Casa dos Contos Eróticos


Click to this video!

A dona da Bulldog

Um conto erótico de Paulo XX
Categoria: Heterossexual
Data: 10/09/2017 11:53:45
Nota 10.00

Meu nome é Paulo (fictício) e vou relatar uma aventura que tive ano passado com Roberta, uma mulher espetacular, sexy e muito safada na cama. Antes vou me descrever brevemente: sou moreno claro, 1,75 m de altura, um pouco acima do peso, cabelos curtos, dote de 20cm e um pouco grosso.

Estava num dia de folga passeando pelo parque do Trianon na capital paulista, quando vi uma mulher estonteante passeando calmamente com uma bulldog na coleira.

Era uma morena de pele bronzeada e traços fortes com luzes no cabelo castanho escuro que descia em cachos soltos até o meio das costas. Sua altura era média e seu corpo muito curvilíneo, com grandes seios, cintura fina e quadris largos, praticamente uma mulher desenhada à mão por um artista que sabe o que um homem aprecia no físico feminino.

Ela usava uma blusa folgada e saia na altura dos joelhos agarrada que combinando com o salto dava a sua bunda ainda mais volume e contornos generosos.

O leve balançar dos quadris era uma atração à parte e logicamente todos os homens alí a olhavam com desejo, caso acompanhados, suas parceiras os repreendiam com algum tipo de olhar furioso ou tapas no braço, enquanto que os solteiros em nada eram discretos.

A observei sem alimentar esperanças que ela retribuíiria meu olhar direto ao seu rosto quando nos cruzamos e ela disse “boa tarde”, o que me fez sentir sortudo. Mas não foi além disso naquele momento.

Eis que por uma coincidência do destino, quando me sentei para beber uma água de coco no banco, ouvi alguns gritos que diziam “alguém ajude, segura minha cachorra”. Na minha direção vi a bulldog correndo não como se quisesse fugir, mas brincar com a dona. A correia era longa, o que facilitou a ação de pegar e com pouca força fazer a cadela parar sem machucá-la.

Logo a musa do parque veio na maior velocidade que seus saltos permitiam e ao longe já me agradecia” moço, graças a Deus que você conseguiu segurar a minha Kaya, nossa se ela some ou alguém rouba ela eu morreria de tristeza “.

“Não foi nada” respondi de maneira simpática, “ela veio na minha direção e não estava tão rápida“.

Assim o gelo foi quebrado e logo descobri que aquela bela mulher se chamava Roberta e era do sul do Brasil, me apresentei e fomos conversando animadamente como se fossemos velhos amigos que se encontram ocasionalmente.

Depois desse papo trocamos informações de contato e seguimos cada qual para sua casa.

Mais tarde naquela noite, Roberta me enviou mensagem e logo já estávamos falando sobre diversos assuntos, possuiamos afinidades intelectuais e gostos parecidos para muitas coisas, logo um reencontro fazia sentido e ela disse fazer questão de me agradecer pelo modo gentil que tratei ela e seu animal de estimação.

Combinamos um encontro em um bar no dia seguinte próximo a consolação e assim dormi na expectativa de quem sabe conseguir mais do que agradecimentos verbais daquela mulher fascinante, tanto pela beleza como pela inteligência e personalidade.

No horário combinado cheguei, me sentei e pedi algo para beber, após 10 minutos (que pareceram horas) minha musa chegou com um vestido decotado e colado no corpo dando ainda mais destaque a suas formas, não me contive e abri um sorriso que só não foi maior que minha excitação, aproveitei no momento do cumprimento para encostar o máximo possível nela com um abraço caloroso e um beijo no canto dos lábios. Senti que ela gostou pois também se espremeu contra mim e elogiou o perfume que eu usava.

Não demorou e ela me perguntou se eu era solteiro, com a resposta afirmativa ela quis saber se o motivo era por ser galinha ou muito safado, pois de tímido ela dizia que eu não tinha nada.

Disse que apenas era a situação no momento da vida, já que havia estado praticamente casado por 3 anos e agora queria aproveitar um pouco mais de liberdade.

Ela me contou que era mais ou menos solteira, que tinha um namorado mas que ele era ausente e um pouco complicado pois morria de ciúmes dela. Eu lhe respondi que ele tinha razão pois uma mulher como ela não era comum de se encontrar.

Ela, jogando charme, me perguntou o que havia de tão incomum nela e na lata disse: “inteligente, elegante, charmosa e provavelmente gostosa”.

“provavelmente?“ ela retrucou, “sim, só posso dizer que é gostosa mesmo se eu provar”.

“Ousado, gostei disso. “

Cruzamos olhares sorrindo e não havia mais nada a ser dito com palavras e assim rolou um beijo rápido, mas carregado do tesão de cada um.

Ela falou, “vem comigo”. Saímos do bar descendo a rua Augusta em direção ao centro. Para quem conhece essa região sabe que por alí há alguns motéis que não são os melhores de São Paulo, mas quebram o galho de diversos casais excitados, conosco não foi diferente e antes de qualquer vergonha ou arrependimento se manifestar estávamos em uma suíte, trocando beijos de língua e passadas de mão pelos nossos corpos.

Num ato de pura luxúria a virei de costas encoxando-a, beijei seu pescoço, apertei seus firmes e grandes seios e lentamente fui descendo sem deixar de tocá-la até meu rosto ficar na altura de sua bunda. Assim levantei o vestido e beijei e lambi suas nádegas enquanto abaixava sua calcinha, curvando seu corpo mais para a frente e abrindo suas pernas, logo minha língua percorria sua vulva, quente e úmida e saboreava como a melhor sobremesa do mundo.

Roberta gemia e agarrava os lençóis e num instante que dei uma rápida pausa para respirar ela disse: “minha vez de te devorar”.

Assim me deitou na cama e abriu minha calça e abaixou lentamente minha cueca deparando com meu pau ereto e em seu máximo de tesão, admirou o tamanho, a grossura e lambeu a gota de prazer que brilhava na cabeça do caralho. Logo em seguida foi beijando toda extensão da vara e lambendo as bolas com muita habilidade, o prazer era tanto que me contorcia na cama. De uma forma gulosa abocanhou a rola até a metade e lentamente subia e descia e quando tirava da boca batia com a jeba no rosto e lábios e perguntava sorrindo se estava gostando.

Eu adorava cada segundo e sugeri um 69, ela adorou a ideia e assim com aquela molhada e deliciosa buceta na minha cara chupei com vontade, passando a língua pelos pequenos e grandes lábios, me detendo especialmente em seu clitóris, o qual eu ao mesmo tempo tocava levemente e com alguma velocidade com a ponta da língua e o sugava, fazendo ela gemer de tesão e gozar intensamente na minha boca.

Me pediu um segundo para se recuperar e enquanto eu colocava uma camisinha ela me perguntou se eu queria ela de quatro, não era ainda o momento, pois queria ver sua reação enquanto a penetrava pela primeira vez.

Assim o fiz e alojei o meu cacete na xoxota molhada com suavidade, seu corpo suava e ela pedia para eu controlar as estocadas até se acostumar com o tamanho, pois dizia que já estava há alguns dias sem sexo e seu namorado não era do mesmo “calibre”.

Aos poucos fomos aumentando a intensidade e em consequentemente transavamos numa intensidade que fazia a cama do motel ranger, o lençol que cobria o colchão se retorcia sob nós dois, s corpos esquentavam e se molhavam de suor um do outro, o cheiro de sexo espalhava-se por aquele ambiente. Fomos variando de posição, da missionária inicial passamos a ela por cima, ficamos de lado, os dois sentados um de frente pro outro trocando beijos ardentes, eu por trás dela, até ela ficar de 4 e eu vendo aquela bunda linda, grande e redonda não consegui me conter e dei alguns tapinhas que ela pediu que fossem mais fortes e dava um gritinho a cada novo estalo.

Nessa altura o prazer era demais para segurar e gozei fartamente enchendo a camisinha.

Ela sentindo os movimentos do meu mastro profundamente socado em sua vagina, gozou novamente, apertando bastante meu pau com sua xana e deixando ainda mais úmidos nossos ventres.

Deitados conversamos mais, rimos e fomos tomar uma ducha trocando carinhos e beijos e assim que a excitação voltou, tocou o telefone do quarto avisando que o período venceria.

A vontade era de ficar mais, mas ela tinha seus compromissos e me disse que precisava realmente ir.

Nos despedimos com a promessa de um reencontro em breve e a noite recebi algumas fotos dela nua e enviei também, mal aguentando a vontade de tê-la novamente.Essa conversa noturna acabou com uma masturbação mútua pelo telefone e combinamos nossa próxima saída.

Esse segundo encontro será relatado também, pois foi uma transa ainda mais intensa e prazerosa para os dois.

Até lá.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
12/09/2017 16:59:28
Show de conto, Paulo, bem narrado e excitante. Aproveitou bem a deixa que a cachorra dela deu para se aproximar. E como premio, ganhou essa transa gostosa com a Roberta. Nós, mulheres do sul somos mesmo assim, decididas. Rs. Quando tiver um tempinho, leia os meus. Bjs, Val.
11/09/2017 13:11:01
Conto delicioso, menino. A transa com essa mulher foi muito bem narrado, cheio de detalhes sensuais e excitantes. Adorei. Beijos da Vanessa.
10/09/2017 15:27:59
Hummm, me encheu de vontade, amor... Um homem que saborear a vulva como a fruta mais gostosa do mundo, tem meu respeito. Me avise quando for ao parque de novo, que vou soltar a minha pitbull. Rs. Brincadeirinha. Ela é uma pug. Venha me conhecer lendo o meu. Um beijo!




Online porn video at mobile phone


contos eroticos provocando meu cunhadovídeo de sexo de garotão matuto. de cueca boxe. de pau durofotos incetos do sexo com entiadas pau gigantes comendo novinhasmamae nao suporta rola do amante na bucetavideos gratis porno para ver agora mulheres levando encoxada no onibus ficou louca de tesao e levou o cara pra cadacontos minha esposa agazalhou um pal enorme no raboempurando o gatilho no prikito delavanessinha casada e putinha/quadrinhoshotmail muletodaMeu vampiro romance gay capitulo 21pornô mãe usina puheta mãoContos erotico cdzinha cinemacachorro fod madamegozapadrasto enteada falei de sexo brasileiroConto erotico arrombei minhA tia 25cm grosso no acampamentomeu irmao despresa minha cunhada e ela da a bucetinha gostosa para mimbundas que mexem em cima do caralhofoi mal apertarou aqui sem queras mulheres mais tratante do pornô de fio dentalconto de padrasto socando a punhetacasa dos contos zoofilia com viralatastia ensinando osobrinho acome bocesta seso videu reau azeirobucetao preto babando muito líquidocadelas bucerudas fudendo no ciocarine patricinha casa dos contoscadela lambendo o meu cacete e fudendo conmigo videogozou dentro da buceta e a mulhervnao queria no xvideoscontos eroticos tesao no filhobussetas cuspindo porramenina novinha reclamando do pau grande caiu no zzaapsogra gg chama cheiro para sexo anal pedro da filhacontos de filha crenteCONTOS SEXO NO COLOcontos eroticos mulher dopada e fudidaxxvideo convite discreto amadorcontos coroa implorando por uma picaincesto/imaginaçoes com a maecontos de sexo raspei minha bucetabaiano chupando clitori e falando besteirascontos eroticos/comeu novinha peludinhapornopaumostroperdeno as prega saino bosta caseirobuceta de evangelica arrombada na igrejatufos familia favela #8papai adora chupar a minha buceta enquanto fode a nossa enpregadaPorhb vovo porfavor nao fasa iso eu ainda sou mocinha eu nao quero contos eroticosvidiopono tia bota pra chupacontos de incestos e surubas esposa com minha cunhada e minha irma nudistasbaxinha cochuda casada vingando xvideosxsvidio puta de rucomtos exitantesGTA comendo na rua mostrando a bundinha calcinha vestidos aindaviu a fofinha dormindo pelada e arrombou ela pornoContos eroticos fui estuprado por travesti do pau grande e cabesudo conto cumendo irmao de pau cabecudo irma. virgema gordinha morena kuduro dando para o negãoeu. quero. ve. video. porno. com. menina. de. quize. ano. pegarno. carona. de. caminhaonoiva casa e não sabia tamanho iria infartar pornocorno que gosta de ouvir da sua esposa como ela aguenta uma rola de25 cm no cuContos picantes ainda virgem fui abusada por um entregador velhojaponesinha novinha colegial não resiste as investidas do irmão e transa com elecoletane de cobtos eroticos de travesti bem dotado ativoporno eu e minha cunhada ficamos sozinho em casa não resistir elaporno mulheres q bota sainhas curtinha para pega onibus lotado sopara ser fufidaporno pai entrega a filhinha virgem para o agiotacontos erodicos de primos sendo extrupado pelo lekConto erótico bricadeiras eradas com o paidois negao dt realizando fantasia de n mulher casada porno doidofoi sentar no colo do tio sem calcinha e levou ferrocontos sobrinha meu presente2Contos eróticos de incesto mamae gulosa mamando no pauzaos dos seus filhos e de mais cinco negao em um gang bangvideo pornodoido casal transa dentro de uma poça de lamamae com tesao se masturba aoamamentar filho contos vídeos vídeos pornográfico pai mostrando a filha para chupar até o talo se engasgando filha virando os olhosnegao fodefo cu forcaConto erotico estou louca pela picona do meu cunhadovídeo pornô de novinha do grelo apertadinho obrigada a chupar a rola do VandoXsvideos mulher torturando escravo nu