Casa dos Contos Eróticos

Click to this video!

Pra Sempre Você! Capítulo 24

Autor: Daniel R.M
Categoria: Homossexual
Data: 17/01/2018 12:55:15
Nota 10.00
Ler comentários (3) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

A felicidade está nas pequenas coisas que fazemos e com quem fazemos...

Digamos que eu nunca fui feliz até encontrar Felipe, eu não vejo a minha história antes dele,e não me agrado com o que eu fui,se eu pudesse voltar no passado mudaria muita coisa.

Os dias estavam passando rápido,e isso me deixava um pouco assustado.

Eu estava deitado na cama com a cabeça fora dela,largado e entediado.

- Você sabe que não pode ficar assim não é?

- Eu sei,mas estou morrendo de tédio. - Ele se sentou na cama e me puxou. Eu fiquei deitado no ombro dele.

- Acho que já está na hora de eu me casar com você de uma vez.

- Não seja bobo.

- Estou falando sério, não quero que você me deixe nunca. - Ele me deu um leve e doce beijo.

- Eu nunca vou te deixar,a menos que um dia você não me queira mais.

- Isso nunca vai acontecer. - Senti o seu cheiro.

- Você se despediu de Alwlert?

- Ontem, é uma pena ele ter ido embora tão rápido.

- É,ele queria que eu fosse com ele. - Felipe ria,eu fiquei sério, agora eu queria socar Alw. - Mas oque ele não sabe é que eu tenho o meu príncipe,e não preciso de outro.

- Que fofo,mas isso não ameniza a raiva que eu sinto.

- Você quer sair?

- Não,estou cansado de sair,quero ficar com você hoje aqui. - Eu derrubei ele na cama,ele riu.

- Você se lembra de como a gente era e como chegamos aqui?

- Claro que lembro,eu era um garoto com medo do mundo,mas tinha raiva,eu tinha um blog,eu odiava voltar para a escola e ver você. - Deitei na cama perto dele.

- Sabe,a melhor parte da escola era ver você. - Eu corei.

- E a quanto tempo você gostava de mim?

- Alguns meses,passei a te atormentar menos,você se irritava ainda mais não sei porque. - Ele tocou meu rosto.

- Eu me sentia abandonado. - Eu sorri.

- Quando você me bateu aquele dia minha mãe ficou tão irada,eu jamais achei que ela ia se abalar e ir procurar a sua mãe, eu já nem era mais um adolescente. - Eu lembro desse dia,o dia que tudo começou a mudar.

- É, coitada acha que o filho é um exemplo.

- Mas eu sou um exemplo. - Ele subiu em cima de mim.

- Sei,você era um dos piores alunos da sala.

- Por que eu queria. - Consegui trocar de posição,fique em cima dele.

- De certa forma,você sempre foi o garoto mais bonito pra mim, exeto talvez o Vagner,a aquele garoto era tão lindo. - Felipe fechou a cara.

- Eu sabia o jeito que você olhava para ele,por isso fiz com que ele mudasse de escola.

- Você é terrível.

- Eu sempre cuidei do que era meu,mesmo não sendo meu. - Eu o beijei, me deitei em cima dele, logo senti algo se irrijecendo na minha barriga e sorri.

- Você me deixa louco. - Ele mordeu meu pescoço.

- Então, não fiquei louco sozinho. - Eu sorri maliciosamente.

- Você é quem manda!

°°°

- Você se lembra da vez naquele parque aquatico? - Perguntou Felipe, nós estavamos na cozinha.

- E como eu ia esquecer, você quase me matou afogado Felipe.

- Éramos apenas crianças.

- Não, eu era uma criança, você era um monstro. - Ele gargalhou.

- Eu lembro até agora dos litros de água que eu tomei.

- Se lembra que sua mãe pediu para mim cuidar de você?

- Não lembro.

- Um dia antes do terrível acidente acontecer ela me pediu, na verdade implorou para que eu cuidasse de você, que nunca te deixasse sozinho, ela sentia que algo ia acontecer com ela. - Senti meus olhos arderem,minha mãe se preocupou comigo até o fim. Eu me levantei da cadeira de onde estava e fui para a sala.

- Você está bem?

- Eu vou ficar,você devia ter me dito.

- Ia fazer diferença? Nós tinhamos brigado, ela veio até mim e pediu isso,eu prometi pra ela que eu ia cuidar de você, e é oque eu estou fazendo. - Ele me abraçou tão forte que eu não conseguia respirar,e isso era bom.

- Eu amava ela,você acredita em mim não é?

- Claro que acredito amor,todos os filhos amam seus pais. - Eu sorri,não sei oque eu seria sem ele. E é uma coisa que eu não quero descobrir jamais.

- Já está melhor?

- Sim.

- Que bom,eu vou dar uma saidinha bem rápida,já volto.

- A onde vai?

- Em um lugar, agora se comporte. - Ele me beijou e saiu. Logo em seguida alguém bateu na porta.

- Esqueceu de algo? - Mas não era Felipe,era Lorenzo.

- Não, eu não esqueci de nada. - Ele sorriu.

- Lorenzo, eu achei que era Felipe. - Falei envergonhado.

- Posso entrar?

- Pode,claro.

Ele se sentou no sofá,eu fiquei de pé observando ele,Lorenzo sorria,e ao mesmo tempo estava nervoso.

- Eu vim te ver sabe,saber como você está.

- Eu estou bem, mas surpreso por você estar aqui, eu achei que você não ia mais querer me ver depois do que eu te disse.

- O fato de você ser gay não muda nada,você só devia ter me dito isso antes, é verdade que eu estranhei no começo,mas é algo bem natural. - Eu sorri de felicidade, sentei perto dele.

- Obrigado por não ficar bravo comigo.

- É uma pena seu namorado não gostar de mim, deve ser o cíumes, mas eu nunca vou ter nada com você,ele pode ficar tranquilo.

- Ele vai entender.

- Me veja como um pai para você.

- Não, você é bom demais mais para levar esse título. - Ele ficou sério - você é como um tio para mim.

- Tudo bem então, mas espero que um dia você perdoe seu pai!

- Me diga,você tem família?

- Não, eu não tive tempo pra formar uma família, na verdade perdi minha mulher por uma burrice.

- E pode me contar?

- É algo pessoal.

- Ah.

- Mas eu tenho um filho. - Ele sorriu pra mim.

- É? E como ele é?

- Um bom rapaz,mas não mora comigo.

- Eu ia adorar conhecer ele.

- Eu também. - Ele falou baixinho.

- O que?

- Eu tambem ia adorar que o conhecesse. Me diga onde está Felipe?

- Ele saiu,não sei pra onde, logo ele deve voltar.

- Então é melhor eu ir,não quero te dar problemas. - Ele se levantou.

- Não você nunca me da problemas,eu gosto muito de você.

- Que bom,mas agora eu preciso ir,você pode ir no meu apartamento quando quiser.

- Claro,qualquer hora eu apareço. - Ele me abraçou,eu levei ele até a porta,quando a porta se abriu demos de cara com Felipe, ele ficou serio.

- Olá rapaz.

- Oii senhor Lorenzo. - Lorenzo sorriu e acenou para mim.

- Vai me explicar o que ele veio fazer aqui?

- Ele veio dizer que me aceita como eu sou.

- Como se ele fosse alguém, eu não confio nele.

- Não sei porque,ele é um homem bom, e se preocupa comigo.

- Não confio nele mais ainda,um homem que você conheceu no cemitério derrepente está preocupado com você. - Ele cruzou os braços.

- Bom,eu não sei mais de nada. - Ele continuou de braços cruzados e pensando.

- Ao menos que,não. - Ele estava falando sozinho.

- O que você pensou?

- Nada,eu só estou pensando.

- Ah. - Eu abraçei ele. - Para de pensar, e se quer pensar pensa em mim. - Eu tirei ele dos pensamentos malucos. Ele passou o braços pelo minha cintura.

- Eu te amo,quando você é carinhoso assim.

- Então me ama sempre. - Nós rimos.

- O que vamos fazer o resto do dia?

- Não sei,podemos ir no cinema,ou repetir o dia que eu te pedi em namoro.

- Não,aquela dia foi legal,e chato, me lembro até agora da discusão que eu tive com aquela garota.

- É você bateu nela.

- Eu não mandei ela me provocar.

- E então o que vamos fazer?

- Que tal irmos para a minha fazenda? Eu sei que você gosta de ir lá.

- Eu só fui uma vez,na sua festa de aniversário. - Ele sorriu, tocou meu rosto e ficou me olhando.

- Então vamos,vai ser divertido.

Fazer oque, por ele eu sou capaz de ir até o inferno, não ligo pra onde eu vá,contanto que ele estaja comigo todo lugar se torna incrível. Fizemos as malas, eu ria quando Felipe colocou uma cueca minha na cabeça, ele era sim um crianção,mas o meu crianção.

- Quando você vai amadurecer?

- Quando você deixar de ser maduro. - Eu estava sentado no colo dele.

- Mas se eu não for o maduro,essa casa vai de cabeça para baixo.

- Não exagere,eu morava sozinho antes de você!

- E por que você acha que eu estou falando?

- Você é um atrevido. - Ele me derrubou na cama. - E meninos atrevidos merecem ser castigados. - Eu beijei ele,ele tentou se esquivar mas ele não era muito bom nisso.

- Então me castigue - Desafiei ele,ele me olhou com aquele olhar safado que me dava arrepios e sorriu.

Comentários

18/01/2018 01:01:21
Está na cara de quem Lorenzo é pai, não é?
17/01/2018 16:36:17
LORENZO SEJA PAI DE EWERTON
17/01/2018 15:29:19
MUITO PROVAVELMENTE LORENZO SEJA PAI DE EWERTON. FELIPE JÁ DEVE ESTAR DESCONFIADO DISSO. LORENZO DEVIA SE REVELAR LOGO PARA EVITAR MAIORES SOFRIMENTOS.

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.




Online porn video at mobile phone


conto erotico curradasossegado sexo mulher cornomasturbados na camcontos eroticos strip poker com minha namorada e cunhadacontos de sexo depilada na praiacontos/perdi o cabaco muito tardeNegao come rapaiz novo e gozou dentro porno abaixargostosas apimentadinha de tesaoxvideo decks ja jantar filho come a mãe e pai come a filiameu namorado quer fazer sexo comigo menstruada conto eroticoconto incesto sempre que vejp minha irmã fico de pau duro e ela cheia de tezaomachos da periferia marentos na punhetaloirinhas da minha região, estou doidinho para acabar com seu sufrimento sexualquero ver as evangelicas toda nua e peladinha vigen pernas a bertas peito de fora durinhoxvídeo a novinha tomar esperma do joelhinhoContos.minha.sobrinha.não.tem.cabelo.na.buceta.mas.ja.quer.fuder.meu tio comeu minha bucetinha virgem parte 2 contos eroticoscontos eroticos d maridos q gostam d veh sua mulher fuder cm pirocudo dentro d ksamulher crente dando o cu pra dois pedreiro pauzudocasadinha pacata contoswilma dos flintstones trepandovideo porno menina no colégio internato madre superiora vendoporno familia jurássicaCasa dos contos eróticos perfil pluto69caralhos gigantes e cabeçudos de héteros no pornodoidosadomasoquismo c arrombadas e peitos esmagadospirralho pauzudo contosminha esposa saiu comigo sem calcinha so pra me provocar meus amigospai tarado ia enfiar so a cabecinha mais enpurrou na bucetinha da filha virgenpromo gostoso me fudeu contos eróticos gaycadela lambendo o meu cacete e fudendo conmigo videoaliviava me tesao com o filho novinho da vizinhagarotinhas bem novinhas descubrino otezaocontos de sexo no carro com um cara aiii metiii maisxvıdeos mınına querendo pıntao na bucetınhafotos incetos do sexo com entiadas pau gigantes comendo novinhascorto eroticosminha esposa gosta de trasa com vaqueromulherez de anjinho capetinha e de calcinha vermelhaa vida de um mauricinho apaixonadoporno caseiro no vestiario da loja de.roupas da loja uma estranha olha muito pra o.meu.pauamo meu corninhofreira da a buceta pra pintudo no azilo contos.contos eroticos de jovem transando menstruadas com o professorxvideo casadinha fica louquinha com eletrecista dotadofazendeira metendo com piao pretoContofeminino de dara xana pra caescontos fudida por um caralho grande e grosso insertoscontos/arrebentei meu cabacosó no cu HD pau grosso e leiteesfregando no busao quando ela descuidou entrou na xanalargandoo cu com um pepino grosso pornodoidocalçinha ate amarotada na bucetacontos montadores cuzinhocontos eroticos feminizaçao do garotinho maenovinho cabaco de 15 menino sendo pego pelo tiozaopadrasto enteada falei de sexo brasileirohomens balancando as bolas pornoseduzida por um estranho contos pornozoofilia morena dos desejos anunciocunhada arredou a calcinha e começou a cavalgar na vara do cunhadocontos chupei o grelinho da enteadinha a forçavisando dentro da bucetasconto eroticos palmada contos eróticos gay faculdadeconto novinha marrenta estrupada pelo irmaosvídeo pornô com novinha com peitinho parecendo uma laranja metendo muitoconto de como come meu maridoconto fui estuprada por pauzudonovinha xeia de pintas na bct na siriricavidio de sexo com compadre sedusindo comadre ate foderconto erotico fodi minh sobrinh novinh 11nocontos eroticos adoro quando minha esposa si ezibi pra outro quase pelada