Casa dos Contos Eróticos

Click to this video!

[Repost] O Lutador de Jiu-Jitsu 21

Hello, it's me

I was wondering if after all these years (...)

Hello from the other side

Adorei fazer a linha Juliana! Desculpa povo, mas não resistir! KKKKKKKKKKK

********************************************************************************************************

Gabriel > Tou com fome... vou comer um sanduíche...

Desconversei... os olhos do Gui se apertaram e eu olhei de rabo de olho... peguei o café, pus... dei uma mordida no sanduíche e sorri amarelo... ele não ia desistir, pensei...

Jú > Se comer muito essa segunda pele arrebenta viu...

Olhei feio pra ela! Vou matar aquela vaca!

Gabriel > Mãe, ouvi dizer que amanhã não vai haver aula...

Mãe > Vai haver sim Gabriel... chega de perder aula... na realidade vocês terão aula prática... a escola toda...

Guilherme > E hoje à tarde você tem academia... chega de faltar né Gabriel! E vai dar aula com essa calça?

Olhei pra ele... realmente não tinha como fugir...

Gabriel > A calça é normal...

Mãe > Não acho! Não gosto quando coloca essa calça Gabriel... ela é muito colada e todo mundo fica olhando pra você!

Jú > Principalmente a região glútea que é uma coisa fanqueira...

Gabriel > Judas!

Guilherme > Termine o café Gabriel... e depois vamos no quarto certo?

Olhei pra mainha e o sorriso dele era de canto a canto... praguejei... se eles pensam que iriam me policiar sempre, estavam enganados... eu não tiraria aquela calça nem que ela se rasgasse de canto a canto... Mal terminei o café da manhã e o Gui se levantou me pegou pelo braço e pediu licença a todos...

Mãe > Guilherme ele tem uma calça jeans clara que combina muito bem com essa camiseta...

Ele balançou a cabeça e eu fui literalmente arrastado pra o quarto... a Jú riu e eu ainda pude ouvir...

Jú > Põem uma burca!

Risos na cozinha! Entrei no quarto emburrado... iria enfrentar ele...

Gabriel > Nem que você rasgue essa calça eu tiro ela Gui... poxa que coisa...

Ele abriu meu armário e procurou uma calça... encontrou a que mainha falou... tirou e estendeu pra mim...

Guilherme > Troca...

Eu cruzei os braços e balancei negativamente a cabeça... sustentei o olhar!

Guilherme > Gabriel não testa minha paciência... troca essa calça ou eu arranco essa aí do teu corpo fazendo picadinho dela... nem por nada no mundo você vai sair com essa calça... e fico absolutamente bravo só de imaginar que um dia já saiu...

Gabriel > Só usei duas vezes essa calça... (respirei fundo e supliquei) mas Gui por favor... não tem nada demais é só uma calça...

Guilherme > Gabriel quando você entrou na cozinha tive que pensar em coisas feias pra baixar meu cacete... (e se aproximou) não quero o povo de pau duro olhando pra você quando passar...(respirou fundo) ou você tira essa calça ou simplesmente eu tiro... você escolhe!

Olhei desafiador...

Gabriel > Tire se for homem!

Na mesma hora me arrependi! Ele avançou como se fosse abater um animal... eu recuei e cai na cama... com os braços pra frente tentando afastá-lo. O semblante era absolutamente sombrio... fiquei apavorado... ele iria arrancar a minha calça com pernas e tudo!

Gabriel > Gui, espera...

Guilherme > Vou mostrar que sou homem! O seu homem... o único homem que você vai conhecer... vou lhe mostrar...

E segurou o cós de minha calça...

Gabriel > Guilherme! Por favor...

Ele tirou meu cinto com um só puxão... eu me levantei e tentei correr pra o banheiro... ele me segurou e apertou contra ele... falou no meu ouvido...

Guilherme > Parece que você gosta de me provocar não é moleque! Mas agora vou rasgar essa porra dessa calça e só não te bato, que é o que merece, porque temos que ir pra escola... mas ainda vou te dar uma lição agora!

O que eu faria pra ele para?

Gabriel > Gui para que eu te conto o MSN misterioso que invadiu o meu!

Ele já estava com as duas mãos na barra da calça quando parou e me virou pra ele me olhando nos olhos...

Guilherme > MSN misterioso? Como assim Gabriel?

Eu me afastei e comecei a contar do MSN MATADOR que ontem havia me mando mensagens grosseiras... contei as grosserias e enquanto contava fui tirando a calça devagar, e quando ele percebeu eu já estava vestido com a outra que ele tirou do armário e já estava guardando a outra... pra ele não rasgar...

Guilherme > Não quero que entre mais nesse MSN. Aliás hoje cuidarei de excluir ele... e faço outro...

Gabriel > É só excluir ele...

Guilherme > E ele simplesmente iria voltar com outro MSN... não! Vamos fazer outro...

Gabriel > Certo! Tem razão...

Guilherme > Finalmente concordou comigo! Já tava achando que não sou homem!

Sorri e o abracei...

Gabriel > Eu tava brincando Gui... dei um selinho... você é o homem mais bravo do mundo... olha que já tirei a calça morrendo de medo de você...

Ele me abraçou e me beijou profundamente... ouvimos batida na porta...

Jú > Não dá tempo amores... sexo só depois, vamos?

Rimos e o Gui falou...

Guilherme > Ainda vamos conversar sobre o MSN viu... e essa piadinha que não sou homem... vou te dar uma lição de homem...

Eita! Ele não esquece esses pequenos detalhes... saímos pra aula!

A viajem até a escola foi um saco... a Jú falando que eu não merecia a amizade dela... que eu escondi a notícia do século... e tudo mais... tentei explicar que não tive tempo e que realmente me passou pela cabeça... embora fosse um dos assuntos mais importantes de minha vida... o Gui só fazia rir e de vez em quando tocava minha perna... olhava pra mim e piscava o olho. Acho que ele ficou muito feliz porque troquei a calça... mas eu não iria ficar daquele jeito... depois iria conversar com ele pois eu tinha que ter a liberdade de pôr a calça que quisesse... se bem que parecia realmente uma segunda pele aquela... Chegamos na escola e o Gui estacionou o carro...

Guilherme > Hoje estarei ocupado na ATLANTIS do centro, pois vou fazer uns balanços e talvez faça também banco... não sei se vai dar pra almoçarmos juntos...

Fiz um bico e ele olhou com cara de culpa...

Guilherme > Ou meu pequeno... fica com essa carinha assim não! Olha vou tentar... mas se não der quero que almoce aqui... não saia da escola... pode pedir e comer na academia viu... (daí ele tirou uma grana e meu entregou)

Gabriel > Não precisa Gui, vou comer com a Jú na cantina...

Guilherme > Na cantina só tem lanche... nada feito peça a comida...

Gabriel > Não precisa do dinheiro eu compro...

Guilherme > Gabriel chega! (falou bravo e pôs o dinheiro na minha mochila) parece criança!

Gabriel > Você que me faz criança ora!

Jú > Gui e cadê o meu, hein? Pô só o Gabriel que ganha... tudo porque meu peito esquerdo é menor que o direito... aí como é difícil vida de deficiente...

Todos rimos, a Jú era doida mesmo, mas salvou outra discussão boba... nos despedimos e fomos pra aula...

Guilherme > Te ligo pequeno, se der certo pra almoçarmos...

E saiu cantando pneus... Fomos pra aula e assim que entramos vimos o Danilo... ele tava com cara feia... fiquei imaginando se era ele no MSN...

Jú > Vamos mostrar o vídeo quando a mainha? Ouvi dizer... não por você, claro... que ela já sabe de tudo e que vai tomar providencias... portanto... quero saber quando pois vou perder meu vido pornô preferido... com que vou me masturbar agora nas noites solitárias?

Nem respondi... realmente aquilo não merecia resposta... me sentei na cadeira e a Jú do meu lado... as meninas vieram falar com agente sobre o campeonato intercolégios que começaria naquele mês... nós tínhamos que fazer as camisetas e agora o patrocínio da escola era pouco para a quantidade de camisas que pretendiam fazer...

Jú > Podemos tentar outros patrocinadores... tipo, Gabi podemos pedir pro Guilherme um patrocínio da ATLANTIS...

Gabriel > Ah fico com vergonha...

Eu realmente ficava envergonhado com aquilo... não queria que o Gui pensasse que eu tava querendo me aproveitar da situação...

Jú > Francamente Gabriel, nem vou te responder... (e olhando pras meninas) deixa com agente que vamos capitalizar esse time... (e quando as meninas saíram) além do mais... vou ter o prazer de pôr na camiseta o nome da academia cujo dono deu uma surra no moleque da turma... (olhamos pro Danilo sorrindo, mas nosso sorriso morreu)...

Ele simplesmente vinha em nossa direção... pegou a mochila de um menino sentado ao meu lado e jogou na cadeira da frente. Sentou-se ali de pernas abertas e uma das mãos na boca... puta merda! Ele não ia assistir aula ali... ia?

Fechei os olhos... não ia dar certo! A professora entrou na sala de aula e eu estava quase que paralisado... ele estava me olhando fixamente e eu não sabia o que fazer... olhei de lado e a Jú olhava pra o Danilo desafiadora... ok tudo certo... ela tinha coragem, mas eu sempre fui tímido e aquela situação me deixava mais tímido ainda... ele abriu as pernas tomando o corredor lateral totalmente... se ele abrisse mais simplesmente ele tocaria em mim... eu me encolhi e vi um riso zombeteiro... a professora começou a aula e eu tentei prestar atenção, mas não consegui... o Danilo simplesmente estava olhando pra mim... como que ignorasse a professora.

Jú > Perdeu alguma coisa?

Meu coração deu um sobressalto... fiquei aterrorizado...

Danilo > Não... mas tem gente que vai perder...

Ele estava falando de mim! Tinha certeza... a Jú riu com sarcasmo... E falando baixo... quase sussurrando...

Jú > Quem tá apanhando até agora não somos nós... (e apontou pro cabelo dele)

Gabriel > Jú não dá moral... fica quieta!

A professora olhou pra trás para ver de onde vinha o barulho...

Danilo > Olha quem fala... a puta da escola com o viadinho safado... bela dupla...

Olhei pra professora e ela estava simplesmente de costas... não havia visto de onde vinha o barulho, mas metade dos alunos olharam pro Danilo quando ele falou aquilo...

Jú > Acho que você ta equivocado querido... porque puta é quem dá o cu na escada de um ginásio pra um cara que goza como um viado goza, chamando pelo nome de um homem...

E foi ai que vi o Danilo empalidecer... Ele se levantou como um raio e veio pra cima de mim e da Jú... simplesmente o Danilo virou a mesinha com todo o meu material em cima da mesa da Jú o que gerou um barulho absurdo e ensurdecedor... o susto foi geral... todos os alunos, sem exceção, olharam pra traz e viram a pandemia que ficou a sala de aula... a professora, de forma enérgica se plantou entre mim, Danilo e Jú... que em pé gritava colérica...

Jú > Tá louco seu imbecil... tá pensando que tenho medo de você é... seu bosta!

Professora > Juliana chega! Modere a língua! Ou saia da sala...

Jú > É esse imbecil professora... é ele...

Danilo > Repete o que acabou de dizer se você tem coragem...

Gabriel > Gente, pelo amor de Deus... vamos ficar tranquilos por favor...

Danilo > Cala boca viado...

Professora > Danilo chega! Vá pra diretoria... (gritou a professora apontando a porta de saída)

Danilo > Eu? Mas era só o que me faltava...

Professora > Você pensa que minha aula é qualquer coisa pra você pintar e bordar? O que deu em você hein? Virar uma mesa em cima de seus colegas de sala...

Danilo > Colega uma porra... esses dois ai não prestam pra nada... tem passado o tempo todo me prejudicando... me tirou do time.. e tudo professora...

Ai não aguentei...

Gabriel > Ah não Danilo? Não seja cínico!

Danilo > cínico? Quem foi que me chamou de viado agora?

Eu não acreditava no que tava acontecento...

Gabriel > Você só pode ser um doente mental... psicopata!

Professora > Gabriel não quero mais discussão aqui... pare...

Gabriel > Parar? Ora professora... ele que vive infernizando minha vida... ele!

Danilo > Deixa de ser falso cara! Quem disse que sou eu... não faço nada... você que vive o dia todo no meu pé... me perseguindo...

Fiquei com tanta raiva que quase ceguei de ódio... tava a ponto de pular no pescoço dele... quando!

Dona Alba > Chega! Gabriel, Juliana e Danilo, me acompanhem... (todos olharam pra porta de entrada, estava Dona Alba)

E o silencio reinou. Fomos acompanhando Dona Alba até a diretoria... ia ela, a Jú e eu lado a lado, o Danilo vinha bem atrás... de vez em quando a Jú olhava pra trás com cara de raiva... mas Dona Alba a repreendia e ela se voltava pra frente... quando chegamos dentro da diretoria dona Alba abriu a porta de sua sala... era uma sal ampla, antiga, parecendo uma biblioteca, com prateleiras de livros até o teto e uma grande escrivaninha de mogno. Tinha cinco cadeiras... uma delas estava preenchida. Mainha tava sentada ali!

Gabriel > Mãe?

Ela me olhou com cara séria, mas piscou o olho em cumplicidade... o que ela tava tentando me dizer?

Mãe > Sentem-se ai quietos todos... (falou brava, mas ela estava meio que enigmática... como se tivesse feito algo)

Dona Alba > Eles já estavam se pegando...

Jú > Mãe! O Danilo que estava arrumando confusão...

Danilo > Eu? Mas é muito (interrompido)

Mãe > Eu disse pra sentarem-se quietos... (nos sentamos)

O telefone tocou e dona Alba atendeu...

Dona Alba > Alba! Sim, certo... já esperava por ele... mande ele entrar por favor!

E a porta se abriu. E então entra um senhor que eu já havia visto, mas apenas uma única vez... era o pai do Danilo... deus, aquela conversa seria difícil... Estávamos divididos assim... mainha e dona Alba estavam sentadas lado a lado, do outro lado da escrivaninha... eu e a Jú estávamos na ponta direita e Danilo e o pai na duas cadeiras do lado esquerdo... mas estávamos quase nos tocando os ombros...

Dona Alba > Bom dia senhor Danilo.

Isso! O Danilo era filho... o final do nome dele tinha filho ao invés de Junior... o que significa que deveria ser o filho do coração, pois levava seu nome...

Danilo (pai) > Bom dia Alba, estou surpreso com o convite urgente que recebi ontem à noite em meu descanso...

Já deu a primeira investida... aquela conversa seria pesada...

Dona Alba > Ante a gravidade do caso acho que o seu descanso se torna secundário, se não pra o senhor, pelo menos pra mim o é... pois a função de pai e educador a gente tem que fazer 24 horas... sem interrupções ou sem cochilar no momento em que deveríamos agir.

É, realmente aquela era uma luta de titãs...

Danilo (pai) > E qual o assunto tão importante que mereça um discurso tão inflamado, se não escatológico!

Mãe > O fim do mundo senhor Danilo começa debaixo do nosso nariz... no caso do seu...

Danilo (pai) > Vamos parar de lorota senhoras e vamos ao que interessa...

Eu a e Jú olhávamos aquele pingue-pongue de cortadas rasantes... era divertido ver farpas no ar e não entender metade do que foi dito...

Dona Alba > Danilo! O que realmente interessa é o simples fato de seu filho... aluno reprovado 3 vezes seguidas... ainda não ter aprendido o que é civilidade e muito menos ter aprendido a respeitar as pessoas...

Jú > E não ter aprendido nem a matéria em si... tem mais notas baixas que o Chaves...

Todos olhamos pra ela como se ela fosse um ET!

Jú > Pô galera... o Chaves... ooo, gente sem cultura!

Se eu senti outra vergonha maior que aquela eu desconheço...

Danilo (pai) > É pra isso que me chamaram? Chacota escolar? Me poupem senhoras... (fez menção de se levantar)

Dona Alba > Fique onde está (falou tom elevado e duro que fez estancar o pai do Danilo) não é conto da carochinha isso aqui não... eu lhe convidei educadamente pra vir resolver a situação de seu filho... um marmanjo que só sabe arrumar todo tipo de confusão e que agora chegou a hora de resolver isso de vez...

O pai do Danilo apertou os olhos e respirou profundamente... senti que ele começava a se enfurecer... mas também ficou um pouco intimidado ante a força que dona Alba imprimia sempre... era uma mulher de comando!

Dona Alba > Quem está aqui na sua frente não é uma coleguinha de sala de aula não... é a diretora de uma escola cuja propriedade me pertence e a segurança e integridade de todos os alunos desta escola são inteira responsabilidade minha... e é em nome desta responsabilidade que alguns fatos ser-lhe-ão passados agora... não sei se tens conhecimento deles... e espero que não, pois se tem eu não imaginaria que coadunasse com tamanha barbaridade...

Olhei pra ela apreensivo... meu Deus ela iria contar tudo...

Danilo (pai) > E o que diabos está acontecendo? Não sei de nada!

Mãe > O seu filho...

Danilo > Ei peraí... eu não tenho culpa nenhuma de nada! Se vão me acusar, então que me acusem de algo que fiz... não do que esses dois aí andam falando... são um bando de mentirosos...

Jú > Mentirosa é tua língua de cobra, serpente de boa viagem!

Dona Alba > Juliana, calada!

A Jú cruzou os braços emburrada...

Danilo (pai) > O que realmente aconteceu aqui... parece que meu filho está sendo acusado de algo... o que?

Olhei pra dona Alba e estava de olhos fixos em nos quatro... mas não foi ela quem falou... foi a minha mãe!

Mãe > Senhor Danilo, o seu filho vem ameaçando esses dois alunos que estão aqui (apontou pra nós) inclusive bateu no Gabriel... (sua voz deu uma falhada)

Danilo > Mentira! Nunca encostei um dedo nesse aí... (interrompido)

Mãe > Ameaçou a Juliana que só não sofreu um ataque de seu filho porque simplesmente um professor de academia da escola o impediu...

Danilo > Aquele outro sim, foi quem me agrediu...

Gelei... iriam falar do Gui!

Mãe > Puxou um canivete pra meu filho, rapou-lhe parte do cabelo... ameaçou...

Danilo > Mentira! Quem me ameaçou foi o Guilherme!

Danilo (pai) > Quem é o Guilherme!

Fechei os olhos... aquilo não iria dar bem!

Mãe > Repetindo... o Danilo ameaçou eles dois... e se não fosse o Guilherme ele teria batido na Juliana...

Jú > É ruim eu sair por apanhada!

Dona Alba > Juliaaaana! (falou lentamente) e o mais grave...

Eita! Eles iam falar...

Dona Alba > Seu filho cometeu um crime dentro da escola...

Olhamo-nos, será que...

Dona Alba > Ele estuprou uma aluna... que está agora em casa com seus pais e que provavelmente estão se organizando pra prestar uma queixa contra seu filho...

Danilo > Mentira! Mentirosos... porcos... como inventaram uma história dessas?

Dona Alba > Não inventamos nada! (E olhou pra mim e pra Jú) eles estavam lá e viram tudo... e eu vi a gravação no celular que fizeram...

E então todos ficaram em silencio. E o Danilo se levantou e deu um soco forte em meu rosto, onde tentei esquivar caindo pra trás... o que fez pegar de raspão... mas o suficiente pra sentir uma dor forte que me queimou todo o rosto.

Simplesmente foi um pandemônio o que aconteceu logo após aquele soco... o pai do Danilo segurou o filho puxando ele dali... mainha correu pra me amparar... estava cega de raiva... a Jú se levantou e partiu pra cima do Danilo dando chutes fortes na barriga dele o que fez dona Alba sair do lugar e segurá-la puxando pra trás... o Danilo ainda deu uma pernada que bateu na coxa de Jú deixando ela mais possessa...

Jú > Seu fraco! Safado filho de uma puta... covarde!

Mãe > Chega!

Danilo > Sua puta... eu te mato...

Dona Alba > Calem-se! O que é isso meu Deus... estão loucos? Quanta selvageria...

Danilo (pai) > Que loucura é essa... o que deu nesses loucos... (e puxando o Danilo falou) meu filho está sendo influenciado por esta aluna louca e seu amiguinho alegre...

Aquilo doeu forte... eu acho que ele sabia de tudo a muito tempo... mas antes que alguém tomasse falasse alguma coisa, minha mãe me levantou e partiu pra cima dos dois...

Mãe > Quem você pensa que é... isso aqui já passou dos limites... seu filho é um delinquente juvenil que não merece de forma alguma ser tratado como os alunos desta instituição são tratados... com respeito... com pedagogia e principalmente com igualdade. Esse seu filho é um amoral... uma pessoa desprovida de escrúpulos, desprovida de humanidade... e a partir de hoje entrarei com uma medida judicial de afastamento... se eu ver o seu filho rondando o meu eu juro que ele vai ser preso... se não o for pelo que cometeu... pelo que fez a estas duas crianças... crianças porque são de menor... agora mesmo vou prestar queixa e seu filho vai responder por esta e todas as outras agressões que cometeu a meu filho e a filha de dona Alba...

Danilo (pai) > Eu vi que ele foi provocado... e não tenho medo de suas ameaças... pra que tem advogados... duvido que tenha direito pra pagar um bom... mas vai lá sua tonta... entra na justiça...

Dona Alba > Cale-se (deu um grito alto onde todos se assustaram) a partir de hoje quero que tire seu filho de minha escola. Ele está expulso... não vai mais estudar nesta escola... e garanto que dentro do Recife será difícil ele entrar numa outra particular...

E o olhar que ambos os Danilos nos deu foi de total ódio e uma jura velada! Dona Alba tocou o interfone...

Dona Alba > Lidia? Por favor mande os seguranças pra acompanhar nossos convidados pra fora da escola...

Danilo (pai) > Não precisa essa humilhação...

Dona Alba > Humilhação é o senhor ser um pai tão fraco... tão fraco ao ponto de proteger um marmanjo maior de idade que estupra e bate em menores...

A porta se abriu... os seguranças chegaram...

Dona Alba > Levem eles pra fora daqui... não quero vê-los...

Danilo (pai) > Isso não vai ficar assim... vou processar esta espelunca...

Dona Alba > Não precisa... eu mesma faço questão de te encontrar no tribunal... possa ser até que eu atue como advogada que sou... ou não... eu escolha (e disse o nome de um grande advogado) que é meu irmão...

O rosto do pai de Danilo ficou lívido... e puxando o filho ele saiu escoltado pelos seguranças...

Quando a porta se fechou parecia que um livro velho era fechado... e simplesmente eu percebi que estava livre... sem aquela carga pesada.

Mãe > Gabriel filho, você está bem?

Eu estava já sentado na cadeira com o rosto queimando... e com muita raiva... sempre era assim me dava mal...

Gabriel > Tou sim..

Mãe > Jú minha filha você está...

Jú > Tou não dona Julia! Não tou porque eu queria ter partido aquele imbecil em dois...

Dona Alba > Juliana minha filha fique calma... já resolvemos esse caso.. ele não vai mais importunar vocês... só que, francamente, deveriam ter falado desde o início... não deveriam ter ficado calados...

Mas eu tinha medo de que mainha soubesse o porquê do Danilo me bater... se eu sonhasse o que eu sei hoje... teria dito no primeiro olhar feio do Danilo...

Jú > É complicado mãe... tínhamos motivos fortes pra não falar...

Eu era o motivo forte... pensei...

Dona Alba > Mas erraram muito... (ainda bem que ela não questionou que motivos eram, ou ela sabia?) Prometeram agora que se algo acontecer similar a isso vão nos comunicar...

Prometemos...

Mãe > Vamos Gabriel vou colocar um gelo aqui...

E tocou minha face... ardeu um pouco... daí meu celular toca... olhei... era o gui! Jesus... tinha esquecido dele... e quando ele vir meu rosto!

Atendi o celular... e três pares de olhos estavam grudados em mim...

Gabriel > Oi Gui!

Guilherme > Oi pequeno... tou morrendo de saudades já!

Ri sem jeito...

Gabriel > Já...

Guilherme > Um minuto sem meu pequeno já morro de saudades... olha amor eu realmente não poderei almoçar contigo porque tou preso aqui... mas chego na academia de três e meia mais ou menos...

Gabriel > Que pena... queria almoçar contigo...

Mãe > É o Guilherme?

Gabriel > É sim mãe!

Guilherme > Tua mãe tá ai? Vai almoçar com ela?

Gabriel > Vou não Gui...

Mãe > Quero falar com ele...

Gabriel > Mãe precisa não o Gui ta ocupado...

Guilherme > Ocupado? Ela quer falar comigo é?

Gabriel > Não é nada demais Gui... depois vocês se falam

Mãe > Passa esse telefone Gabriel...

Guilherme > Quero falar com ela agora! Vamos Gabriel...

Fechei os olhos e entreguei o celular... seja o que Deus quiser...

Mainha pegou o celular e pediu licença a todos e falou...

Mãe > Guilherme. Boa tarde meu filho... vou bem sim... queria sim falar contigo... sim, claro! Não! Não é que ele não quisesse que a gente nos falasse... é que aconteceu um incidente aqui com ele... sim... Guilherme é melhor depois a gente conversar sobre isso... foi coisa do Danilo e o pai dele... Guilherme fique calmo o Gabriel está bem... tá sim ele não se machucou muito não! O que agora? Certo... não se preocupe não foi nada demais... ou filho certo... mas vamos fazer assim não precisa desmarcar seus compromissos... eu vou almoçar com ele e cuidarei dele... daí deixo ele na academia de duas horas ou antes até... não precisa filho vir não... sei que tá preocupado... mas não precisa! Guilherme NÃO PRECISA.. ELE TA BEM! (suspirou) É melhor você resolver seus problemas e depois você encontra ele... mas... tá certo, tá certo... nos encontramos em 15 minutos, aonde? Na cantina mesmo? Certo... 15 minutos... combinado... abraços, filho.

E desligou...

Mãe > Ele não tem conversa quando se fala de você né?

Olhei pra mainha e fiquei vermelho depois percebi que dona Alba estava ali... morri de vergonha, abaixei o olhar... certamente ele tinha percebido tudo...

Jú > Pois é, vai ser desejado assim lá na Tailândia! Onde as mulheres ficam na vitrine...

Gabriel > Jú! Tua mãe!

Jú > Mainha? Ah tá, essa ai acho que já catou tudo desde o início...

Todo mundo riu e dona Alba me abraçou acariciando meu rosto...

Dona Alba > Você é um filho pra mim Gabriel. E eu te entendo viu...

Beijou-me na testa e tocou o machucado do rosto... eu ainda não tinha visto! Será que tava vermelho ou inchado?

Mãe > Vamos Gabriel, que o Guilherme vai nos encontrar daqui a pouco na cantina...

Me despedi de dona Alba e da Jú sem antes combinarmos nos encontrar pra tratar do assunto Danilo... e fui com mainha... meu rosto pegava fogo... não sei se do soco ou do medo de encontrar o Gui. E da reação dele!

Quando chegamos na cantina tinha poucos alunos, na realidade apenas uns três que não me lembro quem eram. Mainha foi logo pegar com dona Nilda um gelo com um pano pra pôr no machucado...

Mãe > Vai colocar o gelo pra diminuir o inchaço!

Gabriel > Mãe não vou usar isso não!

Protestei...

Mãe > Vai usar sim...

Gabriel > Dona Nilda, tá inchado?

Dona Nilda > Não filho... tá vermelho mas inchado não...

Gabriel > Viu não vou usar nada... e me dá uma coca-cola!

Mainha cruzou os braços e pôs a bolsa de gelo improvisada na mesinha...

Mãe > Nunca vi tão teimoso Gabriel!

Dona Nilda pôs uma coca-cola com dois copos...

Gabriel > Dói mãe quando coloca o gelo! E de dor basta a que eu senti!

Mãe > Eu não sei se te bato ou o que Gabriel! Esconder o que acontecia com esse aluno!

Dona Nilda > Tá falando daquele trombada que vivia arrumando confusão com o Gabriel?

Mãe > Até você sabia dona Nilda?

Dona Nilda > Não é que eu sabia... eu via as coisas e achava estranho...

Gabriel > Mãe eu não vou usar nada de compressa de gelo... ora...

E de repente um carro freia com tudo do outro lado da cantina e sai um Guilherme cabelos despenteados e o peito arfando muito... seus olhos estavam extremamente negros... mais que o normal...

O Guilherme nem se importou onde estávamos... ainda bem que estávamos poucos, só eu, mainha, dona Nilda e uns três alunos... o Gui cruzou a cantina com poucos e longos passos e chegou a mim pondo as mãos em minha cabeça... quando ele olhou meu rosto simplesmente seu semblante endureceu e seus olhos assumiram uma ira tão grande que eu temi... senti suas mãos tremerem levemente e no mesmo instante eu me recordei do dia do sequestro quando o Gui, numa fúria sobre-humana quase matou o assaltante moto-taxi... eu vi aquele olhar de ira apenas naquele dia... e meu coração deu um salto... seu boca se apertou e ele me olhou nos olhos... sua voz era um rosnado só...

Guilherme > Como foi que aconteceu?

Tremi ante a potência que ele imprimiu na voz naquele momento... mainha veio e ficou olhando aquilo tudo... então falou...

Mãe > Foi na minha frente Guilherme... e eu mesma senti vontade de matar aquele monstro que fez isso com meu anjo!

Então, como se saísse de um transe o Gui virou de lado, ainda com as mãos em meu rosto e olhou pra mainha tentando meio que reconhecer...

Guilherme > Ah, Júlia... Julia... (repetiu como se tivesse saindo de um transe)

Eu simplesmente toquei as mãos do Gui e as tirei de meu rosto ele voltou-se a mim e eu falei olhando fundo nos olhos dele...

Gabriel > Acabou Gui! Acabou! Dona Alba expulsou ele do colégio... ele nunca mais vai cruzar o nosso caminho... e por favor Gui, vamos esquecer tudo...

Ele me tocou o machucado e vi os olhos raivoso dele se encherem de lágrima...

Gabriel > Não se preocupa... não está doendo... foi de raspão eu juro! (ele estava muito nervoso) Gui você sabe que não minto (eu tinha que acalmar ele) eu não minto Gui e se tivesse doendo eu diria!

Ele respirou fundo...

Guilherme > Não sei se conseguirei olhar novamente pra esse cara... juro que vou matar ele se eu o vir novamente... juro... juro! Aliás quero ir agora atrás dele... (e temendo o pior interrompi)

Gabriel > Por favor Guilherme! Não faz isso...

Meus olhos se encheram de lágrimas... e uma lágrima caiu pelo rosto... fiquei apavorado com a ideia do Gui se implicar na justiça, mais do que eu já o envolvi ate então...

Gabriel > Me prometa que não vai atrás dele... que não vai tentar nada contra ele... me prometa Gui, me prometa (tava quase chorando e mainha olhou pra dona Nilda e pediu um copo com água) se fizer isso eu vou me sentir culpado... culpado...

Então o Gui me abraçou... forte... e falou...

Guilherme > Mas ele não pode bater assim em você e sair ileso...

Mãe > Ele não saiu ileso Guilherme... ele foi expulso da escola e vai responder um processo criminal por estupro e atentado violento ao pudor... além do fato de ter agredido menores... o Gabriel e a Juliana... portanto... ele já foi punido..

O Gui olhou mainha e respirou fundo...

Guilherme > Vou prometer apenas não ir atrás dele... mas se eu cruzar com ele...

Gabriel > Gui!

Guilherme > Não Gabriel... nem tente... viu... pelo menos agora não! Quando olho seu rosto me dá um ódio tão grande que penso que vou enlouquecer...

Mãe > Gui meu filho... eu te amo por isso... sei que (e falando sussurrando pra dona Nilda não escutar) meu filho vai ser protegido por você... por isso quero você do lado dele pra sempre... mas por enquanto vamos tentar os meios judiciais... como educadora eu quero que o Danilo se recupere... mas se ele não se recuperar e tentar outra coisa contra o Gabriel, então usaremos outros meios viu...

Ele balançou a cabeça finalmente... mas aí!

Mãe > O que eu preciso é que esse moleque aqui use a compressa pra não ficar o inchaço maior, mas ele não quer... esse teimoso!

Quando o Gui olhou pra mim eu senti que iria o tempo fechar! Senti um braço apertar o meu e me sentar numa cadeira em frente a mesa... a mesa de operação oculares que eu e a Jú batizamos... logo em seguida o Guilherme arrastou uma cadeira e sentou na minha frente de pernas abertas pegou o saco de gelo envolto num pano de prato... quando levantou até meu rosto eu protestei...

Gabriel > Eu não vou usar isso Gui... (falei bravo)...

Ele apertou os olhos e os lábios... sua mão levantou e ele pôs o dedo indicador em meu rosto...

Guilherme > Você vai pegar com sua mão essa compressa e vai pôr agora no seu rosto... (ia protestar) AGORA GABRIEL! (sua voz era um terror) pegue agora! Estou mandando! (ele falou entre os dentes e eu senti um frio no estomago)

Como um autômato eu peguei a compressa da mão dele... seus olhos eram duros... coloquei no rosto e senti queimar... retirei...

Guilherme > Gabriel! (rosnou)

Choraminguei e pus no rosto... queimou novamente mas deixei ali...

Guilherme > Quinze minutos no rosto Gabriel... (ia protestar, mas ele foi mais rápido) se não fizer isso eu juro que não me responsabilizo pelos meus atos viu? (balancei a cabeça e olhei pra mainha, ela estava com a cara de quem dizia – tome!) depois retira a compressa e passa quinze minutos sem ela viu!

Balancei a cabeça afirmativamente e levantei o dedo como se pedisse permissão pra falar...

Guilherme > O que é Gabriel (falou empertigado)...

Gabriel > Não é melhor fazer isso no carro no caminho pra onde a gente vai almoçar... ai ganhamos tempo...

E do nada o Gui e mainha caíram na risada... o que eu havia dito de engraçado?

Fomos almoçar depois que fiz a sessão tortura facial do gelo... o Gui me obrigou a ficar os quinze minutos com a compressa no rosto... eu estava com o rosto rubro e todo anestesiado... parecia que tinha sido anestesiado pra uma cirurgia... eu não sentia a bochecha... era engraçado... quando chegamos no restaurante o Gui falou que depois do almoço eu ia fazer outra compressa... olhei pra ele com cara de zanga e ele falou que...

Guilherme > Não me faz um pingo de medo essa carinha zangada Gabriel... parece uma criança que acabou de perder o pirulito... pense num medo!

Bufei de ódio... que saco ele!

Mãe > Ele tem mania de faze cara de zanga... como se a gente fosse sair correndo de medo...

E começara a rir... quando eles desceram eu pus o saco de gelo fora do carro, no chão... daí pensei... vamos ver quem rir melhor... e sai pra almoçar feliz da minha vingancinha...

Almoçamos num restaurante regional o PARRAXAXÁ. Comi tanto que havia esquecido da parte dormente do rosto e vez por outra via risos de minha boca que ficava suja... o almoço foi descontraído...

Gabriel > Gui não precisava ter vindo, você tava fazendo suas coisas da academia e...

Guilherme > Não há nada importante ao ponto que não seja adiado... isso porque o que há de importante tá aqui...

Fiquei vermelho na hora... mainha ali do lado!

Guilherme > Amanhã pela manhã cedinho eu resolvo tudo... já deixei bastante adiantado...

Mãe > Você é um bom homem Guilherme... realmente não precisava ter vindo...

Guilherme > Julia eu não tinha cabeça pra nada... teria era feito tudo errado... mas deu errado desde o início, se eu tivesse pego o Gabriel pra almoçar desde cedo isso não teria acontecido... ou eu estaria nesta conversa com o pai do cara lá... ai queria ver ele fazer alguma gracinha pra cima do Biel...

Suspirei... se o Gui tivesse lá aí sim que tudo seria uma chacina! Quando terminamos o almoço fomos deixar mainha na clínica de estética que ela trabalhava também... deixamos ela lá e fomos pra escola... pra academia...

Guilherme > Você ia me contar o que aconteceu ou iria esconder Gabriel?

Pronto... ele estava esperando mainha sair só pra perguntar...

Gabriel > claro que ia Gui... não te escondo as coisas não... apenas não te conto logo tudo de uma vez porque você é esquentado...

Ele freou o carro e encostou numa calçada

Guilherme > Olhe aqui Gabriel! Seja a última vez que pense em fazer isso viu? Se não me contar a mera respiração difícil que teve por causa de um simples calor eu nem sei o que faço viu... (olhei pra ele sem acreditar) não tou brincando!

Eu bem sei que não!

Gabriel > Tá, tá ... eu falo... poxa Gui não vamos brigar por isso... acho que já sofri muito hoje...

Ele arqueou uma sobrancelha como se tivesse caído na real e falou...

Guilherme > Ta bom... mas então vamos pra academia... e põem ai a compressa que eu não esqueci...

Gabriel > Mas o gelo derreteu...

Guilherme > Derreteu nada... taba em amarrado... dá ainda pra fazer... põem...

Eu olhei pra baixo e falei quase sussurrando...

Gabriel > Deixei descongelar no estacionamento do restaurante pra não ter que fazer outra...

O silencio do carro dizia tudo!

Guilherme > Não vou nem comentar Gabriel... nem comentar... porque senão eu vou te... te... (e ligou o carro e saiu cantando pneus... quando chegamos no primeiro posto ele parou) quero uma caixa de sorvete (disse ao frentista)

Frentista > Que sabor senhor...

O Gui olhou pra ele com cara de matador...

Guilherme > Qualquer coisa... (e o frentista ficou parado) cara me surpreenda... pegue o primeiro que aparecer na sua frente...

E o pobre do frentista foi pegou uma caixa de sorvete do freezer e pôs num saco... o Gui pagou e arrancou dali...

Guilherme > Põem no rosto Gabriel...

Olhei assassino pra ele...

Gabriel > Não é melhor eu come?

Ele me olhou sério...

Gabriel > Vai gelar... (ele rosnou) por dentro Gui!

Suspirou... e então pus a caixa do sorvete na cara! Chegamos na escola e fomos direto para o estacionamento da academia... quando o carro parou a cena era a seguinte... Jú estava na porta da academia com o dedo em riste para o Bruno que de braços cruzados aparentemente não se importava com os gestos da Jú! Quando o Gui para o carro e eu desço com uma caixa de sorvete na cara, a Jú se paralisa com o dedinho no ar apontando para o Bruno e o rosto virado totalmente pra mim... olha assustada e solta a pérola...

Jú > Tá tomando sorvete por osmose?

O Gui dá um sorriso de canto de boca... eu olho fuzilando a Juliana e o Bruno faz cara de quem não entendeu... devido seus ancestrais Neandertais serem gerações mais próximas que as nossas, homens comuns...

Gabriel > Nem vou responder Juliana... pergunta ao senhor Guilherme...

Guilherme > Para toda reações existe uma reação contrária...

E eu vi simplesmente o Bruno chupar o dedo ainda levantado da Jú e ela virar o rosto com a rapidez de um raio e olhá-lo assustada...

Bruno > É a reação contrária...

E a Jú simplesmente ficou de queixo caído... Rimos todos e o Gui falou...

Guilherme > Isso não é reação contraria não viu Bruno... isso é investida em aluna... não tá certo isso não!

Bruno > Aluna? Que aluna que nada... ela é minha escrava... esqueceram que ela perdeu a aposta pra mim e até o dia de finados simplesmente vai ser minha escrava...

A Jú pôs os braços cruzados... quando ela tava insegura ela cruzava os braços... fiquei olhando estranho... nada deixa ela insegura... será, que...

Gabriel > Bruno e o que tipo de tarefas você dá pra ela?

Daí como se saísse de um transe a Jú veio com tudo...

Jú > Ele quer que eu esfregue as costas dele com um esfoliante... Gabriel! Com um esfoliante... e no banho dele... ou seja... se ele pensa que vai ficar com a salsicha e os ovinhos de codorna pendurados pra lá e pra cá na minha frente, enquanto eu raspo as costas dele com um caco de telha... pode tirar o cavalinho da chuva... no seu caso... o pequeno Stuart little da cachoeirinha dentro de casa!

Rimos todos, menos o Bruno que olhou pra ela com cara de bravo...

Bruno > Você terá que me obedecer... mas ok... eu ponho uma sunga... mas hoje a chica da silva não me escapa...

E saiu ainda com raiva porque eu simplesmente não parava de rir dele... Quando entramos na academia tinha muitos alunos e a Jú que havia se matriculado simplesmente não era uma aluna naquele momento, era a assistente particular do Bruno... era muito engraçado... o Bruno pedia água o tempo todo... toalha... mandava ela carregar os pesos que usava com os alunos... fazia com que ela enxugasse o suor do rosto... fosse pegar toalhas... organizasse os colchonetes... o equipamento de proteção pra cabeça, tórax, protetores bucal, caneleira, Bandagem, Punching, entre outros... era realmente o capacho do Bruno... teve um momento que um aluno de nossa sala de aula perguntou a ela...

Colega de turma > Juliana, tá treinando pra ser karatê kid?

Eu ri muito... a Flávia que tava perto e que tinha se identificado com a Jú de cara riu alto. Gente ela chegou perto do menino e olhou nos olhos dele...

Jú > E você? Tá treinando pra que? Substituta da lacraia? Porque com essas escritas finas meu bem, é capaz de furar os olhos com os joelhos se der uma chave em alguém...

Coitado! Gente o menino é tão magro que poderia ser estudado em anatomia o seu esqueleto que era aparente... ri discretamente e o menino saiu desconfiado... a Jú olhou pra o Bruno e foi até ele... eu nem quis ver no que ia dar... fui fazer a massagem no Alysson... tava mais preocupado com aquilo... e se ele ia me perguntar alguma coisa sobre o machucado!

Alysson > Vamos a massagem Gabriel... veja se não vai me deixar pior do que estou...

Eu pensei... impossível... nem que eu fizesse a massagem com os dentes... rasgando sua pela eu conseguiria deixar você pios... mas uma coisa que me intrigava... o Alysson é irmão da marcela, mas ele é negro... como... se a marcela não é negra.... é morena, mas negra!

Gabriel > Pode deixar Alysson... tenho muito experiência...

Alysson > Certo... (cortou-me)

E se deitou na cama de massagem... eu comecei a massageá-lo pelas costas... ele precisava melhorar a região lombar... tava muito tenso e contraído... pra amenizar o clima estranho que sempre acontecia quando eu estava com ele, perguntei...

Gabriel > Alysson você puxou a sua mãe ou seu pai?

Ele ficou calado... fiquei constrangido, mas continuei...

Gabriel > Tipo, é que sua irmã não tem a pele negra como você então alguém puxou um lado diferente da família... (interrompido)

Alysson > A marcela é adotada... (respondeu grosso e sem dar mais explicação... e logo em seguida pegou fones de ouvido e começou a escutar música).

Dei de ombros... se ele não quer papo ok... melhor que termino mais rápido... mas não me saiu da cabeça aquela informação... a Marcela adotada... como será que se chamava o pai da Marcela? Lúcifer? Terminei a massagem e o Alysson saiu sem agradecer... nem dei bola... tava acostumado sim... estava organizando as coisas quando o Bruno entrou...

Bruno > Gabi...

Gabriel > Nem vem Bruno que não tá na hora...

Bruno > Não é isso não! Eu vim aqui pedir uma ajuda a você... tipo assim...

E ele passou a mão pelos cabelos... estava nervoso...

Gabriel > Bruno o que quer de mim...

Bruno > Gabi é o seguinte eu não sei o que fazer mais pra chamar a atenção de tua amiga... tipo... não sou bom nisso e ela tá me deixando doido e...

Ele tava todo confuso... ri e falei pra ele...

Gabriel > Bruno você tá amarrado na Jú? Quer ficar com ela?

Ele me olhou assustado e falou...

Bruno > Não! Que isso Gabriel... não é isso... é que... eu não sei dizer... eu na realidade queria fazer alguma coisa pra ela ficar por baixo... tipo... sou tão boboca que ela me faz de besta o tempo todo... queria deixar ela uma única vez sem ação... tá ligado?

Eu ri e compreendi... era até engraçado um homem daquele tamanho me pedir ajuda pra sacanear uma garota que era minha melhor amiga... olhei pra ele e decidi...

Gabriel > Será um prazer Bruno...

Ele sorriu e me abraçou... depois recuou e olhou sério...

Bruno > O que foi que aconteceu no teu rosto... eu tinha esquecido de perguntar...

Guilherme > Não é da sua conta Bruno....

O susto foi tão grande que derrubei uma toalha no chão...

Bruno > Oxe Gui... só tou preocupado com o amigo aqui... nada de... (interrompido)

Guilherme > Bruno os alunos estão esperando... vai logo vai...

E o Bruno saiu carrancudo e um pouco magoado... eu olhei pro Gui, balancei a cabeça e apanhei a toalha do chão...

Guilherme > Nem faça essa cara viu! Que historinha é essa dele te pedir ajuda... pra que era mesmo?

Gabriel > Gui pelo amor de Deus! É o Bruno... o BRUNO! Nosso amigo... seu irmão de coração! E ele veio me pedir umas dicas pra com a Jú... e...

Guilherme > Ah tá... entendi...

E deu dois passos e me beijou com força... tanta força que doeu o rosto... depois me soltou...

Guilherme > Tava doido pra te beijar... (e me deu outro beijo) você vai fazer a massagem em quem agora?

Gabriel > Na Flávia (falei entorpecido pelo beijo)...

Guilherme > Ótimo... vou fazer umas ligações pra fornecedores e volto depois da massagem da Flavia... (me deu outro beijo e esse mais possessivo segurando minha cabeça e depois sorrindo saiu)

Tava me acostumando com aquele jeito ciumento do Gui... mas não tava gostando muito... embora que depois ele sempre arrasava nos beijos... eram tão profundos e eu adorava o jeito que ele fazia com a língua brincando com a minha e a forma que pegava minha nuca... era como se eu fosse uma preciosidade apreciada por ele... adorava isso... Sai dos meus pensamentos com a entrada da Flávia... e de repente percebi o perigo que corremos... poderíamos ter sido flagrados por qualquer pessoa... nossa! O Gui é muito seguro de si!

Quando estava colocando a cama em ordem a Flavia entra como um furacão...

Flavia > Gabriel que amiga da hora é essa tua hein... tou amando ela... simplesmente fez o Bruno parar de arrotar feito um porco como ele sempre faz... tua credita que ele estava aplicando uma técnica num menino e ele sempre faz isso... arrota na cara do outro... eh uma marca registrada dele... e é um nojo... a Jú percebeu e quando ele abriu a boca pra arrotar ela simplesmente jogou um copo d’água na boca dele? Kkkkkkkkkkkk ele engasgou na hora... gente ela é louca... louca... kkkkkkk

Gabriel > Você não viu nada... dá asa não senão... (ri junto) mas vamos começar a massagem?

Flavia > Claro... tou doida pra relaxar... Biel será que pode fazer no meu ombro? Ta doendo...

Gabriel > Sim... onde é a dor...

Ela me mostrou... já sabia o que fazer...

Gabriel > Deita... de bruços...

Ela se deitou e comecei a aplicar a técnica de massagem baseada na terapia crânio sacral... deitei a Flavia de bruços e comecei a massagem... puxava o ombro dela pra cima com uma mão pra destaca a omoplata... e com a outra mão, os dedos abertos passava circundando a omoplata primeiro com os quatro dedos do mindinho até o indicador... depois pó com o polegar... fiz varias vezes esse movimento e depois colocava o ombro no lugar e massageava lentamente...

Flavia > Gabi que delícia... ta passando a dor...

Gabriel > Vai passar sim... acho que deveria fazer pilates viu...

Flavia > Tem razão... Gabi me conta como tá os preparativos da festa de Gui...

Então informei a Flavia tudo... que minha mãe havia falado com a avó do Gui e que eu estava preparando o repertório...

Flavia > Eu tenho algumas coisas que pode te ajudar no repertório...

E ele falou de algumas músicas que o Gui ouvia na infância... gravei tudo na mente... tinha que ensaiar a noite...

Flavia > Gabi me diz uma coisa... porque tanta dedicação pra o Guilherme...

Travei na hora! Poxa vida... o que eu iria falar pra Flavia agora? Respirei fundo... quando...

Jú > Cadê o senso de decência dessa espelunca! Francamente minha gente... ele é muito infantil... tipo... quer por que quer que eu entre dentro do tatame pra ele demonstrar uns golpes comigo pra os alunos...

Flavia > O Bruno não pode fazer isso... primeiro que demonstrar golpes tem que ser com outro instrutor ou com os próprios alunos... (a Flavia se levantou) Gabriel já terminou?

Gabriel > Já sim... (falei apressado)

Flavia > Vou resolver isso com o Bruno...

E vestiu a blusa, ela estava apenas de top, saiu da sala...

Jú > Na realidade a ideia foi minha... eu só queria que o Bruno fosse reclamado... kkkk

Nossa... coitado do bruno... daí tive uma ideia de como ajudá-lo e de quebra fazer com que a Jú fosse posta no lugar dela... sorri...

Gabriel > Jú preciso que você me faça um favor...

Ela me olhou curiosa e disse...

Jú > O que?

Gabriel > Jú eu estou precisando que você me ajude na massagem do Bruno...

A Jú me olhou cabreira...

Gabriel > É que eu preciso que me auxilie na massagem dele... que vai ser daqui a pouco...

Jú > Sei não... acho que não é uma boa ideia não... tou muito brava com aquele troglodita... eu hein! Como é que tu aguenta essa gente? Oh povo bruto...

Gabriel > Olha quem tá falando... você mesma vive me dando coices...

Jú > Ah meu filho eu sou quem eu sou... tenho o direito de andar sobre a mortalidade...

Gabriel > Tá se achando hoje!

Jú > Não me acho, eu sou! Entenda de vez...

Gabriel > Tá Jú, mas vai me ajuda... vai ser coisa fácil...

Ela me olhou desconfiada ainda e eu apelei...

Gabriel > Nunca te pedi nada... nada! E quando te peço você simplesmente diz não!

Ela fechou os olhos e respirou fundo...

Jú > Tá certo Gabriel... vou fazer o que pede... mas se o analfabeto do soletrando disser a mínima gracinha pra mim eu enfio no cú dele o pote de óleo e tiro pelo bico do peito!

Gabriel > Feito!

E olhei pra ela... ela não perde por esperar! Eu tinha em mente uma coisa simples... o Bruno estava evitando se envolver com a Jú... simplesmente estava tentando uma luta de quebra de braços e ainda não tinha visto a Jú como, digamos mulher! Já a Jú estava determinada a fazer do Bruno o seu brinquedo particular, por isso perdeu aquela aposta boba, apenas pra ficar do lado dele e lá investir, do jeito Jú de investir, numa possível aproximação. Só que os dois são bem parecidos, a diferença é que o Bruno é naturalmente engraçado, pelo fato de ser ingênuo... já a Jú é engraçada porque é louca de pedra... então eu queria ajudar ao Bruno mostrando pra Jú o que ele tinha de melhor... o porte físico... já tava imaginando o que aconteceria quando eu pedisse pra ela passar óleo nas pernas dele... e ao mesmo tempo eu iria combinar com o Bruno pra que ele falasse de outras mulheres lindas e sensuais... queria ver a Jú em baixa estima... e vamos ver no que vai dar...

Gabriel > Jú organiza óleos relaxantes pra mim... são aquele ali... que eu vou chamar o o Bruno viu...

Jú > Tem algum a base de ácido muriático?

Gabriel > Juliana, nada de gracinhas...

E sai pra falar com o bruno... ele tava com um aluno falando sobre alimentação adequada e que ele precisaria consultar um nutricionista e médico...

Gabriel > Bruno vamos pra massagem...

Bruno > É hora? Já?

Gabriel > Claro que é... e antes quero combinar contigo algo (e pisquei o olho)

Ele ficou voando sem entender... não tinha jeito... com o Bruno tem que ser direto...

Gabriel > Você poderia nos dar licença, tenho um assunto particular a tratar com o Bruno (e o aluno falou que sem problema depois conversaria com ele e saiu) Bruno tu é difícil de entender as coisas... (ele coçou a cabeça ainda sem entender que eu queria conversar com ele antes da massagem e em particular) olha eu falei que ia te ajudar e vou... chamei a Jú pra me ajudar na massagem... é o seguinte... vou fazer ela te dar a massagem e você vai ficar elogiando tudo... no momento mais forte do elogio, você vai falar de outra garota... pois quando a Jú pensar que é sobre ela, você puxa o tapete e fale que é outra garota viu...

Bruno sorriu...

Bruno > Brilhante... vou massacrar a Jú...

Será que vai dar certo? Fiquei pensando... mas dei de ombros... pelo menos seria engraçado.

Quando entrei na sala de massagem eu não imaginava que estaria daquela forma... a Jú estava sentada na cama de massagem com um short que parecia ter sido dela aos 11 anos, um top que mais parecia uma tarja de censura e ela havia feito algo no cabelo que sinceramente eu não entendia o que era... mas que a Gisele Bündchen era a referencia! Parecia um calendário de oficina mecânica!

Bruno > Oi... cadê a Jú?

Primeiro round- ponto pro Bruno... a Jú olhou pra ele e apertou os olhos...

Jú > Saiu, mandou a Chica da Silva pra substituir... não foi assim que me chamou?

Gabriel > Bruno deite-se... Jú boca fechada... aqui é trabalho e não o playground... (ele me olharam emburrado) vamos mecham-se...

E o Bruno retirou a camiseta e o tênis e se deitou de peito pra cima...

Gabriel > Bruno vire-se, vamos começar pelas costas...

Ele se virou... a Jú estava olhando pro corpo do Bruno hipnotizada... sabia que ela iria gostar... acho que o segundo round foi vencido pelo Bruno!

Ele tava deitado de costas e suas costas eram enormes... peguei o óleo de massagens e a Jú tomou de minhas mãos...

Jú > Eu passo!

Ri, ela tava colaborando pra própria forca!

Gabriel > Certo... passe o óleo nas costas do Bruno... isso... menos Jú... assim, agora eu vou...

Jú > Não eu faço... me indique como é o movimento...

Gabriel > Jú é sério, esse é meu trabalho, não quero que vá fazer algo errado no Bruno...

Jú > Deixa de ser bobo...

Bruno > É Gabriel... deixa ela fazer a massagem, você indica como é pra ela fazer... enquanto isso ficamos conversando ok... e você só supervisiona... afinal de contas, ela é minha escrava particular...

A Jú cravou as unhas nas costas do Bruno que gemeu e fazendo uma cara de desculpa perguntou...

Jú > Como eu faço (com cara de falsa inocência...)

Gabriel > Tá... primeiro espalha o óleo com a mão aberta por toda as costa do Bruno ok?

Ela fez...

Falei pra Jú que começasse com as mãos juntas na base do coxis dele e fosse descendo pro lado... olhei quando ela tocou o Bruno, vi ela ficar um pouco mexida... acho que ia funcionar... o Bruno olhou de lado e me piscou o olho...

Bruno > Nossa Biel... essa massagem tá muito legal...

A Jú sorriu e se empolgou mais... eu falei pra ela repetir do lado esquerdo o que havia feito do outro lado, depois subisse pela base da coluna até quase o pescoço...

Bruno > Biel pede pra Jú massagear mais embaixo... tou com a bunda doendo...

Olhei pra ele e vi que ele iria mesmo deixar a Jú doida de tesão... rs

Gabriel > Jú é o seguinte, em cima do próprio short (falei logo antes que ela fizesse menção de deixar ele nu e o Gui entrasse ali e me matasse) você faz o seguinte movimento... fica de frente pra ele, pra cabeça dele e você vai fazer um desenho de asas nas costas dele e quando chegar na base da coluna com os polegares você vai massagear a bunda do meio pros lados...

A Jú ficou de frente pro Bruno que simplesmente se ele levantasse a cabeça colocaria mesmo na região genital...

Gabriel > Agora do meio da bunda, com os dedos pro lado e somente com os polegares faça movimentos circulares do meio da bunda até pra os ‘culores’ rs

Bruno > Eu não tenho culotes! Ora!

Ri...

Gabriel > É só a região... vou mudar o termo... para o quadril! Isso Jú...

Olhei pra Jú e ela estava muda! Completamente muda... o Bruno começou a respirar forte mas se conteve...

Bruno > Gabi tá ótimo viu... você é muito bom... um que mãos boas... maravilha...

A Jú sorriu... parecia que estava no nirvana...

Gabriel > Agora vai juntando os polegares no meio do coxis e quando ficarem juntos, isso, passa só um pouco assim... agora sobe até em cima da bunda e volta pro coxis abrindo como um V... isso Jú... você leva jeito...

Jú > Mesmo? O que tá achando Bruno? (a voz da Jú já tava carregada... pesada...)

Bruno > Acho que tou no céu! Mãos de fada... maravilhosa... estou imaginando a dona dessas mãos maravilhosas me tocar...

A Jú sorriu... o Bruno virou o rosto e mordeu o lábio... tava na duvida se era de tesão ou se era pra abafar o riso!

Bruno > Nossa fantástico... muito bom mesmo... hummm

A Jú sorriu... repetiu os movimentos de juntar os dedos na base do coxis e subir ate em cima da bunda e descer em V apertando a lateral da bunda com os demais dedos umas 10 vezes...

Gabriel > Agora faz movimentos circulares com os polegares apenas no osso que temos no final da bunda Jú... isso ai...

O bruno gemeu involuntariamente... ou foi parte da farsa? Eu já não sabia... a Jú tava radiante... parecia que estava com o poder nas mão... procurou intensificar... e me olhou piscando os olhos... sei! Como se eu estivesse do lado dela... ajudando no plano de conquistar o Bruno pra ela... fiquei na corda bamba... a quem mesmo eu ajudava?

Bruno > Gabi maravilha... quem diria que as mãos dessa guria seriam assim... tou imaginando a figura dela... na mente...

Gabriel > Jú agora vai pras pernas... isso e como se fosse dar beliscões vai de lado apertar puxando a pele pra cima... isso...

A Jú colocava muito óleo... eu falava que não precisava de muito óleo não, mas ela dizia que facilitava que era iniciante... eu ria... o óleo demais penas dificulta.. mas tudo bem... ela terminou nas pernas e eu falei...

Gabriel > Bruno vira de costas...

Ele se virou... aí pus uma toalha enrolada em forma de rolo nas costas dele, perto do pescoço pra dar mais apoio... depois coloquei uma toalha na pélvis e então mandei a Jú massagear o tórax e o peito...

Gabriel > Jú? Jú!

A Jú estava hipnotizada pelo corpo do Bruno...

Gabriel > Jú! Começa!

Ela me olhou e deu um sorriso fraco... respirou fundo e começou... ela fechava os olhando quando tocava na pele de Bruno que também começou a morder os lábios... aí sim, percebi que era pra não se excitar... fiquei constrangido... o que eu havia feito?

A Jú como se tivesse saído de um transe jogou óleo no peito dele e simplesmente começou a massageá-lo e o Bruno fechou os olhos.... Enquanto eu dizia o que era pra ela fazer... ela simplesmente fez... até que bem feito... independente da falta de experiência... mas o que era engraçado era a cara que ela fazia quando olhava o corpo do Bruno... parecia que ia morde-lo todo...

Suas mãos desciam pelo peito até o abdômen do Bruno... em alguns momentos ela fazia com algo a mais do que eu falava... como se massageasse cada parte do corpo dele.. sem deixar nada pra fora...

Gabriel > Jú se concentra! Tem que fazer o que digo... ta massageando ares sem necessidade!

Jú > Deixa comigo que eu sei tudo!

Bruno > Continua que tou gostando! Fico pensando em quem ta fazendo essa maravilha comigo...

Olhei pro Bruno... ele ainda estava na brincadeira... melhor! Então a Jú passou pra pernas do Bruno... e passou mais óleo e fez os movimentos de dispersão que eu havia ensinado! Por toda a perna dele! Foi engraçado ele tinha cócegas na perna e se você não tem técnica, como a Jú faz a pessoa rir...

Bruno > Até divertida é essa massagem! Nem mesmo você me faz tão bem assim Gabriel... essas mão são perfeitas...

A Jú sorriu e me olhou feliz... seu sorriso era radiante... o Bruno me olhou e piscou... tava perto de tudo...

Gabriel > Jú, tá quase terminando... tem ainda a região do rosto e pescoço...

Ela então lavou e limpou as mãos com uma toalha e foi pra o rosto e pescoço... pelo menos tirou o excesso de óleo das mãos...

Jú > Agora vem a parte melhor...

E massageou da forma com que eu ensinei. Bruno estava de olhos fechados e a Jú olhava atentamente o rosto dele! Massageando as têmporas enquanto o Bruno falava...

Bruno > É uma delícia mãos tão delicadas me tocando o rosto... me sinto revigorado... parece uma fada... que coisa boa! Nossa imagino uma menina incrível fazendo essa massagem maravilhosa... uma menina que simplesmente poderia ser uma pessoa tão incrível... sensível...

A Jú simplesmente ficava olhando maravilhada pelas palavras do Bruno...

Bruno > Como poderia agradecer Gabi pela ideia de colocar essa menina pra me massagear...

A Jú sorriu e falou...

Jú > Obrigada Bruno...

E então veio o golpe de misericórdia...

Bruno > Mas eu não falei de você Jú... falei da menina que eu ESTAVA IMAGINANDO... porque se abrisse os olhos e lhe visse... francamente... ia ter câimbras o corpo todo!

E a Jú parou instantaneamente de massagear! Ela olhou pra o Bruno e ele estava com um sorriso enorme! Bem, realmente ele havia ganho todos os rounds! E acho que foram uns 10, rs... eu fiquei com um pouco de pena da Jú... realmente tive e fui um pouco cruel com ela... mas pelo menos eu poderia dizer que, bem, ela mereceu pelo fato de todo mundo ser sacaneado por ela 24 horas... mas a carinha que ela fez foi de dar dó...

Jú > Certo...desculpa vocês... vou ali...

E saiu de cabeça baixa... foi no armário guardar as loções...

Bruno > Bom agora tou realmente revigorado (falou mas olhou pra ela sem muita convicção, achei que ele agora que tinha vencido tava um pouco desanimado com a vitória)

Gabriel > Bem... (olhei pra ele e ele ainda sorria, mas sem muita convicção) melhor você tomar uma ducha...

Bruno > É... e ainda tem minha querida escrava pra passar esfoliante nas costas...

Jú > Certo... eu faço tudo... já tou derrotada mesmo... mas Gabi vem aqui...

Eu me aproximei, será que ela ai ficar com raiva de mim... ou falar comigo triste... já tava de coração partido...

Gabriel > Diz Jú...

Jú > Procura comigo minha digital aqui na bolsa...

A bolsa de Jú era um pandemônio... tinha roupa, bolacha, cremes de pele, maquiagem... menino ia demorar o dia todo... ela olhou o relógio...

Bruno > Posso ir? Vamos comigo Ju!

Jú > Espera... espera... só uns dois minutinhos até achar minha digital...

E ficamos procurando feito lesos naquela bolsa enorme sem achar digital

Gabriel > Jú pra que raios você quer a digital? Que saco!

Daí ela olhou o relógio e sorriu... mas sorriu mesmo... ela tava olhando pro Bruno... a Jú abriu o armário e pegou a digital em baixo de uma toalha... e falou... estranhamente feliz...

Jú > Pra registrar isso!

E eu olhei pra trás... simplesmente meu queixo caiu! O Bruno parecia um mico leão dourado!

Gabriel > Juliana o que raios você fez sua louca?

O bruno franziu o cenho e me olhou sem entender...

Jú > Nada demais... dei uma geral nesse ai... tipo, água oxigenada explica... e ah! Efeito em 10 minutos... amei!

O bruno olhou pra os poucos pelos da barriga e da coxa, estavam loiros Xuxa!

Bruno > Puta que pariu! Que porra é essa?

Olhei assustado... o Bruno tava lascado!

Jú > É o que tua massagista imaginária gostosona fez... agora pode desfilar nas virgens de piedade...

Ele se levantou incrédulo... boca aberta...

Bruno > Cacete! Diga que isso sai no banho sua louca... ou eu vou... vou...

Jú > Bater em uma pobre e indefesa menina de menor dentro da escola da mãe dela! Cujo carrasco que vai me bater está me escravizando a tarde toda... nossa que tipo penal isso vai dar...

O Bruno avançou e eu recuei... ele chegou perto dela bufando de raiva...

Bruno > Vou fazer algo melhor que bater...

E pegou a cabeça dela rudemente e beijou-a na minha frente... fiquei absolutamente rubro de vergonha e a Jú, bem, a Jú conseguiu o seu intento... Enquanto tentava me recuperar do susto de ter visto o Bruno beijando a Jú na minha frente, quando simplesmente...

Guilherme > Mas que porra é essa?

O Bruno largou a Jú que quase caiu no chão... e se virou olhando assustado para a porta.

Flávia > Jesus! Você clareou os pelos Bruno?!

E subitamente a Flávia cai numa gargalhada incontrolável... o Gui olhou bravo pra ela e se aproximou de mim...

Guilherme > O que tá acontecendo aqui Gabriel?

A Jú já refeita deu as costas e juntou suas coisas... pegou a bolsa e soltou....

Jú > Estava tentando convencer o Bruno de que era melhor rapar esses pelos loiros pois simplesmente ele ta parecendo um pagodeiro que errou o local do loiro...

Guilherme olhou pra ela sem entender nada!

Jú > Poxa Gui... os pagodeiros pintam o cabelo da cabeça, não do corpo!

O Bruno avançou novamente pra ela... que se escondeu atrás do Gui...

Bruno > Vou te matar garota!

Guilherme > Parem vocês dois! Bruno pro chuveiro... Flávia para de rir feito uma idiota e vá fechar a academia... Juliana fique longe de qualquer confusão e vá esperar lá fora.. Gabriel venha comigo, quero ter uma conversinha com você!

E ante a inatividade de todo mundo ele gritou...

Guilherme > Mecham-se...

E todos se dirigiram em silencio... O Guilherme me pegou pela mão e me levou até o escritório. Fechou a porta e se encostou nela pôs as mãos cruzadas nobre o peito e me olhou nos olhos...

Guilherme > Agora senhor Gabriel, tenho duas coisas pra falar com você... a primeira é que merda foi aquela lá com o Bruno? (tremi) o que aconteceu Gabriel?

Respirei fundo e resolvi contar tudo de uma só vez...

Gabriel > Você sabe da aposta né? (ele balançou a cabeça) certo... porque simplesmente durante esta aposta a Jú, embora tenha ‘perdido’ (falei com os dedos simulando aspas) estava levando a melhor... então quando você me perguntou o que o Bruno o queria eu falei que ele tinha pedido pra ajudá-lo, lembra?... (ele balançou afirmativamente a cabeça) então... eu o ajudei... pedi pra Jú fazer a massagem comigo...

Guilherme > Você pediu o que?

Vixe! Sabia que ia sobrar pra mim... continuei nervoso

Gabriel > Pedi pra ela me ajudar... tipo... combinei com o Bruno sobre isso e que ele iria simplesmente elogiar a massagem, pra depois puxar o tapete... e ele fez... mas ai ninguém esperava que a Jú fosse tão esperta e simplesmente tivesse sacado tudo e posto água oxigenada no óleo de massagem enquanto eu combinava tudo com o Bruno! E aí, aconteceu aquilo... os pelos dele fiaram loiros... todos...

Falei tentando conter o riso, lembrava como ficou o Bruno...

Guilherme > Mas eu sabia que isso ia dar errado, que a Jú simplesmente não iria se deixar enganar...

Gabriel > É verdade? Mas como?

Guilherme > Bem, essa é a segunda coisa que eu queria falar contigo... eu preveni a Jú!

Então meu queixo caiu a segunda vez naquele dia!

Gabriel > Guilherme você fez o que?

Ele saiu de perto da porta e caminhou pelo escritório sentando-se na cadeira...

Guilherme > Eu preveni ela! Olha, depois que você me disse que iria ajudar o Bruno com a Jú... então apenas disse a ela que tomasse cuidado com vocês dois...

Gabriel > Mais Gui você me... me... dedurou?!

Eu estava chocado... absolutamente chocado! Ele se levantou e veio com cara de tristeza... as sobrancelhas arqueadas...

Guilherme > Não... não Biel! Não foi isso...

Ele tentou me abraçar e eu desvencilhei dele... fui pra trás da escrivaninha e pus as mãos lá!

Gabriel > Como não! Você disse que eu e o Bruno tava aprontando pra ela!

Guilherme > Eu não disse isso...

Gabriel > Você acabou de dizer que disse!

E cruzei os braços... então o Gui ficou nervoso e andou de um lado pro outro...

Guilherme > Eu disse... mas não disse! Ei pare de me pressionar seu mocinho...

Ah ele não ia virar o jogo, logo agora que eu havia conseguido chegar onde tava...

Gabriel > Guilherme você contou ou não contou pra Jú? Decida!

Ele avançou pra mim e me segurou nos pulsos... apertou com força...

Guilherme > Olha como fala comigo!

Fechei os olhos e tremi, mas fui firme...

Gabriel > Ta sendo da mesma forma que você falou agora a pouco comigo... só que eu não te machuquei como ta me machucando agora!

Ele então ele percebeu o que fazia e soltou meus punhos e instantaneamente me abraçou forte beijando minha cabeça...

Guilherme > Desculpa amor... desculpa!

Ele me abraçava muito forte e senti meu corpo quente ao dele, como sempre acontece quando nos abraçamos...

Gabriel > Tá... mas você disse ou não disse...

Guilherme > Disse! Mas sem intenção de alertar ela, tipo como uma fofoca...

Pisquei várias vezes, então ele me levantou e me pôs sentado na escrivaninha e se aproximou...

Guilherme > Foi assim!

Embora eu estivesse com as penas abertas e ele encaixado em mim eu estava de braços cruzados pra afastar qualquer investida dele... ele percebeu e fez cara de menino perdido... quase amoleceu meu coração... mas eu tava mesmo com vontade de saber o que realmente tinha acontecido!

Gabriel > Conta!

Guilherme > Eita que quando você implica com uma coisa não cede um milímetro né...

Eu nem respondi e ele suspirou...

Guilherme > Certo... quando sai da sala de massagem e você tinha me dito que o Bruno tinha lhe pedido pra ajudar eu encontrei a Jú procurando você e eu disse que tava na sala de massagens... daí a Jú falou que ia... deixa eu lembrar... ah, que ia perguntar a você a forma mais fácil de se atormentar um lutador de jiu jitsu já que você tinha experiência comigo! (balancei a cabeça negativamente) daí eu ri... como sempre riu do jeito engraçado dela e falei que tomasse cuidado com vocês dois... só isso... mas também não sabia que vocês dois iriam logo em seguida tentar pregar uma peça nela... muito menos que ela era tão sagaz pra sacar isso logo...

Gabriel > Em respeito de Jú, a gente tem que saber que ela é absolutamente louca e que com certeza sacaria de cara tudo... ora!

Guilherme > Não tive culpa amor! tou perdoado? Vai diz, tira essas mãos daí pra eu te abraçar e beijar... vai amor! tou perdoado?

E fez biquinho... achei tão bonito... mas eu queria simplesmente continuar a torturar um pouco aquele bruto...

Gabriel > Não sei não! Me deixou em uma situação difícil com a Jú, ainda brigou comigo...

Guilherme > Por favor amor... não fica assim comigo por favor!

A cara dele era de dar pena... as sobrancelhas estavam arqueadas, os olhos brilhando e os lábios apertados daquela forma que ele fazia quando queria segurar ou a raiva ou o riso ou o choro... era os mesmos lábios que dava aquelas três expressões diferentes... então eu não resisti... quem estava sendo torturado era eu...

Sorri e descruzei os braços... então ele me abraçou e me beijou lentamente... saboreando meus lábios e enfiando os dedos na minha nuca entre os meus cabelos e começou ali a acariciar... senti um frio na espinha e seus lábios intensificaram o beijo que foi absolutamente sublime... eu sentia a respiração dele em minha face que simplesmente aumentava o calor... ele começou a morder de leve meu lábio inferir e após isso usava a língua como se fosse simplesmente acariciar a dor provocada... senti ele me virar a cabeça e depositá-la em seu braço... e ali deitei-a enquanto ele me beijava com lentidão e volúpia... foi maravilhoso... delicioso... eu estava quase deitado no braço forte do Gui e seus lábios me beijavam com doçura como se provasse um doce e ao mesmo tempo que era profundo quando enfiava a língua toda pra que eu a chupasse...

O Gui prosseguiu intensificando o beijo e senti ele tocar minhas costas com a outra mão que percorriam minhas costas deixando um rastro de fogo ali... senti seus dedos tocando cada vértebra de minha coluna enquanto ele me beijava com mais urgência e sua respiração se acelerava... ele desceu sua mão até minha bunda enfiou a mão por dentro da calça tocando a bunda por todo o local... quando!

Flavia > Guilherme (batida na porta) já organizei tudo e tou indo viu...

O Gui não parou de me beijar, mas eu fiquei assustado...

Flávia > Gui? Tá ai (ela mexeu na maçaneta da porta)...

O Gui parou de me beijar, praguejou e respirou fundo...

Guilherme > Tou sim Flavia, já vou espera que tou resolvendo umas coisas com o Gabriel...

Eu sorri, imagina se ela entra e visse que ‘coisas’ o Gui tava resolvendo! Ainda bem que ele trancou a porta!

Flavia > Certo... beijos...

E saiu...

Gabriel > Gui é melhor nós irmos...

Guilherme > É sim... mas antes me dá mais um beijo!

E me beijou novamente... dessa vez como se fosse o mundo acabar!

Quando saímos a cena era a seguinte... era preciso muito equilíbrio emocional para não rir... o Bruno estava de braços cruzados todo emburrado com as pernas totalmente loiras e a Jú simplesmente falando pra ele as propriedades da depilação com cera quente!

Jú > Não dói mais do que os socos que você leva merecidamente nesta fuça que tens...

Bruno > Sem chance! Não vou andar aí feitoJú > Mussu?

Então não aguentei... e ri tanto que chorei!

Bruno > O que diabos é um mussu?

Jú > Mussu é um tipo de peixe da região nordeste que parece uma cobra e é muito liso e muita gente diz que entra no ânus de quem toma banho sem roupa... por ser muito liso entra facinho...

Então o Bruno ficou escarlate... o Gui chegou perto e interveio porque eu não tinha condições de tanto que ria!

Guilherme > Bruno é melhor depilar... isso é bobagem... tem tanto lutador que tira tudo...

Bruno > Gui eu não vou...

Guilherme > Você que sabe! Amanhã tem treino com a galera! Eles vão adorar você todo pintado de ouro!

E então eu voltei a rir... coitado! Kkkk

Bruno > Certo, certo! Porra tu me paga Juliana!

Jú > Essa é boa... sou responsável pela melhora estética dele e ainda tenho que pagar... você que tá me devendo quase um pote inteiro de água oxigenada!

Ele tentou avançar pra ela mas o Gui segurou...

Guilherme > Ok... ok.. Jú chega de provocações... (e empurrando o Bruno falou) certo... vamos resolver logo... onde levaremos o Bruno pra depilar...

Tentei conter o riso... eu acho que tava numa crise...

Jú > Não precisa ir pra canto nenhum... pode ser aqui mesmo... tipo, eu tenho a cera!

Bruno > Você tem cera aqui? Sua louca! Planejou tudo!

Jú > Não mesmo! Até onde sei quem estava de traminha pra mim era o senhor e o Gabriel-ex-amigo-do-peito!

Parei de rir instantaneamente!

Jú > Além do mais, tive esta ideia de última hora... é que na minha bolsa tinha o kit depilação e doura pelos... ia fazer isso hoje a noite em casa, veja (abriu a bolsa e mostrou) olha aqui a nota fiscal, compre hoje depois do almoço e antes de vir aqui! E quer saber... vamos logo raspar o galo que eu quero ver é o mijo descer!

E dizendo isso pegou o bruno pela mão e puxou pra sala de massagens... eu e Gui nos olhamos e corremos pra onde eles tinham ido! Não perderíamos aquilo por nada! Quando chegamos lá a discussão era feia...

Bruno > Cera na pele e papel depois pra puxar... não quero isso não... melhor máquina...

Jú > A máquina querido não vai tirar tudo... e todo mundo vai ver os pelinhos loiros saindo daí... vão pesar que é o Gabriel!

Gabriel > Ei alto lá, eu não tenho pelos não...

Bruno > Não tem pelos? Como assim!

Guilherme > Que interesse nos pelos do Gabriel é esse Bruno?

Bruno > Nada meu! Só acho estranho não ter pelos, você tira?

Jú > Ah Bruno o Gabriel é a evolução da raça humana... mas se preocupa não... deita ai que eu te deixo digievoluído hoje!

Bruno > Não quero fazer com cera!

Jú > Se o bebê chorão não tirar com cera vai parecer uma raspadinha de laranja...

Senti que eu iria rir... olhei pro Gui e ele me indicou uma cadeira junto a ele... gente ele já estava sentado pro espetáculo! Me sentei também

Jú > Vai se deita ai... primeiro as costas... tem uns pelinhos em cima da bunda que merecem abandonar teu corpo...

O Bruno se deitou emburrado... previ que ele sofreria mais que qualquer luta que já fez na vida! A Jú olhou de lado e sorriu... piscou o olho pra mim e para o Gui e apenas com os lábios falou “este é o melhor momento de minha vida!”... o Gui pôs a mão na boca e eu segurei o riso! “Nasci para esse momento, obrigada Senhor Deus”...

Bruno > O que foi? Que silencio é esse?

Jú > Estou intuindo as forças primitivas da natureza pra me dotar de sabedoria e força pra conseguir arrancar esses arames pintados de loiro que saem de sua pele!

Bruno > É o seguinte... sem gracinhas viu... e termine logo!

A jú Abriu o porte de cera! Era cera fria que ela ia usar... pegou o saco que contem os papeis que puxa-se a cera e abriu-o.

Jú > Querido, quando atingir o primeiro minuto, tenho certeza que a questão de tempo lhe escapará pra sempre!

Bruno > Comece logo, e fique de boca fechada...

A Jú pôs com uma espátula um pouco da cera no cóxis do Bruno... espalhou bem e pôs uma folhinha de papel em cima...

Bruno > É fria... Ai CARALHO!

O bruno ficou em pé no mesmo instante com as duas mãos na base da bunda! Os olhos muito abertos...

Jú > E agora, esquentou? (perguntou com um sorriso sínico no rosto e o papel com a cera e os pelos grudados nela)...

Bruno > Você é completamente louca! Se afaste de mim...

Eu estava com dor no estomago de tanto segurar o riso e o Gui estava com os punhos cerrados, certamente usando as unhas pra lhe fazer dor...

Jú > É o seguinte! Toda mulher aguenta fazer isso sem nenhum piti! Eu esperava mais de você seu Bruno... um lutador forte de Jiu Jitsu simplesmente com medo de uma cera... tou até pensando que não aguenta o tranco no tatame...

Vi o Bruno um pouco constrangido... ele coçou a cabeça e falou...

Bruno > É que acabei de tirar o gesso do braço e tou me recuperando da fratura...

Jú > Deita logo aqui... e de frente agora... vou depilar esse peito amarelo!

O Bruno se deitou e pôs as mãos atrás da cabeça... a Jú pegou a espátula e passou no peito esquerdo dele...

Jú > Se quiser eu peço pra o Guilherme um copo de cachaça, ou um rolo de corda pra você morder!

Bruno > Sei o que vou morder se continuar com gracinha...

A Jú colocou o papel no peito dele...

Jú > E quem disse que tou com gracinha? Só estou sendo solidária...

E puxou de vez... o grito do Bruno parecia que estava sendo escaldado... era um grito que se misturou com o riso de incredulidade...

Bruno > PUTA QUE PARIU!

Jú > Ela ainda vai parir... (e pôs o papel novamente e puxou)

Bruno > Aiiiiii! Puta merda!

Jú > É justamente isso o que a puta vai parir!

E então não aguentamos e rimos eu e o Gui até as lágrimas...

Bruno > Vocês dois parem de rir de mim (sua voz era de desespero) ainda falta muito?

Jú > Pra o primeiro peito?

Bruno > Porraaaaaaaaaaaaa! (gritou)

E a Jú puxou mais outro pouco de cera...

Jú > Bom esse já foi... mas falta o segundo...

E pôs cera novamente...

Jú > Sugiro que pense em algo bom...

Bruno > Você numa forca! Aiiiiiiiii... que dor do caralhooooo!

Rimos a Jú parecia uma dominatrix...

Jú > O que dizia amor?

Bruno > Que seria melhor você com uma lança enterrada no...

E Jú puxou mais outra vez a cera... vi o Bruno gritar mais alto... ele havia puxado a cera toda que havia posto no peito do Bruno... que tava vermelho!

Jú > O que dizia mesmo?

Ele a olhou com olhar assassino...

Bruno > Que termine logo...

A jú pôs a cera e o papel dando tapinhas na barriga do Bruno...

Jú > Assim é melhor...

E puxou!

Bruno > Aaaaiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii!

O Gui me olhou e apontou pra frente o Bruno estava com as pernas esticadas como se levasse um choque... ri, ele parecia que estava sendo torturado numa câmara...

Bruno > Como é que vocês aguentam uma porcaria dessas... aaaahhh... (e gemeu depois que Jú puxou os pelos do abdômen)

Jú > Deixa eu ver se aqui em baixo também precisa... vai que escorreu um pouco pra ai dentro (e do nada, assistimos incrédulo a Jú levantar a parte da frente do calção do Bruno) nossa... miudinho em! E então o Gui engasgou com a saliva e eu fiquei vermelho...

Bruno > Dá pra parar de tirar onda com minha cara e terminar essa porRAAAAAAAAAAAAiiiiiiiiiii!

Jú > Faço tudo o que meu mestre mandar... como seria uma escrava tão obediente se não fizesse!

E puxou com violência o resto dos pelos do peito pra um Bruno totalmente arrasado...

As pernas foi um dilema... ele não queria, mas era a parte mais afetada... a Jú simplesmente fez as pernas do Bruno aos pouquinhos, eu sabia que poderia ter sido mais rápido, mas ela colocava pouca cera pra demorar mais... o Bruno já estava totalmente sem palavras... apenas gemia e gritava... em alguns momentos ria choramingando... mas ele foi excepcionalmente corajoso... acho que a parte que mais doeu foi a detrás das pernas... simplesmente ele acabou o repertório de todos os palavrões que ele conhecia e no final não conseguia falar mais nada... estava exausto...

Bruno > Aiii! (já sem forças)...

Jú > Pronto, acabou... nem doeu...

Ele olhou feio pra ela...

Jú > Em mim tou dizendo...

Rimos todos e nos levantamos... o bruno tava vermelho e totalmente sem pelos dourados... a Jú guardou os equipamentos e sorrindo falou...

Jú > A propósito me deves 100 paus pelo tratamento estético... mas como foi um bom cliente posso fazer essa grátis se me pagar a pizza... aliás pra todos nós né Gabi? Gui...

Sorrimos...

Guilherme + Gabriel > Só se for agora!

O Bruno até pensou em responder... mas lhe faltou forças! O Bruno estava de carro e levou, a muito contragosto, a Jú. Claro que foi a própria que determinou... ele queria me levar, mas em jeito de eu querer ir ou do Gui deixar... só que o Bruno não sabia disso! Ou o porquê disso! Então foi uma mão na roda a Jú simplesmente determinar que eu ia com o Gui e ela com o Bruno...

Bruno > Se essa psicopata for comigo eu vou acabar virando o carro...

Jú > Bem típico de você querer revidar minha brincadeira sado com um acidente infantil... sei não... vai ter que aprender bastante! Mas tenho paciência!

Guilherme > Deixem de bobagem e vamos logo...

Entrei correndo no jipe do Gui antes que qualquer mudança ocorresse... o Gui combinou o local com o Bruno e saímos...

Guilherme > Não sei como você ainda está vivo com a Jú por perto!

Gabriel > É a vantagem de saber todos os podres...

Rimos. E ele ficou imóvel enquanto o Bruno ligava o próprio carro e fazia a manobra pra fora do estacionamento... estranhei, normalmente o Gui sai desembestado pra todo lugar... mas ele esperou... e pra que?

Gui olhou pro lado e depois se virou pra mim...

Guilherme > Finalmente ele saiu (e logo em seguida me puxou e deu-me um longo beijo)

Quando me soltou... alguns minutos depois, eu estava sem ar e completamente mole! Rs.

Guilherme > Você achou que eu passaria tanto tempo ao teu lado sem te tocar?

E rindo... ligou o carro e saiu cantando pneus...

Chegamos a pizzaria e logo decidimos por rodízio... minha felicidade aumentou mais ainda... pois havia sido presenteado por uma declaração linda... verdadeira e tátil... e agora, poxa, ia comer quantas fatias queria... fiquei louco de felicidade... o engraçado era ver a cara do Bruno incomodado com o corpo...

Bruno > Tem certeza que não ficou nenhum cabelo loiro não né?

Jú > Só se escorreu pros países baixos ou as cavernosas entradas de tuas ancas.... maaaaas, se quiser posso averiguar... sem outras intenções viu...

Rimos, o Bruno fez a cara de quem ia matar a Jú a qualquer instante...

Guilherme > Tá ai... essa cena eu passo!

Gabriel > Já havia passado quando chegou no segundo peito!

Rimos...

Bruno > Vão brincando... deixa o Brunão se recuperar...

Gabriel > Ei! Lembra que eu te ajudei viu... aliás fui o único...

Jú > Se eu fosse você Gabriel me preocuparia na vingança que eu planejo pela sua traição do que mordida de gato escaldado... aliás, depilado!

Rimos novamente...

Guilherme > Quem se meter com o Gabriel vai ter que lidar comigo!

Bruno > Ei, você deveria ter me protegido que sou seu amigo a mais tempo que o Gabi... oxe!

Gabriel > Desculpa Bruno, mas quem tem olhos azuis aqui? Pele branca? E fala três idiomas?

Bruno > Racista!

Rimos novamente... e a primeira rodada de pizza chegou...

Garçom > Aceita?

Olhei e falei que sim...

Jú > Tú não pergunta nem de que é? Nossa! Deve ter uma colônia de lombrigas no comando aí!

Gabriel > Querida, não tem pizza de buchada, nem fígado, nem moela, nem coração, nem nenhum outro órgão interno que eu não como, portanto... quero está!

Guilherme > Você também não come nenhuma víscera?

Balancei negativamente a cabeça...

Guilherme > Nem eu!

Bruno > Bom eu só não como se mover!

Jú > E principalmente hoje querido, aliás, iria precisar que se movesse bastante por você...

O Bruno engasgou com a fatia de pizza e eu com o refrigerante... o Gui, bem, este gargalhou chamando a atenção de todos...

Bruno > Juliana, hoje não... mas amanhã eu garanto que você me paga!

Ele falava entre os dentes...

Jú > Amanhã é um novo dia! E se seu pelo encravar tudo e formar umas feridas enormes entre suas pernas que te impossibilitem de andar?

Desta vez o Gui soltou o garfo no prato e olhou assustado pra ela...

Guilherme > É verdade que pode acontecer?

E todos rimos, agora do Gui!

Gabriel > Gui, pelo amor de Deus, não dá atenção a Jú!

Jú > Claro que pode Gabriel...

Bruno > Garanto que se acontecer eu não perecerei sozinho!

Garçom > Aceita? É de Aliche!

Guilherme + Jú + Bruno > Não!

Gabriel > Sim!

E o garçom serviu...

Gabriel > O que é mesmo aliche?

Rimos, mas obvio que eu sabia o que era uma pizza de aliche... Comemos por quase uma hora e meia... eu comi 26 fatias o Bruno 17, o Gui 19 e a Jú 22...

Gabriel > Jú você está bem?

Ela estava fazendo cara de dor e a boca se abria num rasgo que repuxava a garganta... ela estava com os olhos lacrimejantes e oscilava vez ou outra...

Bruno > Quer uma coca?

Ela balançou a cabeça fazendo não... pôs a mão na boca...

Gabriel > Jú eu te disse que não precisava tentar me vencer... eu ainda tou bem!

Guilherme > Santo Deus! Tu ainda come?

Gabriel > Gui! Shiiiii! (fiz com o dedo na boca) Jú quer ir ao banheiro?

Ela balançou a cabeça e o corpo num espasmo...

Bruno > Bem feito... é bom que vomite além das pizzas a maldade que tem dentro de ti...

E ante que ele terminasse, a jú havia vomitado o seu pé.

Bruno > Puta que pariuuuu...

Olhei pra ela sem acreditar naquilo...

Jú > Tá ai... a maldade volta pra o lugar de origem, onde o diabo perdeu as botas... justamente nas botas!

Falou com voz embargada! E um sorriso sujo no canto da boca... Perdi a fome! O Bruno se levantou e rumou pra o banheiro lívido sem olhar nem de lado de vergonha... eu me afundei na cadeira e o Gui foi logo pegar uma água com gás e pedir ao garçom pra limpar a ‘sujeira’. Ainda bem que estávamos no reservado e tinha apenas um casal, mas que estava distante... a Jú pôs a cabeça na mesa e ficou respirando forte...

Guilherme > Jú toma essa água...

Ela gemeu...

Jú > Não...

Guilherme > Agora! (quando Gui diz agora com aquela voz grossa de trovão todos tremem, rs – eu mesmo tremi na hora)

Ela levantou a cabeça e tomou um gole...

Guilherme > Tome toda!

Ela tomou mais e teve uma golfada... o Gui já tava com um guardanapo na mão...

Guilherme > Toma... limpa ai e volta a tomar a água...

Jú > Eu não...

Guilherme > Juliana! Toma essa droga de água ou eu compro outra e te afogo nela!

Ela tomou tudinho e agora sem golfar! O Bruno voltou do banheiro e falou...

Bruno > Vou pedir a conta...

Guilherme > Já paguei... se preocupa não... podemos ir...

Jú > Vamos...

Bruno > Vamos, vou levar esse problema ambulante e me livrar de vez...

Seguimos pra casa... a Jú com a cabeça de fora era cômico! Entrei no carro de Gui e ele deu a volta...

Guilherme > Nunca mais você vai comer pizza... 26 fatias Gabriel!

Olhei pra ele e não entendi, qual o porquê da bronca?

Gabriel > Ok, perai! Eu tou bem...

Ele me olhou bravo...

Guilherme > Você é um pequeno apenas... e eu não vou deixar que simplesmente acabe com sua saúde... e se tivesse vomitado?

Aquela era boa! Os outros passam mal e eu que pago o pato?

Guilherme > Tá de dieta!

Olhei chocado... e o Gui, vendo minha boca aberta, deu partida no carro e arrancou dali...

Gabriel > Gui! Que dieta o que! Eu não vou fazer dieta coisíssima nenhuma!

Falei emburrado e cruzei os braços, era só o que me faltava... a Jú passa mal e eu que vou pra regulagem...

Guilherme > Ah vai Gabriel! E como vai...

Gabriel > Gui! Eu não acredito... o que eu fiz de mais?

Guilherme > Comeu 26 fatias de pizza!

Gabriel > Mas e daí?

Guilherme > Gabriel você tem 16 anos!

Gabriel > Quase 17... tou mais pro 17 senhor Guilherme! (falei exasperado)

Ele me olhou bravo e falou

Guilherme > Tem 16 anos até dia 30 de dezembro e acabou! Ora! 26 fatias Gabriel...

Gabriel > Que vão sair de mim daqui a 3 horas... todas condensadas (falei irônico)

Ele freou o carro que eu fui pra frente e voltei...

Guilherme > Gabriel! (falou ameaçador)

Respirei fundo... a tática tava errada! NOT ironia! OK...

Gabriel > Gui! Por favor... até a pouco você ria porque eu comia pizza de alho... era uma camada de um dedo de grossura... e foi o 24º pedaço! Porque isso agora?

Guilherme > A Juliana passou mal... e se fosse você?

Olhei pra ele e senti meu corpo quente... um frio bateu na minha nuca...

Gabriel > A única coisa que me faz vomitar não é comer muito... e sim ficar nervoso! E eu não passei mal Guilherme!

Ele também respirou fundo e apertou as mãos no volante... depois deu novamente partida no carro e falou...

Guilherme > Mas é muita comida Gabriel...

Gabriel > Minha barriga é uma taboa... a minha barriga faria a Vitória Beckram vender duas costelas pra ter uma igual!

Ele me olhou e sorriu um pouco... finalmente...

Guilherme > Você é perfeito meu bebê... mas tá de dieta sim!

E fechou a cara... olhei pra ele pensando numa forma de bater nele sem que eu sofresse nenhum risco de vida...

Chegamos em casa e ele estacionou no meu apartamento... eu tava emburrado e olhando pra fora... ouvi ele rir disfarçado e tocar no meu cabelo...

Guilherme > Biel, olha pra mim...

Olhei com cara feia... fechada!

Guilherme > Fica tão lindinho quando tá zangado... (ele ria) mas não vai me comover viu...

Gabriel > Nem moro contigo... (ele ia abrir a boca e eu falei logo) e nem vem me fazer prometer que eu vou fazer dieta pra ter que cumprir uma promessa viu!

Guilherme > Como sabia que eu ia fazer isso?

Gabriel > Porque sei que você confia em minha palavra, pois não gosto de mentiras e ai iria me fazer prometer pra não mentir... então antes que me faça prometer eu já digo logo... nem tente senhor Guilherme...

Ele riu e falou...

Guilherme > Tem nada não, vou pro plano B... mas enquanto estiver comigo Gabriel você vai pra saladinha!

Olhei pra ele e levantei o dedo...

Gabriel > Só se for salada de carnes!

Ele pegou meu dedo e deu um beijo...

Guilherme > Veremos... ah, mas mudando de assunto, antes que eu me descontrole com você sexy assim, bravinho! (senti as faces ficarem rubras) queria te perguntar se você quer ir agora comigo na academia... vou fazer umas coisas lá de escritório...

Gabriel > Gui... quer dizer Guilherme até que eu queria... mas tenho prova amanhã e tenho que estudar... além do mais tenho umas músicas pra escolher...

Guilherme > Músicas...

Puta merda! Falei demais...

Gabriel > É, tou tentando fazer um repertório ai tou escolhendo umas músicas...

Falei a verdade, espero que ele não aprofunde o assunto!

Guilherme > Ah tá... mas pelo menos promete em cantar pra mim um dia esse repertório...

Sorri...

Gabriel > Essa promessa eu faço agora e cumpro sim... pode deixar...

Ele sorriu também, como era bom a inocência! Fiz menção de descer e ele me puxou e deu-me um beijo longo... fiquei com medo... tava em frente ao prédio, embora fosse a noite alguém poderia ver...

Ele me soltou respirou fundo e falou...

Guilherme > Deixa eu ir... (e tocando meus cabelos) já tou com saudades acredita...

Sorri, por incrível que pareça, eu também já sentia a mesma coisa...

Desci e acenei, vendo ele arrancar feito um doido, entrando na primeira esquina, quando me virei, ainda sorrindo quase esbarrei naquele que fez meu sorriso sumir!

Gabriel > Puxa! Que susto!

Ele se aproximou de mim sorrindo e me tocou no braço...

Hugo > Me desculpe, eu apenas estava chegando quando te vi descer do carro e ficar parado... daí esperei você pra entrarmos juntos...

Eu o olhei assustado, mas depois sorri, e se fosse um assaltante? Bem, pelo menos era um vizinho... mas será que ele viu algo?

Hugo > Vamos entrar?

Gabriel > Vamos sim, claro...

Comentários

15/03/2016 19:43:24
...
07/03/2016 23:21:15
Cara me divirto muito com a ju
07/03/2016 05:58:54
não faça mais o que vc fez ontem no fim do capítulo. VC deixou pessoas angustiadas hummmmm, kkkkk
06/03/2016 14:33:17
Aiiii q malvado Jhoen, dormi angustiado kkkkkk
06/03/2016 12:13:24
Como assim você faz isso comigo, não aceito ahahahaha. Abraços 😄
06/03/2016 11:50:29
Eita, para de ser mao de vaca e coloca mais uns 3 capitulos hj, ahahhahahah. Delicia de conto
06/03/2016 11:00:19
Ai...que alivio ja tava deprimindo...kkk mas como percebi pelos coments q essa historia esta incompleta jhoen. Reafirmo meu pedido para completarem esse lindo conto
06/03/2016 10:18:13
MARAVILHA VOLTOU!!! Finalmente o Danilo se ferrou mas esse Hugo vai dar trabalho. A Ju e o Bruno são demais juntos. Amei tudo. Jhoen seu malvado, como vc faz isso com seus seguidores seu mau kkk
06/03/2016 09:01:54
Eu amo esse tipo de história, eu ja tinha lido essa história no Orkut e choro até hoje que não terminaram ela. Vc vai postar mais repost's? Ah aqui tem uma história muito boa chamada o Leão e o Lobo Vc vai gostar. Só não lembro o nome do autor.
06/03/2016 08:38:27
S2DrickaS2, sério?! Eu não vi seu comentário. Faça-o novamente!
06/03/2016 08:10:44
Apagaram meu coment's!!!
06/03/2016 07:51:44
O Danilo provavelmente só vai melhorar depois que declarar pro Gabriel ou namorar um homem. Dica universal: Nunca tente dar uma de esperto para cima da Juliana. Será que o Hugo vai agarrar o Gabriel??

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.




Online porn video at mobile phone


masturbados na camquero assistir mulher do berço carnudo de sexo chupando rola na boca todavídeo pornô meu marido chegou em casa ficou surpreso porque eu estava limpa cheirosaidosa masturbano de saia escgosto muito de praticar zoofiliacoroas grisalhos que come a bunda de homens em campos dos goitacazescontos crente casada quis experimentar no cu e se arrependeu"gozou na testa do meu corno"doce nanda parte cinco contos eroticosno swing marido nao permite que metam na esposahistoria de mulheres casadas que fazem dupla penetraçao e foram descobertasbucetao entupido de cebolafotos de vestidos colados que acentue a bundaeu confesso marido examina minhas calcinhasContos erotico fazendeira nova seduzindo o caseiro bem dotadoMãeem sinaa filha chupa picaporno e escondim uma camera e vim a putarinhafazendeira metendo com piao pretovideo porno com Malumandeporno em familiacontos eroticos gay x negao 40cmlactofilia porno em sao carlos splinda loirinha chorando no pau do cara e gemendo muito querendo mudar fundo maluquinhaCármen e a patroa contos eróticoscasa do conto meu irmao me encoxoucontos erotico coroa comeu ru e minha mulhervidio porno bate popa vol casadairma esta lendo livro começei a lisar ela ate comer o rabo dela pornoevangelicas na zoofilia com cachorrohomem fodenfo uma bezeraeu perdi a minha virgindade com cara da pica de 40cmincesto com meu vô contosnovimhas sem pentelho.ma.bucetimha damdo pra un mendimgo o rabimhogritei quando ele botou na minha bucetaConto erótico sololupusbucitnhaxvideos comedo uma mele buchudaarmei muito bem armado e conseguir comer minha esposa junto com outro macho pauzudoela gozou mas eu nao parei de chupar a buceta delafazendo a filha chorar de dor sexo anal tv insentocorno e engulidor de rola contoeu fui encoxada pelo meu sobrinho tarqdotefone fixo de coroa rica tarada pra transa 40xvideo.ana desfarsado no quarto da novinhaesposa caladinha com estocadaseu quero ver as fotos da morena que dançava o Créu ela nua pelada porque sabendo que eras no site que ela ficou feio uma foto de pornô homem para a gente ver aquiputas brasileiras bucetas rasgadas zoofiliapornocontos e videos de transando com as casadas com permissão do maridocontos eroticos sentei com meu cuzao no pau deleela cagou no meu pau conto eroticoconto erótico isentofazendeiro malvado mundobichacasada sequestrada e estuprada na lua de mel pornoCacetes gossosgostosa chifrando corno com seguranças na festa contos eroticoscontos eróticos da esposa pegou a amante na cama e castigouquero ver a xoxotinha da minha irmã de Lurdinhamae punhetando filho quietinho no sofavideo. pono mulheres guichado porra de tezaocontos eróticos fazendo a sogra drogadacasa dos contos tema scarcontos erotico dei o meu cu a forca pro pedreiro caralhudoele e meu bad boy e eu sou dele parte 10 casa dos contos dosconto novinha no celeiro zoofiliafime porno marido infindo garrafa no cu da esposa rola gradi nocu danoviase eu tava afim de cozinha da minha cunhada mais nova aos berros XVídeospriminhos na ferias do colejo fazem muita putariaContos com fotos velhos fudedores chupadoresgibi troca troca com família pornoContos de cornovideocurto brasileiro de corno humilhadovó que confessa que adora chupar o pau do seu netocontos eroticos me comeram a forçairma gemeas ciumes por isso se chupam pornoas navia perdebi cabacoVIDIOPOMO PETECAmulher entupida forçando para cagar sexoporno com vizinha que chega de.mudança coroadeseeo amanentando o filho contos sexcontos de sogro metendo pau na noramenininhao na siririca no banho escondidaCasada enegao anal marra contolevantei o vestido da minha nora contosnegao enchendo cu do velhote de porracarne conto heteroXVídeos mulher lavada novinha em cima de uma pomba de gritando ai ai tá doendo meu c*Contos eróticos de incesto mãe tarada descabacando filho dotada com fotossexo deixando mae com bunda doendo contostrapon sangue e bostacomendo a mileninha gostosinha