Casa dos Contos Eróticos


Click to this video!

Iniciado pelos guris e depois pelo pai do Cleber

Cresci em uma pequena cidade do interior de Santa Catarina. Lá vivenciei aproveitando o máximo o que a infância pode me oferecer. Curti todo tipo de brincadeira com a molecada, meus colegas de escola. Nossa principal diversão, principalmente no verão, era, ao sair da escola, depois das 17h, brincar no riacho que havia no mato, próximo dos limites da cidade.

Não lembro quando começaram as sacanagens entre nós, mas lembro que no início, a gente brincava de mijo à distância, para ver quem mijava mais longe. Depois começamos a medir nossos paus. Mais tarde, esfregar um pintinho no outro. Eu era o único moreno jambo da turma, pois em Santa Catarina, a maioria das pessoas tem a pele branca e, por isso, os guris sempre elogiavam minha bunda, lisa. Eu era o mais novo deles, estava na terceira série, enquanto meus colegas já estavam na quarta série e, o Cleber, já estava na quinta.

Em uma das brincadeiras, além de passar a mão na minha bunda, o Cleber, que era o mais velho, começou a introduzir o dedo no olhinho do meu cú. Senti arrepios, e deixava. Os guris riam. Não havia preconceito entre nós, aquilo era só uma brincadeira inocente. Todas as tardes, ficava esperando ansioso, para depois da aula, voltar a brincar com meus amigos, em segredo.

Logo, pediram para eu chupar os pintos deles. Não sei o porquê, mas o fazia. Enquanto mamava aqueles pintinhos salgados, com gosto de mijo, dois deles abriam as bandas da minha bunda, cuspiam e tentavam enfiar o dedo. Eu não queria, reagi. Mas os guris me seguraram, empinando a minha bunda e, enquanto eu chupava alguns, dois deles começaram a brincar no meu cuzinho, enfiando e rodando o dedo no meu cuzinho. Um cuspia e o outro introduzia o dedo. Senti arrepios, e apesar da dor inicial, estava curtindo. Deixei eles se divertirem.

Todas as tardes, eu mal conseguia me concentrar nas aulas, esperando pela hora das brincadeiras. Até que o Cleber, depois de brincar com os dedos, decidiu enfiar o pinto no meu cuzinho. Eu não queria, mas segurado forçadamente por eles, depois de brincarem bastante no meu cú, abri as bandas da bunda e deixei.

No começo doeu muito, pois o Cleber era maior que os outros guris, o pinto dele também. Dei um forte gemido quando passou a cabecinha, e logo, todo o pinto, que apesar de maior que os demais, ainda era pinto de moleque. Ninguém ali gozava ainda. Eu sentia um calorzinho gostoso, com um pouco de dor. Depois do Cleber, os outros também introduziam seus pintos de moleque em mim, e eu curtia. Numa das vezes, o Cleber, depois de introduzir o pinto dele no meu cú, parou por uns instantes com o pinto atolado no meu cuzinho. Senti algo quente. Ele estava mijando dentro do meu cú. senti o líquido quente sendo derramado nas minhas entranhas. Depois que tirou o pau do meu cú, me abaixei para botar o mijo dele pra fora. Foi um espetáculo, todos os guris queriam ver. Em outras brincadeiras, passei a pedir para eles mijarem dentro do meu cú, sentia tesão, pois ainda ninguém havia gozado em mim.

Havia uma forte cumplicidade entre nós. Ninguém contava o que fazíamos pra ninguém. Era nosso segredo, cerca de cinco guris. As tardes, a brincadeira se repetia. Eu era muito bem tratado pelos guris. Afinal, era o único moleque que chupava e deixava eles meterem no meu cú. Cerca de seis meses depois, a surpresa foi que o Cleber, bombou lentamente no meu cú e parou. Achei que ele ia mijar, mas, ele deu um forte gemido e começou a gozar. Eu amava sentir ele latejando e derramando algumas gotas de porra no meu cú. Depois, lubrificado pela porra o Cleber, os outros também bombavam, apesar de não gozarem.

O Cleber estava com os hormônios explodindo, o corpo dele estava crescendo. Apresentava um forte peitoral. O pinto dele já tinha pelos e o saco estava crescendo. A cada semana o pau dele parecia maior e mais grosso. Estava o tempo todo de pau duro. Parecia que queria fuder a toda hora.

No ano seguinte, passamos a estudar de manhã, liberando nossas tardes. O Cleber, de forma safada, começou a me convidar para ir na casa dele estudar. Na verdade ele queria me comer. Sempre dava um jeito de a gente se esconder e ele me comer. Mas era perigoso. Então teve a ideia de me chamar à tarde para a oficina mecânica do pai dele. Havia mais opções lá pra gente se esconder e fuder gostoso.

A gente se escondia nas pilhas de pneus de caminhão. Eu arriava o short, o Cleber cuspia no pau e já encaixava na minha bunda. Algumas bombadas e meu cú ficava lubrificado de leite. Vestíamos o short e continuávamos por lá. Em menos de meia hora, o Cleber já estava me intimando em algum canto, para baixar o short pra ele meter novamente.

Em uma tarde quente e chuvosa, ele já tinha gozado umas cinco vezes no meu cú. Eu fazia questão de apertar o cú e segurar a porra dentro, para em casa, despejar no vaso sanitário. Aquilo me dava prazer. Uma das nossas fodas foram no pequeno e sujo banheiro dos fundos da oficina. Ele tinha uma pequena abertura (janela) de tijolos, que dava para o depósito de ferramentas da oficina. Eu tinha quase certeza que o seu Marcos, pai do Cleber, tinha visto nossa sacanagem. O Cleber nem dava bola, afinal estava me comendo, era o macho.

Seu Marcos chamou pelo filho. Mandou ele ao banco pagar alguns boletos. Ele foi, sob protestos, pois estava chovendo.

Sequer o Cleber, a porta do banheiro onde eu estava, foi forçada e aberta. Era o seu Marcos. Fiquei ali, paralisado. Só então, notei que seu Marcos estava com um volume descomunal no seu macacão azul, sujo de graxa. “-Então você é viadinho, né? Gosta de dar o cú pro meu filho? Deixa eu ver o estrago que o Cleber fez em você”. Me segurou com força e, me colocou de quatro sobre o vaso, me segurando abriu as bandas no meu cú. Sem querer, e por medo talvez, não consegui mais segurar meu cú, deixando escorrer a porra do Cleber cú afora.

O mecânico, que era um homão, cerca de 35 anos, forte, peludão, barba por fazer, fedendo a óleo e suor, já estava com o pauzão dele pra fora do macacão. Tentei sair da posição em que estava, em vão. Ele me segurou fortemente, me dando uma gravata com um braço. Senti algo duro e áspero ser introduzido no meu cú. Era o dedo da mão grossa e suja de graxa, dele. Com os dedos, testava o quanto meu cú já tinha sido amaciado pelo filho. Viu que estava bem lubrificado com a porra do filho e, introduziu um segundo dedo, me arrancando suspiros. Com a outra mão, segurou a jeba e encaixou a cabeça dela no meu cú. A cabeça encaixou, sem dificuldades, mas quando começou a pressionar, senti dor. Tapou minha boca com sua mão grossa, suja de graxa, e foi pressionando meu cú. Senti meu cú rasgar, mas a dor não foi tão intensa, afinal meu cú estava lubrificado com várias gozadas do filho dele. Quando senti a virilha dele encostar na minha bunda e o saco dele batendo em mim, me dei conta que estava totalmente dominado pelo pai do Cleber.

Relaxei o máximo meu cú. Já sabia que assim doía menos, tinha aprendido dando o cú pros moleques. Ele começou a bombar lentamente, tirando e botando o pauzão no meu cú. Sentia meus intestinos inchar a cada investida. Em instantes, senti ele acelerando e gemeu fortemente. Diferente do filho, senti fortes jatos de porra lançada nos meus intestinos, igual à mijada dos moleques. Ficou parado uns segundos e tirou aquele pauzão, para meu alívio.

Me mandou vestir as roupas. Subi o short, e a porra escorreu pelas minhas pernas. Pequei o rolo de papel, me limpando. Ele disse que se eu contasse pra alguém, estava ferrado, pois ele diria a todo mundo, inclusive meu pai, que ele conhecia, que eu era viado. Claro que prometi segredo.

Enquanto eu me limpava, ele acendeu um cigarro e deu um bom mijão no vaso sanitário. Eu me vesti e fui pra casa. Nem acreditando que tinha dado o cú para um adulto, pai do Cleber, que me comia sempre. Fiz muitas outras putarias com os dois. Eu nem gozava na época, mas depois que passei a gozar, até hoje me masturbo lembrando desse dia.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
08/07/2018 16:19:24
10
21/07/2017 20:59:19
bom
22/10/2016 18:07:07
10
06/03/2016 21:51:20
Tesao de conto. Eu era putinha dos meninos quando tinha essa idade também. Mas o macho mesmo era o Zé, que era dois anos mais velho.
11/12/2015 21:55:07
muito bom, conta mais experiencias assim...
08/12/2015 09:06:47
gostei
12/10/2015 01:06:58
Que ótimo conto, ansioso por mais.
10/10/2015 01:22:09
Muito bom
09/10/2015 11:47:55
Maravilhoso de excitante!
08/10/2015 21:10:37
Seus contos são deliciosos! Parabéns!
06/10/2015 16:27:35
Você sabe que amo seus textos
06/10/2015 00:16:30
Essa e a versão do Cléber pius tem um conto tipo esse so que e o Paipela versão dele
05/10/2015 21:27:45
Que moleque safado! Muito bom, o conto.




Online porn video at mobile phone


negão barbarizou a novinha de bruçosesfregou e gosou na xeca da amiga uhhhirmalouca pra perdero cabaco pro irmarConto erotico tia dano cuzinho pro sobrinho titaenfiano anter o cotovelo no travestiskuero.ve.lorinha.mahiha.nupornoContos Eróticos De Minha Vizinha Veraincesto no colo do papai tomando cafe sem calcinhaMeu padrasto bella&alexvidio do porno doido de lesbisca chupando a bucetavda outra ate ficar sem folegovideosxxx minha esposa comportada servindo es amigoscontos levei minha mulher pra fuder com o kid bengalaincesto no colo do papai tomando cafe sem calcinhaeu quero só o gostosão moreno fortão dofilme de pornô mulher se masturbando e metendo a mão quero ver o filme agora filme quero ver agora filme de pornô metendo a mão aguardando né tá na mão transando ela se masturbandohomem escroto excitado gozando gemendo no grelo pra caralhoMeu primo caralhudo fodeu os meus cabacinhospornor corno gosa na buseta melada de porra domegaocontos eroticos arretando novinha na hora da janta na meaaGay afeminado virou mulher na mao do coroa negro contos eroticos os melhoresquero ver vídeo pornô de novinha sendo estrupada na noite passada passada amor comigo a noitecontos eróticos adoro foder com um pirocãosexo conto erotico semem embuchadagozadas no xvideo de mulheres que dar tremetreme naspernasvou contar como viciei minha cadelinha video comi sua buceta e seu cu acachorra avisioseduzida por um estranho contos pornocache:I48cfGGC7vMJ:gtavicity.ru/texto/201612711 sexo oral 2016 nos mamilos bicudos das mulataslevantei o vestido da minha nora contosBlog atualizado da casa dos contos eroticos paguei ´pra deflorar a filha do caseiromiguel tesudocontoseróticospublicadosemvirando a buceta do averso com pauzao monstroolhar a buceta das julhersvideo. pono mulheres guichado porra de tezaoler contos eroticos de incesto mae carente ver o filho transando com a namorada fica com tesao fica adimirada com o pau do filholiberalina puta vídeo proibidotransando cm amigo do namorado sem na morado peeceber sexo pornovideo porno amigo do meu marido me comeu e fingi que n percebiContos eroticos a gozada incetuosa e mais gostoza que quaque outra gozando dentro da irma cem camisinhameu primo tirou minha cueca e cheirou minha rolaConto no interior vi mamae pelada ela disse vou te capa cacetudoentregei uma pizza e mepagou com boqueteSexo real moca falando olha isso seu pau muinto grosso aiai contos eróticos chantagiei minha comadre e gozei na boca delaconto garotinho de sorte tranza com vizinhafilho medico vai examinar o cu da mae e acaba em sexo insetocolokando o pau na boca da irmanzinhq dormindovilmer pornoyoutube tarado comeu novinhas mobilizado sexaul tirado a roupa nuasDe_chefe_a_amor_da_minha_vidasou casada madura mas na chacara bati uma punheta pro visinhovidio de boquete profunda engolindo ate os badalosarrombadimhas ponovideo de corno chupado o pau do negam juto com a esposaconto gay "todas as formas de amor"vídeo de sexo com mulheres acorrentada em senzalaas pornocontos eroticos com tamanco salto altocontos evangelica quarentona goza gostosocontos eróticos​, praia de nudismoGosto gozen calcinhasobrinho e tio pentelhudos sozinhis na fazenda contoshomem nu da cu seminaristaAssistir filme porno pelowhat saapcontos louco por cunhada rabuda casada "evangelica"pisão ei curra novoCasa dos contos eroticos paguei pra deflorara filha do caseiro irmão bem dotado tirando o c***** da sua Irmã Dulcecontos eroticos insestos família unida papai mamãe e meu irmaocasa dos contos meu marido me fez da o cu a dois picudos chorei de dorvideos porno mulher goza muito se afrouxa as pernaso pedreiro me comeu a forca!!contos eroticosrabuda na garupa da moto o vesdidinho sobi e mostra a caucinhaconto novinha vigen perdeu o cabaco da buceta e do cu no mesmo dia pro pitudofilha minha femea contopadrasto pirocudo droga a enteada e transavideos de encesto frances madrasta e entiado durmindo juntos e ele fica de. pau duro a noite e escosta nela e ela nao recisticriola da buceta inchado lwva gozada dentro que eacorreeu quero ver as fotos da morena que dançava o Créu ela nua pelada porque sabendo que eras no site que ela ficou feio uma foto de pornô homem para a gente ver aquina hora do sexo o que pode ser feito com o halls pretogozei na boca no caminhaomeu tio comeu minha bucetinha virgem parte 2 contos eroticosnovinhas.abrir.buzentaSo mete movimha na pica duragostosa chifrando corno com seguranças na festa contos eroticosnegao com pica enorme assusta em despedida de solteiroeu já perguntei onde tu tava ontem Live sexo vídeo pornô deixa que eu adoro vai bater igual a Shakiracabeção cantando xeretandocontos eróticos meu cunhado pausudo mi arronbou todos os buracos Contos eróticos de incesto com fotos de mulheres peluda e comadres