Casa dos Contos Eróticos

Click to this video!

ESSE FOGO QUE ME ENLOUQUECE

Categoria: Heterossexual
Data: 16/10/2015 08:03:43
Última revisão: 16/10/2015 08:05:46
Nota 10.00
Assuntos: Heterossexual, Anal, Oral
Ler comentários (4) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

MONA ESTÁ DE VOLTA - Parte I

Abriu as pálpebras lentamente. Mesmo assim, a fraca luz do ambiente feria-lhe os olhos. Sentia o corpo todo dolorido. Tentou mover os braços, mas pesavam-lhe toneladas. As pernas também quase não lhe respondiam ao comando do cérebro que estava enuviado, como se estivesse dopada. Movimentou os dedos das mãos com esforço. Os dos pés também se moveram com dificuldade, além do formigamento que se alastrava por toda a perna direita. A esquerda parecia paralisada. Temeu que tivesse sido amputada. Deu-lhe um medo repentino, pois não se lembrava como havia ido parar ali. Mas não. Conseguiu erguer um pouco a cabeça e viu o volume de ambas as pernas sob o cobertor. Parecia estar num quarto de hospital. Talvez uma clínica...

Sim, era uma clínica. Estava escrito o nome no lençol que lhe cobria as pernas e boa parte do tronco: CLÍNICA DE REPOUSO MARIA POMPEU. Não lembrava que tivesse procurado alguma clínica para repouso ou qualquer coisa que seja. Mexeu penosamente a cabeça e conseguiu olhar em volta. Estava sozinha num quarto parcamente iluminado. Tentou se levantar, mas o silêncio do aposento foi quebrado por passos vindos do corredor, talvez em sua direção. Aquietou-se e fechou os olhos. Tentou normalizar a respiração, um tanto ofegante pelo esforço desprendido. Pouco depois, alguém adentrava o quarto e acendia a luz. Permaneceu imóvel, como se estivesse ainda desacordada.

- Como vai a minha putinha gostosa? - perguntou uma voz feminina, assim que abriu a porta do quarto, antes mesmo de pressionar o interruptor perto da entrada. Sem esperar resposta, retirou o lençol de cima da paciente, deixando-a totalmente descoberta e nua.

- Continua dormindo, minha putinha favorita, ou está apenas fingindo? Vai ver que estava ansiosa por minha volta, não é?

- Vamos lavar essa bucetinha que adoro. Hoje não haverá perigo de sermos incomodadas: foi transferida para uma ala onde só existe você de paciente, e quem está cuidando dessa minha princesa hoje sou apenas eu.

Duas mãos delicadas abriram as pernas da paciente e começaram a lavar toda a área púbica. Mona - lembrava-se que este era o seu nome - retesou quase imperceptivelmente o corpo ao sentir uma lâmina roçar a sua púbis peluda. A mão parou por um momento. Depois, lambuzada de creme de barbear, forçou as pálpebras de Mona, abrindo um de seus olhos. Ela continuou fingindo estar desacordada. Mesmo assim, conseguiu vislumbrar, por um rápido instante, a enfermeira que lhe raspava a vagina.

- Oh, por um momento achei que estava desperta, minha putinha safada. Mas parece que foi apenas um espasmo voluntário da sua bucetinha - disse a loira com cara de lésbica.

- Será que ela responderia aos estímulos que pretendo fazer-lhe, assim que terminar de deixá-la raspadinha e perfumada?

Disse isso enxugando os excessos de creme, com uma toalha limpa, assim que terminou de retirar os pelos púbicos da paciente, com cuidado e eficiência. Então Mona sentiu um beijo estalado de surpresa, bem nos lábios da sua xana recém higienizada. Quase se trai novamente, estremecendo um pouco. Também quase fechou as pernas quando presentiu que a loira ia meter a boca novamente ali. Esta abriu com cuidado seus lábios vaginais e lambeu seu clitóris com a língua estranhamente áspera e quente. Mona conteve novo movimento com muito esforço, mas voltou a ficar ofegante. Aquela língua voltou a lamber-lhe o grelo e depois passeou por todos os cantos da sua vulva, deixando-a molhada de saliva e de desejo.

Mona não conseguiu reprimir a vontade de ser chupada. Parecia que havia séculos que alguém não lhe dava este prazer. Então, relaxou o corpo e esperou aquela boca ser mais afoita. Não demorou a sentir-se invadida por uma língua quente e tremulante, às vezes em seu ânus, mais vezes no grelo. Começou a sentir um calorão desprender-se de suas entranhas. Já não lhe importava mais que fosse descoberto que acordara. O gozo já aflorava-lhe do âmago. Com um esforço tremendo, moveu ambos os braços na ânsia de puxar aquela boca mais para perto do seu sexo. Mas terminou desabando com eles nos dois lados do corpo.

A enfermeira ergueu-se dentre as suas pernas de um pulo. Mona tinha os olhos bem abertos, sofrendo por haver tido o coito interrompido.

Putaquepariuminhasogra! - disse a enfermeira em entredentes - a putinha acordou. Tô fudida!

Então, correu até uma bandeja cirúrgica que havia trazido junto com a valise de asseio e preparou uma seringa. Mona tentou dizer algo, mas foi interrompida pela dor no ombro esquerdo. A loira acabara de enfiar, sem cuidado algum, uma agulha em seu braço. Verteu todo o líquido da seringa de uma vez, sem se preocupar com o risco de deixar o braço da paciente paralisado.

Mona sentiu a consciência abandonando-a quase que imediatamente. A enfermeira, nervosa, apagou a luz do quarto, para não ser reconhecida. Virou-se de costas para Mona e acendeu um cigarro, sem dar a mínima de estar numa sala hospitalar. Ao notar o clarão provocado pelo isqueiro acendendo o tabaco, Mona sentiu um quenturão invadindo todo o seu corpo. Deu-lhe uma vontade de fuder daquelas que acreditava nunca ter sentido antes. Ainda tentou abrir a boca para falar alguma coisa, mas sucumbiu numa escuridão profunda.

Fim da primeira parte

Comentários

23/10/2015 07:19:14
Nobre amigo, parabéns por esse início de uma nova saga. Pelo começo levas um 10 com louvor. Tenho acompanhado todo seu trabalho aqui e no Recanto. Já baixei todos de lá, se tiveres mais por favor me manda. [email protected]
18/10/2015 04:54:33
Ehros! Gostei do início do conto! Parabéns... tem mistérios por aí... ansioso pelas partes seguintes... Vou ler "AS CRÔNICAS ERÓTICAS DE MONA"...
16/10/2015 21:33:48
Esse conto não é hétero...
16/10/2015 08:24:56
Inicia-se mais uma série de minha autoria, desta vez com a personagem Mona, continuação do livro AS CRÔNICAS ERÓTICAS DE MONA, já publicado neste site.

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.




Online porn video at mobile phone


contos de crentes caretessexoalvesrelato corno na casade swuingbigodinho do ritler videos pornonovinha de chinelo havaianas contosentregei uma pizza e mepagou com boquetetransei com minha visinha casada no quintal delaContos eroticos casais e pintudos fantasiasporque os atores de porno ficam mais tempo enrijecidos"tesão e perigo em alto mar"duas lebiaca se beijando devangarate quanto centimetros poso colocar no meu cugostosinha abrir a bundinha para o negão para o rapsexo explicito sogro de olho nanora de fio dentalsanba porno que espetaculo de vizinha queredo pau vou fude mais elavideo sexo mulherzinha nova traino seu marido com cunhado mulecaobaixar pro celular videos novinha gordinha de chortinho dando pro irmao pauzudocontos de cunhado que comeu a cunhada e ela nem percebeuflagante de sexo com patricinha de carangolaContos Eróticos De Minha Vizinha VeraPorno doido hosexualimogozei na boca no caminhaobotando o joelhinho em cima da mesa xvideoshomens balancando as bolas pornowww vovo adora minha rola preta e chora guodo boto no cu dela porno .comContos eroticos:Fui fodida por varios roludos no cinema chorei de dor e pedir para pararemContos me foderam muito por perder a apostasadina pelada motado a busetavideo porno a navinha criando corage a enfiar o pau do cavalo em sua bucetasobrinha me provocando só de pijaminha porno brasilCasa dos contos eroticos paguei pra deflorara filha do caseiro autor eduardomamãe quis ir na praia de nudismo contos de incestoamigas chantageadas depois de furta pornoimagens de mulheres chupando o peito uma da outra com muito prazerlesbicascarroceiro socando com forsa na novinhabuceta da novinha tufadinha bucetao deitado de ladoporno mimnha filha e tao novimnha que nem petelho naceu aimdaconto erotico gay minha tia me transformou em meninacoroa taradasexo históriaprovoquei meu irmao so de calcinha e ele me arrombou todinhaNinfeta ansiosa para exprimentar negão de pissa grande e grosso e fica toda arrombadaFiz sexo com meu profeasAbusada de calça leguedar e coçar e so começar contos eroticosminha cunhada me procurou para treparfiz uma foda bisexual com meu filho minha filha minha esposa meu caseiro sua esposa e sua filha contos"a história de betinha"ver contos eróticos de vendi meu cabacinho para um cacetudopornô dois negão chega na porta de uma mulher com cheque de r 1000Contos eróticos da minha norabolonhesa fodendo porno doidoincesto pai bota filha pequena no colo e ficar bolinando elaacho que minha namorada gozou pq agente tava fazebdo sexo e a perna dela tava tremendopunhetamdo no cinema boafodaxvidios outros puraitranquei o quarto comi minha irmã 1minuto xvideospequenos videos de porno brasileiro pais peludos de sunga que tira a virgindade da filha e goza dentro da vaginaXvidio mulher asusta o maridovideos de negao com tres negras bundudas rebolando de xotinhos curtinhos bem gotosasporno loira olhos azuis coxa grossa rabo grande peituda cabelos longos metendo como uma cadela no cioContos eroticos entre padre e noviçaContos eroticos adestrando o viadomínha avô chupou minha xotaconto erotico com nora puta e gostosavidio mulher casada com roupa fodendo enfrente o marido ate escorrer porrsconto anal orfanatomeu tio comeu minha bucetinha virgem parte 2 contos eroticospornocontoincestoscomeinha buceta to com tesãonovinhas.abrir.buzentacontos erotico eu e minha mae fodida por um roludocornos de belem porno contos 2017contos socando ate o talo na cunhadinha novinha super gostosaxvvidio padrasto fasendo a enteada gosar d tesao.melhoor jeito para chupar um cuzinho porno