e estava vestida de um jeito bem sexy, querendo chamar atenção! Usava um tomara que caia e uma calça legging branca. A cor de sua calça fazia com que suas coxas, curvas e bumbum chamassem muita atenção.

Rildo tinha me chamado mais atenção, foi um dos que mais se destacaram na festa. Dançou, virou doses de bebida, fazia piadas e comentários que todos riam. Além de gatinho, era muito carismático! Mas estava falando mole, havia bebido um bom tanto.

O dono da chácara Beto e a garota Alice eram simpáticos, mas foram um pouco discretos até então. Alice assim como eu, não conhecia ninguém ali, a não ser o dono da chácara Beto. Eu flagrei por varias vezes ela dando mole e encarando o Zuca. Mas a safadinha também se oferecia para o Beto e para o Rildo. Alguém com certeza iria transar com ela.

Zuca estava sentado em um sofá de único assento e eu sentadinha de lado em suas coxas com minhas pernas cruzadas. Sentada daquele jeito, minha mini saia rosa que era bem justinha, ficava ainda mais curta, deixando toda a mostra as minhas coxas grossas. Eu sabia que estava um arraso e que os três rapazes que ali estavam, queriam me comer! Bem na nossa frente, uns três metros do nosso sofá estava Rildo, Beto e a Alice. Eles estavam sentados juntinhos em um sofá com a Alice sentada no meio.

O papo era descontraído e claro, safado. Falávamos de tudo e eles toda hora me perguntavam sobre minha idade, faziam gracinhas sobre isso, me chamavam de novinha. Eu percebi claramente que eles estavam adorando o fato de uma garota com minha idade, está participando da festinha deles. Notei que Zuca estava todo orgulhoso de ficar comigo ali na frente deles. Por mais que seus amigos fizessem piadinhas com ele por causa da minha idade. Eles brincavam, mas ficava claro que estavam pagando pau! Enquanto conversávamos, Zuca me abraçava pela minha cintura, alisava minhas coxas, mordia meu pescoço e deixava com muita vontade seus dois amigos que viam toda a cena.

Alice depois de um tempo, falava bastante e se mostrava bem desinibida. Como ela estava sentada no meio dos dois rapazes, eles aproveitavam para tirar casquinha dela o tempo todo. Davam um jeitinho de passar a mão em seu cabelo, pernas, etc.

Beto, o dono da chácara a convidou para dormir por ali mesmo. Mas ela disse que o combinado era que ele iria leva-la embora. Todo mundo percebeu que ela disse isso, mas que na verdade ela tava doidinha para dormir na chácara e ter uma boa noite de sexo!

Seguimos por mais uns minutos com aqueles papinhos, e aquele clima safado começando a esquentar. Até que o Rildo começou um assunto sobre garotas se beijarem. É claro que eu e a Alice teríamos que responder pra eles se já havíamos beijado alguma garota. E eu embalada com todo aquele papo intimo e gostoso, falei a verdade. Disse que já havia ficando com meninas varias vezes. Alice também disse que uma vez ou duas já aconteceu dela ficar com uma garota. Não demorou muito e logo os três rapazes começaram a insistir para que eu e Alice déssemos um beijo na boca. Eu gostei da ideia, mas resolvi não mostrar minha empolgação e apenas ficava sorrindo enquanto os rapazes ficavam dizendo “Vai meninas, um beijinho pra gente ver!”. “O que é que tem demais?”.

Zuca encostou seus lábios em minha orelha e disse “Você iria ficar linda beijando ela, eu iria ficar maluco com a cena!”. Alice sorria e dizia que os rapazes estavam loucos.

Ficamos nessa ladainha até que Alice e eu começamos a trocar olhares, e apenas fazendo isso, uma percebeu o que a outra queria. Então, eu me levantei do colo de Zuca e disse “Vem Alice! Vamos dar um beijo pra eles pararem de encher o saco!”.

Alice se levantou do sofá onde estava, caminhou até mim devagar e envergonhada dizendo “Aí que chato que vocês são! Não acredito que vou fazer isso!”. Logo em seguida, Beto disse “Eu daria tudo pra ta no seu lugar viu Alice!”.

Zuca ouvindo essas palavra do Beto, respondeu (sem tom de brincadeira) “Eu ouvi isso heim!”.

Beto, apenas rio sem se importar com o comentário do Zuca, mas eu fiquei com a sensação de que o Zuca não gostou muito do que o Beto havia dito.

Alice caminhou até mim. Como era gatinha aquela garota! Ficamos paradas frente a frente no meio deles, em pé. Beto e Rildo ficaram dizendo em forma de coro “Beija! Beija! Beija...”.

Sorrindo uma para outra, começamos a nos beijar. Alice colocou suas mãos em meus braços e deslizou até as minhas mãos, segurando em seguida.

Foi um beijo bem rápido. Gostoso e carinhoso! Sua língua na minha foi uma delicia!

Beto e Rildo gritaram comemorando! Quando me virei para sentar no colo de Zuca novamente, notei que ele estava com um sorrisinho safado no rosto, e que havia adorando mesmo a cena que viu.

Me passou rapidamente pela cabeça, o tom de voz de Zuca respondendo Beto “Eu ouvi isso heim!”.

Zuca também não fez uma cara muito amistosa naquela hora. Eu já havia percebido um certo ciúme da parte dele para comigo. Apesar de ter gostado de me ver beijando uma garota. Zuca parecia do tipo galinha convencido. Queria me pegar pra contar vantagem para os outros. Por isso, não queria que nenhum conhecido seu me beijasse, para apenas ele poder contar vantagem.

Não me importava com esse tipo de atitude dele. Até porque, ele era gato demais! E eu me sentia seu troféu. Por mais que ele contasse pra sei lá quem as coisas que fazia comigo, eu não ligava. Ele fazia isso pra aparecer as minhas custas. Pois eu sou gatinha demais e, com certeza os amigos dele que ouviam suas conversas ficavam morrendo de inveja mesmo!

Voltei a me sentar de ladinho em seu colo novamente, toda delicinha e sexy! Zuca me mordeu a orelha direita e disse “Gostosa!!”.

Em seguida ele me agarrou gostoso pela cintura e começou a me beijar gostoso na boca! Senti seu pau duro encostando em minha coxa. Alice, Beto e Rildo olhava a gente se beijar, mas não falavam nada sobre aquilo.

Estava no colo de Zuca, de costas para as outras três pessoas. Zuca me puxou, fazendo com que eu quase deitasse em seu peito e, consequentemente, meu bumbum ficou empinado para os outros por eu estar de ladinho. Minha saia subiu um pouco e eu pude sentir que boa parte do meu bumbum apareceu!

Tentei me arrumar ali, mas Zuca não deixou. E quando eu disse que meu bumbum estava aparecendo para os outros ele respondeu “Deixa eles babarem safada! Eu sei que você ta gostando! Com certeza eles estão de pau duro olhando pro seu bumbum! Você gosta disso, eu sei!”.

Aquilo me deu o maior tesão! E eu respondi “Gosto sim!”.

Do jeito que eu estava, até o volume da minha boceta por baixo da calcinha estava aparecendo (meu pacotinho!). Apesar de toda a safadeza em mim, levei minha mãozinha para traz e coloquei bem a baixo do meu bumbum para cobrir meu pacotinho e tampar minha calcinha branca (já estava molhada de tanta safadeza naquela noite) que estava a mostra! Fazendo isso pude perceber realmente o quanto meu bumbum estava aparecendo.

Me exibir daquele jeito enquanto beijava o Zuca, me deixava queimando de tesão.

Zuca e eu nos desligamos um pouco da conversa com os outros e ficamos nos beijando e cochichando safadezas ali na frente deles. Eu podia escutar que eles conversavam assuntos diversos e fazia uma piadinha ou outra sobre nós, mas nada que me deixasse constrangida. Eles com certeza estavam amando me secar e queria muito estar no lugar do Zuca.

Apesar de estar bem a vontade ali, eu não queria ser muito indecente (como se já não estivesse sendo) e continuava tampando minha calcinha com uma de minhas mãos. Mas zuca puxou meu braço e colocou minha mão em seu peito, deixando minha boceta carnuda, fazendo aquele volume por baixo da calcinha, aparecer para delírio de quem quisesse ver.

Fui levar minha mãozinha a frente da minha boceta novamente, mas ele segurou meu braço dizendo “Que foi Mi? Usa essa mão em mim!”.

“Mas ta aparecendo tudo aqui, é serio! Minha calcinha ta aparecendo bem no volume da minha bocetinha! Estão todos vendo! E minha calcinha é branca e já está molhada!”. Respondi ao Zuca com intenção de atiça-lo.

Claro que funcionou! E como! Zuca levou sua mão até minha bunda, e com vontade apertou e segurou. Em seguida ele abriu meu bumbum! Imagino que todos puderam ver o pano fininho da minha fio dental, mal cobrindo meu cusinho rosinha que ficou praticamente a mostra para todos!

Que delicia! Que tesão! Minha reação foi dizer alto pra todos escutarem “Você ta maluco!”, em seguida eu sorri! Mas continuei toda empinada enquanto Zuca apertava e abria meu bumbum me exibindo toda para seus amigos! Minha calcinha era pequena demais para cobrir alguma coisa. Com certeza meu cuzinho estava aparecendo. Logo em seguida, uma das laterais da minha calcinha entrou no meio da minha boceta, deixando a mostra metade do meu pacotinho tesudo e lisinho!

De imediato, escutei a Alice sorrindo e gritando “Nooooossa!!”.

Rildo gritou um “Puta que pariu! O que é isso que eu estou vendo!”.

Enquanto Beto disse “Que tesão é isso que vejo! Não acredito!”.

Rapidamente tirei a mão do Zuca do meu bumbum, e enquanto tentava puxar minha mini saia e me cobrir, olhei para os três com sorriso safado e disse “Aí gente! Que tarado esse Zuca é! Desculpa viu!”

Eles estavam todos alvoroçados! Alice era mais quietinha e ficava apenas rindo dos comentários de Rildo e Beto. Eles estavam pirados! Diziam que podíamos ficar a vontade, que eles não poderiam levantar do sofá mais (estavam de pau duro), que o Zuca estava fazendo os dois passarem muita vontade, entre outros comentários.

A moral de Zuca com certeza foi lá em cima, estava se sentindo comigo ali. Era do tipo de pessoa que adorava essa situação, eu percebia claramente.

No momento em que eu escutava os comentários da safadeza que eu estava fazendo ali, Rildo disse “Chega de passar vontade! Já to louco de tesão aqui! Vem aqui Alice!” .

Rildo era o que mais apresentava sinais de embriagues entre todos que ali estavam. Ele colocou um de seus braços atrás da Alice envolvendo sua cintura e levou seu rosto até ela tentando beijá-la. Alice rindo, ergueu a cabeça deixando seu pescoço exposto. Rildo mordeu o pescoço dela enquanto ela ria e pedia pra ele parar. Rildo não desistiu, continuou na tentativa e segundos depois, começou a beijar Alice.

Alice só estava esperando alguém de atitude. Tinha certeza que se o Beto estivesse tentado primeiro, ela também iria ceder a ele.

Beto, o dono na chácara estava chupando o dedo, ficou com uma expressão meio sem graça quando Alice começou a beijar Rildo. Então Beto disse brincando “O pessoal! Vocês vieram aqui na minha chácara, pegaram todas as gatinhas e eu fico só olhando, ta errado isso! Divide comigo aí se não vou botar todo mundo pra fora”.

Após dizer isso, todos nós rimos, inclusive ele. Mas pra mim, ele realmente ficou incomodado com aquilo.

Zuca interrompeu minha risada me puxando novamente e voltando a me beijar, minha mini saia subiu na hora e de novo eu ouvi os comentários dos outros.

Deixar os outros babando por mim me deixa muito excitada, deixei eles olhando e babando sem nenhum problema enquanto beijava aquela delicia de homem que era o Zuca.

Alice mais conversava do que beijava o Rildo. Apesar de eu estar torcendo para que eles começassem a fazer algo mais safado, Alice não se soltava e não deixava a putaria acontecer. Beto, Rildo e Alice continuavam conversando e chegou um certo momento que ela nem beijou mais o Rildo.

Os comentários sobre meu bumbum não paravam de sair, e logo o Zuca começou a apertar meu rabo tesudo novamente me exibindo toda para os outros.

Um lado da minha calcinha ainda estava enterrado dentro da minha bocetinha inchada e melada de tesão. Todos podiam ver! Aquilo me dava um tesão inexplicável. Eu já estava sem limites e sem juízo! Comecei a esfregar o pau do Zuca por cima da roupa e não demorei muito pra colocar aquela rola pra fora discretamente e começar a punhetar gostoso!

A cabeça do pau estava melada de gozo. Eu procurava punhetar suavemente para que os três que estavam ali conosco não percebessem o que estava acontecendo, já que meu corpo estava na frente e tampando a visão deles.

Com meus dedos, eu alisava a cabeça dura e latejante do pau do Zuca, espalhando o gozo que aquela pica soltava aos poucos! Que delicia!

Eu também queria sentir o gostinho daquela babinha gostosa, então lambia meus dedinhos provando o sabor do recheio daquele pau. Zuca olhava de boca aberta!

Ele olhou para meu decote e disse “Da pra ver a marquinha do biquinho do seu seio na roupa. Ta durinho! Tudo isso é tesão é?”.

De um jeitinho bem safado, lambendo meu dedinho e olhando pra ele, respondi “É sim! Meu biquinho tá durinho e minha calcinha tá toda meladinha por causa de você e desse seu pau delicioso aqui! E só pra você saber, minha calcinha tá enterrada na minha boceta. Não fica abrindo meu bumbum e minhas pernas daquele jeito se não todo mundo vai ver!”.

Zuca estava tomado pelo tesão também, estávamos sem juízo nenhum! Ele então me respondeu “Tenho certeza que eles vão adorar olhar! Vão ficar louco para enfiar o pau em você!”.

Aquele papo era gostoso demais, então eu disse ao Zuca “Eles já viram! Não é de agora que minha calcinha está socadinha assim em mim!”.

Zuca me chamou de safada, me puxou até ele e começou me beijar cheio de tesão. Enquanto eu alisava sua rola, ele novamente começou a me amassar, apertando minha bunda tesuda e me exibindo toda para os outros.

Ouvi o Beto dizer “Michele, você é uma delicia, não tem noção o que você ta fazendo comigo!”.

Me virei pra ele e respondi “Tenho sim!”, em seguida, voltei a beijar o Zuca com vontade! Ele me beijava e apertava gostoso meu bumbum! Abria meu rabo enorme e exibia aquela visão maravilhosa para as três pessoas sentadas bem na nossa frente. Enquanto me beijava, ele dizia baixinho apenas para que pudesse ouvir “Ta todo mundo vendo sua boceta safadinha!”.

Naquela momento, minha mini saia já não estava tampando nada, e minha bunda tesuda e empinada estava inteirinha de fora.

Os comentários de Beto e Rildo não paravam! E agora ouvi até a Alice dizer “Mas que rabo tem essa menina! Vocês estão todos babando né! Ta aparecendo tudo praticamente Michele”, disse ela sorrindo.

Olhei para trás com um sorrisinho safado e arrumei um pouco minha mini saia sem dizer nada, enquanto Beto e Rildo dizia para que eu não arrumasse e ficasse a vontade. Mas foi só eu soltar minha saia que o Zuca já levantou tudo de novo me apertando e abrindo meu bumbum.

Ainda me beijando, senti que o Zuca foi apertando meu bumbum e levando seus dedos cada vez mais perto do meu cuzinho. Aquilo foi me deixando ainda mais maluca! Senti que ele começou a esfregar meu cuzinho com dois dedos. Podia sentir o fiosinho da minha fio dental esfregando junto.

Todos podiam ver meu cuzinho quente, rosinha e levemente suado sendo roçado pelo fiosinho de minha calcinha minúscula e pelos dedos do Zuca. Aquilo fazia me sentir uma verdadeira biscate! Ficar toda exposta e deixar um homem esfregar meu cusinho na frente dos outros. Mostrar minha boceta e meu cusinho rosa daquela forma e saber que todos estavam babando. Eu não consigo explicar o quanto tesão eu sentia.

Beto, Rildo e até mesmo a Alice gritaram eufóricos vendo a cena! Rildo disse que a gente iria matar ele, que aquilo era demais. Beto disse revoltado “Vai tomar no seu cu Zuca! Seu filho da puta! Você me paga! Que delicia é essa que você trouxe aqui?! Deixa você pra mim!”.

Não sei por que, mas naquele instante eu pensei no meu namorado. Pensei na hipótese dele ficar sabendo de toda loucura que eu estava fazendo. Eu estava sendo muito vagabunda fazendo tudo aquilo escondida do meu namorado. Mas o tesão e aquele clima todo me dominava demais para sentir algum remorso ou arrependimento.

Zuca parou de me beijar, e com sua boca encostada em uma de minhas orelhas, ele começou a dizer muitas safadezas “Você ta com água na boca de alisar minha pica né safadinha?”.

Com aquela voz de puta eu dizia “Uhum! To sim!”.

“Ta com vontade de mamar na minha pica tá?”, dizia ele baixinho em minha orelha enquanto eu alisava a cabeça melada de seu pau e sentia ele apertando minha bunda gostosa.

“To sim! To com vontade de mamar você bem gostoso!”, respondia eu.

“Mama, vai! Aqui mesmo! Mostra que você gosta de mamar. Não precisa se preocupar com ninguém minha delicia”

“Não. Aqui não seu tarado! Todo mundo vai me ver com o pau na boca.” Respondi a ele, mas adorei a ideia!

Zuca continuou me provocando. Dizendo em minha orelha que ele sabia que eu iria adorar mamar na frente dos outros. Que eles iriam ficar morrendo de vontade, que iriam ficar todos com o pau duro querendo meu boquete também. Mas eu com um jeitinho bem safado dizia que não. Que era safadeza demais, que todos iriam ver. Na verdade, eu estava com muita vontade e até tinha uma certa coragem de começar a chupá-lo ali. Mas queria fazer esse joguinho com ele.

Então, Zuca me disse “Vou chamar a Alice aqui pra ela ver o que você está fazendo com sua mãozinha”.

Eu dei uma gargalhada e respondi “Chama ela sim”.

“Acha que ela vai gostar do meu pau?”, me perguntou.

“Com certeza! Ela vai ficar molhada!”, respondi.

O trio que estava ali conosco ouviu minha risada e perguntaram o que a gente estava conversando. Nesse momento Zuca disse “A Alice conta pra vocês. Vem aqui um pouquinho Alice.”.

Ela se levantou e caminhou até nós. Parando bem do nosso ladinho, ela viu a cena. O pau do Zuca estava praticamente inteirinho de fora. A cabeça estava inchada, dura, enorme e brilhando por estar lambuzada de gozo. Eu olhei pra ela com um sorrisinho de putinha e ela ficou me olhando com a boca aberta com uma leve expressão de sorriso. Eu fiquei alisando aquela cabeça enorme com meu polegar e olhava nos olhos dela. Alice mordeu os lábios enquanto Beto e Rildo já imaginavam o que estava acontecendo.

“Ela está com o pau dele na mão! Michele safada!”. Disse Alice para todos escutarem enquanto voltava para o sofá sentando entre o Rildo e Beto novamente. Com certeza a safadinha adorou o pau do Zuca.

O Rildo se levantou, e veio me ver alisar a cabeça do pau de seu colega e punhetá-lo bem devagar e com muito carinho. Fingi que ele nem estava do nosso lado, continuei beijando o Zuca e alisando sua tora quente.

Rildo ficou olhando por um tempo sem falar nada, e notei que Beto também se levantou e veio olhar. Depois de um minutinho talvez, eles voltaram a se sentar no sofá onde estavam, comentando que eu era uma safadinha mesmo e provocando a Alice, dizendo que eu era mais legal do que ela por estar fazendo tudo aquilo. Eles começaram a dizer que a Alice tinha que fazer alguma coisa também, pra ela se soltar mais, pois eles estavam doidos de tesão ali. Eu continuava minha safadeza toda com o Zuca quando ouvi que o Beto parou de falar de repente, como se estivesse sido interrompido, em seguida, ouvi Rildo gritar um “Nossa!”, e rir logo em seguida (estavam bem alterados, pois não haviam parado de beber).

Zuca parou de me beijar para olhar o que havia acontecido e eu também me virei para ver. Alice estava beijando Beto agora!

O Rildo nos olhou sorrindo e fez uma cara do tipo “Que coisa não!?”.

Na hora eu pensei que iria começar uma putaria ali com eles. Beto começou a alisar seus seios e apertá-los com vontade. Por ela usar um tomara que caia, seus seios pularam pra fora (eram lindos!), pois ela estava sem sutiã. Mas Alice rapidamente os cobriu.

Não sei porque aquela menina não se soltava logo! Talvez não fosse tão desinibida como eu. Fato é que ela ficou só nos beijos mesmo com o Beto, assim como fez com o Rildo. Ela nem passou a mão no cara e nem deixou ele passar a mão em sua boceta (eu vi ele tentando). Mas Alice deixou que Rildo apertasse seu bumbum enquanto beijava Beto. Instantes depois, ela já havia parado de beijá-lo, e os dois já estavam provocando-a novamente com o intuito de fazer aquela garota comaçar uma putaria.

Enquanto isso, Zuca voltou a me provocar, falando em meu ouvido “Que punheta maravilhosa você tem! Deve ter batido muitas já”.

“Bati sim! No meu colégio então...nossa! Minhas amigas me disseram que tenho fama de punheteira por algumas coisas que aprontei!”, disse a ele.

“Seu namorado descobriu alguma vez?”, perguntou Rildo.

“Não, nunca. Agora eu até me comporto mais, mas apronto na escola bem antes de começar a namorar!”.

“Que safada! E boquete? Já fez na escola?”.

Eu continuava alisando sua pica e punhetando ele bem lentamente enquanto respondia sua pergunta com um sorriso safado sem dizer nada. Então ele me disse “Que menininha abusada! Já que gosta tanto de mamar que faz isso até no colégio, mama logo meu pau aqui na frente deles vai!”.

Recusei e continuei com meu joguinho de deixá-lo na vontade. Disse que ele estava louco por uma mamada, e ele confirmou que sim.

Em seguida, eu levei minha mãosinha até minha boca, coloquei a minha língua pra fora e deixei cair bastante saliva. Depois, passei minha mãosinha na cabeça do pau dele, deixando todo melado de baba.

Zuca olhou nos meus olhos com muito tesão e eu disse pra ele “Pronto, ta aí minha saliva no seu pau! Só pra matar um pouquinho sua vontade!”.

Ele me olhava com muito desejo! Eu seguirei firme seu pau e podia sentir pulsar! Ele devia estar no ponto! Mesmo comigo alisando e batendo punheta lentamente, seu pau estava super enrijecido e parecia que iria explodir! Ele estava no ponto de gozar! Me lembro muito bem como estava enorme a cabeça daquela pica!

Zuca fora de controle e tomado pelo tesão, fez uma coisa que eu adorei! Ele se levantou e me tirou de cima dele. Eu nem quis olhar pra trás, mas Alice, Rildo e Beto pararam de falar na hora!

Ele ficou em pé frente a frente comigo com o pau de fora! Depois, ele colocou suas duas mãos no meu ombro e me forçou a abaixar e ficar de joelhos.

Zuca colocou uma mão em minha nuca e segurou meus cabelos, com sua outra mão ele segurou seu pau enorme e duríssimo deixando toda a cabeçorra de fora da pele. Em seguida ele puxou devagar minha cabeça até seu pau, e eu obedeci direitinho.

Comecei a sentir ele esfregar seu pau no meu rosto enquanto eu coloquei a língua de fora e comecei a lamber.

Olhei para ele sorrindo e ele retribuiu o sorriso e me disse “Vai safadinha! Mostra Alice como é que faz!”.

Eu sabia que ele estava no ponto de gozar, imaginei que ele não estava mais aguentando de tesão e quisesse me dar leitinho na boca ali, na frente de todos.

Mas eu não queria que ele gozasse agora, por isso segurei seu pau com uma de minhas mãos e enquanto punhetava vagarosamente, lambia suas bolas e a cabeça de seu pau com muito jeitinho e carinho, toda putinha. Eu também cobria toda a cabeça de seu pau com a pele, e puxava em seguida descobrindo toda a cabeçona da pica bem lentamente, em seguida eu lambia gostoso a parte de baixo da cabeça da pica, dava selinho, fazia biquinho e esfregava a cabeça do pau dele nos meus lábios, colocava a língua pra fora e imitava uma cobra, lambendo a porra que aquela pica não parava de babar!

É claro que os três que estavam ali conosco ficaram doidos e comentavam tudo! Estavam babando na cena e em mim, já que estava deliciosa com aquela roupinha que usava, ajoelhada chupando uma rola deliciosa e grande. Minha mini saia até estava me tampando direitinho, mas eu realmente estava um tesão, com o bumbum empinado e minhas coxas grossas inteirinhas de fora, meus seios queriam pular para fora do decote do meu top.

Uma de minhas mãos, eu usava para segurar a pica do Zuca, a outra eu levei até minha boceta por baixo da mini saia, tirei a calcinha de lado e comecei uma gostosa siririca. Eu estava toda melada! Minha calcinha estava encharcada! Minha bocetinha queimava de tesão, e eu não aguentava mais, precisa esfregar minha boceta para aliviar meu tesão! Não só esfreguei, mas também enfiei um e até dois dedinhos dentro de mim! Estava louquinha lambendo e chupando aquela piroca.

Aquela cena deve ter empolgado bastante a Alice, pois o Zuca me mostrou o que ela fazia no sofá sentada no meio do Beto e do Rildo.

Alice alisava o pau dos dois por cima da roupa enquanto olhava para o pau do Zuca, já que eu estava de lado para eles. Não demorou muito e os dois que ali estavam sendo alisados, começaram a colocar o pau para fora. Então a Alice começou a punhetar os dois ao mesmo tempo.

Não pude deixar de olhar e secar aquelas duas picas! Que inveja dela! O pau do Zuca era enorme, o maior de todos, mas os dois também tinham o pau grande e delicioso!

Rildo abaixou o tomara que caia da Alice e deixou seus belos seios empinadinhos de fora.

Agora sim a safadeza tinha começado! E eu não fazia ideia de onde tudo aquilo iria parar! Na minha cabeça, eu imaginei que todos nós iríamos transar ali mesmo, um na frente do outro. Pensei também que Alice iria transar com os dois ao mesmo tempo.

Mas, em menos de 5 minutos, o dono da chácara Beto, levou Alice para um quarto, ela saiu andando com ele com seus seios de fora deixando o Rildo sozinho se ajeitando ao nosso lado. Eu podia jurar que a Alice estava mais interessada no Rildo, até por que ele era um gatinho (não que o Beto não fosse), mas o fato do Beto ser o dono do local fez a diferença. Rildo até que não demonstrou ficar chateado. E quando Zuca brincou com ele sobre a situação que ele ficou, Rildo respondeu “O Beto é o patrão aqui né? Vamos respeitar. Até porque a safadinha aceitou ir com ele de boa.”

Os dois conversando, enquanto eu estava ali, ajoelhada e mamando no pau do Zuca.

Logo, o Rildo nos deixou a sós e saiu do local. Não demorou muito também e Zuca e eu fomos para outro quarto. Na verdade, Zuca queria me comer ali mesmo. Mas eu preferi ir pra um lugar mais sossegado.

Fui andando pela casa segurando no pau dele, que estava de fora. Havia deixado aquela pica toda babada com minha boquinha e eu sabia que não iríamos transar muito, pois Zuca estava no ponto de gozar já fazia um tempo. E eu também estava!

Ao chegar no quarto, Zuca me chupou gostoso por um breve tempo. Ele comentou o quanto eu estava melada e disse que minha babinha estava uma delicia! Mas eu pedi pra ele chupar devagar e com cuidado, pois eu não queria gozar.

Depois que ele me chupou um pouco, tiramos completamente nossas roupas e pela primeira vez pudemos nos admirar direito em um lugar apropriado. Aquele cara era realmente muito gostoso. E com certeza ele ficou de queixo caído com meu corpão também, inclusive ele chegou comentar que casaria comigo fácil (vê se pode?)!

Deitamos na cama nos beijando e nos esfregando, até que eu fiquei deitadinha de lado, de costas para ele. De conchinha, Zuca me abraçou apertando meus seios, e eu pude sentir aquela pica enorme esfregando em minha boceta.

Foi aí que perguntei a ele “E a camisinha seu safado?”

“Nossa! Está lá no carro minha delicia”, respondeu ele enquanto esfregava gostoso seu cacete na minha bocetinha.

“Não acredito Zuca! Bom...mete assim mesmo, preciso gozar! Não estou aguentando mais! Mas na hora que você for gozar, tira de mim tá?”, disse a ele.

Zuca concordou e finalmente, pude sentir a cabeça de seu pau entrando deliciosamente em mim.

“Põe tudo vai! Lá no fundo! Bem gostoso!”, disse a ele toda putinha e gemendo.

“Aí Michele, que boceta apertada e molhada! Que tesão!”, ele me dizia enquanto enfiava aquele pau todo dentro de mim. Que delicia sentir tudo aquilo me invadindo! Eu pedia pra ele meter gostoso e assim ele fez. Devagar e com carinho, com cuidado para não gozar. Tentamos prolongar aquela transa deliciosa o maior tempo possível. Mas em cerca de cinco minutos, eu não aguentei e disse a ele: “Vou gozar! Vou gozar! Me fode gostoso vai! Bem forte!”.

Comecei a gemer e um orgasmo enorme tomou conta de mim! Zuca começou a meter forte e rápido enquanto com uma de suas mãos, ele esfregava meu clitóris! Os bicos dos meus seios pareciam que iriam explodir de tão durinhos. Meus seios,braços e coxas estavam claramente arrepiados! E antes mesmo de eu terminar de gozar, Zuca não aguentou sentir aquela ninfeta gemendo e gozando, também não aguentou me comer forte e rápido da maneira que estava fazendo e anunciou que também iria gozar.

Pude sentir que ele diminuiu o ritmo de suas estocadas devido ao tesão e, gemendo muito e respirando ofegante ele disse: “To gozando! To gozando!”

“Tira! Tira!”, eu disse a ele gemendo de tesão! Zuca tirou, mas eu senti que alguns jatos de porra quente saíram dentro de mim (que delícia!), em seguida ele posicionou a cabeça de seu pau em cima da minha boceta, e ficou se masturbando e gozando! Eu abri meu bumbum com uma das minhas mãos e ele aproveitou para soltar seus jatos de porra em cima do meu cuzinho também!

Fiquei toda melada de porra! Ele gozou como um cavalo!

Toda lambuzada, eu mamei em seu pau, deixando bem limpinho e provando o sabor do leite daquele macho!

Em seguida, Zuca perguntou se eu queria me limpar. Eu disse que não! Que queria ficar melada com a porra dele. Disse a ele que ele chegou a gozar dentro de mim. Ele riu e disse que se gozou mesmo, foi só um pouquinho.

Depois de tudo, ele apagou a luz do quarto e deitamos peladinhos no escuro total. Zuca iria me levar embora pela manhã.

Eu havia bebido bastante, e estava um tanto quanto bêbada, assim como todos ali. Acho que por isso o sono bateu em mim. Zuca e eu ficamos conversando sobre tudo aquilo e eu comecei a cochilar. Não demorou e eu caí no sono.

Perdi a noção de quanto tempo eu dormi, mas certa hora, acordei sentindo alguma coisa esfregando em minha boceta. O quarto ainda estava bem escuro, mas notei que a porta estava um pouco aberta. Não me preocupei com isso, talvez o Zuca havia levantado para ir ao banheiro e ao voltar não fechou a porta direito.

Eu estava deitada de ladinho e podia sentir o Zuca deitado atrás de mim, esfregando seu pau em minha boceta que estava toda lambuzada de porra. Eu podia sentir o cheiro de seu leite, já que ele havia gozado muito em mim e eu nem tinha me limpado.

Adorei senti-lo roçar seu pau em mim, fiquei com tesão na hora! Resolvi empinar meu bumbum para trás para facilitar as coisas e deixar com que ele me penetrasse mais facilmente. E foi o que aconteceu. Comecei a sentir seu pau entrando em mim e seu corpo colou junto ao meu. Mas tinha algo estranho.

Ao sentir seu pau e seu corpo em mim, percebi algo diferente. Levei as mãos pra trás para acariciar o corpo de Zuca e senti que ele estava completamente vestido, usando todas as peças de roupa. Nessa hora, eu já estava sentindo ele me comer gostoso!

Passou pela minha cabeça a possibilidade de não ser o Zuca, então resolvi me virar para tentar enxergar alguma coisa, já que a porta estava um pouco aberta fazendo com que entrasse um pouco de luz das lâmpadas do lado de fora do quarto.

Minha primeira impressão é que não era mesmo o Zuca. Mas esperei mais alguns segundos, sentindo aquela pessoa, passando a mão nela e olhando o vulto de seu corpo no escuro do quarto, enquanto sentia essa pessoa me comer!

Minha ficha caiu. NÃO ERA ELE!

Assustada, tirei o pau da pessoa rapidamente de dentro de mim e pude sentir suas mãos segurando minhas coxas dizendo: “Calma Mi! Relaxa! Não precisa ter medo!”.

Era a voz de Beto. Era ele quem estava me comendo ali!

Totalmente confusa e assustada, eu não tive tempo de pensar naquela situação. Onde foi parar o Zuca e o que o Beto estava fazendo ali?! E foi exatamente isso que eu perguntei naquele momento com voz de espanto e querendo me levantar da cama.

Beto me segurou encostado seu pau duro em meu bumbum, e explicou que o Zuca saiu para levar o Rildo embora, pois aconteceu alguma emergência e o Rildo precisou ir, mas sua moto não estava funcionando. Beto também disse que o Zuca iria voltar logo, em menos de meia hora.

Enquanto me explicava, eu sentia ele apertar seu pau contra meu bumbum e esfregar suas mãos por todo meu corpo.

Aquele safado nem estava usando camisinha!

Eu tentava me soltar de suas mãos e disse pra ele sair dali e me deixar em paz!

Mas Beto me segurou firme com as mãos em meus seios e disse: “Se você não quiser eu saio! Mas me deixa te comer só um pouco! Babei em você a noite inteira menina! Você é um tesão!”

“Não! Sai fora! Você ta maluco! Eu vim aqui com o Zuca! O que você pensa que está fazendo?!”, disse a ele tentando me soltar.

Mas ele era forte e não me deixava sair daquela situação. Beto continuou dizendo para que eu ficasse calma, e deixasse ele me comer só um pouco.

“Você já me comeu um pouco Beto! Me solta por favor?”, disse a ele parando de tentar sair dali a força, e tentando usar a calma. Pedindo pra ele me soltar. Tentei mudar de estratégia, já que fazer força não estava dando certo.

Beto voltou a dizer que sairia de lá na boa, mas que queria meter em mim só mais cinco minutinhos. Pude senti-lo enfiar e roçar seu pau no meio do meu bumbum, sobre meu cuzinho e minha boceta. Como eu estava lambuzada, aquela pica deslizava deliciosamente em mim. Comecei a relaxar, e meu instinto de biscatinha, ninfeta e putinha começaram a aflorar em mim novamente.

Fiquei parada, deixando ele fazer o que quisesse comigo, mas dizia a ele já com voz de putinha: “Não Beto, isso não ta certo. Tira seu pau daí vai”

“Calma Mi, qual o problema? Não vejo nada de errado”, Beto me dizia enquanto apertava meus seios com uma de suas mãos e com a outra já ajeitava seu pau na entrada da minha boceta.

Fora o fato de eu estar toda lambuzada com a porra do Zuca, minha boceta já estava babando de tesão novamente. Não era possível que Beto não percebeu aquele cheiro de porra e não sacou que eu estava toda suja de leite de macho. Acho que aquele tarado nem se importou com isso, ele realmente estava a fim de me comer, afinal, não é sempre que se tem a chance de meter com uma delicia de ninfeta como eu.

Sendo assim, Beto enfiou seu pau inteirinho em mim, e eu fiquei louca de tesão por estar sendo puta daquele jeito! Estava traindo meu namorado e agora estava traindo até meu amante!

Enquanto Beto metia gostoso em mim, eu continuava dando uma de putinha inocente e dizia com aquela voz de tesão “Não Beto, para com isso. Tira esse pau de mim!”

“Não tiro! Agora eu não tiro mais, você ta gostando safada!”

“Mas isso não ta certo. E a Alice? Você não estava com ela?”

“Ela está dormindo e eu não tenho nada com ela. A Alice já gozou no meu pau e agora esta dormindo. Porque você não goza no meu pau também?”

Comecei a gemer de prazer!

Beto passou a meter forte e com vontade, me fazendo gemer mais alto e me deixando maluca! Gemendo como uma cadelinha no cio, eu dizia a ele: “Seu safado! Você está abusando de mim! Está fodendo minha bocetinha!”.

“Você gosta né?”, disse Beto.

“Gosto! Gosto sim! Mete! Mete em mim! Aproveita vai! Enfia esse pau gostoso!”, respondi ao Beto gemendo muito e cravando minhas unhas e em de seus braços.

Nesse momento, a luz do quarto acendeu!

Já havia passado vários minutos que eu e o Beto estávamos com toda aquela putaria ali na cama.

Quando olhei para a porta, avistei Zuca parado olhando toda aquela cena, com as sobrancelhas levantadas mostrando uma expressão “fingida” de supresa.

Beto ficou com um sorriso sem graça no rosto e eu não sei explicar a minha expressão naquele momento.

Beto não saiu de dentro de mim e um silêncio tomou conta do quarto por alguns segundos, mas parecia uma eternidade!

Eu fiquei muda! Não sabia o que fazer nem falar. Foi aí que Beto quebrou o silêncio dizendo “Então Zuca, beleza? Foi mau aí, mas as coisas já rolaram desse jeito nessas festas que a gente faz, por isso nem quis falar nada com você antes né. Ta tudo certo?”

Zuca ignorou completamente seu amigo e olhando pra mim ele disse “Caramba Michele! Você é safada mesmo. Eu sabia disso, mas não achei que fosse tanto”.

Ele estava claramente incomodado com a situação e eu não gostei nem um pouco de ouvir aquilo.

Então eu respondi “Cara, eu achei que era você! Acordei com ele praticamente dentro de mim já! Tava tudo escuro...”

“Você é uma putinha Michele!” disse Zuca me interrompendo.

Beto estava serio e tirou seu pau duro de dentro de mim dizendo “Nossa Zuca, achei que você tinha trazido ela aqui pra curtir, sem compromisso com ela velho!”.

Zuca abrindo um sorriso, começou a caminhar até a cama e disse para o Beto relaxar e que podíamos continuar tudo aquilo desde que ele pudesse participar também.

Eu fiquei completamente confusa, sem entender se ele estava bravo ou não. Confesso que fiquei com vontade de parar tudo aquilo, até porque, fiquei ofendida com as coisas que Zuca acabou de falar pra mim. Pois ele pareceu bravo e chateado quando disse.

Mas quando dei por mim, Beto já estava me comendo de novo e Zuca já estava com o pau de fora, sentando na cama ao lado de minha cabeça, segurando aquela tora pertinho do meu rosto.

Comecei a mamar olhando nos olhos de Zuca enquanto Beto estocava seu pau em mim com vontade!

Eu gemia de tesão enquanto mamava na tora do Zucal! Que pau gostoso de se chupar!

Mesmo eu cedendo a toda aquela safadeza, sentia no ar que algo estava errado, o Zuca ainda me parecia incomodado com aquilo. Nem o fato de ele estar participando e falando algumas safadezas me fazia acreditar que ele estava curtindo cem por cento tudo aquilo. Eu podia perceber que ele estava com um ciúmes de ver o Beto me comendo na sua frente. Mesmo assim, Zuca me dizia coisas do tipo: “Não se contentou só com um pau não é sua safada gulosa?”.

“Uhum!” dizia eu concordando com ele.

“Tá satisfeita agora tá? Com dois paus?”

“Uhum!”, respondi ao Zuca sem parar de mamar na sua tora e sentindo Beto me comer gostoso e apertar meus seios duros e empinados.

Eu não queria falar muita sacanagem ali, pois tinha alguma coisa no Zuca que não me deixava confortável. Mas, meu instinto de fêmea putinha falava mais alto. Eu estava dominada e enlouquecida de tesão!

Continuei curtindo aqueles dois machos ali na cama. Que delicia é a sensação de ter uma pica na boca e outra comendo gostoso a boceta!

Me deixei levar na situação e resolvi ficar de quatro na cama com meu bumbum enorme todo empinado para o Beto meter em mim. Zuca é claro, me deu seu pau para que eu continuasse mamando.

Me lembrei de um detalhe importante e pedi para o Beto não gozar dentro de mim, já que comecei a perceber que ele estava ficando no ponto pois, ele estava me comendo devagar e tirava seu pau toda hora de dentro de mim para esfregar aquela pica toda melada no meu bumbum e no meu cuzinho rosado.

Eu também estava muito perto de gozar de novo. Minha xotinha piscava de tesão e eu estava suada de tanto sexo, aliás, todos nós estávamos.

Beto me olhava mamando no pau do Zuca e dizia” Que delicia! Como ela mama gostoso, com gosto! Nossa Michele, como você é demais!”

E aquela pica estava maravilhosa de se chupar, a cabeça estava dura e enorme! E foi aí que fui surpreendida por um jato de porra quente dentro da minha boquinha.

Zuca começou a gozar na minha boca enquanto eu mamava, lambia e deixava toda porra inundar minha boca e escorrer para fora dela, lambuzando o meu queixo e caindo no colchão. Alguns jatos de gozo acertaram meu rosto me melando gostoso!

Sentir o gosto e o cheiro da porra do Zuca foi demais pra mim, e enquanto o Zuca esfregava o pau todo melado com sua porra no meu rosto depois que ele acabou de gozar, eu senti um orgasmo enorme me invadindo e pedi pro Beto meter com vontade pois eu ia gozar.

E como gozei! Minha boceta chegou a escorrer e pingar meu “suquinho” no colchão! Fiquei toda encharcada e quase não consegui me sustentar e ficar de quatro.

Enquanto eu gemia e gozava, o Zuca esfregava o pau na minha cara e eu aproveitava pra lamber e cheirar aquele pau gozado.

Já o Beto metia gostoso, sentindo minha boceta molhar seu pau com meu gozo.

Os dois ficaram admirados e enlouquecidos com meu orgasmo e disseram que eu gozo como uma atriz pornô.

Não demorou muito e o Beto rapidamente tirou seu pau de mim dizendo que iria gozar.

Eu com o rosto todo lambuzado com a porra do Zuca, ainda queria mais e pedi para o Beto me dar seu leitinho na minha boca enquanto já me virava para receber.

Beto punhatando seu pau todo enrijecido começou a gemer enquanto eu abocanhava a cabeça de seu pau! Aquela pica tinha acabado de sair de mim e estava todo molhado e lambuzado com meu gozo.

Comecei a sentir os primeiro esguichos de porra em minha boca. Que delicia! Que quentinho! Aproveitei para engolir e me deliciar com o leite daquele pau gostoso. Mas, também deixei escorrer um pouco para fora da minha boca fazendo com que meus seios e minhas coxas ficassem lambuzadas de porra.

Enfim...me olhei e me vi toda suada, com os cabelos colados na testa, melada e cheirando a porra. Satisfeita por uma noite de sexo gostoso. Me senti muito bem, me senti putinha. Com certeza eles estavam vendo a imagem de uma ninfetinha tarada, linda e deliciosa, peladinha ali na frente deles.

Deitei na cama esfregando e espalhando a porra nos meus seios e no meu corpo todo enquanto o os dois ficavam me secando e admirando meu corpo.

Beto começou a falar sobre tudo que aconteceu naquela noite. Ele disse que eu fui a menina mais sensacional que ele já viu e o Zuca concordou.

Eles me ofereceram uma toalha para que tomasse um banho. Eu agradeci e peguei a toalha, mas minha vontade era me vestir daquele jeito, sem tirar todo aquele leite e aquele cheiro de sexo de mim.

E assim eu fiz! Enquanto conversávamos sobre qualquer coisa, fui me vestindo sem me limpar. É claro que eles comentaram e perguntaram se eu não iria tomar uma ducha, mas eu com um sorriso safado respondi que não precisava.

Ainda faltava um pouco para amanhecer, mas Zuca quis me levar embora.

Então liguei para minha amiga avisando ela e combinando de entrar em sua casa sem ser notada.

No caminho de volta, Zuca foi extremamente frio e seco comigo. Então resolvi ficar quietinha e nem puxar papo.

Quando ele me deixou próximo da casa de minha amiga, ele nem se despediu direito e logo que sai de seu carro, ele já saiu acelerando.

Ao entrar na casa de minha amiga (estou contando tudo depressa, pois essa historia já esta enorme rsrs), ela ficou maluca ao ver o estado que eu estava, até porque eu fiquei peladinha em sua frente e comecei a contar tudo o que tinha acontecido. Ela pirou e ficou toda tarada.

Dias depois pela internet, Zuca abriu o jogo comigo e realmente me contou que ele jamais imaginaria que isso iria acontecer com ele, mas ele estava começando a gostar de mim. E foi bom que tudo aquilo aconteceu pois isso serviu para ele pensar melhor nas coisas.

Bom é isso aí! Espero que tenham gostado e me desculpa pelo tamanho do conto, acho que exagerei nos detalhes, mas agora já foi. Comentem POR FAVOR esse conto, pois eu adoro ler e saber o que estão achando. Isso me motiva a escrever mais aqui.

Se quiserem, me adicionem no Skype: [email protected] e leiam todos os meus outros contos aqui no site clicando no meu nome lá em cima do conto onde está escrito “autor”.

Um beijo para todos!

Comentários

08/07/2016 12:55:21
Mais um conto delicioso... a cada conta vc me deixa louco
18/02/2016 13:40:34
Dlc de conto Mi... Vc é putinha msm... Acho q temo algo em comum kkk... Nota 10!!!
11/01/2016 17:50:32
hum! tambem quero sentir sua buceta gosta delicia me add [email protected]
06/10/2015 08:39:07
Muito bom!Quando vai nos oferecer outro????
28/07/2015 14:56:14
sensacional
28/06/2015 02:01:00
Ficou delicioso esse, muito bom mesmo!!!
04/06/2015 22:44:50
Gostoso conto, identificamos muito com ele. Visitem nosso blog com mais de 15 mil fotos de sexo, nossas aventuras e os mais diversos assuntos relacionados a sexo. Beijos molhadinhos.... rubiaebeto.comunidades.net
01/06/2015 05:58:20
Muiotooooo bom ! Conte mais aventuras suas !
01/06/2015 01:35:31
Curti muito mesmo.. Adorei o conto

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.




Online porn video at mobile phone


Contos eroticos cunhada cdzinhavídeo de sexo com matuto. na piscina de sucacontos eróticos as amiguinhasincesto com meu vô contosContos eroticos irmas gulosas mamando no pauzao grosso do irmao e de mais cinco amigos pauzudos dele na piscina de casaxxvideosamocontos eroticosdei meu bucetao para um pauzudorola de moreno plutãovídeo pornô intrigada e padrastonovinha de sai deincha ver a bucetaRelatos de zoofilia cao estruparelato lambuzei o corno e a putacontos de crossdresser forçadoconto lesbico a procura do amor cap25contos mulheres cinquentona nao aguenta pau com super cabecaConto gay viagem Onibus leitovideos porno varias duas amigas cagando juntas fala meu fiobucetinha novinha estralandoxvideosseja perguntei a vida de sexo de travesti pornô com a nossa prima de vozporno sem casaminhasxvidio mulheris gostosas trocando obiquinho de banho no banheiromae com tesao se masturba aoamamentar filho contos Chico não posta foto dela desce em pornô com As Panteras filme pornô com As Panteras 10fotos de profesor japonesa tamno abucetaContos eroticos a gozada incetuosa e mais gostoza que quaque outra gozando dentro da irma cem camisinhaentrequei minha vigidade pri maridi da minha tia contodoce nanda parte cinco contos eroticosvidio di hme k toroco disexoxvideos gata novinha virgem perdendo a virgindade .sai pra ir na igreja e acabou indo foder no.motel levantou a saia cunprida e gozo gostosovideos de sexo nora provoca sogro na praia de nudismoDesabafo de uma mae cap Vconto erotico macho dominador convida amigos pra foder viadinho submissoela "abriu a porta" pelado meu pau banheiro "minha tia"vovô taradaporsexosmundobicha.com brasil academicosconto erotico novinho safado 05,03,2017contos de sexo depilada na praiaconto bundonacomo q estourar as bolinhas sexchop sexuais na relacao sexomulher engata com cachorro grande e nao consege desengata pornoo caralho era tao grande e grosso que quase desmaiei com ele dentro do cuconto minha sogra mim escutava meter na filha dela batia sirrricasobrinha pega o tio com.papagaio na mão porno doidoComtos namoradas fodidas por velhosnovinhos chinêses comendo cadela zoofiliacontos de mae vadia viciada na rola do filhoCamisinha atrapalha a tirar a virgindadevídeos de veias tirando a caucinha dando o cu pra velhovídeos amador de homem tirando a calcinha da mulher no ônibus e ela fingindo que tá dormindoporno vedio chupando buceta forçado padrasto sexo forçado direto safado estupro gozando gostosocontos eroticos cu apertado.da maeconto fudi minha sobrinha de onze nos gostosaincesto tia e sobrinho ela tenta resisti mad acaba sedendo a buxetinha porno videoszoolofila so fudendo o cu da vadia 696coroa peituda de buceta peluda fidendo depois da festalinda loirinha chorando no pau do cara e gemendo muito querendo mudar fundo maluquinhaPrefeito Sandy crentinha s***** metendonó parquinho perdi o cabacinho contosswing video mulher beija depois de levar gozada na boca de outroPorhb vovo porfavor nao fasa iso eu ainda sou mocinha eu nao quero contos eroticoscontos eróticos amiga novinhacontos eroticos numa ilha desertacontos casada seduzida pelo caseiro picudoXVídeos caseiro eu te empurro com fosse eu não aguenteipornodoido tecnico esfola novinhaquero ver vídeo de sexo com mulher transando com outras mulheres usando aquelas picas de borracha de elástico sem garfo e comNovinha da cuzinho no enlevadocontos/vi minha tia no puteiroContos eroticos com o dono da verdureiroContos eróticos minha mãe e os cubanos - parte IVcontos eróticos curtosde gay dando o cu pro cachorrãopornodoido dividio namorada com amigo do execitocontos mulheres que gostam de cu de homemchateou a amiga até ela dar o cu vídeo amador mobile sexotc.comirma esta lendo livro começei a lisar ela ate comer o rabo dela pornocomeram minha buceta no carnavalconto erotico nora carenti fudendo cm sogra pirocudosexo contos eroticos comi minha prima d menor nordestinaVelhos que mamam seios de sua neta contos eróticosnao aguentou e gozou na mao da doutora xxvideosfilme meu irmao me deseja fudercalcinha atirando de lado e mostrando abucetabaixa xvideo coroa venhia nao gueto pica drelato picante de esposa cavalona e marido pintudohostorinha emquadrio porno mai tranza com seu filhocontofudi minha cunhadahtts:you.comtube ponodoidoporque os atores de porno ficam mais tempo enrijecidosconto erotico tirei o cabaco da patricinha na marrameu filho pintudo contobaixar filme pornográfico de coroas transando buceta com buceta liberado para assistir e já funcionandocontos gay babydool maeas novas novia cenus estrupada pediu virgindadeconto deram tesao de vaca pra minha esposamaio gozada de mulheres fumando cigarro asseste videoCerto ou errado?meu irmao amado contos gays cap.07sexobrasileirocavaloMania de fica pelada acabei dando pro meu pai