Casa dos Contos Eróticos

Click to this video!

A novinha finalmente trouxe uma amiga

Autor: Caio Abreu
Categoria: Grupal
Data: 25/03/2016 10:03:43
Nota 9.75
Ler comentários (3) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Olá, meu nome é Caio e para quem ainda não leu meus primeiros contos, recomendo dar uma olhada sobre como comecei a foder uma novinha de 19 anos aqui do prédio.

Depois da nossa última aventura com um garoto de programa em que a Jez se sentiu totalmente realizada com duas pirocas, era a minha vez de fazer as exigências e solicitar uma segunda bucetinha pra foder com a gente. Ela topou na base do fair play, mas dava pra ver que não era bem o que ela queria.

Passamos algumas semanas sem tocar no assunto e aproveitei um dia em que ela estava excepcionalmente tarada, coisa de hormônio sei lá, pra foder a bucetinha dela como nunca antes e propor o menáge com uma de suas amigas.

Enquanto meu cacete de 22cm preenchia a buceta eu perguntava e quando ela demorava a responder eu tirava e ficava só pincelando. Foi nessa tortura sexual que a convenci de trazer uma amiguinha pra cama. Vou chamar essa amiga de Talita, em homenagem a uma leitora daqui do site que me escreveu esses dias.

Muito bem, Jez surgiu com esse nome depois da foda e me mostrou umas fotos da amiga, que realmente era bem gostosa. Pele morena, baixinha, bunda redondinha e uns peitões que davam uma boa mamada.

Topei na hora, mas ela disse que o trabalho difícil seria convencer a Talita a participar porque ela estava namorando sério há anos. Mas Jez quis ir adiante porque já tinha comentado com a amiga sobre nossas transas e ela, aparentemente, mostrou muito interesse.

Combinamos um dia para a Jez levar Talita lá em casa, despretensiosamente, só para bater papo. Ela chegou toda tímida, fomos apresentados e minutos depois estávamos na sala conversando abertamente sobre sexo. Talita não tinha muito pudor para falar sobre o assunto, disse que namorava há anos o mesmo carinha, que por sinal, descobri que a Jez já tinha dado uns pegas antes, mas na época era virgem e só pagou um boquete.

Não fiquei incomodado com a revelação e até achei que esse fato iria ser útil para a causa. Saí da sala e deixei as duas conversando mais à vontade, quando voltei Talita ficou mirando manjando minha calça e num sorriso, Jez disse que tinha acabado de contar para amiga sobre o meu pauzão.

Sem muita cerimônia botei o bicho duro pra fora, como quem mostra uma foto no celular. Talita tomou um susto na hora, mas não conseguiu resistir a ficar olhando meu mastro apontando pra cima, escapando pelo ziper da calça.

Tentei agir normalmente, segurando na base e falando que tinha muito orgulho do meu pau e de como ele fazia a Jez feliz. Quem visse aquela conversa de fora não poderia acreditar na inocência com que estava sendo tratada uma conversa ao redor de um pau duro com duas mulheres encarando-o.

Jez comentou como era bom sentir ele duro no fundo da garganta, que provocava uma coceirinha de vez em quando, mas que não era nada demais. Pediu para amiga tocar o pau e sentir por ela mesma e ofereci a cabeça. Jez tocou primeiro, alisando pra cima e pra baixo, então Talita, por tesão ou curiosidade, segurou o mastro apertando-o com sua mão pequena.

Jez se aproximou e deu um beijo na ponta enquanto a amiga segurava, em seguida abriu a boca para engolir a glande, movimento o qual fez a morena abandonar o aperto, mas Jez a fez voltar e enquanto ela chupava, Talita começou a esfregar a mão, alisando do meio até a base.

Comecei a gemer para ver se despertava algum tesão na morena, que até então parecia muito assustada. À medida que o boquete avançava e meu pau ia ficando babado, Talita se soltava mais na punheta e começava a me encarar, para medir o meu tesão.

Enquanto brincávamos, ela dizia que nunca tinha feito nada daquilo antes, que sentir estar traindo o namorado, mas mandei ela relaxar, porque se o namorado dela já tinha sido chupado pela Jez, ela podia fazer o mesmo comigo.

Jez levantou do boquete, limpou a boca babada e ofereceu o pau vermelho pra amiga, que aceitou na boa e começou uma gulosa irada. Ela tentou enfiar tudo na boca, mas acabou engasgando, pediu desculpas e concentrou a língua em volta da glande e naquela parte do freio. A morena chupava muito bem. Punhetava o pau enquanto engolia e até puxou as bolas para fora da calça pra dar uma atenção especial a elas. Jez me beijava e segurava a cabeça da amiga em apoio. Desabotoei o jeans da Jez e comecei a brincar com o grelhinho dela, que foi ficando todo molhado a ponto dela mesma tirar a calça e a calcinha. Enquanto se despia, Talita perguntou o que estava acontecendo e Jez falou pra ela só continuar o que estava fazendo, afinal as duas já tinham se vistas nuas antes.

Jez sentou apoiada em mim e abriu as pernas, me deixando siriricar ela a vontade enquanto a morena continuava chupando meu pau, que estava latejando e fantasiando foder aquelas duas bucetinhas. Jez massageava o próprio seio e gemia alto enquanto sentia meus dedos dedilharem seu clitóris e penetrar seu buraquinho.

Com o tempo, o tesão foi ficando insuportável para nós dois e Talita já não estava mais na mesma vibe. Ela largou o meu pau e voltou pra cadeira dela. Jez tentou deixá-la mais a vontade, mas só conseguiu fazer a amiga ficar de calcinha e sutiã com a gente. Eu e Jez pelados tentávamos investir na morena, e foi uma vitória grande quando ela cedeu a um beijo meu. Em meio ao beijo tentei apalpar a bucetinha, mas ela travou as pernas e não quis forçar. Perguntei se ela não queria um tratamento igual ao que ela tinha dado no meu pau, mas ela disse que não iria trair o namorado daquele jeito e que já tinha passado de todos os limites aquela situação.

Tentei não forçar a barra na base do argumento e perguntei pelo menos se estava tudo bem se eu a Jez fodessemos ali mesmo com ela assistindo porque o tesão estava demais.

Ela disse que tudo bem, que não se importava em assistir, então puxei a Jez pra cima de mim e a fiz cavalgar. Ela pulava no meu, fazendo barulho e gemendo explicitamente para provocar a amiga. Arranhava meu peito e até tapa a cara eu levei. Pedia para ser fodida e falava como meu pau estava gostoso dentro dela. Saiu de cima de mim pra ficar de quatro, cabeça em direção a Talita e mandou eu foder e gozar dentro dela.

Naquele ponto da relação, camisinha não era uma coisa que usávamos mais e gozar dentro da bucetinha se tornou rotineiro, desde que ela mantivesse a regularidade da pílula.

Cuspi no meu pau, alisei a cabeça e posicionei na entrada da bucetinha. Comecei a bombar e bater naquela bunda branca que foi ficando toda marcada de vermelho. Jez gozou no meu pau, o melzinho pingava e a Talita parecia ou muito horrorizada ou muito excitada com a cena. Jez pediu pra eu encher a bucetinha dela de porra, mas disse que queria gozar nos peitos dela. O que eu queria mesmo era mostrar pra Talita meu pau derramando leitinho quente.

Jez então virou de barriga pra cima e fui com meu pau duro na direção dos seios, masturbando rapidamente e comecei a gozar uma jatada de porra que escorreu pelos seios da minha novinha. Caí exausto no sofá, o pau ainda balançando, meio duro, meio mole. Estava suando. Jez levantou pra ir limpar a porra e fiquei sozinho recuperando fôlego com a Talita.

Ela não conseguia falar, mas também não conseguia esconder a calcinha molhada. Perguntei se ela tinha gostado e me disse que sim. Ela ainda encarava meu pau moribundo e perguntei se ela queria experimentar o que tinha sobrado e ela balançou a cabeça dizendo que sim. De pé, me aproximei da cabeça da morena e ofereci meu para ser chupado. Ela se esforçava muito pra tirar o restante de porra que tinha ficado e mesmo quando já estava limpo, ela continuou chupando. Jez estava chegando na sala quando viu a cena e decidiu voltar para o banheiro, deixando a amiga saborear o que ela já conhecia bem.

O boquete e o carinho nas bolas me fizeram gozar de novo, e segurei a cabeça da Talita contra o meu pau pra ela não perder nem uma gota. Ela engoliu tudo e imediatamente começou a se vestir. Disse que estava com muita vergonha e precisava ir embora.

Jez nem viu a amiga saindo, mas antes de ir, me deu um beijo e agradeceu por tudo. Pediu desculpas por não ter participado mais e segurando meu pau mais uma vez, foi embora.

Levou mais alguns dias para eu finalmente arrebentar as pregas da morena, mas valeu cada dia de de espera e essa é uma história para um próximo conto.

Se você gostou desse relato e quer conversar mais comigo, meu email é [email protected]

Comentários

26/03/2016 09:20:58
Muito bom!! Quero ler essa foda com a Talita!!
25/03/2016 17:26:21
Muito bom
25/03/2016 14:37:19
Safadinha fogosa, melhor ainda seria ter histórias para contar com você. Beijos

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.




Online porn video at mobile phone


vídeo pornô mulher que faz a outra gozar e da Paz e líquido saindoMeu primo playbou carioca conto gay cap 3pequenos videos de porno brasileiro pais peludos de sunga que tira a virgindade da filha e goza dentro da vaginaporno sobrinho vai dormi mais tia e fica de pau duro embaixo do lencoucontos eroticos padrastro levantou minha saiaesposa da cu sangra e estremece porno caseirocadelas casadoscontoszoofiliabotando o joelhinho em cima da mesa xvideoscasa dos contos dei meu cu e meu xoxotao inchado por rola sou putona taradaflagante de sexo com patricinha de carangolao caralho era tao grande e grosso que quase desmaiei com ele dentro do cuhigor safado xvidiodepilando a minha tia gravida contos eroticossarrando a bundinha da minha filinhacontos gay iniciadores de boys inocentes fotos gratiscache:ldh9BdSAKNMJ:gtavicity.ru/texto/201703301 bucetinhasequinhaEu e minha mãe no ônibus de excursão-contos-incesto-filho e mãe-incesto no onibusver video e filme de veterinaria chupano abuceta da e gua na fasendaContoerotico Professoragozadachupo e emguliu apora toda xvideostia marta safada deixa exfrega meu nesse raboaquilo foi rasgando meu cuzinho contos eroticospsicologia enfrento hiv minha filha e guei ajudacontos pornôs vingança órfã gangbangcontos pornôs mulheres lindas super gostosas que seus maridos liberaram para dar para seus amigos que tem paus bem grandes maior do que os deles elas adoramSexocompaixaocasada com raiva do marido so querer ir para o bar sai e da a buceta para estranho no motelpai chupa a buceta da filha e éla bufa de tezâovidio porno tarado enfiando pinto por baixo do xorte da mulhervidio de sexo com compadre sedusindo comadre ate foderboxeeroticocriando uma putinha contoszoofilia com cadela no pri mero ciovideo porno mulher dando primeira vez na frente do marido casa de cuingue curitibaGozada na buceta contocontos eróticos ai meu cuzinho tá rasgando seu pau é muito grossocontos eroticos provocando meu cunhadopassando a mao no peitoral beijando o ouvido beijando o pescoco pornmulher entupida forçando para cagar sexocontos de sexo selvagemcom velhossocaaa com força malandrotre surpresa vendada xvideosvideo pornodoido casal transa dentro de uma poça de lamamacho arregaca o buraco da xana da safada cm aparelho para ver o fundo do buracoMeu irmao tirou minha virgindade da minha buceta no motel conto erotico de incesto de irma virgem e irmao no motelperdi a virgindade pq quiz conto incetovideos porno para ver agora mae de 25 anos gostosa aproitar q a filha sai e esfrega mo genronovinha com beloto do grelo grandezofilia mulher dependurada pel cu no cãomarcelo strause aguilarvideocurtomagrinha e roludopornô panteras tio começa o vinho depois que eu chego em casamae dis que filho rasgo a vuseta delacomendo a coroa gostosa loira e barriguda e ela xingando palavrãolouras peludas taradas fudedoras malucas chamando palavraoconto erotico mae no cioler conto erotico meu delegadoComo se escreve “ manda video porno ” em inglesnovinhas.abrir.buzentaTa tarada roludo vendo novinhas com cálcinhas melecada mano nao me tente incesto contosincesto com meu vô contoscontos tia dando o cu pro sobrinhopono 2017perdendo a virgimdadexvidio porno comendo a cunhada de fio dental rocho no banhovideo de um homen chupano a buceta da mulher a te dar istraloscomi a minha tia pela primeira vezcontos de corno que deram o cumaldiçao da clareira da cadelaMeu irmao tirou minha virgindade da minha buceta no motel conto erotico de incesto de irma virgem e irmao no motelhomem empurra na vara na jumenta até gozarcontos apalpando sogra perto do sogronovinha engole pau do paulao