Casa dos Contos Eróticos


Click to this video!

Apaixonado por Caio! Meu Brother do Orkut. (03)

Um conto erótico de Fernando
Categoria: Homossexual
Data: 23/07/2016 21:10:21
Nota 10.00

Hey, galera. Tô vendo que tão gostando da nova temp heim. Mas também, quando há intrigas e menos amor, com a queda do casal perfeito e tals, quem não gosta. Abraços à todos que lêem e comentam e aos meus queridos leitores da surdina. Cês são lindos.

Gabriel26: Fluoxetina. KKKK. Tu é ótimo. Cara, pois é. As vezes as pessoas influenciáveis vão muito na cabeça dos outros e não na sua própria e tendem a formar opiniões errôneas perante tais fatos. Talvez seja isso heim. E sim, meu amigo gosta muito do seu Conto. Ele se Chama Tiago e mora SP. Abraço amigão, e valeu pelo carinho.

Arthurzinho: Num é, cara. Vamo ver o quebra pau haha. O circo pegando fogo é baum. Valeu ;)

pai dos cornos: Uau, realmente um trabalho interessante o seu. Gostei de mais. Um dia quem sabe eu não contrate seus serviços. Hoje em dia, porém, estou feliz com o meu relacionamento. Obrigado. Abraços.

Querido606: Desculpa quanto ao apelido kkk. Sobre Caio, que bom notarem sua mudança. Isso é explicado. Quanto a Lise, pois é. Irá. Não temos tudo o que queremos para sempre né. Soldados heim, man. Curte um cabo (duplo sentido absoluto). Abraços. ♡

K-elly: Opa, fico imensamente feliz por ter gostado. Sempre babam Caio, tem que babar a mim e só a mim kkk. Brincadeira. Obrigado pelos elogios e espero que tenha paciência em acompanhar o conto, não sei se notou mais não sou versado na escrita e tals kk. Grande abraço, nina. Fique bem ♥

Irish: Lutar ou fugir. Primeiro ele escolheu fugir, perdeu a vaga e vem com essa de investidas. Bom, é direito de qualquer um persistir naquilo que quer né. Mas tem que ter prudência. Mas há aquele ditado "tanto bate até que fura". Nada melhor que ser persistente, mas com ciência do que faz. Acho que essa fase foca mais nisso, a persistência e o foco no que quer de fato. Vamos ver o que rola rs. Abraços.

Lipe*-*: Então, eu também concordo com você e na época eu fiquei com esse pensamento na cabeça. Mas isso de ciúmes sempre era presente, só que se intensificou com o tempo. Traição seria a última coisa que eu aceitaria na vida. Trair pra quê né? Eu sempre me pergunto por que as pessoas fazem isso aos invés de chegar com o parceiro e dizer que há problemas e por um fim bo relacionamento. Mas o ser humano é complexo, e quando há um envolvimento intenso entre dois, fica três vezes mais complexo. Abraços.

baixinhaaa: Isso. Nada melhor que um dia após o outro. Uma boa conversa e um entendimento de ambas as partes, para então superar as desavenças e obstáculos. André é legal, nas chegou atrasado né. Fazer o quê. Abraços, baixinha.

Martines: Num é. Ciúmes repentinos são suspeitos. Qualquer coisa repentina é suspeita. E sim, Martines, hoje em dia, Caio e eu estamos juntos. Esses impasses foram há uns anos atrás. Também, dois caras que nunca namoraram sério, uma hora ou outra tudo se diverge. Os atritos são eminentes e entendimentos não existem. Abraço, cara. Até.

Lari12: Cá está o próximo, como você ordenou. hehe.

Liipeeee: Euuuuuuu.

Bruns: Capeta! Gostaria de parar de dar spoliers, maldito! Eu agradeço. E eu sou um bom atendente. Um ótimo, aliás. Quando eu tiver minha empresa, vou lhe atender bem. Como você merece u.u E nesse momento você merecia ser atendido com uns dois tiros no meio do olho. Zoa. Três tiros. Abraços, meu Hobbit.

Diego21: Já te chamei no wpp, seu louco. Não me encha tanto o saco ou mandarei roubarem novamente seu celular para você me deixar em paz. Zoa, brincadeira, cara. Ahh, tem sim outro. Uns 4. Mas não se preocupe, você é o mais louco entre eles ♥

Menina Crítica: Ownt. Valeu mesmo. Você sempre gentil comigo. Fico imensamente feliz por isso, cê me deixa emocionado até, olhae. Pois é, mas não existe vilões na vida real, existe pessoas que valorizam mais seus ideais do que os dos outros. Mas vamos ver o que rola né. Beijos e obrigado pelo seu carinho.

Hulk22: KKK. Monge é. Essa foi boa. Valeu pelo carinho, e tem muita água pra rolar ainda. É só o começo. Abraçao cara, fique bem :)

Vi(c)tor: Cara, você disse tudo. Devemos ser feliz pelo o que somos e queremos. Sem limitações, sem rótulos, sem opressão, e sim com a felicidade em foco. Todos somos livres, isso está na Bíblia, livre arbítrio. Já num relacionamento, a condição financeira, física ou diferença de gênero não deve ser motivos de distinções. Todos somos iguais. Ne nom. Abraços, cara.

Eris: ...

matt777: Todos querem o André heim. Rapaz, mais cobiçado que a Caixa de Pandora. Kkkk. Valeu pelo carinho e fico feliz por estar gostando. Fique bem e bom fds.

Ricky: Como assim repostar? Hey... eu não dei mole, talvez um pouco, mas não fique do lado do Caio. Fique do meu lado u.u kkk. Brincadeira. Abraços ♡

Geomateus: Ivixe.

Plutão: Oi, querido. Como vossa pessoa está? Cara, a dupla Fernando e Caio tiveram uma crise e uma separação. Acredito que problemas surgem para ser resolvidos, claro, e separações surgem para repararmos erros ou para recomeçar com outro relacionamento. Enfim. Dentre os muitos leitores, você e o mais simpático de longe kkk. E educado. Abraço, cara.

Gordin.leitor: Thiaguinho lindo. Só vou falar isso mesmo. Tchau u.u

YAMASHITO: Se acaba, a gente recomeça né nom kkk. Beijus.

amordestinados2: Ele não é. Ele é só um vetor da confusão. Nada de mais até. Um coadjuvante kkk. Mas vamos ver o que rola. Abraços...

♥♦♥R♥¡♥R♥¡♥♦♥: Opa, mando o André se tu pagar o frete do Sedex. Talvez seja a sogra viu, ou talvez seja um dos amigos, ou uma amante dele hehe. Vamo ver o que vai se suceder. Abraços.

Jardon: Don, lindo. Eu sei que no fundo o BV ler as partes de Sexo. Ele é um tarado e vai pular logo esses trechos? Jura? E os copos que sofrem. Ogro príncipe é bom, cria um equilíbrio entre o doce e o amargo. KKKK teamCaio é. Pare de bajular ele u.u Beijos, cara.

Jhoen Jhol: Sobre você falar sobre o André, que ele chegou tarde de mais por medo demasiado, isso é um ponto que eu discuto com ele mais para frente. Não é justo ir atrás justo depois de ter perdido. "Perdi a batalha, mas não a guerra" é tão ridículo e isso mostra o quão egoísta a pessoa é. Sobre a discussão e o comportamento de Caio, isso tem motivos, se chama manipulação. A sogra você vai descobrir que ela é tão inofensiva quanto um meteoro de 10km vindo feroz colidir com a terra. Amo seus comentário, gosto muito de ti. Deveríamos no conhecer mais... que tal Grindr? Brincadeira. Abraçao, parça.

Hb: O Fer gosta de se meter em problemas, e as fezes se mete mesmo não tendo ciência. O Fer é um tapado de quando em sempre. Pelo menos alguém que gosta do André. Caio com raiva não tem quem pare, fica mais descontrolado que o cavalo do cão. Abraços, cara.

adriannosmith: O Fernando não traiu o Caio! Por Deus! Pois é, casal perfeito dá uma ânsia, bom é ver o circo pegando fogo em modo hard kkk. Abraços, mano.

Ivyy Bernardo: Quando você diz "minhoquinha querendo nascer", você quer dizer que está grávida? Se sim, sério?! Amo traquinas. Comia muito com Qsucki (aqueles sucos de 10 centavos). Abraçao e fica bem.

VAMOS AO QUE DE FATO INTERESSA.

-

Certa vez, quando eu estava internado por consequência da porrada que levei da turma do Ricardo, Caio puxou um assunto estranho. Era noite de quarta-feira, Caio estava comigo na cama do hospital, mesmo depois de ter sido ralhado pelas enfermeiras sobre não poder deitar comigo umas 5 vezes. A gente comia uns salgadinhos (proibido) e ele colocou o braço dele ao redor do meu pescoço, me aninhando em seu peito grande, enquanto sua mão fazia um cafuné gostoso e a outra pegava os salgadinhos. Assistíamos um jogo na Globo e eu falei.

Eu: Amor, acho que o André tá com algum problema.

Caio deu de ombros: Problema dele.

Eu: Caio, na boa. Por que diabos vocês não se bicam?

Caio olhou para mim: O santo não bate desde quando a gente estudava. No futebol ele e eu sempre tretava, esqueceu?

Eu: Eu lembro disso, era engraçado vocês dois de birrinhas. Até te falei que parecia que cês dois tinha um lance - ri divertido recordando dos nossos tempos de 3° grau de ensino médio onde André e Caio tinham uma richa branda, mas percebia-se de longe que ambos não se gostavam.

Caio: Cê é louco. Dele eu só quero a distância mermo.

Eu notei raiva em sua voz: Parece que a antipatia é forte e recíproca. Isso deve ter uma explicação.

Caio indiferente: Só não gosto dele. E sei lá, Nando. O jeito como ele fala contigo e te olha me incomoda.

Eu franzi o cenho: Como assim?

Caio riu e olhou pra TV: Parece que ele é afim de ti e não fala.

Eu: E é por isso a sua raiva dele?

Caio pegou minha mão: Não tenho raiva dele, só não vou com as fuça dele. É diferente, meu gatinho.

E se ele for afim do viado aqui?, perguntei rindo.

Caio me aconchegou em seu peito ainda mais: Mais um motivo para eu não ir com a cara do leke.

Eu: André não é gay. Isso posso te garantir. E se ele for, quem não garante que ele seja afim de ti? Cê é gatão, mano.

Caio: Tu num aprende heim. Nós nem tinha pinta de gay e olha agora. E ele não gosta de mim mesmo. Sinto isso. Coisa de machos.

Eu: Ui, machões - falei brincando, mas me sentia incomodado com aquilo. Depois de Caio colocar tudo daquela perspectiva, algo se ascendeu dentro de mim. Mas logo deixei pra lá. Não era possível, André sentir algo além da amizade. Deus! Como assim? Eu me torno gay e todos que conheço eu descubro também serem? Não, André não era gay, eu reafirmava a mim mesmo. E então, semanas depois, André estava no meu quarto, se declarando. Eu não contei a Caio por não querer, principalmente, a animosidade dos dois intensificada, o que resultaria numa porrada de ambas as partes bem feroz. Mas o tempo passou, e eu continuei a não contar a Caio. "Você não está enganando Caio e tampouco mentindo, só está omitindo" eu falava pra mim mesmo, pois André se mantia longe (até aqueles tempos) e eu tentei passar uma borracha em tudo. Tentei forçar a natureza contra sua fluidez de praxe. Naquela hora, na padaria, com André novamente se mostrando um possível impasse, reacendeu a questão de FICARLONGEDELE. Ele não esquecera do incidente no quarto.

André: Eu gosto de ti, cara - falou. Me pus de pé e ele também, íamos nos beijar e eu iria dar um chute nele ou um soco se preciso, pois ele não tinha direito nenhum tendo ciência que eu era comprometido com alguém que eu amava de todo o coração. Mas lá estava Caio, perguntando o quê significativa aquilo e com raiva nos olhos, usava o kimono do treino, o que exibia seu peito cabeludo, e o semblante ameaçador me fez tremer. Não respondi, mas André respondeu despreocupadamente.

André: Nada, oshe - e se afastou.

Caio me furava com seus olhos e eu tive segundos para formular uma resposta. Me pus, primeiramente, no lugar dele; se eu chegasse num lugar e flagrasse ele numa situação semelhante, obviamente que pensaria milhares de coisas. E se fosse a tal de Roberta, a quem a mãe dele sonha em vê-lo casado, e a quem eu tenho certo receio e ciúme por ela ser além de linda e simpática, claro que eu pensaria ainda mais, coisas ruins, para mim. A diferença era que, Roberta e eu não nos conhecíamos bem, não sustentamos uma antipatia, ao contrário de André e Caio, que nutriam essa rixa por anos e que só se intensificava. Segundos para pensar numa resposta clara e objetiva, lembrei, para que não piorasse tudo e desencadeasse uma briga onde Caio mataria André na porrada.

Caio entrou e se aproximou: Chapa, perguntei pra tu não.

Eu: Caio, só cortei o dedo e André fez um curativo.

André se afastou um pouco mais: E ele precisava ficar tão perto? - perguntou Caio chegando perto de mim.

André: Não dá pra fazer curativo por telepatia - disse André debochado e dando de ombros.

Caio: Não dá pra quebrar a cara de um por telepatia também, por isso vai no físico - falou ameaçador.

André: Ele não pode ser tocado por ninguém? Tu não é dono dele não, cumpade.

Caio: Não sou dono, assim como tu não é nada.

Eu: Hey! Por que tão nessa vibe ruim?

Caio olhou indignado para mim: O cara ia te beijar.

André levantou um dedo: Opa, alto lá. Não rolou nada...

Caio: Rapá, cala a boca ou quer que eu... Não rolou porque eu cheguei a tempo - ele levantou um dedo e foi até André. - Escuta aqui, se tu chegasse a tocar nele...

André: Ih, véio. Viajando tu heim.

Eu ficando na frente de Caio: Claro que não ia rolar nada... Err - agora sim eu estava mentindo, mas se não fizesse, iria rolar sangue. - André, é melhor tu ir que já vou fechar aqui.

Caio: É, rala-peito, brow. Tá na hora já.

André: Vou, mas porque Nando pediu, e não porque tu latiu.

Caio avançou irado e André se pôs em defesa. Eu fiquei no meio dos dois: Parem com isso! Respeitem a padaria do meu pai!

André se acalmou: Verdade. Vou nessa.

Caio: Já falou isso.

Eu sussurei: Pára, Caio.

André riu: Falou pra vocês. De nada pela a ajuda, Nando. - Falou e piscou pra mim rindo. Não sei o que era, mas aquela piscadela e a afronta à Caio me deixaram com um frio estranho na barriga. Como se um perigo futuro se aproximasse.

Eu: Obrigado - depois ouvi a moto dele ser ligada e ele dar a partida.

Olhei para Caio: Que porra foi essa, Fernando?

Eu: Olha, não foi nada. Pelo menos para mim não foi. Ele não... a gente não ia se beijar.

Caio ficou ainda mais irado: Vocês não iam, ELE ia!

Eu: Amor, não foi nada.

Caio: Eu te falei que esse sujeito era todo incubado e agora tá aí, se jogando pra cima de ti. Uma hora vai se declarar pra ti e tudo mais. Ele vai fazer isso.

Pronto, ele já falara tudo. Caio tinha um sexto-sentido incrível, soube de tudo antes mesmo de saber. O que eu devia fazer? Contar a verdade levaria ele ainda mais feroz à casa de André naquele instante. Como ambos mostraram não se gostarem, iria ter um quebra-pau dos infernos e dos feios. Mentir adiaria aquela situação, seria melhor pois Caio já se encontrava pilhado, ele calmo ajudaria bastante. Mentira ou verdade? Eu devia contar a verdade, mas não queria André sendo machucado. Eu não deveria mentir. Nunca menti para Caio.

Eu: Claro que não. É esse teu ciúme que tá te fazendo ver coisa onde não tem - falei e uma dor por enganar meu leke e ainda por cima usar a desculpa de ciúme se intensificou no meu peito.

Caio se aproximou: Jura que não rolou nada?

Eu colei meu corpo no dele: Não rolou - aquilo era uma meia verdade - e jamais rolaria (verdade absoluta).

Caio me pegou pela cintura: Eu confio em ti, mano. Não confio e não curto esse André viadinho encubado.

Eu: Coé, amor. Suaviza.

Caio: Não rola, tiu. Ainda mais agora com essa "prezepada" (palavra usada quando alguém faz uma merda).

Eu: Cara, eu te entendo. Te dou toda a razão. Mas eu jamais te trairia com outro cara. Nunca.

Caio: Eu sei, mano. Eu confio de olhos fechados em você. Já disse que não confio é nos outros.

Eu: Amor, não rolou nada. Nem rolará. Te amo de mais e tu é meu único homem.

Caio me deu um beijinho: Acho bom. Vamo pro nosso canto, tô louco pra te dar uma enrabada no chuveiro.

Eu: Opa, assim que eu gosto.

Ele mordeu meu pescoço e se não fosse o fato de estarmos no meu local de trabalho, transaríamos alí mesmo. Então, eu safado, e tentando apagar o episódio com André da cabeça, perguntei se o carro dele estava travado. Caio estranhou, disse que sim, fui então até a porta e a abaixei com a gente ainda dentro. Depois fui até Caio e empurrei ele em cima de uma cadeira e montei nele.

Caio: Tá louco? Se teu pai vir aqui.

Eu: Ele tá doente. Relaxa. Deve tá tendo uma EQM (Experiência Quase morte) agora. - Pra um filho, eu estava me mostrando pouco solidário.

Caio: Não, mano. Bora pra casa.

Eu falei provocativo: Tá com medo? Sou o filho do dono, tá suave.

Ele: Rapá, tu é doido, eu morro de medo do teu pai - falou ele apreensivo. Meti a mão na parte de cima do kimono dele e fui descendo até seus peitos cabeludos.

Eu ri: Tem que ter medo de mim, que só tenho olhos pra ti - beijei seu pescoço.

Caio: Bora pra casa - sussurrou ele fechando os olhos.

Eu: Quem mandou ficar me atiçando por sms a tarde inteira - esfreguei a bunda sobre seu pau e senti ele ganhar vida.

Caio: Seu maluco.

Eu: Só por ti - segurei sua cabeça com as duas mãos e tasquei-lhe um beijo forte. Mordi seus lábios, sulguei sua língua e ele pirou assim como eu. Quando beijava Caio, eu meio que esquecia do mundo, do meu nome, dos meus pais, pois só aquela boca rústica e bruta que existia no momento, com sua língua invadindo tudo. Levantei e falei - fica aqui... pera aí rapidim.

A ideia veio tão rápida quanto o fogo que me dera para transar alí. Fui até a cozinha da padaria. Tirei minha roupa ficando só de cueca, peguei um avental da padaria, que eu usava de quando em vez, um boné também da padaria e fui até ele. Caio me olhou e arregalou os olhos: Que diabéisso, uai?!

Eu: Pra apimentar as coisas - coloquei o boné nele, sentei sobre ele novamente e o beijei. - Sou o funcionário e tu o meu patrão lutador.

Caio: Ah é? É pra entrar no jogo. Então vem cá.

Ele me levantou, me jogou no balcão, me virando de costas e ficou com a boca no meu cangote. Eu já pirava feito um louco, e ri pensando na maluquice que fazíamos. Ele tirou o kimono e senti seu peito relar nas minhas costas nuas. Ele deu uma gingada forte com sua cintura na minha bunda e sussurrou "se é pra sacanagem, então tu vai ver o patrão". Virou minha cabeça e me beijou enlouquecido, eu só gemia com a pegada forte dele enquanto sua língua estuprava minha boca, mostrando quem mandava. Apalpei a minha mochila e peguei um frasco de lubrificante.

Caio riu: Rapá, já tava na mente da foda?

Eu virei pra ele e ri malicioso: Ando precavido - me abaixei, puxei o sumô dele e cueca, a pica dele pulou pra fora com cheiro de suor. Não era cheiro forte, pois Caio se cuidava e usava loção pra cada parte do seu corpo. Era um aroma bom de loção e suor, perfeito. Abocanhei a pica que já tava dura e melada, e senti seu gosto salgado, gosto do meu homem. Caio gemeu alto e segurou minha cabeça dos dois lados e gingou a pica na minha boca ritmadamente, me engasguei umas duas vezes, olhei para o rosto dele e ele bateu o pau na minha cara. Caio fazia uma feição de safado que as vezes me deixava pirado, só vocês vendo. Então, voltando ao episódio; ele me ergueu e como havia um balcão de mármore baixo e o outro alto que era junto com balcão onde ficavam os pães, fui posto no mais baixo deitado de costas para Caio. Ele lambeu minha costa descendo até minha bundo e lambeu meu cu duas vezes de forma rápida, enterrou a cara e falava sacanagens enquanto batia nas minhas nádegas mordendo-as. Depois melou o pau e meu cu e meteu... sempre dói no começo, e continua a doer depois, mas aprendi a sentir o prazer a cima de tudo e deixar a ardência diminuta. Ia entrando cm por cm vagarosamente e eu gemia. Cara, quando uma pica entra em você, é inevitável você gemer feito uma menina. I-n-e-v-i-t-á-v-e-l. E é gostoso gemer, você sempre sente mais prazer gemendo. Quando a pica entra e sai, mermão, não tem como não gemer vergonhosamente

Caio: Quem é o chefe! - e bateu na minha bunda.

Eu gemi: Tu.

Ele: Não ouvi (outro tapa).

- Tu, meu dono - falei dengoso.

Caio já gingando: Eu mesmo e mais ninguém. Ahhh delícia.

Então fodeu meu cu forte, eu já havia me preparado antes (chuca e a parte da higiene) para não ter um imprevisto de 'merda'. Depois ele me virou, me pôs em seu colo e comeu eu andando pela padaria. Já suávamos em bicas e eu gemia e ele urrava. Ele me colocou de pé atrás de onde eu atendia as pessoas e socou fundo. A virilha dele fazia um som bom de carne na carne (ambas suadas), ele colocou um braço ao redor do meu pescoço e a outra mão punhetava meu pau.

Caio: Tá gostando da pica do pai, tá?

Eu: Muito ahhh... Ai. Fode vai.

Ele continuou a meter e senti ele me apertar mais, e mais e sua pica pulsou e senti o leite dele me invadir e essas paradas bem clichê de final de transa de conto erótico. Depois me virou para sua frente, senti a gala dele escorrer por meu cu e eu gozei quando ele pegou no meu pau. Melei sua virilha peluda e barriga, Caio espalhou ela pelo corpo e chupou os dedos. Eu ri.

- Pronto. Vou lembrar sempre disso quando tu tiver longe.

Caio: Ownt, que fofo. Vamos fazer um tuor por lugares conhecidos e transar neles?

Eu pensei abraçado nele e falei: Hummm. Seria legal.

Caio: Vamo começar então pela casa dos amigos.

Eu: Cinema já rolou né?

Caio: Banheiros de shopping também.

Eu: Na minha antiga casa - sugeri.

Caio: Na minha.

Eu: No quarto da tua mãe - falei imaginando - e gozando na cama dela.

Caio riu: Humm, interessante. Desafiador e excitante.

Eu rindo: Vamos fazer uma lista.

Eu beijei ele e depois dele se vestir, e eu também, fomos pra casa com os dois sujos de gala mesmo. No caminho, passamos pela casa de meu pai, ele estava bem melhor e disse para eu não me preocupar. Diz um chá e uma sopa e Caio se manteve longe do meh pai, porque o mesmo estava com um cheiro forte de gala. Fomos para nossa casa e continuamos falado de lugares para se transar (praça, teatro, casa dos pais, cemitério, avião {clássico}, escola e etc). Depois lembrei de algo que Lise falara sobre minha sogra e perguntei sobre ela.

Caio: Ah, amor. Tô me cansando de ir lá quase todo dia. Ela diz tá ruim de saúde e quer o filho por perto.

Eu: Lise me contou das reclamações dela.

Caio: Eu não ligo amor, e nunca vou ligar. Mas eu noto que ela tá meio adoentada apesar da língua aspera. O pai diz que pode ser alguma depressão intensa, pois um dia desses, eu tava lá e ela dormiu no meu colo enquanto fazia carinho na cabeça dela e ela começou a chorar e a gritar o nome de Helson.

Eu: Caramba, amor. Não seria melhor um psicólogo?

Caio parou o carro num sinal e esperava ele abrir, deu a seta para direita: Fala isso pra ela e ela te arranca os olhos.

Eu: Acho que para isso eu só precise respirar perto dela. Tadinha, sinto pena dela.

Caio: Sinta não, acho que tudo também pode ser só fingimento - ele virou pra direita e seguiu com o carro. - Mas deixa isso pra lá, amor. Uma hora ela para de desculpas pra eu ir lá e eu fico livre.

Eu: Mas vai, amor. Ela é sua mãe e não importa se ela apoia ou não a gente.

Caio: Prefiro ficar mil vezes do teu lado - segurou minha mão e beijou ela.

Eu: Eu também. Mas você sabe; os pais são complicados as vezes.

Minha sogra era muito mais complicada, eu não imaginava o quanto.

*

Dois dias depois, eu trabalhava rindo lembrando da nossa foda, meu pai não imaginava que aonde ele estava naquele momento - contando moedas -, seu filho tinha sido fodido violentamente, e o pior; gostado disso. Eu ria comigo mesmo e pensava em Caio. Mas algo me deixava perturbado. Havia um impasse e eu tinha que resolver ele. O de conversar com André e saber o que de fato ele queria e pôr um fim nisso para não gerar desentendimentos. Naquele dia na padaria, eu vi desejo e dor em seus olhos. Eu tinha que falar com ele e sobretudo, contar para Caio sobre o quase beijo, era isso que me perturbava mais. André sumira, não deu pra eu conversar com ele e então liguei para sua casa. A mãe dele me disse que o mesmo iria passar boa parte da semana no quartel e voltaria no sábado. Ótimo, pensei. Domingo eu conversaria com ele. E me afastaria. E contaria pro meu lekão tudo sobre o que rolou, mesmo tendo que ver ele furioso comigo, e com razão. Agradei Caio a semana inteirinha. Na quinta fomos assistir todos os filmes do gosto dele - lutas, ações desenfreadas, mortes toscas e etc -, sexta comprei dois jogos fodas pra ele e o mesmo pirou. De noitinha fomos pra balada e amanhecemos nas Docas da cidade em uma roda de pagode. Sábado, faltei o trabalho por causa do sono e de tardezinha saímos pra um social na casa de um playboy amigo dele. Trasamos no banheiro da casa do anfitrião (casa de amigo não muito próximo - confere). A lista de lugares para se transar logo logo ficaria cheia.

O domingo estava quente, um sol infernal pairava sobre a capital, Lise, Roger e Mário - esse recém saído de um lance e sofrendo por isso. Lise e Mário, que sabia cozinhar apesar de ser um pouco maromba-acéfalo, fizeram um almoço caprichado enquanto eu jogava futebol com Roger no play3 e perdia miseravelmente de 18 a 2. Os dois gols eu fiz por acidente e dequiei um a Lise e outro a Caio. Comemos no sofá, ninguém quis comer na mesa e eu resignado com aquilo tive que aceitar e me juntei na sala para assistirmos Os Vingadores no DVD. Depois disso, ficamos dando força pra Mário pois ele dizia gostar da mina que havia lhe dado um pé na bunda dois dias atrás.

Eu abracei Mário, um moreno alto, forte, com cara de bruto, de olhos vermelhos e aos prantos: Eu gostei tanto dela, Fer. Tanto dela.

Estávamos na cozinha lavando a louça e os demais na sala. Eu o tranquilizei: Calma, mano. Calma, Mário.

Mário se afastou um pouco para limpar os olhos: Mano, eu me peguei à ela e a nega disse que só queria sexo mesmo. Que eu não passava de um monte de músculos e só.

Eu fiz ele olhar pra mim: Hey! Olha aqui, se eu ver esse mina eu quebro ela na porrada. Mário, tu é um cara incrível. Gentil e acima de tudo, humano. Se ela falou isso pra ti, então não viu o quanto tu é homem e se enganou vendo um moleque, coisa que jamais tu vai ser.

Ele riu tristonho: Porra, mano. Valeu mesmo - outro abraço. - Tu é o irmão que eu nunca tive, cara. Tu e o Caio.

Eu: Tu é meu brother, man. Agora vamos lavar essa louça e esquecer essa vadia que não te merece? Ora ora, ele riu. Gente, Mário riu. Parou de bancar o frango. - Os demias bateram palmas e assoviaram da sala. Mário me deu uma cotovelada nas costelas.

Depois, bebemos na área de casa e eu me gabei sobre meu micro jardim onde flores e um pezinho de hortelã nasciam. Mário fora buscar seu violão com Caio e Roge, pois eles ajudariam ele a trazer mais cerva. Aproveitei que fiquei sozinho com Lise e contei tudo sobre André. Tudo mesmo. Dos conflitos internos e do medo de que no futuro, isso resultasse em algo nada bom. Principalmente pra André que se iludia com a possibilidade de algo entre mim e ele. Lise me aconselhou a abrir o verbo pra Caio, nada melhor que a verdade, pois já estava se tornando uma bola de neve. Dei razão à ela e disse que contaria tudo quando todos fossem embora. Mas antes, eu tinha que resolver algo com André. Eu teria que ir no Jurunas. Eu teria que colocar ele no lugar dele. Depois me resolveria com meu namorado.

Caio e os meninos chegaram, ligaram a TV e passava futebol. Disse pra Lise que teria que sair e ela ficou preocupada: Ai ai, Nando. O quiê que vociê vai apronta-ri?

Eu: Lise, preciso falar com André e por um ponto final nisso tudo - falei e dei um beijo na testa dela. Fui até a sala e falei pra Caio. - Amor, vou sair rapidim. Dá um pulo no Jurunas e já volto.

Caio: Agora, amor?

Eu: É rápido. Lise vai comigo.

Lise olhou surpresa para mim: Eu? - olhei feio pra ela. - Sim sim. Clarú que vou.

Os meninos reclamaram quando dei um beijo em Caio e fiquei na frente da TV. Fui até o aparelho e desliguei, corri pra porta rindo e ouvi eles me praguejando. No carro, Lise parecia nervosa e eu também me sentia como tal. Então lembrei que Lise era minha informante sobre a dona Calson, uma vez que Caio não falava muito por não gostar de estragar nosso dia, e seu Cá também não dizia uma palavra alegando que estragaria o dia dele

Eu: Lise... Preciso desabafar algo.

Ela me olhou: Falí.

Eu: De uns dias pra cá, sinto Caio meio arrogante. Ele ainda é meu Caio, mas mudou um pouco.

Lise: Ôlha, Nando. Non queriar te contar-ri, pôis elie mesma disse que nom era pra contar-ri.

Eu: Pois conte.

Lise: Dona Heleni tá fazendo a cabeça do menina. Ela fica dizendu que vociê é interesseira e que é pra elie ficar de olhô em ti pois vociê é muito dado. Ouvi isso uma vez anties de ser expulsa de lá. Caio pediu para eu nom contar porquiê pensa quie você vá se sentir mal.

Eu eu senti uma afeição por meu gongão e dei de ombros: Isso eu já imagino que ela fale e tenha falado. Então, Caio está assim por causa dela? Ciumento e arrogante?

Lise: Conhieço Caio desdie crianças. Semprie foi un garoto bom. A mãe quie é o problema. E sim. Ela que deve tá fazendo a cabeça dele e elie bobinho fica encucado.

Eu: Ahh - há algum tempo eu notara a mudança de comportamento de Caio. Ele gastava muito, quando eu o repreendia ele dizia, borçalmente, que o dinheiro era dele. Nas brigas, poucas vezes, meteu nossa situação financeira (a minha e a dele) no meio e isso me deixava muito frustrado, como a vez que ele jogou na minha cara sobre as sessões com o psicólogo. A gente antes brigava, e demais, mas nunca com esse tipo de enredo no meio. E eu sentia que ele falava no calor do momento e que alguém o motivara a falar isso, a ser prepotente, um tanto superior. Caio era um cara bom, o cara mais foda que eu conheci, mas percebi que sua mãe era um problema e seria. Eu não poderia dizer pra ele se afastar dela, ficar longe, obrigá-lo a não ir mais na casa da mesma, eu jamais faria isso pois apesar de tudo, ela era a mãe dele. Sogra são assim, ouvi histórias que muitos casais felizes, se tornaram cinzas quando as sogras interferiram direta e indiretamente no relacionamento destes. Aconteceria isso com a gente? Talvez sim, então eu resolveria o impasse com André e depois tentaria ver isso com minha sogra. Chegamos em frente a minha casa. Na verdade era na frente da de André.

Desci do carro e Lise me acompanhou: Nando, menina. Se Caio souber...

Eu: Ele vai saber, e hoje. Mas tenho que falar com André antes de Caio saber, caso contrário ele nunca deixaria eu vir aqui. Fica no carro que eu já volto. 5 minutos.

Lise: No demori.

Bati na porta da casa de André, o pai e a mãe dele estavam arrumados pra ir pra igreja. Eles sempre iam cedo.

Dona Lúcia: Fernando? Que surpresa.

Eu: Oi, tia. E seu Anderson, tá mais jovem heim - eles riram e eu perguntei sobre o filho deles. Os mesmo disseram que ele se encontrava no quarto e que estavam de saída. Fui até o quarto de André, a porta estava fechada. Bati e não obtive resposta. Bati outra vez, nada. Abri ela lentamente e lá estava André. Sentado na cadeira de costas para a prota e em frente ao pc com fones no ouvido. Então percebi o que ele fazia quando olhei pra sua mão e vi que ela punhetava seu pau. André se masturbava assistindo um pornô e eu alí. Puta merda!

Continua...

-

Gostaram? Ficou um tanto longo. Mas é assim mesmo. Cês sabe que eu só curto coisas grandes hehe. Abraços e bom final de semana a todos. Vou pra um festejo numa cidade vizinha e só volto terça, pois segunda não terei aula. Até terça, moçada linda.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
06/08/2016 02:17:39
Morti com esse final
02/08/2016 23:54:50
eita que barra em cara,espero que tudo isso tenha fortalecido o amor de vocês,abraços leke conto impecável como sempre.
26/07/2016 07:29:04
vcs voltaram?
25/07/2016 23:17:39
😲... Agr me confidencia uma coisa vcs voltaram?
25/07/2016 14:52:04
Nossa man... eu não acredito e não quero acreditar que algo vai acontecer com esse casal... mas vamos ver no que da neh. Andre é uma boa pessoa, mas poxa tu é casado e ele vai tentar te beijar... e Caio sendo influênciado pela mãe também é osso rs. Bom conto cara abração.
25/07/2016 04:51:15
Eita vida boa preciso ir pra uma festa já E de preferência open bar imagina vou fica louca Rs, então agora tenho um girininho to com um buchão de seis meus meu Pietro meu grande amor vou casar Tbm menino caso dia 20 de agosto por que sou dessas kkkk cara tu sabe Qe eu amo o conto né to super ansiosas pelos próximos capítulos não demora não desejo de grávida Rs eu Tbm adoro trakinas gostava de mas do de limão, e foda vc não sabe o Qe a pessoa qr né afinal tu sabe Qe o André qr seu corpo nu mas tem o grandão então e foda tomar uma posição entre as partes né mas Qe tudo dê mto certo Bjo eu ti meu lindo❤️❤️❤️
25/07/2016 02:19:04
Pode enviar o Andre,que com toda certeza eu vou pagar o frete .E essa mae do Caio não presta mesmo,uma pena que vaso ruim não quebra.Eu adoraria estar no seu lugar para ver o filme com o André kkkkkkkkk.Espero que vocês tenham voltado,um casal lindo como vcs dois não devem de forma alguma ficarem separados,esse amor misturado com amizade de vcs me deixa encantado.Bjsssssssss e Abraçsssss
25/07/2016 01:11:10
viado tu num vai transa com essa budega não de André não se não arranco teus cabelo com pinça kkkkkk. fico muito feliz que você tenha ficado de boa com meu comentário sobre fugir dos padrões, porque é uma coisa difícil de se debater mas se for com jeitinho tá ótimo. migo vc e caio estão juntos hj ? acho q vc n pode responder mas é aquele ditado né vamo faze oq e eu tbm fico mt feliz q vc tá sabendo dos meme kkkkkk pq gay tem q saber de meme sim kkkkk.
24/07/2016 22:13:38
Amando..perfeita essa historia de amorDuvida cruel e a pergunta q parou o mundo....caio e fe ainda estao juntos ne?diz q sim diz q simha ha haTbm passo por essa situacao entre junior ( namorado) e Davisson ( amigo dos tempos de escola e q nutre sentimento forte por mim)o q eu faco?mantenho os dois longe um do outro se nao viveria fazendo curativo kkkk os dois sao fortoes
24/07/2016 18:09:18
Gente para tudo que conto é esse, maravilhoso, estou desde 6:00 lendo, história linda cara! Parabéns e que você continue a escrever.
24/07/2016 16:19:19
Eu pensei que o Caio iria dizer que a hostilidade era devido o André ter ficado com alguma menina que o Caio havia dito que queria ou o André falar alguma indireta te desejando. Poderia até ser uma sementinha de amor escondido nos dois. kkkkkk. Mas é que quando o boy já está de olho em outro desenvolve "olhos de águia", analisando todos os olhares masculinos que se aproximam da sua presa (você). Estou molhado com esse encontro explosivo de testosterona e disputando quem "mija" mais longe. Sua sogra poderia ganhar o Oscar de melhor atuação. Está implantando informações negativas no Caio que nem percebeu. Acho que ela está com o psicológico abalado desde a morte do Helson e ainda guarda mágoas do Caio. Só acho que você poderia deixar vazar o sex tape desse momento do Andre. Pretérito! Deve estar vendo um pornô e te imaginando ou vendo algo seu. É aquele ditado: se não posso ter você, da minha punheta você não escapa! Dúvida cruel (se não quiser responder tudo bem): O Caio faz chuca ou isso prejudica a masculinidade dele? Também acho que devemos nos conhecer; cria um grupo no grindr com você, Caio e eu. Vamos trocar experiências, bolo, açaí, nudes... Abraços!
24/07/2016 15:46:56
💕
24/07/2016 15:27:57
Sem palavras para comentar. Só posso repetir "incrível". E essa sogra do capeta. Conheço muitos casais que foram destruídos por interferência desses seres de outro mundo. E é complicado lidar com elas. Muito mesmo. Espero ver Nando frenteba frente com a cobra e a enfrentando. Beijos
24/07/2016 14:37:24
Cara, sabe porque eu quis saber se vocês continuam juntos? Porque eu vi o começo conturbado de vocês e não queria que o casal se separasse, e por fim, quando você diz que estão juntos novamente, isso só provoca a nossa imaginação a imaginar como tudo ocorreu, não é chato já saber o que vai rolar no fim, mas sim legal, pois faz a gente imaginar tudo o que ocorreu pra ter aquele final. Por isso eu prefiro saber o final, pra gostar do começo! Caralho kkk que capítulo foi esse, eu estranho o modo do Caio te tratar, mas sendo a mãe uma cobra kkk não tenho do que reclamar! Mas esse André meio que é como dizer, o namoro é pra dois, mas tem gente pensando que três vai bem... deu pra entende né? se não, esquece kkk
24/07/2016 12:06:23
Situação constrangedora essa.
24/07/2016 11:57:57
Caralhooo que isso mlk. Tá cade vez melhor. E eu sabia que era a mãe dele fazendo a cabeça do meu menino Caio. Mãe é foda que sabe manipular emocionalmente. Essa pupunha do André heim kkk. Morri de ri. Ansiooooso pelo próximo. Não se demore
24/07/2016 10:15:59
Curiosidade o Caio lê o conto? parece q o que Caio tem de físico falta de cerébro rs dá pra ver que ele se deixa influenciar muito fácil,
24/07/2016 10:06:11
opaa Nando você voltou que bom :) está ótimo.
24/07/2016 06:55:03
Que situação constrangedora kkk . Que tipo de pornô sera que ele estava vendo ?
24/07/2016 03:01:30
Rapaz, isso tá me cheirando a intriga da grossa (sem trocadilhos intencionais, rsrs). Esperando ansioso pelo próximo capítulo, e só pra constar sou #TeamCaio! Tenho dito! Abraços. ♡




Online porn video at mobile phone


filme porno gay papis negao abusa de jovem mundo bichasarrando a bundinha da minha filinhacontos quentes de padrasto tarsdoconto porno provoquei meu filhocontos de casada na piranhagemrelatos selvagens de zoofilia com cachorrocontos tia dando o cu pro sobrinhoporno com egua pordrinhabucetao na boca contoSou a cadelinha do cão labrador contosisso papai soca fundocifra o marido no banheiro com amigo dele levantou a saia e o amigo do marido meteu no cu dela vídeo pornô doidoisso que apareceu no quer vir para casa vídeo de pornô se você não abrir Eu prometo te dei nesse iguaContos a empregada com fotoszdorovsreda.ruContos zoofilia postados em abril d 2017brincando escanchada contos pornovelhas dos peitoes muchos e grelo grando transandocontos pequenina e punheteiradavs contos eróticosSuper menininhas em contos eroticos 2017 da cidade de campinas gratisSexo menage aclimação casadacontos eróticos com minha mãe carente 2017 1.8comebuceta irma outra irma prexavideo porno denovinha enfrento pau grandecontos eroticos adoro quando minha esposa si ezibi pra outro quase peladacomo meu tio roludo e comedor comeu minha esposa novinha 1° contosprovoquei e ele me pegou a forca na rua!!contos eroticoslindas foto d moreninha gostosa nua peitinhno bucetinhaencoxada na reiuniao pulitica lotada xvideoirmao sacana espera sua irma dormir para abudar dela coloca seu pinto na boca e gosacontos eróticos com minha irmanzinhagostosa se masturbando com pinto de borracha solta p**** falsaporno coeimiguel tesudogostosas da bundonadormindo mae efilha eo pai pornodoidochantagiei a colega de trabalho e comi ela contospenis grosso e 30 ctm fazendo a menina novinha chora e caga.sangue apois colocar em seu anuavideo porno mae ve filho pelado e toma susto com tamanho do pauvídeo de sexo negão lascando a b***** de magrinha Sonhadacontos de sexo depilando a sogradei xoxota para meu pai pausado de manhã, contos incesto fotosfotos de bufetas pibgando de tewaocontos sexo minha esposa nossa vizinhaquero ver um monte de mergulhador de 19 a 20 anos de sunga de pau bem duro peladoFelipe e Guilherme- Amor em Londredfotos ato da novela a gata pauzudo picudosvideo olhei peludo no banho deu vontade de chuparconto gratis branquelo chupou a buceta da mulatasou casada e fui bolinada gosteimithlee pron vidonovilhas darno o cu sexoquero ver zoofilia cachorro comendo a coroa cabeluda bem gostoso organiza que tesãoDescabacei a buceta da minha prima no hotel conto erotico de primo e prima cabaço no hotelcontos da minha sogra deixando a calcinha pra mim cheiraassistir filme completo de chupada de bucetas bem fortes adoroooolek que gosta de chupar pauxvideo iseto papaiVirgindade anal incesto Desde pequena Contocontoseroticos-estuprada por 2 cachorros roludofilme porno "ligados pelo desejo"pai fas.fihinha goza primeira ves putariabrasileiravídeos pornô certinho não quero nenhum errando dando errado por favor obrigadaporno mulheres com alta preção no cu jogs bosta longedoce nanda parte cinco contos eroticosconto erotico mendiga novinhacontos de gozadas nas bundas grande de coroascontos eróticos no YouTube deixei meu filho me comerFui encoxada e iniciada por um roludo sexo homens gozando e.falandopalavroesmulher chupa priquito de amiga sa empreme vou gosamulher falando juramento de gemido vídeos pornôcontos porno padre gayzofilia mulher dependurada pel cu no cãoContoeroticonovinhosafadocontos eróticos chantagiei minha comadre e gozei na boca delaginecologista dilatando o cuzinho dá mulher pra gozar dentrovideo porno inedito de mulher gozando descontrolada no vibradorbrincando escanchada contos pornomulher toma susto com rola bucetas moloucontos eróticos publicadospau mostro q gata nao aguenta e pede pra da um tempo pq sua buceta ta doendopornoxvideos levo a gostosa anda de moto e comeu ela no matoxvidio mulher casada para na rua fica vendo medingo do pau muito grande fazendo xixiporno com muito estrupo com muito pau no cu a força com muito sexo bruto.marido .que gosta de ser corno xpirnpunheta apos encoxada em onibusadolecens safadas trazandocontos eroticos cheia de pentelhos horriveismorena com os pentelhos enroladinhos trepando gostosocontos eroticos de traição no escurinhovideos pornò homem chupando gostosòMae e puta fudeu filio estoriacasado sendo penetrado no seu cuzinho pelo amigo,devagar e suave.vídeo porno da tia gostosa dando pra sobrinha saida agua do olhoporn xxx mulher paga divida e corno vendo ela chorar de dorhistoria-erotica de entiado bem dotado fudendo a entiadagostosas minisaia enos debaixodelasbaixinha chupadora de esperma